05/03/2009

Comentários do ep. 5x08 "LaFleur"

Se alguém ainda tinha dúvidas da genialidade dos caras por trás da série, imagino que elas tenham se desfeito agora. O ótimo "LaFleur", oitavo episódio da temporada, deixou de lado o elemento sci fi que tomara conta da trama até então, para investir no outro que é igualmente poderoso na história de Lost: o velho e 'simples' drama, fluido nos relacionamentos entre aqueles personagens. Foi essa fórmula a responsável inicial por nossa paixão pela série, ainda na 1ª temporada, quando assuntos como Dharma, os Outros, Jacob e as viagens no tempo provocadas por deslocamentos da ilha sequer passavam por nossas cabeças. "LaFleur" resgatou aquele gostinho de ver a história só pelos personagens, mas não nos poupou das várias surpresas ocasionadas por reaparições, encontros inesperados, o surgimento de um novo casal e, sobretudo, pelo choque transmitido num olhar de fascínio e dúvida proporcionado pelo reencontro com antigos amigos. Enfim, mais um episódio para entrar no rol daqueles memoráveis da série.

Leia mais...

    Começando do exato momento em que Locke cai no poço (conforme vimos no 5x05 "This Place is Death"), o episódio nos deu a primeira grande surpresa ao mostrar - ainda que em pouquíssimos segundos -, as costas de uma grande estátua erguida na ilha e que obviamente deve ser a mesma do pé de quatro dedos. Uma lembrança elegante dos roteiristas, dizendo que eles não esqueceram dessa história e que indicava que naquele momento Sawyer, Juliet e cia, estavam num passado bem distante da ilha. Pois é, estavam porque logo em seguida, quando vemos Locke girando a roda, um novo e mais forte clarão ocorre levando o grupo para outra época, onde Faraday diz que eles ficarão para sempre, já que os saltos temporais estavam finalmente encerrados. O período? A década de 70, como se revela mais tarde ou se preferir, os primeiros anos da Iniciativa Dharma na ilha, quando mulheres ainda podiam ficar grávidas.

    A genialidade da narrativa empregada em "LaFleur" vem de sua capacidade de responder uma pergunta que martelava na cabeça de todos nós: como eles irão explicar a passagem de tempo ocorrida para os que saíram da ilha? De uma forma simples, mas criativa, a história colocou Sawyer, Juliet, Miles e Jin no miolo da Iniciativa Dharma e por tabela, muito provavelmente deve tratar de várias questões em aberto sobre o passado da Iniciativa na ilha. Sawyer, agora atendendo sob o nome de James LaFleur, assim como Jack fizera ao sair da ilha, montara uma história falsa que protegesse seu grupo. Agora, será que fazia parte do destino deles interceder por Amy (a nova personagem feita pela atriz Reiko Aylesworth) na floresta quando era atacada por dois homens do grupo de Richard Alpert? Se tivesse que apostar diria que sim e que ou aquele evento estava inserido na categoria que Faraday menciona ao dizer que "o que aconteceu, aconteceu", ou então começamos a ver que nem tudo é imutável no passado da ilha. Seja lá o que for, o fato é que ao salvarem Amy, Sawyer e cia acabaram conhecendo Horace GoodSpeed, o mesmo homem que levou Roger Linus e seu filho Ben à ilha pouco tempo depois e que acabou inserindo-os como membros oficiais da Iniciativa Dharma. Até onde esse - aparentemente perigoso - rearranjo de peças na história da série nos levará não faço ideia, mas só digo que já tô gostando demais dessa virada na trama pela gama de possibilidades que ela proporciona.

    E é óbvio que não dá para encerrar o comentário sem citar a surpresa de ver Sawyer e Juliet juntos como casal na ilha. Já tô até vendo a confusão que isso vai gerar dentre os fãs shippers que torciam/torcem pela reunião do bad boy com Kate, e mesmo sem ligar para as complicações dos romances na série, é inegável que passados três anos, é exatamente esse elemento que trará um peso interessante à dinâmica da reunião de boa parte dos losties, no final da década de 70 na ilha. Afinal, será que para Sawyer, três anos seriam realmente capazes de apagar a lembrança de Kate e o que ela significava para ele? Tá aí uma das perguntas que ficam para serem respondidas ao longo dos próximos episódios. Até lá, ficamos com a certeza de que mais uma vez Lost renovou nosso envolvimento com a história de um grupo de pessoas perdidas no tempo (e no espaço) num lugar cheio de mistérios.

    Outras observações:

    - Curioso que mesmo ainda sem enfrentarem o problema com a gravidez das mulheres na ilha, a Iniciativa Dharma mandasse todas as mulheres grávidas para fora da ilha quando estas estivessem prestes a ganharem seus bebês, como fora revelado pelo médico atendendo Amy. Com isso em mente, o que teria afinal provocado aquele problema?

    - Será que a resposta para essa pergunta, mais uma vez pode estar relacionada à bomba de hidrogênio Jughead, que para mim não foi mencionada por acaso na conversa entre Sawyer e Alpert? Acredito que sim.

    - Aliás, como não rir do que o Sawyer disse antes de ir falar com Alpert, quando se referiu a ele como o cara com eyeliner (delineador). Uma clara piada interna feita pelos roteiristas/produtores que já cansaram de dizer que o ator Nestor Carbonell não usa nenhuma maquiagem para reforçar a sombra dos olhos.

    - Ainda sobre o parto, foi muito bacana ver a emoção de Juliet ao finalmente conseguir fazer um parto na ilha que acabava bem.

    - Os fãs shippers que torcem por Sawyer e Kate que me perdoem, mas a química dele com Juliet pode ser bem interessante para os personagens.

    - O que aconteceu com Faraday durante aqueles 3 anos? Levando em consideração o que vimos na estreia da temporada, ele também teria virado um funcionário Dharma, mas o que ele realmente andou fazendo?

    - E quanto aos outros sobreviventes como Rose, Bernard e até mesmo o pobre Vincent. O que aconteceu com eles durante esses deslocamentos? Ficaram perdidos em algum ponto da ilha? Foram capturados pelos Outros depois que os saltos temporais pararam?

    - Incrível como a trilha de Michael Giacchino sempre consegue emocionar na medida certa pontuando momentos chaves dos episódios, não? A que foi usada naquele final é só mais um belo exemplo.

    - Sei que muita gente vai reclamar, mas eu confesso que nem senti falta de terem dado espaço aos eventos envolvendo Locke, Ben e os demais passageiros do voo Ajira 316, algo que certamente veremos no episódio 5x09 "Namaste", que será exibido nos EUA no dia 18 de março.

99 comentários:

Daniel disse...

Sensacional, só isto posso falar.... bem que poderia dar um "clarão" e eu ir parar daqui a duas semanas....
Boa noite à todos!

Bagarai! disse...

O episódio em si foi legal, só a cena do Sawyer abrindo a porta nos primeiros minutos foi muito massa.


Só nos resta saber quem é o bebê de Amy

:D

Jú{Garmonbozia} disse...

como esperar duas semanas pra ver o proximo???? o episodio foi sensacional!!! e mesmo naum torcendo pra James e Julliet ficarem juntos, confesso q senti um aperto no peito vendo ele falar q ja a esqueceu, very sad =/

Mariana disse...

Meu Deus! Episodio totalmente excelente! hahaha

Davi, eu gostei do "Suliet" kkkkk. Realmente Sawyer e Juliet tem uma quimica legal...

Nossa, e ter que esperar uma semana pra Namastê? Caramba, isso chega a ser uma sacanagem com a gente.

rafaelnanet disse...

Concordo! Já estava sentindo falta desses episódios focados na construção dos personagens. Um ótimo episódio. Já torcia para Sawyer e Juliet ficarem juntos, só pra ver o circo pegar fogo quando a sardenta voltasse, heheheheh!
E lá vamos nós aguardar duas semanas para mais um episódio.

Diego Messora disse...

Muito bom o episódio!! O ruim agora é ter que esperar duas semana para o próximo..

D=

seriesaddict disse...

Duas semanas! Eu vou surtar também, Jú. Talvez esse não tenha sido o melhor episódio da temporada, mas foi o meu preferido. E como eu disse no Twitter, fiquei com lágrimas de felicidade ao ver Juliet e Sawyer juntos, porquê venho torcendo pra isso acontecer desde o começo dessa temporada.

Adilson disse...

Concordo com seu comentário. Apenas uma questão me incomoda, aliás, duas:

1ª-A estátua é uma imagem feminina? Para mim é Juliet!

2ª-Por que Amy usou um "protetor auricular" para passar pela cerca sônica? Ela não confiava nos losties ou foi um truque usado para captura-los e "obrigá-los" a se associar a Dharma?

Nicole disse...

Eu não consigo entender isso de "o que aconteceu, aconteceu", se eles no futuro não lembram de tudo isso que aconteceu no passado. :S

Herikinha disse...

Excelente comentário, Davi! Em relação ao Faraday, agora fica explicado o que ele estava fazendo na construção da Orquídea...Ele se infiltrou entre os operários daquele lugar possivelmente para aprofundar seus conhecimentos sobre os mistérios da roda do tempo. Com certeza, muitas anotações foram feitas no seu caderninho após isso, rsrs!!!!!
Namastê, e boa noite!

Bárbara Fagundes disse...

Foi muito bom mesmo! Primeiro que é sempre bom matar saudade da Reiko Aylesworth, adoro ela! Segundo, amei Sawyer e Juliet! Kate que fique com o Jack agora! hahahaha
agora é esperar duas semanas! Meu Deus!!!

Ricardo Dias Almeida disse...

Apesar de ser um leitor curioso de spoilers, eu nunca imaginaria que ia aparecer a famosa estátua de costas. Foi orgásmico ver aquilo!

Fabi Abrams disse...

Há, tão fofo Suliet...James merece ser feliz com a Juju, eles tem quimica.

Os roteiristas já podem se dar por satisfeitos em resolver o quadilátero: Juju e Sawyer e Jack e Kate...e vamos responder perguntas mais importantes!!!

Ana disse...

não sei se vcs concordam, mas eu acho que três anos serenos de relacionamento com a juliet são mto mais significativos que os meses de tumultuados com a Kate. Em três anos eles tiveram bastante tempo pra se conhecer bem, ainda mais vivendo uma vida normal.. todas a manias, o modo como a gte já sabe o que outro ta pensando só pelo olhar... imagina qtos momentos lindos de carinho e compreensao eles tiveram.
Eu tb nào torcia pra esse casal, não (sawyer e juliet) mas da forma como aconteceu... ai, que fofo...

além disso é legal que pensar que aqueles que ficaram, no final das contas acabaram tendo 3 anos de paz na ilha. e é mais interessante ainda pensar que eles podiam ter ido embora qdo quisesse (tá, o mundo de onde eles vieram ainda não existia, mesmo assim, eles podiam ter ido), mas ficaram por escolha; bem diferente dos que voltaram, que tiveram vidas bem complicadas e voltaram obrigados.

