06/03/2008

Dica sobre "The Other Woman" e explicações sobre "The Constant"

Como sempre faz em dia de exibição de episódios nos EUA, Jeff Jensen, colunista da Entertainment Weekly dá uma dica sobre o que o episódio mostrará e divide algumas opiniões e curiosidades sobre o episódio da semana anterior. Há um spoiler no início do texto que você confere abaixo, mas recomendo a leitura desse post pois ele traz revelações e esclarecimentos muito interessantes do produtor Damon Lindelof sobre The Constant.


O APERITIVO!
Sobre o episódio "The Other Woman" que vai ao ar hoje à noite nos EUA, o produtor Carlton Cuse disse o seguinte sobre o episódio:

"Finalmente! Ben vai revelar quem enviou o cargueiro à Ilha!"

Uau! Isso sim é que é aperitivo. Obrigado, Capitão Cuse

Não seria uma virada diabólica se descobrissemos que o homem por trás do pessoal do cargueiro é ninguém mais ninguém menos do que o próprio Ben!? É isso que o leitor Tom Champoux pensa. Fã de Lost e do filme Os Suspeitos, Doc Champoux me enviou um e-mail argumentando que Ben está se passando por "Keyser Soze" - criando um retrato vilanesco para manipular nossos heróis e alcançar seus objetivos. "Acho que ele contratou o pessoal do cargueiro atra'ves de um cara tipo aquele advogado Kobayashi," escreveu Champoux, cuja teoria poderia explicar a misteriosa identidade de Matthew Abbaddon. Embora, diz ele, "Eu pense que Ben estava sendo honesto quando disse ao Michael no final da 2ª temporada, 'Sou um dos mocinhos.'"

Tom, gostei da forma louca, apavorante e moralmente ambígua que você pensa.

A CORREÇÃO
Sim, Doc Jensen também comente erros. Na semana passada eu disse que o episódio de hoje envolveria uma viagem à Orquídea, uma estação Dharma que foi introduzida na mitologia de Lost no ano passado através de um bizarro vídeo de orientação lançado na internet. Eu estava errado. Você NÃO verá a Orquídea essa noite. Contudo, você verá uma nova estação Dharma chamada "The Tempest." Parece que é hora de lembrar de Shakespeare, hein?

Obs: The Tempest (A tempestade) é considerada a última peça do dramaturgo e poeta William Shakespeare


''THE CONSTANT'' REVISITADO!
Com explicações do convidado especial Damon Lindelof!

Depois do episódio da semana passada que levou Desmond a uma nova viagem no tempo, prometi a vocês novas análises sobre The Constant porque quando o assisti pela primeira vez estava muito gripado e com febre. Por isso é bom que passemos mais um tempo falando sobre ele dada a paixão e o interesse que muitos fãs continuam tendo pelo episódio, indiscutivelmente o melhor desde o Walkabout da 1ª temporada. E para nos ajudar a entender os detalhes da intrincada história, tenho alguns comentários do produtor e co-roteirista do episódio, Damon Lindelof que acho que vocês vão gostar de ler.


O QUE ACONTECEU DE FATO COM DESMON?
Em ''The Constant,'' Desmond ficou 'descolado no tempo' depois de passar por uma tempestade de raios com forte carga de eletricidade. Ele experimentou um tipo de viagem no tempo, que embora não envolvesse seu corpo, deixava sua consciência entre dois períodos de tempo diferentes, o presente da Ilha em 2004 e seu passado em 1996. Mas aqui está o detalhe: A consciência presente do Desmond não estava viajando. Quando Desmond foi atingido pela 'mágica' da Ilha, sua consciência foi desligada e substituída pela de 1996. Era a consciência do velho Desmond lançada entre o preente e o passado ao longo do episódio. Quando o Desmond de 1996 conseguiu o número do telefone de Penny para poder ligar para ela na véspera do natal de 2004, a consciência do Desmond do presente foi 'reativada', mas 'reiniciada' com as novas memórias criadas pela viagem no tempo. Eu sei, isso parece complicado. Mas eu tive a chance de conversar com Damon Lindelof e ele disse que essa interprestação está correta.


