01/06/2010

Dudecast 55ª edição (Episódio 6x17/18 "The End")


Imagem criada por André Betschart

Demorou, mas chegou. Na 55ª edição do Dudecast, Juliana e eu discutimos tudo sobre 'The End', o emocionante e não menos polêmico último episódio de Lost. Falamos sobre o significado da ilha submersa; destacamos as cenas mais impactantes; relebramos a jornada de Jack; repercutimos a importância da mensagem que a série nos deixa; falamos do evento que aconteceu aqui no Rio; e deixamos um convite para que você nos ajude a fazer um dos próximos Dudecasts (tava achando que esse seria o último?). Tudo isso e muito mais contando também com a sempre essencial leitura de e-mails (foram quase 200 recebidos!). Ah, e só para avisar, o Guri (nosso pequeno Vincent) também fez questão de deixar a opinião dele registrada em dois momentos: pouco antes dos 61 min e depois novamente aos 72:30 :p

Para baixar clique AQUI

(Clique direto ou com o botão direito do mouse escolha
as opções 'Salvar como' ou 'Salvar Link como')


Clique no botão e veja as opções para assinar o feed do Dudecast

106 comentários:

Rodolfo disse...

Legal, dudecast na área! Obrigado pela dedicação e parabéns pelo trabalho!

Lm disse...

PARABÉNS


E como venho dizendo. Espero que os produtores, ao menos no extra da jornada do heroi, falem da importância de Campbell na série. Afinal, o cara leu 12 horas por dia por mais de 40 anos. Deve-se dar crédito a quem merece

sde disse...

Muito bom o DuDeCast!!!
Vlw galera!!!
olha só que interessante a versão "Anime" do LOST:
http://supercomentario.com.br/2010/05/31/lost-series-anime/

Antônio disse...

Bota aspas nisso amigão, pq isso aí ta longe de ser anime, mas tudo bem...

Raquel disse...

ATENÇÃO, ESSE COMENTÁRIO POSSUI SPOILER DOS EXTRAS DOS DVDS, NÃO LEIA, CASO NÃO QUEIRA SABER.





sério q vcs ainda acham que o Walt não estava lá pq se tornou o protetor da ilha e ainda não morreu para estar naquele plano?

a realidade espiritual nao existe uma temporalidade paralela a ilha. Por isso, não dá pra pensar: "hum, então no momento em que os eventos desse plano espiritual se desenrolam, a ilha existe e está lá com um novo protetor, no caso o wALT." É uma realidade atemporal. Se o plano espiritual traça algum algum paralelo, é com o tempo presente, passado e futuro da nossa realidade. Ora, é só pensar o seguinte: qdo Juliet estava a beira da morte, ela já começou a viver naquele plano - que foi evidenciado pelas últimas palavras dela - ela não foi para o fututo, ela já estava vivendo aquilo. Já Sawyer provavelmente demorou anos para vivenciar o reencontro dos dois. Ou seja, o plano já existia tanto no passado dos personagens, quanto no futuro. Pensar q essa realidade existe em paralelo com o tempo de proteção do Walt, é imaginar que esse plano, atemporal por definição, teve data para começar existir. E então, quando foi que a realidade paralela passou a existir? 2070 qdo último sobrevivente do vôo 815 morreu? Não faz sentido. Se o Walt não estava lá, não é pq ele ainda não havia morrido (já que, repetindo, o plano espiritual existe tanto no passado, quanto no presente dos personagens.) e sim pq não foi com aquelas pessoas que ele passou a época mais importante da vida dele. Até pq, o Walt por ser criança e ter participado de apenas uma temporada, foi um do únicos personagens que não teve um crescimento e encontrou sua redenção na ilha. E ainda não acho que o Walt se tornrá protetor da ilha. Os spoilers só indicam q ele vai participar da cena com o Hurley e Ben. E pode-se especular q os anos de iniciais de Hurley como protetor foi um momento de paz, não há porque imaginar que a ilha precisou de um novo candidato. Se ele realmente se tornar o tal protetor, isso só vai acontecer para satisfazer os fãs que tem essa obsessão inexplicável pelo Walt.

Desculpe se pareci incisiva demais, não quero criar polêmica. Mas é pq esse pensamento de que a realidade paralela existe em um tempo paralelo à época de proteção de determinada pessoa da ilha me incomoda tanto quanto quem achou que todos estavam mortos desde o começo.

No mais, meus sinceros parabéns pelo trabalho.

Namastê.

Betina Denardin Szabo disse...

Concordo em gênero, número e grau com a Raquel.

Davi Garcia disse...

O ponto não é o Walt ter morrido ou não, mas sim ter exercido impacto na relação daquele grupo e isso ele não exerceu até porque conviveu pouco com aquelas pessoas.

A comunhão delas é o que importava naquela cena. Assim, mesmo com tantos outros personagens também mortos o momento era delas especificamente, independente do Walt ter ou não se tornado protetor da ilha.

Eu mesmo disse...

Apenas um comentário que não tem muito a ver com o episódio em si. Lá pelos dez minutos e pouco de dudecast, a Juliana fala sobre uma certa "identificação" necessária para gostar ou não do episódio final de Lost. Trata-se, segundo ela, de acreditar ou pelo menos não duvidar da existência de algo depois da morte, pois para ela quem não acredita num propósito para a vida vai sair "a louca, fazendo o que a gente quer, porque morreu, morreu".

Dessa afirmação eu vejo dois erros. O primeiro é que muita gente que não gostou do final de Lost tem religião ou pelo menos acredita em alguma noção de religiosidade. E o contrário também é válido: eu, que sou ateu e NÃO acredito em nada disso, me emocionei muito com o episódio final. Isso não tem a ver NECESSARIAMENTE com a visão de mundo da pessoa; fosse assim, apenas quem acreditasse que vampiros existem poderia se "identificar" e se assustar com um filme de terror com vampiros (para ficar com um exemplo simples). Motivos para gostar ou não do fim de Lost existem vários, e não passam necessariamente por partilhar uma visão religiosa de mundo.

A segunda é sobre a suposta utilidade de acreditar em algo pós-vida para não fazer o mal. Novamente, falando por mim, que sou ateu, tenho um conjunto de valores morais e éticos que, entre outras coisas, prezam pelo respeito ao outro e pela honestidade e que não está atrelado a uma religiosidade, e conheço vários ateus que são assim também. Ser moral não é sinônimo de ser religioso. Para fins de argumentação, poderia-se usar o argumento inverso ao que a Juliana usou para dizer que quem tem religião faz maldades (veja bem, não estou dizendo isso, estou apenas argumentando para mostrar que isso não tem lógica). Afinal, basta ver quantas pessoas que acreditam em algo já mataram, roubaram e mentiram (às vezes até mesmo EM NOME dessa crença), e dá até pra usar a mesmíssima frase que ela usou quando disse que "muita gente vive assim, e a gente sabe o reflexo disso para a sociedade".

Davi Garcia disse...

A capacidade de alguns em distorcer o que dissemos é incrível. O que discutimos é que independente de crer que exista algo muito superior a todos nós, em algum momento de nossas vidas nos questionamos se o que fazemos aqui pode refletir num outro plano (que nem sabemos se existe mesmo ou não). Não tem nada a ver com ser ateu ou não ou seguir essa ou aquela religião.

Eu mesmo disse...

Davi, na boa, eu não distorci nada - tanto que copiei literalmente, entre aspas, o que foi dito durante aquele trecho. Concordo com o que tu escreveu como resposta - foi exatamente o que escrevi antes -, mas não foi isso que foi falado naquele momento, sorry.

Uma última coisa: seria de bom tom pegar mais leve com quem discorda de vocês (o que nem foi muito meu caso, fiz apenas uma observação). Esse "A capacidade de alguns em distorcer o que dissemos é incrível" foi meio demais, não?

Juliana Ramanzini disse...

Eu mesmo, vc entendeu como quis, pq não foi isso que eu quis dizer. Eu não tenho religião, não frequento nenhuma igraja e não acredito na religião. Acredito na bondade e na caridade. Quando eu digo acreditar em algo não falo de religião, mas de ter em mente que o propósito da vida é progredir moral e intelectualmente.

E conselho, parem de achar que o que falamos é pessoal. Não é.

Leonardo disse...

gostei bastante do final de Lost. Porém compreendo muito bem quem não gostou.

Um comentário extremamente infeliz é: não gostou porque não entendeu ou porque é burro. É prepotencia de uma parte ou outra (favorável ou contra) explicar o motivos pelo qual a outra parte gostou ou não do final de Lost.

Gostei do final mas de modo algum ignoro-os ou os considero "menos inteligentes ou menos compreensivos" do que eu.

Leonardo disse...

Foi um prazer enorme acompanhar Lost durante estes 6 anos... porém é um "desprazer" gigantesco acompanhar esta "briguinha" sem nexo algum entre aqueles que adoraram Lost e aqueles que não gostaram de Lost.

Cada um tem total direito de gostar ou não de Lost. Como já diria o velho ditado: Gosto não se discute.

É uma troca de ofensas gratuitas e que não nos conduzirão a lugar algum. Os que gostaram, continuarão gostando... e os que não gostaram, continuarão não gostando.

João disse...

Quando vai sair este "plus";????

Fábio Lins disse...

Parabêns. Ótimo podcast como sempre. Achei que já tinha chorado o que tinha de chorar em Lost, mas sobrou um pouco para esse DudeCast.
A maioria dos fãs de Lost amaram ou acharam satisfatório o seu desfecho (70%)de acordo com meu blog. Então não ligue para as pessoas que tem a opinião diferente pois não vai adiantar.
Fábio Lins - blog LostHome

obs: Vocês poderiam criar uma enquete relacionada a isso.

tiekito disse...

