19/03/2010

Ep. 6x08 “Recon” – Easter Eggs, curiosidades e repercussão

Uma das coisas mais fascinantes e talvez mais singulares que Lost traz é essa intensa capacidade de promover debates e opiniões apaixonadas. Dito isso, “Recon” pode não ter sido o melhor episódio da temporada, mas daí a ver tanta gente falando que foi decepcionante e dispensável, é para mim no mínimo uma grande injustiça. Discordar, não gostar e etc é direito de cada um, mas não argumentar como a maioria faz chega a ser até irritante. Mas falemos do que importa nesse post, shall we?

Mostrando um James Ford igual, mas ao mesmo tempo bem diferente em outros aspectos, a narrativa dos flash sideways (talvez o mais empolgante até aqui) aplica um pequeno golpe, que não só brinca com o próprio título do episódio (Recon, um novo golpe), mas sobretudo subverte nosso entendimento com relação ao personagem, o que nunca é pouca coisa à essa altura do campeonato.



“Estou com (F)Locke agora.” Aparentemente movido apenas por seu egoísmo até ali, não demorou muito para que Sawyer voltasse a se mostrar interessado em seus amigos ao garantir a Jin que o levaria para fora da ilha com Sun caso a encontrassem conforme esperava o coreano àquela altura. Ainda da cena que abriu o episódio, impossível não notar o leve desconforto do novo reencontro de Sawyer e Kate principalmente depois daquela impactante cena entre os dois ocorrida no pier durante o episódio “What Kate Does”.

Leia mais...

    “Surpresa!” O James Ford da realidade paralela, não só é um policial, como também um aparentemente especializado em prender golpistas. Da cena que trouxe essa revelação algumas boas curiosidades: 1) A jogada utilizada por ele com o lance da pasta se abrindo com o dinheiro é idêntica àquela que serviu para nos apresentar o lado golpista do personagem em seu 1º flashback no início da série. 2) LaFleur, a senha que usou para chamar seus amigos policiais, obviamente nos remete ao sobrenome que Sawyer adotou durante seu período como chefe de segurança da Dharma, onde tinha como parceiro justamente Miles, agora também um policial nessa paralela. 3) Ava, a mulher que ameaça James foi interpretada pela bela atriz Jodi Lyn O'Keefe, rosto conhecido dos fãs da finada Prison Break onde fazia a duas caras Gretchen. 4) Os números representados pelo 8 e o 42. Uma tradição na série sempre aparecendo em relógios nas mais diversas situações.

    “É tudo que eu tive.” Se Kate tinha alguma dúvida sobre a sanidade de Claire, certamente a dissipou ali, afinal, que pessoa normal, mesmo traumatizada pela separação do filho e obcecada em reencontrá-lo guardaria uma espécie de mini Frankenstein como lembrança? Weird...

    “O monstro os matou.” Ele pode até ser mais um manipulador nato na longa lista de experts no assunto ali, mas (F)Locke efetivamente não mentiu ao dizer o que matou os que ficaram no Templo, ao ser questionado pela ex-aeromoça, Cindy. E ok que ele tenha ‘esquecido’ de revelar a todos os presentes ali que o monstro no caso é ele mesmo, porque o que realmente deve ser destacado daquela cena, é o fato de o termos visto consolando o garoto Zach. A jogada ali, claro, representava mais um passo de seu golpe: ganhar a plena confiança daquelas pessoas com a promessa, ‘vou tirá-los daqui, responder o que querem. Cuidarei de vocês.”

    Também naquela cena mais duas observações: 1) Claire buscando a proteção de Kate cuja mão segura. Reação espontânea ou jogada armada? Mais sobre isso daqui a pouco. 2) A revelação de Sawyer a Kate: “não estou de lado nenhum”, frase que deixava clara as bases que movem o comportamento do personagem nesse momento da história. Seguir fulano ou beltrano não é nem de perto sua intenção. Para o experiente (ex?)golpista, a única coisa que ele deseja é encontrar um facilitador para sua saída da ilha conforme ficaria claro ao final do episódio.

    Quem é Anthony Cooper dessa realidade paralela? Apenas um velho arrependido de seu passado que encontrou na aparente boa relação que tem com o filho Locke a chance de se redimir? Até aqui é o que parece, mas não resta dúvidas de que o eventual encontro de James com o responsável pela destruição de sua família deve render momentos tão interessantes quanto aqueles que vimos no episódio 3x19 “The Brig”.

    Ainda dessa cena, a dica de que Pierre Chang também existe nessa realidade paralela, afinal, Miles se refere a ele (não nominalmente, claro) quando revela a James que ele teria um encontro com uma moça que trabalhava no mesmo museu de seu pai.

    “Eu sou o monstro de fumaça.” Num episódio em que golpes e mentiras foram vistos a cada nova cena, curioso ver (F)Locke revelando sua real natureza para Sawyer dando uma justificativa para ter matado as pessoas do Templo com aquele papo de ‘era matar ou ser morto’. Da cena, fica claro que a atitude dele ali tinha um motivo bem específico: (tentar) ganhar mais pontos na escala de confiança de Sawyer à medida em que o mandava para a ilha Hidra testando-o ao mesmo tempo em que se tratava de um 'mero' reconhecimento de terreno.

    Dos pontos mais curiosos que marcaram a reaparição de Charlotte (belíssima, diga-se de passagem) tivemos: 1) Mais uma menção da série ao universo de George Lucas quando Indiana Jones surge na conversa que marca o flerte direto entre a ruiva e o policial James Ford. 2) Charlotte dizendo que seu trabalho a fazia viajar muito (ela ainda procura por suas origens também na paralela, talvez? Duvido que descubramos.) 3) Ao explicar porque virou policial fugindo de se tornar um criminoso, James menciona Bullit, filmão protagonizado por Steve McQueen no final da década de 60 onde ele faz justamente um policial.

    James Ford ainda pode ser um sujeito atormentado pelo fantasma de Anthony Cooper na realidade paralela, mas pelo menos o cara continua se dando muitíssimo bem com as mulheres, não? Pois é, da cena que marcou sua reação de raiva ao ver que Charlotte descobrira seu segredo de família, não dá para deixar de destacar o fato de que a leitura continua sendo um dos hobbies preferidos do personagem.

    Dentre as opções que vimos sobre a cômoda estavam: “Watership Down” de Richard Adams, livro que já aparecera antes em Lost com o próprio Sawyer dizendo que o tinha lido e que fala sobre coelhos (olha aí outra recorrente menção dentro da série) tentando se organizar como grupo num lugar utópico; “Lancelot” de Walker Percy, sobre um advogado que mata a esposa depois de descobrir que a filha que tinha com ela não era dele, e que Sawyer também já aparecera lendo em cena do episódio “Maternity Leave” da 2ª temporada; e finalmente “A Wrinkle in Time” de Magdalene L’Engle, mais um livro que Sawyer também já havia lido na ilha e que trata de 3 crianças em busca do pai pelo espaço tempo onde constantemente tem que lidar com um vilão referenciado como ‘a coisa escura’...

    Outra pequena curiosidade que corrobora a total ausência de qualquer influência de Jacob nessa realidade, vem do fato de que James parece não ter aquela cartinha que escreveu ao ser incentivado quando garoto (o que acabou sustentando boa parte de sua obsessão para localizar o verdadeiro Sawyer, vale lembrar).

