08/04/2010

Ep. 6x11 “Happily Ever After” – Easter eggs, curiosidades e repercussão

Há uma boa razão que explica porque esse décimo primeiro episódio da temporada foi majoritariamente tão bem recebido pelos fãs. “Happily Ever After” foi escrito por Damon Lindelof e Carlton Cuse e dirigido por Jack Bender, o trio que tem no currículo simplesmente os melhores e mais importantes da série. Sempre fascinantes por si só, os episódios de Desmond Hume funcionam como capítulos que mesmo isolados, são capazes de provocar em qualquer um que nunca viu Lost, o mesmo impacto emocional que oferece a quem acompanha a série mais de perto. Episódios centrados em Desmond são assim: ótimos para provocar interesse na série para quem nunca a viu, e ainda mais essenciais para nós, que em cada novo pedaço da história do carismático escocês, ganhamos um novo elemento para entender o grande significado de Lost.

Dedicando a maior parte do episódio à realidade paralela, o episódio apresenta argumentações sutis para que possamos interpretar o significado dos chamados flash sideways, o recurso narrativo introduzido nessa última temporada, e que até então parecia dividir opiniões. Sugerindo uma leitura do tipo ‘Matrix’, algo que muitos já haviam sugerido antes mesmo desse episódio, ‘Happily Ever After’ expõe através de Charlie e Daniel, o conceito de que esse sideway de fato parece real, mas que no fundo é apenas um mundo falso que mascara o verdadeiro iludindo os que lá vivem com a meia promessa de um felizes para sempre.



Na sequência de abertura que explorou o abrir de olhos, um recurso mais do que recorrente na série, Desmond acorda de volta à ilha, onde desorientado e com um medo que se transforma em raiva, confronta o sogro Charles Widmore, que repetindo a mesma frase dita ao escocês dentro da estação Lamp Post por Eloise Hawking no “316” (5x06), afirma, “a ilha ainda não acabou com você!”

Leia mais...

    Ok, já sabemos que Jin de alguma forma colaborou no mapeamento dos bolsões de eletromagnetismo da ilha no período em que trabalhou na Dharma, mas qual será a grande importância do personagem dentro do plano de Widmore? Ideias?

    Da sequência que nos revelou o ambiente de testes improvisado no exterior da estação Hidra com duas grandes bobinas toroidais (usadas para criar campos eletromagnéticos de alta intensidade) e mostrou Widmore dizendo a Desmond que se ele não o ajudasse tudo o que eles conheciam estaria perdido para sempre (algo que ele já dissera a Jin em “The Package” também), o momento mais impactante veio mesmo da cena em que o escocês ficou totalmente exposto à radiação gerada ali.

    Ainda daquelas cenas uma pequena curiosidade relativa ao coelho, mais um elemento recorrente na série: Angstrom, nome dado pelo auxiliar de Zoe ao coelho que também serviria como cobaia, é uma unidade que mede a escala do comprimento de onda da radiação eletromagnética. Tal medida foi assim batizada em homenagem aos estudos do físico sueco Anders Jonas Ångström.

    Na cena que marcou o início do mais longo e mais interessante dos flash sideways, Desmond (a exemplo do que já ocorrera com outros personagens em episódios anteriores) aparece se encarando num reflexo, aqui de um painel de desembarque da Oceanic que mostrava até um voo vindo do Rio de Janeiro! Daquelas cenas, destaques para a rápida conversa de Desmond com Hurley, do papo com Claire a quem ele diz apostar que ela esperava um menino e, claro, para a reaparição de George Minkowski (Fisher Stevens), o outrora oficial de comunicações do cargueiro enviado por Widmore à ilha, e que morreu sem encontrar sua constante.

    Das cenas que mostraram Desmond no escritório de Charles Widmore (com quem ali tem uma relação surpreendentemente amistosa), três easter eggs bem óbvios: o quadro com a balança contendo uma pedra branca e outra preta (referência àquela da caverna mostrada no 6x04 “The Substitute); o barco veleiro que na outra realidade levou Desmond à ilha e o whiskey MacCutcheon, aquela mesma bebida caríssima, e que agora Widmore diz não ser suficientemente boa o bastante para Desmond, uma afirmação diametralmente oposta àquela dita por ele no ep. 3x08 “Flashes Before Your Eyes”.

    Agora, será que as palavras de Widmore ali eram realmente de um reconhecimento autêntico a Desmond ou alguma manipulação para mantê-lo fazendo exatamente o que ele precisava que ele fizesse, ou não fizesse conforme vimos mais tarde nas cenas do escocês com Eloise?

    As primeiras cenas do ‘reencontro’ entre Desmond e Charlie nos deram pistas contundentes sobre a natureza da realidade paralela ao mostrarem o roqueiro indagando o escocês se ele era realmente feliz e contando sobre sua experiência de quase morte dentro do Oceanic 815, quando teve a chance de sentir uma emoção genuína e arrebatadora: a conexão íntima e profunda com aquela que sabemos ser a jovem mãe loira de olhos azuis a quem em outra realidade ele um dia prometera um pote de pasta de amendoim. “Eu vi algo real. Eu vi a verdade”, disse o roqueiro de forma marcante.

    Ao som de ‘You All Everybody’, único sucesso da Drive Shaft, Charlie toma uma ação radical depois de ouvir, o que para ele era só bláblá de Desmond sobre escolhas, e provoca um acidente lançado o carro em que eles estavam na marina onde o escocês foi baleado por Ben na outra realidade. Primeiro lutando por sua própria sobrevivência (o que seria óbvio naquela situação), Desmond mergulha de volta e consegue salvar Charlie, mas não sem antes ter o flash da lembrança da cena que marcou a morte do roqueiro no fim da 3ª temporada, quando ele avisou que o barco que chegava à ilha não era de Penny.

    Na sequência que colocaria a pulga definitiva atrás da orelha de Desmond, a excepcional trilha de Michael Giacchinno pontuou os emocionantes flashes que o escocês teve da relação com Penny e de seu filho Charlie Hume quando ficou exposto à radiação dentro da máquina de ressonância. Dali para frente, tomado pela curiosidade, Desmond cruza mais uma vez com Jack e questiona as motivações de Charlie, que se defende dizendo que sua intenção ao provocar o acidente não era matá-lo, mas sim lhe mostrar a possibilidade de poder sentir algo genuíno. “Nada disso aqui importa. Só o que sentimos é o que importa, procure por Penny”, disse o roqueiro antes de se despedir.

    Pequena observação sobre o efeito sonoro que tem marcado a transição de uma realidade para outra nessa temporada: seria viagem demais, como sugeriu o crítico de tv, Allan Sepinwall, especular que o som fizesse referência ao barulho de uma máquina de ressonância magnética?

    Das cenas que marcaram a conversa de Desmond com Eloise, logo de cara deu para sacar pela reação da ali esposa de Widmore, que ela sabia muito mais do que sua calma deixava transparecer à medida em que o escocês pedia desculpas sobre não ter conseguido levar o roqueiro Charlie para se apresentar com o filho dela. E se alguém ainda tinha dúvidas sobre quem era essa Eloise àquela altura, o seu ‘O que aconteceu, aconteceu’, abriu de vez a porta que revelaria seu pleno conhecimento de tudo o que acontece ali. Afinal, ao perceber a curiosidade de Desmond no nome de Penny Milton*, Eloise abandona a cordialidade e interpelando o escocês, o manda parar de procurar o que quer que estivesse procurando, pois alguém claramente havia cometido uma violação (das regras?) afetando o modo como ele via as coisas. Agora, por que Eloise se mostrou tão preocupada com a procura de Desmond? Uma breve teoria sobre o assunto logo abaixo.

    *Vi algumas pessoas tentando levantar um novo e ‘importantíssimo’ mistério em torno do sobrenome de Penny nessa realidade, mas a questão é bem simples. Se a paralela explora pequenas diferenças nas vidas daquelas pessoas, é natural pensar que Charles (ali marido de Eloise) nunca tenha se casado com a mãe de Penny, que assim teria adotado seu sobrenome. Mais mastigado impossível, não? Pois é, mas como trouxe o tema para a roda, vale destacar que Milton, pode ser uma referência explícita a John Milton, autor de Paradise Lost (A Perda do Paraíso), obra que fala essencialmente sobre a queda do homem e sobre a importância do livre arbítrio nas escolhas que se faz.

    Ao mencionar seu ‘amor à primeira vista’ por Charlotte (ou alguém questiona que a tal ruiva em questão seja outra mulher?), o agora músico Daniel Widmore (e não mais Faraday) parece fazer, na conversa que tem com Desmond, uma das grandes revelações da temporada: o que provocou a existência da realidade paralela. Assim explica ele:

    “Imagine que algo catastrófico estivesse para acontecer e que a única forma de impedí-lo seria liberando uma grande quantidade de energia. Algo como detonar uma bomba nuclear. E se tudo isso que temos aqui não fosse nossa vida de verdade? E se tivessemos uma outra vida onde por algum motivo nós mudamos as coiasas? Eu não quero detonar uma bomba nuclear. Acho que já fiz isso, Sr. Hume.”

    Uma discussão que as palavras de Daniel nos permitem fazer: por que que Eloise não queria que Desmond continuasse sua procura?

    Considerando que essa realidade paralela hipoteticamente seja um erro no espaço/tempo, daria para imaginar ela foi criada justamente através de uma brecha que Eloise encontrou na realidade dita original para voltar a ter seu filho Daniel vivo e fazendo o que sempre quis de sua vida (se tornar músico). Se Desmond ficasse motivado a fazer o wake up call naquelas outras pessoas que estavam no Oceanic, poderia de alguma forma provocar talvez um evento que pudesse desfazer essa realidade num efeito a la Matrix. Se isso acontecesse, Daniel poderia não existir mais para ela. Será que é simples assim? Provavelmente não, mas creio que a reflexão seja válida, não?

    E como se o papo de Daniel sobre eles estarem vivendo uma vida irreal (o que casa com o argumento de Charlie no hospital) e seu incentivo definitivo para que Desmond procurasse pela ideia representada por Penny já não bastasse, o cara ainda mostrou uma equação que escreveu (sem saber explicar como) logo após o dia em que viu Charlotte. Segundo ele, trata-se de algo relacionado à mecânica quântica, mas nem precisa ser expert no assunto (o que obviamente passo longe de ser) para perceber que se aquilo envolve conceito como, invariabilidade, tempo imaginário e etc, é da ilha que ele deve estar falando, certo?

    Sobre o curioso e não menos emocionante encontro entre Desmond e Penny no estádio (sim, o mesmo que já marcara uma despedida entre os dois na outra realidade), reproduzo a opinião do colunista do Zap2It, Ryan McGee que disse tudo sobre o casal. Confiram:

    “Para mim, a 5ª temporada acabou diminuindo Desmond e Penny como casal. E sim, a adição de um filho, o pequeno Charlie, à mistura foi boa, mas como casal, os personagens pareciam funcionar melhor separados do que juntos. Contudo, esse episódio os reafirmou como um dos casais mais convicentes da série ao evidenciar o laço que os une entre duas realidades. Tudo ali naquela sequência foi bonito e Sonya Walger mostrou muito mais força em 30 segundos de Lost do que ao longo de toda sua participação em FlashForward, o que fala muito menos sobre Sonya Walger e muito mais sobre FlashForward.”

    É bem por aí mesmo, não? Só acrescentaria nessa leitura o belo trabalho de Henry Ian Cusick, que transmitiu nas reações e nos sorrisos e olhares contidos, mas impactantes de Desmond, toda a devoção que víamos no personagem já na outra realidade.

    Acordado na ilha, eis a pergunta: qual foi o fenômeno que se abateu sobre Desmond dessa vez? Dizer que sua consciência viajou para a realidade paralela não me parece correto (pelo menos não até aquele aperto de mão com Penny). Assim, penso que seja mais razoável dizer que a exposição às ondas eletromagnéticas o tenham permitido ver, como se fosse um sonho, que uma outra realidade também existia. Dito isso, onde é que o dom do ‘brodáaa’ vai se encaixar nessa reta final da série eu não sei, mas achei interessante vê-lo despertando na ilha com aquela postura de alguém que sabe exatamente o que tem que fazer e como fazer para surpresa de Charles Widmore. Confrontar o monstro de fumaça (ele próprio uma manifestação do eletromagnetismo da ilha) impedindo-o de sair da ilha e fazendo o sacrifício mencionado por Charles Widmore, talvez? A conferir.

    Duvido que alguém não tenha sorrido com Desmond e Penny ao vê-los de novo ligados nessa realidade. Afinal, se o romance geralmente é um dos aspectos menos interessantes na série, tudo muda de figura quando esses dois estão na jogada, não?

    “Só preciso mostrar algo a eles.” O que seria esse algo mencionado por Desmond a Minkowski? Um forte argumento que possa provar a Jack, Sawyer, Hurley e etc que existe uma outra realidade ou alguém sugere outras ideias?

    E para encerrar, uma pequena dúvida que surgiu depois desse episódio. Se Desmond é o cara solteiro e sem nenhum laço familiar conforme Widmore menciona durante o encontro dos dois no escritório, por que o escocês parecia usar um anel em rápida cena de “LA X”? Erro de continuidade? Aquele não era um anel de casamento? Detalhe que não fará a menor diferença no fim das contas? Provável, não?