Adilson disse...

No promo de "Namastê", li o nome de
Molly Macgivern como "Rose". Creio que saberemos o que se passou com Rose, Bernard e Vicent...

Daniela disse...

Fiquei muuuuuuuuito feliz tbm pela coisa entre a juliet e o sawyer acontecer mesmo!!! a kate que queime no inferno... desculpe, mas é verdade

eu cheguei atrasada pra assistir e peguei bem na parte da estátua! era feminina mesmo, né? com cabelo cumprido e tudo, não é?

quanto à espera... vamos lá, duas semanas... passem rápido!

Mandy_di disse...

Adorei o episodio, o chato é esperar duas semanas pra ver o que vai acontecer.
Estou pensando no Ethan tambem ser filho da Amy e concordo sobre Sawyer e Juliet. Kate não estava "nem aí" pra voltar pra ilha mesmo se as pessoas que ficaram iriam morrer ou não, que fique mesmo com o Jack.
Valeu Dude!

Stephan Solon disse...

David, ótimo comentário. Só uma pequena observação: Sawyer se apresentou como Jim LaFleur, e não James, seu nome real.
Abs!!!

Fernando Campos disse...

É inegável que a química entre sawyer e juliet é maior que a de juliet e jack.

V!Ni / MiCoRR!zA disse...

Não Stephan, ele disse algo como "sou James LaFleur, pode me chamar de Jim"

Camilo disse...

Stephan Solon, ele se apresentou como James LaFleur, e disse a Horace que podia chamá-lo pelo diminutivo Jim.

Luiza disse...

Dudes,
amei esse ep.,tava torcendo pelo Sawyer e Juliet faz tempo,pelo jeito que ele olhou a Kate dá para sacar que ainda rola um sentimento,mas eu espero que ele caia na real e fique com a Juliet,casal mais fofo.De alguma forma acho que a intervenção deles era necessaria,porque já tinha ocorrido,mas nem to pensando muito nesses loopins temporais,amei o romance do ep,só espero que Jin não tenha casado com ninguem né.

Tarcisio disse...

sobre a percepção do tempo. foi a ilha que voltou no tempo e levou eles junto. lá fora é pra ser o ano "correto", ou seja, 2008.

se tivessem optado em pegar o submarino, sairiam em 2008. nao é isso nao?

Murilo disse...

Nao sei se alguem comentou isso.. mas ja que Sawyer e cia estao na decada de 70 onde esta Ben Linus ? Nessa epoca ele ja estava na ilha com pai.
Por favor comentem ...

Stephan Solon disse...

Ah, ok galera, obrigado pelo heads up.
Abs a todos
Stephan

Davi Garcia disse...

Tarcisio, boa questão essa que você levantou. Será que saindo da ilha no passado usando o submarino eles não chegariam ao exterior no nosso presente? Eu confesso que não faço ideia, mas como a história da série acontece na ilha mesmo, acredito que isso seja irrelevante daqui para frente.

Murilo, acredito que àquela altura o Ben já estava na ilha sim, ou no mínimo chegaria pouco tempo depois levado por Horace. Como esse episódio reforçou a ideia de que voltaremos a ver a Charlotte pequena na ilha, acredito que muitas outras revelações envolvendo as crianças na série surjam nesse cenário.

Abraço a todos!

Romulo disse...

Olá pessoal do dude, muito legal o epi e os comentários. Mas fiquei com duvidas. DAVI ve se estou certo, quando Locke vira a roda do tempo ele sai da ilha na mesma época que os OCeanic siz certo, ou seja, na mesma época em que a ilha se encontrava 2005? Ai eles viveram 3 anos fora dela até 2008 certo, no mesmo evento de girar a roda do tempo os Losties foram jogados pra década de 70. E apartir de lá viveram 3 anos. O engraçado é que na volta dos oceanic´six metade são levados exatamente na década de 70 com os outros losties, mas BEN,SUN e SAYID vão parar num tempo, que tempo é esse? E no futuro? Depois de 2008? Antes? Pois é no mesmo tempo que LOCKE está e ele aparece na ilha conversando com pessoas, lembra? Acredito que vamos ver os Losties envolvidos de uma certa forma com o BEN (Criança), chegando na ilha. Isso será muito interessante. E a última dúvida, não sei se já foi perguntado. A Cerca Sõnica aparentemente foi construida pela Dharma, pra se proteger dos outros? e tambem da Black Smoke? Então A Back Smoke seria "obra" dos outros ou algo da própria ilha? Acredito que a Black Smoke é fruto de uma esperiência do futuro da ilha, um futuro que ainda não vimos. E que se descolou no tempo junto com a ilha, o que acha? Abraço Davi.

Sra. Beauvoir disse...

Charlotte pequena que aparece deveria ter por volta de uns 5 anos, se Ben já estivesse chego nessa época ou 3 anos depois, Charlotte estaria com 8 anos e o Ben que é mostrado em flashback tem no máximo uns 14 anos. Aliás o Ben criança fica chateado pelo pai ter esquecido o aniversário, mas não lembro se teve alguma menção de qts anos ele estava fazendo.
Enfim, daria uma diferença de idade de 6 anos entre Charlotte e Ben, sendo assim ou Ben tá acabadão ou o menino Ben ainda não chegou na ilha após esses 3 anos que trouxeram Kate, Hurley e Jack de volta.

Pedro disse...

DEMAIS...EU CHOREI NO FINAL....

The disse...

Como ja foi dito, a Kate tava nem ai pros que ficaram pra trás... ela que se entenda com o viciado agora =D

Go Juliet/Sawyer go!

Renata disse...

entao, eu tenho uma duvida q nao sei se e proposital da serie ou burrce minha. mas asim, agora sabemos oq houve c o pov da ilha durante eses 3 anos, mas oq houve c o locke? pq o vimos caindo no poço, rodar o troço la,cai na 'terra' firme (lol),e logo dps atars dos O6. dps tentando se matar e sendo morto. mas a minha duvida eh. da saida do locke da ilha,ate embarcar no caixao PASSARAM-SE 3 ANOS?? nao ne? sera q ao roda la o troço ele avançou no tempo? seila. helppppppppp me

Dudu Maroja disse...

Nunca vi ninguem comentando. mais pra mim os olhos do richard alpert ( com o tal do delineador ) é mais uma das claras referencias egípsias na série, eles contumavam usar maquiagem assim (não que o ator precise )

alem do cordão que tambem é mais uma referencia egípsia na série!

e pra mim a estatua era claramente um deus egípsio tambem. anubis acredito eu! nota-se que ele segura o simbolo do cordão do episódio! ( ou não )

Dudu Maroja disse...

Davi, olha essa imagem que eu achei no google. lembra muito a estatua, so que de frente

http://karenswhimsy.com/public-domain-images/pharaohs-of-ancient-egypt/images/pharaohs-ancient-egypt-5.jpg

Laura Caçoeiro disse...

Sempre torci pela Kate ficasse com o Saywer, mas confesso que o casal Juliet/Saywer, cada vez mais me parece bem.

Estou muito ansiosa para ver este episódio e o próximo. Alguém na ABC, deve gostar de saber que os fãs de Lost estão a sofrer com esta paragem.

Penso História? disse...

Beleza de episódio!

Só não ficou muito claro uma coisa. Se segundo LaFleur eles estão em 1974, como Faraday poderia ter visto a pequena Charlote se ele só nascerá em 1979como já foi dito por Ben logo que os tripulantes do cargueiro apareceram?? Será mesmo Charlote a garotinha vista por Dan apesar das características serem iguais a ruiva? Comentem!

Marcela disse...

Eu antes nao gostava da Juliet mas como ja to de saco cheio das frescuras e indecisoes da Kate, quero mais eh q o Sawyer fique com ela. Afinal de contas, se tem alguem que merece ser feliz nessa serie eh ele :)

cakki disse...

Como alguns já falaram, fiquei confusa com a idade de Charlotte e de Ben tbm!

Pelo q Ben havia dito Charlotte teria nascido somente em 1979 (mas não sei se podemos acreditar em td q Ben fala). E, em 1974, Daniel vê uma garotinha ruiva de, mais ou menos, 5 anos (q talvez nem seja ela).

Pensei na possibilidade de Charlotte ter "pulado" no tempo ao sair da ilha - assim como Locke q, claramente, pulou 3 anos de sua vida ao fazê-lo. E, assim, sua família teve q mentir a data de nascimento da filha para ficar coerente com o desenvolvimento dela.

Outro problema é a idade de Ben... No momento em q o vimos nascendo era início da década de 60 e, mais tarde ele iria parar na ilha (década de 70). Com certeza temos q ver o jovem Ben na ilha agora q estamos em 1977 - inclusive a lista do elenco do próximo ep confirma isso. Acontece q o ator q faz o jovem Ben é o mesmo de TMBtC, o q me faz questionar a idade q querem q Ben tenha e, pior ainda, a diferença de idade entre ele e Charlotte!

Jorge disse...

Sensacional episódio!

Nao tem como não deixar escapar um sorriso largo, já de início, quando vemos que LaFleur é, enfim o Sawyer! E eu que achava que poderia ser mais uma estação Dharma!!
Estava com saudade da profusão de apelidos com que ele se refere a todos... rs

E não é que é isso mesmo, Davi... A Juliet nos foi mostrada em outras nuances que meio que fazem desvanecer aquela impressão antiga e acaba por fazer um belo casal com o Sawyer...
Com certeza a Kate vai ser um elemento a tirar Sawyer e Juliet dessa fugaz 'zona de conforto' em que se encontram...

A cena final... Bah! Matadora! Conseguiram dizer muito nos poucos segundos silenciosos onde finalmente se reuniram...

Um episódio, ainda que intenso em sua carga emocional, leve e, porque não dizer, saboroso. Fiquei saciado.

Alexandre disse...

Primeira coisa: episódio fantástico, e não concordo que se centrou só no drama, ele dá ganchos muito bons para o resto da série e explica outras coisas.

Segundo. A Juliet é fantástica. Além da beleza de Eliabeth Mitchel, a personagem é forte, meiga, companheira e leal (sim, apesar de tudo). Ótimo par para o agora muito mais centrado e menos egoísta Sawyer. E além disso enche o saco essa dele ficar babando pra Kate, indecisa e tudo mais.

