07/05/2010

Os destaques do Podcast Oficial de 7 de maio

Por que Kate não é uma candidata? Quais são as regras entre Widmore e Ben? Tudo isso no penúltimo podcast oficial de Lost capitaneado pelos produtores Damon Lindelof e Carlton Cuse que foi disponibilizado nessa sexta-feira. Na sequência do post aponto os principais detaques do programa que traz algumas boas dicas, revelações e confirmações.

Leia mais...

    - O trabalho de edição de ‘The End’, o episódio final da série, foi encerrado na última segunda-feira, 3 de maio, depois de 6 dias de trabalho intenso. Agora só falta a inclusão da trilha e de alguns efeitos visuais para que o final esteja 100% pronto para ir ao ar.

    - A morte de Sun e Jin, veio não só para reforçar a ideia de que o fim está próximo, mas também para indicar que ninguém está a salvo. Fora isso, a execução daquele plano serviu para evidenciar de forma definitiva que (F)Locke é o vilão dessa trama.

    - A dupla preferiu não dar qualquer dica sobre o próximo episódio, ‘Across the Sea’, mas ressaltaram que ele é muito importante para o entendimento de várias coisas.

    - Por que Lapidus não foi mencionado pelos personagens na cena da praia que ocorre no final do ep. 6x14 ‘The Candidate’? “Queríamos que aquele momento reforçasse a tragédia de personagens que estavam na série desde o início”, disse Lindelof que reforçou ainda a ideia de que nenhum dos personagens que estavam no submarino viu o que aconteceu com Frank, portanto não poderiam lamentar algo que não sabiam.

    - Por que Kate não é uma candidata? “Isso é um assunto importante que será discutido pelos personagens, sendo portanto esclarecido na série”, afirmou Carlton Cuse.

    - Os sussurros funcionam como um recurso do homem de preto? Isto é, trabalhariam a seu favor? “Não, não há nenhuma ligação entre os sussurros e o homem de preto. Dito isso, se um personagem que não tem o dom de Hurley, viu algum personagem morto, provavelmente era sim uma manifestação do monstro/homem de preto, agora, se esse personagem apareceu para o Hurley, é mais seguro apostar que fosse de fato a pessoa morta em questão, vide a esposa de Richard, Isabella”, esclareceu Lindelof.

    - O que são as regras que Ben diz a Widmore no final do episódio 4x09 ‘The Shape of Things to Come’? Um código de honra dos Outros que proíbe que matem membros da família ou alguma outra coisa? “Não veremos nenhum momento que trate disso especificamente antes do fim”, disse Carlton Cuse. Contudo, Lindelof dá a dica para quem acha que saber isso é essencial e fala que a a conversa entre Neo e o arquiteto no filme Matrix Reloaded. E para complementar, Cuse diz que a regra que realmente importa na trama será esclarecida antes da série acabar, referindo-se claro à rixa entre Jacob e o homem de preto.

    - Fazendo piada sobre uma pergunta que questionava o fato de Sawyer não saber quem é Anakin Skywalker (conforme cena do ep. 6x13 ‘The Last Recruit’), os produtores falam como seria divertido ver a versão de Hurley para o ‘Império Contra Ataca’. No meio do papo, contudo, Carlton Cuse diz que se fossem refazer Lost um dia, não seria legal voltar à ilha para mostrar o que eles já sabem, e nesse instante ele fala que os egípcios foram os verdadeiros construtores da estátua de Tawaret. Fato ou brincadeira? Descobriremos em breve.

    - O último podcast será gravado após o próximo episódio e aí, That’s It para os produtores que participarão de um debate em Nova York no dia 20 e logo em seguida entrarão no que chamam de radio silence, ou seja, o período em que irão sumir do mapa por um tempo e não darão mais nenhuma entrevista por um bom tempo.

21 comentários:

alexandre disse...

Nicee

alexandre disse...

