31/03/2010

Mini sinopse oficial, atores convidados e curiosas fotos promocionais do ep. 6x11 “Happily Ever After”

Para quem considera esse tipo de informação spoiler, NÃO clique no leia mais.

Leia mais e veja as imagens

    A ABC liberou a sinopse oficial do próximo episódio que só conta o óbvio:

    Desmond desperta e descobre que está de volta à ilha.

    Dãaa! Pois é.

    Agora, interessante mesmo é a lista de atores convidados que aparecerão neste episódio: Dominic Monaghan como Charlie, Jeremy Davies como Daniel Faraday, Alan Dale como Charles Widmore, Fionnula Flanagan como Eloise Hawking, Sonya Walger como Penelope “Penny” Widmore, Fisher Stevens como George Minkowski, Sheila Kelley como Zoe, Fred Koehler como Seamus, Kayren Butler como médico, Ben Cain como técnico de ressonância magnética, Grisel Toledo como enfermeira Tyra, Sundra Oakley como advogada, Haley Williams como assistente, Jonathan Arthur como Simmons, Gerard Elmore como anotador, Hannah Bell como enfermeira, Christopher McGahan como técnico #1 e Steve Boatright como capanga #1.

    “Happily Ever After” foi escrito por Carlton Cuse & Damon Lindelof e dirigido por Jack Bender.

    E o que dizer dessas fotos promocionais do episódio que o DarkUFO divulgou, hein? Que instrumento esquisito seria esse que supostamente serve de tortura para Desmond? Arriscam um palpite?

Ator sobre o final de Lost: “Mexeu comigo. É impactante!”

Sem spoilers!

Conversando com o Tv Watch da revista People sobre o script de “The End”, episódio final de Lost que leu recentemente, o ator Daniel Dae Kim, o Jin, disse acreditar que ele vai deixar os fãs bem loucos.

Leia mais...

    “É incrível. Só de pensar em quantas peças os roteiristas tiveram que juntar para fazer todas as coisas se encaixarem é de ferver a mente, e eles fizeram um trabalho maravilhoso. Algumas das viradas e surpresas são muito inteligentes”, contou o ator.

    Na reportagem assinada por Shawna Malcom, Dae Kim ainda diz que ficou bem satisfeito com o que descobriu, e que depois de ter lido o script, teve que parar para refletir e digerir, porque o encerramento da história é definitivamente impactante.

    ***

    Ainda falando sobre o mesmo assunto, Daniel Dae Kim também conversou com Kristin dos Santos do E! e contou que é provável que nenhum dos atores tenha recebido o script completo de “The End”.

    “Acredito que algumas cenas tenham ficado de fora do texto que recebi. Ainda assim, o final funciona de forma absolutamente poderosa para mim”, comentou o ator que acrescentou, que ficou tocado porque o que acontece é grande e bastante significativo.

    “O final é muito emocionante e fiquei satisfeito, porque acima de tudo, Lost é uma história sobre personagens. Há muito elemento sci fi, mas no fim é tudo muito humano. Os riscos são reais. Eu realmente tive que me sentar em silêncio por um tempo porque ele significou muito para mim”, encerrou o ator no papo com o E!

    ***

    Hum... Obrigado Daniel. Se a intenção era aumentar a minha (nossa?) ansiedade, saiba que conseguiu!

3 coisas que veremos no final de Lost

Vejam só que fanfarrão esse DarkUFO. Ele divulgou uma lista de opções e contou que 3 delas acontecerão de fato em “The End”, o episódio duplo que encerrará Lost. Se você prefere se manter no escuro sobre os possíveis cenários/situações, NÃO leia o restante deste post.

Leia mais...Ou não

    Antes de qualquer coisa, vale esclarecer que o DarkUFO disse que nenhuma das alternativas será eliminada antes do fim, portanto só descobriremos quais são as 3 respostas corretas quando assistirmos. Divertido, não?

    - Jack salva Sun de um ferimento à bala.
    - Uma conexão alienígena será revelada.
    - Alvar Hanso fará uma aparição bem incomum.
    - Shannon é salva por Sayid.
    - Veremos aquela cena da queda do deck descria por Hurley com uma virada surpreendente.
    - Finalmente veremos os DeGroots.
    - Kate morre.
    - Kate e Sawyer finalmente ficam juntos e se beijam na realidade paralela.
    - Sawyer morre na realidade paralela.
    - Haverá outro acidente aéreo.
    - Juliet é a ex-esposa de Jack na realidade paralela.
    - Os poderes de Walt são explicados.
    - Ana Lucia é a ex-esposa de Jack na realidade paralela.
    - Veremos Leonard Simms e Sam Toomwy de forma breve.
    - Sawyer e Juliet se beijam na realidade paralela.

    ***

    E aí, já tem suas 3 apostas?

2 Sneak Peeks do ep. 6x11 "Happily Ever After" (Legendados)




Untangled do ep. 6x10 "The Package" (Legendado)



É, ok, tirando a adoração de Puppet Chang por Bill Gates e sua tentativa de imitar os 'bródaa' do Desmond, até o Untangled penou para manter a graça dos anteriores. Seja lá como for, esse segmento complementar a cada episódio pelo menos revelou que o grande evento final de Lost no dia 23 de maio nos EUA começará às 19h da noite (20h no Brasil) ;)

30/03/2010

Comentários do ep. 6x10 "The Package"

Se há uma regra informalmente estabelecida em Lost é a de que após cada episódio movimentado e carregado de mitologia/revelações, vem outro que num ritmo mais lento (mas não necessariamente preguiçoso) serve como preparação para o desenvolvimento de cenários e situações que serão explorados mais a frente. “The Package” não fugiu à regra é verdade, e centrado no casal coreano Jin e Sun, volta a explorar na realidade paralela, as (no caso deles) sutis diferenças que movem suas vidas ao passo em que na ilha dá continuidade à busca mútua dos dois para se reencontrarem. E sim, de fato o episódio fica longe de ser dos mais empolgantes e até pode ser encarado numa primeira leitura como um pedaço da história que não nos faz sentir nada, mas que ninguém duvide das palavras de (F)Locke a Sayid em dado momento: “talvez essa sensação seja a melhor possível para as coisas que estão por vir.”

Leia mais...

    Revelando logo de cara que na realidade paralela (cujo papel continua sendo para mim um dos grandes mistérios da temporada e da trama, claro) Jin e Sun não são casados, ainda que estejam romanticamente envolvidos às escondidas, “The Package” revisita todos os acontecimentos imediatamente posteriores ao desembarque do Oceanic 815 em Los Angeles até o ponto em que Jin é encontrado por Sayid preso dentro de um refrigerador no restaurante, como vimos no episódio “Sundown”. Reintroduzindo Mikhail Bakunin (lembram dele ainda, né?) na mistura, o russo aparece como comparsa dos outrora mercenários Keamy e Omar, no episódio que brinca lançando pistas (falsas?) que parecem estar de alguma forma relacionadas ou refletindo o que já vimos na Ilha. Não entendeu? Ok, então vai dizer que você não ficou com uma pulguinha atrás da orelha quando viu Jin atirando justamente no olho direito do personagem que na ilha aparecia com um tapa olho? Não deve significar nada é verdade, mas não deixa de ser curioso.

    E se de resto as sequências da realidade paralela parecem não ter servido para muito mais coisa, além de provar que o Sr. Paik não é mesmo flor que se cheire (afinal havia mandado Jin para uma armadilha em Los Angeles que poderia afástá-lo de sua filha de forma definitiva) e de plantar uma pequena curiosidade sobre o que aconteceria com Sun que termina a sequência do restaurante baleada e se dizendo grávida, as da ilha foram muito mais interessantes em termos do que irá render a partir já do próximo episódio. Do encontro de (F)Locke com Widmore (que aparentemente surge com a mesma intenção de Jacob, isto é, não permitir que o homem de preto/monstro saia da ilha), passando pelo papo apaziguardor de Jack com Sun a quem tranquiliza fazendo a promessa de que iria tirá-la de lá com o marido, à revelação final de que o tal pacote que dá título ao episódio é ninguém mais ninguém menos do que Desmond, esse décimo episódio da temporada pode até não figurar dentre os melhores da temporada (e dificilmente o será mesmo), contudo é razoável dizer que ele trouxe mais peças importantes ao tabuleiro que garantirão movimentações importantes em muito breve. Dito isso, sabem aquele papo de ter paciência? Pois então.

    Muito mais sobre “The Package” naquele tradicional post que vocês já conhecem e, claro, no dudecast #47.

Promo do ep. 6x11 "Happily Ever After" (Legendado)





Sim, os 2 promos são iguais. Como diria o Dr. Pierre 'Puppet', deal with it! :p

Você vai participar do evento sobre Lost?

Quem ouviu o podcast ou nos segue no Twitter já sabe que estamos organizando um evento que será realizado em parceria com o blog Lost in Lost, no dia 29 de maio, na cidade do Rio de Janeiro, uma semana após a exibição do episódio final de Lost, nos EUA.

O principal objetivo, entre outros, é debater a trajetória e a importância da série para a história recente da TV e da cultura pop; os temas que a série abordou ao longo das temporadas e repercutir, é claro, o final (respostas, mistérios resolvidos ou não, etc.). Vamos contar também com depoimentos via vídeo de vários blogueiros e fãs que tiveram suas vidas marcadas e modificadas pela série (oportunidades de trabalho, amizades, amores, casamentos e etc.).

No momento, estamos buscando patrocinadores/apoiadores para que possamos distrubuir e sortear muitos brindes!Já fechamos algumas parceria bacanas e logo vamos publicar uma página exclusiva do evento aqui no Dude, confirmando data e local, com todas as informações importantes.

