31/07/2007

Pequenos Spoilers da Kristin

Semana passada foi na Comic Con e agora a colunista Kristin Veich do E! Online traz mais algumas novidades sobre o que a 4ª temporada nos reserva.

Algum spoiler de Lost?

O produtor executivo Carlton Cuse e a produtora Jean Higgins apareceram no Festival de Tv de Los Angeles semana passada, e o E! Online teve uma conversa exclusiva com eles arrancando algumas respostas para nossas perguntas. Para o futuro da série em geral, Carlton disse que “algumas pessoas especularam que ao avançar no tempo, a série vai acontecer no futuro e mostrar flashbacks do presente (da ilha), mas não é isso que acontecerá, não vamos mudar o formato da série. Estamos apenas adicionando os flash forwards como elemento. Eles fizeram contato com um navio e há pessoas no navio, e deve ser lógico imaginar que essa história vai continuar... A situação vai ficar bem intensa nessa nova temporada. Charlie escreveu em sua mão que aquele não era o barco de Penny e essa mensagem era muito importante. É engraçado porque o clipe exibido na Comic Con mostrou Mr. Friendly / Tom dizendo, “quando estiverem assistindo isso, estarei morto, mas lhe digo que isso é lamentável porque quem quer que esteja vindo atrás dos Outros é muito pior do que já fomos. Damon e eu estávamos ouvindo-o e meio que concordamos com a cabeça, ‘isso é totalmente profético’”.

Há rumores que um novo set de Lost esteja sendo construído assim como um templo ou ruínas. Você ouviu algo a respeito?

De acordo com Jean Higgins, “não espero nenhum set permanente para a 4ª temporada”.

O que podemos esperar para Jin e Sun nessa temporada?

Segundo carlton: “Com Jin e Sun há uma situação bastante dinâmica a se trabalhar. Ela está grávida... o destino da criança, o destino do casamento deles, todas essas questões Damon e eu vamos explorar mais nessa temporada”.

Boa notícia que Michael está retornando a Lost, mas e o Walt?

A palavra mais uma vez é de Carlton Cuse, “ Walt vai retornar também. Mas não vamos entregar nenhum detalhe sobre isso”.

Vamos ver Jacob de novo e descobrir mais sobre ele na 4ª temporada?

De acordo com Cuse, “Sim, vocês verão mais de Jacob”.

Por favor, fale alguma coisa sobre Sawyer na próxima temporada!

Perguntamos ao Carlton se ele tinha um par favorito no triângulo, e se serve alguma coisa, ele disse, “Sou apenas um fã de Sawyer...”

28/07/2007

Comercial da L'Oreal com Matthew Fox

Image and video hosting by TinyPic




Por Fernanda Reple

Fotos de Evangeline Lilly no The Morning Show


Mais fotos aqui


Fonte: Lost-Media

27/07/2007

Lost na Comic Con 2007

Depois de um grande período de silêncio dos produtores Carton Cuse e Damon Lindelof, ontem foi dia de vermos uma enxurrada de informação bacana no painel de Lost realizado na Comic Con. Teve o trailer do aguardado jogo (que você confere no post abaixo), presença de Harold Perrineau (Michael), um novo vídeo de orientação misterioso e muito mais. Como infelizmente ninguém aqui do “Dude” teve uh... ‘tempo’ de ir a San Diego :p vamos traduzir um relato bem completinho feito por um colaborador do Tail Section chamado Tapdawg e incluiremos pequenos comentários em vermelho.

Ah, e antes de ler tudo o que vém abaixo, fica o aviso de que há pequenos SPOILERS! Recado dado, lá vamos nós.

O evento começou quando as luzes se apagaram e foi exibido um extra do dvd da 3ª temporada apresentando os Outros e como eles são vistos pelo elenco e equipe. Ponto interessante a se notar: Tanto Damon Lindelof quanto Carlton Cuse (produtores da série) afirmaram no vídeo que Mikhail e Isabel (a sherife dos Outros) estão mortos. Tudo bem que a personagem Isabel surgiu e sumiu do nada, muita gente não gostou dela e etc, mas bem que podiam explicar as cisrcuntâncias de sua morte não?