    Ok, vamos combinar que essa cena do Sawyer relembrando os momentos que passou com Kate na jaula foi só para ilustrar que a resolução do romance ainda continua aberta na trama? Pois é.

    Hum... Então quer dizer que o Sayid agora virou praticamente um zumbi na ilha? Como explicar sua total falta de reação ao ver Claire atacando Kate violentamente a ponto de quase esfaqueá-la? Agora sobre o ataque da loira, vocês também ficaram com a forte impressão de que ele foi incentivado por (F)Locke, que ao intervir, sabia que poderia obter uma chance de ganhar a confiança de Kate?

    Sawyer encontra o Ajira e com ele uma pilha de corpos. Trabalho do monstro ou do bando de Widmore, afinal? E essa tal Zoe, hein? Se dizendo a única sobrevivente, não demora muito a se entregar na mentira facilmente reconhecida por Sawyer, um mentiroso nato, que rendido pelo grupo armado que a acompanhava, só faz um pedido sarcástico: “Leve-me ao seu líder.”

    Liam Pace aparecendo na delegacia de Los Angeles a procura do irmão, Charlie não dá nem para chamar de easter egg, de tão óbvio que foi, certo? Pois é, então destaquemos a reação indignada de Miles confrontando James por conta de sua mentira envolvendo a viagem à Austrália. Aliás, por falar nela, o que será que fez com que James fosse até a terra dos koalas nessa paralela, hein? Como sabemos, na realidade considerada original Sawyer foi para lá por causa de uma dica que se revelaria falsa dada por Hibbs (Robert Patrick em participação especial), mas e agora o que teria motivado sua viagem uma vez que é razoável assumir que nessa paralela e sendo policial, James dificilmente teria como camarada, um golpista como o tal Hibbs?

    Ah sim, ainda nessa sequência vimos mais um personagem se encarando num espelho, recurso que já fora usado nos sideways de Jack por exemplo, e que no caso de James, simbolizava também sua profunda frustração sustentada pela necessidade de querer seguir em sua busca pessoal, mas que exigia dele mentir para pessoas com quem se importava no processo. Ao quebrar o espelo, James quer dizer a si mesmo que não gosta de ser aquele homem amargurado e que não conseguiu se livrar do passado.

    Ao assumir ter alimentado a mentira sobre o paradeiro de Aaron para Claire e vir com aquele papinho furado de que a loira precisa ter sua raiva canalisada para algum ponto, (F)Locke reforçava sua tentativa de não apenas acalmar Kate, mas sobretudo ganhar sua confiança. Outro ponto alto daquela cena entre os dois veio do momento em que ele disse não ser um homem morto e mencionou um pouco sobre a mãe, uma mulher perturbada que teria lhe provocado traumas profundos. Ou seja, é o dad issue subvertido para a figura materna e mais um elemento para especulação de sua origens. Sobre isso aliás, a cena parece reforçar aquela ideia constantemente discutida por muitas pessoas apontando o homem de preto como sendo uma referência explícita e direta para Esaú, irmão de Jacó (Jacob em inglês), que na história bíblica acabou preterido pelo último.

    A instalação de uma cerca sônica já dá a dica: Widmore não pode ser aliado ou qualquer coisa que o valha do monstro. Agora, e aquela porta trancada dentro do submarino, hein? Ficou óbvio que ela guarda algo muito importante que descobriremos mais a frente. Mas, o que seria? Uma coisa ou alguém, tipo Desmond, talvez?

    Sobre a conversa que teve com Widmore, vale o registro do que foi o inicio da tentativa de golpe de Sawyer: entregar (F)Locke em troca da garantia de saída da ilha com seus amigos.

    Sempre buscando no isolamento seus momentos de relativo conforto e quem diria que ele encontraria a motivação para buscar companhia justamente numa série de tv. A cena que James assistia enquanto tomava sua cerveja, era da antiga série “Os Pioneiros” (Little House on the Prairie no original), programa exibido por 9 temporadas nos EUA e que baseado em livros de memórias de Laura Ingalls, trazia histórias sempre carregadas de lições de vida, por vezes piegas, mas não menos emocionantes. Na cena que vimos especificamente, o patriarca da família, Charles Ingalls, conversa com a filha, Laura, sobre saber viver o presente e entender que ninguém morre definitivamente quando se está guardado sob a forma de boas lembranças. Pois é, livro de auto ajuda perde fácil pros Ingalls.

    Disposto a tentar acertar as coisas com Charlotte, James vai a casa dela para se deculpar e leva uma combinação incomum para tentar seduzí-la: cerveja e um girassol, que por acaso é a mesma flor que dá a Juliet em cena do episódio “La Fleur”, lembram? Pois é, tá aí o porque do cara mesmo na paralela usar um código que remete ao Sawyer da ilha em seus tempos de Dharma. Azar o dele no entanto, que Charlotte não queria mais papo e mandou na lata um , “você estragou tudo.”

    O de certa forma surpreendente pedido de desculpas de Claire, que rápida e estranhamente diz ter entendido o que Kate fez foi um outro bom momento do episódio. Agora, a atitude foi sincera ou só mais um momento de instabilidade da loirinha? Obviamente ainda é difícil afirmar qualquer coisa de forma categórica, mas acho que é razoável esperar que esse conflito não acabe nisso, sobretudo porque seria interessante efetivamente descobrir o que aconteceu com Claire desde seu sumiço e como e se vem sendo usada por (F)Locke como somos levados a crer até aqui.

    A 2ª parte do golpe de Sawyer: dizer exatamente a verdade do que viu para (F)Locke na tentativa de fazê-lo se confrontar com Widmore. Aliás, ficou parecendo que (F)Locke sabia que Widmore e seu grupo estariam por lá, não? Aliás, será que quando pediu para que Ben fugisse e o encontrasse naquela ilha (conforme vimos no episódio anterior), o fazia na intenção de se livrar dele sabendo de sua rixa com Charles? Hum...

    O fim de um segredo. No exato momento em que conta sua história para Miles e promete continuar a busca pelo homem que deseja matar, James tem o carro atingido, persegue o motorista fujão e dá de cara com Kate, que parece não ter conseguido se manter anônima por muito tempo mesmo sendo ajuda por Claire no hospital como vimos antes. Será que ainda veremos a continuação dessa cena? Tomara, porque curiosos creio que todos ficaram, ou não?

    Golpe revelado. Sawyer conta seu plano para Kate e confirmando o que dissera no início do episódio, afirma que não estava trabalhando para (F)Locke. Danem-se as ideologias, ou mesmo quem está certo ou errado. Para James ‘Sawyer’ Ford, a única cois que realmente importa é dar adeus àquela ilha e seguir em frente. E de preferência com Kate, pelo visto.

    Repercutindo o episódio

    “ ‘Recon’ realmente funcionou para mim graças ao bom retorno de James ‘Sawyer’ Ford ao centro da história e à narrativa inteligente que fazia cada diálogo parecer ter duplo sentido. Além disso, não dá para ignorar as várias cenas que carregam possibilidades para entender o que realmente está acontecendo na série.”

