16/04/2009

Lost chega ao 100º episódio e promete enlouquecer os fãs (ainda mais) com “The Variable”

Se a marca de 100 episódios é motivo de orgulho para qualquer série tradicional, imagine qual deve ser a sensação para a equipe que produz Lost à luz de uma logística infinitamente mais complexa (grande parte dos episódios são gravados em cenários externos) e exigente? Para nós fãs, não é nenhuma novidade dizer que a sensação que se tem ao assistir um episódio de Lost, é a de se ver um pequeno filme a cada semana, e com “The Variable” (a ser exibido no dia 29 de abril nos EUA) essa sensação promete ser ainda mais expandida, já que este episódio promete abalar e subverter ainda mais a intrincada trama da ilha com suas viagens no tempo e etc.

Leia mais...

    Como O evento do 100º episódio certamente não vai passar em branco na mídia americana, a partir de hoje você encontrará uma pequena série de matérias traduzidas falando sobre isso, e a primeira delas saiu na TV Guide Magazine. Mas antes que você a leia, deixo o aviso de que há spoilers no texto abaixo, portanto se isso te incomoda, sugiro que volte a esse post somente depois de assistir o ep. 5x14 “The Variable”, combinado?

    Texto escrito por William Keck
    Originalmente publicado na TV Guide Magazine

    Depois de gravar 100 episódios, o que o elenco de Lost ganha como recompensa por todo seu trabalho duro? Apenas outro dia usando um uniforme Dharma fedido e fedido, um prato com arroz e peixe e um monte de perguntas sem respostas.

    Marcado para ir ao ar no dia 29 de abril – duas semanas antes do explosivo final da temporada – o episódio 100 chamado “The Variable” (A Variável), é descrito pelo produtor executivo Carlton Cuse como “sísmico”. É claro, que todos nós já vimos antes, dicas de que as respostas sobre Lost estão vindo. E ainda assim temos perguntas.. Muitas delas. Portanto é confortante saber que as pessoas mais envolvidas nos mistérios ficam encantadas – sem mencionar confundidas – pelo mergulho da série no jogo da viagem no tempo.

    À medida em que o relógio caminha nadireção do final da série, com apenas uma temporada restando, um leve tom de desespero por respostas parece ter tomado conta do elenco. Durante um intervalo numa gravação de “The Variable”, alguns dos atores se reuniram em um dos trailers para ver o episódio da noite anterior e debater teorias.

    “Ainda estamos tentando descobrir os parâmetros da viagem no tempo e o que elas significam para nossos personagens”, disse Daniel Dae Kim, que faz o Jin. “Essa manhã Jorge Garcia e eu estávamos tentando descobrir se podemos voltar no tempo e mudar o passado.”

    Baseado no título do episódio – “The Variable” – isso é uma possibilidade real. Variáveis, explica o produtor Carlton Cuse, “são coisas que podem mudar, que é tudo o que iremos dizer. Essa é uma dica misteriosa, mas importante.”

    Aqui vai outra dica do parceiro de viagens no tempo de Cuse, Damon Lindelof: “The Variable” é para os fãs de “The Constant”, um popular episódio da 4ª temporada que mostrou Desmond (Henry Ian Cusick) saltando no tempo entre 1996 e 2004 estabelecendo Peeny como a rocha que sustenta sua sanidade, assim como Daniel Faraday (Jeremy Davies) mais tarde estabeleceu Desmond como a sua. Lindelof diz que Desmond e Daniel desempenham um papel significativo no episódio 100.

    “É um roteiro realmente ousado”, diz Garcia. Por várias horas, Garcia que faz o Hurley, e seus colegas de elenco – Matthew Fox (Jack), Josh Holloway (Sawyer), Evangeline Lilly (Kate), Kim, Elizabeth Mitchell (Juliet), Davies e Ken Leung (Miles) – gravaram uma cena de confronto na vila Dharma, lar de Sawyer e Juliet. O problema: com as forças de segurança da Dharma tendo implicado Sawyer (LaFleur) na conspiração dos losties, “a mer... bate no ventilador”, diz Holloway. “Sawyer esteve numa posição de liderança, no que começou como um golpe que os permitisse se integrar e sobreviver. Mas agora as coisas estão colidindo.”

    Lindelof confirma que, “ o tempo acabou na vila Dharma. Nossos personagens sabem que tem que abandonar o barco e estão decidindo para onde devem ir em seguida.” Sawyer quer voltar para a praia (onde os sumidos Rose e Bernard estariam?), mas o resto do grupo debate outras opções, como fugir no submarino. Jin não quer fazer parte disso, dizendo a seus amigos, “Não vou entrar nesse submarino se minha esposa ainda está nessa ilha.”

    É claro que o que Jin não sabe, é que a reunião com sua esposa, Sun, iria exigir que esses perdidos nos anos 70 viajassem para 2007 – o que não é nenhuma impossibilidade, dada a experiência de Faraday com saltos no tempo. Mas a preocupação cresce de que o brilhante físico, a quem Sawyer chamou de “Twitchy” e “H.G. Wells”, esteja um pouco desequilibrado.

    “Eu sei que vocês pensam que estou louco”, Faraday diz ao grupo, “mas isso vai funcionar. Eu posso nos ajudar.”