A EXCEÇÃO DE MINKOWSKI
Desmond sofreu os apagões causados pela distorção do tempo, mas o estranho Minkowski ficou parecendo o Marty McFly: Em função de sua exposição à mágica eletromagnética, ele começou fisicamente a viver um agradável dia em uma roda gigante. Ele morreu desesperadamente tentando voltar a esse dia mais uma vez. Tocante, pensei. Mas notem: Diferente da história de viagem n otempo de Desmond, a consciência presente de Minkowski estava fazendo a viagem. Lindelof diz que essa diferença foi pensada para deixar uma coisa bem clara: "Como Faraday explicou nesse episódio, o efeito é aleatório. Algumas vezes uma pessoa pode ser desconectada por minutos, outras por horas ou anos. E a direção do efeito é igualmente imprevisível. Nosso jeito de demonstrar isso era dar ao Minkowski uma experiência bem diferente daquela que Desmond teve." Lindelof diz que nada disso é arbitrário.; a exposição ao eletromagnetismo ou à radiação desempenha um papel. Mas ele acrescenta: "Procurar regras específicas para como tudo isso funcionada pode levá-lo ao caminho da insanidade."

Nota: Seria essa frase do Lindelof uma dica com relação ao Faraday? Creio eu que sim.


PARADOXO R/X, ou ''COMO A CORREÇÃO DE CURSO FUNCIONA''
Para esclarecer as coisas, o passado de Desmond era diferente antes de ''The Constant.'' Antes de sua aventura no tempo, Desmond nunca havia encontrado Faraday em Oxford, nunca havia conseguido o número do telefone de Penny. Como consequência de mudar o passado, a história pessoal de Desmond foi "corrigida" começando daquele momento que ele saiu do apartamento de Penny. Lindelof diz que essa interpretação também está correta. Mas surge aqui uma grande questão: Ao conseguir o número de Penny, a correção de curso fez Desmond viver sabendo que na véspera do Natal de 2004 TERIA que estar em um cargueiro no pacífico sul para fazer aquela ligação para se quisesse ter qualquer chance de um futuro com ela? Lindelof diz que essa questão é de fato algo que devemos pensar. Talvez no futuro, Lost nos dê um episódio que mostre a históriapregressa de Desmond (ganhando o barco de Libby, matando Kelvin; encontrando os losties) do ponto de vista do conhecimento que ele já tinha sobre tudo.

[E com isso, nosso amigo Damon se despede para tratar de importantes assuntos como trabalhar na série, cuidar da família e sair para comprar camisetas legais. Agradecemos a ele pelas dicas. A partir de agora, as análises são totalmente minhas. Me desculpem.]


A TURBULÊNCIA
O pesadelo da viagem no tempo de Desmond começou quando Frank passou por dentro daquela monstruosa tempestade de trovoões. O helicóptero foi atingindo por uma intensa turbulência. Raios caíram e Frank conseguiu enfim sair sem problemas. Então o que era aquela estranha condição climática? Bem, eu não acho que aquilo era uma tempestade passageira. Na verdade, eu não acho que podemos chamá-la de tempestade. Como expliquei na semana passada, penso que a Ilha está localizada dentro da boca de um 'buraco de minhoca', uma possível anomalia volátil do espaço-tempo. O helicóptero estava passando na fronteira que existe entre a anomalia e o mundo exterior. Outra forma de pensar sobre isso é imaginar que existe uma cortina ao redor da Ilha em um certo ponto da costa. Essa cortina se estende do céu até o fundo do oceano e por isso o submarino também enfrentaria turbulência quando saía e voltava à Ilha. (Lembram da história de Juliet no episódio "One of Them"?)