Também quero saber!! Quando vai sair este "plus";????

Davi Garcia disse...

Pessoal, o podcast que mencionamos vai depender do que vocês acreditam ser perguntas ou mistérios não respondidos. Quando tivermos um volume razoável delas, daí partiremos para a gravação ;)

Abraço!

luciana disse...

Vi os comentários acima e espero que não seja tarde para me envolver mais com o blog fazendo comentários.

Acompanho este blog maravilhoso desde sempre, eu acho, e não participei antes porque tive algumas experiências ruins em outros blogs de, por exemplo, ser maltratada por dar uma opinião politicamente duvidosa, postura que é inerente à minha personalidade.

Mas vou arriscar ser exatamente o que eu sou aqui e ver o que vai dar...

Eu acho que talvez a mensagem final de Lost é tipo igual à música do Roberto Carlos: se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi.

O que vocês acham?

Calma, foi apenas uma brincadeira...

Eu acho que o Jack faria tudo da mesma forma independentemente de existir vida após a morte. Até porque ele não sabia, como ninguém sabe...

Se ele soubesse, ele teria feito da mesma forma?

Deus quer que a gente saiba que ele exista?

Ser ateu não seria cumprir exatamente a vontade de Deus e ser honesto, bom, ou o que seja, pelo prazer de o ser e sem esperar uma recompensa por isto?

Podem deixar que eu mesma respondo:

SABE-SE LÁ!

Sei que não tem resposta, mas, mesmo assim, quem quiser me ajudar a pensar, respondendo a este comentário, desde já, agradeço.

Beijos a todos.

Luciana.

Peter Strahm disse...

Baixando.

Só para citar. Das tr~es cenas mais fodas desse último episídio Locke( o verdadeiro) estava em duas e ainda foi citado na terceira.

Esse episódio foi excelente para uma temporada BORING....

Gabizinha Vidal -Santos -SP disse...

Demorou pra sair esse dudecast , mas valeu a pena esperar como sempre vcs estão de Parabéns!!
Só estou chatiada que mais uma vez não consigui mandar e-mail, mas fiquei animada de saber que vai ter mais alguns dudecast e assim vou ter mais uam oportunidade de mandar e-mail.
Bom assim como vc ju enquanto eu assistia o final de Lost eu chorava compulsivamente de chegar a soluçar. Na cena em que o pai de Jack fala para ele que ele tinha morrido então nem se fala chorei de mais e enquanto o pai de jack falava e eu chorava eu lembre da minha vó que faleceu há 4 anos, e assim que acabou o ep nasceu uma esperança dentro de mim de que um dia eu posso reencontrar a minha avó e dar um abraço nela e dizer que eu a amo muito e sempre amei. Eu não sou esperita alias eu não tenho uma religião definida apesar de eu ter sido batizada e feita primeira comunhão na igreja catolica, confesso que não sou de ir a igreja. Enfim idependente da religião eu acho que a gente tem que acreditar que nos não estamos nessa vida atoa e que sim há vida após a morte, não a vida física claro,mas sim a de alma de sentimentos bons. Enfim durante esses 6 anos aprendi muito assistindo Lost, como muitos disseram o final não foi o que eu esperava nunca me passou na minha cabeça que seria desse jeito, mas no fim foi maravilhoso pelo menos para mim. Bom espero não ter dito nehuma bobagem aqui. =***

Blade disse...

Luciana,

Gostei do trecho da música do Roberto Carlos! Sintetiza muito do que vimos no último episódio. Parabéns pela sacada

Sobre Jack e a vida após a morte, eu também acho que ele faria tudo da mesma forma, se acreditasse ou não.

Sabe por quê? Por causa da ÍNDOLE.

E a índole é inerente à qualquer religião, ou ao fato de ser ateu. Quando a gente vê no vitral da igreja vários símbolos religiosos, na cena entre Jack e seu pai, fica claro que aquela cena não representa apenas uma visão, mas todas.

Pelo lado ateísta, podemos considerar tranquilamente o que disse sobre a índole. Jack cometeu erros durante sua vida, era inseguro, mas tinha seu lado altruísta, de querer ajudar os outros.

Sobre essa perspectiva, podemos refletir sobre um raciocínio lógico:

"Eu não gosto de sentir dor.
Então, não causarei dor às pessoas.

Eu gosto de sentir amor.
Então, levarei amor às pessoas."

Viu? O aspecto humano, nossas EMOÇÕES, é que são, ou devem, ser valorizadas. E isso não é determinada pela religião X ou Y, ou ateísmo. Mas pela nossa índole, que é aperfeiçoada com uma base familiar, onde desde criança aprendemos com nossos pais qual o caminho correto (do Amor hein? hehe)

A religião é outra base importante na vida das pessoas, não podemos ignorar isso. Eu sou espírita kardecista, tenho vários amigos evangélicos e católicos, mas não gostei muito de ver os losties sofrerem tanto EM VIDA. A cena finsl na igreja foi linda, de encher os olhos, mas nada me tiea da cabeça que Ji Yeon sofreu sem aqueles que seriam ÓTIMOS PAIS. Ah, e eu odeio o Jacob hehe

Bom, é a minha opinião.

Blade disse...

Impossível ler um comentário da Gabizinha e não ficar com um sorriso no rosto. As palavras dela são muito meigas.

Fiquei até envergonhado com meus comentários mais "ásperos" do passado.

Vivendo e aprendendo.

Ricardo disse...

Juliana, acerca do que vc. falou nos 10 minutos do podcast, concordo em Genero, nº e grau. Sou espírita, sei que vc. não tem religião e lhe digo o seguinte: as vezes sem ter religião a pessoa pode ter algo que outras não tem; senso moral e caridade. Vc., ao que me parece, sem ser religiosa, compreende (talvez com o seu espírito) os postulados espíritas que aproximam religião e ciência. Todos devemos evoluir, e para tal reencarnar. A reflexão que vc. colocou sobre a melhora moral daquele que acredita que a vida não acaba na matéria (e muito mais: numa vida só) é literalmente a mesma de Kardek no livro dos espíritos e de Leon Dennis no 'Depois da Morte', dois livros fundamentais para os espíritas. é lógico que há religiosos amorais, mais é óbvio e estatístico que quem acredita que suas ações terão reflexos no futuro (lei de ação e reação), se melhora e procura evitar o mal. Paz e saúde para vcs. e muito obrigado pelos anos passados acompanhado LOST.

zecah disse...

Po acorda!!!! postcast bonitinho puxando o saco dos produtores e estavam nem ai para os fans!
Erro completo: Como o Fake Locke virou a Alex pra converser o Ben a seguir as ordens do Fake Locke sendo que na 6 temporada a Illana disse que ele n podia mais assumir a forma de ninguem!
Esta foi horrivel digno de Gilberto Braga. Me senti na novela da globo so faltou o casamento

L.F.Matos disse...

Muito o Dudecast, ainda tô escutando,mas está bom! Ri muito com a risada de Juliana no 2:48, hahah!
\o/ ♥

L.F.Matos disse...

Escutei direitinho e vi que não era uma risada, era uma imitação de soluços! kakakak!

Davi Garcia disse...

ZECAH, não teve erro nenhum naquela sequência. O que a Ilana disse é que o monstro não pôde mais assumir outra forma que não a do Locke DEPOIS da morte do Jacob, o que ainda não havia acontecido quando Alex apareceu para o Ben (ep. 5x12)

Essa tua reclamação é um belo exemplo de pessoas que acham mais fácil criticar o trabalho alheio em vez de prestar um pouquinho de atenção em 'explicações' tão claras como essa...

hoffmandetective disse...

Porra. Eu ,com 19 anos na cara, chorei feito um bebezinho na cena do Ben e o Locke. Pqp, ver o Locke perdoando o cara que o matou, soltar um sorriso e depois se levantar foi demai. Sem falar na atuação de Terry O'Quinn ( Emmy para ele, por favor) e Michael Emerson( Globo de Ouro, por favor).

Eu só odiei a desconstrução da imagem de Locke para vilão. Todo mundo sabia que aquele ali não era o Locke e todo mundo ficava "Locke!, Locke!"


Eu achei a temproada Boring por que para mim foi a mesma coisa que ver uma temporada inteira de 24 horas sem Jack Bauer.

"We've been waiting for you"

Sensacional aquela última cena.

hoffmandetective disse...

Mas Davi, eu não me lembro da Ilana falar algo sobre a morte de Jacob estar relacionada a impossibilidade da fumaça mudar de forma...

Lene Melo disse...


Lost atraiu os mais variados públicos:
alguns pelo caráter "inteligente" da série devido as teorias apresentadas, aos livros citados etc. Outros pelo romances, situações dramáticas e emotivas.
Ao final o público que esperava algo inteligente ficou bastante decepcionado, enquanto o público de novela gostou e chorou bastante.

Raquel disse...

Ricardo,

Vc acabou de ofender todos os ateus com esses comentários. Eu sou atéia, mas acredito sim na bondade, no senso de caridade, e no apoio ao próximo. Não é porque eu acredito numa vida eterna, ou porque tenho medo de uma vida futura. Acredito pq sou humana, acredito porque conheço a dor e o sofrimento e pq me dói ver um semelhante passar por isso.

Respeito todas as religiões, mas me sinto ultrajada qdo vejo alguém justificar a bondade em função de suas crenças, achando que quem não crê, tem mais chance de ter um desvio de caráter. Parece tão impossível considerar o ser humano bom, apenas pelo ele é? Sem precisar de doutrinas e crenças externas? Alias, não vou nem comentar sobre o banho do sangue pelo que o mundou passou, e passa, em função dessas doutrinas....