Sobre "Agora, será que fazia parte do destino deles interceder por Amy (a nova personagem feita pela atriz Reiko Aylesworth) na floresta quando era atacada por dois homens do grupo de Richard Alpert? ". Fazia, e ESSE é o sentido de Whatever Happened, Happened. Eles ainda não se dão conta, mas o que eles estão fazendo vai gerar exatamente as mesmas consequências do que eles viveram no futuro (ou passado, pela percepção deles). O bebê de Amy vivo que eles "salvaram" é a prova de que aquilo estava nos planos.

Sobre a questão do Tarcísio. Acho que é variável, se o submarino mantivesse a coordenada principal, ele pararia em 1974. Se por outro lado desviasse poderia sofrer um deslocamento temporal.

edsonmarquezani disse...

Muito bom, muito bom !!!

Agora, aparentemente tá explicado porque a Charllote diz pro Daniel que havia o encontrado quando criança, não é ? Embora haja essa questão dos anos aí que não estão batendo muito.

E, sinceramente, a Kate fresca xarope que se lasque! A Juliet sim, aquilo que é uma escultura!!! =P Muito mais bacana o casal deles, e mais bacana ainda se começar a dar pau agora por causa da volta da Kate. =D

Gabriel disse...

Engraçado o pessoal ter gostado pelo lado melodramático Juliet x Sawyer. Gostei do epi pela conexão com os temas do passado.

Se os Losties "pararam" em 1974, eles deverão ter um papel importante pra Ilha. E ficou explicado q o comportamento misterioso dos Outros nas 1as temporadas era em parte por eles já terem conhecido os Losties no passado, por isso achavam os Losties de certa forma "especiais".

A Juliet deve ter sido chamada pra Ilha no futuro pelo Ben devido a esse parto q ela conseguiu fazer no passado, e etc...

Bacana, q esse cruzamento do passado da Ilha com o futuro dos Losties continue rendendo bons frutos.

Michel disse...

Então a mágica voltou. O primeiro episódio excelente dessa temporada. Uma boa história e ótimas atuações.

Os Losties começam a integrar e construir a história que os deixou perplexos quando chegaram na Ilha...

Dei uma bela gargalhada quando LaFleur foi revelado. Episódio bem amarrado, Sawyer dá uma flor para Juliete, grande sacada que chancela de vez o novo papel dele. Grande ator.

Outro ciclo se fecha. Faraday vê a pequena Charlote. Realmente de dar um nó na garganta.

Outro ponto alto do episódio: Richard e Sawyer. Richard, como sempre paciente, ponderado e sensato. Bem apropriado para alguém que está acostumado com o passar do tempo. E Sawyer, o sacana e vaselina de sempre. Levou Horace numa boa e ainda deu conta de Richard.

Estamos num tempo em que as crianças ainda nascem na Ilha e Widmore ainda deve estar no comando. Os outros, os hostis, estão em trégua com a Dharma. Ben ainda deve estar para chegar e fazer o estrago.

A cena da estátua não impressionou e pareceu até meio gratuita e desnecessária. Um bom episódio não é aquele que revela algum mistério ou soluciona problemas, mas o que conta uma boa história.

ze disse...

no primeiro capitulo dessa temporada aparece o que está acontecendo com o daniel.

BNHQ disse...

Uma curiosidade sobre a estátua é: definitivamente parece algum tipo de deus egípcio de costas (talvez Anúbis). Visto as referencias a essa civilização na serie, acho que provavelmente os egípcios conheceram os verdadeiros habitantes da ilha (nave de outro planeta, segundo a minha teoria). Outra coisa. Olhem bem para a cara do Richard! Pele morena, sobrancelhas espessas e negras, rosto afinalado, e o mais engraçado... não me recordo de ter visto ele com a barba por fazer. Parece um egípcio pra mim! Atenção aos easter eggs: episodio passado Hurley desenhava uma esfinge! E é a quinta vez que se faz uma referencia a "disco" no seriado, coincidencia? Creio que não. Abs a todos! Glauco.

allan disse...

Muito bom...

Mas olha, não acho que o que eles tenham feito vá trazer consequências diferentes para o "futuro" da ilha. Acho que a série tá bem clara com relação a isso, eles repetem várias vezes essa idéia. Eu prefiro raciocinar tudo como sendo uma única linha temporal e que mesmo antes do avião ter caido, eles haviam vivido na ilha sim, por terem vindo do futuro para o passado, sendo peças importantantes para a evolução da história da ilha até o momento da queda do avião. Eu já até comentei aqui uma vez que não ficaria surpreso se no final da série vissemos eles CAUSANDO o acidente do avião deles para que o arco temporal fosse fechado.

Cauê Madeira disse...

Não li todos os comentários e não sei se falaram disso. Mas depois de assistir esse episódio, resolvi assistir de novo o episódio 20 da terceira temporada "The Man Behind The Curtain" que mostra o flashback do Ben.

Mais ou menos aos 14 minutos do episódio os "hostis" atacam a vila da Dharma, e Ben está na sala de aula. Pela janela aparecem vários membros da iniciativa indo para o conflito. E um deles, para mim, é claramente James LaFleur. Primeiro pensei ser Horace, mas vimos no episódio que o cabelo dele, que está mais curto do que no episódio "LaFleur", é mais enrolado do que o do homem que corre pela janela.

Estou realmente desonfiado de que já na terceira temporada fizeram essa cena pensando no futuro.

Dani disse...

O Dudu Maroja teve uma boa idéia, mas não sei se a estátua se refere a um deus tão óbvio quanto Anúbis...

um amigo achou uma coisa curiosa, que pode ter bastante relação com a série:

http://en.wikipedia.org/wiki/Meskhenet

BNHQ disse...

Acredito que sim Cauê! PArece mesmo o James! Agora olhem isso que curioso... o site do DJ Dan ainda esta no ar (lembram-se? Lost experience entre temp. 2 e 3)
http://www.djdan.am/
reparem na quinta imagem da esquerda para a direita. É a imagem que vimos na capa da revista LIFE no ep 07 da quinta temporada. Sera que eles colocaram essa imagem lá atras em (2006) , sabendo que iam usar somente nesse episodio (2009)???? Acredito que sim!!!!!!!!!!!!!!

Michel disse...

@ allan

Interagir com o passado não é problema algum. O problema é tentar refazer a história, porque acaba sendo impossível.

É impossível que viajar ao passado não resulte em interações. Visitar o passado sempre provocará consequências futuras.

Talvez a melhor forma de visualizar essa questão seja pensar no PASSADO/FUTURO como uma linha que já existe onde tudo está ocorrendo simultaneamente. O PRESENTE é um ponto em algum lugar dessa linha e é algo totalmente relativo, já que o somatório de todos os PRESENTES resulta nessa LINHA DE TEMPO.

Talvez o melhor modo de compreender o PRESENTE seja pensar na seguinte lei: PRESENTE é o ponto demarcatório em que é possível ter memória do PASSADO, mas não é possível ter memórias do FUTURO, embora eles coexistam.

Se o TEMPO for imaginado como um trem em que todas as poltronas estão viradas para trás, essa noção torna-se mais fácil de ser compreendida. Cada vagão é uma cópia do anterior, com as mesmas pessoas. Os vagões posteriores têm aquelas mesmas pessoas um pouco mais velhas. Existe uma relação de causa e consequência, e esse liame é que une cada um dos vagões, mas eles coexistem. Dependendo de qual vagão você escolha, aquele será considerado o presente. Logo será possível visualizar os vagões anteriores, mas não os vagões posteriores, porque não é possível lembrar o FUTURO, mas ele já existe, sempre existiu.

Viajar no tempo é sair de um desses vagões e ir para outro. Simples. Então se existe um vagão com o indivíduo A com 30 anos de idade e com esse mesmo indivíduo A com 33 anos de idade, isso quer dizer que haverá um vagão em que estará sem esse sujeito de 33 anos.

O que aconteceu antes? Tudo acontece ao mesmo tempo. Estamos de fora vendo esse trem.

E a porra do livre arbítrio? Besteira falar nisso. Em cada um dos vagões as pessoas exerceram suas próprias escolhas, e o trem que vemos, a linha de tempo, nada mais é que a concretização dessas escolhas.

Mas quando alguém interage com o PASSADO, isso não causa consequências? Não existem dois "futuros" diferentes, um que é consequência dos visitantes de outro tempo e outro sem essa interferência. Se acontece uma viagem no tempo e ela obviamente tem consequências, mas isso não modifica os vagões futuros porque esses vagões futuros já consideram esses fatos dos vagões anteriores. Os vagões coexistem, eles são a concretização coerente das escolhas e dos fatos.

Viajar no tempo não "refaz" o passado, mas o "constitui".

a filha disse...

Concordo com o Dani. A estátua que vemos pode ser de Meskhenet, a deusa dos "nascimentos". Talvez a estátua tenha sido destruída pela Jughead, enfurecendo os deuses e causando o problema de fertilidade na ilha.
Gabriel, bem visto. Se os losties aterraram ali, os "outros" já os conheciam quando o avião caiu, no futuro. Daí acharem que eles eram especiais e daí Ben ter recrutado Juliet por ela já ter conseguido fazer um parto bem sucedido na ilha anos atrás.
Bom episódio! Estou mortinha para que passem estas duas semnanas...

Alexandre disse...

@ Michel
"Viajar no tempo não "refaz" o passado, mas o "constitui".
Exatamente.
Whatever Happened, Happened!
O que veremos é a jornada toda como os losties ajudaram a constituir a situação em que se viram "acidentalmente" (porque a partir desse ponto de vista não será mais acidente)jogados por meio do voo 815.
Fascinante essa idéia.

Pedro disse...

Achei uma foto em alta definição da estatua. Eu diria q é Anubis com certeza Da ate pra ver q ela carrega aquela cruz doida lá , igual ao Deus

http://images1.wikia.nocookie.net/lostpedia/pt/images/6/68/FourToedFull.jpg

abraços , pedrojandir

José Garcia disse...

Por acaso alguém notou que Sawyer estava com um uniforme da Dharma de uma estação que ainda não tinha aparecido na série? Pelo menos ela não consta no Lostpedia que é bastante completo. Separei a imagem e destaquei. Uma simples estrela com o que aparenta ser a palavra "Dharma" no centro. Vejam a imagem aqui: http://fc68.deviantart.com/fs43/f/2009/064/e/a/Lost_001_by_gjrdesign.jpg

e visitem por favor o meu blog: www.imagetica.net/blog

andrecoslocos disse...

episódio lindo.

ueheuheuh

mtooo lokoooooo! animal!! nota 10!!!

Que série!!!!

Quéroul disse...

ainda tô esperando um DAQUELES episódios de Lost. mas não tem jeito, pelo menos dos últimos três que eu vi, eu só faço chorar.
que final lindinho o desse ep. choreeeeeei com Sawyer.

Davi Garcia disse...