O problema dessa teoria do buraco de minhoca é que eles não permanecem abertos por si só. Teoricamente, eles precisam de uma constante (e literalmente enorme) quantidade de energia para permanecerem ativos. Na semana passada, o site popularmechanics.com (que frequentemente faz análises sobre a ciência de Lost) especulou que isso pode ser a explicação do porque o botão tinha que ser pressionado a cada 108 minutos - controlar e descarregar a energia eletromagnética que sustenta o buraco de minhoca.

É claro que agora que a estação Cisne se foi, isso significa que o buraco de minhoca está fechado? Aqui vai minha teoria: Penso que a chave de segurança provocou uma última descarga destinada a manter o buraco aberto por um determinado tempo para que algo fosse concluído. Mas quando esse tempo se encerrar, é 'adeus anaomalia do tempo-espaço', e talvez, adeus Ilha também.


A PASSAGEM DE TEMPO
O helicóptero saiu da Ilha pouco antes de anoitecer, mas não chegou ao cargueiro até o amanhecer do dia seguinte, mesmo que o vôo tenha durado cerca de 30 minutos. Esse estranho fato inspirou a seguinte pergunta: Será que trajetórias diferentes leva a pontos diferentes no tempo? Lapidus voou por uma trajetória (A) que durou apenas 30 minutos; o helicóptero aterrisou cerca de 18 horas depois. Se Lapidus tivesse voado por uma trajetória um pouco diferente (B) que levasse mais ou menos o mesmo tempo, talvez ele tivesse chegado manis cedo. Ou quem sabe mais tarde. Ou quem sabe nunca. Por que isso seria importante para a 4ª temporada? Porque se eu estiver correto - se toda rota diferente para fora da ilha levar a um ponto diferente no tempo - então temos que pensar sobre aquelas cordenadas que Ben deu a Michael e Walt no final da 2ª temporada. A questão aí seria não apenas, 'para onde Ben os enviou?' e poderia ser 'para quando?'


DIFERENCIAIS DE TEMPO: DE VOLTA AO QUADRO NEGRO?
A algumas semanas temos tentando descobrir o significado do experimento do foguete feito por Daniel Faraday que parecia estabelecer uma diferença de 31 minutos entre o tempo da Ilha e o cargueiro. Contudo, The Constant sugeriu (pelo menos para mim) outra possibilidade: pode ser que a Ilha e o cargueiro estejam em sincronia, e que o foguete tenha ganho o tempo extra enquanto voava através do turbulento perímetro da anomalia. Isso tudo para dizer que temos que reconsiderar a idéia de que o tempo passa mais devagar na Ilha até obtermos mais dados.


MINKOWSKI FICOU "DOENTE"
Tiro meu chapéu para o blogueiro leitor Vozzek69 (no darkufoblogspot.com) e para alguns dos meus leitores por notarem isso: É bem provável que a 'doença' da viagem no tempo que matou Minkowski é aquela mesma mítica 'doença' que matou os companheiros da francesa pouco depois da chegada deles à Ilha. Eu realmente gosto dessa idéia. Nunca gostei muito da idéia que a 'doença' era gerada pela Dharma. Não parecia correto. Mas isso sim soa correto. E se for correto mesmo vou gostar ainda mais porque a resposta foi basicamente deixada para que juntássemos as peças, em vez de termos alguém explicando isso para nós. Espero que nos próximos episódios e nas 2 próximas temporadas, mais mistérios de Lost sejam resolvidos dessa forma.

*-*-*-*-*

E aí, as coisas ficaram mais claras para você? Eu particularmente gostei muito dessa questão de que pode não exister diferença entre o tempo na Ilha e no Cargueiro, o que de certa forma vai de encontro ao que já disse em comentários e podcasts sobre a possibilidade de que existam janelas na Ilha que pareçam apontar essa diferença. Outro ponto bem interessante da argumentação do Jensen se refere à possibilidade de que a turbulência seja provocada pela saída de um buraco de minhoca, o que pode não apenas explicar de fato para que servia a rotina de pressionar o botão no computador da Cisne, bem como dar força à controversa teoria da Terra Oca defendidada pelo nosso amigo Carlos Alexandre Monteiro do Lost in Lost. E para finalizar, esse lance de associar os efeitos da viagem no tempo à doença citada por Rousseau também já havia sido comentada por mim e por muitos fãs e leitores aqui no Brasil, mas sobre isso o mais interessante é o que Jensen fala sobre termos respostas sendo lançadas assim de uma forma bem inteligente e pouco óbvia, o que é na minha opinião um atraente convite para que coloquemos nosso cérebro para funcionar a mil curtindo Lost.