Blade disse...

Davi,

Eu ia explicar exatamente isso pro Zecah. Tirou as palavras da minha boca, ou melhor do meu teclado hehehe

Zecah,

Vc envergonhou o grupo dos críticos do roteiro de Lost. Reveja a série.

Shame on you.

jjj klas disse...

Pelo que entendi, na realidade paralela, o Ben e Roger estiveram de fato na ilha com a Dharma. Mas voltaram por algum motivo. Depois disso é que a ilha afundou.

Portanto o MIB estava certo: Ilha=nada. A ilha é a ultimate con man/island. Isso se a ilha funcionar na RP como na realidade real. :-P

Já sobre a aparição do Christian no cargueiro: minha explicação é que naquela ocasião o Christian não era definido pra ser o MIB. Por algum motivo os autores mudaram de ideia e ficou esse furo. :-\

Kristo1207 disse...

Chorei pra burro nesse episódio. E olha que eu assisti "À Procura da Felicidade" sem deixar cair uma lágrima sequer.

Poxa, eu adorei o dudecast! Sempre entro pra ver se saiu um novo pra ouvir a voz do Davi e a risada super-comédia da Juliana (e as intervenções filosóficas do Guri, claro). E é fantástico como os dois conseguem sintentizar tudo aquilo que eu penso sobre a série (raiva do ator que faz o mr. Eko, como eu adorava aquele padre brutamontes e queria vê-lo de volta...)

É verdade que o final não foi o que eu esperava, mas trouxe algo pra mim que nada nesse mundo (nem minha religião, acreditem se quiser) me trouxe até hoje: vontade de também "let go" meus traumas e seguir em frente.

jjj klas disse...

@hoffmandetective De fato, a Ilana não fala literalmente na morte de Jacob como sendo a causa. Mas fica entendido isso.

Em The Substitute Ben e Ilana carregam o corpo de Locke:

Ben: O que impede que o nosso inimigo mude de rosto?

Ilana: Ele não pode mais. Está preso nessa forma.

Raquel disse...

jkkas,

eu reassiti a 3a temporada no decorrer da 6a. Pelo que vi, o MIB lá já parecia bem definido. O irmão morto do Eko aparece para ele, e logo depois a fumaça o mata (daí, vc tira que a fumaça toma corpo de mortos), quando o Locke vai com o Ben a cabana, alguem diz "help me", quando a na 4a temporada vc descobre que quem estava lá era Christian com a Claire, logo deduz-se que ali o MIB estava pedindo ajuda.

marcio disse...

Faço uso deste post apenas para parabenizar os produtores do blog pela ótima cobertura de Lost nos últimos seis anos. Sempre acompanhei as discussões - embora fugisse de spoilers - mas nunca fui muito participativo nos comentários. Conheci este espaço no final da segunda temporada da série, mas só me tornei assíduo a partir da quarta, tendo chegado ao final desta jornada com visitas diárias. Certamente, minha "Lost Experience" não teria sido a mesma sem o Dude. Nunca fui fã de séries de televisão e o fim de Lost vai acabar determinando meu afastamento natural do blog. Foi um grande aprendizado, mas é preciso "seguir em frente". Abraços soteropolitanos.

Carla disse...

Uau! Dudecast polêmico?!
Eu ainda estou baixando mas já vi que eu vou ter que largar tudo o que eu estou fazendo para assistir, afinal, eu adoro uma polêmica!
Tá lerdim, lerdim o download aqui.
:o)

Edilaine disse...

Para fomentar a discussão,coo eu compreendi a série:estavam todos mortos, todos, nunca vivos uma pessoa viva na série, apenas acompanhamos a viagem de almas através planos espirituais.

jjj klas disse...

Raquel, minha visão era de que o Christian era para ser (até o fim da 4a. temporada) um "avatar" da ilha.

Um sonho levou o Locke a cabana onde Christian mandou ele mover a ilha. (Outros sonhos mostraram a posição da estação Pérola ou mandaram ele salvar o Eko do urso polar.)

Esse sonho seria obra do MIB ou da ilha? Acredito que da ilha. Portanto o Christian não seria o MIB, pois a ilha e MIB tem objetivos contrários.

Nada me tira da cabeça que algo entre a 4a. e 5a. temporada fez os autores tornarem Christian o MIB. :-P

Carla disse...

Poxa, eu estou há horas aqui chorando e escrevendo um monte de coisas sobre o Dudecast, mas na hora de enviar eu acho que apaguei tudo(como pôde???!)

Bem, se a minha história não chegou até o outro lado do blog, eu gostaria apenas de dizer que o dudecast foi tão lindo como "the end" e que foi bom ter ouvido vcs falarem das pessoas do blog mais do que qualquer outra coisa.

Há coisas na vida para as quais não temos explicação.

Um beijo muito grande em vcs e um especial no Guri.

Namastê.

Getúlio disse...

AFF Minha nossa senhora... GRAÇAS A DEUS... Tava roendo unhas já de tanto esperar kkkkk

Perfeito o DUDECAST... digno para o ''THE END''.

Vou enviar e-mails para voces como voces pediram , com algumas observações de pontas soltas e mistérios não resolvidos!!!



Obrigado gente por estar junto conosco durante todo esse tempo!

QUE DEUS ABENÇOE A VIDA DE VOCES!!!

Fellipe disse...

Oi, gente!

1a. vez q eu comento um podcast. Queria realmente apenas parabenizar a iniciativa e dedicacao de vcs.
Concordo com mto do que foi dito e ate divido algumas das interpretacoes, mas ha um detalhe em que penso diferente:

O Desmond da ilha (aquele q fala pro Jack q nada daquilo importa pq eles vao pra um lugar onde o aviao nao cai e onde podem ficar com seus entes queridos) NAO tem consciencia do que realmente eh aquela "realidade paralela", "flash limbo", "sideways world", etc...
Tanto q a motivacao dele pra descer na caverna e entrar na piscina de luz era achar q seria transportado praquele "mundo", do qual ele teve apenas um "glimpse" durante a experiencia de Widmore, mas nunca a consciencia completa (a de que eles estavam mortos ali).

Adorei aquela resolucao pq ela deu ao Desmond um carater mais humano e passivel de falhas, o que foi bem-vindo, ja q eramos acostumados em ver o Desmond como algo quasi-divino.

Shade disse...

Nossa, como tem gente q não presta atenção mesmo na série, ou então assiste por assistir né? Edilaine, NÃO ESTAVAM TODOS MORTOS desde o ínicio, se prestasse atenção ao que o Christian diz pro Jack irira perceber! Ele diz que TUDO q aconteceu foi REAL! ou seja, toda a série foi verdade, mas aquela realidade pararela era só o lugar q todos criaram pra se encontrarem e seguirem juntos depois q morressem, uns antes outros depois, mas SÓ DEPOIS DE MORTOS por assim dizer já q a realidade paralela é atemporal. Qto aos últimos comentários sobre o FLocke, não vale nem a pena comentar né? Ju e Davi, ainda não ouvi o dudecast, mas com certeza ouvirei e deve estar bacanérrimo como sempre. abraços.

Andre disse...

Acho fantastico o trabalho de voces, mas também acredito que a gente acha o que a gente quer, quando enfiamos alguma logica na nossa cabeça.

Se no final o Christian falasse que eles estavam mortos desde o começo, todo mundo ia acreditar, se ele falasse que todo mundo tinha morrido no acidente, todo mundo ia acreditar.

O problema pra mim é que é muito facil agora todo mundo comprar a ideia de que a serie sempre foi sobre personagens e que eles sempre planejaram esse final, sendo que por 6 temporadas eles colocaram enigmas pra manter todos nós interessados. Pra mim realmente questões muito importantes foram deixadas pra tras.
Tambem acredito que por causa da saida de varios roteiristas a continuidade e a proria integridade da serie foi prejudicada, a solução então foi eles venderem essa ideia que muita gente comprou graças ao final Disney.

Todo mundo gosta de um final feliz.

Gabi Reis disse...

Muito bom o dudecast, Lost deixa saudades

Gabi Reis disse...

Não é só Campbell que tem na "fundação" da série, tem Euripedes (Deus ex Machinima), Livros de outras religiões, claro que Campbell é uma delas mas não é a única.

luciana disse...

Gente, desculpa aí a vergonha que eu tô passando, mas quem é Campbell e Eurípedes?

anunes disse...

Quando eu comecei a ouvir o podcast, faltavam 42 minutos para o término um download que eu estava fazendo.
E meu estava assistindo à TV. O número dele no decodificador da parabólica? 23.
Suspeito...

Marcello disse...

Pessoal

Estive, com muita satisfação, no evento do dia 29 (eu estava em pé atrás das últimas cadeiras do auditório, e fiz um dos primeiros comentários, falando que a realidade paralela foi um presente para os fãs). Estou aqui curtindo o podcast agora, e gostaria de dar mais alguns pitacos (além dos que já dei lá no evento, hehe, espero que não tenha enchido o saco de vocês) :

Em primeiro lugar, gostaria de falar uma coisa sobre o evento. Foi muito especial encontrar lá tanta gente na mesma sintonia, ligados com a mesma paixão nesta pequena revolução cultural que foi Lost. É possível sentir uma atmosfera diferente em eventos como este. Comparando com a atmosfera de um grande show musical, o público reage de forma semelhante : a magia da atração atinge as pessoas, circula entre elas. E quem está dentro disto sente esse clima bom. Quando conversava com algumas pessoas lá na Travessa, parecia que não estávamos conversando apenas sobre sobre Jack, Locke e cia; mas sim, que a conversa era sobre amigos que tínhamos em comum.