Em seguida, o evento começou oficialmente com Carlton e Damon entrando no palco montado e assumindo suas cadeiras.

Carlton então introduziu a ‘edição primária’ do clip do video game baseado na série e afirmou que o jogo vai realmente ser lançado no mesmo período que Lost retornar de seu hiato em Fevereiro de 2008. Para maiores informações, visitem o www.lostgame.com Eu particularmente gostaria de ver esse jogo saindo um pouco antes. Dezembro seria uma data ideal, mas creio que o atraso se explique por terem entendido que para lançar um jogo realmente bom, ajustes se fariam necessários.

Damon fez um comentário interessante que tanto ele quanto Carlton sabiam que os flashbacks não durariam na história toda da série e que também sabiam que usariam o conceito dos flash forwards, mas que não podiam dividir a informação com os fãs pois isso iria arruinar o final da 3ª temporada. Pois é, tanto cuidado e esqueceram de combinar com o lostfan108...

Depois de fazer esse comentário, Damon e Carlton mostraram sinos que seriam usados para calar o outro se sentissem que estivessem entregando muita coisa para a audiência.

Começam as Perguntas & Respostas, e a primeira refere-se ao nível de violência mostrada nos últimos episódios da 3ª temporada e porque o grau foi alto. A resposta dada foi bem interessante; Damon lembrou que a 1ª temporada teve tanta violência quanto esta, e a diferença é que naquela tudo o que acontecia era entre os que conheciamos como os bons da história. Nessa 3ª temporada os Outros (maus) bateram muito e como resultado tivemos a sensação de que havia mais violência quando na verdade tinhamos o mesmo nível das temporadas anteriores. Ê povinho chato esse não? Uma das camadas que a história da série aborda é exatamente a busca pela sobrevivência, portanto é compreensível esperar que exista violência nesse cenário não acham?

A pergunta que veio em seguida era sobre o controle que os roteiristas tem sobre cada episódio de Lost. Damon e Carlton disseram que há 8 roteiristas na equipe (incluindo os dois) e que todos tem alguma liberdade sobre o que escrevem. Por exemplo, Eddie Kitsis foi o autor da idéia da kombi do Hurley e Damon conseguiu ligar essa ideía a uma cena de Ben e seu pai. Tá aí um aspecto que sempre me deixou curioso, afinal sabendo que a estrutura da série com início, meio e fim existe, resta entender como são preenchidos esses miolos da trama que naturalmente vão surgindo no desenvolvimento da série, ou alguém realmente acha que algum criador/roteirista/diretor tem 100% da idéia pronta quando concebe um novo projeto?

A dupla confirmou que tanto flashbacks quanto flash forwards serão usados na próxima temporada, mas que contudo não saberemos em que período do tempo eles ocorrerão (1 ano ou 5 no futuro da ilha). Damon também confirmou que Jack e Claire vão descobrir que são irmãos na próxima temporada... Qual será o contexto dessa descoberta hein? Aposto no recurso de uma foto de Christian Shepard aparecendo na jogada. E vocês?

Uma pergunta foi feita com relação a Ben. Ele foi pego de propósito ou acidentalmente pela armadilha de Danielle? Carlton pensou por um tempo e então confirmou que foi de fao por acidente e que Ben estava indo fazer alguma coisa quando foi capturado. Para onde ele ia e o que iria fazer ele não disse, mas afirmou que descobriremos na 4ª temporada.

Damon apontou que o fato de Jack e Kate terem saído da Ilha não significa o fim da história da série. Na verdade, há um capítulo inteiro para ser contado fora da Ilha. Uau! Bela novidade. Confesso que adoraria ver a dinâmica da série acontecendo totalmente fora da Ilha e as consequências daquela experiência na vida dos personagens que conhecemos.