Queremos ter uma noção de quantas pessoas pretendem participar desse encontro conosco. Por isso, fizemos esta enquete! Responda!


Observação: Adoraríamos realizar o evento em outras cidades, mas para isso precisamos de apoio! :)

Spoilers sobre o homem de preto, Zoe e o ep. 6x12

Uma dica sobre o nome do homem de preto, o papel da novata Zoe na trama e o que ela tem a dizer sobre escolhas e informações sobre o que veremos no episódio 6x12. Tudo isso nessa breve rodada de spoilers que você confere lendo a sequência desse post.

Leia mais...

    O nome do homem de preto

    Há importância na revelação do nome do homem de preto? Difícil dizer, mas fato é que curiosos que somos, especulamos sobre o assunto desde o final da 5ª temporada. Um leitor do DarkUFO mandou um e-mail para o ator Jorge Garcia perguntando sobre o assunto e vejam só o que o intérprete do Hurley disse: “Isso será discutido na história em algum momento.” Bom saber, não?

    Lost resumido a escolha de dois lados? Pense de novo.

    Jacob e o homem de preto, o bem e o mal. Tem gente que já decidiu por conta própria que a série se resume a isso, mas falando ao TV Guide, a atriz Sheila Kelley, que faz a recém introduzida Zoe (que chegou à ilha com Widmore), disse coisas muito interessantes sobre o tema que certamente farão algumas pessoas reverem suas ‘certezas’.

    Para começar, ela reforçou a ideia de que a personagem tem algo grande a fazer na ilha onde está à procura de alguém e alguma coisa, além de acreditar que tem respostas importantes a dar. Ok, interessante. Então que tal saber que além disso, ela deu a dica de que devemos observar com bastante atenção as alianças que se formarão na reta final? Pois é, e não se trata, segundo ela, de escolher simplesmente entre Jacob ou o homem de preto, já que comenta que devemos enxergar Lost não como uma moeda, mas sim como um diamante, que tem muito mais que dois lados. “Não se trata só de bem x mal, mas de quem você vai escolher, o que você vai escolher e por que você vai escolher”, encerra a atriz de forma enigmática, mas não menos instigante.

    Pequenos detalhes do episódio 6x12

    Em pequena matéria da edição impressa da revista TV Guide, cujo scan o DarkUFO disponibilizou, surgiram breves, mas não menos interessantes dicas sobre o que veremos em “Everybody Loves Hugo”, 12º episódio dessa última temporada e que será exibido no dia 13 de abril nos EUA.

    Segundo o jornalista William Keck, nesse episódio veremos Hurley sendo visitado pelos espíritos de Libby e do assassino dela, Michael. “Foi muito divertido trabalhar com eles de novo”, disse Jorge Garcia. Já Harold Perrineau, disse que embora preferisse ver Michael ressurgindo na realidade paralela, ficou bem satisfeito com a oportunidade que os roteiristas de Lost deram ao seu personagem para que se desculpasse com hurley por ter matado Libby, cuja intérprete, Cynthia Watros, também se disse feliz por ver sua personagem tendo a história concluída. “O relacionamento dos nossos personagens ficou no ar, portanto eu tinha muitas perguntas sem respostas. Foi bom poder dividir momentos tão doces e carinhosos com Hurley e dar um encerramento adequado ao nosso relacionamento”, disse a atriz que conclui dizendo acreditar que os fãs vão ter o que esperam há tempos.

    Ah, e um último detalhe dessa nota: tanto Perrineau quanto Watros devem se juntar a outros personagens já mortos na série no fim de abril para gravar cenas para o último episódio de Lost. Tá bom para você?

Ep. 6x10 "The Package" - Streaming ao vivo

Pois é, mais uma vez os canadenses poderão assistir o episódio da semana duas horas antes dos americanos. The Package começa às 20h por lá e às 22h na ABC (ambos no horário de Brasília). Assim, para turma que recorre aos downloads, o arquivo provavelmente já deve estar disponível na rede pouco depois das 21h da noite. Agora, se você ficou acostumado a ver a exibição americana por streaming, as melhores opções continuam sendo essas: 1 , 2 , 3 (Senha sempre liberada 10 min antes da transmissão).

Nota: The Package deve ter 2 minutos a mais de duração.

29/03/2010

E se a abertura de Lost fosse assim?



Exemplar na arte que dominou, o já falecido Saul Bass ganhou notoriedade como designer de marcas, posters de filmes clássicos (West Side Story e O Iluminado por exemplo), além de ter criado vários créditos de abertura de outras produções memoráveis do cinema como Um corpo que cai e Psicose de Hitchcock e Cassino, que foi inclusive seu último trabalho em 1995. Dono de um estilo inconfundível, Bass foi homenageado por um um de Lost (e de seu trabalho também obviamente), que resolveu fazer uma abertura alternativa para a série usando elementos consagrados por ele. Particularmente achei um belo trabalho e vocês?

Meu agradecimento à @giprj pela ótima dica.

Grandes respostas que a 6ª temp. de Lost ainda dará

Compilando informações recebidas de 7 fontes diferentes, o DarkUFO divulgou hoje uma série de spoilers referentes a coisas que ainda veremos entre o episódio 6x10 e o 6x16 (o penúltimo da série). Boa sorte para conseguir resistir à tentação de clicar no Leia Mais...

Severos spoilers abaixo!

LEIA MAIS... OU NÂO

    Do episódio 6x10 ao 6x16, qual é a cena mais memorável que você viu e por que?

    Fonte 1 O episódio inteiro dedicado a Jacob e ao homem de preto.
    Fonte 2 A cena do submarino onde muitos personagens morrem.
    Fonte 3 Michael, Hurley e a resposta sobre a origem dos sussurros porque é satisfatória e acontece de forma bastante emocional.
    Fonte 4 A sequência de explosão do submarino porque nada tão aterrorizante aconteceu na série antes.
    Fonte 5 Há pouca coisa que eu realmente tenha gostado, mas o flashback de Jacob com sua ‘mãe’ é memorável.
    Fonte 6 São tantas, mas se eu tivesse que escolher uma ficaria com a do submarino por conta de sua brutalidade e pela óbvia tristeza que causará.
    Fonte 7 Não pergunte o motivo, mas eu adorei a aparição da Libby.

    Pergunta para o shippers: quem você acha que Kate escolhe e por que na realidade paralela e na Ilha?

    Fonte 1 Não sei e não dou a mínima.
    Fonte 2 Sawyer na ilha. Ninguém na paralela.
    Fonte 3 Na paralela torço pelo Jack, porque com Jack sendo esse previsível
    Personagem principal/herói e considerando o que ele faz na ilha tenho certeza que Sawyer e Kate ficam juntos naquele ambiente.
    Fonte 4 Na paralela não tenho idéia, mas talvez ninguém. Na ilha é Sawyer se alguém continuar vivo naquela realidade.
    Fonte 5 Não acho que alguém vá ficar junto na história da paralela, e se eu tivesse que apontar na ilha diria que é mais provável o Sawyer ficar com a Kate porque Jack tem coisas mis importantes a fazer.
    Fonte 6 Não sei.
    Fonte 7 Na ilha provavelmente é o Sawyer, que na paralela fica com Juliet.

    Que morte te chocou mais?

    Fonte 1 Todas as do submarino.
    Fonte 2 Ilana.
    Fonte 3 Sun porque ela não faz nada a temporada inteira e eles matam a personagem da mesma forma que fizeram com Charlie. Eu esperava mais da morte de um personagem da 1ª temporada.
    Fonte 4 Ilana porque é muito súbito.
    Fonte 5 Todas as mortes me tocaram, mas provavelmente a de Sayid porque era meu personagem favorito.
    Fonte 6 A da mãe de Jacob.
    Fonte 7 Widmore.

    Viu alguma coisa dos próximos episódios que você não gostou?
    Fonte 1 Na verdade não, acho. Não gostei tanto da revelação envolvendo quem são o casal de esqueletos Adão e Eva quanto eu pensava que iria gostar.
    Fonte 2 Sim, as coisas que acontecem na realidade paralela e qualquer coisa envolvendo a Kate.
    Fonte 3 Na verdade não, exceto pelo sentimento de que a narrativa da ilha caminha para mostrar apenas um personagem permanecendo ali. Gostei, mas não era bem o que eu esperava para aqueles personagens.
    Fonte 4 Sim, tem muita coisa que eu não gostei.
    Fonte 5 Não. Eu realmente estou curtindo a jornada e saboreando cada minuto que resta de Lost.
    Fonte 6 Nada com que valha a pena se preocupar.
    Fonte 7 Algumas das respostas foram um pouco pobres.

    Vamos descobrir mais sobre o que fez o homem de preto se tornar o monstro de fumaça? Se sim, o que você achou dessa revelação?

    Fonte 1 Sim, essa revelação é bem legal.
    Fonte 2 Sim, mas ela é um pouco confusa.
    Fonte 3 Sim, vamos descobrir muito mais. A forma como tratam a questão é bem conduzida. Eu gostei bastante de uma cena envolvendo a roda congelada. Essa revelação é foco de um episódio inteiro, portanto posso dizer que gostei. Ainda assim, gostaria que eles tivessem dado um nome para o homem de preto, pois já que não o fazem nesse episódio, duvido que iremos descobrir seu nome.
    Fonte 4 Sim, vamos descobrir mais. Contudo não gostei da revelação. Ela me fez pensar, ok, então se o Locke tivesse sido puxado para dentro do buraco no final da 1ª temporada ele teria se tornado um segundo monstro? A resposta vem, mas cria outras perguntas.
    Fonte 5 Sim e estou ansioso para ver como vai funcionar na tela.
    Fonte 6 De fato sim e eu achei excelente, ainda que não tenha certeza se todos os fãs vão gostar.
    Fonte 7 Com certeza.