    Repercutindo o episódio

    “Ainda não temos uma resposta definitiva para o polêmico recurso narrativo, mas as respostas e cenários armados nesse episódio me deixaram tão satisfeito que agora prefiro que eles guardem um pouco dos segredos para o tão esperando The End, que dará fim a maravilhosa saga de todos esses personagens que – como provado pelo Des nesse episódio – ainda estão em busca do tão esperado “…e viveram felizes para sempre”.

    Mateus Borges – Série Maníacos

    ***

    “... embora eu tenha manifestado dúvidas sobre como Desmond poderia se encaixar na série depois da resolução de seus dilemas anteriores, o fato é que, voltando a ganhar destaque após praticamente não ter dado as caras em toda a temporada, o personagem imediatamente se estabeleceu como uma das figuras que certamente se revelarão fundamentais no clímax de toda a série, o que, por si só, já valeu o episódio.”

    Pablo Villaça – Cinema em Cena

    ***

    “Algumas semanas atrás, depois de ter sido informada de algumas coisas desse episódio, mandei a seguinte pergunta para o produtor Damon Lindelof: “É seguro dizer que na essência, Lost é uma história de amor?” A resposta de Damon foi a seguinte: “Você é a primeira pessoas a entender o significado da série. Sim, Lost é uma história de/sobre amor. Sempre foi e sempre será.”

    Kristin dos Santos – E! Online

    ***

    “Pegue Desmond Hume, misture com Eloise "Widmore" Hawking e Daniel "Widmore" Faraday e teremos um grande episódio. "Happily Ever After" é o episódio que faz a ligação de todos os eventos que aconteceram nos flash-sideways até agora e os une aos evento da Ilha. É o episódio que dá sentido as coisas, mesmo sendo sutil a medida em que apresenta suas possibilidades.”

    Leco Leite – Teorias Lost

    ***

    “ Agora sim dá para dizer que o mundo da realidade paralela está amarrado àquele que conhecemos, e que ele precisa acabar. Assim como os Oceanic Six tiveram que voltar para ilha, todos os passageiros do Oceanic 815 precisam aceitar que aquela perfeição toda não lhes pertence. Esse conhecimento não melhora automaticamente histórias ruins como a “What Kate Does” ou “The Package”, mas certamente faz a realidade paralela ser importante para o restante da história.”

    Allan Sepinwall – What’s Allan Watching

    ***

    “No universo de Lost, o amor une pessoas através do tempo e do espaço... Na série, nada está de fato perdido. Nem o amor, se é que você acredita nele. Alguém deveria escrever uma música sobre isso. Ah, espere! A maioria das músicas já escritas falam exatamente sobre isso! E o fazem por uma boa razão. Você viu o rosto de Desmond quando encontra Penny na realidade paralela?”

    Maureen Ryan - Chicago Tribune

    ***

    “O ponto chave do episódio: amor... Se isso é piegas demais para você, lamento. Eu gosto da ideia na série. ‘Amor à primeira vista’ não é só destino, mas um flash de conhecimento de uma vida que você tem que ter. É literalmente um momento de clareza no qual você consegue ver além do tempo e do espaço. Piegas ou não, funciona para mim, não só emocionalmente, mas em termos da história que envolve esse universo paralelo de Lost.”

    James Poniewozik – Tuned In (Revista Time)

    ***

    “Para aqueles que não acreditavam na função da realidade paralela, imagino que esse episódio ou os tenha ganhado ou os afastado de vez. Deixe-me ser mais provocativo: se você fazia parte do time dos que odeiam a realidade paralela e continua sendo depois desse episódio, pode juntar seus trapos e encerrar seu interesse na série e seguir com sua vida sem Lost. Para o restante, imagino que “Happily Ever After” figure no campo onde os melhores episódios da série devem ser debatidos.”

    Jeff Jensen – EW

    ***

    "É bom demais ver o Desmond (i love you, broda) tomar uma atitude, pedir a lista de passageiros (para que, exatamente eu não sei…), ir conhecer Penny com aquele sorrisinho, aquele climinha ao estender a mão, desmaiar, ver o Charlie no fundo do mar com “not Penny’s boat” na mão, voltar a si na ilha entre os donuts magnéticos e dizer “ok, sogro, i understand”. Quando os caras querem, eles sabem fazer.”

    Claudia Croitor – Legendado

    ***

    “Eu acredito que o amor será a força reinante na trama: é o que fará todos os personagens fazerem o que tiverem que fazer, seja salvar o mundo ou acabar com ele... É o que faz todos nós nos movermos. E com todas as ligações a The Constante e Flashes Before Your Eyes, esse episódio foi a prova de que os roteiristas realmente SABIAM para onde iriam desde o início.”

    Nikki Staford – Nik at Nite

    ***

    “Desmond, então, guiado pela ideia de seu amor por Penny e ciente desta peculiar situação, acabou se tornando o maior instrumento conector entre estes mundos – o que o fortalece ainda mais como uma das personagens mais intrigantes da série – capaz de iluminar o caminho dos que estão perdidos no meio da briga entre Jacob e o Homem de Preto na ilha. E digo mais: Happily Ever After é mais uma prova incontestável de que tudo em LOST é necessariamente interligado e que a história foi bem pensada, seja em seus aspectos científicos (o magnetismo, a mecânica quântica etc.) e etéreos (vis-à-vis o amor que rompe fronteiras inimagináveis e a fé).”

    Bruno Carvalho – Ligado em Série


Acha que acabou? Dudecast #48 vem aí...

179 comentários:

G.S.D.J. disse...

Realmente, este é o terceiro episódio escrito por eles na temporada.

será que eles supervisionam os outros escritores?

senão vira bagunça!!!

Blondie disse...

Uhuuu! Post fresquinho! Tava louca para ler e entender um pouco mais sobre o MELHOR episódio da temporada!

Gabriel disse...

O melhor desse episódio, além de ter sido um grande episódio de LOST, foi algo bem pessoal. Nunca tive religião, mas sempre tive na minha cabeça que se fosse realmente pra existirem "vidas passadas" essas vidas passadas seriam realidades alternativas, coisas que poderiamos nos tornas de acordo com nossas próprias escolhas.E então eu assisto um episódio de LOST e vejo que não sou o único a pensar dessa forma.

G.S.D.J. disse...

Davi, me permita, fazer um convite a todos que gostam de Fringe, para a partir da semana que vem, participarem do meu blog, comentando ou sendo colaboradores para explorarmos esta série, que na minha opinião, nos trará e nos dá tantas alegrias e queima de neurônios quanto lost nos trouxe e deu até aqui!

Abraço!!!

Blondie disse...

Tava só esperando para ver o que essa Cláudia Croitor ia dizer sobre o episódio! É incrível como ela, mesmo quando elogia um episódio, não sabe fazer um comentário inteligente, mas apenas fundamentado em argumentações infantis. Me poupe!

Ótimo post, Davi! Acredito que a aliança tenha sido erro de continuidade ou pode mesmo nem ser uma aliança... De qualquer forma, isso pouco me importa depois de um episódio tão magnífico! (Só não foi melhor por que não apareceu Smoke! :P)

Aguardando o Dudecast!

Candice Telli disse...

Dudecast! Dudecast!
Duas horas, no mínimo!
Ótimo post de Eater Eggs, como sempre... Fez justiça ao excelente episódio!

Guthemberg disse...

Seguinte... acho que a primeira idéia que os caras tiveram quando foram fazer uma série era essa realidade paralela onde déjavus acontecem e etc... e depois explicariam de onde vieram... mas acharam muito mais interessante, e eu também, contar primeiro a outra história o que deu super certo... eh soph minha opinião abraços...
Dude cast 2 horas(2)

phelps disse...

Davi, sobre o diário do Daniel, aquilo que parece um triângulo na verdade é um gráfico(diagrama) espaço - tempo . As equações abaixo do diagrama são equações simples de relatividade e não de mecânica quântica, são coisas atreladas, mas um pouco diferentes, no capítulo 1 do livro: Física Moderna do Tipler, vemos essas equações e diagramas aos montes, as equações se referem ao cálculo do tempo e espaço próprios, ou seja, o tempo e espaço medidos em um referencial viajando a velocidades próximas as da luz(300000000m/s), quando usamos essas equaçoes para velocidades baixas (1000 Km/h por exemplo)o tempo e espaço contuam o mesmo, e no caso anterior o tempo se dilata e o espaço se contrai (lembra da diferença do relógio do Daniel em um dos episódios que ele recebe um míssel com outro relógio??)
Sobre, o episódio, lembra muito The Constant, afinal Desmond estava confuso e louco no começo dos dois episódios, e acaba os dois sorridente e confiante, além de no término de suas loucuras sempre Sayid está ao seu lado. Mincowski qdo chama Desmond pra ver ''mulheres'' mostra que como na outra realidade continua sem uma constante, o que acontece com Desmond neste episódio é o mesmo, tanto que Widmore diz que é ótimo ele não ter nenhum laço, nenhuma ligação com ninguém (será que é por isso que Eloise quer deixar Des bem longe de sua constante ??) , muitas respostas, mtas dúvidas, 5 episódios, estou enlouquecendo brotá

Guilherme disse...

David, sobre a sua teoria em relação à Eloise não querer perder a nova vida "paralela" em que tem uma segunda chance com seu filho Daniel: ela diz a Desmond que ele não está pronto... AINDA!
Acho que essa bruxa é quem vai explicar junto com Jacob e o MiB os maiores mistérios de Lost e da ilha.
Acho que vale uns minutinhos a mais no podcast pra falar sobre a véia, todas suas aparições com diálogos misteriosos na série até o momento e as possibilidades do porquê ela sabe tanto sobre tudo.

O que acha?

Mardela* disse...

Neste episódio fiquei com a ideia de que Jacob é filho de Charles widmore, quando ele disse que o filho dele morreu para fazer um sacrificio mais ninguem ficou com essa impressão!? (penny é loira, jacob também) :)o que acham?

Hard disse...

Mardela

O filho que ele perdeu foi o Faraday.

Quando eles estavam nos anos 70 trabalhando pra Dharma o Farday foi morto pela própria mãe (Eloise), que na época estava grávida dele, quando ele foi lá no acampamento dos Outros atrás da bomba pra detonar.

Não se lembra disso?

alanselmo disse...

Sinceramente dizendo, fiquei mais de 50 segundos de boca aberta no momento que Desmond tem os flashes na máquina de ressonância.
Acabou o episódio e quase chorei.

D disse...

Uma correção no post:

"O whiskey MacCutcheon, aquela mesma bebida caríssima, e que agora Widmore diz não ser suficientemente boa o bastante para Desmond, uma afirmação diametralmente oposta àquela dita por ele no ep. 3x08"

Não é o contrário? Widmore fala que é boa para Desmond nesse episódio e não no outro!

Jô Domingos disse...

Mais uma vez, a volta do espelho. Neste episódio, pelo menos 3 vezes: duas com Desmond (no painel do aeroporto e no vidro da porta da Corte Superior de Los Angeles). Daniel, no vidro do carro que tansporta Desmond.
Depois de mim, já comentaram muito sobre os espelhos aqui.
Abaixo está tudo que postei anteriormente:
Pessoal, dá uma lida nesse meu post de 15 dias atrás, veja como continua fazendo sentido:

“Tenho observado uma cena que tem sido uma constante pelos 8 episódios desta temporada. Acompanhem comigo:
“LAX parte 1” – Jack reflete diante do espelho no banheiro do avião;
“LAX parte 2” – O agente Mars se olha no espelho no banheiro do aeroporto enquanto espera Kate;
“What Kate does?” – Kate reflete diante do espelho da oficina onde foi tirar a algema;
“The substitute” – Lock fica se admirando num espelho em casa;
“Lighthouse” – Jack se admira diante do espelho observando a cicatriz do apêndice;
“Sundown” – Sayid fica se olhando no vidro da porta da casa de Nádia enquanto toca a campainha;
“Dr. Linus” – Ben fica se olhando no espelho do microondas enquanto esquenta o jantar do pai;
“Recon” – Sawyer se olha antes de esmurrar o espelho de onde trabalha após discutir c Milles.
Tenho duas explicações para essa repetição insistente desta cena. Primeiro: os produtores são bem narcisistas e adoram espelho (mas eles são tão ugly pra Narciso kkk) daí tanta cena com este objeto. Segundo: como nem tudo em lost é gratuito, esta é uma pista para o desdobramento dos flashsideways, afinal todas as cenas citadas acima acontecem na realidade paralela. E aí galera, aí Davi, o que vcs pensam desse uso reiterado do personagem diante do espelho por 8 episódios seguidos? Só coincidência? Acho que ñ, pois as cenas são muito sutis, justamente para ñ parecer algo significativo”.
17 Março, 2010 20:21
Bem, em “package”, este contínuo da imagem da personagem no espelho vem com dois personagens: Sun no espelho do hotel e Jin, muito sutil a propósito, que tem a imagem refletida na porta do freezer onde é amordaçado.
Então pessoal, quem, como eu, acredita q isso ñ seja só um recurso cênico preferido pelos produtores, e sim pistas do segredo da realidade paralela? Qual seria então?
31 Março, 2010 15:59

Mariana Gurgel disse...

Mardela*, ele estava falando de Faraday, filho dele com Eloise, que morreu na ilha e pela ilha.

Djspro disse...

Mardela,


O filho do Charles "era" o Daniel Faraday, ele foi morto pela mãe que sabia que enviá-lo à ilha seria seu triste fim....

Santoro disse...