Um sino toca mas nem Damon ou Carlton tocaram nos seus e com essa deixa que eles dão as boas vindas ao ator Harold Perrineau também conhecido como Michael:

Damon e Carlton não podem dizer quando Michael vai retornar exatamente, mas dizem que é no início da temporada e que será um personagem regular da série novamente. Sempre existiu o plano de trazê-lo de volta e eles esperavam poder dividir essa informação com os fãs a muito tempo. Eu já disse isso antes, mas reafirmo que a volta de Michael à trama e por tabela Walt, só pode tornar a história ainda mais interessante, afinal toda a situação que envolveu a saída do personagem antes abre grandes possibilidades para o conceito que a série explora tão bem, a redenção.

Algo a se comemorar é que há boas possibilidades de que o Lost Experience retorne no meio do próximo ano. A razão pela qual ele não aconteceu nesse ano, foi a negociação que ocorria entre a ABC e a dupla Damon/Carlton para estabelecerem uma data final para a série. Depois de falar sobre o retorno do Lost Experience, Damon mencionou também que eles gostariam de expadir a série para outros livros e formas de entretenimento. LE 2 ? Cool! Mais revelações sobre a Hanso Foundation ou algo inteiramente novo? Bem que Alvar podia ter um papel mais ativo na nova versão né? E sobre a expansão do universo da série para mais livros eu não tinha a menor dúvida que ocorreria, afinal o divertido ‘Bad Twin’ figurou entre os mais vendidos quando foi lançado, e dinheiro nesses casos é uma motivação e tanto.

Agora uma informação bacana: Lost pode passar a ser exibido na sexta-feira quando retornar em fevereiro. Damon deu a dica durante a primeira parte do painel dizendo que seria bom ir para casa às sextas-feiras e assisitir Lost. Bem, sejamos honestos. Para quem acompanha a série pela tv nos EUA, a possível iniciativa pode não render bons números de audiência, afinal sexta é um dia em que tradicionalmente boa parte do público sai para se divertir e etc, mas por outro lado, uma mudança de dia beneficiaria a imensa massa que acompanha a série pela internet mundo afora, já que as manhãs seguintes à vigílias não traria a obrigação de ir trabalhar ou estudar :p

Richard Alpert tem poucas chances de ser visto na próxima temporada graças ao novo compromisso de Nestor Carbonel com uma série nova do canal CBS. Essa sem dúvida foi a pior notícia do painel, afinal de contas, Alpert parecia assumir um papel preponderante para explicar quem são os nativos da Ilha. Torçamos para que acertos sejam feitos e que ele apareça em pelo menos 1 ou 2 episódios.

Alguém perguntou quem estava no caixão no final da temporada, e tanto Damon quanto Carlton não deram respostas mas pediram que Harold Perrineau (Michael) desse um palpite. Ele mencionou a nota do jornal e que ela falava sobre um filho adolescente deixado e que por isso ele assume que deve ser Locke que estava n ocaixão (embora ele tenha dito isso deum forma bastante sarcástica). Era óbvio que não entregariam a resposta desse mistério, mas sigo apostando que o defunto é alguém que sequer conhecemos ainda.

Perto do fim das Perguntas & Respostas, alguém perguntou sobre Libby e por que ela não foi mais vista ou mencionada e eles disseram que vão retomar a história dela nessa temporada. Então depois disso alguém perguntou se vamos ver um flashbacks de Danielle nessa temporada. E embora eles não tenham prometido nada nesse sentido, disseram que isso definitivamente vai acontecer se não nessa, na 5ª temporada, e a razão pela qual não podem prometer que isso vá ocorrer na próxima temporada é porque a história dela precisa ser sincronizada com algo que está acontecendo na Ilha; e não, eles não disseram o que é isso que está acontecendo. Tá aí algo que é esperado pelos fãs desde a 1ª temporada. É inegável que a francesa tem muita coisa para contar de seu passado e quem sabe de seu provável envolvimento com algum braço da Iniciativa Dharma.

