28/04/2009

Especial 100º episódio – Orquestra coloca fãs de Lost no limite

Compositor Michael Giacchino amplifica a tensão.

Por Jon Burlingame para a Variety

O compositor Michael Giacchino tem muita coisa acontecendo em sua vida. Durante a quinta temporada de Lost ele se manteve ocupado trabalhando na trilha dos filmes “Star Trek”, “Up” e “O Elo Perdido”. Ainda assim, ele encontrou tempo de fazer a trilha de todos os episódios da série.

“Eu amo a série”, disse Giacchino, que ganhou um Emmy em 2005 por seu trabalho na série. “Daqui alguns anos sei que vou olhar para trás e dizer, ‘aquilo foi especial e eu sou feliz por ter feito parte.’ ”

Leia mais...

    Diferente da maioria das séries de tv, cada episódio de Lost é sonorizado com uma orquestra de 34 instrumentos.

    “Isso dá alma à música”, diz o compositor. “Quando você compõe para uma orquestra, o céu é o limite. Ela tem essa qualidade pura, orgânica ou incrivelmente emocional. Se eu tivesse que fazer esse trabalho com um sintetizador ou algo parecido, eu teria uma sensação muito ruim.”

    Desde o piloto, Giacchino usa a mesma paletta: cordas, trombones, piano, harpas e percussão (incluindo as cenas de avião), porque, explica ele: “Tudo dava a impressão de que faríamos música da selva. Já estava tudo lá para ser visto no mais belo detalhe, e eu não queria dar eco a isso. O objetivo era fazer o público ficar desconfortável, tentando criar texturas e sons que você normalmente não ouve.”

    O processo de composição de Giacchino também é ritmado: ele escreve cada trilha estritamente na forma cronológica à medida em que vê os episódios.

    “Para mim, é uma forma de ser reativo como o público é. Cena a cena, eu posso ficar chocado, surpreso ou triste. Seja lá o que eu estiver sentindo, é isso que transmito. Eu odiaria subconscientemente entregar qualquer resposta.

    Com 30 e poucos minutos de música em cada episódio, Giacchino compõe cada trilha em no máximo dois dias – parte porque, depois de 100 episódios, ele já criou tantos temas identificados com personagens, locais e situações, que ele pode rapidamente adaptar o material que já possui a novas cenas.

    “Eu trato isso como um ópera”, diz Giacchino. “Cada personagem tem um tema; alguns tem dois ou três versões. Há temas para a ilha, o monstro de fumaça, a escotilha... É divertido voltar a eles.”

    O selo Varese Sarabande vai lançar o quarto CD da trilha musical de Lost composta por Giacchino no dia 12 de maio, e parte de seu concerto com a orquestra sinfônica de Honolulu estão no box de DVD da quarta-temporada.

    O produtor executivo de Lost, Damon Lindelof comenta: “As pessoas nos perguntam se há algum personagem na série que não mataríamos. A resposta é não, todos correm perigo. Com uma exceção. O personagem mais integral da série, aquele sem o qual não poderíamos viver é a música. E isso é fruto da genialidade singular de Michael Giacchino.”

    *-*-*

    A tradução dessa matéria originalmente publicada pela Variety, faz parte da comemoração pelos 100 episódios da série.

2 comentários:

Jonys disse...

Realmente as trilhas de Lost são diferenciadas. Sabendo agora que a trilha é feita por orquestra dá pra entender porque mexe tanto com agente. Como disse Giacchino, a orquestra dá alma à música.

David, nem sei em que post comentar para parabenizar por todos esses posts traduzidos. Também acho que não posso agradecer só a você, mas a toda a sua equipe.

Vlw.

Gabizinha Vidal -Santos -SP disse...

realmente as músicas de Giacchino, complementam a série,Muito bom =]