29/04/2009

Entrevista da Lostpedia com os Produtores de Lost (Pt 2)

Dando sequência à entrevista feita com os produtores Damon Lindelof e Carlton Cuse (clique aqui para ler a parte 1), a Lostpedia publicou a 2ª e última parte do papo. Nesse complemento, a dupla fala sobre a polêmica envolvendo o 'mistério' da Libby que não será mais explorado; Watchmen; a presença de atores/diretores famosos na série e se J.J. Abrams poderia voltar à série na 6ª temporada. Imperdível!

Leia mais...

    Falando sobre algumas reações dos fãs. Alguns notaram o que parecem ser discripâncias relacionadas às visitas do Jeremy Bentham. Especialmente com Walt ou Jack. Como o Locke nunca mencionando ou culpando Jack por ter deixado a ilha. Essas discrepâncias estão ligadas à falta de tempo ou vocês ainda vão revisitar a história de Bentham?

    Carlton: Sabe, penso que esse tipo de pergunta são as que detestamos responder. Dar respostas diretas e interpretações desse tipo de coisa penso que não seja benéfico à série nesse momento. Nós encaramos o “Bentham” como um episódio que explica o que aconteceu com Locke depois que ele voltou para o mundo real e como ele acabou morto. Acho que não queremos dizer mais nada sobre isso agora.

    Vamos voltar à história do Black Rock?

    Damon: Uhh, de novo estamos no território dos, você sabe, spoilers...

    Carlton: Exato.

    Damon: … e ao responder essa pergunta com um sim ou um não... Tudo o que posso dizer é que não estamos excluindo nada para o final da 5ª temporada e da última temporada de Lost. Esperamos que a sensação seja a de tudo está se ligando e que todas essas coisas que são discutidas gradualmente comecem a se resolver. Portanto, os mistérios que nos empolgam e que são importantes para a nossa mitologia, cabe a nós decidir. Nós já dissemos, “Sim, vocês verão a estátua de novo”, e dissemos isso antes do “Lafleur”. E entào vocês viram a estátua de novo. Isso significa que a verão de novo depois disso? Não vamos dizer porque queremos que essas coisas sejam uma surpresa.

    Um dos mistérios ao qual vocês se referiram um mês atrás em uma entrevista com a rede inglesa Sky One, que vocês não iriam revelar era da história da Libby, ainda que duas temporadas atrás tenham basicamente dito era um pedaço significativo da história dela de como ela chegou ao Desmond e esteve na clínica psiquiátrica, e vocês também acrescentaram que para saber aquela resposta, vocês teriam que mostrar a história dela através do flashback de outro personagem. Portanto, agora que vocês disseram que a história dela está encerrada na série, podem nos contar qual era o pedaço que faltava na história dela e por qual personagem vocês teriam contado isso?

    Carlton: Uhh, sabe, de novo, essas não são perguntas que vamos responder. Eu penso que o ponto que estamos querendo definir com a história da Libby é que tudo é ranqueado em termos de importância para nós, e à medida em que estivermos fazendo a última temporada da série, ela não será didática com uma lista das mil perguntas que iremos responder. Isso não faria da série um entretenimento bom. Estamos nos focando no que consideramos serem perguntas significativas, e mistérios e relacionamentos dos personagens. Essa é a história que queremos contar. Penso que essa referência à Libby foi mais ilustrativa do fato de que aceitamos que no final de tudo, provavelmente, você pode perguntar a milhares de fãs diferentes, “Bem, que pergunta você teve respondida?” e terá milhares de respostas diferentes, mas estamos focando no que consideramos ser as perguntas principais da série e na narrativa principal. É impossível amarrar todas as pontas soltas, e honestamente nós nem pensamos em fazer isso, porque a história da Libby por exemplo, era bem tangencial à ação principal da série. Para nós, o foco da última temporada realmente tem que ser nos personagens principais e o que deve ser revelado com relação aos principais mistérios.