Podemos aguardar novos podcasts e também outras informações sendo dadas no futuro próximo, mas não muita coisa.

Cerberus é o nome do monstro, mas ele tem outros nomes. Vamos descobir quem o criou e suas intenções mas a resposta que vamos ter pode não ser o que pensamos como resposta (eles compararam a revelação ao fato de descobrimos que o avião de brinquedo de Kate era o item que ela queria tirar daquela maleta). Muito estranho esse comentário deles. Duvido que a revelação sobre o mistério do Monstro seja sem sal. Aposto que é blefe da dupla para diminuir as expectativas e surpreender lá na frente.


Many Thanks to Andy for the video :)

E para fechar o evento, surge um vídeo clip vindo da cidade de Norvick na Noruega. Nesse filme vemos o ator conhecido por fazer o Dr Marvin Candle preparando-se em uma nova instalação de testes. Logo depois ele começa a falar sobre uma nova estação Dharma, a Orquídea. Ele se apresenta como Edward Hourwax, e diz que a Orquídea é a 6ª estação. O local não é um jardim botânico como os funcionários foram instruídos a falar para suas famílias quando as deixaram para trabalhar para a Dharma. O local na verdade, é uma nova instalação da Ilha onde propriedades incomuns estavam sendo usadas para provocar um efeito casimir *

*Segundo a Wikipedia, esse efeito provoca a formação das chamadas fendas que na teoria da física permitiriam viagens no tempo e espaço. Humm, muito bacana isso hein?! Mais uma das várias dicas de que o conceito de viagens no tempo vai ser de fato explorado dentro da trama, embora muita gente torça o nariz para isso.


O sujeito prossegue o discurso segurando um coelho marcado com o número 15 (parecido com aquele que Ben tinha). A partir daqui as coisas ficam esquisitas. Primeiro o filme pula duas vezes durante sua exibição. Na primeira vemos a frase “Jacob ama você” em uma fração de segundo e na segunda interrupção um gorila andando de bicicleta é mostrado também rapidamente. Durante esse período ouvimos um alarme semelhante àquele dos 4 minutos que antecediam a contagem final da escotilha Cisne. Em seguida temos uma panorâmica de outra área da sala e vemos um outro coelho aparecer magicamente em uma estante alta... e o coelho tem o número 15 marcado!

Não tenho certeza sobre o que essas coisas do vídeo significam, mas é tudo o que lembro dele.

Sobre o DVD, eles não mencionaram nenhum outro detalhe além de que ele será lançado no dia 11 de dexembro. Sobre os mobsódios, eles afirmaram que ainda estão trabalhando neles e esperam lançá-los antes do início da 4ª temporada. Eles serão disponibilizados pela operadora de telefonia Verison e pouco tempo depois serão disponibilizados online.

Ufa... Muita coisa legal sobre Lost na Comic Con ontem né? Que inveja de quem foi...

Traduções, adaptações e comentários por Davi Garcia

26/07/2007

A Ubisoft encontra Lost na Comic Con


Vídeo do game*



Por John Gaudiosi para o Game Daily
Tradução e adaptação por Davi Garcia

SAN DIEGO— A Ubisoft vai usar a maior convençao de revistas em quadrinhos do mundo para revelar o primeiro trailer do aguardado jogo de Lost. O trailer será mostrado como parte do painel da 4ª temporada de Lost que acontece hoje no final da tarde no Centro de Convenções de San Diego. Os Co-criadores e produtores executivos Carlton Cuse e Damon Lindelof vão discutir o que vém pela frente na nova temporada da série, bem como falar sobre o futuro lançamento do dvd da 3ª temporada da série e claro sobre o video game da série.