Tomara q no prox capitulo finalmente revele o nome do FLOCKE(Esaú rsrs),pq nao aguento mais: estamos nos 3 ultimos capitulos e nem sabemos o nome dele.

ggg disse...

"Um código de honra dos Outros que proíbe que matem membros da família ou alguma outra coisa? “Não veremos nenhum momento que trate disso especificamente antes do fim”"

isso já tinha sido mostrado na 3ª Temporada quando a Juliet matou uma Outra e foi julgamento, então não precisa voltar a esse assunto novamente nessa reta final de série.

Jonatas Corteze disse...

legal....1ª vez que vejo eles citarem Matrix *-*

Malucom disse...

A essa altura pra mim é completamente irrelevante saber da tal regra ente widmore e ben. Até porque já responderam no comentário acima.

A situação do lapidus ta bem aquela de morto que na verdade não morreu! Mas ele vivo só se fosse pra pilotar o avião. não teria outra função pra ele na história. E depois do último episódio to duvidando que alguém sobre vivo além do "novo jacob", que dirá sair da ilha!

Alexandre disse...

@ggg

Discordo de isso ser óbvio.
São por essas e outras coisas que as vezes as pessoas duvidam do "projeto" de Lost.
Um capítulo importante, que marca outra guinada em Lost foi esse da terceira temporada, em que descobrimos que Widmore não só sabia da Ilha, mas que também tinha tudo a ver com os outros, vemos citados as "regras" e uma "guerra" que estava por vir.

Depois, descobrimos que Widmore era dos outros e foi expulso por Ben. Ok.

Aí vemos o jovem jacob falando de "regras" com o Mib.

Aí nada disse tem a ver com nada ?
Tem coisas que relamente parecem jogadas pra criar associações pra depois serem aproveitadas ou não pelos roteiristas/produtores. E isso é frustante, um pouco.

Porque se a regra fosse simplesmente que um dos Outros não pode matar outro vejamos: Widmore tinha sido expulso, Ben estava fora da Ilha e era o líder (também afastado). O que o impediria de matar Widmore, fora da Ilha, num lugar que ninguém sabia em que estavam (já que ele viajou no espaço/tempo). Não cola.

Pra mim essas regras tinham a ver com as outras (ditas por Jacob), nem que isso fosse um engano do Ben e do Widmore.

Não ter nada a ver, simplesmente, é uma coisa que deixa a pensar: beleza, os caras jogas elementos, supões possíveis relações, descartam outras e boa, o resto não vale nada. Outros dizerem sobre regras, como jacob (seu mentos) diz, não tem nada a ver. Não, não dá.

Mas aidna confio no final.

Alexabdre C.

João Pedro disse...

"a conversa entre Neo e o arquiteto no filme Matrix Reloaded"???
BWAHAHAHAAHAHAHAHAAHA Lindelof obviamente tá de sacanagem, já que aquele diálogo foi uma das coisas mais difíceis de entender de todos os tempos.

andreznunes@hotmail.com disse...

essa idéia de o homem de preto se chamar Esaú pode ser uma possibilidade sim. Com base em duas coisas, uma leva a outra... na 2ª temp. foi evidenciado um manuscrito chamado "gemeo mau", que sugere a dica que se Jacob tem um irmão gêmeo e, Jacob sendo o bom, o outro é mau. e, referindo-se à bíblia, poderia se Esaú. é uma teoria fraca,mas [e uma teoria.

raaaaaaaaaaayyyyyyyyyy disse...

É que nem perguntam "Onde está o Lapidus?".

Enfim, só porque não está desde o inicio pode ser morto que ninguem se importa

hudsonjr disse...

Vem ca gente, então quer dizer que se o cara não tem utilidade na serie ele tem que morrer? Quer dizer q se não tiver avião o lapidus tem q morrer? Acho q não é assim, o cara merece viver so pelo fato de ser uma pessoa, entao No fim da serie tem que morrer todo mundo e so ficar vivo o Jack que provavelmente vai proteger a ilha. O resto já q não vão ter utilidade ora vcs te q morrer né?