    Então falando de coisas que não tem a ver com a série. Sei que vocês são grandes fãs da HQ Watchmen. Quero só perguntar: o que acharam do filme?

    Damon: Acho que essa é uma pergunta bem complicada. Você quase não pode julgar o filme só como um filme por causa de sua relação com o fato de que é uma adaptação da HQ. Dito isso, penso que Zack Snyder fez a melhor adaptação possível considerando o fato de que ele não tentou revisar as coisas, já que os fãs queriam uma adaptação literal. E isso foi exatamente o que ele fez e o fez com um incrível talento. Mas penso que para aqueles entre nós que basicamente disse, “Como se faz Watchmen em um filme de duas horas e meia?” Ele responder: “É assim que se faz.” Você só precisa deixar as coisas como estão. Com o decorrer do tempo, acredito que a história basicamente vai dizer se o filme foi brilhante ou não, mas tudo o que posso dizer é como fiquei incivelmente impressionado assistindo o que Zack fez.

    Há algum ator ou diretor que vocês gostariam que aparecesse na série, mesmo que só para um episódio ou uma aparição rápida?

    Carlton: Na verdade... Ficamos muito preocupados com isso... Seria muito difícil para nós colocar um ator famoso em Lost porque achamos que isso afastaria o público da verossimelhança do mundo de Lost. Fato é que recebemos pedidos de atores bem conhecidos e tivemos que recusar vários deles, porque sentimos que isso tiraria a atenção do público. Se dissessem, “Oh vejam, o fulano está na série e ele é um astro do cinema”, iríamos nos sentir desconfortáveis. Nós realmente tentamos escalar os atores baseados na ideia de encontrar atores realmente bons e pessoas que se encaixem no mundo da série. Teve uma vez que chegamos perto de ter Darren Aronofsky dirigindo um episódio de Lost e isso foi muito empolgante para nós. Mas, a verdade é que diretores de cinema são focados em suas carreiras no cinema e isso não era diferente com Darren. Suas obrigações com vários filmes impediu que ele realmente fosse ao Havaí e trabalhasse na série. E agora penso que a oportunidade se foi, já que indo para a última temporada de Lost, não sentimos que seja a hora de tentar algo diferente nesse sentido. Vamos realmente nos focar em terminar nossa narrativa e os grandes episódios serão dirigidos por diretores que nos trouxeram até aqui com muito sucesso, principalmente Jack Bender. Estamos realmente empolgados por estarmos chegando ao fim da jornada, e vamos fazer isso com nossos colaboradores atuais.

    Sobre apelidos: o do final da 1ª temporada era Bagel, da 2ª Challah. Alguma chance do apelido do final da série ser Matzah?

    Damon: A Matzah. De volta à origens. Quem sabe? Quando você fala da cena final da série versus o que é o final da série, penso que as ideias que esses apelidos geralmente exprimem são viradas, supresas ou choques. Não queremos indicar que a última cena da série será algo que muda tudo, como um globo de neve ou alguém acordando de um sonho, ou um close nos olhos do cachorro, você sabe, coisas assim... É provável que não tenhamos um apelido para o último ano. Vamos ficar propositalmente silenciosos sobre isso. Obviamente, recorremos aos fãs essa temporada e os demos a chance de apelidar a cena final da 5ª temporada e quando indicaram “O garfo na tomada” nós sentimos que haviam feito um bom trabalho...

    Bem, tenho mais duas perguntas. Uma é sobre o envolvimento de J.J. Abrams na 6ª temporada. Ele va voltar para escrever algum episódio?

    Carlton: J.J. está muito ocupado com a carreira dele no cinema e na tv, e penso que ele mesmo já tenha dito que é mais apropriado que Damon e eu terminemos o que começamos. Amamos e respeitamos J.J., mas nosso palpite é que ele estará focado nas coisas dele.

    Alguma novidade com relação à Dark Tower (Torre Negra, obra de Stephen King)?