    Qual foi o maior mistério respondido até aqui e em qual episódio podemos esperar por essa resposta?

    Fonte 1 Adão e Eva e o Black Rock.
    Fonte 2 Adão e Eva.
    Fonte 3 Como o monstro foi criado, como a roda congelada passou a existir, como Jacob e o homem de preto foram parar na ilha, como as tais regras foram estabelecidas, quem são Adão e Eva e como você se torna o protetor da ilha. Tudo isso é respondido no 15º. episódio “Across the Sea”.
    Fonte 4 Quase todo episódio traz uma grande resposta. Provavelmente o dos esqueletos de Adão e Eva no episódio 6x15.
    Fonte 5 A revelação sobre a origem dos sussurros.
    Fonte 6 O episódio do Black Rock/Richard Alpert foi muito bem feito. *
    Fonte 7 Para mim foi o de Adão e Eva.

    *Esse na verdade nós já vimos em ‘Ab Aeterno’

    O que você acha que há por trás da realidade paralela?

    Fonte 1 Pessoalmente penso que ela seja o que acontece no finalzinho do último episódio.
    Fonte 2 Queria muito saber.
    Fonte 3 Se ela representa o fim das histórias daqueles personagens, gostaria que tivessem feito mais do que fizeram até aqui. Acho que todos os personagens vão acabar se reunindo de alguma forma e saberão o que aconteceu com cada um deles na ilha.
    Fonte 4 Finais felizes?
    Fonte 5 Eu realmente não tenho a menor idéia, embora os últimos episódios sugiram que as pessoas na paralela estejam lentamente começando a ter pequenos deja-vu e memórias sutis.
    Fonte 6 A sensação é de que ela seja o resultado de algo que ainda vai acontecer na ilha.
    Fonte 7 Não faço a menor idéia.

    Falando das respostas, o que você pode dizer aos fãs para animá-los para o restante da temporada?

    Fonte 1 É uma verdadeira montanha russa de ação, mortes, explosões, monstro de fumaça, respostas e algumas cenas bem emocionantes. Além disso, tem várias aparições especiais bem bacanas.
    Fonte 2 Tem muita coisa legal reservada. Vocês não vão se decepcionar.
    Fonte 3 As respostas estão vindo.
    Fonte 4 É tudo muito intenso, empolgante e informativo.
    Fonte 5 Sente-se e absorva os episódios. A série estará encerrada em pouco tempo. Aproveite cada minuto que ainda resta dela.
    Fonte 6 Fãs de Lost realmente precisam se animar. Ah, nada disso. Se você chegou até aqui você vai gostar.
    Fonte 7 Há pelo menos umas 5 ou 6 cenas realmente excelentes vindo aí. Vocês irão amá-las.

    Você ainda é um fã da série agora que sabe de muitas respostas?
    Fonte 1 Sim, muito fã.
    Fonte 2 Sim.
    Fonte 3 Sim, absolutamente.
    Fonte 4 Não tanto. Teve apenas uma revelação que me fez ter vontade de voltar a ver a série desde o início. O restante foi legal, mas no fim nem tão satisfatório assim.
    Fonte 5 Mas claro! Muito.
    Fonte 6 Mesmo já sabendo de algumas respostas continua me dando muito prazer.
    Fonte 7 Sim à medida em que há muitas respostas ainda não reveladas.

    Sei que você ainda não viu ou leu o final da série, contudo, baseado no que já sabe, você acha que iremos descobrir por que a Ilha estava submersa conforme vimos na estréia da temporada?

    Fonte 1 Eu acho que essa será a última cena da série mostrando como a ilha ficou submersa.
    Fonte 2 Espero que sim, caso contrário aquela cena não terá nenhuma função.
    Fonte 3 Eu acho que essa resposta será como tantas outras na série, ou seja nada será especificamente contado, mas poderemos deduzir a partir de informações que a série dará.
    Fonte 4 Espero que alguém (Jack/Desmond) faça algo no final que crie essa realidade paralela e provoque o afundamento da ilha. Estou esperançoso.
    Fonte 5 Gosto de pensar que essa resposta virá ou pelo menos será indicada explicitamente para nós, caso contrário será meio confuso. Tenho certeza que isso será respondido.
    Fonte 6 Com certeza.
    Fonte 7 Provavelmente. Quem sabe?

    ***

    E aí, animados?

Bastidores de ‘The End’, o Series Finale de Lost!

Em seu podcast mais recente, o The Transmission, disponibilizado no domingo, 28 de março, o casal havaiano Ryan e Jen Ozawa repercutiu algumas pequenas informações de bastidores das gravações do último episódio de Lost, que como você já sabe, tem o sugestivo título de “The End”.

Ainda não tive a oportunidade de ouvir o programa na íntegra, mas recorrendo a um sumário disponibilizado por um leitor do DarkUFO, já dá para ter uma belíssima ideia de algumas das coisas que veremos no esperado Series Finale de LOST. Curiosos? Então clique no leia mais, mas cuidado, afinal, só tem spoiler daqui para baixo.

LEIA MAIS...

    - Kate, Hurley e Sawyer foram vistos; Kate parecia ter um ferimento (tiro?) no ombro.
    - Em set da praia que contava com Jack, Kate, Sawyer e Hurley, haviam vários destroços de um suposto naufrágio.
    -Jack pega uma bolsa do mar e então sai andando sendo seguido pelos demais.
    - Jack e Kate aparecem sozinhos na praia; De joelhos Jack aparece presumivelmente suturando uma ferida de Kate que está deitada.
    - Uma cena na floresta estava sendo gravada, mas com a segurança bastante restrita, nenhuma informação a mais surgiu.
    - O set do hotel onde Locke propôs casamento a Helen foi reerguido e embora nenhum relato do que aconteceria tenha vazado, sabe-se que próximo ao local estava o hammer amarelo de Hurley.
    - Sawyer e Juliet em cena filmada num hospital de reabilitação!
    - Claire, Miles e Lapidus vistos na praia; Claire sai de trás dos arbustos com um rifle nas mãos; um tiro é disparado.
    - Cena gravada envolvendo chuva no voo Ajira; Miles e Lapidus vistos próximos ao set.
    - Locke, Jin, Sun, Sawyer, Claire, Kate, Desmond e Juliet vistos no set do tal hospital de reabilitação; Kate vestida num roupão de paciente.
    - Cena de briga com Sayid que sai de dentro do Hummer de Hurley; Shannon surge vestida de forma bem provocativa.
    - Um set de igreja sendo preparado para um casamento.
    - Uma cena de hospital envolve Helen, Locke e Jack, que diz a Locke que ele precisa ter fé!

    ***

    Juliet reaparecendo na paralela em cena com Sawyer e Jack pedindo a Locke para ter fé!!! E aí, tá bom para vocês como aperitivo?

27/03/2010

Dudecast 46ª Edição (Episódio 6x09 "Ab Aeterno") + Videocast #4 Que final te desapontaria?


O significado da Ilha, as analogias exploradas em 'Ab Aeterno', a longa e emocionante desconstrução de Richard Alpert, os elementos que fizeram a história de Lost e muito, mas muito mais na 46ª edição do Dudecast que tem ainda a repercussão de vários dos e-mails enviados por vocês, além de uma boa surpresa que estamos preparando e da qual falamos no final do programinha.

Para baixar clique AQUI

(Clique direto ou com o botão direito do mouse escolha as opções 'Salvar como' ou 'Salvar Link como')


Clique no botão e veja as opções para assinar o feed do Dudecast


Já a 4ª edição do Videocast discute possíveis finais da série que poderiam provocar grande descontentamento e frustração. Enumeramos alguns deles, mas e vocês o que não gostariam de ver no final de Lost de jeito nenhum?

26/03/2010

Ep. 6x09 ‘Ab Aeterno’ – Easter eggs, curiosidades e repercussão

Antes de qualquer coisa, vejam só que fan art brilhante homenageando o episódio esse cara fez. Bacana demais, não? Pois é, então agora vamos ao que interessa...

Explorando um extenso flashback que rivaliza em duração apenas com “The Other 48 Days” da 2ª temporada, “Flashes Before Your Eyes” da 3ª e “Meet Kevin Johnson” da 4ª, “Ab Aeterno” (cuja tradução do latim é algo como desde a eternidade ou desde o início dos tempos) desconstruiu a imagem que tínhamos de Richard Alpert, mostrando um homem de muita fé, mas que fragilizado, acabou encontrando na promessa de uma quase vida eterna (já que não envelhecia, claro) sua maior penitência. Foi nesse episódio que o entendimento do que é Lost finalmente começa a ficar mais claro à medida em que a balança de elementos físicos, religiosos, filosóficos ganha mais uma camada através da percepção do que a ilha representa. Empolgante, emocionante e sobretudo objetivo em suas revelações, “Ab Aeterno” é daqueles episódios que certamente figurarão na lista de melhores da série quando ela se encerrar. Duvida?



Revisitando a cena que vimos em “The Incident”, o episódio começa mostrando Jacob (curiosamente de preto) com Ilana num hospital onde explica à morena seu papel na proteção* dos 6 candidatos restantes e que ela deveria encontrar Richard**, que saberia o que fazer a seguir. Já na ilha, frustrado por ter chegado ao que encara como o beco sem saída de sua longa vida, Richard expõe o que para ele aquele lugar havia se tornado: o verdadeiro inferno na terra.

Leia mais...

    *Ao fim do episódio,entende-se a necessidade de se proteger os tais candidatos: não satisfeito em matar Jacob, o homem de preto afirma que mataria também todos os possíveis candidatos a assumirem o posto de seu adversário como uma espécie de carcereiro da ilha e que pudessem impedí-lo de sair. Explicação simples e coerente.