JOHN disse...

Em Matrix Reloaded, o Arquiteto diz para Neo que aquela era a sexta versão da Matrix, e que Neo era o sexto escolhido.Tudo aquilo já tinha acontecido 5 vezes da mesma forma .

A criação de Zion foi deliberadamente permitida pelas máquinas, para lá viverem os que não aceitavam a Matrix, o que representaria 1% da raça humana.

Neo descobre então que Zion era na verdade um outro tipo de controle das máquinas sobre a humanidade, para fazê-la acreditar que era livre e tinha escolha,que poderia libertar a humanidade.

O ciclo era assim: Zion é construída por aqueles que se libertam da Matrix, então a guerra se intensificava, eles sempre encontravam o Escolhido, que era treinado e direcionado pela profecia á Fonte, então Zion era destruída, o Escolhido escolhia 23 pessoas para libertar da Matrix, essas pessoas reconstruiriam Zion( sem saber que Zion já existiu), e assim o ciclo se reiniciaria, por isso o título Matrix Reloaded( recarregada).

Seria um mal necessário para a Matrix, pois até que o Arquiteto consiga 100% de aceitação da Matrix e elimine a necessidade de criação do Escolhido, o ciclo teria que se repetir, ou a Matrix se tornaria instável e entraria em colapso.

Alguns dizem que até mesmo Zion não era o mundo real, mas sim uma Matrix dentro da Matrix, em razão de o Agente Smith ter aparecido lá.

Bruno Bazotti disse...

olha só, não acompanhei todos os posts e comentários até aqui, talvez minha dúvida já tenha sido levantada e respondida... mas não custa eu falar:
O Walt que aparece pro Locke na cova dos Dharma's. Ele não era o MIB, pois o MIB precisa que o corpo esteja morto na ilha (conforme ele falou recentemente pro Jack).

Então, quem era aquele Walt? E como ele foi parar na ilha?
Ah, e o Anthony Cooper? como ele foi parar na ilha tb?

abraço

Guilherme disse...

Não sou de reclamar de qualquer coisa mas concordo com o que o Alexandre diz que os produtores colocaram elementos que, à época, poderiam ser importantes mas que, agora, perto do final (que eu confio que seja sensacional), não fecham mais com nada e a ponta vai ficar solta.
Pena, já que era uma questão definitivamente relevante. Talvez não no atual contexto da série, mas, quando intruduzido, definitivamente era intencão de ser ou, ao mínimo, parecer relevante.

Her disse...

Eu acho que se uma serie precisa de que os produtores fazam aclarações de todos os capitulos, é uma serie que fracasou...
Amei sempre Lost, mas eles não teriam que ter feito a sexta desse jeito... uma pena pra nos..

Hernan.

Edinho disse...

Eu já não me incomodo tanto com essas questões não respondidas, simplesmente porque já tenho convicção de o que o significado de muitos dos "mistérios" da série __nunca__ existiu. Portanto, a minha expectativa é mais em ver como os roteiristas encontraram um forma de dar algum sentido àquilo que criaram, mesmo que irresponsavelmente, como de fato acredito. O que não deixa de ser interessante de ser observar, inclusive.

É claro que questões mais centrais haviam sido pensadas antes, mas pelo menos metade daqueles elementos que nos criaram grande indagação estavam ali, de fato, apenas para isso, e nada mais.

Se você pensa que a declaração do Ben para Widmore sobre regras ou a aparição de Walt para Locke tinham algum grande significado, vai ficar irritadíssimo com o fato de não "ouvir" da série com todas as letras qual era o significado disso. Agora, se você vê aquilo apenas como um recurso para chamar a atenção e manter nosso interesse, então não ter aquela resposta se torna aceitável.