    Damon: Estamos tão focados em terminar Lost que é realmente difícil pensar em qualquer outra coisa. E a última coisa que queremos pensar agora é em como adaptar uma série de sete livros do escritor que mais admiramos e inspirou nosso trabalho. Esse é um desafio imenso. E temos um bem grande na nossa frente agora, portanto estamos apenas... é fácil dizer, “O que vocês vão fazer depois?” e começar a trabalhar nisso, mas penso que Carlton e eu estamos certos de que essa não é a hora de começar a procurar e trabalhar em outros projetos. Vai ser um trabalho extremamente complicado dar uma conclusão satisfatória à Lost e isso é tudo o que estamos fazendo agora.

10 comentários:

Fernando Melo disse...

Esse assunto da Libby sempre me deixa nervoso. Porque eu me lembro da expectativa que eu criei (e com certeza outros fãs também) de que ela seria realmente muito importante e que tinha algo muito impactante a ser contado sobre ela.

Tudo bem que a série acabou tomando outros rumos e, como eles dizem, estão preocupados com personagens e mistérios centrais. Mas como o Davi e a Juliana comentaram no último Dudecast (no caso a respeito do Walt), eles poderiam muito bem responder alguns mistérios secundários com breves aparições, um diálogo, uma foto, uma citação, uma referência... sei lá! Eles já se mostraram tão geniais, com certeza têm capacidade de fazer isso! Nem que seja pra dizer que a Libby era só uma empregada do Widmore estilo Matthew Abbadon, que servia igual ele, pra levar as pessoas aonde elas deviam ir...

Não é uma questão de "Era tanta coisa pra pensar que nós esquecemos", já que com tanta insistência dos fãs eles estão sendo lembrados vez após vez desse detalhe. E se eles não iam mostrar nada, que não abrissem a boca sobre isso então! Porque eu me lembro muito bem de ter lido os produtores falando que a história da Libby era como um iceberg que nós tínhamos visto só a ponta, e com certeza isso criou uma enorme expectativa em muita gente. Caramba, se eles tivessem alguma incerteza se iam ou não mostrá-la, que não comentassem nada a respeito então!

Davi Garcia disse...

Pois é Fernando, nesse aspecto eu concordo com você que eles pisaram na bola. Não que o mistério da Libby fosse assim tão essencial para o overall da trama, mas o vacilo deles foi ter alimentado uma expectativa que não foi ou será respondida.

Não dá para dizer com certeza, mas de repente eles mudam de ideia e na última temporada fazem alguma menção que dê ponto final à história da loira que é realmente bem pequena quando comparada com tudo que a série ainda tem que explorar.

Abraço!

Rafael Goulart disse...

"É impossível amarrar todas as pontas soltas, e honestamente nós nem pensamos em fazer isso..."

Pra falar a verdade, isso me desanimou, se é impossivel amarrar todas as pontas soltar, então porque criaram tantas?

enfim, é minha série favorita, e tenho fé que vai acabar como começou: espetacular e acima de tudo surpreendente.

edsonmarquezani disse...

Eu ia dizer exatamente o mesmo que vocês.
Ridícula, babaca essa postura de "ah, isso é detalhe, não importa, temos coisas mais importantes pra explicar".

Nem tem essa história de ser impossível amarrar todas as pontas. As pontas que precisam ser amarradas são as que eles mesmo soltaram.

É aquilo que eu já disse. Lost tem a pretensão ser sempre fantasticamente engenhoso e surpreendente a cada episódio, e pra isso, esses truquezinhos são usados o tempo todo. Acontece que muitas vezes esses truques são grandes blefes, como esse da Libby. Foi uma grande trapaça deles pra fazer a gente achar que havia uma história incrível por detrás, só isso. Depois que todo mundo grita "Uau, sensacional!", fica por isso mesmo.