Sobre a série : ao contrário de vocês, eu não acho que a série foi essencialmente sobre pessoas. Para mim, ela foi sobre pessoas E mistérios. Uma mistura de ambos, 50% prá cada lado. E foi o equilíbrio impressionante entre ambos que ajudou a fazer de Lost o fenômeno que a série foi.

Sobre o final, vocês bateram num ponto chave. Foi uma ousadia a criação da realidade paralela; eles conseguiram falar de um assunto essencialmente religioso sem pender diretamente para uma religião apenas. Conseguiram passar por cima dos riscos e realizar um desfecho inesquecível.

Agora, queria levantar aqui algumas falhas e/ou pontos soltos para o próximo podcast, conforme você falaram neste :

1) O que aconteceu, enfim, com Sayid no templo ? Chegou já morto ? Foi morto pelo pessoal do templo ao ser afogado na fonte ? E como ressuscitou depois ? E ao ressuscitar depois, virou zumbi e depois "desvirou" ? Ou só ficou meio zonzo no começo ?

2) Ainda sobre o assunto anterior, um ponto que achei uma "viagem" completa na trama. A parafernália que Jacob armou para avisar ao pessoal do templo que Sayid não podia morrer. Ele foi prá fora da ilha, arrumou um estojo de violão, colocou um vaso lá dentro com uma cartinha dentro, para que o Hurley a levasse ao pessoal do templo. Não era mais fácil ele apenas passar esse recado ao Miles, que estava lá de bobeira na ilha o tempo todo ?

3) A afirmação do Richard de que todos morreram no incidente de 77 ficou sem sentido após o desfecho da trama.

4) Entendo que Jacob só conseguiu espancar seu irmão até a morte porque a falsa mãe de ambos havia morrido, quebrando assim o encanto que ela lançara sobre ambos, de que eles não poderiam se machucar. Mas como se explica então a outra surra que Jacob deu no irmão antes, quando ela ainda estava viva ?

5) Quem era Ilana, afinal de contas ? Não explicar isso foi um furo danado. E por que o homem de preto não podia mais mudar de corpo após ter assumido a forma de John Locke ?

6) O que Charles Widmore fez para ser banido da ilha ?

7) O que foi a contaminação que os franceses sofreram ? E por que Charles e Ben receberam a missão de matar a Rousseau ? Por que MIB (ou Jacob) precisavam que ela fosse morta ?

8) Por que Claire se mostrou tão tranquila, na cena da cabana da 4a temporada, em ter largado seu filho para trás, para depois aparecer na 6a em uma busca desesperada por ele ?

9) E por fim, o que curou a paralisia de Locke e o câncer da Rose ?

BostBlog disse...

Perfeito:

http://www.youtube.com/watch?v=QohcDQbxv10

Antônio disse...

Por que Widmore queria matar/sacrificar Alex quando Ben e Ethan capturaram ela ainda bebê?

HELIO disse...

Juliana é o locke, Davi o Jack.
Fé e razão, no entanto, Davi está no fim da temporada e misturou as duas!!

Emílio disse...

Eu gostaria de saber mais sobre a Dharma. Caberia até uma minisérie, por que não? Mostrando os primórdios da Dharma, o primeiro contato com os Hostis, a construção das estações... Até a chegada dos Losties. Mostrando as conseqüências (para eles) do Incidente, assim como mostrando mais da Purgação. E também gostaria de ver a chegada de Kelvin, e como Radzinski escapou da Purgação.

Bruno disse...

oláá, ótimo cast de vocês eim! amei :)

bom eu só queria deixar aqui oq eu penso sobre a ilha ter afundado lá..

quando lapidus estava voltando a ilha logo após o sawyer ter pulado do helicoptero e logo após o cargueiro ter explodido, ao mesmo tempo o ben acabava de girar a roda que ocasionaria essa grande liberação de eletromagnetismo (causando assim as viagens no tempo), nesse exato momento a ilha some, pq?
se quiserem mandar suas teorias ou discutir um pouco mais sobre lost fica aí meu email: bruno_tankian@hotmail.com
pq a juliet se sacrificou em 77' para detonar a bomba e IT WORKED (deu certo pq ela morreu, talvez, mas deu certo pq DEU CERTO). naquele momento a ilha afundou, ou seja, lapidus no presente ainda, viu a ilha sumir na frente dele, pq o passado foi alterado pela julie e cia.. é complexo mas faz muito sentido pra mim :)

valeu pessoal

Darlisson disse...

Afinal, éis que surge de volta... já tava começando uma crise de abstinência... LOST vicia e faz falta... esperando o Box Final!

samuel disse...

Alguém que me responda 2 coisas.
O jack não deveria ter virado fumaça?
A passagem de testemunho do jack para o hurley foi feito com a "rolha" fora do sitio.Não é de assumir que aquele ritual não foi valido ou o guardião é tipo Neo do Matrix.Tem poderes fora e dentro da matrix!brincadeira

Ronaldo Brito disse...

Gostei muito do Podcast!

Ainda não tenho as palavras certas para definir o que foi o fim dessa série pra mim...

Tô passando pelos estágios da Negação, raiva, barganha, depressão e aceitação... rsrsrs

Mas sério, foi um fim que exige de nós uma reflexão profunda sobre tudo que vimos, que mexe com nossas ideologias, nossas ansiedades, perspectivas...

Poderia ter sido apenas respostas... poderia...

Michel (Auror) disse...

Caraca a minha taxa de download do Dudecast ta travada em 108 Kbps O.o

Júnior Marques disse...

Bom, parabenizo a Juliana e Davi por esse trabalho q vcs fazem. Vcs são muito bons nisso, adoro muito os podcasts, Juliana me faz xorar de rir!!!Que risada gostosa a sua Ju, rsrs. O fim da série foi lindo, emocionante,épico. Numca vou me esquecer da briga Locke vs Jack e de Kate falando " Guardei a sua bala" a Mib. Tbm nos minutinhos finais quando Jack passa ao Lado daquele tênis bem velho no bambuzal, nossa aquilo,pode parecer bobagem, mais eu já xorando, passei a xorar mais ainda lembrando daquela cena no Pilot do Jack correndo no mesmo bambuzal e depois a camera apontando pra esse mesmo tênis. Nossa muito lindo. Acho bem legal todo o fim da temparada nos mostrar esse momentos tão especiais q vimos no começo da série, vide cenas do fim da 1 temporada, ultra-som da Sun, a mão do Charlie, etc !!! Bom, eu tenho uma dúvida, não muito importante, talves acho que nem foi respondida. é a seguinte: Na 5 temporada quem eram as pessoas q estavam atirando no Sawyer,Juliet e compahia? Eles estavam naqueles barcos a remo e atras estavam essa pessoas atirando neles e em seguida veio o clarão !!!

Quero ser mencionado no dudecast, hehe.Amo vcs

moliver disse...

só agora me pluguei... David, juliana; Parabéns pelo belo trabalho nestes anos de caminhada e conhecimento...
mas vou discordar de algumas coisas, entre elas uma em especial:
dizer que foi sensacional, muito bom ou que tudo foi feito com uma razão lógica é no mínimo conversa de quem ganhou algum dinheiro com esta série. Parece até que vcs ganharam pra fazer este blog como um anúncio explícito de marketing da Disney ou da ABC.
não concordo que foi bom este final, até por que Lost se baseou e vcs bem usaram isto durante as 5 temporadas anteriores, uma série de mistérios e novas formas de ater a atenção de um público ávido por coisas pra lá de esotéricas, científicas ou novelescas...
muitos queriam ver a Kate com o Sawyer, outras pessoas queriam ver a Kate com o Jack, outras queriam ver a Claire saindo da ilha num helicóptero, ou pelo menos entender a ilha no fundo mar... saber pra que serviam os hieroglífos na Swan, ou como o Ben sabia da roda atrás da parede da Orquídea, outros queriam ver como o Jacob saía da ilha, ou como o pai do Locke apareceu na ilha. Outros como eu, queriam que pelo menos se seguisse uma linha de raciocínio, uma lógica, uma coisa chamada coerência.
Dizer que foi ruim eu não vou falar, afinal me emocionei com o reencontro do Sawyer com a Julieth, com o locke (merece um monte de prêmios) e com mais nada... o mais chato não foi ficar sem respostas, até aí tudo bem... o pior foi ficar com aquela sensação de que fui enganado por seis anos... não por que não ví o que queria, mas por ler aquí um monte de teorias, ver um monte de spoilers, ver vcs teorizando um monte de coisas sobre cada cena nas outras temporadas e agora, depois deste péssimo final, dizer que foi tudo certo...
por favor, se acham realmente que acabou mesmo da melhor forma que poderia acabar, leiam de novo os posts das outras temporadas e vejam o que vcs escreveram e percebam como fomos enrolados e deixados nitidamente numa ilha perdida sem a menor consideração.
sabem, acho que no fundo, os Losties somos nós, perdidos e sem rumo, órfãos da melhor série (tirando o final) de todos os tempos!

Davi Garcia disse...

Cara, como você descobriu? Realmente ganhamos milhões da Disney para elogiar a série. Aliás, a Disney apoia tanto, mas tanto o blog, que mandar o youtube deletar nosso canal com todos os vídeos sobre Lost foi só um 'acidente'. ¬¬

Erik Fernandes disse...

Hahahah... Passei só pra responder a pergunta do Davi no podcast:

Não sou parente das meninas!

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK


Valeu galera! LOST sem vocês não teria a mesma graça!

Leonardo disse...

Dudes,

bom dia.

só peco paciencia para o meu desabafo.