José, acredito que aquele seja apenas um símbolo da Dharma para designar a função que a pessoa exercia. A estrela simboliza o status de polícia ou como vimos no episódio, segurança. Sawyer era o chefe de segurança, um xerife da Dharma, daí a estrela em seu uniforme.

Juliet usava um com uma chave de fenda simbolizando que seu trabalho lidava com mecânica que era exatamente isso que ela estava fazendo àquela altura. Esses símbolos não estão ligados necessariamente a uma determinada estação e acredito que ainda veremos outros nos próximos episódios.

Abraço!

guilherme disse...

galera... na minha opnião o melhor da temporada teh agora... a boa dose de drama, romance, além de cenas fantasticas como a da estatua e encontros com pessoas como Horace Godspeed e Richard Alpert fizeram desse epi um dos melhores teh aki.

Tb adorei o novo romance da série.. e axo q do jeito q está Jater e Suliet sounds perfect. =)

sobre as dicas egipcias q estamos encontrando aos poucos em Lost... axo sim q terá muita importancia no futuro...

Akela estatua parece realmente um deus egipcio... mas qual... olhem esse site aki e tirem suas conclusões... =P

http://www.touregypt.net/featurestories/shai.htm

O site fala sobre nada mais nada menos q deuses egipcios, reencarnação e destino ... e ainda por cima tem hieróglifos iguais akeles do templo e do contador da escoltilha sem contar com fotos mt interessantes de deuses egipcios... xD

Vlw pessoal
Namaste, a espera
=P

michelecnunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
michelecnunes disse...

Amei o episódio! Muito bom mesmo!
Estou adorando o rumo que a série está tomando.
Isso só me faz ter mais certeza de que o grand finale de Lost não vai decepcionar!

JD disse...

O que aconteceu com Faraday durante aqueles 3 anos? Levando em consideração o que vimos na estreia da temporada, ele também teria virado um funcionário Dharma, mas o que ele realmente andou fazendo?

***

O 1º episódio da desta temporada já dá pra ter uma ideia

Davi Garcia disse...

Sim, mas que ideia? Ele simplesmente virou um operário na Orquídea?

Publicidade disse...

muito bom esse episodio

detalhe tambem para Faraday que viu a pequena Charlotte na ilha
Sera que ele vai cumprir a promessa que fez a si mesmo e nao falar para a ruiva nunca voltar para a ilha?
e se ele falar, o que levara ele a esqueçer a promessa?

Fagner disse...

Como a Mitchel tá bonita nesse epi, hein?!

Sawyer é foda... Esqueceu a sardenta pra ficar com a loirinha

Casal Élfico para LOST!!!

hawhwahwa
wawhwhawa
wahwahwha

--------------------------------

Agora, sobre o episódio, que belíssimo episódio, hein?! Sou xiita anti-spoiler, mas A-C-H-O que o filho da Amy é o Desmond. Só por chute, é verdade, mas é quem eu acho que é.

Belíssimo episódio mesmo, hein?! Agora temos tempo de reassistir tudo que foi transmitido até aqui, com essa pausa de uma semana...

PS: Amigos do Dude, não temos Untangled essa semana???

Starbuck47 disse...

Excelente episódio!! Foi ótimo ter um ep mais focado no drama dos personagens. Sem falar da música de Michael Giacchino que estava realmente impecável, perfeita para as cenas. Adorei o paralelo que fizeram com o triângulo Paul-Amy-Horace e Sawyer-Kate-Jack, não poderia ter sido mais óbvio com Horace (Jack) bebendo e tudo mais e o colar possivelmente representando a promessa que Kate fez a Sawyer.

Fagner disse...

Davi Garcia disse...
Sim, mas que ideia? Ele simplesmente virou um operário na Orquídea?

----------------------------

Com certeza não......

Quer dizer, pra Dharma sim, mas é claro que ele NÃO SÓ virou um funcionário...deve estar desenvolvendo seus estudos paralelamente...

E o Miles? Kra... nunca ninguém dá destaque pro Miles...espero que ele tenha pelo menos um epi focado nele, pois é um personagem bastante interessante, mas de pouco destaque até aqui...

Fagner disse...

Outra dúvida, essa Amy não é a Michelle que era mulher do Tony Almeida em 24?

Pablo disse...

Desmond filho da Amy? Se Sawyer e os outros foram parar em 1974, quer dizer que o filho da Amy nasceu em 1977. Po, o Desmond tem bem mais que 30 anos né? Não tem como.

Falando em 1977, não é esse o ano que o Ben chegou na ilha? Considerando esse ep, ele ainda não chegou, mas deve estar perto disso. Vai ser no mínimo interessante quando isso acontecer.

Orlando disse...

O que o Michel escreveu foi perfeito para explicar o que está acontecendo...

E Alexandre disse:

"O que veremos é a jornada toda como os losties ajudaram a constituir a situação em que se viram "acidentalmente" (porque a partir desse ponto de vista não será mais acidente)jogados por meio do voo 815.
Fascinante essa idéia."

É exatamente isto... O passado já existiu... Eles tinham vivido na ilha, só não se recordavam disto, e agora tudo que vimos com certeza veremos agora com a interferência dos losties no passado.

Agora uma dúvida:

Só para esclarecer um pouco mais... Acho q estou pisando na bola no raciocinio...

Quando Locke girou a roda, o pessoal da ilha ficou preso em 1970, certo??? Bom... Locke fora da ilha, disse para Widmore havia passado alguns dias apenas, porém, Widmore lhe disse que já fazia três anos que os Oceanic 6 tinham retornado para suas vidas normais... Então Locke foi avisá-los para retornar e tudo mais, até sua morte, seu tempo fora da ilha não deve ter durado mais que dois meses, certo??? Como explicar o fato de que na ilha se passaram TRÊS ANOS???

Fabio Pan disse...

Cara !
Quanto comment viagem aqui ! Mas tudo bem. A temporada está aberta à especulações.
Lá vai a minha.
Quanto à Charlotte, acho que as datas que não batem serão explicadas com o Daniel fazendo ela e a mãe girarem a roda, dessa forma elas sairào da ilha e saltarão alguns anos no tempo (como parece q acontece com todos que giram a roda). Só pode ser.
Até !

Michel disse...

@ Orlando

Locke ficou poucas semanas fora da Ilha, mas para os outros Losties o tempo foi de 3 anos.

Simples. Locke não saiu da Ilha pela forma normal. Quando Locke saiu de lá utilizando a roda, ele foi arremessado para fora da Ilha, no futuro. A mesma coisa aconteceu com Benjamin.

Quando Benjamin gira a roda ele é jogado na Tunísia na época do falecimento da mulher de Sayid. Vale lembrar que ele girou a roda quando os Losties estavam saindo da Ilha, na mesma hora Ben também sofre um flash, só que ele somente acorda bem depois dos Losties chegarem ao mundo exterior.

É o mesmo que acontece com Locke.

Como terminar bem? disse...

Eu acho que o filho da Amy, pela lógica só pode ser o Ethan..e digo mais..acho que o pai não é o Horace..sei lá..ele e a Amy não pareciam ter um bom casamento! Chuto que a Amy pulou a cerca..será que com o Widmore? um romance escondido com um dos homens do Alpert?
O que acham?

Dani disse...

poxa, eu pensei que usar o Anubis fosse óbvio demais... pena se for esse deus egípcio mesmo!

fly girls # disse...

- Os fãs shippers que torcem por Sawyer e Kate que me perdoem, mas a química dele com Juliet pode ser bem interessante para os personagens.

OMG kate e saywer pra sempre mano --'

Kleber disse...

Excelente e completo.
Esse episódio é mais uma mostra do tato dos roteiristas para perceber quando uma história corre muito ou outra fica esquecida.
Eu já estava enjoado do conflito de Ben e Widmore, o que fez a trama se passar apenas fora da ilha, e então me vem esse episódio XD
Na hora que vi Sawyer e Juliet se beijando, pensei que finalmente a Kate poderia ser descartada! iuasheuiashiuease
E, ao que parece, a ilha realmente teve algum contato com a civilização egípcia (a estátua me pareceu um ídolo do deus Anúbis de costas)...
Agora os mistérios mais recorrentes em minha cabeça são onde estão Sayid e os outros e se Locke e Ben estão num tempo posterior à destruição do acampamento da praia...
Eu sempre me surpreendo com a capacidade desta série me supreender :)

Val disse...

sobre a estátua, acho q é a Deusa Ísis..olha só na mão dela...a cruz ou sei lá oq..igual a q tinha no percoço do tal Paul..

http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%8Dsis

Pedro disse...

Eu estava revendo o episódio e percebi um detalhe que não havia percebido ao vê-lo pela primeira vez. Quando Sawyer decide salvar Amy e aponta o seu rifle para um dos "outros", esse "outro", ao invés de se entregar, vira e atira em Sawyer... Podemos ver que por alguns segundos Sawyer fica até abismado e sem reação, olhando para si mesmo, para ver se havia sido atingido.
Fico imaginando se isso tem alguma relação com o fato de, sei lá, eles não poderem "morrer", pelo menos não naquela época ou sob aquela circunstância.

Bom, fica aí o comentário. No mais, o episódio foi sensacional. Lost está conseguindo a proeza de se superar a cada episódio.

Gabizinha Vidal -Santos -SP disse...

Definitivamente eu amo Lost!!. amei esse ep como vc bem disse davi esse ep resgatou o elemento q nos fez apaixonar pela série desda primeira temporada, dogosto de ver a história só pelos personagens.
Eu tive a impressão q o ep durou só uns 10 minutos, quando apareceu Lost na tela eu disse? mas já acabou?? eu acho q como ano q vem é o último ano da série os eps poderiam ter mais duração, tipo uns 50 minutos , o q vcs acham??

Bom eu não me ligo muitono relacionamento amoroso entre jack/kate, Sawyer/kate, Kate/jack, juliet enfim.. mas eu achei muito çlegal a quimica entre o Sawyer e a Juliet, acho q eles podem terminar juntos.

E realmente aonde estão Rose e Bernad??? e a Claire heim tipo ningu´[em fala mais nada dela.. eu espero q pelo msno o Jack pergunte dela,

E a Estátua, com certeza é a estátue dos 4 dedos!!!!

Agora aprte triste é esperar 2 semanas p ver o próximo ep, não sei se vou aguentar.

Alexandre Wermann disse...

Na minha opinião Faraday não seria um "Richard Alpert 2". Acredito que a primeira cena da quinta temporada, ainda reaparecerá na série, ou seja, o grupo que está viajando no tempo, irá para a época em que Faraday aparece nas construções Dharma.

Só tenho uma coisa para falar de Lost: BRILHANTE!


Foi isso que postei nos comentários sobre o episódio 5x03 "Jughead". Para mim meu boato já é verdade.