    ** Tendo que encontrar Richard para saber o que fazer na ilha, o motivo do uso da senha/pergunta (O que jaz na sombra da estátua?) que Ilana fez a ele fica esclarecido.

    Ainda da cena na praia, dois bons momentos a se destacar: a reação de Jack ao descobrir que ‘Locke’ continuava circulando pela ilha (estou muito curioso para ver como será o encontro dos dois ali) e Hurley exercitando seu dom ao se comunicar com aquela que mais tarde descobriríamos ser a falecida esposa de Alpert, Isabella.

    De uma ilha para outra. Foi de Tenerife, que para quem não sabe faz parte do arquipélago das Canárias pertencentes à Espanha, que Alpert saiu para se tornar o cara que conhecemos na ilha da trama de Lost. Além de brincar com a sequência que mostrava o personagem num cenário que já nos fazia imaginar a ilha, aquele longo segmento deu destaque à dramática tentativa de um humilde homem disposto a tudo para salvar a esposa acometida por tuberculose (doença fatalmente comum naquela época) e que na base do desespero, acidentalmente acabou matando o inescrupuloso médico que se recusara a ajudar.

    Aliás, embora obviamente não exista nenhuma relação direta, notaram que a construção da cena que mostrou Alpert se engalfinhando com o médico, matando-o por acidente e pegando o remédio em seguida, lembrou muito aquela do Desmond brigando e provocando a morte de Kevin Illman nos rochedos para em seguida pegar aquela que seria a chave de segurança da Cisne? Pois é.

    Por falar em Desmond, é curioso notar que a história de Alpert com a esposa Isabella, tem, guardadas as devidas proporções, semelhanças com a do escocês e sua amada Penny no sentido da devoção que ambos nutrem pelas amadas. No caso de Alpert, há ainda o elemento romântico no melhor estilo Ghost, com a mulher dizendo um, “Sempre estaremos juntos”, pouco antes de se despedir dele em vida e que ecoaria mais uma vez ao fim do episódio.

    Agora, com relação à idade de Alpert, especulando que à época de seu flashback em 1867 ele tivesse entre 30 e 40 anos, já dá para imaginar que no presente da ilha (final de 2007) ele tem algo em torno de 170/180 anos! Pois é, fonte da juventude é besteira perto do cara.

    Numa época em que o catolicismo reprimia seus fiéis com ameaças de fogo eterno, natural que o ‘santo’ padre se recusasse a absolver os pecados de Alpert condenando-o à sombra de uma terrível penitência. Aliás, engraçado ver o homem quase sentindo prazer em aumentar a angústia de Ricardo que àquela altura entendia estar condenado ao inferno.

    Sobre a passagem bíblica que o personagem lia na cela, trata-se do capítulo 4 do livro de Lucas, que dentre outras coisas fala da tentação de Cristo, algo que se refletiria na ilha quando Ricardo receberia a oferta sedutora do homem de preto.

    Salvo por um triz, Alpert vira parte da tripulação de Magnus Hanso (sim, ele mesmo), ao ser vendido pelo padre ao tal Whitfield como escravo do navio Black Rock, que levado à ilha numa onda gigante provocada por um tsunami, choca-se com a estátua provocando sua destruição e o naufrágio. Ou seja, três mistérios (como Alpert chegou à ilha, o que destuiu a estátua e como o navio foi parar na floresta) respondidos em poucos segundos.

    Ah, sim, vi algumas pessoas questionando o fato do barco ter alcançado aquela altura com força suficiente para destruir a estátua. Minha opinião sobre a cena é a seguinte: exagerada? Sim. Impossível? Não mesmo. Ainda sobre a estátua, algumas pessoas apontaram que seria um erro ela ter sido destruída em 1867 se durante um salto temporal os losties a viram de costas ainda intacta. Pois bem, o que essas pessoas parecem desconsiderar aqui, é que naquela ocasião os losties podem ter ido parar num período ainda mais remoto da história da ilha. Simples, não?

    Outra coisa. Parece haver de fato uma certa inconsistência de eventos relacionados ao Black Rock como algumas pessoas destacaram em seus comentários sobre o episódio. Conforme vimos em “The Constant”, Widmore comprou o diário que seria da última viagem do navio e que supostamente fora encontrado próximo a Madagascar no ano de 1852. No entanto, como “Ab Aeterno” deixou claro, o navio fez sua última viagem apenas no ano de 1867. Pequeno erro de continuidade? Parece que sim.

    E a angustiante passagem de tempo que teve direito até a javali se fartando com os defuntos do navio, a exemplo do que vimos lá no início da série nos destroços do Oceanic 815, hein? Isso sem falar na visita do monstro, claro, que não poupou ninguém ali com exceção de Alpert, claro. Vendo aquela longa sequência, dá até para entender porque Alpert disse a Jack no episódio “Sundown” que nunca mais tinha voltado ali.

    A aparição de Isabella, levanta uma dúvida interessante: se aquela era uma manipulação do homem de preto/monstro, dá para incutir então que a partir do momento em que “lê” a mente de suas vítimas em potencial, a entidade pode se manifestar através dos mortos sem necessariamente ter que se apossar de um corpo, afinal, naquele mesmo momento em que Alpert conversa com aquela que pensava ser sua esposa, ouvimos o barulho do monstro vindo do lado de fora do Black Rock.

    Revelando-se a um aterrorizado e fragilizado Alpert, o homem de preto envolve-o em seu jogo de manipulação dizendo a ele que eles estavam no inferno e que o demônio capturara Isabella. Com os dados lançados e com Alpert prometendo que o ajudaria a matar o diabo, MIB o liberta dizendo, “é bom vê-lo livre dessas correntes”, que foi a mesmíssima frase dita por (F)Locke (o próprio MIB, claro) ao mesmo Alpert no início da temporada, vocês lembram, né?

    Agora, o que dizer sobre o fato da adaga e do conselho dado pelo MIB a Alpert, ter sido exatamente o mesmo que Dogen dera a Sayid? Haveria alguma dica bem sutil por trás disso? Será que Dogen na verdade sempre trabalhara para o MIB, uma vez que recebera a promessa de ter o filho salvo? Hum.... difícil dar qualquer certeza, até porque sabemos que o MIB nunca saiu da ilha, mas o que haveria então por trás disso? Uma ‘simples’ coincidência de palavras?

    O ‘batismo’ de Alpert lhe revela a verdade(?): aquele lugar não era o inferno construído pela concepção da igreja e a conversa do homem de preto fora uma grande jogada. Nesse panorama, Jacob explica através de uma curiosa analogia, que a ilha representa uma espécie de rolha que impede o mal de sair da garrafa e se espalhar pelo mundo. Além disso, em sua conversa, Jacob reforça um tema amplamente explorado ao longo da série: a importância do livre arbítrio, que na disputa ideológica em voga há tantos séculos ali, tem papel fundamental para que ele corrobore seu argumento frente o homem de preto. Para Jacob, deixar os erros do passado para trás e buscar a evolução tem que ser uma opção pessoal e não uma obrigação.

    Ainda dessa sequência, é claro que não dá para deixar de comentar o momento que revela um dos maiores mistérios relacionados a Alpert. Empregado como uma espécie de consegliere e intermediário de Jacob, Ricardo recebe o dom de jamais envelhecer, uma benção momentânea que de certa forma acabou se tornando a maior penitência que o fiel católico Alpert poderia pagar ao longo de seus 140 anos naquela ilha.

    A decepção do homem de preto e o recado de Jacob simbolizado pela pedra branca, apontam um esclarecimento importante: a tal caverna que (F)Locke/ MIB mostra a Sawyer no episódio “The Substitute” era mesmo dele embora tenha dito que não, o que de certa forma explica as diferenças/ausências nas relações de nomes e números que vimos ali quando comparadas à roda do farol mostrado no episódio“Lighthouse”.

    Também daquela cena, interessante ver que mesmo em desvantagem, o homem de preto se mostrou condescendente dizendo que sua oferta continuaria de pé caso ele mudasse de ideia em algum momento. Também naquela sequência, vimos Alpert se despedindo e enterrando de forma simbólica através daquele cordão, sua esposa Isabella.

    De volta ao presente da ilha, tomado pela frustração, Alpert aparece decidido a seguir o homem de preto chamando por ele, “Mudei de ideia. A oferta ainda está de pé?”. Logo depois, vem a emocionante cena que algumas pessoas exageradamente (mas de maneira bem humorada, claro) chamaram de momento “Ghost Whisperer” em Lost, quando Hurley dá uma de intérprete da mensagem de Isabella, demovendo Alpert da ideia de se juntar ao MIB quando destaca: “você deve impedir o homem de preto de sair da ilha pois senão todos nós iremos para o inferno.”

    E por fim, a enigmática, mas não menos impactante cena entre Jacob e o homem de preto, que prometendo nunca desistir de matar seu antagonista para poder sair da ilha, diz que mataria também qualquer candidato ao posto que pudesse atrapalhá-lo. Com isso, fica no ar a ideia de que nos próximos episódios poderemos vê-lo atentando contra algum lostie, certo? E outra, se antes Jacob parecia ser a única coisa que impedia MIB de sair da ilha, por que ele ainda não fez? Há alguma outra coisa que precisa acontecer para que ele possa atingir seu objetivo? Se sim, o que poderia ser?

    Repercutindo o episódio

    “Provando a inteligência da construção da narrativa (algo do qual eu, incrédulo momentâneo, envergonho-me de ter questionado), o episódio justificou toda a apresentação da história de Richard ao usá-la para esclarecer aquele que talvez seja o maior mistério de toda a série: qual é a verdadeira natureza da ilha... Aliás, a resposta foi tão reveladora que confesso ter sentido, talvez pela primeira vez nesta última temporada, uma vontade imensa de voltar ao primeiro episódio de Lost e recomeçar a vê-la apenas para avaliar como tudo se encaixa agora que sei o que está por trás de seus mistérios.”