Por Davi Garcia

20 comentários:

Anônimo disse...

(Jah que nao tenho site, soh pra avisar: Meu nome eh Vitor)
Isso do cisne ser destruido e a energia para manter o buraco também responde o porque deles precisarem voltar pra ilha

Juliano disse...

bem, acredito que possa haver uma relação entre essa questão de desmond viver sabendo q teria q estar no cargueiro e os flashes q ele vivenciava onde charlie sempre morria. talvez fosse uma reação a essa viagem no tempo de sua mente.

Anônimo disse...

André
RIDICULA a teoria que foi o proprio Ben que mandou o cargueiro lá....sem nexo, não devia ser postada aqui, estou perdendo a credibilidade neste blog, que confesso li muita coisa boa aqui, e adoro ler o que vc´s escrevem, mas ficar colocando besteira....toma nosso tempo né? No mais um abraço a todos, e prestem atenção no que colocam aqui, se foi o Ben que mandou o cargueiro deixo de gostar e muita gente deixara tb de lost!!!

Dude! We are Lost! disse...

Anônimo, e por que essa teoria do Ben seria ridícula? Acho que toda idéia a essa altura é válida sobretudo levando em conta todo o histórico de manipulação que envolve Ben...

Não acredito que essa teoria se confirme mas que faria sentido é inegável.

Davi Garcia

gineto disse...

Quanto ao lance do computador: se fosse algo tão importante, não poderia ser confiado a um velho Apple ][ . Fala sério!!! Lá não havia outro de reserva, nenhuma replicação ou redundância de nenhum tipo. Qualquer um com um mínimo de experiência em informática jamais confiaria uma tarefa tão crucial 24/7 a um único micro velho e possivelmente cheio de maus contatos!

Anônimo disse...

Prezado Davi Garcia, em comparação a seu conhecimento sobre o assunto Lost, me torno um mero espectador do assunto...,mas se partirmos do principio que o Ben pode manipular tudo, e todos, não seria nescessario toda uma logistica de contratar um cargueiro, pessoas que querem o pescoço dele mesmo, enfim, toda uma história gigantesca, para um simples fato de causar um conflito entre o "Losties", ele faria de outra forma....e se apartir de agora começarmos a dizer que tudo é o Ben manipulando, podemos encerrar o lost agora, pois podemos diser que tudo ali é manuipulação dele, não que ele não possa mesmo, pois ele é dono do bem mais valioso, e arma mais poderosa, a "informação sobre o futuro"...enfim deixo o meu abraço e até mais....(André M.)

Leandro disse...

Essa idéia da cortina é interessante.
Talvez essa 'cortina' ao redor da ilha cause o efeito de 'invisibilidade' nela, uma vez que observando de fora, ela não está em um instante de tempo definido, partindo da premissa que nós só enxergamos o que está imediatamente no momento presente. Ela pode estar sempre um momento a frente, ou atrás, o que faria ela deixar de existir no presente.
Quem sabe o esquema de manter a ilha fora do tempo real externo não seja mesmo natural de lá, mas a ilha tenha sido escolhida por ter uma grande fonte natural de magnetismo (o que iria 'economizar' muita energia nos experimentos) e depois se tenha a intenção dos outros (depois que eles descobriram que isso era possivel) de manter a ilha em segredo, e até de ter algum desejo de 'imortalidade' ou qquer coisa assim. Daí detonaram todo mundo da dharma e roubaram pra eles. Ou podia ser o contrário, os outros já estavam na ilha ha muito tempo fazendo essa brincadeira de se esconder e viajar no tempo, e o dharma foi se metar tipo 'nossa, olha so o que descobrimos. vamos usar, que legal'.