Também gostaria de lembrar, que quando Charlotte disse que já viveu na ilha, e que um certo homem (ela dizia que era Faraday), disse a ela para nunca mais voltar para a ilha. Essa conversa entre Faraday e a pequena Charllote ainda irá acontecer! Pode crêr!

P.S.: duas longas semanas estão por vir! HEHE
Abraços!

Michel disse...

Há mais um detalhe interessante nesse episódio. Ele foi praticamente todo filmado com um tom mais dourado, puxando para o sépia. Talvez seja para remeter aos anos 70, dando um tom mais clássico.

E definitivamente o David tem razão sobre a música de Giachino. Essa 5ª temporada vem sendo magnificamente instrumentada. Belíssimo trabalho que ele fez nesse episódio.

- disse...

André - CTBA-RS

Olá amigos, achei muito bom o episódio!
Respodendo a pergunta:
'- O que aconteceu com Faraday durante aqueles 3 anos? Levando em consideração o que vimos na estreia da temporada, ele também teria virado um funcionário Dharma, mas o que ele realmente andou fazendo?-
* minha teoria é que ele estava trabalhando nas pesquisas Dharma e foi a partir dele, ou de alguma forma com envolvimento dele, que eles souberam do local onde hoje é o poço que leva a câmara 'mágica'.
Nesse tempo não existe a orquídea, então a partir do Faraday que eles vão encontrar o local da roda e criar a orquídea. Ou não?

Mas essa história de viagem no tempo, faz pensar que na verdade tudo gira em um LOOP e que é difícil de explicar.
E se depois dessa conversa do Sawyer com o Alpert, o Alpert ficar mais certo que ele de alguma forma precisa achar também o LOCKE e a partir daí ele saiu atrás dele?

Isso é um 'loop' certo?

Coisas meio estranhas e loucas, muito legais também, mas 'as vezes intrigantes de saber como eles (os diretores e roteiristas) vão solucionar essas questões.

E COMO É QUE O RICHARD TÁ SEMPRE COM ESSA ROUPA LIMPA E PASSADA (sendo que os amigos do grupo dele que mataram o Paul estavam beeeem sujos e porcos ao melhor estilo Hostil/outros?)


hahahaha

griin disse...

episodio sensacional!! perfeito!
lembrando os bons tempos da terceira temporada, que foram descobertas muitas coisas sobre a dharma...
parece q esse episodio juntou perfeitamente o que vinha acontecendo nos outros. Como será JAck e cia viver no passado?
E quando encontrarem Locke vivo e Ben?
essa quinta temporada está sendo melhor do que eu esperava...

Wellington disse...

Dude para o melhor episódio da temporada, primeiro q sawyer pra mim é um dos melhores personagens e segundo porque com esse episódio cada vez mais se confirma uma teoria q eu vi na net quem kiser ler ta ai:

Início do século 19: O Black Rock era um navio de escravos cruzando o Pacífico e transportava uma grande quantidade de minerais metálicos que eram altamente reativos à forças do magnetismo. Inesperadamente, o navio acaba chegando à ilha de Lost. Lá, por causa das propriedade magnéticas singulares, os materiais magnéticos do navio ‘reagem’ com as forças magnéticas da Ilha e o navio é literalmente atraído para o lugar. Por ter altos níveis de magnetismo, o navio cria um buraco na bolha invisível que cerca a ilha - esse buraco fica na coordenada “325″, ou simplesmente aquela “coordenada/localização especial” pela qual o time de Daniel Faraday passa para chegar à ilha. Quando chega à ilha, os líderes a bordo do navio, incluindo Alvar Hanso, começam a estudar os aspectos magnéticos da ilha e seus descendentes acabam formando a iniciativa DHARMA no final do século 20.

Anos 60: A iniciativa DHARMA é criada para melhorar a humanidade. O que inicialmente começou como uma simples iniciativa de pesquisa se transformou em um grande projeto que foi designado a testar o destino. Em algum ponto durante os estudos da DHARMA, alguém conseguiu tirar vantagens das propriedades magnéticas da ilha para distorcer o tempo e o espaço, criando assim uma máquina do tempo. Essa máquina não é um Delorian com um capacitor de fluxo. Ela é na verdade, muito mais simples. Digamos que a DHARMA criou uma máquina do tempo, e a ativou em 1960, então, depois de 1 ano em funcionamento, alguém decidiu introduzir a máquina em 1961. Eles só podem voltar no tempo, e só podem voltar 1 ano antes (1960, quando a máquina começou a ‘funcionar’). Além disso, uma vez que você volta no tempo você fica PRESO no passado. Você não pode voltar para 1961, porque agora você EXISTE no passado. E para completar essa história, digamos que você contraiu uma doença mortal em 1965, mas voltou para 1960, antes de desenvolver essa doença, portanto você não a teria quando voltasse no tempo.

Nos estágios iniciais de testes da máquina do tempo, a DHARMA decidiu fazer testes com animais (digamos, que fossem ursos polares) para evitar criar qualquer catástrofe temporal ou paradoxo. A primeira iniciativa de testar a máquina foi feita para verificar se eles poderiam extender a vida do animal. Eles enviaram um urso polar de volta ao passado, poucos anos antes, e então mudaram seu habitat para ver se ele sobreviveria. A DHARMA usou o mesmo tipo de mecanismo para trabalhar com o urso polare que Charlotte encontrou. A DHARMA percebeu que ao serem enviados de volta no tempo, eles podiam sobreviver fora da ilha e até em locais remotos e de climas extremos (como no deserto), tornando-os assim quase imortais. Percebendo o poder dessa máquina do tempo, os líderes da DHARMA optam por manter o conhecimento sobre ela limitado. Por isso, muitos dos experimentos da ilha são apenas fachada para esconder a “verdadeira”pesquisa por trás da iniciativa DHARMA.

Pouco depois das experiências com os ursos polares, a DHARMA começou a mandar pessoas de volta no tempo. Ao longo de alguns anos pesquisando a máquina do tempo, a DHARMA ficou curiosa para ver se a máquina permitiria que as pessoas alterassem o curso da história. E assim, para descobrir se uma pessoa pode “mudar um futuro que já está escrito,” a DHARMA começa a dar pequenas missões aos seus viajantes do tempo para alterar o curso da história. Infelizmente, esses viajantes não conseguiam fazer nada que alterasse permanentemente o futuro que já estava estabelecido.
Agora, ficando desesperados para provar que existe algum benefício na máquina, os líderes da DHARMA encontram um grupo dentro da própria iniciativa para involuntariamente transformarem-se em ‘cobaias’ do próximo experimento envolvendo viagem no tempo. O objetivo: será que ao enviar alguém ao passado essa pessoa seria permanentemente curada de um vírus mortal? Sem prévio aviso, a DHARMA libera um vírus na área da ilha que infecta várias daquelas ‘cobaias’ e em seguida diz que pode curar a doença usando um dispositivo especial que seria a máquina. Isso no entanto, não fica óbvio para aqueles como objetos de teste - eles apenas querem ficar curados e pensam na máquina como um tipo de complexo de vacinação. Como o destino poderia prever, as ‘cobaias’ voltam no tempo e são curadas do vírus apenas para serem mortas mais tarde pelo monstro de fumaça que seria o recurso físico de correção do curso do tempo. A DHARMA, vendo esse monstro de fumaça pela primeira vez, fica agora oficialmente temerosa que a máquina do tempo acabe não servindo para nada. A única coisa que a DHARMA consegue com isso é irritar uma parte de seus colaboradores. As cobaias que não foram originalmente infectadas pelo vírus acabam se rebelando e formando uma facção da iniciativa DHARMA e mais tarde ficam conhecidos por nós como os Outros/hostis e Richard Alpert e Jacob fazem parte do grupo.

1970 - 1985: A mãe de Ben é recrutada pela Dharma para ir à Ilha e trabalhar nessa máquina do tempo. Depois de vários anos testando a máquina, ela também acaba desistindo de comprovar as habilidades da máquina. Ela também encontrou Richard, o líder dos Outros, e ele diz a ela sobre o terrível experimento que a DHARMA fez com seu pessoal, resultando na morte de vários dos seus amigos. A mãe de Ben rapidamente passa a odiar a DHARMA por conta da moral que eles estavam dispostos a ignorar em nome da ciência. Ela considera que é seu destino derrubar a DHARMA por causa da dor que eles causaram a inocentes e para isso decide matar dois pássaros com uma pedra: em vez de deixar a ilha e provavelmente irritar a DHARMA com sua partida, ela decide usar a máquina do tempo para voltar ao ponto em que chegou à ilha. Dessa forma, iria parecer para o mundo exterior que ela nunca foi para a ilha. Ela está voltando no tempo para reviver os 15 anos de sua vida que ela perdeu enquanto trabalhava na ilha.

1970: A mãe de Ben viajou aproximandamente 15 anos para o passado onde vive em Oregon. Ela conhece um homem, se casa e fica grávida. Contudo ela não tinha filho no futuro alternativo que ela viveu na ilha e infelizmente para ela, a DHARMA ainda não havia descoberto aquelas conexões entre as mães que morrem e a viagem no tempo. (Lembra de quando a Juliet viu o raio x de uma mulher de apenas 26 anos, mas que tinha um útero de uma mulher de 70? Aparentemente, um efeito colateral da viagem no tempo é que o útero sempre vai envelhecer mesmo que o corpo não siga o mesmo processo).

Quando chega o momento da mãe de Ben dar a luz, ela morre. A razão de sua morte é que a linha do tempo estava efetuando uma correção para susbstituí-la por Ben. De certa forma, Ben é a representação física dela e foi criado para cumprir o legado dela como a funcionária descontente da DHARMA que daria fim à organização. É papel de Ben descobrir como trabalhar em torno do destino e achar uma forma de fazer a máquina do tempo funcionar sem usar os métodos da DHARMA.

1980: Não muito tempo depois da morte da mãe de Ben, Horace, um amigo da família, recomenda que eles viajem à ilha. Horace provavelmente já era filiado à DHARMA e foi enviado para investigar a mãe de Ben. Depois de descobrir que ela morrera, ele envia o marido dela e Ben para a ilha para que a DHARMA pudesse conter um potencial problema. Quando Ben e seu pai chegam à ilha, descobrimos que o pai de ben era um mero peão da DHARMA. Ben era o real interesse deles. Era o legado de Ben cmprir o legado de sua mãe. Ben, infelizmente, não sabe disso quando chega. Ele quer apenas aproveitar e evitar aborrecimentos com seu pai.