    Pablo Villaça – Cinema em Cena

    ***

    “Numa metáfora com uma garrafa de vinho, Jacob explicou para o seu novo candidato a importância “da rolha que mantém fechada as portas do inferno”. Uma explicação simplória, claro, mas que tem um impacto em cada instante da incrível jornada que é LOST. Mais do que uma mera resposta, esta é a confirmação que veio em boa hora (não tarde demais) e que pode nos ajudar a desvendar outros grandes mistérios sobre aquele lugar: de suas propriedades científicas e milagrosas até mesmo ao interesse que o pedaço de terra despertou ao longo dos séculos em comunidades como a dos habitantes do templo, na Iniciativa Dharma de Alvar Hanso e dos DeGroots e, é claro, em Charles Widmore.”

    Bruno Carvalho – Ligado em Série

    ***

    “Uma das coisas que mais ficou impressa em minha mente após o episódio terminar é como o drama foi aplicado, o que novamente leva a minha defesa de que o que faz Lost são os seus personagens, suas histórias, não os – também ótimos – enigmas implantados no decorrer delas. Ab Aeterno é um exemplo mais que genial disso, é perfeito. Tudo amarrado, tudo conectado, tudo tão emocionante que toda a saga do homem em busca de sua esposa morta ofuscou a batalha milenar entre a fumaça negra e o diabo.”

    Mateus Borges – Série Maníacos

    ***

    “E enfim descobrimos o que é a ilha. A RESPOSTA. A ilha é a rolha do inferno, se entendi bem. Nada de grande fonte de energia, centro da terra, concentração de eletromagnetismo, última reserva da biodiversidade. Não. Rolha. Do. Inferno. E Jacob procura entre os sobreviventes do voo 815 um susbstituto para segurar a rolha do inferno e não deixar o mal se espalhar pelo mundo (e eu achando que o mal já estava espalhado pelo mundo, ingênua). That’s it. Essa é a resposta que esperamos seis temporadas para ter, goste ou não goste. E o homem de preto é… o diabo?”

    Claudia Croitor – Legendado

    ***

    “Ab Aetero foi um episódio pesado, extenuante e surpreendentemente emocional carregado com subtexto bíblico e cheio de respostas para a mitologia da ilha, mesmo que dadas através de metáforas que requerem interpretação cuidadosa e um ou dois esclaricimentos. Além de vermos uma história que revelou como Richard Alpert chegou à ilha, vimos uma história que revelou a natureza da relação entre Jacob e o homem de preto, ou pelo menos como ela era antes da morte de Jacob na temporada passada... Foi definitivamente o episódio mais incomum que Lost nos deu nessa temporada. Foi tecnicamente uma história de flashback, mas grande parte dele foi contado de forma linear. Definitivamente não tivemos nada de realidade paralela, e vou fazer uma pausa agora para dar uma chance aos tolos que a criticam para que comemorem.”

    Jeff Jensen – EW

    ***

    “O que fez desse episódio um destaque não só dessa última temporada, mas de toda a série, foi o que fez Lost ser tão forte no começo, antes de escotilhas e experimentos de fertilidade e viagens no tempo e todo o resto de mitologia (que eu gosto): ele foi tanto um grande episódio de personagem quanto um belo thriller... Eu me importo menos com as respostas de Lost do que com com o desejo de me divertir. “Ab Aeterno” ofereceu tanto respostas (ou em alguns casos, importantes esclarecimentos) e diversão em larga escala.”

    Allan Sepinwall – What’s Allan Watching

    ***

    “É por isso que as vezes comento sobre a ansiedade por respostas em LOST. Nós não sabemos como as coisas aconteceram e talvez, digo talvez, elas sejam mais simples e diretas do que imaginamos. É só esperar e curtir... Essas respostas parecem, cada vez mais, passar pelas vidas dos personagens e só veremos isso através dos olhos deles. Assim como vários momentos importantes da série tiveram início ao abrir dos olhos. Que foi assim que LOST começou...”

    Leco Leite – Teorias Lost
    ***

    “Considerando apenas o que a série havia nos mostrado – ou seja, spoilers à parte -, até muito pouco tempo Alpert era alguém que imaginávamos ter sido sempre poderoso, imponente, impressão fundamentada pela força de seu dom de não envelhecer. Mas “Ab Aeterno” foi uma ode a uma figura rica em sua simploriedade, surgida desde o (verdadeiro) primeiro capítulo de sua triste história, via crucis que foi se desenhando enquanto nos deparávamos com uma penca de revelações, num episódio espetacularmente equilibrado em generosidade aos que clamam por respostas e aos que adoram se debruçar sobre personalidades.”

    Carlos Alexandre Monteiro – Lost in Lost


Dudecast #46? No fim da noite dessa sexta-feira se tudo der certo.

25/03/2010

Easter egg de Lost em game de Xbox 360 e uma cena em que ‘Alpert’ mata ‘Jack’. Hein?! WtF!



O vídeo acima (embalado pela trilha de Giacchino) foi uma dica do amigo Rafael Savastano. Nele, vemos um segmento do game Just Cause 2 para XBox 360 que faz uma homenagem a Lost revelando uma escotilha no meio de uma ilha que tem até destroços de avião numa praia. Bacana, não? Pois é, para saber mais dê uma conferida no Planet Xbox360.

'Alpert' mata 'Jack'. WtF?!

    Fonte do vídeo: Fórum da Lostpedia

    Calma! Antes que alguém venha me xingar dizendo que soltei mega spoiler sem aviso no título, esclareço: é tudo brincadeira (sem graça, ok), mas brincadeira. Dê play no vídeo e entenda.

    Já viu? Então, essa é uma cena do pouco comentado “Smonkin’ Aces”, comédia de humor negro lançada em 2006 com grande elenco que incluia Ray Lyotta, Ben Affleck, Jeremy Piven (o Ari Gold de Entourage), Andy Garcia e muito outros além, claro, de Matthe Fox e Nestor Carbonell em participações especiais. Eu não vi o filme, portanto não sei se vale à pena, mas se alguém aí souber e quiser dar a dica...

24/03/2010

Revelado título do último episódio de Lost

The End, ou simplesmente O Fim. É esse o título do episódio duplo (6x17-18) que concluirá a história de Lost no dia 23 de maio. Objetivo, direto e sem entregar nada, particularmente gostei da escolha e vocês?

Fonte: EW

Untangled do ep. 6x09 "Ab Aeterno" (Legendado)


Quanto será que o Pierre 'Puppet' Chang ganhou pra fazer todos os personagens da dramática novela da vida de Richard Alpert, hein? :p

Notas da legenda: Deixei o guyliner na legenda para não perder a piada, afinal, colocar o homem do lápis de olho seria bem sem graça, não? Outra: bromance, seria um romance entre amigos, mas não no sentido sexual, claro. Além disso, há uma frase dita pelo Chang em certo momento que não entendi de jeito nenhum o que era, portanto se alguém conseguiu identificar, diga que acrescento na legenda. Obrigado a todos que deram a dica do pastrami on rye da fala mencionada pelo Chang ;)

Comentários do ep. 6x09 "Ab Aeterno"

Revisitando uma antiga teoria sobre o que é a ilha (ou o que ela representa), “Ab Aeterno” nos provoca ao sugerir que aquele lugar é uma espécie de purgatório onde as pessoas tem a oportunidade de encarar seus erros e deixá-los para trás caminhando na direção do progresso moral e espiritual ou abraçá-los de vez encontrando a morte. Esse também foi o episódio que nos revelou enfim a história de Ricardus, o homem que, batizado e tocado por Jacob, encarnou na promessa de vida eterna a representação mais contundente desse caminho: ser um fiel guardião do livre arbítrio ou apenas mais um corrompido pela oferta objetiva de resgatar o que já pensava ter perdido?

Leia mais...

    “Ab Aeterno” nos leva por uma viagem repleta de sutilezas onde os diálogos entre Jacob, o homem de preto e Alpert não são só meras palavras. A ilha, que tantos mistérios guarda, surge agora como aquele cadeado que encerra o mal na prisão. Ela é a rolha que retém o veneno na garrafa e o impede de se espalhar pelo mundo na analogia de Jacob. Naquele lugar, todos podem ser mocinhos e vilões, prisioneiros ou guardas e para entender seu papel, é necessário antes aceitar a falibilidade como uma condição humana natural, mas que por si só não é condenatória. Na ilha, as escolhas difíceis que se faz a partir do reconhecimento, da aceitação e sobretudo do ato de seguir em frente levam ao progresso tão defendido por Jacob à medida em que as mais fáceis e sedutoras levam à condenação.

    Nesse panorama, ao mostrar Ricardus antes dele se tornar Richard, “Ab Aeterno” nos apresenta um homem que prostrado em toda sua fragilidade (e talvez até por isso muito mais complexo e interessante do que aquele homem que não envelhece) ajuda a expandir o conceito do que é Lost de forma definitiva e irrefutável. A dicotomia entre a representação do bem e do mal nunca esteve tão clara na série quanto agora. A história que vemos há quase seis anos finalmente se revela na frente dos nossos olhos num grande tabuleiro onde os losties são as peças de uma disputa entre dois reis. Candidatos ou não, Jack, Sawyer e cia se confundem entre os papéis de bispos e peões. E assim, desde a eternidade referenciada pela tradução do título do episódio, Lost no faz encarar através da ilha e suas mais diversas mensagens, o reflexo do que experimentamos todos os dias: progredir a partir dos erros ou entregar-se a eles corrompendo-se no processo?