Principal lembranca positiva: final de Lost. Para mim sintetiza muito bem tudo o que vimos nestes 6 anos.

A mensagem final foi: o que verdadeiramente tem importancia em nossas vidas são as relações para com o próximo. Expandindo o conceito: devemos amar, respeitar, estar bem, estar em paz, estar em comunhao para com o próximo, pois ao final é isso que importa.

Creio que quem tenha gostado do final é porque de uma forma ou outra tenha entendido e principalmente aceitado esta mensagem como verdadeira.

Principal lembranca negativa:as brigas constantes (e sem proposito algum, seguidas de várias ofensas de ambas as partes) envolvendo quem gostou e quem nao gostou da série.

Será que foi esta a mensagem que a série nos deixou? Foi isso que nós como fans de Lost aprendemos com Lost (digo isso principalmente para que aqueles como eu adoraram o final de Lost e supostamente entenderam seu final)? como disse acima: creio que a mensagem não foi essa.

Parece uma briga de criancas de 2 anos de idade discutindo quem tem a razao.

Será que é tão dificil aceitar que existem pessoas que simplesmente gostaram ou não de Lost. Será que é tão dificil aceitar que existam pessoas sejam tão ou mais inteligentes que nós, mais ou menos sensíveis que nós... e que tem opinião contrária a nossa.

Comentários do tipo: nao gostou porque não entendeu, não gostou porque não é sensivel, gostou porque não é crítico,gostou porque é manteiga derretida... são totalmente imbecis (desculpe-me o termo), desrespeitam totalmente pessoas que sequer conhecemos.

Particularmente,de modo bem simplista, creio que quem gostou do final da série é porque tinha o foco voltado aos personagens e quem não gostou é porque tinha o foco voltado aos mistérios.

Dizer: mas os produtores sempre disseram que Lost era uma série sobre pessoas,na minha opinião totalmente inválido uma vez o que todos nós sempre acompanhamos semanalmente foram os episodios de lost e não as entrevistas com seus produtores. Em nenhum lugar esta escrito que para se acompanhar Lost deveriamos acompanhar as entrevistas com seus produtores.

Se muitos entenderam que os mistérios eram importantes é porque Lost de alguma forma passou isso ao publico, mesmo que de forma não intencional.

A culpa pelo fato do final não ter sido satisfatorio para 100% do publico é de quem,então? Do publico? obvio que não. Dos produtores? Também não. Precisavam seguir um caminho, e o escolheram. Na realidade não existe culpado algum, é tudo uma questão de gosto. Enquanto uns preferem focar nas pessoas e nas grandes questoes da vida (esta frase roubei da Juliana ;-) ) outras preferem focar nos mistérios. Estas pessoas são mais ou menos inteligentes ou sensiveis que nós... não,elas são apenas diferentes.

Desculpe o desabafo... mas se alguem tem que levantar a bandeira branca,somos nós que adoramos a série, que aceitamos o final de Lost. Como fã de Lost fiz a minha parte.... e me sinto satisfeito por isso.

PS: adorei acompanhar Lost por 6 anos, 3 deles acompanhados de voces. Éuma lembranca maravilhosa e gostosa....só não quero sujar esta lembranca com discussoes e brigas que não nos levarão a lugar algum.

Leonardo disse...

Parabens pelo excelente trabalho. Foi um prazer imensuravel acompanhar Lost na companhia de ambos.

moliver disse...

continuação:
David, e a todos os outros amigos Lostimaníacos, eu acho que os caras perderam o rumo, perderam o foco, ficaram Lost's e não deram importância (ou não quiseram) seguir o rumo proposto..
é só olhar os bonus das primeiras temporadas... eles sabiam da escotilha, dos outros, do monstro e que a ilha era especial...
quem era o Ben? quem era o Jacob? por que matar a Libby, a Ana Lucia? por que sumir com o Walt?
mudança de planos, ou falta de condições de continuarem com a história original... não importa...
agora é esperar que saia um tipo de especial, de filme, ou livro, para dar continuidade a série... tipo fizeram com o exterminador do futuro, com 24 horas, com arquivo x, com star wars, entre outros, que viraram filmes ou sub-séries... seria legal termos uma série sobre os dharmas, ou sobre os losties, mesmo que em terceira pessoa...
só pra terminar:
Cara, vc superou obstáculos e fez deste blog o meu local de leitura mais visitado, e sei que milhares de outros, como eu, não querem que isso acabe, então, não deixe de postar coisas sobre o futuro sem lost. Poste sobre assuntos relacionados, sobre os atores, sobre teorias, sobre novas séries, sobre filmes ou sei lá o que; o que sei é que continuarei visitando este blog todos os dias!
abraços e tudo de bom!!!!!!

moliver disse...

kkkkkkk
huahua...
consegui tua atenção!
cara, durante anos postei e nunca me respondeu...
desculpe a brincadeira, afinal, se vcs ganhassem alguma coisa além da amizade e admiração de todos que aqui postam, acho que estariam na apresentação lá no hawaii ou na flórida...
desculpe a franqueza, mas só falei daquele jeito por que parece que todos esquecem das temporadas anteriores e aceitam como 100% certas as explicações dos produtores e dos diretores...
fico triste, não pela forma que terminou (teve seus momnetos expetaculares) isso digo, por causa do caminho escolhido nos ultimos episódios. pois como posso concordar que foi bombástico, excelente, maravilhoso, de mais opu qualquer outro adjetivo de elogio, se não ví uma conclusão lógica (não sou burro)entendi cada passo dado e só fico com a certeza de que ou criaram tanta coisa (vcs encontraram cada detalhe, e postaram, aqui cada teoria)pra nada? será que perdemos (não totalmente) nosso tempo, vendo, revendo e tentando entender cada mistério, cada detalhe colocado alí com um significado (nós achávamos que sim)futuro?
Durante cinco anos conjecturamos, criamos hipóteses, teorias, devaneios... cada dude cast, cada easter egs, cada post era esperado com imensa sede por novas informações... (vcs se lembram do fim da Terceira temporada? (we have go back! Kate!!!!)nem sabíamos do que se tratava...nem de quem era o corpo no caixão...nem como voltariam... não tinha viagem no tempo, nem flashs, nem nariz sangrando... nos empurraram a quarta temporada pela goela abaixo, criaram a fase sci-fi, teorias do Daniel, ajira 316, quem será e pra que veio o Brhan, a Illana, o Caesar...
todos morreram, mataram a Rousseau, mataram o Dogen, mataram até o Charles Wildmoore...(e tão sem graça que nem chocou...)o cara era um dos mais importantes na saga e foi-se embora tão sem graça... igual ao Dogen...samurai, tipo de sacerdote...e morreu sem graça...
se alguém acha isso tudo normal, não lembra de tudo isso...
sei que o que vale é o resultado, e muitos esquecem do caminho... e se o caminho era o despertar para uma vida mais elevada, um tipo de vida pós morte, tudo bem, eu sabia desde o início que ningéum poderia sobreviver a um acidentes daqueles... mas sobreviveram por um motivo (a ilha os escolheu) jacob, flocke, isso tudo veio depois...o monstro de fumaça era um tipo de equipamento de segurança, os outros eram habitantes anteriores, dharmas mortos, mikail tinha um centro de comando, a senha da estação submersa, os números malditos, as estações, as maquiagens encontradas pela kate, os sussurros, a francesa...
quantas suposições...
te pergunto então, depois desse testamento (rsrsrs) uma coisa:
vc não ficou frustrado, nem um pouco?
tudo bem entender que era o caminho mais lógico, mas aquela explicação do pai do Jack, aquele lugar atemporal... a claire ainda grávida? se seguirmos esta linha de raciocínio, era pro Sawyer ainda ser um vigarista, o Jack não ter filho, a Sun ser casada com o Jin, afinal o Hugo continuava rico, a Kate fugitiva, o Wildmoore rico, a Eloise sabendo de tudo...
continua...

moliver disse...

ao Leonardo:
cara, muito bom seu texto! realmente não víamos os produtores, e sim a série!
e ela nos passou durante cinco anos coisas que nos fizeram pensar, supor e criar teorias filosóficamente corretas; quem, o que, pra que, como, quando, onde...
e nesta sexta temporada nos empurraram um monte de novas suposições... a ilha submersa com aquele tubarão nadando... a estátua de quatro dedos no fundo do mar... o sangue no pescoço do Jack... os espelhos... até o penúltimo episódio parecia que iriam dar um baita soco (desculpa a expressão) na boca do estômago, digo isso pelo suspense e pela expectativa do fim chegando e de tantas coisas a entender...
sabe quando se promete a uma criança uma surpresa e quando chega a hora, ela ganha uma balinha de 0,05 centavos????
sei o que é isso... e lost, no meu ponto de vista fez o mesmo. podem me chamar de burro, que não entendí o real sentido do amor, da vida pós morte, da visão poética, do sentimento de alma ou de céu e inferno... tudo bem, mea culpa! eu falo, chorei quando o sawyer encontra-se com a julieth, tremi quando o charlie e a claire se encontram...(queria encontrar-me tambem com alguém e sentir esse tipo de amor, que rompe mundos, vidas, tempos ou qualquer barreira imaginável!
como não se emocionar com aquela música de fundo, com as caras emocionadas dos atores (menos a do sayd e da shanon... pareciam zumbis...)
mas daí, deixar de pensar: pow, cadê as respostas? cadê o walt? e o aaron, era o jacob? kkkk, desculpe-me mas não posso simplesmente dizer é isso e ponto final.
tá. respeito quem gostou, respeito quem odiou. e peço desculpas se no radicalismo gerei mais polêmica.
mas quem viu desde o início e chegou ao fim entendendo tudo, e achando maravilhoso, foi como vc disse, por que só via a linha do amor, das relações e esperava ver kate com jack, sawyer com julieth e a claire com o charlie, além de ver o desmond com a penny!
agora, quem viu com olhos aguçados e comprou a visão sci-fi, ou esotérica...
vou ficar por aqui e parar de escrever... afinal, pra que servirá estas discuções? já acabaram com a série mesmo... vou ver outra série e deixar pra trás estes anos de jornada com a certeza de que um dia, tambem eu, passarei pra outra vida, e quem sabe, todos nós nos encontremos. afinal, nós tambem criamos laços de amizade e compartilhamos experiências juntos...
namaste!