Algumas pessoas com atitudes estranhas, como a aeromoça (ou uma milionária disfarçada de aeromoça) que esqueci o nome, podem ser pessoas que 'pagaram' pra ir morar lá na ilha, com a promessa de serem imortais, e tudo seria uma grande corporação, por isso eles tem tanto $$. sei lá.

São divagações apenas.

Anônimo disse...

e se o espião no cargueiro for Rousseau, em uma outra época??

Alex disse...

Acho que esse pessoal que está criticando os comentários do Davi poderia dar um tempo ou ao menos ser educado em seus comentários... mas tudo bem!
Com relação a saída da ilha, explica também o porque de Desmond não conseguir sair da ilha na 2º temp. e voltar para ilha falando que deu voltas e voltas e chegou no mesmo lugar, quase ficando louco!
Acho que o Michael e CIA com sua jangada nas temp. anteriores também não coseguiriam chegar a lugar nenhum... muito bom esse lost!

Raphael disse...

Quanto a teoria da "doença" da equipe da Danielle, eu não só concordo como vou além dizendo que ela não ficou "doente" porque a "constante" dela é a filha.

Marcos Lemos disse...

Gostaria de discorda da teoria paresentada sobre a doença dos membros da equipe da Rousseau mostrando outra possibilidade.
Penso q Rousseau e sua equipe foram contratados pela Iniciativa antes da tomada de poder dos "Hostis" liderados pelo Ben. Ela (Rousseau) conseguiu escapar e sobreviver, grávida de Ben. Por ser mãe da filha de Ben, eles pouparam-na e não a perseguiam, deixando-a viva.
Poderia explicar melhor, mas aqui não tem espaço, mas acho q deu pra entender.
(marcoslemos@hotmail.com)

Anônimo disse...

Essa teoria de que cada cordenada pode levar a um lugar diferente no tempo é bem interessante e válida e justificaria o crescimento do Walt e daria a possibilidade do Michael ser o espião (o que eu abominava até agora)já que ele teria tempo pra coletar informações e se integrar com os outros membros.E, gineto, talvez a estação cisne não seja o único lugar onde eles podem faze-lo.Por isso a estação devia ser vigiada, para que em caso de problemas pudessem descarregar a energia eletromagnética que sustenta o buraco de minhoca em outro lugar.

Anônimo disse...

Ivanildo
Acho que...
O Richard não envelheceu em relação ao Ben, pq esteve muitas vezes fora da Ilha. como o tempo na ilha passa muito rapido em relação ao mundo exterior, a idade do Ben se igualou ao Richard.

Acho que...
os 6 da oceanic precisam voltar, simplesmente pelo fato de terem deixados seus amigos para traz.

Acho que...
os sussurros q se ouvem na ilha são vidas do passado vivendo e vendo o presente de outra dimensão do passado ou do futuro

Acho que...
devemos respeitar o direito de expressão nesse divertido e gostoso blogger, sabendo que aqui podemos expor todos nossos pensamentos sem sofrer nenhuma critica, pq o objetivo não é esse. ou seja quanto mais complexas as ideias melhor. esse não é o espirito de LOST?

Um abraço Davi Garcia. sou seu fã cara, assim como sou fã de todos nossos comentaristas do Blogger.

Anônimo disse...

Davi, meu nome (apelido) é Erlim e sou um grande leitor do seu site e admiro muito seus comentários e traduções de comentários estrangeiros postados em seu site.

Tenho dezenas de teorias válidas sobre várias coisas que envolvem a série como o monstro, entre outras, mas sempre tive preguiça de posta-las. Pensei nelas depois de rever todas as temporadas, mas vamos ao que eu vim escrever hoje.