    Muito mais sobre esse excelente episódio, as grandes respostas dadas, suas saborosas analogias, bem como seus momentos mais marcantes e emocionantes, no já tradicional post de easter eggs, curiosidades e repercussão que complementa a experiência. Até lá, o espaço de comentários é inteiramente de vocês.

Vídeos promocionais 6x10 The Package (Legendados)

***Atualizado com mais um Sneak Peek***








23/03/2010

Ep. 6x09 "Ab Aeterno" - Streaming ao vivo

Sortudos esses canadenses que mais uma vez poderão assistir o episódio inédito de Lost 2 horas antes dos americanos, hein? Assim, com "Ab Aeterno" começando por lá às 20h (no horário de Brasília) é bem possível que aconteça o mesmo que ocorreu na semana passada quando por voltas das 21 e pouca da noite já havia opção de download. Seja lá como for, 3 boas opções de streamings ao vivo da ABC (a partir das 22h no horário de Brasília) continuam sendo as mesmas das semanas anteriores.

Streamings ABC ao vivo (EUA): 1 , 2 , 3 (Senha sempre liberada 10 min antes da transmissão).

Em tempo, vale lembrar que “Ab Aeterno” terá 6 minutos a mais que os habituais 41/42 minutos. Além disso, como sempre, sintam-se à vontade para apontar outras opções igualmente boas de streaming.

Em entrevista, 'Alpert' dá dicas sobre o que ainda veremos



Falando ao Tv Guide, Nestor Carbonell deu pequenas dicas sobre o que vamos descobrir a respeito de Richard Alpert no episódio que vai ao ar na noite de hoje nos EUA e ainda comentou sobre o homem de preto, Jacob e sobre uma eventual reunião com Ben.

Obs.: O vídeo está legendado. Para vê-las, basta acionar o recurso no player do youtube.

Desmond, retornos e a importância de Zoe na trama

Com spoilers!

Leia mais...

    Falando sobre o retorno de Desmond à trama, a colunista Kristin dos Santos do E! contou que o clima de “The Constant” será retomado e que os fãs que gostam das histórias emocionais vão ficar felizes à medida em que a temporada progredir. Ok, ela não revelou muita coisa, mas será que dá para imaginar Desmond ‘viajando’ conscientemente entre as realidades? Hum...

    Agora comentando sobre os personagens que já morreram ou sairam da série, mas que estão reaparecendo nessa última temporada, Kristin contou que um que certamente NÃO vai dar as caras é Adewale Akinnuoye-Agbaje, o Mr. Eko. O motivo? Sua exigência para sair da série na 3ª temporada deixou marcas dificeis de serem apagadas nos bastidores. Ou seja, irritou justamente quem poderia recontratá-lo. Pois é. Nesse caso os egos vão falar mais alto, infelizmente.

    Ainda sobre retornos, Kristin destacou que veremos pelo menos mais um grande ainda não divulgado. Quem seria? Pra mim parece bem seguro apostar em Walt.

    A importância da novata Zoe

    Conversando com o TV Guide, a atriz Sheila Kelley, que interpreta a novata Zoe, personagem que conhecemos no episódio 6x08 “Recon”, acabou surpreendendo ao dizer que sua personagem (que já tem participação garantida em pelo menos mais 5 episódios) tem um papel fundamental para o encerramento da história. Traduzi dois trechos do que ela disse só para dar um gostinho do que veremos mais à frente.

    Qual o papel de Zoe na ilha?

    Ela está lá procurando por alguém e por alguma coisa. Ela saberá quem está procurando quando encontrar essa pessoa. Além disso, ela acredita ter uma resposta.

    Como ela foi trabalhar com Charles Widmore?

    Ela é uma geofísica. Ela é brilhante e ama o que faz. Ela é uma rebelde em seu campo e acredita que há mais respostas do que o status quo apresenta. Portanto ela quer trazer o mundo concreto da física e da geologia a algo que se relaciona mais a acontecimentos extraordinários como viagem no tempo e a energia da ilha. Ela vai fazer a ponte entre a ciência e a fé, o que é um tema forte na série.

22/03/2010

Videocast #3 - Mistérios ou personagens: o que é mais importante para você?


E cá estamos nós de novo repercutindo um assunto que tem rendido opiniões bem divididas e apaixonadas. O que é mais importante para você afinal, os mistérios ou as histórias dos personagens?

21/03/2010

Roda congelada, esqueletos, Pierre Chang e muito mais!

Com spoilers!

Quer saber quem construiu a roda congelada ou qual é a identidade do casal de esqueletos da caverna? E o Pierre Chang, cadê? Tudo isso e mais um monte de pequenas dicas de coisas que veremos nos últimos episódios da temporada.

Leia mais...

    Quem construiu a Roda congelada?

    Surgida no final da 4ª temporada, a roda congelada no subterrâneo da estação Orquídea revelou-se como o intrumento responsável por movimentar a ilha no espaço tempo. Mas quem a construiu? Para dar dicas da resposta que, acredite, será dada antes do fim da série, o blog DarkUFO recorreu a uma de suas fontes que apontou quem são os possíveis candidatos: Richard Alpert, Jacob, o homem de preto, a mãe de Jacob, as pessoas que construiram a estátua, uma raça alienígena ou os sobreviventes do Black Rock.

    Raça alienígena? Eu troco meu nome para Bazinga se for essa resposta. Dito isso, aposto em Alpert, e vocês?

    Quem são Adão e Eva?

    De novo recorrendo às suas valiosas fontes, DarkUFO revelou uma lista de opções para a identificação daquele casal de esqueletos que conhecemos ainda na 1ª temporada. Vamos a elas?

    Demond e Penny; Rose e Bernard; Jacob e sua mãe; Jack e Kate; homem de preto e sua mãe; 2 pessoas que ainda não conhecemos; Claire e Aaron já adulto; Sawyer e Juliet; Charles Widmore e Eloise Hawking; Richard Alpert e sua esposa; os pais de Jacob; Sun e Jin.

    Ok, de cara eu descartaria as tais 2 pessoas que ainda não conhecemos, Claire e Aaron, Sawyer e Juliet, Alpert e sua esposa. Dos que sobram, minha aposta continua sendo em Rose e Bernard, e a de vocês?

    Atualização de 24 de março: Como você pode notar, já temos alguns possíveis candidatos eliminados dessa lista. Quem deu a informação foi a mesma fonte que passou a informação em primeiro lugar. E sim, lá se vai minha aposta em Rose e Bernard. Sendo assim, posso dizer que não faço ideia de quem possam ser aqueles esqueletos. Apostas?

    A reaparição de Pierre Chang

    Nos Untangled disponibilizados após cada novo episódio, sua presença continua sendo marcante, mas e quanto ao verdadeiro e enigmático Pierre Chang? Conversando com site Hobo Trash Can, o ator Fracois Chau revelou que seu personagem vai reaparecer no universo paralelo explorado pela temporada. Quando precisamente? Segundo o ator, no episódio 10. Resta esperar que a reaparição de Chang dê mais uma boa dica para entendermos a origem da existência dessa realidade paralela.

    Novas revelações dos bastidores das gravações

    Em seu podcast sobre Lost onde repercutiram o ep. 6x08 “Recon”, o casal Ryan e Jen Ozawa revelou um monte de informações sobre os bastidores das gravações dos últimos episódios da série. Obviamente, algumas delas não fazem muito sentido no momento, já que não sabemos qual é o contexto relacionado. De qualquer forma, todas elas valem muito para aguçar nossa curiosidade. Confiram:

    - Vestidos com aquela roupa que apareceram na abertura do episódio “The Incident”, Jacob bate e imobiliza o homem de preto arrastando-o pela floresta. Cena que deve ser vista no episódio 15.
    - Jack, Kate, Sawyer, Hurley, Sun e Lapidus gravaram cenas no barco Elizabeth, o mesmo que levou Desmond à Ilha. Aparentemente Jack e Sawyer vão ter um momento de confrontação.
    - Juliet e Kate juntas em cena? Ao que tudo indica sim e muito provavelmente na paralela, claro.
    - Mulher grávida (de Jacob?) vestida com roupas de uma época bem antiga aparece na praia ao lado do jovem homem de preto, que encontra uma pequena caixa metálica no mar.
    - Jovem Jacob e jovem homem de preto jogando gamão na mais explícita referência à questão dos lados negro e claro mencionado por Locke lá no início da série, lembram?
    - Submarino inundado e afundando.
    - Desmond tentando salvar a vida de Ana Lucia em vão(?!)
    - Jack, seu filho David, Claire ainda grávida e Widmore em cenas da paralela.
    - Também na paralela, cenas envolvendo Desmond batendo em Ben e outra mostrando Alex apresentando sua mãe Danielle Rousseau a Ben que acaba pegando uma carona com as duas.
    - Alpert é violentamente atacado pelo monstro. É o fim do homem que não envelhece?
    - Claire discute com (F)Locke, que a convence a entrar numa canoa.
    - Coletes e destroços provavelmente do submarino vistos na areia. Hurley aparece encostado numa caixa observando o mar à medida em que Jack e Kate estão deitados (feridos?).
    - Gravações no interior da floresta envolvendo Jack, Kate, Hurley e as versões jovens de Jaco e do homem de preto ocorreram na semana passada. Não há informação contudo se todos gravaram cenas juntos, até porque se isso for confirmado teríamos a indicação de que os losties viajaram para o passado.

    ***

    E aí, animados com essas promessas e informações de bastidores?

19/03/2010

Dudecast 45ª Edição (Episódio 6x08 "Recon")

Senta aí e prepare os ouvidos. A 45ª edição do Dudecast tem mimimi, um cão sendo defendido e principalmente tudo (ou quase) sobre "Recon", oitavo episódio da temporada e mais a repercussão de alguns dos vários e-mails enviados por vocês.