Darlisson disse...

"A série é sobre pessoas, não sobre mistérios..."; "A trama era sobre as personagens..."; "Era sobre a história de vida..."...

Tudo bem, mas foram seis anos de lembranças pessoais, de história de vida?

Não. A série era sobre um 'amarelo', mas tinha elementos 'azuis' e que juntos passaram a ser 'verde'. Não dá para enxergar só as personagens na trama, não dá pra dizer: "Ah bom, o final fechou tudo. Estou satisfeito." Eu, mesmo sem acreditar em planos espirituais, purgatórios e toda essas alegorias, gostei demais do final. Achei que foi bastante coerente, e teve um sentido e significado nobre. Porém, isso finda o 'amarelo' mas e o 'azul'? As personagens e suas histórias estavam entrelaçadas com os mistérios, e ocorreu que no final, tivemos um final (?) para a história das personagens, com a redenção, o reencontro e tal. Mas, como muitos, queria mais. Ficou muita coisa vaga, o qual pudemos perceber no podcast, o que comentavam sobre o monstro de fumaça era altamente arbitrário e sem embasamento firme (não desmerecendo o comentário de vocês, só tipificando meu questionamento). Era simplesmente "eu acho", "eu acredito", "minha teoria"; e muita gente, assim como eu, queríamos "saber o que era" e não "achar ou imaginar o que era".

Claro, que uma cartilha, um gabarito para tudo seria algo meio que sem lógica, mas, que certas coisas ficassem claras, ou pelo menos inclinadas. Por exemplo, a ilha. "A ilha é um lugar que precisa ser protegido; seu coração é a fonte da vida e da morte e tã nã nã...". A idéia, filosófica por sinal, é bastante aceitável, porém, mais uma vez digo, ficou vaga, dependente de interpretações pessoais. Outro exemplo, "What They Died For", pelo título do episódio eu fiquei (e acho que muitos também) ficaram esperando um episódio épico, no entanto, só vimos o que já sabíamos e o que tinhamos quase certeza, nada excepicional, fora de série. A sucessão do 'trono' de Jacob para Jack, nossa, sinceramente, alguém poderia imaginar que seria um simples tomar de água e uma bate papo frio? Eu esperava uma ópera de música de fundo, árvores dançando sob uma ventania, raios, relâmpagos e talz... mas tudo bem, "a série é sobre pessoas."

"Perdi 6 anos da minha vida por nada..." ?

Nem de longe essa frase faz o menor sentido. Na verdade, eu diria que, por seis anos, ganhei algo a mais em minha vida. LOST só veio a acrescentar e a agregar valores, como pessoa, principalmente. Apesar das minhas críticas, eu não achei o final desmerecedor, pelo contrário, volto a dizer, foi sensacional, diria até LOSTástico, confesso até que cairam ciscos em meu olho em determinados momentos. Cada um de seus fãs tem e terá influências fortes de seu legado, inegável. Pra mim, a lição que mais marcou na série foi o "confiar nas pessoas, e acreditar que sempre podemos fazer o melhor para alcançar o bem", pode parecer meio filosófico, mas eu sempre pensei dessa forma, e continuo a acreditar que, apesar dos porém's, a humanidade pode se redimir, talvez depois de um baque muito forte, mas penso que um dia o ser humano vai provar que veio ao mundo para fazer a diferença, e o bem prevalecerá sobre o mal.

A série é sobre pessoas, uma ilha e seus mistérios. E foi perfeita. XP.

Júnior Marques disse...

Bom, seria bom falar sobre a tragetória da Elloise Howking no dudecast, sabe, desde sua 1 aparição até o final!!! thanks

Blade disse...

Leonardo,

Gostei muito do seu texto, só não concordo muito com essa tese sua:

"Particularmente,de modo bem simplista, creio que quem gostou do final da série é porque tinha o foco voltado aos personagens e quem não gostou é porque tinha o foco voltado aos mistérios."

Aí vc me excluiu de tudo hehehe. Eu assisti a série sempre me importando com o destino dos personagens, mas não gostei muito da trajetória deles nessa reta final. Não gostei da forma como o Jacob os manipulou. E sim, eu criava teorias sobre os números, o homem da cabana dizendo "help me" e etc.

Na minha opinião, esse negócio de procurar o POR QUE fulano odiou ou adorou a série pouco importa.

Esqueçam o POR QUE. Isso só cria grupinhos e traz discórdias.

O que realmente importa é O QUE. "O que eu gostei foi do reencontro dos personagens, mostrando cenas do passado. O que eu gostei foi ver Jack no bambuzal com Vincent. O que eu gostei foi ver Ben vingando a Alex. O que eu não gostei foi ver o Jacob brigando com um irmão super gente boa. Eu não gostei de ver a Sun e o Jin não criarem a Ji Yeon e serem uma família. Eu não gostei de ver o Sayid com a Shannon (pra mim, a Shannon poderia ser um sussurro também). Eu não gostei de ver o que aconteceu com a realidade "dita" paralela. Eu não gostei da explicação dos números.

Sinceramente, galera: realmente importa o POR QUÊ?

Sinceramente, galera:

Blade disse...

Moliver,

Sobre as mortes que vc mencionou, e que vc achou sem graça, eu tenho uma opinião diferente.

Pra MIM, essas mortes serviram à um propósito:

Impacto.

Quando o Michael matou a Ana Lucia e acidentalmente matou a Libby para soltar o Ben, foi um impacto pra mim.

Ao fim do episódio eu disse: PQP!!!!!!!

Quando o Caesar começou a fazer várias perguntas para o "Locke", e depois queria prendê-lo, e o Ben meteu um balaço no peito do cara... foi um impacto pra mim.

Ao fim do episódio eu disse: PQP!!!!!!!

Quando Keamy e seu grupo de mercenários ameaçavam o Ben para que este se entregasse, eu imaginava que ficaria apenas na ameaça. Eu gostava da Alex, pois ela ajudava os losties de coração. Mas aí o Keamy matou ela e a Rousseau, e foi um impacto pra mim.

Ao fim do episódio eu disse: PQP!!!!!!!

Depois da morte da Alex, sempre imaginei como o complexo personagem Ben iria reagir quando reencontrasse com Widmore. No primeiro encontro, eles falaram sobre uma tal regra, que nunca foi explicada. Na casa dele na Vila Dharma, sob a ameaça do Mib que queria informações sobre o Desmond, Ben se vinga. Sim, Widmore era um cara poderoso e sua presença na ilha ficou estranha, mas enfim... ele estava lá, e morreu. Sim, ele morreu numa salinha, acuado como um rato. Não é irônico? O megaempresário que sempre acuou, morreu assim.

Enfim, essa é a minha opinião. E pra ficar bem claro que odeio esse negócio de "grupinhos que gostam dos mistérios e grupinhos que amam os personagens e blá blá blá":

Quando o Hurley viu os mesmos números, que usou na loteria, escritos na escotilha, eu gritei:

"PQP! Car&@$!!!! Os mesmos números!!!!!! Eitap@&&$!!!!!
São os mesmos véi!! Que isso? PQP!PQP! Isso foi f£&@!"

j.klas disse...

@Marcelo, seguem meus palpites:

1-Sayid fala para Desmond que foi o MIB que o fez voltar a vida. Sobre o estado mental do indivíduo, nada mais sabemos.

2-O tal ankh servia como senha para que Dogen soubesse que era de Jacob.

3-Jack etc "sumiram" durante décadas após o incidente, induzindo o Richard a pensar que morreram.

4-Essa questão sobre as diferentes regras talvez seja a mais nebulosa da série.

5-Ilana fazia parte da rede de Jacob, assim como Bram. O Ben também tinha suas conexões fora ilha que não foram mais abordadas. Sobre a forma do MIB, deve fazer parte das tais regras não explicadas.

6-Por quebrar as regras (ter uma família/filha com alguém de fora e sair muito da ilha). Explicado em Dead is Dead.

7-Algo relacionado ao MIB (é mais um poder do MIB que pode modificar como uma pessoa age). -- Acredito que Charles queria que Ben matasse Rousseau apenas para desafiá-lo. -- Não acho que MIB/Jacob nada tenham a ver com isso.

8-A questão da Claire está muito mal explicada. Por que ela abandonou Aaaron? Ela estava "dopada" na cabana? Estava realmente "morta" como Miles e Dogen dão a entender?

9-Os autores já disseram que a ilha curou Locke. Não está explicada se é a "ilha" de fato, Jacob ou MIB.