Pessoal,

toh no trabalho entao preciso ser rápido.

tive um pensamento agora, o jack fez
que fez que conseguiu sair da ilha, aeh o locke teve que sair da ilha pra trazer todos de volta, e ele teve que morrer para conseguir isto.

e se agora tah acontecendo o mesmo, tipo, o jack fez que fez (de novo) e "tirou" o pessoal da ilha (de novo), só que dessa vez é o desmond que vai ter que trazer todos de "volta", e o sacrificio, bom o lecke tinha que morrer né, então, de repente, pode ser esse o sacrificio do locke.

o que vocês acham?

Felipe Gonzalez disse...

Acho que esse "algo" que Desmond quer mostrar aos outros é algo semelhante ao que Charlie mostrou a ele. Desmond provavelmente irá fazer com que os outros tenham flashes que nem ele teve. Não sei se será de forma tão radical como atirar o carro deles em um rio, mas ele vai tentar de alguma forma. :D

Priscila disse...

Só hoje eu percebi que a estação Espelho da Dharma tem o símbolo de um coelho e foi lá que o CHarlie morreu...

miguel disse...

Daniel é o cara,a historia foi em cima dele, ele que tem essa energia toda podem escrever.MIB lado negro de Daniel Faraday e Jacob o lado bom por isso essa preocupacao dos pais p salva-lo e salvar a humaanidade desse poder de Faraday.O poder dele é muito grande mais o Desmond é o unico que pode salva-lo.Nao é loucura é isso.

breno . disse...

Confrontar o monstro de fumaça (ele próprio uma manifestação do eletromagnetismo da ilha) ... ah é? Davi isso é spoiler?

W.V disse...

A grande pergunta é: Esse episódio foi melhor que 'Ab Eterno' ?rsrs

Para esse humilde telespectador, foi - sem sombra de dúvidas! ;)

Allan Dirac disse...

Excelente! Valeu, Davi!

felipe disse...

É bem provavel que o botao do computador era apertado a cada 108 minutos para liberar uma energia a fim de nao permitir a saida da fumaca preta da ilha.
Alguem acha isso possivel?

Maricy disse...

concordo!!! 2h00 de Podcast, plsssss

Davi Garcia disse...

@breno, é pura especulação minha. A partir do momento em que soubemos que há uma propriedade eletromagnética intensa na ilha e que o monstro emite sons metálicos e descargas elétricas, não é exagero pensar que as duas coisas estejam relacionadas ;)

Vanessa disse...

Agora isso me parece bobagem, mas a primeira coisa que me veio à mente quando o brotha pediu a lista de passageiros é que o nome dele poderia não estar lá...

Brunno disse...

Depois que viram aquele site de spoilers sobre Faraday ter a mente dividida em duas, o povo só fala nisso. Vamos curtir o episódio sem tentar lembrar isso, vai ser muito melhor.
Episódio lindo :D

Alexandre disse...

Acho que começo a conseguir vincular os seguintes "eventos": a) a tentativa de Widmore de evitar que o salvamento chegue na Ilha e de tentar chegar antes (com o keamy, procurando Benjamim, etc).

b) O pedido para que Ben girasse a roda e movesse a Ilha e o posterior pedido para que Locke reunisse e trouxesse todos de volta.

c) O "combate" entre Jacob e Mib

Ao que me parece até agora, Widmore sabia que os Outros estavam sendo controlados pelo Mib se passando por Jacob (como Ilana observa na cabana; como parece demonstrar pela sua confusão pós-morte de Jacob). Ele sabia também disso por conta da tentativa que acompanhou, ao ver seu filho ir pra Ilha, ser morto, e tentar detonar a bomba para "mudar" as coisas. Ao que parece, a intenção dele não era enviar seu filho para isso, num primeiro momento, mas a movimentação da Ilha (orquestrada por Mib) fez com que o intuito inicial se transformasse. Ao que parece, Widmore tinha noção disso por ter acompanhado a história da Jughead em 1954, e principalmente o episódio da orientação de Daniel para explodi-la em 1977 (episódio em que ele faleceu). Sabendo de tudo isso (já velho, depois de ter vivido tudo isso), e sabendo que aquilo não poderia ser a vontade "da Ilha"(e de Jacob),ele é banido, quando então Mib parece conseguir fazer um representante "oficial" a frente dos Outros: alguém que vai movimentar a Ilha no futuro, possibilitar a explosão da bomba/mudança, o loophole que traz Locke morto e que finalmente pode possibilitar que Mib saia da ILha e acabe com os propósitos fundamentais de Jacob para a Ilha.

Ai acho que a questão fundamental da Ilha e de toda essa "guerra": Jacob parece querer fazer da Ilha uma experiência humana que envolve redenção, sacrifício, mudança e a busca por prositos mais profundos nas relações humanas (nesse sentido o "amor" de Lost). Já o Mib, seu antagonista, não acredita nessa possibilidade (como diz em "The incident"), e tenta sair da Ilha, acabando com ela. Desse ponto de vista, a ILha é equilibrada pela presença de Jacob (ou seus substituto/candidatos) e de Mib. Seu propósito parece ser a mudança humana, a busca por propósitos menos egoístas, menos mesquinhos, e a presença de Mib nela seria a necessária contraposição de argumentos, que faz com que a escolha pelos propósitos de Jacob seja mesmo uma escolha, uma opção, e não algo que ocorreria mecanicamente na Ilha.

A realidade paralela parece mostrar o sucesso de Mib, nela, como mostra o caso do Desmond, ele tem tudo o que precisa materialmente, mas não tem a noção profunda dos relacionamentos humanos, capazes de possibilitar sacrifícios, redenções, mudanças, altruísmo, etc. A questão de Eloise, nesse caso, parece ser mesmo sua ligação com o filho vivo, e a tentativa de impedir que esse realidade mude, de evitar aquela outra realidade, aquela em que ela criou seu filho para detonar a bomba (e aí voltamos ao ciclo).
Impedir a saída de Mib e escolher o substituto de Jacob é a maneira de fazer com que o esforço de Mib não dê certo, que ele não acabe com a Ilha, que a realidade paralela não se "concretize", e que a Ilha, como espaço de aprofundamento humano, de possibilidade de redenção, continue existindo para as pessoas para ela atraídas.

Ufa, espero que consigam ler e argumentem, discordem, etc.

Abraços
Alexandre C.

G.S.D.J. disse...

miguel disse:
"Daniel é o cara,a historia foi em cima dele, ele que tem essa energia toda podem escrever.MIB lado negro de Daniel Faraday e Jacob o lado bom por isso essa preocupacao dos pais p salva-lo e salvar a humaanidade desse poder de Faraday.O poder dele é muito grande mais o Desmond é o unico que pode salva-lo.Nao é loucura é isso."

to achando também...e o jacob é o Desmond

G.S.D.J. disse...

A Vanessa disse algo real, na realidade da ilha, Desmond não estava no avião, e na paralela ele estava. Com a lista, o nome dele vai estar, e dos outros losties que como vimos nem estão no avião, caso da Shannom. Como explicar isso?

Glória Fabianni disse...

Como o Jack está no hospital, se no episódio Lighthouse vimos que ele estava resolvendo outros problemas (do pai Cristian e do flilho David)??
Um erro ai ou eu estou mais que lost?

Daniel Roy disse...

Sobre o MIB, acho que ele tem sim algo a ver com Eletromagnetismo. No episódio s06e10, a equipe do Widmore observava o grupo do MIB à noite com aquela câmera "verde", mas quando Flocke se aproxima, dá alguma interferência. Foi só eu ou alguém mais teve essa mesma sensação? Interferência magnética?
Talvez seja por isso que o Desmondo foi chamado, ele terá que "matar" o Flocke. Será?
P.S: Não leio spoilers.

Paulo Olmedo disse...

Eu venho há horas insistindo que esses flash sideways não são uma realidade paralela e, sim, o futuro. Um futuro que foi alterado, obviamente. Acontece que, assim como o Desmond, todos os outros irão se lembrar do tempo "perdido" na ilha. É uma forma de happy end.

Lazie disse...

Boa noite a todos,

Davi, estou meio receoso com esta questão de Lost ser uma estória de "amor"... como assim? me explica melhor... o que o amor tem a ver com tudo o que a série mostrou nas primeiras temporadas?
é "amor" no sentido de uma estória de "romance"? ou "amor" no sentido de algo "bom" ou do "bem" contra alguma força oposta, maligna?

Grato

Marcelo disse...

Davi,

Somente escrevi pra dizer que esses últimos easter eggs estão de arrebentar...Parabéns!
E rumo a reta final...

Abção,

Marcelo

leo disse...

O anel que ninguém soube explicar que Desmond usa é um anel maçonico que representa Ano, tempo, amizade perene, aliança, união. É muito usado pelos Maçons, e pode conter as mais variadas formas e símbolos. Em um dos Altos Graus do Rito Escocês, é usado como forma de “aliança” entre os Irmãos. Alma do Mundo – (Anima Mundi em latim) – A essência divina que anima todas as coisas desde o átomo ao universo. Desmond possivelmente é maçon já que ele chama todos de brother ou brotha e os maçon assim se chamam.
A pedra branca e a pedra preta também é um simbolo maçonico que representa a dualidade e que o homem é bruto como uma pedra e pode ser lapidado tanto para o bem quanto para o mal.
Outo ponto interessante demonstrado na serie é o livro arbitrio outro ponto de muita discussão na maçonaria.

quem quiser comunicar meu ponto de vista é so usar meu email:leonardofulgueral@hotmail.com

Márcio Moreira disse...

Muito bom ver o Brodah em seu momento Dr. Manhattan finalmente dando um sentido aos flash-sideways. Só gostaria de pontuar duas coisas:

1. a hipótese de um montante de energia muito grande criar uma realidade paralela realmente existe. Stephen Hawking fala disso brevemente ao descrever as dimensões como páginas de um livro, dispostas em camadas (como os níveis de um átomo). LOST utilizar essa teoria demonstra coerência científica, após o uso de eventos científicos como viagem no tempo. Além disso, há a possibilidade de Jacob e Flocke serem seres de outra dimensão. Pode parecer loucura, mas Stephen Hawking fala de seres extradimensionais aparecendo em nossa realidade e gerando mitos antigos e até bíblicos. E além disso, JJ usa o mesmo argumento em FRINGE, que tem uma base de teorias científicas bem semelhante a LOST.

2. O trabalho do ex-roteirista Brian K. Vaughann. Ele foi um dos escritosres de Flash Before Your Eyes e The Constant e ajudou a dar a Desmond a profundidade necessária para se tornar essa Constante em LOST. O cara também é um dos meus roteiristas de quadrinhoas favorito e recomendo todas as suas obras.

É isso. Um abraço e parabéns pelo ótimo trabalho!

breno . disse...

Obrigado Davi! ^^

Karina disse...

Vou sempre me lembrar desse episódio de Lost, e é isso que me faz lamentar o fim da série, está acabando, com ótimos episódios novas perguntas e muita ansiedade, mas vai acabar, e ano que vem não teremos mais Lost. Que que eu vou fazer da minha vida?
Dudecast de 2:00h? Eu voto sim.

Patrick disse...

Otimo post. Só uma correção o nome do poema de John Milton em portuguem é "O paraiso perdido"

TEUFEL disse...

no painel dos voos, o voo 815 nao tem status. o que voces acham?

jean disse...

Belo post!
E parabéns pelas analizes do leo e do Márcio Moreira , da até gosto ler os textos bem explicados sobre assuntos que não se ve em todo lugar, se todos os blogs mantivessem espaços de discussão sadios como esse todos teriam lugar para teorias e opiniões!
Uma coisa que me deixou com a pulga atrás da orelha foi a IMENSA quantidade de respostas e acontecimentos pra se passar em 5 episódios, sendo que pelo que parece não irão dar as caras no próximo episódio do Hurley...
Tomara que dê tempo...

Carla disse...

O pessoal continua tendo orgasmos múltiplos por este episódio e eu, nem tesão sinto por ele. :p
Mas o mesmo aconteceu com "The Constant". Definitivamente, eu não me emociono com o Desmond e com as pessoas que o cercam. LOST, para mim, continua sendo aquelas pessoas que chegaram naquele avião que caiu na ilha em 2004. Foram eles que me encantaram, que me cativaram e que me fizeram fã de tudo isso.
Pronto, falei, né?![abrindo o guarda-chuva para me proteger das pedradas]

Em relação aos espelhos, talvez eles estejam percebendo que existe outra realidade através do espelho como a Alice em "Through the Looking-Glass". Esta analogia fica ainda mais consistente se a gente lembrar que o que a Alice via através do espelho era uma realidade surreal onde tudo acontecia em função de um jogo de xadrez em que os personagens eram as peças do jogo.

Guilherme Vale disse...

Pra mim, o som da transição entre as duas realidades é de um avião...

Absolut disse...

Carla..Sobre o que vc disse
http://www.ew.com/ew/article/0,,20347892,00.html

ps: Esta em ingles mas é interessante...

eduardoestevam disse...

Um detalhe interessante é q quando Desmond acorda do baque eletromagnético a trilha sonora da transição da realt não acontece....

Abs..

leo disse...

Talvez seja um pouco de loucura mas já repararam que o ator que faz Jacob em lost é o mesmo de Supernatural que faz Lúcifer será que tem ligação??
Vocês lembram do olho que tudo vê de lucifer? Lembram do episodio que existe aquele farol onde o Jack quebrou o espelho que mostrava o que ocorria na vida dele?
A escada é um Símbolo de ascensão ou decadência, que é usada na Maçonaria. Escada de Jacob – Emblema, figura no painel do Aprendiz, para lembrar as “sete” virtudes indispensáveis: temperança, prudência, justiça, fé, esperança, caridade e fortaleza da alma.Talvez sejam estas caracteristicas que Jacob procura nas pessoas para substituir ele?