    Jeff Jensen – EW

    ***

    “Tenho dedicado algumas boas linhas ao longo das últimas semana para desenvolver uma teoria sobre o significado dos flash sideways e continuarei fazendo isso. Mas fato é que quando um episódio consegue ser divertido nas duas realidades como ‘Recon’ foi, assim como a série de uma forma geral – minha vontade de questionar, analisar e teorizar fica em segundo plano, por causa do meu desejo de relaxar e curtir.”

    Allan Sepinwall – What’s Allan Watching

    ***

    “É claro que ao longo destas temporadas aprendi a ter certa paciência com LOST, ainda mais sabendo do que está por vir já na próxima semana. Contudo, reconheço que Carlton Cuse, Damon Lindelof e cia. poderiam, ou melhor, deveriam ter dosado a dicotomia mistérios-revelações já que estamos literalmente roendo as unhas de ansiedade com esta iminente guerra que Charles Widmore está patrocinando. Um ótimo episódio sobre James Ford. Um mediano episódio sobre o resto.”

    Bruno Carvalho – Ligado em Série

    ***

    “Não importa de qual realidade tratemos, nas duas a jornada de Sawyer tem sido aprender a se conectar com outras pessoas, apesar do que Anthony Cooper fez com sua família quando ele tinha 9 anos. Em amabas realidades, Sawyer sabe que não dá para se conectar com a vida sendo obcecado com os mortos. Só dá para se conectar com a vida vivendo o presente, apesar dos riscos envolvidos ao se confiar nos outros.”

    Maureen Ryan – Chicago Tribune

    ***

    “E um episódio fica tão mais divertido quando tem cara das primeiras temporadas, quando nos faz esquecer por 42 minutos que seja a luta entre Jacob e Não-Locke, o espelho, o farol, o templo, o samurai, o destino, o livre-arbítrio. Como eu já vi que esse final da série vai ser bem frustrante e como a história não está muito me empolgando, vamos nos divertir.”

    Claudia Croitor – Legendado

    ***

    “Sawyer é, sem dúvida, um dos personagens mais bem trabalhados de Lost. Seus episódios são geralmente bons e a atuação de Josh Holloway só cresceu desde o piloto. Muitos vão dizer que Recon foi fraco, não acrescentou nada e que pode ser um dos piores da temporada. Eu discordo!! O episódio, centrado no golpista, introduziu os motivos de Widmore na ilha, mostrou mais da Claire, nos deu uma pista interessante do passado do homem de preto e de como ele deseja sair da ilha, além de ter tido um dos flashsideways mais interessantes, em minha humilde opinião.”

    Caio - Apaixonados por Séries

    ***

    “Darlton corre o risco de detonar uma boa parte dos seus episódios mais leves com momentos anticlímax, tal qual o Sawyer fazendo uma lasanha após conversar com Charles Widmore. É Extremamente arriscado e está fazendo metade dos fãs torcer o nariz para a temporada, mas boa parte do meu relacionamento com a série é confiança e até o final continuarei acreditando que a resolução para os flash sideways será tão satisfatória que nos fará rever a temporada toda com outros olhos e parará as reclamações sobre sua relevância.”

    Mateus Borges – Série Maníacos

    ***

    “Pela primeira vez um flashsideway enrolou pra caramba. O comecinho foi bem bacana e tal, mas a partir daí a coisa foi pra um marasmo sem fim. Ok, legal ver que o Sawyer, apesar de também ter sofrido o trauma na infância do "original", fez uma escolha correta na vida e mesmo assim continuou na sua missão de matar Anthony Cooper; mas gastar um episódio inteiro pra contar só isso isso, foi sacanagem. Gente, 8 episódios pro fim! Onde isso vai dar?”

    Ricardo Rente – Território Nerd

    ***

    “Foi intrigante ver a história de Sawyer contada sob u mângulo diferente. O primeiro choque da paralela foi ver como James é diferente de Sawyer; a segunda foi ver o quanto os dois tem em comum. E os paralelos com a vida na Ilha foram um prazer à parte: a parceria com Miles; sua palavra código, “La Fleur”; e ver um elegante Sawyer com a belíssima Charlotte, foi provavelmente a oportunidade mais bem aproveitada em Lost de colocar dois personagens ‘quentes’ juntos na tela.

    James Poniewozik – Tuned In (Revista TIME)

    ***

    “... o James Ford que encontramos hoje na realidade original é um homem que, como testemunhamos bem, tentou o caminho das virtudes e das emoções, guias de um herói. Pouco adiantou contrariar um paradoxo todo seu: uma vez na ilha, é em seu autodesprezo que James consegue se enobrecer; e é em seu egoísmo que ele acaba se transformando em altruísta. Como negar isso diante do homem que pode ter encontrado uma salvação para o grupo através de um ato duplo de traição?”

    Carlos Alexandre Monteiro – Lost in Lost

65 comentários:

Mariana Gurgel disse...

Até que enfim! Tava morrendo de ansiedade pelo post!

Eduardo Veras disse...

demorô

;D

adoro

Emílio disse...

Estranho não terem comentado ainda, tendo em vista a revelação que na realidade paralela Sawyer é um policial, sua cena com Kate no aeroporto em LAX, onde ela está algemada, e ele não alerta os seguranças. E sobre o Homem de Preto, será que sua 'mãe' louca é na verdade a ilha? Que venha Ab Aeterno

Gabizinha Vidal -Santos -SP disse...

Esse Easter Eggs foi o mais que eu já vi aqui no dude!
Quando eu vi a porta trancada do submarino a primeira coisa que eu pensei foi, o Desmond tá ai dentro!

Gabriela B. disse...

Greve de sono até o dudecast sair ;0)
(aqui na Alemanha sao 0:03 hs)

Blondie disse...

Completíssimo o post!

Emílio, tbm pensei nisso! Ele não alerta os seguranças e ainda faz mais: ajuda, deixando ela sair logo do elevador, apesar de ter visto suas algemas! Realmente ficou contraditório! Porém não creio que teremos explicação para isso, pelos menos não na série. Quem sabe os produtores respondam em algum podcast desses, né?

Luciano SC disse...

Eu fiquei com a impressão que quando o MIB fala para Kate que sua mãe era louca ele estava falando da mãe de Locke, digo isso porque Kate parece pensar que aquele é o mesmo John Locke que ela conhecia e nem imagina outra outra coisa, como muitos outros já descobriram ou no mínimo desconfiam.
Sabendo disso, é normal que o MIB finja ser quem não é, pelo menos para Kate.
É só minha humilde opinião, mas eu acho que faz sentido.

Gabizinha Vidal -Santos -SP disse...

Corrigindo.Eu quis dizer que esse Easter Eggs foi o maior que eu já vi aqui no Dude.

Roneba disse...

opa, faltou o principal: Sawyer sacando que o que ele estava construindo quando ficou preso na hydra, era a pista de pouso do voo Ajira!

Ronaldo Brito disse...

Cara... gostei do episódio mas temo que os enigmas da ilha sejam explicados em quinze minutos de conversa entre richard e os sobreviventes, sentados em troncos de árvore na praia com uma fogueira acesa...

Eles não tem tempo pra explicar tudo... sei lá... parece meio óbvio...

Mas vamos esperar ansiosos o episódio mais aguardado... Apartir da semana que vem acho que teremos o direcionamento que desejamos...

Tamy disse...

Nossa, é verdade... Se o Sawyer é um policial nessa realidade paralela, por que que ele ajudou a Kate no aeroporto??? Eu nem lembrava disso...

Brunno disse...