Algo muito interessante que deve ser frisado do episodio anterior que não ouvi de ninguém é o comentário de Minkawski para Desmond (algo como): "Parece mais velho, né?", enquanto ele está olhando no espelho (+-27min48s). Só essa frase poderia explicar o envelhecimento/crescimento de Walt ao reaparecer para Locke. Walt (e, talvez, Michael) provavelmente sofreram um "efeito-colateral" ao sair da ilha e, na minha opinião, pode ter feito Walt "envelhecer" como fez com Desmond e George.

Já que estou escrevendo aqui... vou falar um pouco sobre a teoria do monstro. Como trabalho muito com som (sou musico), o que mais me intriga são os sons emitidos pelo "lostzilla". São, claramente, sons feitos por objetos metalicos ou mecânicos, também tem alguns sons que se assemelham a liberação de vapor (ou outro gás) pressurizado.

Existe um capítulo que o Locke é puxado pelo monstro e o Jack corre atrás para salvá-lo (com certeza você sabe exatamente qual é o episódio), então, o som do Locke sendo puxado é muito parecido com o de uma engrenagem ou corrente. E o som mais intrigante dessa parte, não é essa, é o som que Jack faz ao bater no chão quando pula para agarrar Locke. É bem claro o som metálico do chão e reparem que na cena seguinte (deles sendo puxado), todo o trajeto que eles fazem ou vão fazer está "limpo" de matagal, só tem folhas secas que podem estar escondendo algo mais, mesmo pq o caminho vai diretamente para um buraco x. (ok, isso pode ser exagero da minha parte, ou não!).

O que poderia estar escondido? Acho que aquele "pó metálico" que Locke encontra perto da cabana de Jacob pode ser a resposta.

Concluindo: o monstro, com todas essas considerações e outras que não fiz ainda, para mim, é, sim, um grande "sistema de segurança" elaborado a partir das configurações/características da ilha. As caracteristicas mais relevantes seriam o fortíssimo magnetismo (que poderia puxar sim o Locke ou o piloto pelo conjunto de fivela de cinto, ziper, partes de metal nos sapatos, etc....) e o Jacob explicaria um pouco mais (talvez as imagens vistas por Eko, que talvez não tenha sido puxado por andar com trapos, descalços e com um cajado de madeira ou não ter entrado na "linha de alcance" do monstro).

PS.: Se achou algo original, interessante ou relevante, dá uma publicada ai no fronte do seu blog com as suas palavras (me creditando, claro, hehehehe). Realmente não sei se essas considerações minhas já foram feitas por outra pessoa, mas de qualquer forma está ai. Posso dar mais exemplos depois e a gente pode trocar e-mails sobre o assunto.

Aguardo resposta. Abração cara... continua escrevendo pq vc sabe...

Erlim Bittencourt

José Samuel disse...

Para o rapaz que criticou acima a teoria do colega, que Ben teria mandado o cargueiro, acho que a idéia não é tão ridicula assim. Até é pertinente.
Leia a frase que extrai desse mesmo post.

"Talvez no futuro, Lost nos dê um episódio que mostre a históriapregressa de Desmond (ganhando o barco de Libby, matando Kelvin; encontrando os losties) do ponto de vista do conhecimento que ele já tinha sobre tudo."

Essa parte me fez pensar da possibilidade do Ben também ter passado isto que Desmond passou e por isso ele manipula tudo, já sabendo o que irá ocorrer no futuro, para que no futuro ele também ache sua constante. Já que fica claro que Desmond precisava do cargueiro e do telefone para ligar para Penny (a constante), de algum modo alguem tinha que fazer isso, porque não o Ben?
Estamos vendo a vida de Ben do ponto de vista do conhecimento que ele já tem sobre tudo. Como fala acima. Por isso, que ele tem um plano pra tudo, e as vezes ele fala que tem que corrigir a confusão que ele provocou.