1981: Passado um certo período na ilha, Ben ouve e vê sua mãe falecida fora da casa na ilha! A razão disso é porque em um ‘futuro alternativo,’ ela estava viva e trabalhando nessa ilha da DHARMA. Ela aparece ‘meio’ morta para ele porque seu espírito morto precisa “ajudar Ben a entender seu destino” para que ele pudesse levar adiante o seu legado. Sendo assim, o espírito dela é a forma encontrada pela linha do tempo para corrigir o futuro.

Pouco depois de ver sua mãe morta, ele vê Richard alpert na floresta que diz a ele, “você não está pronto.” Richard é um viajante do tempo e odeia a DHARMA. Quando Ben o encontra pela primeira vez na floresta, Richard tinha viajado de volta no tempo vindo de 2007. Sendo assim, enquanto Richard trabalha com Ben, ele não envelhece. Por que Richard volta no tempo para contatar Ben? Para recrutá-lo. Richard conhecia a mãe de Ben na linha do tempo alternativa, portanto ele sabe que Ben é uma encarnação de sua mãe e que ele é algum tipo de prodígio na ilha. Dali em diante, Richard e Ben passam os anos que viriam planejando como iriam derrubar a DHARMA e usar a máquina do tempo para testes que não envolveriam a morte de pessoas.

1988: A equipe de Rousseau era uma força de oposição à DHARMA. Eles não eram filiados aos Outros, contudo, eles estava indo à ilha para investigar ‘práticas suspeitas’ por parte da DHARMA - práticas que seriam a liberação de vírus afetando os habitantes da ilha. Infelizmente, nesse ponto do tempo, os Outros e Ben ainda não haviam concebido o plano para derrubar a DHARMA. Contudo, eles não queria expor crianças aos experimentos da DHARMA e sequestram o bebê de Rousseau que grava um pedido de socorro que fica sendo emitido por anos na ilha, mas que era bloqueado pela estação Looking Glass.

1981-2007: Ben cresce, e do período que compreende seus 10 anos até os 37, estabelece com Richard e Jacob o plano final para derrubar a DHARMA, a purgação. No meio tempo, a DHARMA continua a testar outras características da ilha para descobrir se poderiam tirar vantagem da máquina para algum outro propósito e acaba descobrindo a anomalia magnética na ilha via estação Cisne. Essa anomalia magnética é uma bolha que circunda toda a ilha. Infelizmente, a DHARMA só faz alguns testes básicos dessa anomalia já que eles realmente não sabem como usá-la para alguma coisa. Nesse período, tanto os Outros quanto a DHARMA estão tentando aprender como podem tirar vantagem da máquina do tempo “para o bem maior.”

Durante os testes dessa máquina do tempo, a DHARMA e os Outros fazem as seguintes descobertas sobre viagem no tempo. Note que não há uma definição específica sobre a viagem no tempo que se aplique à série - a viagem no tempo é simplesmente usada como um conceito na série, e as coisas estranhas que vemos são tipicamente o jeito do destino de corrigir o curso para preservar algo que deve acontecer no futuro.

1. Quando alguém entra na máquina do tempo, só pode voltar no tempo e só para um período em que a máquina já existe.

2. Quando você volta no tempo, você não envelhece. Por exemplo, se você tem 50 anos e volta 10 anos no tempo, você NÃO fica com o corpo de 40. Contudo, enquanto você revive 10 anos de sua vida, seu corpo não envelhecerá até você chegar ao período em que você entrou na máquina.

3. Quando você volta no tempo, você ainda vai ter seu corte de cabelo, tatuagens e memória. Contudo, digamos que você estava paraplégico; o destino precisaria fazer alguma coisa para corrigir o curso para que você fosse capaz de desempenhar seu papel. Sendo assim, a viagem n otempo pode TEMPORARIAMENTE curar qualquer problema físico que você tenha antes de entrar na máquina do tempo. Contudo, o destino ainda acabará encontrando um jeito de torná-lo paraplégico quando você alcançar o tempo presente. Digamos que na primeira vez que você ficou paraplégico, foi porque você foi jogado de uma janela. Mas como o universo tem um jeito ‘engraçado’ de corrigir o curso das coisas, você pode acabar atingido por um carro na segunda vez.

4. Quando você volta no tempo, só pode “mudar” coisas que não tem impacto no seu destino. Em outras palavras, se você foi à igreja em uma data específica no passado, e então voltou no tempo, você não necessariamente vai à igreja na sua nova linha do tempo. Contudo, se você mudou uma crença por ter ido à igreja na primeira vez, “o destino encontraria um jeito de influenciá-lo nessa crença.” Talvez você pudesse ter uma experiência de quase morte, ou talvez uma pessoa misteriosa pudesse reconhecê-lo em uma joalheria e dizer que você precisa mudar suas crenças… ou, talvez o destino apenas matasse você já que não conseguiria modificar sua crença.

5. Se você volta no tempo e morre, você não está totalmente morto porque já existiu uma variação do universo onde você estava vivo no futuro. Sendo assim, você se torna “meio morto” até que o tempo encontre um substituto. Em outras palavras, sua presença pode ser conhecida por algumas pessoas mas não por outras. Sua presença só seria conhecida quando você tivesse que causar um impacto para o destino.

6. Se você nunca teve um filho, você não pode voltar no tempo e ter um. O destino não permite que uma nova entidade exista no passado onde originalmente nunca existiu. Por isso o destino tem que matar a mãe, o bebê ou ambos para corrigir o curso. Ao menos que o destino decida usar o bebê ou a mãe para substituir alguém na linha do tempo.

7. Basicamente, as “regras da máquina do tempo” não são geridas por qualquer definição física de viagem no tempo. As “regras,” se você quiser chamar assim, são geridas sobre como o DESTINO decide preservar a linha do tempo. Por isso, se for necessário que você faça algo importante em uma linha futura do tempo, o destino vai encontrar qualquer forma possível para preservar a linha do tempo - já vimos fantasmaas e monstro de fumaça em Lost. Portanto de acordo com a definição de viagem no tempo da série, o destino realmente “tem um jeito divertido de corrigir o curso.”

2007: Motivados pela raiva, Ben, Richard e Jacob encontram uma forma de sequestrar a máquina do tempo e voltam para o ano de 1996 para exterminar toda a DHARMA na ilha (a purgação). Note que na linha do tempo original de Ben desde seu nascimento até 2007, o Oceanic 815 não caiu na ilha e Ben não desenvolveu um câncer. O fato que Ben, Richard e alguns outros viveram até o ano de 2007 dá a eles alguns dons singulares: eles sabem que vão permanecer vivos até 2007, não importa o que aconteça (ao menos que o destino julgue a existência deles desnecessária para preservar a existência deles na linha original do tempo). Essa é uma das razões para Ben conseguir sobreviver ao longo da guerra que ocorrerá na ilha na 4ª temporada e porque ele aguenta apanhar dos losties em quase todos os episódios.

1996 (nova linha do tempo na ilha): Ao voltar no tempo e perceber que existem diversos membros da DHARMA em outras partes do mundo (o pai de Penny), os Outros precisam rapidamente pensar em algo que impeça a DHARMA de chegar à ilha. Dessa forma, Ben descobre um jeito de colocar a ilha em um “laço do tempo.” http://pt.wikipedia.org/wiki/Time_loop Esse lanço do tempo manterá a ilha presa ao passado (no ano de 1996) impedindo assim que membros externos da DHARMA cheguem ao lugar. Depois de dar início ao laço do tempo, Ben e Richard reunem os nativos remanescentes e com eles formam o grupo conhecido como os Outros.

Para criar esse “laço do tempo,” Ben e Richard tiram a máquina do tempo da estação Flecha e a transferem para a estação Cisne. Com ajuda do conhecimento de engenharia de Mikhail, eles escondem a máquina atrás de grossas paredes cimentadas na Cisne. Em adição, Mikhail consegue sincronizar a máquina do tempo à anomalia magnética que circunda a ilha - dando aos Outros a habilidade de enviar toda a ilha de volta no tempo! Então eles armam um sistema de computador que exige que o botão seja pressionado a cada intervalo de 108 minutos; contudo esse procedimento na verdade ativa a máquina do tempo a cada 108 minutos. Então, por vários anos, a DHARMA foi capaz de suprimir a passagem de tempo na ilha ‘resetando’ a máquina a cada 108 minutos. Infelizmente, um dos efeitos colaterais disso é que o tempo na ilha fica preso dentro da bolha magnética e assim o tempo no resto do mundo ainda segue seu curso. Por isso, o tempo na ilha permanece em 1996, enquanto o tempo do mundo exterior alcança 2004 na época do acidente. A única forma de atravessar o tempo da ilha e o do mundo exterior seria usando a coordenada ‘especial,’ que é mencionada na 4ª temporada. Note que na 3ª temporada, Ben faz o seguinte comentário a Richard, “Lembra quando costumávamos comemorar aniversários?” Bem, não haveria motivos para comemorar aniversários se os Outros estão repetindo o tempo a cada 108 minutos e por isso não envelhecem.

1996-1996 (8 anos passaram na ilha): Enquanto o tempo permanece constante na ilha, os Outros, agora invisíveis ao mundo exterior, conseguem continuar os testes em viagem no tempo. Os Outros querem começar um “novo mundo” na ilha. Eles querem manter a ilha no laço temporal para sempre. Eles acreditam que com o tempo paralizado na ilha, as regras do destino não se aplicam. Mas, qual é o único problema? Com o tempo suspenso e o fato de que o destino sempre mata mães e bebês, os Outros precisam encontrar um jeito de procriar na ilha. Por isso eles recrutam Juliet para explorar o problema. Eles também acabam encontrando um oficial militar para ficar pressionando o botão, fazendo-o pensar que ele estava salvando o mundo. Enquanto isso, o resto dos nativos vivem sem envelhecer (incluindo aí Richard, Ben e todos os outros).

E por estar escondida do mundo exterior, Ben e Richard precisam tomar cuidado ao deixar as pessoas sair e voltar para a ilha. Além disso, a única forma de sair dali é através da ‘coordenada especial’ que [o navio] Black Rock criou um século antes. Se a saída não ocorrer através daquela coordenada, pode se acabar saindo no ano em que a ilha existe, o que seria em algum ponto do passado exigindo assim que fosse encontrada uma “constante” entre o tempo da ilha e o do mundo exterior para sobreviver. Associado a isso, se você estava tentando entrar na ilha vindo do futuro para o tempo passado da ilha (assumindo que aquela coordenada especial não fosse usada), então sua mente ficaria ‘presa’ entre o tempo da ilha e do mundo exterior, também exigindo que você encontrasse uma constante.

Jacob também é um viajante do tempo assim como Richard e Ben; contudo, não o vimos em seu estado ‘vivo.’ Em algum ponto depois que Jacob voltou no tempo com Richard e Ben para começar o laço do tempo, Jacob morre. No entanto, uma vez que ele viveu em um linha do tempo anterior na ilha até o ano 2007, seu ‘espírito’ é capaz de permanecer vivo para se comunicar com Ben e Richard.