    Ao que os atores podem dizer, por favor ajude. Quando o almoço sai, o elenco tem uma folga mais que necessária de todo esse jargão de viagem no tempo e parte para o ‘refeitorio’ na floresta. Durante a curta caminhada, Evangeline Lilly prende o cabelo e Holloway abre o macacão e então enche o prato com arroz e peixe. Garcia, que resolveu ler livros de Stephen Hawking e outros físicos top na esparança de entender as viagens no tempo, diz que Faraday aponta uma interessante analogia nesse episódio, comparando a constante com pequenas pedras numa corrente de um rio.

    “A constante não pode mudar o fluxo da corrente”, diz Garcia, “mas a variável, uma pedra muito maior, pode. Portanto qual seria a grande pedra que precisaríamos para nos colocar nossas vidas de volta aos trilhos?”

    Se eles forem bem sucedidos em voltar para o futuro, Garcia especula, “o futuro vai ter sumido, ou ele continua, bem como um alternativo que vai na direção oposta? A ideia de que exista outro de você em um universo alternativo? É de enlouquecer.”

    E as coisas vão só ficando mais loucas. Antes da temporada se encerrar, os losties vão testemunhar em primeira mão o Incidente – aquele pedaço de Lost tão especulado que sabemos ser uma anomalia eletromagnética que causa um evento catastrófico.

    Mas espere, se variáveis existem, isso não significaria reescrever a regra da série de viagem no tempo – “Nada se altera na história”? E se a história não pode ser mudada, o futuro massacre da vila Dharma é inevitável?

    O que nós sabemos é que uma cena de casamento foi prometida para o final da temporada, o que disparou rumores de que não saberíamos até 2010 quem vive e quem morre.

    “No jogo de xadrez que Lost é, todas as peças serão colocadas na posição para o confronto final, o que imagino, será bem sangrento”, diz Daniel Dae Kim.

    “Sim”, confirma Cuse. “Há corpos, mas se eles estão vivos, mortos, não mortos ou fantasmas – tudo é possível nessa ilha.”

    De volta ao refeitório, Ken Leung está amassando batatas, se preparando para uma cena que vem pela frente que exige que seu personagem dirija um jeep – um desafio real para o nativo de Nova York, que nunca aprendeu a dirigir. Leung teve aulas para ajudá-lo a controlar o que precisa na cena sem matar seus colegas.

    Para onde Miles vai? Aparentemente para a floresta para entregar Daniel para sua mãe – a personagem anterioremente feita por Fionnula Flanagan – que Daniel explica quando as gravações acabam, “é a única pessoa na ilha que pode nos levar de volta para onde pertencemos.”

    “Sua mãe é uma Outra?”pergunta Sawyer, mentalmente fazendo o quebra-cabeças da viagem no tempo de Lost. “Eles estão começando a amarrar as pontas”, diz Elizabeth Mitchell. Mal podemos esperar.

    Para ver os scans da matéria, disponibilizados no DarkUfo, clique aqui.

11 comentários:

Felipe Procópio de Moura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
julioeduardo disse...

Meu Deus, esse episódio vai ser épico. Quando vi o nome desse episódio, eu pensava que o "The variable" seria Desmond mas pelo que vi o brotha ainda não voltará para a ilha. O problema agora é esperar 2 semanas...

Neguito disse...

eu acho que o incidente é o que vai fazer os losties voltarem ao presente, eles vão seguir os passos de daniel faraday e vão ocasinar algo envolvendo eletromagnetismo, episódio tem tudo pra ser o melhor da temporada até agora, por tudo que envolve e por ser parecido com the constant..
foda é esperar 2 semanas :(

Raphael Andrade disse...

Jesus apaga a luz!! Epico, mto epico!!
Nem tenho o q dizer...
Totalmente sem palavras!
Vai, com certeza além de tudo o

Jonys disse...

Damon Lindelof plagiou minhas palavras de que o episódio "The Variable" seria o "The Constant" da 5 temporada. Falei isso uns 4 posts atrás. rss

Lauro Abreu disse...

Comecei a ler, mas resolvi que não! Vou esperar as duas semanas, senão perde a graça... Mas pelo número e por tudo que a série tem se convergido até aqui, acho que esse episódio vai ser pra arrancar o pica-pau do oco mesmo.

Gabizinha Vidal -Santos -SP disse...

Não posso continuar lendo =/ to indo muito bem sem ler spoileres,, to desdo do e 5 sem ler hehe e não desse ep q promete ser fodástico q eu vou ler spoilers né
Beijus =]

San Okeoman disse...

Meninos Eu estou realmente contando os segundos , para este episódio!!
Depois desta matéria então!!!
Só falando um palavrão !
Paralelepípedocomaspontassestavadas!

Eric Arantes Corrêa disse...

Droga! Li spoiler de novo! Não aguentei hehehe. Ah mais isso não é nada! Vem surpresas por aí. E que a Ellie do passado é a mãe do Faraday não é nada de novo. Diria que é quase um fato.

Thiago Crato disse...

É, o episódio promete.
Cmo bem sabemos, numa equação existem variáveis e constantes. É por causa das variáveis que acredito que o passado pode ser modificado. Essa idéia de encontrar a "grande pedra" do rio é interessante. Ela pode ser o Locke. As atitudes dele têm proporcionado feitos grandiosos.

ミッシェル disse...

Parece que vai ser um episodio fenomenal, como The Constant. Mal posso esperar para assisti-lo!!!