Oras, ele não ajudou porque ou ele teve uma ligação com a Kate ou porque ele gostou dela de primeira, sendo aquele cara mulherengo que ele sempre é.

RicardolbSdA disse...

discordo se dizem que foi um episodio irrelevante, es que aqui foi decisivo para levarnos a um proximo embate e gancho no plot; monstro x widmore.
porém permace HORRIVEL esse ator de sawyer, e isso fica totalmente perceptivel quando vemos um episodio focado nele, o sujeito é inexpressivo quase um cyborg sem emoções.
joguei no google e o nome da figura é:Josh Holloway, você fede!

Sergiola disse...

Começo a dar razão ao Homem de Preto. Jacob destruiu a vida de inúmeras pessoas ao trazê-las para a Ilha. Exceção feita a John Locke, todos os personagens que já tiveram um flashforward parecem ter tido uma realidade alterativa mais interessante.
Essa dicotomia de que Jacob é o bom e FLocke é o mau, me parece equivocada.

Lucius disse...

O Sawyer comenta durante o episódio que teve uma dica que o levou a Austrália. E pode até ter sido da mesma pessoa que a deu no início da série, porque os informantes de policiais são os bandidos.
Outro ponto, o Sawyer havia comentando com a Kate, quando eles fugiram da outra ilha, que tinha ficado um tempo em casa por estar doente e que assistia esse seriado (ela tinha rido dele antes por faazer referência ao seriado).
Quanto à ajuda que ele deu à Kate no aeroporto, ele estava viajando escondido, não deveria se envolver em qualquer incidente que apontasse sua presença no vôo. Além disso, não me parece ser o policial certinho. Esse é o Miles.

libélula disse...

Gostei do episodio... Amo o Sawyer... Mas confesso q o q me encantava em lost se perdeu no desfecho da trama. Antes, nas primeiras temporadas, eu tinha a sensação de que td já estava esquematizado pelos autores, sabe? Tudo se encaixava. Como se cada misterio ja tinha uma resposta. Hj a sensação q tenho é a d q eles jogaram tantos misterios, tantos "por ques" e agora eles estao tentando adaptar a historia, como se eles nao tivessem pensado nisso antes, poderia ate dizer q eles estao improvisando.
Daí toda a magia se perdeu...acho q estao apenas tentando fechar a serie com coerencia, tentando dar um jeito de nos dar as respostas.
Não consigo ter a msm sensação do inicio da serie, qdo parecia q eles ja tinham pensado em tudo! Que cada detalhe estava ali por uma razao já determinada.
Ufa...rs é isso
Mas ainda assim, n perco um capitulo de lost...rs

vinicius disse...

OTIMA observaçao a de que o locke tinha intensao de mandar ben pra ilha hidra pra limpar o caminho
poderia ser a mesma ideia de mandar ben pra lah a de james de mantelos ocupados enquanto ele iria pra casa!

otimo post davi

St3ff4n0 disse...

Eu acho que achei um easter egg ou uma indicação da outra realidade relacionada a Juliet na cena em que Sawyer assiste ao seriado e ao ouvir o ator falando: "A vida é assim... Rir e amar uns aos outros [E saber que as pessoas não se vão quando morrem.] A expressão dele muda como se houvesse culpa por algo perdido [no caso a Juliet].

Gabriel Logan disse...

Gostei bastatnte do episódio.
Mas ein vamos lá,
- Charlotte muito bonita 8D
- Achei aquela cena do James nas jaulas bem chatinha...
- Eu confio no (F)Locke. Será mesmo que ele está manipulando todo mundo? Não sei, algo me diz que não.
- Sayid sem coração mais u_u
- Posso estar viajando, mas aquela cena ao qual o James soca o espelho me lembrou bastante uma cena de Splinter Cell Double Agent, está no final deste trailer: /watch?v=-YAdk9kNgLI
- Acho também que Claire está meio louca, o (F)Locke mesmo podendo ser mau, tenta direciona-lá como o mesmo disse.

Lancaster disse...

Cara em tudo que pesquisei antes do episodio nunca vi o uso de Con para golpe e sim para estudar ou ver ai no próprio episodio e na legenda e pelo menos o que eu ouvi (por isso peço uma confirmação de alguém mais gabaritado)

CON é reconhecimento ou
golpe
recon seria como disse Roneba alem do obvio reconhecimento do terreno para Wildmore swayer ver a pista swayer ver seu eu no outro mundo do qual eu chamo de Flashif
tipo e "se"(if) o avião não caiu!
Saco?!? (é sou idiota)

NAMASTË!

Quéroul disse...

ah, Lost voltou pra mim na semana passada... e esse episódio oitavo foi um xuxu lindo, do tipo eu ter amado até as partes na ilha, que tavam me irritando horrores.

como Sawyer e Locke são lindos, não? eu babo neles - e na interpretação deles... enfim, eu adorei esse episódio, mesmo.
e diferente de muita gente que eu li por aí, eu AMO os flash sideways. acho que neles tá toda a essência Lost que me fez ficar apaixonada... não sei nem como as pessoas reclamam disso!

Tarcisio disse...

nao tô conseguindo lembrar o quê poderia fazer com que Widmore soubesse que a cerca sônica serve para proteger do monstro

alias, lembrei daquela cena da quarta temporada que o ben chama o monstro contra os mercenarios do widmore, e isso ficou no vazio

se o widmore é contra o monstro, a favor do jacob é que ele nao deve ser tambem, ja que Miles foi considerado por Bram como um que tava jogando do lado errado, o lado do widmore

Tarcisio disse...

pelo transcript da cena, Sawyer foi pra Australia atrás mesmo do Anthony Cooper


SAWYER: When I was nine years old...my father shot my mother, then he killed himself. Sawyer was the reason why. He was a grifter...con man. I've been hunting him down since the day I left the academy. I chased down a lead in Australia, got a name - Anthony Cooper - I ran the name, I got a list of Anthony Coopers and I've been calling them. And when I find the right one...I'm gonna kill him.

skywalk disse...

Pois é, os admiradores de Lost agora se dividem em duas categorias:

- Os fãs xiitas, que não admitem que se faça qualquer crítica à série, que, para eles, é perfeita e intocável.

- Os fãs decepcionados, porque acham os tais dos flashsideways uma embromação só, que os episódios estão um lixo, e as tais respostas, nada de aparecerem...

Daí os fãs xiitas agridem os decepcionados, falando que eles só querem respostas e repostas, e que a série é centrada nos conflitos dos personagens...

Minha opinião: Os episódios estão bons???

Sim, estão maravilhosos!!! DESDE que houvesse uma SÉTIMA TEMPORADA!!!

É este o cerne da questão: A série continua boa, tem bons episódios, mas os produtores esqueçeram que esta é a season finale...

E, ao contrário da opinião dos fãs xiitas, eu digo que realmente a série não deve-se basear apenas em responder os enigmas, mas também não pode chegar ao cúmulo da palhaçada de lançarem centenas de mistérios durante 5 anos, e tentar resolver apressadamente a maior parte apenas nos 90 minutos finais da série.

E, infelizmente, é este cenário que está se delineando para o fim da série.

Vou mais além: o próximo episódio, Ab Eterno, pode até fornecer algumas respostas, mas tenho absoluta certeza que na realidade os produtores vão mostrar o flashback do Richard e criar mais uma dezena de mistérios insolúveis...