Por fim, pelo que tiro da série, a ilha não tem nenhuma importância para o mundo. Apenas manipula Jacob (ou seu atual protetor) para continuar "vivendo" (não afundar). O MIB estava certo.

moliver disse...

blade:
sinceramente,
4, 8, 15,16, 23, 42 @#@#$$@!!!!!!
sim, foi a melhor mais aguardada resposta... e aí? vc viu alguma????
kkkkkk , realmente o que importa não são os por ques, e sim os o ques !!!!!
resumiu tudo em simples linhas!!!!
agora, vamos ter algum dia uma resposta pra tudo aquilo que fez milhares de pessoas ficarem noites acordadas, semanas esperando , anos teorizando???
o que eu gostei, dos cinco temporadas e meia de mistérios
e não gostei da forma que terminou!
pelo menos, ao inves de uma igreja, poderiam ter pego um avião e voltado pra ilha... essa de jack pai, claire grávida e sawyer policial foi muito estranho...
mas, fazer o que? acabou, e não tem mais espera por outra temporada, novos spoilers ou cenas secretas sendo gravadas!
mas, valeu a pena ter assistido a melhor série já feita!
namaste!

Rafael disse...

Bah muito legal.. ficou muito bom o dudecast.. e que bom ouvir um sotaque do Rio Grande.. valeu Juliana.. ainda não apareceu meu nome nos e-mails mas tudo bem.. hehe.. abração pessoal..

Neysângela disse...

Os mistérios que eu sempre quis respostas foram em relação às crianças: por que Walt é especial ou o que ele tem de especial? Por que Aaron tinha que ser criado por Claire?
Agora, depois do fim da série, sei que esse mistérios não eram relevantes, mas foram os primeiros que me fizeram pensar, por isso são os que mais me marcaram.

Só um comentário: quando Guri "participou" desse podcast, meu cachorro (que se chama James Sawyer) ficou procurando por ele.

Herikinha disse...

Desculpe-me novamente se minha dúvida é besta, ou se já foi respondida, mas queria saber como Rousseau se salvou da Purgação??
Namastê!

Diogo Biriba disse...

@Herikinha,

A purgação foi causada pelos outros contra a DHARMA. A rousseau não era da DHARMA. O Ben, quando sequestrou a Alex dela, resolveu não matá-la.

Lembra?

Fábio Lins disse...

Gostaria de compartilhar algumas coisas com vocês.
* O Mostro de Fumaça tem a alma e consciência do Homem de Preto, irmão de Jacob. Ele não tinha corpo e por isso encarnava em alguns personagens para conseguir seus objetivos.
* A última temporada de Lost poderia ter sido nos contada apenas com a realidade da ilha. A realidade paralela foi introduzida pelos produtores para que Lost tivesse um final feliz.
* Em LAX a ilha aparece submersa. Aparentemente na realidade paralela. Sendo assim, naquele momento na realidade da ilha, o mundo teria acabado pois como disse a falsa mãe de Jacob. "Se a luz acabar aqui, acabará em todo lugar". Não li isso em lugar nenhum. A ilha submersa significou o fim do mundo.

E então? O que acham?

j.klas disse...

Herikinha:
Bem, se o objetivo da purgação era eliminar quem estava descobrindo coisas que não devia (como entendido em Across the Sea) tanto fazia acabar com a Rousseau ou não. :-)

Fábio Lins:
Concordo. Minha teoria é que antes do MIB entrar na caverna tb existia uma fumaça. Mas esta a "Mãe" podia invocar e controlar para, por exemplo, fazer a purgação do pessoal da ilha. Ao entrar na caverna a consciência do MIB passou a controlar a fumaça.

BLOG DO GUI disse...

Primeiro uma crítica....É muito comum simplificar um assunto assim: quem concorda, gosta e quem não concorda, não gosta. Ou o contrário....Não é bem assim! Os motivos para não ter gostado do episódio podem ser vários, mas, definitivamente, não ter fé (o último estágio) e nem curiosidade para tentar explicar o grande mistério da humanidade, (Quem somos?) não é fator dominante para ter gostado ou não de Lost e principalmente do seu final.

Eu, por exemplo, não vejo a menor importância em refletir sobre o grande mistério da vida. É um mistério sim, sempre será e essa ignorância me basta. Não ter essa curiosidade não é relevante para se moldar caráter. De verdade absoluta que carrego é o de não existir certezas absolutas. Então, minha “religião” (se é que posso descrever assim) é: Fazer o bem quando possível e nunca premeditá-lo, já que não fazê-lo é humanamente impossível.

Mas amei o final, mesmo pautando minha vida sem fé, porque foi um final com uma história muito bonita e amarrada. Uma história e não uma reflexão...A reflexão para mim foi a série toda, exatamente AGORA, depois desse final que foi o START para transformar toda a trajetória de Lost, numa reflexão.

Agora sobre as pontas soltas...

Não entendo porque Michael e Ben foram tratados de maneira diferente. Ben matou a FILHA pelo amor que tinha para com a ILHA e teve sua redenção pelo que fez depois. Justa pra mim. Mas porque Michael, que matou PELO filho e se redimiu ajudando parte dos amigos no cargueiro não teve? Foi uma escolha pessoal ficar vagando na ilha? Mas o Ben tinha uma relação com a ilha muito mais forte, né? Essa parte do desfecho não me agradou...e não foi pelo Ben, mas pelo Michael.

A história do Sayid também me incomodou embora não ache que os roteiristas pisaram na bola...É que o Saiyd era um personagem tão importante, tão rico, tão primordial na história que me sinto em falta com ele, já que não consegui chorar a sua morte! Sacanagem com o personagem...Morreu numa hora muito conturbada! Me lembrei da Farrah Fawcet que morreu junto com o Michael Jackson...Não dá pra competir,né? hahaha

E Parabéns pela dedicação. Um trabalho belíssimo!

Valéria

Daysio disse...

Se eu conhecesse essa risada incrível da Juliana antes,teria baixado todos os podcasts ! =D
Belissímo !
Vlw Davi e Ju !

Sarah Tarcisia disse...

Olá, visto a importância deste blog, gostaria de deixar algumas considerações que eu tive em relação à Lost.

Eu acho que realmente a ilha foi um local real para onde pessoas solitárias e infelizes eram levadas para serem candidatos a substituir Jacob. Para mim as regras de Jacob eram levar essas pessoas para a ilha, aonde aconteciam vários eventos (incluindo muitos que Jacob não tinha controle, como a exemplo do monstro de fumaça), que podem ser considerados como um teste ou uma oportunidade para se redimir de seus principais erros e se “desapegar” de algumas características/atitudes consideradas ruins. Com o intuito de que essas próprias pessoas que ele levou para a ilha pudessem ter consciência de que elas podiam ser boas, apesar de tudo que haviam feito e sofrido. Penso que quando essas pessoas se redimiam, elas eram cortadas da lista de candidatos.

Vimos que Jacob respeitou o livre arbítrio dos candidatos, pedindo para que eles escolhessem se queriam substituí-lo. Essa seria a prova final: alguém, por livre e espontânea vontade, abdicar de sua própria vida para fazer o bem à humanidade.

No fim das contas, quem aceitou substituí-lo foi o Jack, afirmando a minha teoria de que a ilha fosse um local de teste e desapego dos candidatos, já que, a meu ver, todos os outros candidatos que restavam já tinham se redimido, e Jack foi o último dos Losties a realmente conseguir esse feito. Segue minha opinião sobre esse personagem.

Jack: médico autoritário, com “complexo de Deus”, queria “consertar” tudo e todos. Tornou-se um líder, respeitando as opiniões das outras pessoas (como as do Locke nos últimos episódios), percebendo seus próprios erros e tentando corrigi-los.

Obs. Não sei se foi falha da legenda, mas percebi que no início de Lost, escutávamos muito Jack falar em “consertar” pessoas, como ele falou a sua esposa Sarah que podia consertá-la. E no último episódio, na “realidade paralela” (não concordo com este termo, mas só para saberem de que eu estou falando), quando ele falou com Locke sobre a cirurgia, ele não usou o termo consertar, mas sim, curar, que é muito mais adequado.

Continuando... Como cada guardião da ilha tinha sua própria regra, Jack usou outra para escolher Hurley a ser seu sucessor.

No entanto, não era só Jacob que levavam pessoas a ilha. A Juliet, como muitos outros, foram levados pela Dharma. Ela não se enquadrava no perfil dos candidatos de Jacob, já que não era solitária, tendo marido e irmã. Mas por ser importante para a Dharma, teve seu marido assassinado. E na ilha, passou a ter as características de um candidato, ser solitária e infeliz. E por isso, tornou-se uma candidata do Jacob (baseado na lostpedia que inclui seu nome à lista de candidatos).

Como muitos outros, agradeço a vocês pelo blog e os parabenizo.

Beijo,
Sarah

Rodrigo disse...

Cara, e aquele negócio de ter respostasno primeiro episódio? Vcs conseguiram ver?

Gih_Paulucci disse...

Gente, queria mto agradecer vcs, apesar de não comentar mto eu sempre veio aq ler, obrigado por me acompanhar nessa jornada.


Parabéns!! Gente ouvindo esse dudecast descobri outra fã de Lost com 14 anos. kkkk' pensei q era única!

Catapan disse...

Gostei muito desse dudecast, ainda mais por ter um email meu lido nele. Vou guardar em cd, pen drive, e-mail e o cacete pra não perder.
Gostei muito de tudo, mas principalmente do depoimento da Ju sobre o que Lost mudou na vida dela, achei muito bacana.
Adorei o final com aquela trilha sonora, deu até pra se emocionar ouvindo Dudecast.
Bom, queria saber se dá pra nós também mandarmos o que achamos que Lost mudou em nossas vidas, se tiver bastante gente contando daria até pra reservar um espaço num próximo dudecast. E ae, pode ser?
Valeu Davi e Juliana por esses maravilhosos anos aqui no Dude e já digo que virei um visitante assíduo do Dude News, tô entrando lá todo o dia!
Valeu por tudo mesmo, de coração!

Renato disse...