Para baixar clique AQUI

(Clique direto ou com o botão direito do mouse escolha as opções 'Salvar como' ou 'Salvar Link como')


Clique no botão e veja as opções para assinar o feed do Dudecast

Ep. 6x08 “Recon” – Easter Eggs, curiosidades e repercussão

Uma das coisas mais fascinantes e talvez mais singulares que Lost traz é essa intensa capacidade de promover debates e opiniões apaixonadas. Dito isso, “Recon” pode não ter sido o melhor episódio da temporada, mas daí a ver tanta gente falando que foi decepcionante e dispensável, é para mim no mínimo uma grande injustiça. Discordar, não gostar e etc é direito de cada um, mas não argumentar como a maioria faz chega a ser até irritante. Mas falemos do que importa nesse post, shall we?

Mostrando um James Ford igual, mas ao mesmo tempo bem diferente em outros aspectos, a narrativa dos flash sideways (talvez o mais empolgante até aqui) aplica um pequeno golpe, que não só brinca com o próprio título do episódio (Recon, um novo golpe), mas sobretudo subverte nosso entendimento com relação ao personagem, o que nunca é pouca coisa à essa altura do campeonato.



“Estou com (F)Locke agora.” Aparentemente movido apenas por seu egoísmo até ali, não demorou muito para que Sawyer voltasse a se mostrar interessado em seus amigos ao garantir a Jin que o levaria para fora da ilha com Sun caso a encontrassem conforme esperava o coreano àquela altura. Ainda da cena que abriu o episódio, impossível não notar o leve desconforto do novo reencontro de Sawyer e Kate principalmente depois daquela impactante cena entre os dois ocorrida no pier durante o episódio “What Kate Does”.

Leia mais...

    “Surpresa!” O James Ford da realidade paralela, não só é um policial, como também um aparentemente especializado em prender golpistas. Da cena que trouxe essa revelação algumas boas curiosidades: 1) A jogada utilizada por ele com o lance da pasta se abrindo com o dinheiro é idêntica àquela que serviu para nos apresentar o lado golpista do personagem em seu 1º flashback no início da série. 2) LaFleur, a senha que usou para chamar seus amigos policiais, obviamente nos remete ao sobrenome que Sawyer adotou durante seu período como chefe de segurança da Dharma, onde tinha como parceiro justamente Miles, agora também um policial nessa paralela. 3) Ava, a mulher que ameaça James foi interpretada pela bela atriz Jodi Lyn O'Keefe, rosto conhecido dos fãs da finada Prison Break onde fazia a duas caras Gretchen. 4) Os números representados pelo 8 e o 42. Uma tradição na série sempre aparecendo em relógios nas mais diversas situações.

    “É tudo que eu tive.” Se Kate tinha alguma dúvida sobre a sanidade de Claire, certamente a dissipou ali, afinal, que pessoa normal, mesmo traumatizada pela separação do filho e obcecada em reencontrá-lo guardaria uma espécie de mini Frankenstein como lembrança? Weird...

    “O monstro os matou.” Ele pode até ser mais um manipulador nato na longa lista de experts no assunto ali, mas (F)Locke efetivamente não mentiu ao dizer o que matou os que ficaram no Templo, ao ser questionado pela ex-aeromoça, Cindy. E ok que ele tenha ‘esquecido’ de revelar a todos os presentes ali que o monstro no caso é ele mesmo, porque o que realmente deve ser destacado daquela cena, é o fato de o termos visto consolando o garoto Zach. A jogada ali, claro, representava mais um passo de seu golpe: ganhar a plena confiança daquelas pessoas com a promessa, ‘vou tirá-los daqui, responder o que querem. Cuidarei de vocês.”

    Também naquela cena mais duas observações: 1) Claire buscando a proteção de Kate cuja mão segura. Reação espontânea ou jogada armada? Mais sobre isso daqui a pouco. 2) A revelação de Sawyer a Kate: “não estou de lado nenhum”, frase que deixava clara as bases que movem o comportamento do personagem nesse momento da história. Seguir fulano ou beltrano não é nem de perto sua intenção. Para o experiente (ex?)golpista, a única coisa que ele deseja é encontrar um facilitador para sua saída da ilha conforme ficaria claro ao final do episódio.

    Quem é Anthony Cooper dessa realidade paralela? Apenas um velho arrependido de seu passado que encontrou na aparente boa relação que tem com o filho Locke a chance de se redimir? Até aqui é o que parece, mas não resta dúvidas de que o eventual encontro de James com o responsável pela destruição de sua família deve render momentos tão interessantes quanto aqueles que vimos no episódio 3x19 “The Brig”.

    Ainda dessa cena, a dica de que Pierre Chang também existe nessa realidade paralela, afinal, Miles se refere a ele (não nominalmente, claro) quando revela a James que ele teria um encontro com uma moça que trabalhava no mesmo museu de seu pai.

    “Eu sou o monstro de fumaça.” Num episódio em que golpes e mentiras foram vistos a cada nova cena, curioso ver (F)Locke revelando sua real natureza para Sawyer dando uma justificativa para ter matado as pessoas do Templo com aquele papo de ‘era matar ou ser morto’. Da cena, fica claro que a atitude dele ali tinha um motivo bem específico: (tentar) ganhar mais pontos na escala de confiança de Sawyer à medida em que o mandava para a ilha Hidra testando-o ao mesmo tempo em que se tratava de um 'mero' reconhecimento de terreno.

    Dos pontos mais curiosos que marcaram a reaparição de Charlotte (belíssima, diga-se de passagem) tivemos: 1) Mais uma menção da série ao universo de George Lucas quando Indiana Jones surge na conversa que marca o flerte direto entre a ruiva e o policial James Ford. 2) Charlotte dizendo que seu trabalho a fazia viajar muito (ela ainda procura por suas origens também na paralela, talvez? Duvido que descubramos.) 3) Ao explicar porque virou policial fugindo de se tornar um criminoso, James menciona Bullit, filmão protagonizado por Steve McQueen no final da década de 60 onde ele faz justamente um policial.

    James Ford ainda pode ser um sujeito atormentado pelo fantasma de Anthony Cooper na realidade paralela, mas pelo menos o cara continua se dando muitíssimo bem com as mulheres, não? Pois é, da cena que marcou sua reação de raiva ao ver que Charlotte descobrira seu segredo de família, não dá para deixar de destacar o fato de que a leitura continua sendo um dos hobbies preferidos do personagem.

    Dentre as opções que vimos sobre a cômoda estavam: “Watership Down” de Richard Adams, livro que já aparecera antes em Lost com o próprio Sawyer dizendo que o tinha lido e que fala sobre coelhos (olha aí outra recorrente menção dentro da série) tentando se organizar como grupo num lugar utópico; “Lancelot” de Walker Percy, sobre um advogado que mata a esposa depois de descobrir que a filha que tinha com ela não era dele, e que Sawyer também já aparecera lendo em cena do episódio “Maternity Leave” da 2ª temporada; e finalmente “A Wrinkle in Time” de Magdalene L’Engle, mais um livro que Sawyer também já havia lido na ilha e que trata de 3 crianças em busca do pai pelo espaço tempo onde constantemente tem que lidar com um vilão referenciado como ‘a coisa escura’...

    Outra pequena curiosidade que corrobora a total ausência de qualquer influência de Jacob nessa realidade, vem do fato de que James parece não ter aquela cartinha que escreveu ao ser incentivado quando garoto (o que acabou sustentando boa parte de sua obsessão para localizar o verdadeiro Sawyer, vale lembrar).

    Ok, vamos combinar que essa cena do Sawyer relembrando os momentos que passou com Kate na jaula foi só para ilustrar que a resolução do romance ainda continua aberta na trama? Pois é.

    Hum... Então quer dizer que o Sayid agora virou praticamente um zumbi na ilha? Como explicar sua total falta de reação ao ver Claire atacando Kate violentamente a ponto de quase esfaqueá-la? Agora sobre o ataque da loira, vocês também ficaram com a forte impressão de que ele foi incentivado por (F)Locke, que ao intervir, sabia que poderia obter uma chance de ganhar a confiança de Kate?

    Sawyer encontra o Ajira e com ele uma pilha de corpos. Trabalho do monstro ou do bando de Widmore, afinal? E essa tal Zoe, hein? Se dizendo a única sobrevivente, não demora muito a se entregar na mentira facilmente reconhecida por Sawyer, um mentiroso nato, que rendido pelo grupo armado que a acompanhava, só faz um pedido sarcástico: “Leve-me ao seu líder.”

    Liam Pace aparecendo na delegacia de Los Angeles a procura do irmão, Charlie não dá nem para chamar de easter egg, de tão óbvio que foi, certo? Pois é, então destaquemos a reação indignada de Miles confrontando James por conta de sua mentira envolvendo a viagem à Austrália. Aliás, por falar nela, o que será que fez com que James fosse até a terra dos koalas nessa paralela, hein? Como sabemos, na realidade considerada original Sawyer foi para lá por causa de uma dica que se revelaria falsa dada por Hibbs (Robert Patrick em participação especial), mas e agora o que teria motivado sua viagem uma vez que é razoável assumir que nessa paralela e sendo policial, James dificilmente teria como camarada, um golpista como o tal Hibbs?

    Ah sim, ainda nessa sequência vimos mais um personagem se encarando num espelho, recurso que já fora usado nos sideways de Jack por exemplo, e que no caso de James, simbolizava também sua profunda frustração sustentada pela necessidade de querer seguir em sua busca pessoal, mas que exigia dele mentir para pessoas com quem se importava no processo. Ao quebrar o espelo, James quer dizer a si mesmo que não gosta de ser aquele homem amargurado e que não conseguiu se livrar do passado.