Absolut disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Neysângela disse...

Davi, acho interessante a sua teoria sobre Eloise ter encontrado uma brecha para trazer seu filho de volta, mas ao mesmo tempo me parece uma coisa tão Fringe. Teríamos então uma Eloise Bishop?

Alex disse...

Dude...

Em post da semana passada você disse o seguinte:

"Há pelo menos duas semanas, a colunista do E! Online, Kristin dos Santos vem dizendo que ao final de 'Happily Ever After', episódio que será exibido na noite dessa terça-feira nos EUA, teremos através de uma palavra de 4 letras (em inglês, claro) a definição sobre o que Lost trata no fim das contas."

Essa palavra de 4 letras seria "LOVE" mesmo ou você encontrou outra?

Galdir Reges disse...

Dudes, Davi, Ju... Ótimo Post!
Eu andei lendo aqui sobre o funcionamento das Bobinas Toroidais, e acho que não somos precisos ao afirmar que são usadas para criar campos eletromagnéticos de alta intensidade. As bobinas toroidas tem este formato peculiar para isolar qualquer eletromagnetismo que elas geram dentro da Toroide. Isso em elétrica, pelo que entendi, é usado para geração de energia sem a perda que os campos eletromagneticos causam nos rotores. Entendo que é pseudociencia em Lost, mas achei bacana imaginar que as Bobinas estavam na caixa com Desmond, não para gerar um campo, mas para isolar aquele ambiente da influência de campos externos.

Tamy disse...

Nossa... Episódio SENSACIONAL!

Leonardo disse...

Poxa autor do post!! Para com essa história de radiação!! Uma bobina eletromagnética emite um campo eletromagnético não radiação!

JOHN disse...

O que percebi sobre a aliança de Desmond é que quando ele é amarrado na cadeira para o teste, os capangas de Widmore retiram este anel de seu dedo...depois aparece sem anel na paralela...

ulysses disse...

Pouts... Um breve comentario e uma dica!!!

Donnie Darko...
Se alguem não assistiu este filme, seria mto bom assistir, pois este, que mostra um pouco de curvatura no tempo e espaço e como uma catastrofe(como uma bom nuclear por exemplo) pode causar estar realidade paralela, e nesta, acontecimentos influenciam diretamente na verdadeira!!!

O episódio é d+, Desmont realmente é no bródah da galera q curte LOST, pois este como todos os episódios, aos quais ele é o foco, são mto bons!!!

Obrigado por voltar!!!

Carolina disse...

Os episódios do Desmond são o contrário dos episódios da Kate.

Silvia disse...

O melhor episódio dessa temporada!

Eduardo Veras disse...

é ta na cara que desmond tera um papel fundamental no desfecho da serie

e a dona heloise sabe mais, talvez ate o widmore tb saiba...

só que na paralela , ela luta contra aquilo que desmond deve fazer, pois ele ainda nao esta preparado

e widmore o manipula na realidade na ilha, pois lá ele ja esta preparado e na paralela, o manipula tb solicitando serviços e se mostrando um bom "amigo"....

a reuniao de desmond, widmore, heloise, mib e jacob vai provocar uma guerra onde os coitados losties são apenas peças da batalha....

lussiannosousa disse...

Eloise Bishop foi ótimo uhauhuha
Cara vim dz que eu nunca vi um amor tão crível entre dois personagens em toda a minha vida. O encontro deles no estádio é das cenas mais intensas e sinceras de Lost.

E talvez o tal sacrifício dele seja justamente abdicar desse amor.

E como se daria isso?? Talvez se ele não fosse encontrá-la no café, como ele tb não a pediu em casamento em Flashes Before Your Eyes.

#Tenso

Marcio Neves disse...

Sobre o último parágrafo: tem muita gente que usa anéis no dedo anular sem estarem necessariamente casados. Simplesmente porque gostam ou porque simplesmente é o dedo onde o anel cabe. A minha namorada mesmo usa sempre um anel que só cabe nesse dedo, que ela ganhou de uma parente lá de Portugal. Vai ver foi erro de continuidade, ou vai ver simplesmente não tem nada a ver, foi só um despiste.

Renato disse...

O que me deixa triste é o fato de que não teremos mais um episódio focado no "bróda"! =/ Ou teremos mais um "The Constant" antes do The End? *-*

vinicius disse...

Alguem pode me indicar onde eu posso baixar a musica Nearly Home -Broken Records (trilha do promo Everybody Loves Hugo)?
jj.carvalho092@gmail.com
Valew

Jonny disse...

Bem, só algumas considerações sobre física:

"[...] Angstrom, nome dado pelo auxiliar de Zoe ao coelho que também serviria como cobaia, é uma unidade que mede a escala do comprimento de onda da radiação eletromagnética. "

Existe uma incoerencia na frase, uma unidade não mede a escala, mas sim, serve como referencia para montar uma escala. Outra, geralmente o comprimento de onda é dado em nm (nanometro) que é uma unidade primária do SI. O Angstron geralmente aparece para medida de distancias moleculares.

O que o Phelps colocou acima é verdade, as anotações que aparecem no caderno do Faraday são referentes a relatividade restrita e não de mecanica quantica. Mas ao contrario do que foi dito, não estão atreladas, mas se pode trabalhar com sistemas de particulas em regime de relatividade. Bem, nas anotações se pode perceber isso pelo diagrama e pela relação do T proporcional v/c^2. E ao contrario do que Faraday diz, não são tão avançadas assim, existem coisas piores.

Bem, para quem tiver curiosidade, tem uma figura que ilustra a arquitetura de um equipamento de ressonancia:

http://www.if.ufrgs.br/tex/fis01043/20032/Fabiano/imagem%20MRI.jpg

Se vcs observarem esta figura, os "Magnet", "Gradient Coils" e "RF Coil" são simulados naquela cabine na ilha pelas duas bobinas toroidais.

manvicjr disse...

Eu axo que com emoçoes fortes e perto da morte os personagens conseguem se conectar com a outra realidade, vide charlie e desmond, dai a gente começa a lembrar da frase que Juliet disse antes de morrer(it worked), talvez ela tenha tido um flash tal como o desmond teve que pra gente foram segundo e pra ela foram varias horas espiando a sua "copia", agora nos fica a expectativa pois sabemos que Sun tbm se encontra perto da morte no sideway!
Ah! e eu tbm penso que talvez o que aconteceu com Sayid seja algo que nao vai mais permitir a ele ter esses flashes, porque ele "nao sente nada"

Ivan disse...

Antes até de ler o comentário de Kristin dos Santos, do E!Online, eu lembrei de Moulin Rouge. A frase inicial do personagem de Ewan McGregor serve para Lost:

This is a story about love.

Já desconfiava há algum tempo. Agora tenho certeza. Lembram da palavra de quatro letras?

L-O-V-E

luizsergiocardoso@yahoo.com.br disse...

muito boa, @alexandre...

Fabii * disse...

Será que foi tipo piadinha ter um vôo pra Guam no painel e o status dele estar "arrived" ??
hehe

Episódio sensacional!!Sem dúvida um dos mais complexos também, levando tudo que tem a ver com Lost: física, lógica e também "espiritualidade/misticismo" (não sei se é bem a palavra certa pra usar, rs)

Hugo_O disse...

O que ainda me intriga é Widmore e seu pessoal sempre se referirem a um cronograma. Um cronograma implica em conhecimento prévio, pelo menos de algumas coisas. Não leio spoilers e o que vou falar é totalmente pelo o que assisti até agora: será que Widmore encontrou uma espécie de loophole para evitar essa tão temida 'catástrofe'?

Carla: não se preocupe.. manja tantra? Acumula e libera tudo no fim! hehehe brincadeira...
Mas falando sério: eu não encanaria com opiniões divergentes. Só espero que daqui p/ frente sejam capítulos que todos possamos curtir (independente do que a 'preliminar', ou melhor, o capítulo anterior for ehheeh).

A. disse...

Além da palavra LOVE, também foi mostrada a palavra HUME nesse episódio. O significado da série pode ser baseado na filosofia do escocês David Hume.

Janayna Velozo disse...

Pra mim... o que aconteceu nessa realidade paralela foi uma LAVAGEM CEREBRAL das pessoas pra que esquecessem da Ilha e vivessem suas vidas como se nada tivesse acontecido.

E.. o que Desmond vai fazer é ACORDÁ-LAS dessa falsa realidade. Talvez inclusive elas se vejam ainda na ilha, de alguma forma.

Davi Garcia disse...

@Leonardo, já que você parece ser expert em bobinas do tipo, ilumine nosso conhecimento com uma aula sobre o tema.

leo disse...

A garota que falou sobre David Hume esta correta pesquisei no wikipedia e deem uma olhada no O problema da causalidade e o problema da indução. Quanto a indagação do colega acima não fui eu que critiquei sobre sua teoria da bobina eu sou outro leonardo.

lucas disse...

O que estou refletindo agora, é ao que tudo indica que as realidades estão a ponto de convergir, a morte em uma parece levar a outra. O interessante é que as duas realidades parecem convergir ao momento que eles estavam na ilha. Acho que chegará a um ponto onde cada lostie terá que fazer sua escolha de em qual realidade viver, por exemplo, charlie e claire, e Daniel e charlotte, podem ser felizes na paralela e continuar sua love story, mas parece que eles querem voltar a realidade"original" e reviver seus momentos felizes, mas será se eles tiveram a oportunidade de verem seus trágicos fins em seus flashes?
Será se les virão como ainda mudar seu futuro?

compulsivo.com.br disse...

De tanto ler referências ao filme Donnie Darko e suas relações com LOST, assisti o filme ontem. E, acho que vocês também deveriam.

O filme é de 1991, meio boring, mas com um plot twits sensacional no final que justifica toda experiência.

Além da coincidência de ter Rodrigo Santoro nas duas obras (brincadeirinha), acredito que existe sim uma relação entre os conceitos de viagem no tempo e realidade paralela, no filme e na série.

Vale a pena assistir...

[]'s
@Compulsivo

Hugo disse...

Davi, não sei se você vai saber responder mas..., se quando Damon Lindelof, Carlton Cuse e Jack Bender se unem há um episódio arrebatador como esse, porquê os 3 não escrevem/dirigem todos os episódios? Acredito que para uma série contínua igual LOST deva permanecer os mesmos escritores e diretores para não mudar o foco nos episódios às vezes uns com um ritmo mais lento, outros com mais ação. Show de bola os comentários e easter eggs, parabéns mais uma vez pelo blog e até mais!!!

juliano disse...

Quando Juliet diz para Sawyer no começo da temporada "já deu certo" ela mostra claramente que o flash-sideway nada mais é do que o passado do que acontece na ilha. Desmond faz nada mais do que voltar ao passado (como já havia feito antes), mesmo que esse passado não seja lembrado por quem está na ilha no início da temporada. Desmond é o living receiver, a pessoa que tem consciência de que o flash sideway é na verdade uma realidade alterada, e caberá a ele juntar todos e fazerem algo para colocar a realidade no eixo (explodir outra bomba? Quem sabe...) e voltar ao momento do início da sexta temporada na ilha.
Como disse o compulsivo ali encima, é o mesmo esquema do Donnie Darko, que é baseado em obras de Stephen Hawking e Roberta Sparrow.
Fica uma pergunta, poderia o nosso Charlie, ser o filho de Desmond???

Juliana disse...

neste mundo pararalelo, matrix, é como se cada lostie vivesse o que sempre desejou (Jack = relação pai e filho, Locke = um amor e aceitação da deficiência, Linus = boa relação com o pai que o ama,Des = um homem de negócios, respeitado, mas só) é isso né?
só não entendo a Kate, o Sayd e ainda não sabemos do Hurley...enfim
só sei que nada sei

Mari Silva disse...

Pra mim, a temporada começou agora, ep excelente... Mas, faltando tão pouco para o fim, o cheiro de aranha alienígena tá ficando mais forte. NÃO VAI DAR TEMPOOOO! (post ótimo, como sempre)

lucas disse...

e tem gente que ainda diz que amor não tem nada a ver com lost

P.D. disse...

A Juliana tem razão, Lost é sobre Sócrates.
"Só sei que nada sei."
:-)

Ezequiel Siqueira disse...

Achei a atuação do Dominic Monoghan muito ruim nesse episódio. Tava mais pro vilão canastrão dele em FlashForward do que pro carismático Charlie.

Carla disse...

Absolut disse...
Carla..Sobre o que vc disse: http://www.ew.com/ew/article/0,,20347892,00.html

Absolut, obrigada pela dica. Eu li todo o texto mas, embora eu seja fã da Alice desde pequena, eu acho que o autor fez uma análise psicanalítica profunda demais para mim. Tudo isso associado a palavras de inglês que eu não conheço e que deixaram ainda mais difícil entender. Mas, no geral, eu gostei muito das analogias (realmente são muitas). Eu acho que não tem spoiler, não. Eu acho que são apenas as teorias dele.

Hugo_O disse...
Carla: não se preocupe.. manja tantra? Acumula e libera tudo no fim! hehehe brincadeira...