1996-2004 (Tempo fora da ilha): Enquanto a ilha está presa no ano de 1996, as vidas de todos os personagens principais de Lost acontecem via flashbacks. Vemos o início de suas histórias a partir de sua segunda iteração através do tempo. Tenha em mente que quando Ben, Richard e Jacob viveram em sua primeira linha do tempo até o ano 2007, o avião não caiu. Os flashbacks dos losties que vimos nas 3 primeiras temporadas acontecem no laço do tempo da ilha (ou na segunda iteração dos Outros através do tempo) e os flashbacks são designados para mostrar como o destino mudou as vidas dos losties para levá-los à ilha.

Por exemplo, na linha temporal original do Jack, seu pai era perfeitamente normal e não acabou morto na Australia; Contudo, quando Ben voltou no tempo, o destino criou uma série de eventos na linha temporal de Jack que acabou levando-o à ilha. O mesmo se aplica para todos os outros losties.

1996 (no tempo da ilha e +/- 2001 fora dela): Richard e Ethan deixam a ilha pela coordenada especial, cerca de 5 anos no laço do tempo para executar uma missão de recrutamento. Eles encontram Juliet e enxergam nela a chance de explorar o problema da gravidez na ilha. Ela é genuinamente uma boa pessoa e fará qualquer coisa para ajudar sua irmã. Contudo, ela não tem conhecimento do laço do tempo que ocorre na ilha e que Ben usa isso para mantê-la na ilha. Já que Ben era do futuro, ele sabia que o marido de Juliet seria atingido por um ônibus em uma determinada data e então estrategicamente armou a visita de Ben e Ethan para ocorrer poucos dias antes daquele acidente, sabendo que isso seria um argumento a mais para levá-la para a ilha. Além disso, Ben sabia que a irmã de Juliet seria curada de seu câncer e que teria um filho. Por isso Ben foi tão persistente no fato de que se Juliet fosse para a ilha, eles poderiam curar o câncer de sua irmã, e por isso ele não é um mentiroso. Ele sabe de sua linha temporada anterior o que irá acontecer e manipula as coisas baseado em seu conhecimento.

1996 (no tempo da ilha e +/- 2001 fora dela): Widmore, uma terceira parte que tem obsessão com a DHARMA, adquire um diário do navio Black Rock durante um leilão. O diário o deu as coordenadas pelas quais o navio navegou para chegar à ilha. Widmore contrata o marido de Libby para ser o primeiro “objeto de testes” que tenta chegar à ilha. Ele dá ao marido de Libby um barco com coordenadas pré-programadas - isso acabará dando a ele a passagem para a ilha, através da barreira temporal. Contudo, o marido de Libby inexperadamente morre e ela entrega o barco para Desmond. É incerto se Widmore enviou ou não Desmond intencionalmente para a ilha apenas para se livrar dele, ou se isso é uma total coincidência que o barco acabe nas mãos de Desmond.

2004 (Tempo fora da ilha): O vôo Oceanic 815 cai na ilha porque Desmond não apertou o botão para resetar o tempo da ilha 108 minutos para trás. Ao não apertar o botão, a máquina do tempo fica temporariamente impedida de controlar a bolha magnética, criando uma abertura sobre a ilha no exato momento em que o vôo Oceanic 815 sobreoava o lugar - 8 anos no laço temporal da ilha, e em 2004 fora da ilha. E mais, ao passar pelo campo magnético a fuselagem do avião se parte em função da força despendida. Nós, então, ficamos com 2 grandes questões em aberto: Foi pura coincidência que o avião caiu na ilha levando Locke a não apertar o botão OU a DHARMA de alguma forma armou o acidente para ocorrer no exato segundo que o avião sobrevoou sobre a ilha, sabendo que aquele grupo específico de pessoas tiraria a ilha do laço temporal? Isso, meus amigos, nos leva de volta ao tema de Lost - o destino causou o acidente, ou a DHARMA arranjou certos personagens para levarem nossos heróis para a ilha… OU isso foi uma mistura dos dois (destino e trabalho da DHARMA)?

Depois que o avião caiu, nossos heróis agora existem no ano de 1996 na ilha, e apresentam suas condiçòes físicas de 1996. Locke está curado porque ele não havia sofrido aquele ‘acidente’ antes de 2002 - o mesmo ocorre com Rose em relação ao câncer. Também, na linha temporal original do universo, o Oceanic 815 não cai. Dessa forma, se os losties saírem da ilha voltando para 2004, o destino consideraria que eles deveriam sobreviver até pelo menos 2007 (que era até onde o futuro havia sido escrito na linha temporal original de Ben).

1996 (no tempo da ilha): Todos os eventos das duas primeiras temporadas de Lost acontecem. A escotilha é descoberta e Locke termina decidindo não apertar o botão e Desmond gira a chave de segurança. Ao girá-la, a máquina do tempo é destruída, e agora o tempo da ilha está oficialmente ‘caminhando’ novamente; contudo, o objetivo da chave de segurança era permanentemente fazer o tempo voltar para o início de 1996! Agora a ilha está se movendo cerca de 8-9 anos atrás do tempo no mundo exterior. Quando Desmond girou a chave, sua vida correu diante de si… Bem, na verdade ele teve que ‘reviver’cerca de 9 anos de sua vida! Ele teve que reviver a experiência de ser resgatado da ilha, testemunhar a morte de Charlie, então começar sua vida de novo fora da ilha, encontrando Penny, e finalmente retornando para a ilha, criando assim, um loop completo para sua história de vida. Desmond não podia escapar de seu destino. A razão pela qual só Desmond teve que reviver sua vida deve-se ao fato dele ter sido o responsável por girar a chave OU o fao de que ele foi exposto à extremos níveis de radiação magnética na escotilha (ao que se faz referência na 4ª temporada). Eu arriscaria dizer que ele provavelmente estava “no coração da máquina do tempo” e por isso ele tinha uma clarividência maior sobre seu futuro alternativo, do que aqueles que estavam na praia. E é assim que ele tem os ‘flashes’ da vida de Charlie. Quem sabe quantas vezes Desmond teve que reviver sua vida. E, a cada vez que Desmond reviveu sua vida, ele viu o que levaria nossos heróis a sair da ilha - e que isso aconteceria com Charlie enviando a mensagem.

2004 (no tempo fora da ilha, depois do acidente): Widmore arma o cenário de um falso acidente com o vôo 815 porque ele recebe a informação de que o avião pode ter entrado na secreta ilha de pesquisas da DHARMA. O fato de que o avião não pode ser encontrado na localização da ilha leva Widmore a acreditar que a viagem no tempo realmente existe naquele local. Widmore é um homem rico, portanto ele quer usar a viagem no tempo em seu próprio benefício.

Do outro lado dessa luta pelo poder, há alguns poucos membros da DHARMA no mundo exterior, que também estão desesperadamente tentando voltar para a ilha para matarem Ben porque ele é o responsável pelo desaparecimento do time de pesquisas deles na ilha. Quando a DHARMA descobre que Widmore está enviando um navio para a ilha, eles armam uma pequena equipe para ir à ilha como espiões: Naomi, Faraday, Lapidus e etc.

Ben está no terceiro vértice desse triângulo de poder. Ele sabe que está destinado a sobreviver até pelo menos o ano de 2007 - ainda que em sua linha temporal original ele não tenha que lidar com essa luta. Contudo, já que ben acredita que existe um futuro pré-escrito para ele, ele não tem muito medo que Widmore ou a DHARMA consigam derrubá-lo. Então, com essa vantagem, Ben envia Tom para fora da ilha e recuta Michael para matar todos no cargueiro: Aqueles que trabalhavam para a DHARMA e os que trabalhavam para Widmore. Com isso, na perspectiva de Ben, ele estaria matando dois pássaros com uma pedra.

1996 (no tempo da ilha): Depois que Desmond finalmente consegue levar Charlie ao seu destino e os losties retiram o bloqueio de sinal, Jack consegue se comunicar com o cargueiro usando o aparelho de Naomi. O aparelho dela foi feito pela DHARMA e permite que Naomi se comunique no passado (na ilha) com a DHARMA no futuro em 2004 (e no cargueiro). Note que mesmo Sayid aponta quão futrísitico o aparelho era - e ele era assim porque era justamente usado para estabelecer a comunicação entre dois períodos de tempo!

Daniel faz com que Regina (que estava no cargueiro) lance uma carga (aquele foguete) para que ele pudesse ‘testar’ a coordenada especial que permite a passagem da ilha. Se a carga tivesse sido lançada de muito longe da coordenada, ela poderia ter chegado 8 ano mais tarde no tempo! O fato de que a carga chegou cerca de 31 minutos depois sugeriu a Daniel que eles quase encontraram a coordenada exata. Para aqueles da equipe de Naomi e que estão trabalhando para a DHARMA, o que interessa é pegar Ben. Eles querem saber por que a DHARMA foi extirpada na ilha.

1996 (na linha temporada de Desmond): Ao saírem da ilha, Sayid e Desmond passam através da barreira temporal entre o tempo da ilha e o do mundo exterior. Em outras palavras, Desmond está instantaneamente passando do tempo da ilha de 1996 para o futuro de 2004. Só Desmond foi impactado por essa “transição temporal”, porque ele foi originalmente exposto aos altos níveis de magnetismo (radiação) na Cisne ao longo dos últimos 3-4 anos. Enquanto Desmond faz a transição, sua mente se mistura com sua versão de 1996 de si próprio. Daniel entende exatamente o que está acontecendo a Desmond - então ele usa seu aparelho de comunicação para falar com a versão 2004 de Desmond para criar uma contante para si próprio para que pudesse sair da ilha. É por isso que Daniel checa sua anotações; ele é capaz de ver a anotação que diz, “Desmond é minha constante.” Daniel não estava mudando o passado pedindo ao Desmond que o contatasse, ele estava apenas tentando descobrir como ele poderia sair da ilha e voltar para o presente de 2004.

Infelizmente para Daniel, Naomi e sua equipe, eles fora selecionados pela DHARMA como iscas. Nós vimos em seus flash forwards que eles eles possivelmente sabiam demais sobre a DHARMA e por isso seriam dispensáveis.

Em relação aos outros membros do cargueiro que estavam experimentando os sintomas de Desmond, Minkowski, aquele que tentou chegar à ilha mas não passou através da coordenada especial acabou tendo sua mente enviada de 2004 para 1996, e sem uma constante para manter sua mente conectada entre as duas linhas temporais, acabou morrendo. Portanto o único caminho para chegar à ilha é através da coordenada especial que permite a passagem entre as duas linhas temporais.