    Ao assumir ter alimentado a mentira sobre o paradeiro de Aaron para Claire e vir com aquele papinho furado de que a loira precisa ter sua raiva canalisada para algum ponto, (F)Locke reforçava sua tentativa de não apenas acalmar Kate, mas sobretudo ganhar sua confiança. Outro ponto alto daquela cena entre os dois veio do momento em que ele disse não ser um homem morto e mencionou um pouco sobre a mãe, uma mulher perturbada que teria lhe provocado traumas profundos. Ou seja, é o dad issue subvertido para a figura materna e mais um elemento para especulação de sua origens. Sobre isso aliás, a cena parece reforçar aquela ideia constantemente discutida por muitas pessoas apontando o homem de preto como sendo uma referência explícita e direta para Esaú, irmão de Jacó (Jacob em inglês), que na história bíblica acabou preterido pelo último.

    A instalação de uma cerca sônica já dá a dica: Widmore não pode ser aliado ou qualquer coisa que o valha do monstro. Agora, e aquela porta trancada dentro do submarino, hein? Ficou óbvio que ela guarda algo muito importante que descobriremos mais a frente. Mas, o que seria? Uma coisa ou alguém, tipo Desmond, talvez?

    Sobre a conversa que teve com Widmore, vale o registro do que foi o inicio da tentativa de golpe de Sawyer: entregar (F)Locke em troca da garantia de saída da ilha com seus amigos.

    Sempre buscando no isolamento seus momentos de relativo conforto e quem diria que ele encontraria a motivação para buscar companhia justamente numa série de tv. A cena que James assistia enquanto tomava sua cerveja, era da antiga série “Os Pioneiros” (Little House on the Prairie no original), programa exibido por 9 temporadas nos EUA e que baseado em livros de memórias de Laura Ingalls, trazia histórias sempre carregadas de lições de vida, por vezes piegas, mas não menos emocionantes. Na cena que vimos especificamente, o patriarca da família, Charles Ingalls, conversa com a filha, Laura, sobre saber viver o presente e entender que ninguém morre definitivamente quando se está guardado sob a forma de boas lembranças. Pois é, livro de auto ajuda perde fácil pros Ingalls.

    Disposto a tentar acertar as coisas com Charlotte, James vai a casa dela para se deculpar e leva uma combinação incomum para tentar seduzí-la: cerveja e um girassol, que por acaso é a mesma flor que dá a Juliet em cena do episódio “La Fleur”, lembram? Pois é, tá aí o porque do cara mesmo na paralela usar um código que remete ao Sawyer da ilha em seus tempos de Dharma. Azar o dele no entanto, que Charlotte não queria mais papo e mandou na lata um , “você estragou tudo.”

    O de certa forma surpreendente pedido de desculpas de Claire, que rápida e estranhamente diz ter entendido o que Kate fez foi um outro bom momento do episódio. Agora, a atitude foi sincera ou só mais um momento de instabilidade da loirinha? Obviamente ainda é difícil afirmar qualquer coisa de forma categórica, mas acho que é razoável esperar que esse conflito não acabe nisso, sobretudo porque seria interessante efetivamente descobrir o que aconteceu com Claire desde seu sumiço e como e se vem sendo usada por (F)Locke como somos levados a crer até aqui.

    A 2ª parte do golpe de Sawyer: dizer exatamente a verdade do que viu para (F)Locke na tentativa de fazê-lo se confrontar com Widmore. Aliás, ficou parecendo que (F)Locke sabia que Widmore e seu grupo estariam por lá, não? Aliás, será que quando pediu para que Ben fugisse e o encontrasse naquela ilha (conforme vimos no episódio anterior), o fazia na intenção de se livrar dele sabendo de sua rixa com Charles? Hum...

    O fim de um segredo. No exato momento em que conta sua história para Miles e promete continuar a busca pelo homem que deseja matar, James tem o carro atingido, persegue o motorista fujão e dá de cara com Kate, que parece não ter conseguido se manter anônima por muito tempo mesmo sendo ajuda por Claire no hospital como vimos antes. Será que ainda veremos a continuação dessa cena? Tomara, porque curiosos creio que todos ficaram, ou não?

    Golpe revelado. Sawyer conta seu plano para Kate e confirmando o que dissera no início do episódio, afirma que não estava trabalhando para (F)Locke. Danem-se as ideologias, ou mesmo quem está certo ou errado. Para James ‘Sawyer’ Ford, a única cois que realmente importa é dar adeus àquela ilha e seguir em frente. E de preferência com Kate, pelo visto.

    Repercutindo o episódio

    “ ‘Recon’ realmente funcionou para mim graças ao bom retorno de James ‘Sawyer’ Ford ao centro da história e à narrativa inteligente que fazia cada diálogo parecer ter duplo sentido. Além disso, não dá para ignorar as várias cenas que carregam possibilidades para entender o que realmente está acontecendo na série.”

    Jeff Jensen – EW

    ***

    “Tenho dedicado algumas boas linhas ao longo das últimas semana para desenvolver uma teoria sobre o significado dos flash sideways e continuarei fazendo isso. Mas fato é que quando um episódio consegue ser divertido nas duas realidades como ‘Recon’ foi, assim como a série de uma forma geral – minha vontade de questionar, analisar e teorizar fica em segundo plano, por causa do meu desejo de relaxar e curtir.”

    Allan Sepinwall – What’s Allan Watching

    ***

    “É claro que ao longo destas temporadas aprendi a ter certa paciência com LOST, ainda mais sabendo do que está por vir já na próxima semana. Contudo, reconheço que Carlton Cuse, Damon Lindelof e cia. poderiam, ou melhor, deveriam ter dosado a dicotomia mistérios-revelações já que estamos literalmente roendo as unhas de ansiedade com esta iminente guerra que Charles Widmore está patrocinando. Um ótimo episódio sobre James Ford. Um mediano episódio sobre o resto.”

    Bruno Carvalho – Ligado em Série

    ***

    “Não importa de qual realidade tratemos, nas duas a jornada de Sawyer tem sido aprender a se conectar com outras pessoas, apesar do que Anthony Cooper fez com sua família quando ele tinha 9 anos. Em amabas realidades, Sawyer sabe que não dá para se conectar com a vida sendo obcecado com os mortos. Só dá para se conectar com a vida vivendo o presente, apesar dos riscos envolvidos ao se confiar nos outros.”

    Maureen Ryan – Chicago Tribune

    ***

    “E um episódio fica tão mais divertido quando tem cara das primeiras temporadas, quando nos faz esquecer por 42 minutos que seja a luta entre Jacob e Não-Locke, o espelho, o farol, o templo, o samurai, o destino, o livre-arbítrio. Como eu já vi que esse final da série vai ser bem frustrante e como a história não está muito me empolgando, vamos nos divertir.”

    Claudia Croitor – Legendado

    ***

    “Sawyer é, sem dúvida, um dos personagens mais bem trabalhados de Lost. Seus episódios são geralmente bons e a atuação de Josh Holloway só cresceu desde o piloto. Muitos vão dizer que Recon foi fraco, não acrescentou nada e que pode ser um dos piores da temporada. Eu discordo!! O episódio, centrado no golpista, introduziu os motivos de Widmore na ilha, mostrou mais da Claire, nos deu uma pista interessante do passado do homem de preto e de como ele deseja sair da ilha, além de ter tido um dos flashsideways mais interessantes, em minha humilde opinião.”

    Caio - Apaixonados por Séries

    ***

    “Darlton corre o risco de detonar uma boa parte dos seus episódios mais leves com momentos anticlímax, tal qual o Sawyer fazendo uma lasanha após conversar com Charles Widmore. É Extremamente arriscado e está fazendo metade dos fãs torcer o nariz para a temporada, mas boa parte do meu relacionamento com a série é confiança e até o final continuarei acreditando que a resolução para os flash sideways será tão satisfatória que nos fará rever a temporada toda com outros olhos e parará as reclamações sobre sua relevância.”

    Mateus Borges – Série Maníacos

    ***

    “Pela primeira vez um flashsideway enrolou pra caramba. O comecinho foi bem bacana e tal, mas a partir daí a coisa foi pra um marasmo sem fim. Ok, legal ver que o Sawyer, apesar de também ter sofrido o trauma na infância do "original", fez uma escolha correta na vida e mesmo assim continuou na sua missão de matar Anthony Cooper; mas gastar um episódio inteiro pra contar só isso isso, foi sacanagem. Gente, 8 episódios pro fim! Onde isso vai dar?”

    Ricardo Rente – Território Nerd

    ***

    “Foi intrigante ver a história de Sawyer contada sob u mângulo diferente. O primeiro choque da paralela foi ver como James é diferente de Sawyer; a segunda foi ver o quanto os dois tem em comum. E os paralelos com a vida na Ilha foram um prazer à parte: a parceria com Miles; sua palavra código, “La Fleur”; e ver um elegante Sawyer com a belíssima Charlotte, foi provavelmente a oportunidade mais bem aproveitada em Lost de colocar dois personagens ‘quentes’ juntos na tela.

    James Poniewozik – Tuned In (Revista TIME)

    ***

    “... o James Ford que encontramos hoje na realidade original é um homem que, como testemunhamos bem, tentou o caminho das virtudes e das emoções, guias de um herói. Pouco adiantou contrariar um paradoxo todo seu: uma vez na ilha, é em seu autodesprezo que James consegue se enobrecer; e é em seu egoísmo que ele acaba se transformando em altruísta. Como negar isso diante do homem que pode ter encontrado uma salvação para o grupo através de um ato duplo de traição?”

    Carlos Alexandre Monteiro – Lost in Lost