Minha contribuição para os mistérios:

1) O que era o pássaro que supostamente gritava "Hurley" no Season Finale da 1ª e 2ª temporada? Aquilo realmente me deixou curioso, porque apareceu 2 vezes na série, e não falaram mais nada...

2) E os suprimentos que caíram na ilha na 2ª temp (2x17)?

São os que eu me lembro da seção "vamos encher Lost de mistérios para conseguir bastante audiência"...

Daniel disse...

Blade
No primeiro encontro, eles falaram sobre uma tal regra, que nunca foi explicada.

foi explicada sim, na terceira temporada é dito que um Outro não pode matar outro Outro e se isso acontecer, esse Outro tambem será morto, e na 3ª temporada a Juliet mata um Outro e vai a julgamento, o Ben e o Widmore eram membros dos Outros, então eles repeitavam essa regra, e seguindo essa regra o Ben acusa o Widmore pela morte da Alex, com isso o Ben tambem teria o direito de matar a filha do Widmore.

Pedro Conte disse...

Acho acho acho acho, acho isso acho aquilo... Na boa eu não quero uma história contada pela metade, desde que começaram a falar que iam deixar perguntas no ar para serem discutidas, desanimei com LOST não quero ficar no acho acho acho, quero um começo, um meio e um fim. Se a história desde o começa era sobre aqueles personagens, então o final mesmo assim não funcionou, afinal ficou do mesmo jeito, eu acho isso eu acho aquilo, e nada é explicado diretamente.

Justin disse...

Acabei de ouvir que Lost eram as memórias de Jack, que todos os passageiros haviam morrido na queda do avião.... Sinceramente de onde vem essas bobagens?

luciana disse...

Daniel, super legal sua visão... acho que é por aí mesmo...

Gente: não consigo sarar o meu vício de entrar neste blog a cada meia hora... Socorroooo!!!!!!!!!!!

Blade disse...

Caramba Daniel, que bola fora que eu dei?

É verdade, o julgamento da Juliet exemplifica claramente a regra dos Outros!

Tinha me esquecido completamente daquele episódio, putz...

Shame on me... hehehe

Carol disse...

Olá, Ju e Davi! Adorei o último podcast! De verdade, vcs estão se superando... Como alguém por aí já deve ter dito e eu corroboro da idéia: gostaria que alguém fizesse por vcs o que vcs fizeram por mim".

Com relação ao solicitado no odcast, fiquei com uma dúvida, que não é lá muito crucial para nada, mas despertou minha curiosidade: no flash-limbo, a Kate falou várias vezes que era inocente. Vcs acreditam nisso? O que será que houve com ela?

Ah, um outro comentário: Eu gostava muito do personagem Mr Eko, enquanto ele estava na série. Mas, se o monstro o matou, claramente ele não era um candidato do Jacob. Portanto, por que tantas pessoas ainda querem saber dele e o queriam ter visto no final da série? Na minha opinião, sua participação acabou, ele não teria mais nada a acrescentar neste final. Vcs não acham?

Grandes beijos e à espera de mais podcasts daqui ou do Dude News (sempre!).

roberto disse...

Não li todos os posts, mas atentei, entre outros pontos, para as questões referentes à ilha aparecer submersa no inicio da temporada. O fato de mostrarem a ilha submersa, para mim, apenas indica que num futuro qq alguem afundou a ilha, o que nao significa o fim do mundo, pois o monstro de fumaça já havia sido morto pelo jack e a kate; tb nao é algo comtemporaneo da "realidade paralela", pois como foi expressamente dito, nao havia quando ou onde nessa "realidade".

Rodrigo disse...

Cadê o Walt? Duas temporadas explorando o garoto e...

Giuliana disse...

Dudes, parabéns pelo blog e pelo ultimo podcast, que foi tão emocionante qto The End.Sempre li o blog mas acho q nunca comentei, mas dessa vez não tinha como deixar passar.
Gostei muito do final de Lost, mas ainda gostaria que os produtores fizessem uma entrevista ou um extra no DVD que explicasse alguns pontos que ficaram meio nebulosos...

Minhas duvidas pro próximo podcast são as seguintes:
- Foi explicado pq o Jack acorda sozinho no bambuzal no piloto? Se não, o que vcs acham disso?

- Se o Ben foi o tempo todo manipulado pelo MIB, como é que o Richard nunca percebeu isso. Ele sabia que era o Ben que "convocava" o Monstro? Pq ele dava tanta importância para o Locke se este tbm sempre foi apenas um "peão" no jogo do Mib contra o Jacob?

-Vcs tbm acharam o fim da Eloise meio brochante? Sempre achei ela tão importante pra historia, pois parecia saber de td...

- Quem era aquele cara que ficava indo atras do Hurley no hospício, qdo ele se internou dps que saiu da ilha?

- E finalmente: Vcs tambem acharam incoerente a Kate se declarando para o Jack em "The End" sendo que nesta msm temporada ela tentou fugir com o Sawyer e largar o Dr no templo à propria sorte???

Bjos e aguardando o próximo dudecast,

Giu

PS: desculpa pela falta de acentos, meu teclado esta uma beleza ¬¬

luciana disse...

Acho que cada um fica encucado com uma coisa, a partir da própria vivência, acreditou eu...

Sei lá.

Convivo com um monte de coisas sem explicações em Lost numa boa, porque nem tudo tem explicação na vida.

No entanto, o fato de o Homem de Preto ser O Mal não se encaixa para mim.

Nem dá pique de ficar discutindo as teorias, né?

Vou aguardar o extra da sexta temporada...

E os outros dudecasts também.

Beijos a todos.

Leonardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leonardo disse...

Blade,

como disse: bem simplista ;-). E pelo que pude ver, falsa impressão.

Concordo em 100% qando voce diz:
"Esqueçam o POR QUE. Isso só cria grupinhos e traz discórdias."

Agora me pergunto: porque as pessoas que gostaram de Lost como eu participam e promovem esta briga inutil com quem não gostou de Lost... será que elas verdadeiramente entenderam a mensagem de Lost? Cade o amor, a comunhão e o respeito com quem não gostou de Lost?!?!?! Pelo visto foi pra debaixo do tapete 5 minutos após o final de Lost.

Adorei Lost, porém respeito e entendo quem não gostou de Lost... e não me julgo melhor ou pior que estas pessoas... apenas diferentes.

Blade disse...

Leonardo,

Vc não deixou falsa impressão. Concordei com quase tudo que vc tinha escrito. Só fiz uma ressalva em relação à simplificar as situações, pois muitos acabam sendo excluídos, como eu fui hehehe

Particularmente, eu sempre entrei nesse blog porque ele é ótimo. Esclareci várias dúvidas durante as temporadas. Tem alguma coisas na série que eu ainda não saquei, ou que não concordei, então o melhor meio que achei foi expressar minhas opiniões e ler as opiniões dos outros, sempre em relação ao contexto da série. Minha intenção não é saber quem gostou ou quem não gostou, mas sim saber porque a ilha aparece no fundo do mar, na realidade paralela (exemplo). Enfim, uma troca de informações.

A sua pergunta é pertinente, tanto que uma outra pessoa postou esse mesmo comentário, logo após "The End" , se não me engano. Talvez tenha sido vc mesmo hehehe

A minha resposta é a seguinte: entender é uma coisa, praticar... hummmmmm completamente diferente.

Abraço!

Trap disse...

Ow Alguem pode me dizer o nome da musica do final do epsódio especial?
Akele em ki diz o destino de cada um e acaba com o SnoopDog.???
Abraãpo aos lostmaníAcos

Leandro Campos disse...

no final... a Kate escolheu o Jack.

UHUUUUUUUUUUUUUUUU

como estou feliz de ter acompanhado essa jornada e ter torcido p/ q meus 2 personagens favoritos ficassem juntosss!!! hehe

os misterios q se explodam! rs

Eugenia disse...

Qual o sentido de, na Realidade Parelela/Purgatório, o Sawyer transar com a Charlotte? Será q eles precisavam disso para prosseguir espiritualmente? risos.
Mais um furo da sexta temporada...
p.s. amo a série, mas sou um dos críticos do final.

Maricy disse...

pq na ultima temp o jacob menino aparecia para o facke Locke como crianca? e todo ensanguentado? e desde qdo jacob e seu irmao trataram o acordo da tal regra q nao poderia matar os candidatos? como eloise descobriu o jeito d achar a ilha? pelo filho Faraday? Saudades de vc Davi, juliana, de LOST, dos PODS :( Vcs ja tem uma ideia de qdo vai rolar o prox pod sobre as duvidas?

Sarah Tarcisia disse...

Qt mais penso em lost mais dúvidas tenho. Segue uma delas, se alguém tiver resposta, por favor, me conte.
Na lostpedia indica que dentre os nomes dos candidatos escritos na Caverna/Farol, aparece o nome "BURKE", provavelmente referente a Juliet Burke. No entanto, a Juliet bate na bomba até ela explodir, ou seja, ela se mata, mas sabe-se que os candidatos não podem se matar.
-Isso afirma q Juliet não era uma candidata?
-Sabemos que a juliet foi "recrutada" pelo Richard, logo relacionamos ao Jacob. Mas para convencê-la a ir, foi necessário matar o ex-marido dela. Sabemos tb a importância da profissão dela para a ilha, mas por outro lado, se Jacob só tinha interesse em provar q os homens podem ser bons, apesar de tudo, e em consegui um substituto, pq ele levaria a Juliet sem q ela fosse uma candidata? Para mim, é estranho a idéia de Jacob está por tras da morte do ex-marido dela.

obrigada

rodolfo valentino disse...

Ofinal de Lost foi de pura preguiça, pois chuparam o final de caverna do dragão que rola a anos na net. Abraços.