É assim que eu vejo Lost hoje. Uma série cuja trama foi criada à medida em que foi executada. Não espero mais aquela grande trama absurdamente inteligente e criativa por detrás, porque está muito claro que isso nunca existiu.

O que fica é apenas o prazer de assistir à uma obra de muita qualidade artística e que dá muito prazer pela natureza da narrativa e formato.

Malucom disse...

A minha dúvida é: Se o monstro não pode virar fumaça e "voar" sobre a água, então como o pai do jack apareceu para o michael no cargueiro logo antes da explosão??

Candice Telli disse...

@Her
Os produtores na verdade NÃO PRECISAM fazer o podcast: apenas gostam de interagir com os fãs, assim como sempre aconteceu, com os jogos, os mobisódios e outras formas de interatividade q marcaram Lost.
Se quisessem, podiam ficar calados e deixar que nós, fãs hardcore, nos encarregássemos da discussão. Eles apenas são gentis conosco, nada mais.

Maurício disse...

Talvez a resposta que os produtores queiram dar - talvez a fonte dessas respostas - seja o documentário "Quem Somos Nós?" (What the Bleep Do We Know?, 2004).

Todos a essa altura do campeonato já perceberam que Lost é uma série que trata de destino, escolhas, livre-arbítrio, aquilo que fizemos, que fazemos e que ainda faremos, e como tudo isso repercute em nossa(s) vida(s). Flashbacks/fowards/sideways são nada mais que a multiplicidade de nossa existência, o aqui e agora mas também o ontem e o amanhã.

O peso de nossas decisões, do que queremos, é o grande enigma que pode nos deixar perdidos (lost) ou lançar luz (flash) sobre os caminhos que iremos seguir. Se matéria e pensamento são manifestação de uma mesma totalidade, será então que poderíamos estar vivenciado múltiplas realidades atemporais, existências simultâneas que de alguma força se influenciam e nos influenciam?

O documentário supracitado aborda como a mecânica quântica nos fornece mais perguntas do que respostas, exatamente o objetivo de Lost, para além de todo o verniz mitológico e sci-fi: o grande motivador de nossas jornadas, O MISTÉRIO.

É um documentário que, nessa reta final de Lost, vale a pena ser conferido.

Roberta Fávero Oliveira disse...

Davi,

No texto acima os produtores informam que "se um personagem que não tem o dom de Hurley, viu algum personagem morto, provavelmente era sim uma manifestação do monstro/homem de preto" e no episódio "The Last Recruit" o Homem de Preto confirma ao Jack que ele se fazia passar por Christian Shephard.

Mais pro começo da temporada, a Ilana informa que o Homem de Preto está preso na forma de John Locke e que não poderia mais se materializar como outras pessoas mortas.

Então, quem é a pessoa que se passa por Christian Shephard e conversa com a Sun quando ela vai até a Vila Dharma e vê a foto dos "Losties" na década de 70?? Pois, neste momento o Homem de Preto já está na forma de John Locke e "teoricamente" não poderia mais mudar sua forma.

Obrigada!
(Twitter: @betxinha)

Davi Garcia disse...

Roberta, ocorre que segundo a mesma Ilana, o monstro estaria preso à forma de Locke a partir do momento em que Jacob estivesse morto e na ocasião da aparição de Christian para Sun, isso ainda não havia acontecido ;)

Fagner disse...

Poxa, é verdade...

Tenho ainda o Dudecast que fala sobre o Shape of things to come... um dos melhores (15 - 20 melhores) epis de LOST... E lembro que, no Blog, por bastante tempo, debatemos sobre que regra seria essa.

Mais uma ponta solta...

Não me encomodo com mistérios irrelevantes não resolvidos (como "Quem era o verdadeiro Gale? ou coisas nesse sentido), agora ter um episódio sensacional como aquele, sem ter uma resposta sobre o final dele, mostra que Lost terá sim, vááááááááááááááááááááááááárias pontas soltas, e quem encomodam...

Enfim, tomara que não sejam muitas...