Pra não falar que estou sendo exagerado : Quem acompanha a série Flashforward com certeza vai entender meu ponto de vista.

Acabei de assistir o episódio duplo da segunda parte da temporada...

Simplesmente, vários pontos da trama foram desatados, vários enigmas esclarecidos (coisa que faz falta em Lost), fazendo a estória fluir num ritmo bem melhor do que está sendo esta sexta temporada de Lost...

Compartilho com a opinião da maioria aqui... os produtores plantaram muitos mistérios, e agora estão improvisando no final...

Uma pena.... estou bastante chateado de saber que a melhor série de todos os tempos chegou a este ponto...

Obs: fui um dos maiores fãs xiitas de Lost...

Luiz disse...

"Os Pioneiros"! E eu pensando que se tratava de "O Homem que Veio do Céu", que era com o mesmo ator, Michael Landon...também cheia de lições de vida e meio piegas também...enfim, muito bom saber...Obrigado Davi!

Abraço!

vinicius disse...

Caraa, que Charlotte era aquela???

Alguém arruma o telefone dela, faz favor?!

Lucas disse...

Só uma coisa, no "The Incident", O Inimigo do Jacob diz a Richard que os sobreviventes do acidente do vôo 316 estavam na Ilha da Hidra, e fala para os Outros "cuidarem deles", então pode ser que os Outros tenham matado os sobreviventes.

MEU LADO "B" disse...

Só uma coisa me deixou encasquetado nesse episódio que pra mim foi um dos mais irados até então. Porém com certeza não vai chegar nem perto do próximo que finalmente esclarecerá a história de Richard.. personagem mais enigmático da série.

Mas voltando ao fato q me deixou encasquetado em "Recon".. Sawyer achou o vestidinho floriado de Kate na Hydra porém, ela fugiu com ele com aquele vestido, só colocou uma calça Jeans junto.. como diabos explicam o vestido estar lá na jaula? Achei meio forçado aquilo.

Bem.. parabéns pelo blog como sempre.
Abraços a todos.
Andre Sleimon.

Prof. Marcio Bezerra disse...

Gente, sempre achei a atriz interprete da charlotte gatíssima, mas nesse episódio ela está demais!!

ah papai!!! kkkkkkkkkkkkkkk

realmente, esse post de curiosidades ficou longo... GRAÇAS A DEUS!! rsrsrs

muito detalhes mesmo.

otimo episódio, só achei meio q forçado o flocke jogando a claire igual a um saco de batatas!!

o filme q o sawyer cita pra se tornar um policial - bullit - é um flimão mesmo!!

o saywer é um puta de 171 - o cara é "profiça" kkkkkkkkkkkkk!!

Widmore e flocke são macacos velhos, a tendência é o pau quebrar mais a frente! eles sabem q o saywer é golpista!

abraços david e juliana!

Jrgarou disse...

Estava pensando sobre o (F)Locke enquanto assistia o episodio. Eu tenh oa impressao q ele quer matar todos os candidatos, mas nao pode fazer simplesmente por si. E esta tramando para que isso aconteca.

Ele parece cada vez mais irritado. Parece q esta sendo obrigado a passar por aquilo (pq tem um plano).

Me chamou mto a atencao o que ele falou para o Sawyer quando os dois estavam a sos pela primeira vez no episodio: "Gostaria que nao tivesse me interrompido" e o que aconteceu antes. Ele ta mto puto, mas sabe q esta perto de ter o que quer.

Sei la... admito q to viajando hehehe

Bruno disse...

@skywalk

Olha, você foi um dos poucos que expressou sua opinião de forma, bem, justa. Eu acho que to do lado dos xiitas, mas eu só fico realmente irritado com quem vem aqui, reclama sem lógica nenhuma e ponto final. :P

Mas eu acho que, mesmo aqueles que não tão adorando esses episódios, deviam ter paciência e, se realmente acabar sendo ruim como tão falando, reclamar só no final da série.

Vejam bem; a terceira temporada demorou a ficar realmente FOD@!! Tudo começou meio chato, meio lento, meio nada a ver, mas no final fez o que tinha que fazer! O mesmo pra quinta temporada.

Eu sei que ta todo mundo desesperado porque é a última, mas eu acho que todos deviam dar uma chance pros produtores, porque é a sexta temporada, com certeza eles já começaram ela com tudo planejado (não iriam começar a sexta temporada sem saber o que tão fazendo :x) e acho que lá pros 5 episódios finais vamos nos surpreender :D

Então, deixem de ser Jack Shephards da vida e tenham um pouco de FÉ!! xDDD

Renata disse...

aquele monstrinho do claire parece ter crânio de cachorro... seria vincent? rsrsr

marcia disse...

achei um ótimo episodio, esclareceu algumas coisaS.

Pedro Pellicano disse...

@skywalk

Perfeito:

"- Os fãs xiitas, que não admitem que se faça qualquer crítica à série, que, para eles, é perfeita e intocável.

- Os fãs decepcionados, porque acham os tais dos flashsideways uma embromação só, que os episódios estão um lixo, e as tais respostas, nada de aparecerem..."

Para o bem da própria saúde e aproveitamento melhor da série, o bom é ficar bem no meio.

Esse 8º episódio teve partes boas, desenvolvimento interessantes, mas no geral foi fraco.

Armou coisas para o futuro? Sim. Trouxe dicas importantes sobre a mãe do Flocke, relação de Wildmore com a Ilha? Sim. Mas foi recheado de um drama que não convenceu.

Dr. Linus teve muito drama, mas convenceu. A historinha do Sawyer, golpe nos pais, etc, já cansou um pouco e na realidade paralela é a mesma coisa - com o inverso tradicional, claro, de que ele é da polícia.

Lembram quando os Losties foram presos em jaulas na 3ª temporada porque não havia tanto conteúdo pro número de episódios que a ABC queria fazer?

Sinto que estamos vivendo pequenos momentos disso agora também.

O flash-sideways tem importância, o inverso fora da Ilha fará sentido no final (um mundo espelhado talvez), e os candidatos terão suas respostas.

Mas para chegar até lá é preciso encher um pouquinho de linguiça aqui e ali. Às vezes o enchimento convence (Dr. Linus e Sundown) e às vezes não (What Kate Does e Recon).

O que vale é o sentido AMPLO da série - e aí só quando acabar pra sabermos.

Sou um dos mais malucos por LOST que conheço, rs, mas não entendo também porque muito fã não aceita quando achamos um episódio apenas médio.

Igor Moretto disse...

E o Sawyer usando o Word Office 2007 em 2004? Lost FAIL.

camilo disse...

Eu acho que é o Aaron dentro da sala trancada...

Dedé disse...

Todos os episódios estão excelentes!
Este então nem se fala, e com isso, cada vez mais vem a frase do Jacob que falou para o Bem "você tem uma escolha" e parece que com isso, no paralelismo em LA o povo fez as suas escolhas.
Só a Kate que ainda tá meio sinistra fugindo, como sempre o fez na série.
Mas a boa foi a fala da Kate "quem vai pilotar o avião" ehhehe...show...lost tá deeeemaaaais!

A Charlote nossa, que ruiva gostosa e linda, puts... Sawyer o pegador, até essa ai entrou na lista! gostei também do untangled que o Pierre Chang tem um peitoral e que é apaixonadinho pela Kaaate. rsss.