Manjo sim. Eu vou exercitar! ;o)
Mas, independente do que acontece nos episódios, todos acabam me dando algum tipo de prazer. (ahaha)

---> ÔÔ PESSOAL DA FÍSICA, DA MATEMÁTICA, DA ENGENHARIA (E OUTROS):
Me diz uma coisa, galera, será que vcs não se dão conta que a gente não entende nada do que vcs falam??! (a gente = os leigos, como eu, que não sabem nada desta área)
Pq um de vcs não desce do olimpo e explica essas coisas todas didaticamente para os menos afortunados como eu? Vcs sabiam que saber ensinar também é uma arte que requer inteligência?!
Poxa, se tiver uma alma boa por aí, dá uma mãozinha pra gente...
;o)
Thanks.

Carla disse...

A minha pergunta para todos:
supondo que a bomba tenha explodido (pela Juliet); zerou tudo na década de 70; e a realidade paralela é uma realidade alternativa gerada após a explosão da bomba. Neste caso, COMO OS LOSTIES ESTÃO LEMBRANDO AS COISAS QUE ACONTECERAM NA ILHA que pertencem à outra realidade???
Para mim, se as 2 realidades são duas estradas paralelas diferentes, eles não tem como saber o que acontece na outra estrada, não é mesmo?!

leo disse...

Na minha opinião Jacob é Horus e o senhor vestido de preto é Seth.A estatua da ilha é Taweret ajudou a Horus em sua luta contra Seth ver wikipedia.Cada episodio que assisto acho que a ilha é muito ligada a mitologia egipcia.

David disse...

Ola,
Tenho uma teoria acerca da realidade alternativa e a razão pela qual a Eloise não queira que o Desmond procura a Penny. Acho que essa realidade foi criada pelo Flocke no momento em que consegui sair da ilha ( que será o futuro da realidade actual. Essa realidade permite as pessoas com quem ele fez um pacto obter o seus desejos, vejamos: a Eloise volta a ter o filho dela, o Sayid volta a ter a Nadia, a clair volta a ter o filho... A Eloisa (que também deve ter feito um pacto com o flocke: foi ela que consegui que os voltassem e que insistiu com que fosse levado o corpo do locke) não quer que o Desmond não procura a Penny por possivelmente ao tomar conscienca que nao é a verdadeira realidade essa possa acabar. Para mim o fim vai consistir em mostrar na realidade como o Flocke saiu da ilha e na realidade alternativa como os protagonistas vão conseguir acabar com ela. Sugestões?

JOHN disse...

David, registro importante para teus easter eggs:

Na sala de Widmore havia dois quadros diferentes com a balança,um de cada lado da sala e um com a moldura preta e um com a moldura branca.

Confere aí:

http://the-odi.blogspot.com/

Eugenia disse...

Teorias...
Acho q o sacrifício do Broda só pode ser de 2 formas. Uma é nunca vivenciar seu amor por Penny, e o filho; a outra é morrer. Qdo a escotilha explodiu, ele foi lá girar a chavezinha e disse: "I love you, Penny..."
Tudo indica q o MIB é o eletromagnetismo. Ele era um homem normal. Mas entrou em contato com o eletromagnetismo da ilha (talvez num acidente, talvez porque o Jacob quis) e virou o Fumaça. Ele quer voltar para "casa" (pode ser a realidade em que ele era um homem comum).

Malucom disse...

"Sonya Walger mostrou muito mais força em 30 segundos de Lost do que ao longo de toda sua participação em FlashForward, o que fala muito menos sobre Sonya Walger e muito mais sobre FlashForward"

Parabéns para o tal Ryan McGee! Ele disse tudo!

Fagner disse...

Pessoal do Dude, sei que normalmente todo mundo elogia vocês e que vocês sempre capricham pra caramba nesse post de Easter Eggs, mas o dessa semana foi S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L!!!

Parabéns pela cobertura e pelo post... Um dos melhores post de Easter Eggs que já lí aqui no Dude

Abraços

Davi Garcia disse...

Bondade sua e de todo mundo que frequenta o blog, Fagner. Não fossem as discussões que todos trazem para os comentários, de nada adiantaria fazer esses posts ;)

Abraço a todos!

Ela e sua janela disse...

ahhh... Desmond....
Eu queria um Brotha só p/ mim.

JOHN disse...

Davi, achei muito perspicaz tua ligação do Monstro de fumaça com o eletromagnetismo.

E penso que tens razão.

Jacob descreveu a ilha como uma rolha da garrafa, com o objetivo de impedir a saída do mal(MIB).

A estação Cisne era também uma espécie de ''garrafa'', com o intuito de evitar a saída do mal (eletromagnetismo).

Na cisne, os números eram usados para manter o eletromagnetismo sob controle, evitando sua ''fuga''.

Na ilha, os candidatos(números) a substituir Jacob têm por missão manter o MIB na ilha, impedindo que escape.

Desmond girou a failsafe key para conter a saída do eletromagnetismo .

Desmond volta á ilha aparentemente para não permitir que MIB fuja.

JOHN disse...

Corrigindo, a estação Cisne seria a ''rolha'' que impedia o eletromagnetismo de sair.

Lazie disse...

Olá galera,

ainda não entendi de que forma Lost pode ser uma estória de "amor".
Eu quero entender melhor o conceito de "amor" nesta trama?
Lost vai virar um dramalhão mexicano? hehhe, estou brincando, mas serve para ilustrar o que quero dizer...
ou seja, "amor" em que sentido??

Valeu

ah, não acho que o pessoal que comentou sobre as equações de espaço/tempo/eletromagnetismo tenha usado termos técnicos com a intenção deliberada de ofender ou se mostrar superior aos leigos... problema é de quem não estudou e ficou gazeando nas aulas de Física nos tempos de escola.
Se o cara é inteligente ele não precisa ser obrigado a se nivelar por baixo.

Valeu Dude, o Easter Egg tá demais.
Teu site é o melhor, mais completo, atualizado com mais frequência...

Hugo_O disse...

@Carla: só p/ não sair do tema... ...espero que o que eu diga agora não seja broxante.. eheheh mas eu não acho que tem uma forma simples de explicar física moderna (seja quântica ou relativística). Na verdade elas partem da premissa que nossa visão da física clássica (principalmente Newtoniana) é de certa forma limitada/incompleta, e por isso mesmo requer que abramos a mente (como Morpheus sugere, em Matrix hehe). Talvez algum físico discorde, e tem todo o direito. Estudei pouco esses assuntos, mas as aulas eram uma viagem completa e as discussões eram bem divertidas. ehehe

Vi o link sugerido pelo John. Vocês viram o detalhe sobre a chegada não marcada do 815, na tabela de voos da Oceanic, quando Desmond está olhando? Interessante...

Galdir Reges disse...

Como dizem aqui na Bahia, Davi pegou ar! :)

manel disse...

tenho uma duvida enorme a respeito:

OQ VAMOS FAZER QDO LOST ACABAR???

e oq vai ser do DUDE davi???

abraçao a tds"!!!!

Leandro Domingos disse...

Coincidência ou não, com exceção do Desmond, que vimos ser especial, os outros dois personagens que tiveram lembranças da outra realidade são Charlie e Daniel, que já morreram na ilha. Não me surpreenderia se nos próximos episódios descobrirmos que a Charlot também teve essas lembranças. Isso comprovaria que as pessoas que morrem na ilha poderiam assumir conciência na outra realidade, enquanto as que estão vivas na ilha continuam vivendo a 'ilusão' de uma vida melhor.

E a Elloise falando de regras... assim como o garotinho loiro falou para o FLocke na ilha... que regras seriam essas? Seriam eles algum tipo de juízes das realidades?

Leandro Domingos disse...

E outra coisa:

Parabéns pelo Post Davi! Com certeza um dos melhores Easter Eggs de todos!

phelps disse...

... Agora em LOST, esse fenomeno ocorre aos montes (lembra qdo Faraday recebeu um missil com um relogio e ele estava diferente em 23 minutos do de Faraday??) pois é, relatividade, viagens no tempo sao explicadas pela relatividade pelo fenomeno do relogio, imagine que vc de a volta ao mundo na velocidade da luz umas 5 vezes e volte pro mesmo lugar, quando vc voltar o relogio se atrasou tanto que vc dará de cara com VOCE MESMA !!?? ilógico, totalmente, mas pode acontecer, e é o que ocorre em LOST, isso se chama viagem no tempo, se vc olhar no Easter Egg o diario do Faraday, vai ver um diagrama, veja que cada linha daquela, mostra em que posicao uma MESMA pessoa estará AO MESMO TEMPO, isso é o que a relatividade explica, agora ele fala em mecanica quantica, e isso é algo totalmente diferente de relatividade, ou seja em LOST aparece RELATIVIDADE e nao MECANICA QUANTICA apesar que um tema lembra um pouco o outro.

Desculpe, te juro que tentei explicar mas é bem confuso mesmo até para quem aprende isso rsrs

phelps disse...

Carla, vou tentar explicar o mais mastigado possível

relatividade é uma área bem complicada e de difícil entendimento na física (mesmo eu que estudo isso tenho dificuldades).

Bom, não sei se vc estudou isso até o ensino médio, mas as equações da física clássica são regidas pelas leis de Isaac Newton, são equações simples de movimento que nos dizem basicamente a velocidade e direção de objetos ou o tempo que tal objeto andou tal distânica. isso é o que todos estudam no ensino médio .... até aqui tudo bem ?

Albert Eistein e outros cientistas viram que as leis de Newton funcionam bem para velocidades pequenas , mas o que é uma velocidade pequena ?? bom, a maior velocidade que se pode chegar é a velocidade da luz, que é de 1 079 252 848,8 Km/h .. pois então partindo disso, a velocidade de um caça (1000 Km/h por exemplo) é uma velocidade BAIXA perto da veloc. da luz ok?

Aí Eistein, LOrentz e outros cientistas encontraram equaçoes para encontrar distancia percorrida e medir o tempo em que percorri essas distâncias, mas para essas velocidades proximas da luz, e para surpresa de todos é uma equaçao diferente das leis de Newton. Aqui precisamos de um pouco de entendimento matematico, pois a unica coisa que muda dessas equacoes novas que sao as equacoes da RELATIVIDADE RESTRITA para as equacoes das leis de Newton, é um TERMO DE CORRECAO . o engracado é que quando colocamos velocidades pequenas nessa equacao, o termo de correcao some (manobra matematica) e a equacao fica EXATAMENTE igual as das leis de Newton, o que prova que essas contas estao corretas

é meio dificil entender mmas vou tentar se didatico .... imagina que vc esta parada na rua e tem um aviao passando, o aviao joga um missil e vc ve o missil indo pra baixo e pra frente, enquanto o piloto sempre ve o missil indo pra baixo, veja a figura aqui que exemplifica isso: http://aprendacom.efeitoazaron.com/images/referencial3.jpg .... Pois bem , na RELATIVIDADE devido a essa diferenca, ocorrem DOIS fenomenos basicos, um deles é a dilatacao dos tempos, ou seja se vc esta parado e no seu relogio é 12 00 horas , e tem um amigo seu do seu lado e o relogio dele marca 12 00 horas aí ele comeca a correr na velocidade da luz, quando ele volta vcs comparam os relogios.. no seu marca 12:30 horas, e no dele marca 12:15, ou seja, ele esta mais novo do que vc ... O outro fenomeno é a contracao dos comprimentos, imagine que seu amigo tem 2 metros , e ele comeca a correr na velocidade da luz, quando ele esta correndo vc tira uma foto dele e ve que ele tem 1 metro.

Como isso ocorre? a matematica explica muito bem isso ... mas é dificil de acreditar né ?? é pq onde nós vivemos tudo esta a velocidades relativas baixas, mesmo um foguete esta em velocidade relativistica baixa, por isso nao observamos isso no dia a dia, porem se vc usar relogios de alta precisão, tipo, ele mostra horas segundos, e trilhonésimos de segundo, e vc deixa um relogio desses em casa e com outro vc viaja pro Japao, quando vc voltar vai ver que eles estao diferentes, mesmo quando saiu com eles sincronizados, isso ja prova que a teoria da relatividade é valida.

[continua]

G.S.D.J. disse...

HEIM PHELPS!!!

Te interna Dude!!!
brincadeira...

Cara, isso aí é muito complicado, só o Bob Marley pra entender essas viagens.

Abraço!!!

Valew!!!

Gabizinha Vidal -Santos -SP disse...

Acabei de rever o ep. Parece que só durou 5 minutos de novo.
Ansiosa pelo dudecast =]
ah E parabéns pelo ótimo post Davi tu é fera mesmo!

ze das couves disse...

manel

"OQ VAMOS FAZER QDO LOST ACABAR???
e oq vai ser do DUDE davi???"

Eu tenho uma sugestão...

Supondo que nem todos os mistérios serão explicados no final, podemos discutir sobre um mistério não-resolvido (ou mal resolvido, o que é pior) por semana. Que tal?

Alexandre disse...

@Lazie

Acho que pensar em "amor" em Lost como "dramalhão mexicano" é nivelar por baixo. Quem acompanhou as seis temporadas, acho que nota que as questões principais envolvendo as relações dos personagens nunca estiveram nesse nível, mas sim num patamar mais profundo de "amor". Aí estão todas (as sempre presentes) "dead issues", todas as referências a sacrifício, a mudança de comportamentos (Sawyer, p.ex), ao perdão, ao restabelecimento de relações, enfim, um sentido de "amor" com relação a outros humanos em geral, à abertura para se relacionar com outros de maneira mais profunda.