PS: É incrivel a efervecência de idéias que um seriado provoca no mundo todo. Suas divagações e até muita das vezes viagens poderiam alavancar por baixos uns 1000 livros de ficção. É impressionante as teorias legais, as vezes até que não se confirmam, mas que são bem interessantes e coerentes. Acho eu que isso tudo terá um efeito bem interessante num futuro próximo de bons produtos culturais derivados (filmes, músicas, literatura, etc...). Parabéns pessoal, vocês são agentes neste processo.

R.Facchin disse...

Sobre o que o nosso amigo David comentou sobre o Ben ter mando o Walt e o Michel para onde e talvez quando, esse quando poderia ser no pasado, isso poderia explicar a aparição do Walt para o john e para a shanon.
E de quebra, explicar as aparições do Sr. Shepard. E extrapolando um pouco, a fumaça poderia muito bem ser algo vindo do futuro ou mesmo do passado (algum animal instinto).
Mas ai é coisa de outro mundo. E ai concordam com algo?

Momentum Eventos disse...

Só gostaria de perguntar uma coisa a respeito das viagens no tempo de desmond...
foi citado que ele só desligou a consciencia presente e estava vivendo a de 96.. td bem até ai.. mas me diz uma coisa... se foi só isso.. como ele conseguiu interferir no futuro do daniel faraday, caso não se lembrem, daniel de 96 sofreu com essa visita inesperada do desmond e ele escreveu em seu diário q desmond seria sua constante caso algo desse errado no futuro.
Qual explicação para isso então, se somente a consciencia do desmond é q estava passando pelas viagens?

Gabriel Anderson disse...

"A questão aí seria não apenas, 'para onde Ben os enviou?' e poderia ser 'para quando?'" << o melhor

Isso do cisne ser destruido e a energia para manter o buraco também responde o porque deles precisarem voltar pra ilha

André = nada a ver
"Não acredito que essa teoria se confirme mas que faria sentido é inegável." concordo Davi

"Ela pode estar sempre um momento a frente, ou atrás, o que faria ela deixar de existir no presente." Leandro... mt boa!!!
eu acho tbm q qdo o avião foi sugado pelo grande eletromagnetismo da "ilha" e ele bateu nessa cortina, e com isso despedaçou. E a turbelência seria por causa da "tempestade"
e o: "podem ser pessoas que 'pagaram' pra ir morar lá na ilha, com a promessa de serem imortais, e tudo seria uma grande corporação, por isso eles tem tanto $$"
pode ser msm... o Ben teria tipo uma empresa de "bem-vindo ao paraíso" hhahaha

"os sussurros q se ouvem na ilha são vidas do passado vivendo e vendo o presente de outra dimensão do passado ou do futuro" concordo tbm

Erlim - concordo com td o q disse

"É incrivel a efervecência de idéias que um seriado provoca no mundo todo." e José tbm concordo com vc

"como ele conseguiu interferir no futuro do daniel faraday", eh.. realmente, eh uma boa pergunta

Anônimo disse...

Acho furada a teoria de que o botão, pressionado a cada 108 minutos, deveria descarregar a energia eletromagnética da ilha e que sem ele, a ilha pode desaparecer.
Nginguem parou pra pensar que a ilha, com o eletromagnetismo, já existia antes do botão? Ou vão dizer que a Dharma voltou no tempo, até o Big Bang, para construir a estação "Swan"?

Voltaire D. P. Neto disse...

Se a Estação Cisne era importante para manter o buraco de minhoca... pq então Ben brincou com Locke dizendo que não havia apertado o botão...

Posso estar sendo pessimista... mas jogar com o tempo na série da maneira como querem... é um passo inseguro... soa para mim que tudo do que vimos de Desmond até então não passa de uma história que já não existe mais... entendem... tudo que vimos dele com qualquer outro personagem não existe mais... pois ele mudou o passado... e mudou o futuro...

Acho que ninguem pensa nisso... não que eu não tenha gostado do episódio... mas as consequencias que ele gera... é que não agradam...