1996 (no tempo da ilha): Depois que a disputa pelo poder na ilha esfria, 6 ’sobreviventes’ emergem e deixam a ilha: Jack, Kate, Hurley, Sun, Aaron e Sayid. Ainda não está claro como os 6 deixaram a ilha, mas sabemos que o restante dos sobreviventes continuam na ilha no ano de 1996; contudo, a DHARMA e não Ben, jamais dizem a eles que eles estavam vivendo na ilha no ano de 1996.

2005: Junto dos “6″, Ben também saiu da ilha. Lembre que ele viajou do futuro (por volta de 2007) de volta para 1996 também. Agora que Ben está fora da ilha, ele usa Sayid para ajudar a correção de curso a assegurar que o futuro de 2007 ocorra de acordo com o planejado. Não temos certeza porque Sayid está matando as pessoas que Ben escolhe; no entanto, é preovável que essas pessoas precisem morrer para preservar a nova linha temporal - talvez eles sejam membros da DHARMA, e Ben queira eliminá-los. Fica claro no entanto que o interesse de Ben é sobrepujar a DHARMA e ganhar novamente o controle sobre a máquina do tempo deles. Quando ele puder obter isso, ele pode voltar no tempo para 1996, de volta para a ilha e recomeçar o laço temporal.

2007: Jack vive a cerca de 3-4 anos fora da ilha na nova linha temporal. Ele sabe que há pessoas vivendo na ilha em 1996 (agora provavelmente 1999). Jack também deve saber que na linha temporal original, seu avião não deveria cair e ele deveria sobreviver. Por isso ele tentou pular de uma ponte (semelhante ao Michael que tentou se matar com uma arma), para testar o destino e ver se ele CONSEGUE se matar. Jack então lê no jornal que Locke morreu - Uma coisa a se notar é que Jack e os outros sobreviventes podem nem mesmo saber que eles viveram no passado na ilha. Contudo, o fato de que eles ainda estão vivos testa o destino, já que eles deveriam ter morrido no acidente, anos atrás. Eu especulo que a série terminará com uma cena final que determinará se os sobreviventes tem ou não “livre arbítrio” para ultrapassar alguns tipos de obstáculos que o destino consideraria impossível. Que obstáculo é esse? Só o tempo dirá.

zomb1tch disse...

Agora eu to cheia de dúvidas..se Miles é o bebê Chang,como pode viver na mesma época que ele e provavelmente se ver? >< e se o bebê da Amy for realmente Ethan, quer dizer que a Charlotte é mais velha que Ethan? Porque não parece!
Como eles vão voltar? O que vai acontecer? Logo mais em .. L O S T

XDD ashuauhs

curiosa disse...

Como o Sawyer é meu lostie favorito, AMEI !!
Sobre a impossibilidade de nascerem bebês, pensei algo parecido com o que o Wellington acima falou: estes bebês que nasceriam já existem em suas formas adultas, então não podem co-existir como bebês.
Outra curiosidade, não sei se alguém já comentou. Entre os judeus, quando alguém morre, os familiares podem dispor de suas vestimentas para si ou para doar, porém há um costume de que não se deve usar os sapatos do falecido, para "não andar pelos mesmos caminhos". Fiquei pensando nisso naquele o lance dos sapatos do Christian irem parar nos pés do Locke...
Parabéns Davi e pessoal do dude!

eduarda disse...

Mais um exelente episodio dessa temporada! Teve um tom bem mais tranquilo, não muita tensão, mostrou felicidade, finalmente. Linda a cena que Daniel vê Charlotte pequena ^^ Vai ver foi por causa da morte dela que ele ficou obsecado por viagem no tempo, para tentar evitar que ela morresse, e decobriu que nao pode, por isso a insistencia em dizer que o passado é imutável. E Sawyer e Juliet, nunca teria imaginado que eles ficariam juntos anteriormente... mas depois de toda aqula conversa no cais... ficou bem claro que ia rolar alguma coisa, achei bom também ele desencanar de kate, que nem dava bola pra ele... Sem contar que, ao longo destes 3 anos ela também passou um tempo vivendo com Jack.

A estátua que todo mundo tanto falava foi finalmente mostrada! Mas acho que ainda vai demorar um tempo para falarem sobre ela.
As peças estão começando a se juntar, e agora, que eles estão no tempo da Dharma oficial, acredito que irão vir muitas explicações sobre o tão misterioso projeto.
Resta saber onde estará Sun... E ainda está pra ser mostrada uma boa discussão entre Ben e Locke. Mas será que é nesse tempo que Bem mata todos da vila?
Qual o elixir que Richard toma?

Rafa Bruno disse...

Ótimo episódio!

Agora que sabemos 'quando' todos estão, eu tenho uma dúvida em relação ao clarão que levou o pessoal do voo da ajira para 1977.
O último clarão que aconteceu na ilha foi em 1974, quando Locke colocou a roda no eixo.
Esse clarão recente aconteceu só pro pessoal do avião para acertar as coisas do futuro, passado? Pelo que eu entendi, não foram os mesmos clarões.

Eu sou ou era shipper, mas estou gostando da ídeia de Suliet ou Julyer. rsrs

[ ]'s

Gabriela B. disse...

"Os fãs shippers que torcem por Sawyer e Kate que me perdoem, mas a química dele com Juliet pode ser bem interessante para os personagens."

Juliet + Sawyer forever ;-)

Confesso que nunca fui fan desse lado da trama "quem com quem". Gosto do aspecto social de LOST, mas esses romances sempre dexei de lado.

Mas agora temos "LaFleur". E eu achei muito fofo, Sawyer tentando convencer Juliet a ficar na ilha ("quem vai cuidar de mim?"). E tres anos depois o casal morando junto. Sempre fui fan de Juliet e acho que ela merece. Alias, que inveja: o homem é com óculos, sem óculos, de macacao, sem macacao MARAVILHOSO! Aí chega a pentelha da Kate. Por que ela nao fica com o mala do Jack? Viva as Jates...

Agora o Horace, heim? Entendi certo, ele é o líder da Dharma na ilha? Com aquela cara de Nerd? Hhhmmm, to querendo entender...

Pedro Britto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Britto disse...

Faraday saiu da ilha no submarino e construiu a Estação Lampião.

Luciana disse...

Cena hipotética da Juliet conversando com a Kate:

Juliet: "Sawyer é um doce, carinhoso, gostoso, engraçado, me traz flores! E o Jack?"

Kate: "Bom...ele bebe um pouquinho, chora, vê o pai morto...chora...berra comigo, chora...e um dia eu tive medo que ele me batesse..."

Ai ai, sawyer, quero um homem desses pra mim xD

Drew disse...

Gente que foi isso?
:S
Três anos e pimba!Chorei demais ,caraiii
-surtando

Luiza disse...

Cena hipotetica Kate e Juliet;kkkkkkkkkkkkk essa foi ótima.
Também acho que quem construiu a estação Farol/lampiao e descobriu o método de provável localização da ilha foi o Faraday,mas não consigo imaginar de que modo isso possa ser explicado nessas viagens temporais.

gustavosmenezes disse...

Sou só eu que fiquei incomodado com a cartelas “três anos atrás” e “três anos depois”?? A série que nos deu os flashbacks e flashfowards se dando ao trabalho de explicar em que época se passava cada cena?? Achei isso muito tosco…

Tobo disse...

Opa galera, mais uma pergunta...
-será que vamos descobrir (se é que já falaram e eu não lembro) pq na época que a Juliet estava entre os Outros, todos falavam: "ela se parece com ela...", e pq o BEN tinha tanto proximidade com ela?

A que se referiam?

E naquela época, a Juliet também conheceu o seu 'amante' (não lembro o nome) no consultório pois ele estava com um ferimento na mão, que era algo ligado a uma queimadura, química ou algo parecido que ela achou estranho (mesmo ele em primeiro lugar dizer que era outra coisa quando ele procurava medicamento..lembram?)
Afinal, que tipo de coisas, pesquisas ou procuravam eles também naquela época no 'futuro'?

Havia algo a mais que as pesquisas para fazer engravidar, mas afinal, o que era?

-o fato de não conseguirem mais engravidar depois pode ter a relação com a bomba? ela explodiu será?

-mas o faraday e a charlotte na 4.temporada não foram até uma estação para desativar a bomba?

por favor, alguém comente...

abrçao!
André tobo - ctba/pr

HecTT or disse...

É impressão minha ou o Locke, Ben, Llana e Caesar (que estão na ilha menor) estão no futuro? se não, porque então não havia ninguém da Dharma (da década de 70) na estação Hidra e todos os documentos e estrutura da estação estavam velhos? Além disso, Ceasar se lembra de ter estado no avião por uns momentos sendo que outros já tinham desaparecido das poltronas...

Assim, só posso inferir que cada um destes grupos foram parar não só em lugares (ilha menor e principal) mas também em tempos diferentes!!

Faz sentido?

Pedro disse...

Perguntas animadoras que ainda vão ser respondidas:

1- onde estao o resto dos componentes dos dois grupos?

2- Eles todos vao voltar pro presente? será q aki vao fikr ate descobrir tudo que envolve os mistérios de Lost?

3- O que aconteceu com a ida no submarino? E Ben e os outros? como ficarão nessa história?


mal posso esperar...

Luiza disse...

Tobo,
Juliet foi recrutada por Richard Alpert para trabalhar num projeto de pesquisa de fertilidade aí pelo ano de 2001/2002(O ep. 3x07-Not in Portland),em 2004 ela estava ha 3 anos na ilha.
Essa "ela "com quem se parece,ainda não foi dito,pode ser a mãe do Ben-que era loira- ou algum amor infeliz(O coisa ruim deve ter um motivo para ser tão malvado...
A bomba n. explodiu(pode ter tido um vazamento,mas nem acho que foi isso...essa bomba deve ter sido enterrada debaixo da estação cisne,qdo. Sayd e Jack vão dar uma geral na escotilha o Sayd fala das grossas paredes de concreto e faz menção a abrigo nucleares,naum lembro o ep. que rolou esse papo é do inicio da 2 temporada.Espero ter ajudado um poico

Tobo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eli disse...

Li alguns dos comentários e não vi em nenhum momento alguém citando a cena que o Horace aparece para o Locke cortando uma árvore (isso acontece depois do Ben ter tentado mata-lo) e ele parece doido. A cena se repete mais de uma vez e o Locke não entende o que está acontecendo, até o momento que o Horace olha prá ele e pede ajuda ou algo assim, depois o Locke descobre que ele é um dos esqueletos que estavam no fundo da cova.

Outra coisa: uma das estações quando o pessoal do avião chega na ilha se não me engano chama LaFleur, nome que o Sawyer assume no passado, será que é uma homenagem?