Show..Davi, vocês tão torturando esse seguidor aqui, tá demorando o POST, vou ir no procon...rs....
abraços e continuem assim!

Dedé
http://ispicialista.blogspot.com

Guilherme (RJ) disse...

Skywalk

Perfeita sua análise sobre essa divisão entre os fãs de Lost.

Única ressalva que eu faço é que a série era pra terminar com 5 temporadas não fosse a greve dos roteiristas.

Por quê digo isso??? A série quase sempre mostrou a cada capítulo um arco de 2 a 3 dias. Nesta temporada tivemos 8 episódios retratando pouco mais de 2 dias.

Minha conclusão é que a morte de Jacob é praticamente o desfecho da série, até por ser o maior mistério pré-revelado pelos roteiristas. Talvez não tenha muito ainda a mostrar e por isso, às vezes, a trama parece estar arrastada, tanto na Ilha como nos flashsideways.



Pedro Pellicano,

É exatamente aí que me encaixo, no meio, esperando o melhor, mas consciente do que possa vir e não agradar plenamente a nós fãs de Lost.

VICTOR disse...

E o Sawyer usando o Word Office 2007 em 2004? Lost FAIL. [2]

RÁDIO PSY PODCAST disse...

Definitivamente o PIOR episódio da temporada, e provvelmente o PIOr DE TodAS TEMPORADA... Os produtores não respodem nada, 9ou é novidade pra alguem flocke ser o monstro de fumaça?)... Parece que tão produzindo a s[érie pras pessoas que nunca assistiram gostarem apenas pela ação, e nós q acompanhamos a cinco anos e meio fodAM-SE ... Totalmente decepcioando

Alejandro disse...

skywalk.... post EXCELENTE!!!


Na minha opinião, os Flash Sideways são realmente dispensáveis (Detalhe: será que os produtores lembram que submergiram a ilha, ou até disso já esqueceram?)

E acho que eles estão perdendo minutos SAGRADOS, que poderiam utilizar para responder perguntas, mas ao invés disso introduzem novos personagens e fatos, ambos desnecessários, no melhor estilo Rodrigo Santoro

Marcelo disse...

Não li todos os posts (logico),mas gostaria que alguem comentasse :
-Será que os flash sideways já não são o fim ?
O que eu quero dizer é que me dá a impressão que de alguma forma as coisas nunca mais serão como antes, que no fim vai acabar naquilo mesmo e já estamos vendo o fim, de alguma forma e so falta ver o como vai acontecer ...ou talvez um flop continuo, tipo, Falha na Matrix.
Enfim, essa ideia não sai da minha cabeça, agora o caso do Sawyer Cop deixar a fugitiva Kate vazar é estranho mesmo.
Mas eu curto Lost, prefiro não criticar antes de ver o quadro todo.

Espero que o Desmond apareça logo, o melhor personagem, pra mim.

guilherme disse...

O libélula ali em cima conseguiu expressar EXATAMENTE o que sinto nessa temporada! Os episódios estão sendo bons até, porém, não como eu pensava que seria, com os ganchos sendo resolvidos em detalhes. O Davi e a Juliana parecem estar gostando mt, assim como mtas outras pessoas tb, mas mtos outros tem essa mesma opnião sobre essa temporada, e os argumentos existem tb! Do jeito que escreveram no podcast 45 me pareceu que os que não gostam muito da temporada não possuem argumentos nenhum, o que não é totalmente verdade. Porém, ainda acho que Lost será por muito tempo a minha série fvorita! =D

lukas disse...

o episodio foi bom, não foi excelente como Dr. Linus (o melhor ate agora), eu li um post de alguem ai que o josh holloway era um ator ruim... por favor eu acho que quem postou isso não deve entender nem um pouco o que é uma boa atuação...

e quanto a porta do submarino espero que seja mesmo o Aaron,não quero que seja o desmond, porque eu acho que sua historia deveria ter encerrado ali na quarta temporada quando ele encontra a Penny, um final feliz não? mais do que merecido...

e teve outro post aqui que falou do episodio de semana que vem, eu teenho certeza que vai ser um otimo episodio, mas eu tb acho que os produtores colocarão mais misterios ainda...

e é isso, see you next time... xD

Diego disse...

Mais um episódio entediante sobre "pessoas".

Assim como disseram alguns, torço muito pra que essa enrolação dos flash invertidos sejam, de fato, fundamentais pra história.

O que me deixa mais puto, pra ser muito direto, é a babaquice de Jacob, (F)Locke e Richard dizerem o tempo inteiro: "venha comigo e terá respostas", "faça isso e saberá o que quiser"...

Sou apaixonado pela série, sempre fui, mas aceitar o que está sendo feito a essa altura da temporada é fechar os olhos pra falta de consideração aos fãs. Sejamos menos apaixonados e mais racionais nas análises.

Ao resumir as ações desse episódio temos: (F)Locke dando uma missão pra Sawyer, o chilique da Claire com a Kate e retorno de Sawyer da missão, além é claro dos tais novos flash. Pô, não dava pra fazer isso em uns 30 minutos (jogando pra cima) e dedicar outros 12 pra outros assuntos?

Enfim... torço muito por um sucesso para o fim da série, mas confesso que até agora a temporada praticamente nada acrescentou à complexa teia de acontecimentos das 5 anteriores.

vargas disse...

eta povo chato que so reclama, chorando: "EU QUERO RESPOSTAS BUÁÁÁÁÁÁÁ!" estou cada vez mais torcendo para que no final da série NADA SEJA REVELADO, e tudo termine como um grande mistério (de preferência com todos os personagens principais mortos) isso sim ia ser chocante!

Vinicius disse...

Descupem-me, mas epsódio evidente demias, não teve nenhuma surpresa, exceto pela revelação do FLocke sobre a mãe dele e o do sawyer usar a senha "Leflour", de resto, foi muito tosco o epsódio e sem surpresas. O melhor momento foi quando a Claire atacou a Kate, tava torcendo pra que ela tivesse acabado com ela de uma vez! =P

Mas infelizmente não ocorreu. =(

espero que o próximo episódio não seja uma porcaria como esse. :/

Tarcisio disse...

Esse comportamento da Claire, fora as mentiras do Flocke, também se deve ao fato de que ela anda esquecida das coisas, como disse aquele Outro que ela matou na frente do Jin.

Ela foi quem "deu às costas" ao Aaron e saiu andando com o "pai" pela floresta

Carla disse...

As coisas que eu senti neste episódio:

- o Sawyer da realidade paralela escolheu o caminho oposto: o do policial ao invés do vigarista. Apesar disso, ele continua sendo o bom e velho Sawyer que nós vemos hoje na ilha. Intrinsicamente, ele é a mesma pessoa.

- eu tenho vontade de pegar esta nova Claire, colocar ela no colo, e dar muitos beijos e abraços nela. Essa aí precisa muito mais de proteção do que precisava a outra. Ela parece estar cheia de raiva, matando friamente, querendo briga, mas este é apenas um lado dela que a gente não conhecia. A manifestação da dor que ela carregava, por exemplo. Eu gostaria de saber o que, realmente, esta "infecção" faz com as pessoas.

- o Sayid zumbi: ele perdeu o tesão pela vida?! Volta, Sayid! :o(

Paulo disse...