- Agora, quanto ao "nivelar por baixo", não acho que ninguém tem de nivelar nada por baixo, mas se alguém escreve aqui, suponho que seja para transmitir idéias, e não para não se entendido. E como ninguém aqui é obrigado a saber termos técnicos, teorias físicas e/ou místicas e/ou filosóficas, quando se fala aqui, acho que o objetivo é ser o mais claro possível.
E por fim, fico ressabiado quando alguém diz que em Lost alguma coisa está "errado" com relação às teorias da física. Lost é um seriado de ficção, que embora possa se embasar em elementos "não ficcionais", tem sua "realidade" própria, sua coerência interna.
Bom lembrar também que na época de Newton, como você disse, a física não conhecia ainda certos elementos que só foram inseridos na teoria depois, no entanto, tudo isso já existia. Assim, primeiro o fenômeno existe, e depois é compreendido. Da mesma forma, na coerência interna de Lost, tudo que parece não "fazer sentido" com relação a teorias da Física, pode ser pensado como um fenômeno ainda não explicado/compreendido. É por isso que não acho que dá pra ser totalmente formal nas discussões de física em Lost. A mensagem da série parece ser bem outra.

Abs

Alexandre C.

Vinicius Fagionato disse...

Que dia sai o podcast?

Davi Garcia disse...

Será gravado hoje à noite. Deve ir pro ar ainda hoje ou no mais tardar na manhã de sábado ;)

Hugo_O disse...

Falei sobre o link do John, mas o outro post sobre o status do voo só faz sentido com uma foto. Vendo o video de novo, o status fica piscando em Arrived (não está vazio).

lucas disse...

@Lazie,
caso você goste de ler, te sugiro ler o livro "os 4 amores de C. S. Lewis, o autor de crônicas de nárnia.
Segndo lewis existem 4 tipos de amores: afeição, amizade, eros, e caridade.
Assim amor varia desde um sentimento entre homem e mulher, uma bela amizade ou a caridade. Destes 4 amores, caridade não é um simples sentimento, mas caridade é uma forma prática de amor.
Lost sempre tratou-se de um drama, apesar de todo suspense e mistérios que a série tem. Assim do relacionamento de amizade que surgiu entre os losties,pode se encontrar um amor.Através dos sacrifícios que muitos fizeram como charlie e juliet, se ve uma belo exemplo de caridade e abnegação, ou seja, mais amor. Através dos relacionamento de kate, jack, desmond, penny, hurley, libby, etc... Vemos mais uma história de amor. Vemos afeição com Kate e Aaron. Os melhores episódios de lost, sempre tiveram um fundo amoroso, diga-se pela história que cruzou até mesmo o tempo, onde penny esperou por anos para conversar com Desmond em "The Constant". Diga-se pelo belíssima história a la ghost de Richard e isabella em "Ab Aeterno". A comovente despedida de juliet e Sawyer no episódio "the incident", etc...
Assim lost sempre teve uma história de amor por trás, seja de pai por filho, como as emocionantes cenas de ben e alex, seja de homem e mulher.Seja por jacob em acreditar que ben não o mataria, acreditar em ben mesmo sabendo de tudo que ele já tinha feito.
Indiscutivelmente lost é uma série dramática e atrás de todo drama sempre tem uma grande história de amor, seja um relacionamento de um casal, seja uma afeição entre pai e filho, seja uma amizade ou seja uma de uma bela atitude através de um ato de caridade.

miguel disse...

A trama é essa toda em cima de Faraday.Nele esta a resposta de tudo.O Desmond é uma ferramenta para consertar tudo que a mente poderoza que Faraday tem,Sempre que Faraday apareceu foi sempre emblematico,com soluçoes e muita sabedoria sobre a situação.E porque os pais deles estao sempre por dentro e qurendo resolver a situação?Não só para salvar a vida de Faraday,como salvar a humanidade desse poder de Faraday que ainda nao descobri o mecanismo disso tudo.Eu acho que ele manipula o tempo e espaço,viaja no tempo e nao tem controle,por isso a sua mente se dividiu em 2.MIB a energia negativa e Jacob é o lado bom a energia boa e quer deixa o lado dele negativo preso p sempre.Por isso os pais dele nao querem remecher na realidade parelela pque nao volte tudo.Essa é aminha teoria.
abs

Juliana disse...

P.D. não sei se é sobre Sócrates mas tenha certeza de que o Des em sua defesa antes da morte iria "causar" em Lost o que Sócrates causou a filosofia! hahaha

Hugo_O disse...

@Lazie: hahahah boa!
já pensou se os últimos capítulos fossem em español e ajustassem os nomes dos personagens?
Nos créditos finais, por ex:

Desmondo Humanito X Penelope Vidal

Daniel 'LongeDias' X Charlotta Palanca

Ricardo Alberto X Isabella Eduarda

Hugo Reyes X Elizabete Ferrero

Jaques Apacentador X Katita (Joaquina) Austera

Tiago AutoLatina X Julieta Fernanda

Miguel HijoDeMañana X Sonia (Sun-Hwa) Paco (rolou um climinha entre os dois)

Juan Candado X Helena NingunaMadera

Claro que a trilha final não seria do Michael Giacchino, mas sim composta pelos sucessos (?) de Thalia, Gloria Stephan, Shakira e John Secada (desenterrei haha)
¿Qué tal? (ahahhahah q @#$%@#! é o sabado chegando, gente.. eheh)

Marco Dias disse...

Uau! Muitas teorias interessantes. Depois de assistir esse episódio tenho o feelling que o final de Lost será algo épico, sem precedentes na história da TV! As conexões são de arrepiar e tenho certeza que em breve vamos enxergar cada episódio, cada história daquelas pessoas de forma diferente.

Vai ser impossível não querer rever as seis temporadas!

Uma curiosidade interessante: o diagrama que Dan Faramore mostra para o Desmond é o gráfico de espaço tempo de... MINKOWSKI.

http://www.quantonics.com/Einstein_Minkowski_Space_Time_Diagram.html

eco_fernando disse...

Fala galera... alguem mais viu a SOMBRA que passa correndo quando o guri lá morre dentro do quartinho eletromagnético (aprox 4:21'' na minha versao rmvb)

Lucius disse...

Carla, trabalhar com viagens no tempo gera vários problemas, conhecidos como paradoxo. Por exemplo, o fato de alguém viajar para o passado e matar o próprio avô antes do pai do viajante ter sido concebido. Sem avô, não haveria pai e por isso o viajante não teria nascido. Então, quem viajou no tempo?
Em lost, os autores já disseram que tentaram bolar uma forma de tentar escapar desse tipo de paradoxo. Um deles foi a tal lei de que o que aconteceu aconteceu.
Tentando responder a sua pergunta, em 1977 os losties já tinham passado pela queda do avião da Ocean, charlie tinha morrido, Claire tido a criança. Assim, para eles 1977 era atualidade e o passado era 2004.
Eles explodiram a bomba e criou uma nova linha de tempo de 1977 pra frente, pro futuro, com diferenças na vida de todos. Só que a linha do tempo dos losties viajantes, o futuro (1977 a 2004) continuou intacta, ou eles não teriam caído na ilha, viajado no tempo e explodido a bomba. O paradoxo que citei acima.
Assim, de 1977 em diante foram duas realidades, em paralelo.
Uma em que o avião caiu na ilha e os losties voltam pro passado, e depois retornam ao presente, que é a que acontece na ilha atualmente; e a outra em que eles começam a ter visões do outro lado.
Espero que tenha sido claro o suficiente.

G.S.D.J. disse...

Discordo totalmente, de quem diz, que não importa oque Desmond faça ele sempre terá Penny, nesta ou naquela realidade.

Na paralela paralela, ele só achou ela, porque o Daniel falou para ele.

Não se iludam, nada é oque parece aos vossos olhos.Os roteiristas gostam de brincar com a gente. O episódio duplo final, vai ser um monte de pancada na cebeça.

Vamos com calma que tá muito cedo para criar teorias.

Mas como disseram puraqui, Desmond, Daniel, Jacob e MIB, eles estão ligados de algum jeito. Talvez na verdade em vez de 4 eles sejam 2.

Sei lá...

Luiza disse...

Dude,Davi,Ju, mais um ótimo ep.eu sou fã do amor e que bom que minha séries favorita joga no mesmo time,ao contrário dos que comentam por aqui,gosto mais ainda qdo, tem-se um final "elizes para sempre"infelizmente o casal unanimidade dos losts(assim creio) Des e Penny,não terão um happy end,mais snnifff...snniff.Ainda na 5a temp. o Davi levantou a hipoteses de 3"forças" atuando no mundo da ilha,lembro que achei a idéia nonsense,mas pelo jeito vc. estava certo.Afinal sabemos por fatos mostrados que Jacob e Wildmore não estão do mesmo lado e pelo jeito "Wildmore paz e amor",tbm não está do lado de Flocke,então...realmente vc. estava com a razão.Falar em Wildmore!!Que que é isso!!??ohomem mudou D+!!Primeiro manda um cargueiro cheio de C4 e mercenários para arrassar a ilha e agora vai todo civilizado,paz e amor!!?Pelo jeito o Flocke é sinistrão e eu gostava dele,porque ele responde o que lhe pergunta,não fica naquele joguinho de palavras do Jacob e na paralela onde a toque de Jacob não ecxistiu todos vivem melhor e creio até mais felizes,mas...sem amor verdadeiro não pode existir felicidade.Vou sentir muita saudades de Lost e do Dude,mais snifs.

Daily disse...

Quanto ao mencionado efeito sonoro:
Não sei quanto a vocês, mas desde o início da temporada eu estava certa que o tal efeito se referia ao som gerado pela turbina de um avião e não ao de uma máquina de ressonância...
Enfim, diferentes interpretações.
Parabéns pelo blog galera...não consigo não ler!!!
=)

Robson disse...

Os comentários estão muito bons, phelps, colaborou pra aumentar o nível do debate...

SkyVault disse...

Muito bom o episódio. Está pau-a-pau com o Ab Aeterno. Ou melhor? O negócio é que o Ab Aeterno conta a história da ilha, o smoke, Alpert, etc e este do brodá conta sobre espaço-tempo, realidade paralela.

A minha dúvida é, aonde estas duas histórias se encaixam? Tipo o que tem a ver o bem e o mal da ilha, garrafa de vinho, o smoke fugir da ilha com a realidade paralela? Num intindi!

E só tem mais 5 episódios! Ai meu Deus! Resolve esse enrolo!

Lost é isso, emoção, aventura, romance e dúvidas :-)

See ya in another life brotha!

Alexandre disse...

@Lucius

Acho que mais claro impossível. Penso exatamente isso com relação às paralelas de Lost, mas acho que no enredo da série, essa definição, qual realidade vai ser "preservada" é o que acompanhamos agora.

manel disse...

e o pior de tudo...:

THE END IS NEAR...

Game Movies disse...

Boa noite a todos, em primeiro lugar parabéns ao blog, e aos colaboradores por seus inúmero e inteligentes comentários. Tenho minhas próprias teorias, até mandei para o e-mail do dudecast(espero que leiam ou citem algo que possa ter relevância) mas lendo os comentários da galera me surgiu o seguinte:

Alguns estão falando sobre a história ser sobre Faraday, e os pais Eloise e Wildmore tentarem corrigir alguns dos problemas, mas não é sobre esses problemas que quero falar, quero apenas ressaltar um detalhe:

Alguém lembra quando Faraday era criança e estava tocando piano a mãe dele diz que ele tem que parar de tocar para ir estudar porque o tempo era curto e ele diz algo: "Eu faço dar tempo, eu estico o tempo" lembrando dessa frase essas teorias sobre sobre daniel me pareceram coerentes...

Era só para mencionar essa frase mesmo, uma ótima noite e um ótimo final de semana a todos, contando as horas para 3ª feira.

Ass. Patrick Muniz

Yuri disse...

Alguem reparou nos olhos do motorista do Desmond???? Um azul outro castanho.... fica bem evidente nas ultimas cenas.....

Absolut disse...

Game Movies disse...
Boa noite a todos, em primeiro lugar parabéns ao blog, e aos colaboradores por seus inúmero e inteligentes comentários. Tenho minhas próprias teorias, até mandei para o e-mail do dudecast(espero que leiam ou citem algo que possa ter relevância) mas lendo os comentários da galera me surgiu o seguinte:

Alguns estão falando sobre a história ser sobre Faraday, e os pais Eloise e Wildmore tentarem corrigir alguns dos problemas, mas não é sobre esses problemas que quero falar, quero apenas ressaltar um detalhe:

Alguém lembra quando Faraday era criança e estava tocando piano a mãe dele diz que ele tem que parar de tocar para ir estudar porque o tempo era curto e ele diz algo: "Eu faço dar tempo, eu estico o tempo" lembrando dessa frase essas teorias sobre sobre daniel me pareceram coerentes...

Era só para mencionar essa frase mesmo, uma ótima noite e um ótimo final de semana a todos, contando as horas para 3ª feira.

Ass. Patrick Muniz

09 Abril, 2010 22:02


Patrick gostaria de ler sua teoria, me manda por email se não quiser postar aqui no Blog, mas acho que seria interessante vc postar aqui pois que o Faraday faz parte do desfecho de Lost esta mais do que claro, o que não podemos esquecer é que Lost é maior do que tudo isso e ai entra o porque de Jacob VS MIB, Candidatos, Estátua e o mais importante de tudo..a Ilha.! Acredito que o final vai surpreender a muita gente...e me incluo nesse "muita gente"

E sobre o Blog..tenho certeza que continuara assim como hoje pois é sobre Lost e depois que acabar a série e tudo começar a se encaixar todos teremos muito o que debater.

