28/02/2008

Colunista da EW fala sobre o conceito de The Constant e mais

Para ajudar a entender (ou tentar descomplicar) o nó na cabeça de muitos fãs, o colunista do Entertainment Weekly, Jeff Jensen destaca algumas coisas que devemos ter em mente antes e depois de assistir o The Constant além de considerar alguns dos mistérios relacionados à diferença de tempo e outros relacionados à série.

Para começar, Jensen simula uma conversa com um 'amigo imaginário' chamado Magic Eight Ball onde dá dicas valiosas.

De acordo com a experiência feita com o foguete por Daniel Faraday, há uma diferença de 31 minutos entre o tempo da Ilha e o do cargueiro. Contudo, já vimos o pessoal do cargueiro conversando pelo telefone via satélite com seu barco em tempo real. Muitos fãs querem saber: Isso é um erro de continuidade?

Magic Eight Ball: Não.

Como você explica isso?

MEB: Como se explica isso? Você terá que se esforçar aqui, 'Doc'.

Bem... Será que existem algumas frequências que não sejam afetadas pelas forças que provoquem a diferença de tempo?

MEB: Ding! Ding! Ding! Viu só? Esses mistérios de Lost nem são assim tão misteriosos! Tente outra. Que tal a diferença de tempo? Qual é a sua teoria sobre isso?

Ah, que ótimo. Vamos mostrar ao mundo o quão pouco eu sei sobre física. Ok. Claramente estamos lidando com a teoria geral da relatividade de Einstein aqui.

MEB: Ah, "claramente." Você não sabe sobre o que está falando, não é? Doc, você pelo menso tentou pensar nesses mistérios de uma forma mais simples? Vamos começar com a coisa mais interessante sobre a diferença de tempo e que não era a questão da diferença em si, mas a reação de Faraday à essa diferença. Lembra qual foi?

Me lembro que ele não estava exatamente feliz.

MEB: Se é assim que você quer caracterizar isso, tudo bem. Agora, o que isso pode sugerir?

Que ele obteve um resultado que não estava esperando?

MEB: Continue.

Que talvez a diferença de tempo não seja "constante", para usar o título do episódio 5. Como se o Faraday fizesse o experimento de novo e encontrasse um diferença ainda maior, menos ou mesmo inexistente.

MEB: Muito bem. Eu não vou te dizer qual dessas três possibilidades está correta. Mas... essas três apontam para uma idéia sobre a Ilha que todos os teóricos de Lost deveriam ter em mente. Você sabe o que é, 'Doc'?

Por que você está me ridicularizando? Não faça isso! Não o inventei como interlocutor para que você me sacaneie, Magic Eight Ball! Nós podemos simplesmente não repetir isso e então você nem mesmo existiria!

MEB: Então meu status atual é altamente... "instável"?

Espere um pouco. É isso que você está tentando me dizer? Que as leis da física estão em constante fluxo na Ilha?

MEB:
Como sempre você faz tudo ficar muito mais complexo do que precisa ser. Apenas guarde essa palavra: instabilidade.


E aí, caiu a ficha para você também? Bom, se isso não sinaliza nada veja o que as seguintes argumentações de 'Doc' Jensen oferecem:


A ESCOTILHA

Um bunker enterrado na floresta, conhecida como Cisne, e parte da Iniciativa Dharma, um projeto utópico de ciência financiado pela Hanso Foundation. Diz-se que ela foi construída para estudar as flutuações eletromagnéticas da Ilha. No final da 2ª temporada, a escotilha foi explodida ou implodida; deixando nada além de uma cratera no lugar. Desmond, Locke e Mr. Eko estavam todos dentro dela durante o evento que a destruiu. Eles também deveriam ter desaparecido. Em vez disso, Desmond acordou nú, Locke ficou mudo e Mr. Eko ficou delirando. Desde então me convenci que Lost não nos deu uma explicação satisfatória que justifique a sobrevivência dos três. Mas ontem uma teoria me veio à mente. Primeiro temos que revisitar:

''FLASHES BEFORE YOUR EYES''

Um importante episódio da 3ª temporada no qual foi revelado que após ter girado a chave de segurança, Desmond experimentou algo como uma viagem no tempo; sua consciência do presente na Ilha viajou para o passado. Ainda mais estranho, quando sua mente retornou para a o presente da Ilha, Desmond começa a ter "flashes" do futuro. Será que a consciência do brotha expandiu-se simultaneamente para frente e para trás no tempo e então tomou um curso reverso de volta à sua mente? Será que Desmond tem a habilidade de oniscientemente experimentar arcos de sua existência de uma vez só, mas escolhe não fazê-lo, ou pelo menos o faz através do 'flashes'? Talvez esse 5º episódio traga luz sobre essa questão. Durante o flashback de "Flashes Before Your Eyes", Desmond aprendeu através de uma misteriosa senhora chamada Mrs. Hawking duas coisas sobre a natureza do tempo em Lost (considerando que ela tenha falado a verdade, é claro): Tanto o livre arbítrio quanto a predestinação funcionam juntos. Hawkig avisou Desmond que se ele propusesse casamento a Penny, "cada um de nós iria morrer." Mas então, depois que eles testemunham a morte de um homem, Mrs. Hawking disse a Desmond que embora soubesse qual era o destino do homem, ela nada poderia fazer para impedir pois o universo encontraria uma maneira diferente para matá-lo. Isso nos leva a:

DAVID LEWIS

David Lewis é o nome do pai de Charlotte Staples Lewis. (Sabemos disso pois Ben fez o relato da biografia dela no final de Confirmed Dead.) David Lewis é também um famoso pensador do campo da física. Durante os anos 70, ele produziu uma série de ensaios sobre tópico das viagens no tempo. Uma de suas mais importantes contribuições era a resposta para o problema conhecido como "O Paradoxo do Avô." É a idéia de que um viajante do tempo não pode voltar no tempo e matar seu avô porque isso criaria uma nova linha do tempo no qual o viajante não existiria. Lewis resolveu esse paradoxo sugerindo simplemente que em um mundo onde viagens no tempo fossem possíveis, criar um paradoxo seria impossível; o cosmos basicamente agiria contra você e faria o que Desmond chamaria de...

''CORREÇÃO DE CURSO'' PARTE UM

Exemplo: Charlie. Mas antes duas coisas sobre a morte dele: (1) O destino tecnicamente não matou Charlie. Lembre o que aconteceu: Desmond teve um flash de uma nova versão da morte de Charlie - um que oferecia um futuro que era benéfico a todos os losties. Heroicamente, Charlie abraçou seu destino. Charlie exerceu seu livre arbítrio e essencialmente se matou. (2) Apesar disso, o destino alcançou o que queria. O que me leva de volta ao mistério de como Desmon, Locke e Eko sobreviveram à implosão da escotilha. Teriam sido eles salvos pelo "paradoxo do avô"? Teria o destino os poupado porque eles não tinham que morrer naquele momento? Talvez. E se for isso, seria terrivelmente conveniente; Lost poderia basicamente ignorar o fato com qualquer pulo na lógica narrativa colocando-o como "correção de curso." Ironicamente, isso é exatamente a principal reclamação que muitos físicos tem às teorias do paradoxo como a sugerida por David Lewis. O que nos leva a...

''CORREÇÃO DE CURSO'' PARTE DOIS

Igor Novikov foi um físico cujo nome está atrelado à mais famosa teoria sobre o paradoxo da viagem no tempo: o princípio de auto-consistência de Novikov. Simalar à de Lewis, Novikov advogava em prol da "correção de curso." Mas muitos outros - incluindo Mat Visser, que criou a frase "Conspiração da Consistência de Novikov" - oposta à articulação de Novikov porque ela implicava o trabalho de caminhos sobrenaturais. Uma pessoa religiosa (como o inspirador do nome de Charlotte, C.S. Lewis) pode chamar esse 'caminho' de Deus. Um cientista de mente aberta pode chamar de "demônio de Maxwell", em homenagem ao experimento de James Clerk Maxwell. O próprio Novikov chamou esse tal caminho por outro nome, um nome conectado diretamente a Lost: "Jinn," uma palavra do Corão para uma categoria de entidades mágicas sem forma que desafiam as leis do espaço-tempo. (O monstro de fumaça por exemplo poderia ser um 'Jinn.') Mas eu sugeriria um quarto candidato, um que nossa antiga amiga de Arquivo X, Dana Scully diria ser difícil de engolir mas que pelo menos colocaria tudo em uma arena humana plausível: uma honesta conspiração divina, executada pelos agentes do Canceroso, como a Mrs Hawkings, o irmão Campbell (antigo chefe de Desmond no monastério), muitos outros. O universo de Lost é habitado por pessoas lutando para evitar o paradoxo catastrófico e talvez lutando uns contra os outros para definir qual a melhor forma de fazer a "correção de curso."Isso levanta a questão: Como esses "demônios" de carne e sangue saberiam do futuro? Resposta:

A ORQUÍDEA

Orquídea é o nome de outra estação da Iniciativa Dharma que ainda não vimos, mas iremos ver em breve. Uma versão do filme de orientação da Orquídea foi divulgado no meio do ano passado pelos produtores de Lost; você pode vê-lo no YouTube. O filem sugere que a Dharma estava tentando dominar as energias particulares da Ilha para conduzir experimentos com viagens no tempo. O filme também faz menção a algo chamado de efeito Casimir, que aponta direto para o tip ode energia que a Dharma estava tentando dominar. Para que serviria a energia negativa? Desenvolver e manter a maior distorção volátil na fábrica da realidade, ou o "tempo-espaço de Minkowski," uma distorção conhecida como:

BURACO DE MINHOCA

Me ajoelho aos pés de muitos outros teóricos de Lost que trouxeram o conceito do buracos de minhoca para as conversas sobre Lost muito antes de mim. Se você é um aficionado por ficção científica, sabe tudo sobre buracos de minhoca, um fenômeno teórico no espaço-tempo que pode conectar um ponto no tempo a outro. Novikov especulou que buracos de minhoca poderiam maturar-se até tornarem-se "máquinas do tempo naturais." Se a Ilha é basicamente o marco zero para um pequeno buraco de minhoca, então é bem possível que a Dharma gostaria de criar um painel de controle (como as de empresas telefônicas), conectando as chamadas entre o presente da Ilha e o futuro ou o passado. Fico imaginando se o nome Miles Straum é uma outra pista em direção à teoria dos buracos de minhoca. Os produtores já disseram [em um podcast recente] que "Miles Straum" foi pensado para soar como "maelstrom," que é um grande, monstruoso redemoinho no meio de um oceano. Uma boa analogia para um buraco de minhoca no Pacífico Sul, hein?!