# Libélula
"...confesso q o q me encantava em lost se perdeu no desfecho da trama. Antes, nas primeiras temporadas, eu tinha a sensação de que td já estava esquematizado pelos autores, sabe? Tudo se encaixava. Como se cada misterio ja tinha uma resposta. Hj a sensação q tenho é a d q eles jogaram tantos misterios, tantos "por ques" e agora eles estao tentando adaptar a historia, como se eles nao tivessem pensado nisso antes, poderia ate dizer q eles estao improvisando.
Daí toda a magia se perdeu...acho q estao apenas tentando fechar a serie com coerencia, tentando dar um jeito de nos dar as respostas."

>> Partilho da mesma sensação que você, mas já foi explicado (pelo JJ Abrams - produtor da série e principal roteirista da 1ª temporada) que o final de Lost e como eles chegariam lá não estava definido. A história foi se construindo no decorrer das temporadas e provavelmente a equipe de roteiristas definiu como tudo iria acabar a partir do fim da 3ª temporada.
-----------------------
# Tarcísio

"alias, lembrei daquela cena da quarta temporada que o ben chama o monstro contra os mercenarios do widmore, e isso ficou no vazio"

>> Também gostaria de saber como aquele esquema do ralo na câmara secreta da "Vila do Outros" invocava o Monstro Fumaça/FLocke. Acho que isso vai mesmo ficar no vazio.
-----------------------
# skywalk

"Compartilho com a opinião da maioria aqui... os produtores plantaram muitos mistérios, e agora estão improvisando no final..."

>> Os produtores descobriram que não havia como responder a tudo no prazo estipulado. De qualquer forma, o improviso deles é melhor do que muitas séries planejadas antecipadamente por aí.
-----------------------

Enfim... gostei do episódio, mas o bonde continua subindo aclive acima. Até chegar lá, muita coisa irá acontecer. E de uma maneira mais rápida do que podemos imaginar.

Boto fé, pois a fé não costuma falhar!

Blade disse...

Pra mim, o episódio foi mediano. Gosto de ver os acontecimentos da realidade paralela, mas este me entediou. Mas o destaque são os ganchos envolvendo Kate fugindo e James, e Sayid encontrando Jin no covil de Keamy. Parece que haverá um grande evento envolvendo todos da realidade paralela no fim da série. Dizer que essa realidade é dispensável é o mesmo que criticar o "suposto flashback" de Jack com depressão, lá na terceira temporada. Ou seja, vamos aguardar o final e aí sim, dizer se é dispensável ou não.

Juliana disse...

Não faz sentido criticar quem não gostou do episódio...esse blog é um local público onde as pessoas têm direito de deixar suas impressões. Se as impressões de "tanta gente" como vocês mesmos falaram foi negativa, que se há de fazer? Devem todas essas pessoas obrigatoriamente mudar de opinião? Será que tanta gente junta está errada? Não teria neste blog uma paixão que excede a relevância dos fatos? Contra fatos não há argumentos: Lost não está agradando pelo menos metade de seus fãs. Isso é estatístico. Isso, para quem tem blog, é uma boa pauta. Está faltando abordar esse outro lado, mais despojado de paixão, mais impregnado de espírito jornalístico.

Tathyane Menezes disse...

Bom,
Achei o episódio fantástico... o Sawyer à sua antiga forma... rsrsrs
Mas uma das coisas que achei mais interessante foi o que o Saweyr falou pra Charlotte quando ela perguntou porque ele se tornou policial... Ele respondeu: "Chegou um ponto na minha vida em que ou eu virava policial ou criminoso... Escolhi ser policial."
De acordo com o que eu já li (e vi em Fringe) sobre realidade paralela, são nesses momentos de escolhas cruciais que as realidades paralelas são "abertas"....
Se eu não me engano, foi o primeiro personagem que fez uma menção tão grande à Realidade Paralela.
Por enquanto é só 8-)
Namaste!

Juliana disse...

Pois é, Thathyane, interessante você ter mencionado Fringe. JJ Abrams correu na frente e lançou as realidades paralelas em Fringe antes de Lost lançar a dele. Isso tirou boa parte da graça de Lost, para quem acompanha Fringe. Deu uma sensação ruim de dejà-vu, ainda mais porque em Fringe, essa realidade está sendo melhor construída, com as pontinhas todas amarradas já na seunda temporada e tem em si, uma razão de ser que não necessita 8 episódios para explicar.

Andre disse...

como sempre os comentarios desse Bruno Carvalho sao ridiculos!

TT Garcia disse...

O que me assusta em Lost é a capacidade das pessoas se conformarem com certas explicações, sem mais nem menos. Nesse episódio, na conversa com Sawyer, (F)Locke diz: a fumaça preta sou eu.

O que um ser humano normal teria, no mínimo, perguntado? "como assim, vc é a fumaça preta????" "que diabos é vc??" .... né??? Mas, não.. fica tudo o dito pelo não dito.

Que irritante essa falta de curiosidade sobre as coisas mais misteriosas da ilha... humpft!

Fernando disse...

Fãs xiitas X fãs decepcionados.

Eu não acho que sou xiita por simplesmente me satisfazer com Lost. Xiita por me contentar com o que já foi dito até aqui. Lógico que eu prefiro episódios eletrizantes aos episódios mais contextualizados. Mas, por outro lado, entendo que esse é um mal necessário.

Já sabemos:

1) quem é Jacob, 2) “what lies in the shadow of the statue”, 3) tubarões tatuados, 4) ursos polares, 5) monstro da fumaça, 6) pq os losties estão na ilha, 7) viagens no tempo, 8) bad numbers, 9) organização dharma, 10) os Outros....e por aí vai.

Por outro lado, não tiro a importância de saber pq RA não envelhece, qual a intenção de widmore, pq os losties são os candidatos, como as realidades se encontrarão.

Mas não quero que essas respostas venham “vomitadas” em 42 minutos. Vamos aos poucos. Temos ainda metade da temporada pela frente. E, mesmo assim, entendo que parte das respostas nem deveria ser dada de forma didática. Deve ser deixado algo no ar...

Se Peter Jackson conseguiu construir um mundo fictício em 3 filmes, pq não conseguiremos as respostas acima em 10 episódios????

Ansiedade....mal moderno.

Gabriela B. disse...

Hhuummm, nao sei se o fato de Miles ter um pai na realidade paralela queira dizer que esse pai seja o Dr. Chang. Existe tb a possibilidade de ser um pai adotivo, um padrasto que o criou.

Dedé disse...

Boa essa de xiita!

Mas lendo os post tem uma coisa que realmente eu gostaria de saber, é como é que a Dharma foi parar na ilha. Como é que foi para a bomba jughed na ilha.

Agora, eu me surpreender com o Flocke ser o monstro de fumaça até poderia ser uma boa pergunta, mas para quem voltou no tempo, e viajou no tempo por causa de um timão mau encaixado, que ficava na sombra da estatua (a fonte), sinceramente não me surpreenderia.

Como a temporada está acabando, infelizmente as coisas tão tri obvias, tipo, bah é igual a outra cena do episodio tal, lá da temporada "x".

Mas o tri de lost é ver a opinião da galera, sempre aparece uma nova coisa perdida que nem me lembrava mais!

abraços
dedé
http://ispicialista.blogspot.com

ademirrafaelmg disse...