Mais uma vez Parabéns pelo Blog Davi!

Cleones pea deAssis disse...

Só uma correção a ser feita na frase "exposto à radiação dentro da máquina de ressonância", na verdade o aparelho de ressonância magnetica não utiliza radiação, ela utiliza um campo magnetico para ser gerado a imagem e não radiação como foi citado na frase.
Gosto muito dos post aqui escritos acompanho todos eles e realmente bate com o que eu penso sobre cada episodio. Sucesso a vocês.

Nick Mello disse...

Fiquei sabendo que já sairam 2 cenas do proximo episódio, mas parece que só tem em ingles... vocês poderiam providenciar pra gente um post com as falas dessas cenas traduzidas... sou meio pereba em ingles!!

Obrigada

bastian disse...

Parabens Davi por este Easter Egg sobre Desmond, foi tão quão delicioso ler ele como assistir Happily Ever After, acompanho seu blog religiosamente todos os dias há três anos.

Davi Garcia disse...

Gentileza sua, Bastian, mas obrigado :)

Nick Mello, os 2 sneaks já estão legendados e postados desde a manhã de quarta-feira :p

Lucas Cunha disse...

bua, é tão bom quando sai o dudecast na sexta : (

Nick Mello disse...

Poxa, Davi... não tinha visto... burrice minha... desculpa aí!!
Beijos

Carla disse...

phelps,
muito obrigada pela sua explicação. Foi ótima! Deu para entender sim! É claro que eu não consigo entender exatamente como isso acontece pois eu não conheço as leis da física então, para mim, é muito difícil pensar do mesmo jeito que vc. Mas eu consegui entender perfeitamente do que se trata o assunto e fiquei imaginando os exemplos que vc explicou. E eu confesso que eu quase consegui entender pq o meu amigo que sai correndo na velocidade da luz pode voltar mais novo do que eu. Deve ser muito lindo estudar este assunto.

Lucius,
eu entendi perfeitamente o que vc explicou. Mas o que eu ainda não entendo é pq o pessoal da realidade paralela, que não viveu a história da ilha, está lembrando do que aconteceu nela. Talvez fique mais fácil para eu entender no avançar da história.
Muito obrigada!

Alexandre disse...

Então, sobre essa coisa de o Faraday ser o cenro da história, tem um spoiler correndo faz um tempo já (Desdeo episódio 8, "Recon") que diz não somente que ele é o centro, mas a essência da história. Eu acho que isso começa a fazer sentido, mas não porque seja o Faraday, mas por que faz parte de tudo isso. Se ele for o CENTRO, como no spoiler (rumor, na verdade, acho que a coisa fica meio tosca...mas na verdade não acho que isso sairia facilmente assim, então acho mesmo, que nada que seja essencial sairá antes, e é por isso que mesmo acompanhando spoilers, quando os fragmentos (no contexto) ganham o seu sentido pleno, as coisas ficam bem melhor.

E, claro, como não poderia deixar de ser, parabéns aos posts, vão deixar saudades ...e já o clima de despedida, depois espcialmente desse episódio, em que inclusive o Carlton Cuse disse: "a´partir da outra semana as coisas começam a mudar"

Parabéns ao "Dude...', foi bem mais legal estar por aqui!

Jonny disse...

1. (Do inicio do Post)Não existe problema nenhum o Davi usar o termo "radiação", onda eletromagnética é um tipo de radiação. No caso especifico do episodio, a bobina gerava apenas campo magnético.

=========

2. Só para explicitar um pouco sobre o que o Phelps falou. Em Física temos três áreas que regem suas teorias:

-Física Clássica: Inclui mecanica, interações no mundo macroscopico (entenda isso como a escala do ser humano),eletromagnetismo e termodinamica (teoria cinetica dos gases, transição de fases)

-Física Relativistica: Inclui movimentos a altas velocidades (bem proximas a velocidade da luz) e grandes distancias

-Física Quantica: Inclui sistemas microscopicos (entenda aqui sistemas na escala molecular), daqui sai o termo mecanica quantica, que rege toda a parte de movimento e comportamento de sistemas na escala citada

===================

Para cada uma das três unidades existem leis e teorias distintas, mas tanto no caso da relatividade quanto da quantica, vc pode chegar ao chamado "limite clássico", da seguinte forma:

As leis da relatividade tendem a dar resultados parecidos com as da classica quando vc diminui a velocidade do seu sistema (velocidade muito menor que a da luz).

As leis da mecanica quantica tendem a apresentar resultados proximos as da classica quando vc aumenta o tamanho do seu sistema (transforma ele em macroscopico).

Por isso, não observamos fenomenos relativisticos ou quanticos no nosso cotidiano, na nossa escala humana.

Continua...

Jonny disse...

Em Lost, as viagens do tempo são baseadas nesta teoria, e não em mecanica quantica, e no uso de eletromagnetismo para realiza-las, mas isso na verdade, no mundo real não acontece.

De forma rapida: a relatividade tem duas caracteristicas bem diferentes do que conhecemos na fisica classica, a dilatação do tempo e a contração do espaço. Os exemplos dados por Phelps cobrem isso.

Só um exemplo real: os relogios dos satelites que transmitem dados GPS são corrigidos através das correções da relatividade. Sem esta correção, a cada ciclo de tempo ele nos daria coordenadas diferentes para um mesmo ponto, e tornaria inviavel a localização pelos equipamentos GPS.

Jonny disse...

Sobre Física quantica e como eles poderiam explorar isso...

A Física quantica, como disse, trabalha com escalas moleculares e a grande diferença nela, e que fez até mesmo Einstein duvidar que ela era valida de inicio, é que não temos mais a posição exata dos corpos, temos uma probabilidade de encontra-los.

Na nossa escala humana, se vc olha um limão, vc sabe exatamente onde ele esta, sua localização correta e caso vire a cabeça e volte, ele estará lá.

Em quantica, vc não pode dizer a mesma coisa do eletron por exemplo. Se vc pudesse olhar o eletron veria ele em uma determinada posição, ao virar a cabeça e voltar, poderia encontrar ele em qualquer outra posição. Isso pq na escala molecular as particulas se comportam de uma forma muito estranha: são ondas e corpusculos ao mesmo tempo. E devido a esta propriedade, vc não pode dizer com exata certeza em que posição encontrará um eletron, apenas pode dizer com que probabilidade irá encontra-lo. Acredite isso é o mais simples que posso dizer sobre quantica, sem dizer coisas mais especificas sobre.

Jonny disse...

Agora, ESPECULANDO SOBRE LOST...
(E se eu acertar quero ser lembrado depois...hahahaha)


Em Lost eles poderiam trabalhar a ideia dos universos paralelos utilizando o paradoxo do Gato de Schrodinger

http://pt.wikipedia.org/wiki/Gato_de_Schr%C3%B6dinger,

que nasce como um experimento mental de mecanica quantica.

Neste experimento, vc colocaria um gato dentro de uma caixa juntamente com um frasco de elemento radioativo. Uma hora este frasco romperia, e o atomo poderia emitir radiação (matando o gato) ou não (deixando ele vivo). Pela mecanica quantica, enquanto vc não abrisse a caixa, ele estaria nos dois estados, vivo e morto, com a mesma probabilidade. Mas do momento que vc abrisse a caixa descobriria a verdade, ou o gato esta vivo ou esta morto.

Se Lost fosse a caixa, as duas realizadades poderiam existir, mas quando uma delas ganhasse consciencia da outra, passaria a existir uma apenas. No final do episodio, Desmond quer encontrar os outros Losts para mostrar algo, talvez deixa-los conscientes e assim, acabar com os duas realidades, chegando a uma realidade apenas.

Parece meio louco, mas... É Lost

Sapo's Links Page disse...

off topic!!!
============

Jacob não morreu!

Se ambos, o Mib e Jacob, para morrer não podem falar com o seu carrasco e tem que tomar uma facada, digo que Jacob não morreu
vejam essa sena
http://www.youtube.com/watch?v=8VrKJGaNmTw

leo disse...

Caros colegas observando o episodio vocÊs viram como o motorista oferece coisa mundanas ao Desmond prazer carnal na primeira cena e depois bebida.E ainda depois ele diz tudo que você quiser senhor eu tenho?Será que ele pode ser o F(Locke)?
1)Vocês viram que ao sair do elevador o cinegrafista da um close no totem?Algém sabe o que significa aquele totem?
2)Vocês viram que quando Des vai buscar Charlie no logo da corte existe um urso?
3)Na cena do bar com Charlie podemos ver a figura do olho que tudo vê acima de da cabeça de Charlie "Quando ele fala CAPANGA".
4)Quando desce a escada charlie abre a porta é existe uma pessoa atrás dela que parece Ethan.

Ororo Munroe disse...

A maioria das pessoas em Lost reclamavam por terem sofrido o acidente, será q a realidade paralela é para mostrar que o destino deles era mesmo a ilha? Que a vida que eles pensaram q lhe fora roubada por ter caído e por tudo que aconteceu, nao seria REALMENTE a vida que a eles estava destinada?

Galdir Reges disse...

@eco_fernando: acho que não é sombra não, é um peão qualquer do Widmore que se assusta quando a máquina liga e se afasta

@Marco Dias: excelente percepção! O gráfico é muito parecido mesmo!

phelps disse...

Jonny , MUITO BOA a interpretação do Gato de Schrodinger , explicação mais científica para o estado duplo de realidades, impossível.

Se Daniel um dia falar do Gato de Schrodinger nós vamos lembrar de vc sim rsrs

Carla disse...

Jonny,
Muuuito obrigada a vc também! As suas explicações foram muito claras e eu consegui entender pq alguns falam que os losties de uma realidade poderiam ter consciência da outra. É claro que eu não entendo as leis da física, mas com as explicações de vcs eu consigo entender do que eles estão tratando e fica muito mais fácil aceitar coisas que me pareciam não ter lógica alguma.
Eu desconhecia totalmente o que vc e o Phelps explicaram e adorei o que eu li. Continuo achando o assunto lindo. Vcs estão de parabéns!

Rick J. Fox disse...

Só um esclarecimento: Tempo Imaginário é posto no sentido matemático e não no sentido que não exista. Essa possibilidade foi argumentada e defendida por Hawking e exposta de maneira pouco lúdica no Universo Em Uma Casca de Noz.

E as anotações de Faraday estão muito mais próximas da Relatividade Geral que propriamente da Mecânica Quântica!

Vivi disse...

Quando Desmond falo com jack: "vejo vc em outra vida", seria nessa realidade paralela?

Lucius disse...

Uma questão interessante é que além da explosão da bomba em 1977 vimos a explosão da escotilha (na verdade não sabemos bem o que aconteceu quando o Desmond usou a chave) em 2004.
O céu ficou púrpura, um barulho altíssimo, o Locke ficou sem voz, o Mr Eko apareceu na caverna do urso e o Bróda acordou sem roupa e desorientado.
Em seguida, foi apresentado que o Desmond acordou junto da Penny, começou a ter lembranças da ilha (ep. Flashes before your eyes) e quando acordou na ilha, de novo, começou a lembrar das mortes do Charlie.
A dúvida que tenho é se há outras realidades paralelas.
A nova explosão da escotilha não teria criado uma nova realidade? E cada vez que a roda é girada não se cria outra também? E por isso quem empurra da roda vai parar no continente e não pode voltar?

Rock disse...

Vi em alguns sites e foruns dizendo que Lost fala de AMOR, logo me veio a resposta que eu sempre me fazia: Porque diabos um magnata(Charles Widmore)almeja tanto esta ilha ?
Amor!
Amor ?
Sim, amor!
Por Daniel Faraday o filho que ele perdeu, de alguma forma ele tenta trazer Daniel de volta!
Assim como nos flash-sideways Eloise Hawking tenta proteger Daniel(fala pro Brotha parar de “procurar”)
Eloise Hawking de alguma forma “criou” essa realidade paralela(como sabemos ela matou o proprio filho antes mesmo dele nascer)

Viajei ? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

alegatez disse...

Referência a Ob-la-Di Ob-La-Da - Beatles. Lá tem um Desmond tb que vive uma vida comum e happy ever after. Tá bom, é viajar demais hehe...

BLOG DO GUI disse...

Não consegui ler todos os comentários mas gostaria de uma luz, mesmo que já tenha sido discutido...

quem é Eloise? Como ela consegue entender as realidades paralelas? Quando e como isso aconteceu?

Como não vi (embora tenha passado rápido pelos comentários) essa dúvida, devo ter perdido algo.

No episódio onde ela estava grávida e mata o filho adulto com o mesmo na barriga ela parecia ainda ser uma peça do tabuleiro...

Onde tá o pedaço dessa história que eu perdi?

Maricy disse...

David,kd o pod????? estou acessando de 1h00 em 1h00 mta ansiedade..rs...

Blondie disse...

Cadê o Dudecast, Davi????

Vc disse que sairia hoje pela manhã :/.

Obs: compreendo o atraso já que deve ter dado muito trabalho tratar de tudo que aconteceu nesse magnífico episódio, mas minha ansiedade fala mais alto!

Ótimo trabalho, dudes! Abços.

Alexandre disse...

@Blog do Gui

Essas são questões que ainda não foram respondidas, mas me parece bem claro que ainda entenderemos o que a SR. Hawking quer, e o que realmente aconteceu em 1977. Eu esbocei uma ligação dos fatos num comentário lá em cima.

Abs
Alexandre C.

Hugo_O disse...