A Ubisoft também anunciou que o jogo – que terá versões para Xbox 360, Playstation 3 e PC – teve seu lançamento adiado para o 1º trimestre de 2008. Esse adiamento vai na verdade sincronizar a chegada do jogo às lojas com a estréia da nova temporada da série na ABC. Originalmente, o jogo estava previsto para ser lançado ainda neste 2º semestre próximo à chegada do dvd da 3ª temporada.

Os membros do time de desenvolvimento do jogo de Lost na Ubisoft, famoso estúdio de Montreal, estiveram em Los Angeles na 4ª feira para mostrar aos executivos da ABC e membros do time de produção da série, a quantas anda o jogo que vai explorar uma nova aventura dentro do universo de Lost.

Helene Juguet, diretora de marketing da Ubisoft, disse que o time de desenvolvimento tem trabalhado com muita proximidade dos Estúdios da ABC e dos produtores da série para criar uma história desafiadora que tenha o mesmo tom de mistério, aventura e intensidade que os fãs da série já se acostumaram a esperar da marca Lost.

“O senso de aventura e suspense que buscamos na série também existe no video game de Lost”, disseram Lindelof e Cuse. “A Ubisoft tem feito um trabalho fantástico e construiu um jogo que é visualmente incrível e imaginativo tanto individualmente como uma extensão do mundo da série”.

Os jogadores vão assumir o papel de um passageiro do fatídico vôo Oceanic 815 que sobrevive ao acidente e se vê preso na isolada ilha do Oceano Pacífico. À medida em que o jogador começa a descobrir os mistérios da ilha, novos segredos sobre sua personalidade são reveladas. Os jogadores terão que entender os erros do passado de seu personagem para sobreviver e encontrar um caminho de voltar para casa.

O jogo vai incorporar cenários conhecidos e vai mostrar vários dos personagens principais da série. A jogabilidade envolverá a resolução de quebra cabeças, suplantar inimigos, encarar o monstro de fumaça, e encarar vários outros desafios para sobreviver na ilha e finalmente sair dela vivo.

“Estamos muito empolgados de poder trabalhar com a Ubisoft no desenvolvimento de um jogo que captura a mesma aura de surpresa e segredo como acontece em Lost”, disse Bruce Gersh, vice presidente de desenvolvimento de negócios da ABC Entretenimento e dos Estúdios ABC. “A série tem uma audiência fiel, e nós estamos muito felizes de poder dar a esses fãs uma maneira adicional de interagir e envolver-se com seus personagens favoritos”.

Embora este seja o 1º jogo de console baseado em Lost, a Gameloft lançou um jogo para telefones celulares e iPod, Lost: O Jogo Móvel, baseado na série. No meio do ano passado, os criadores da série trabalharam com a ABC em um jogo viral online que explorava uma história original que se conectava com a 2ª e 3ª temporadas da série. O Lost Experience não proporcionava uma jogabilidade tradicional, mas em seu lugar requiria muita pesquisa na internet, tv e um trabalho quase de detetive para juntar as peças da intrigante história.

*-*-*-*-*-*

Tá aí, gostei de saber os detalhes de como será esse jogo e se antes não estava muito empolgado, já posso dizer que estou curiosíssimo para ver o trailer dessa brincadeira e aguardar seu lançamento. Mais alguém aí já vai reservar uma grana extra para por as mãos no jogo?

UPDATE de 20h!

Agora que já vimos o trailer ali no início do post, posso realmente afirmar: Esse jogo vai ser do C@&%$! :p

*Segundo os sites Darkufo e The Tail Section, esse é o verdadeiro vídeo do game.