Primeiramente queria dizer que eu estou completamente satisfeito com a temporada até aki, adorei todos os episódios sem exceção.
 
Com relação ao desapontamento de alguns fãs, o que mais me surpreende e indigna não é o fato de alguns fãs desgostarem dos episódios (gosto é gosto, cada um tem o seu), mas sim o fato de que a maioria não tem nem um pingo de paciência, porra a temporada ainda não acabou, a série ainda não acabou. O povo acha q só pq é a última temporada as respostas e resoluções dos mistérios tem q vir todas juntas "vomitadas" em um episódio. Se fosse assim a temporada naum precisaria nem de 5 episódios, EU prefiro receber as respostas aos poucos com desenvolvimento e coerência, e além disso, Lost é uma série sobre pessoas e EU quero ver como serão resolvidas as histórias dos personagens.
 
Pra esses fãs impacientes, algumas dicas e esclarecimentos.Primeiro:
 
-se vc acha q tudo vai ser respondido, se ferrou! Os produtores já falaram, e já tem um bom tempo, q muita coisa vai ficar sem uma resposta "certinha", ou seja, vai ficar como especulação, para os fãs deduzirem!
 
Segundo:
 
-se vc quer respostas "mastigadas", se ferrou de novo, Lost é uma série para pessoas "inteligentes", ou q possuem um mínimo de raciocínio lógico, (não quero ofender ninguém ok?, eu me considero inteligente e vc?) logo muita coisa será respondida de uma forma, vamos dizer, indireta, ou seja vc vai ter q raciocinar para entender e também aplicar isso às questões não respondidas.
 
Terceiro:
 
em Lost e na maior parte das séries, o desenvolvimento chave para o final só começa depois da metade da temporada; parece enrolação na primeira metade (mas tudo tem um porquê) e depois surpreende todo mundo(um exemplo clássico é a 3ª temporada, que no início o povo só reclamava e no final todo mundo adorou)
 
Quarto (essa é uma dica para os insatisfeitos com a realidade paralela, q acham aquilo tudo desnecessário):
 
-EU acredito q se vcs esperarem o final, vão ver q aquilo tudo, inclusive o q acontece na ilha "original" e parece desnecessário, tem um sentido.
 
Pessoal, é isso ai, a questão toda é PACIÊNCIA, eu confio nos produtores, acredito q no final ficarei muito satisfeito. Se não acontecer como eu espero, no final, aí sim, até eu vou criticar, mas até lá o meu conselho é curtir o momento, afinal série está acabando e se vc é fã mesmo vai sentir falta desses momentos depois.

Blade disse...

Sobre o comentário da Juliana:

Eu acho que faz muito sentido criticar quem não gostou do episódio, no simples sentido de dialogar, discutir (amigavelmente) e questionar, a fim de esclarecer melhor nossas opiniões sobre a série. Oras, eu não gostei muito do episódio, e logo depois teve o comentário da Thathyane que achou o mesmo fantástico, e ela destacou o que achou interessante.

Num blog, estamos sujeitos a questionar e sermos questionados. O problema está na forma como expomos nossos argumentos. Se alguém critica o comentário de outrem dizendo "vc não sabe de nada da série", aí eu considero meio que uma ofensa desnecessária. No meu cado, sugeri para aqueles que acham desnecessários os flash sideways que aguardassem um pouco mais, tivessem um pouquinho mais de paciência. Só isso! Foi uma ofensa à pessoa e sua família? Não! rsrsrsrs

E sobre o fato demais da metade das pessoas estarem descontentes com a série, é questão de gosto mesmo. (Dã, óbvio). Eu mesmo não curti esse lance místico da série. Mas, sem querer parecer egoísta: eu não estou preocupado que a série agrade à todos, mas que agrade à mim. Se eu não estivesse gostando, ou odiando mesmo, eu parava, como fiz com o (blergh!) Heroes.

Dedé disse...

os últimos post do Ademir e do Blade, fecham com o que eu penso. E eu encerro meus comentários aqui com a seguinte concordância com o Blade, se Lost estivesse tão ruim, já tinha largado como fiz com Heroes, que na segunda larguei de mão, não porque a série fosse ruim, mas sim, porque perdeu totalmente o rumo!

Alejandro disse...

Corrigindo o Fernando, que disse "1) quem é Jacob, 2) “what lies in the shadow of the statue”, 3) tubarões tatuados, 4) ursos polares, 5) monstro da fumaça, 6) pq os losties estão na ilha, 7) viagens no tempo, 8) bad numbers, 9) organização dharma, 10) os Outros....e por aí vai."

"1. Quem é Jacob"
Mais ou menos. Sabemos quem é o ator que faz o Jacob. Só. O QUE é o Jacob, não sabemos

2. Ok, embaixo da estátua está o Jacob. Continua a dúvida acima.

3 e 4. Tubarões e Ursos. Sabemos de onde eles vêm. mas o que era feito com eles??? Pq estão lá???

"5. Monstro da Fumaça". Outro ítem sem resposta. Sabemos que o Mostro é o (F)Locke. Ok. E o que é o (F)Locke? Não sabemos.

"6. Pq os Losties estão na ilha". Não sabemos. Sabemos apenas que eles foram escolhidos. Mas o porque, não sabemos.

"7. Viagens no tempo". Sabemos que eles viajam. Mas porque? Não sabemos.

"8. Bad Numbers". Essa é a que menos sabemos de todos. O que são esses números, porque são malignos? NÃO SABEMOS!!!!! O único que sabemos é que MAIS UMA VEZ eles estão relacionados aos Losties. Só isso. Mas O QUE SÃO ESSES NÚMEROS? PORQUE SÃO MALIGNOS? NÂO SABEMOS!!!!

"9. organização dharma". O que é? Não sabemos. Sabemos apenas que existe.

"10. os outros". Mesma coisa do ítem acima.



Resolvendo, estes e demais mistérios (como a energia de Walt, a importância de Aaron, pq Locke voltou a andar, porque Rose se curou do câncer, porque Sun engravidou, e etc...), não temos resposta. Continuo na torcida para que seja explicado, ao menos, os MALDITOS NÚMEROS.

guilherme disse...

Eu vou citar só um exemplo... a ilha some no final da quarta temporada... vc sabe que ela viajou no tempo/espaço... vcs sinceramente consideram isso como explicado por exemplo??? NA verdade agente não sabe NADA sobre VIAGEM NO TEMPO na série.

Esse foi só um exemplo pq vi ali em cima gente falando que isso era algo respondido! As pessoa realmente estão se contentando com pouco ultimamente.

Mas ainda tenho esperança na série e na resolução de seus mistérios principais!

Rafael Augusto disse...

Caraca, parece que é impossível sacar algo que o Davi não saque. Eu tava pra terminar de ler isso aqui e ir buscar no Google a história de Jacó e do irmão cujo nome eu não lembrava exatmente pra ver se havia referências sobre uma mãe louca ou algo assim. Já tinha até planejado "Vou procurar Jacó e o irmão dele vai aparecer..." e me deparei com a referência a essa história aqui. Desse jeito você deixa a gente burro Davi, não precisa nem pensar e só esperar o Easter Eggs que já vem tudo mastigado xD
Quanto ao Sawyer policial, a primeira coisa que pensei quando a função do golpista foi revelada foi no jeito que ele deixa Kate escapar no LAX.