Não é a questão de os fãs serem neuróticos pela Libby. É a questão da irresponsabilidade e desonestidade desse caso.

( Ouvi alguém falando "The Long Con" aí ? =)

edsonmarquezani disse...

Ah, aliás, lembrei de uma comparação.

Eu vejo esse caso da Libby como a estátua. Se ela (a estátua) não tivesse aparecido de novo nessa temporada (o que indica que ela será de alguma forma abordada na história), eles poderiam muito bem dizer que a estátua é simplesmente uma estátua e pouco importa.

Ora, não foi esse o caso da Libby? A princípio, uma estátua não é mais importante que ela, ou vice-versa.

sandysminamino disse...

Hum... além da Libby, levanto outra questão: e o Walt???
Lembro que já na primeira temporada havia indícios de que o menino seria um personagem importante para a série, quando houve uma "conexão" entre ele e Locke. Walt era um "menino com dons especiais", como o próprio padastro o definiu a Michael na ocasião da morte da mãe do garoto, e Locke, um "homem de fé" com quem o garoto se comunicou quando o querido careca levou um tiro de Ben.
Ele faz uma pequena aparição nesta temporada, mas nada mais foi mencionado sobre o menino...
Acredito que muitas pontas ficarão soltas, sim, propositalmente a meu ver, para que Lost seja lembrada como "a série dos mistérios que nunca serão respondidos"...

Everton disse...

Essa questão da Libby não dei muita importância porque eu não soube da declaração dos produtores sobre ser "a ponta do iceberg", apesar de eu ter feito uma certa expectativa ao vê-la no manicônio em que Hurley estava e ela ter dado o seu barco para o Desmond.
Agora o que me deixou um pouco frustado, mesmo eu gostando muito do episódio e da atuação do ator de John Locke, foi a falta de mais diálogos entre ele e o Jack e uns certos buracos no epis.5x07, pois esse seria o episódio esclarecedor sobre além da morte de John/Jeremy, também sobre a cena final da 4ª temp. quando o Ben ao ver Jack pergunta se o Jonh disse que ele (Ben) estava fora da ilha, confirmado pelo Dr. e o próprio Shephard disse que o ('ex') morimbundo falou que coisas ruins aconteceram àqueles que ficaram para trás e isso não ficou nada claro no episódio 7, tanto que acho que John Locke só soube da saída de Benjamin Linus antes de se matar.
Se esses erros serão tapados ou não ainda na 5ª temp. eu não sei, mas que sirva de lição para não serem cometidos na última temporada, e torcer para que ela esclareça os mistérios mais importantes e ''martelantes'' em nossas cabeças pois esclarecer todos os mistérios minuciosamente é quase impossível.

Doraemon disse...

Eu sempre fico com um pé atrás com essas declarações dos produtores.

Exemplo: eles já afirmaram que tinham planos interessantes para Nikki e Paulo, mas o público os rejeitou e então a dupla foi limada da série. Mas nesta entrevista eles dizem que tiveram a sensação de que os dois estavam sobrando e tiraram eles da séria antes do público reclamar.

Então essa questão da Libby pode ser muito uma desconversa... para aumentar a surpresa quando ela aparecer. (Assim espero... hua... essas entrevistas sempre deixam a gente desanimado... mas isso é bom)

Sra. Beauvoir disse...

Bem mimados no quesito "não façam perguntas que colocam o nosso trabalho em dúvida". É fato que inventaram mais mistérios pra entreter do que pra responder e agora na reta final, não vão dar conta de responder nem metade do que fizeram. Então decidiram responder os top do tipo - o que é o monstro, o que é a estátua, onde Claire foi parar, porque esses causam impactos que alguns até esquecem dos outros que também importam e foram tratados outrora como grandes mistérios e agora: opsss não vamos falar mais nisso.
Broxante.

Shokewave disse...

1° Bem feito, quem manda serem fanáticos? Tava na cara que nao iria dar pra explicar tudo.

2° Mimimi...