@alegatez: boa referência!
Beatles é a banda e Desmond é o cara. Mesmo assim não consigo gostar dessa música. heheheh

Hugo_O disse...

@BLOG DO GUI: essa bola já foi levantada pelo Guilherme num post lá de cima. É realmente uma dúvida coletiva, já que não sabemos a história anterior à sua adolescência, o período entre a gravidez e 1.a infância de Daniel, como ela parar na Lamp Post bem como seu conhecimento sobre as várias coisas.

Guilherme disse...

Compulsivo, não diga que Donnie Darko é boring, vai criar intriga comigo, rsrsrs
Gosto demais do filme, assisti mais de 4 vezes e tenho o DVD. Ah, e ele não é de 91 e sim de 2001, porém a história se passa no final doa anos 80 - se não me engano.
Namastê!

Juliana Ramanzini disse...

Pessoal, o podcast sai hoje! Por motivos de chuva maior... ficamos muito resfriados e precisamos descansar um pouco neste final de semana. Agora estamos melhores e fungando menos! kkkkkk Hoje sai!

Galdir Reges disse...

O Ju! Pode gravar fanha e fungando mesmo! O povo vai achar que é sentimento pelo episodio!

Rômulo disse...

Se o Davi ja assistiu Cavaleiros do Zodiaco vai se ligar nessa armadura de Deus Tauret - http://www.pharaonwebsite.com/users/brito/fanarts/armures/[Brito]-Thoueris.jpg

mdimendes disse...

Contanto que vcs estejam bem e em segurança jú, pode sair até na semana que vem. Eu já estava preocupado com vcs. Mas fiquei feliz de ver que apesar da gripe estão bem. Só não vão passar pro Guri hein!

Dana disse...

Oi Davi,
Estava pensando sobre o que vc colocou como se o Des tivesse visto a outra realidade como um sonho... pois eu tive uma impressão bem diferente quando vi o episódio.

Pra mim, até o momento que ele cumprimenta a Penny, a realidade paralela estava acontecendo pra ele como aconteceu até então nos outros episódios... nada de novo. Quando ele perdeu a consciencia na ilha (o q Wildmore diz que aconteceu por apenas alguns segundos), ele viajou para a paralela, tomou consciência das duas realidades (o q me leva a crer que ele se lembrou de tudo que viveu com Penny) e voltou para a realidade na ilha (o que justifica o desmaio)... Como Penny sempre foi a sua constante e ele a encontrou na paralela, não vimos aqueles momentos em q Des simplesmente pipocava entre realidades até encontrá-la.

Parece obvio que todos os personagens que morreram na paralela tem um acesso mais fácil à realidade da ilha. Creio que isso simplesmente ocorre por não existirem mais na realidade "principal" e isso os permita, mesmo que de uma forma superficial, coexistir em ambas as realidades.

Sobre o monstro de fumaça se movimentar... E se ele só puder fazer isso sobre os bolsões de eletromagnetismo da ilha? Funcionando de forma semelhante a 2 imãs c/ polos invertidos e com uma superficie fina entre eles, onde, caso 1 seja movido, o outro também se move. Dai ficaria facil explicar aquelas torres pelas quais o monstro não passa... mesma polaridade.

Abs e parabéns pelo blog, ta demais!

v_barda disse...

realmente esse episodeo foi mtu bem aceito pelos fans! bom pelo menos por mim! senti como se eu estivesse vendoo aqueles episodeos malucos da primeira e segunda temporada q fazia a cabeça girar! demais

Brunno disse...

Eu estava pensando em algo meio louco: existe a mínima possibilidade de que a realidade paralela seja a vida dos losties quando eles dormem na realidade da ilha. Claro, isso é louco demais, e eu não acredito nisso, mas só quis desabafar HAUEUAEHUAEUHAUHAE.

Kadú disse...

Um grande episódio pedia uma grande cobertura. E vocês não deixaram a desejar. Um post completíssimo e com toda a repercusão que o episódio causou. Parabéns!

Depois de ler tanta coisa fica até difícil acrescentar algo. Sobre Lost ser uma história de amor, isso não me surpreendeu. Tudo, ou ao menos quase tudo, na série girou em torno de motivações ou desiluções pessoais, para alegria de muitos e pra desespero de poucos.

Após Happily Ever After eu me arrisco a dizer que se a série acabasse hoje eu estaria mais do que satisfeito. Tudo o que eu esperava do Show ele me proporcionou. Agora só me resta curtir os 6 últimos episódios.

That's all.

@kadulights

Kadú disse...

Ah, só mais uma coisa...

Pra mim esse episódio foi muito melhor que Ab Aeterno. Isso de modo algum tira o brilho e a importância do episódio que nos contou a história de Richard Alpert, mas sim engrandece o Happily ever after.

@kadulights

Fernanda Ramos disse...

Juliana Ramanzini disse...

Pessoal, o podcast sai hoje! Por motivos de chuva maior... ficamos muito resfriados e precisamos descansar um pouco neste final de semana. Agora estamos melhores e fungando menos! kkkkkk Hoje sai!



Estao melhor de saúde

Hugo_O disse...

@Dana: a cerca é sônica, não magnética.
E se ele só pudesse se movimentar sobre bolsões, ele simplesmente não ia poder sair da ilha de qualquer jeito.

Ororo Munroe disse...

Henry Ian Cusick foi incrivel, como sempre, ali, dentro do aparelho de ressonancia magnetica.so com os olhos mostrar toda a gama de sentimentos..do preocupado>feliz, emocionado...ADOREI!

lucas disse...

Estava pensando, sei que não há tempo para isso, mas será se existe apenas uma realidade paralela? Se houver mais, talvez posa a ser a explicação para o episódio flash before your eyes e tantas outras visões que personagens tiveram.

Ana. disse...

Lendo este post, me veio na cabeça uma provavel explicação para essa dimensão paralela. Eis minha teoria:
O avião caiu na ilha, eles viajaram no tempo, passado, futuro, passado, e la nos anos 70 resolveram explodir aquela bomba com o objetivo de mudar "o que aconteceu" e eles nunca cairem na ilha. Entretanto, eles jamais poderiam "mudar o passado" se nunca tivessem caido na ilha e voltado no tempo. Dai o surgimento de outra realidade, 2 agoras: a primeira, q é a real, onde eles puderam mudar o rumo das coisas, e a segunda, onde o rumo das coisas foi realmente alterado. O Dan diz ao Des que acha que ja explodiu a bomba.. e foi mesmo! e exatamente isso criou essa falsa realidade...
Nessa nova realidade, eles nunca cairam na ilha, nunca voltaram pro passado e nunca "corromperam" o Ben (Pq como vimos do Ep. Dr. Linus, a ilha existiu, de certo modo).
Só não sei explicar pq isso alterou o "antes do 815" de alguns losties... Talvez pq então Jacob n teria interferido na vida de ngm? Pq pensando bem, só quem tem uma vida diferente de antes são os candidatos, ou os diretamente envolvidos com a ilha (Charles, Daniel, Desmond...) ou to enganada? Não sei...

★βЯŲΩΦ★ ★K∆k∆★ disse...

@felipe disse...
É bem provavel que o botao do computador era apertado a cada 108 minutos para liberar uma energia a fim de nao permitir a saida da fumaca preta da ilha.
Alguem acha isso possivel?

O que foi dito anteriormente é que o botão era apertado para que não liberasse o gás, e por isso o Faraday quis parar a perfuração, pois assim sendo o avião não cairia na ilha.
Até por esse fato a mula do Jack resolveu ajudá-lo!

Grande abraço.

Bruno Maia!

ademirrafaelmg disse...

nossa! essa teoria Faraday-ntuplas personalidades-Mib-Jacob-centro da história, já tá me dando nos nervos... em todos os sites, a maior parte dos comentários citam esse rumor...
 
Faraday sempre foi um dos meus favoritos, mas espero q esse não seja o final...
 
[modo "indignado por saber um possível final" off]

funkyboogie disse...

Dois quadros e não um!!!!!! Davi!!!! Urgente, lendo um blog gringo sobre lost, descobri que não éum só quadro da balança no escritório do Widmore, mas sim, dois. Um com a moldura branca e outro com a moldura preta... Veja: o branco, qdo Des entra no escritório em 11min47seg e o com a moldura preta em 12min14seg, do outro lado da sala, ao lado do veleiro!!!!!
abraço, Nilson Coelho

funkyboogie disse...

http://img232.imageshack.us/img232/4784/whitej.jpg


http://img685.imageshack.us/img685/4701/blackhk.jpg

★βЯŲΩΦ★ ★K∆k∆★ disse...

@★βЯŲΩΦ★ ★K∆k∆★ disse...
@felipe disse...
É bem provavel que o botao do computador era apertado a cada 108 minutos para liberar uma energia a fim de nao permitir a saida da fumaca preta da ilha.
Alguem acha isso possivel?

O que foi dito anteriormente é que o botão era apertado para que não liberasse o gás, e por isso o Faraday quis parar a perfuração, pois assim sendo o avião não cairia na ilha.
Até por esse fato a mula do Jack resolveu ajudá-lo!

Grande abraço.

Bruno Maia!


Dude,

Onde vocês lêem 'gás' entendam energia... Quase igual né? rs.

Grande abraço,

Bruno Maia!

Alexandre disse...

* Teoria:
1- O MIB (Homem de Preto ou o Jacob poderiam estar assistindo a explosao e permitido um realidade paralela..
só para ficar testando as teorias deles. Por exemplo o MIB poderia ter proposto, vamos fazer um teste sem que voce (Jacob) interfira na vida deles..
2- Desmond tinha que apertar o botao a cada 108 minutos para evitar que o Monstro de fumaça (o Mal) Saisse da ilha.
3- O mostro de fumaça pode ser uma manifestaçao do mal ou uma manifestaçao eletromagnética desconhecida !

Dana disse...

@ Hugo_O Você tem razão, a cerca é ultra-sonica. Por um instante me esqueci disso! Entretanto este fator ainda não anula minha teoria sobre a movimentação do monstro, porque quando me referi a ele se movimentar sobre bolsões era somente na forma de fumaça (afinal, aparentemente ele foi de barco para a outra ilha)... lembrando o Sawyer quando ironiza o fato de o monstro não virar fumaça e sair voando da ilha. Mas sinceramente, espero que suja uma explicação melhor sobre isso.

Ah, outra coisa, sendo a fumaça constituida de partículas eletromagnéticas, tem justificativa clara para ele não passar pela cerca tb. As ondas, quando ultrapassam alguma coisa, no caso a fumaça, elevam a temperatura local. E, se sabe que certos imãs, quando submetidos a altas temperaturas, perdem suas propriedades eletromagnéticas.

Hugo_O disse...

@Dana.
Bem... eu evito entrar em detalhes técnicos (afinal: não é um fórum de física heheh), mas talvez esclarecer algumas coisas seja bom.

Sim, é verdade que ultra-sons podem aquecer por onde passam as ondas dependendo da intensidade(afinal: som é uma onda mecânica e temperatura movimentação de moléculas). Também é verdade que ímãs aquecidos podem perder a propriedade magnética(altera-se a estrutura microscópica, alteram-se os spins eletrônicos e a orientação da direção dos pólos).
Mas nuvem eletromagnetica non ecziste! (Esse cara ainda tá vivo? ehehe). Mas sério: se ele for uma nuvem de algo, seria uma nuvem magnética, na minha opinião. Eletromagnetismo está associado a ondas de energia, e estas se propagam independente de meio, e também não perderiam propriedades, porque encaradas como tal, são energia pura (a fenda, por exemplo, não bloquearia).

Mas rigor à parte, vou pensar junto com vc: supondo o MIB como essa nuvem magnética, realmente a cerca poderia segurá-lo nesse caso. Agora os bolsões sendo magnéticos (pq é como vejo fazendo sentido) não tenderiam a atrair ou repelir totalmente a nuvem? (ou seja, ou ele fica totalmente parado sobre o bolsão ou simplesmente não consegue passar por cima do mesmo). Vamos supor que exista a possibilidade de um bolsão eletromagnetico na ilha (ou seja, é uma fonte de radiação que emite ondas como raio-x, luz, raios gama ou IR), esse ainda assim teria pouquíssima (p/ não dizer nenhuma) influência sobre a nuvem, a não ser (talvez) que a fonte lançasse raios colimados (com orientação de campos) e olhe lá. Esse tipo de emissão, eu mesmo só vi em lasers, mas não tenho muita idéia do efeito em um campo magnético, imãs.
Talvez um físico possa ajudar nessa questão. E se ajudar, me corrija se dei algum furo! eheheh

Galdir Reges disse...

@Hugo_O: Eu gosto de teorias :) .Cara, eu concordo com vc, mas ainda acho q uma nuvem magnetica por funcionar. O jeito que vejo a nuvem funcionando é ser uma nuvem de nanobots... cada particula flutuaria se equilibrando com as outras a seu redor via eletromaginetismo. Cada uma inclusive poderia se recarregar com o magnetismo dos bolsões, numa relação complexa das de baixo com as de cima.
Mas parece que a teoria de nanobots já foi negada pelos produtores então temos que deixa-la de lado.
Por outro lado, e isso é bem louco, o Monstro pode ser algum tipo de organismo que funciona da mesma forma dos nanobots, e chuto ainda que seria uma espécie de colméia, com consciencia coletiva e que usa algum hospedeiro como rainha. Esse organismo se desenvolveu pela seleção natural ou não, exclusivamente na ilha justamente por causa dos bolsões magneticos.