+++

Eu sei o que você está pensando. Você quer me dizer que eu tenho que saber disso tudo para entender Lost? Minha resposta para isso é: Se alguma coisa disso tiver sentido para a trama, aposto que será explicado para nós de forma genérica, e se não, como eu fiz aqui. Mas o curioso sobre tudo isso é que espera-se que a ciência seja capaz de tornar o que é incompreenssível, compreensível, certo? Esse essencialmente é o argumento que vai contra as forças sobrenaturais: Eles são apenas fenômenos que ainda não explicamos, fenômenos como o monstro de Lost, os fantasmas, e vários outros "jinns." Mas a corrente atual da física sugere que a ciência tem ido tão fundo na questão que acabarão voltando para onde começaram: uma realidade marcada pelo intrínseco desconhecido. Conceitos como "cosmologia de braneworld" advogam a existência de dimensões integradas na nossa realidade que desafiam a ordem natural. Eu não ficaria surpreso se no final das contas Lost se apoiar na "teoria M" de Edward Mitten, uma teoria unificada de realidade que incorpora múltiplas dimensões (10 para ser exato) mas uma 11ª de bônus marcada pela supergravidade. O que significa esse "M"? Witten nunca disse. Pode significar 'mágica', 'membrana,' ou 'mistério.' De fato, Lisa Randall oferece a idéia de que o "M" significa ''Missing theory.'' (Teoria Ausente).

Parece com Lost para mim.

*-*-*-*-*

Mas e aí, será que essa imensa viagem no mundo da física e das possibilidades teóricas ajudou a iluminar as coisas ou tornou tudo ainda mais obscuro?

Traduções e adaptações do texto original por Davi Garcia

11 comentários:

Mike disse...

cara, realmente gostei do post
e essa é uma das principais razões para gostar de LOST, ela me faz aprender um bando de coisas que eu nunca iria conhecer assistindo FRIENDS por exemplo...
e sim, faz mto sentido

JoostBR disse...

Davi, seu chato, matou a charada antes da hora...
hehehe

Bricadeiras à parte, sensacional esse post faz todo o sentido e amarra bem a historia da serie com as viagens no tempo do desmond e com as outras referencias à questão de tempo-espaço que (pelo menos pra mim) ainda pareciam meio deslocados.

Parabéns!

Mauricio Sacramento disse...

caramba.




Difícil até de comentar.
Acabei de assistir a The Constant para ler isso... E tudo se encaixa.
Uma queda acidental do 815 e os grupos financeiros que querem controlar o buraco de minhoca, sendo a ilha, a "portaria" desse túnel do tempo.
Muito bom esse post, parabéns pela seleção.

Aninha disse...

Essa teoria dos WormHoles me lembra a minisérie sobre o Triângulo das Bermudas... era em 3 episódios... mto legal... e assistindo a esse episódio de LOST, me lembrei dessa série e achei q tem mto a ver... =)

Essas explicações são meio complicadas... mas fazem a gente gostar ainda mais de LOST...

Leonardo Araujo disse...

Gostei do postt....Oq nao aprendi na escola eu aprendo no Lost..

Anônimo disse...

sensacional !!
---- mas so essa letrinha ta


uma dica .. aummenta mas
um pouco a fonte ....blz ;abraços

Anônimo disse...

A maior parte das explicações é sim muito bem fundamentada e possível.O que me faz pensar:
Que espécie de louco consegue chegar a uma teoria tão boa como essa??????

Cristiano Almeida disse...

Faz muito sentido.

Postagem maravilhosa e episódio maravilhoso! Ainda estou recuperando o fôlego que perdi ao assistir.

vinicius disse...

Donnie Darko.... ja viram esse filme?
pois é... no meu blog tem uma resenha dele...

acho que tem mto a ver... esse filme e Lost.. vejam!

http://filmotecadovi.blogspot.com/

The Phantom of the Opera 1962 disse...

mando bemmmm
adorei as colocacoes...

sabia muito sobre isso mas algumas interpretacoes n me eram tao claras

gostei da abordagem do texto tb

abracos

Fabio Jamanta disse...

caraca!!! que post sensacional!!!

Agora sim minha cabeça explodiu!! rsrs

E só uma coisa, não acho que eu tenha sido a primeira pessoa a reparar nisso, mas nesse video da Orchidea, exatamente na passagem do minuto 1:08 para 1:09 aparece uma mensagem que diz: "GOD LOVES YOU AND HE LOVED JACOB" ?!?!

Alguém pode me explicar algo sobre isso??? rsrs

Abraços,
Jamanta