25/07/2007

Confirmado: Michael de volta a Lost

Fãs da família Dawson respirem aliviados. Steve McPherson, ninguém menos que o presidente da rede de tv ABC, confirmou hoje que o ator Harold Perrineau enfim assinou contrato para retornar na 4ª temporada de Lost dando continuidade à história de Michael. A notícia representa um alívio para os fãs que esperavam ver a resolução da história de pai e filho interrompida com a partida de barco que encerrava a 2ª temporada. Os indícios para que Michael e Walt retornassem já haviam sido dados no derradeiro episódio da 3ª temporada, “Throgh the Looking Glass”, mas a dúvida sobre como iremos vê-los na nova temporada que estréia em 2008 ainda permanece viva. Será que aquela rápida aparição de Walt significa que também Michael está na Ilha, ou será que a aparição do garoto é fruto de um estranho e misterioso dom possuído por ele? Com a certeza de que um navio dirige-se à Ilha, será que descobriremos que a dupla fora interceptada antes mesmo de chegar em terra firme? E se chegaram, iremos ver um reencontro com Jack e Kate? Hipóteses, especulações e afins não faltam, mas uma certeza existe: Ouviremos muitos gritos de “Waaallllllttttt” no ano que vém :)


*-*-*-*-*-*


Ansioso para colocar as mãos na 3ª temporada em dvd no fim do ano? Pois então prepare-se para coçar o bolso se quiser ver cada detalhe em resolução ainda mais alta e com qualidade de aúdio também superior. Segundo dica do DarkUfo, a Amazon anuncia a pré-venda do box também no formato Blu-Ray ( a tecnologia que promete substituir o dvd convencional) a $87 dólares.

Por Davi Garcia

Lost tem mais um produtor executivo

Fonte: Buddy TV
Tradução: Carolina Menescal



Diretor de Lost e favorito dos fãs, Stephen Williams renovou seu contrato para trabalhar na série até o seu fim e ainda ganhou um novo título. O diretor de 12 dos episódios mais importantes de Lost subiu para o posto de co-produtor executivo da série. O novo acordo significa que Williams vai continuar a exercer sua mágica direção à série até o seu final que vai ao ar em 2010.

Williams se juntou a Lost como diretor nos episódios "All the best cowboys have daddy issues" e "Do no harm". Depois se afastou um pouco para voltar a produção na segunda temporada como produtor e dirigiu outros sete episódios incluindo os favoritos dos fãs "One of them" que apresentou pela primeira vez o personagem Henry Gale (Michael Emerson) e "Lockdown" que revelou um dos maiores easter eggs de Lost o mapa na porta de isolamento.

Os fãs podem agradecer a Williams por ter se livrado de Paulo (Rodrigo Santoro) e Nikki (Kiele Sanchez) no episódio "Exposé", no qual os dois foram simbolicamente enterrados vivos. Alguns fãs consideraram o episódio tão criativo que merece até uma reverência por parte deles.

Ao todo, Williams dirigiu até hoje 16 episódios de Lost somente cinco a menos que seu companheiro de produção o co-produtor executivo e diretor, Jack Bender. O mais recente foi episódio tocante "Greatest Hits" que prenunciou a morte de Charlie (Dominic Monaghan).

Antes de se juntar à produção de Lost, Williams trabalhou com um dos atuais produtores executivos de Lost, Damon Lindelof, em Crossing Jordan. Nessa série, Williams era o diretor e Lindelof, junto com o atual produtor de Heroes, Tim Kring, era escritor e co-produtor.

22/07/2007

Rumores sobre o elenco da 4° temporada

O sempre muito bem informado Darkufo publicou alguns rumores mais do que interessantes sobre a possível escalação de atores para a próxima temporada. Segundo as fontes dele na ABC:

1) Harold Perrineau (Michael) e Malcolm David Kelley (Walt) estão praticamente certos na próxima temporada. Como já postamos aqui no Dude, Perrineau só não voltou a interpretar Michael por questões salariais, já que o piloto da sua nova série não foi aprovado.

2) A produção de Lost teria convidado nada mais, nada menos do que o vencedor do Oscar (e de outros prêmios importantes) Forest Whitaker, para participar dos dois primeiros episódios da quarta temporada.

3) E para os fãs de Prison Break, Peter Stormare (John Abruzzi) está cotadíssimo para entrar para a única vaga no elenco fixo da série nesta temporada!!!


Por Juliana Ramanzini
Fonte: Darkufo (Lost Rumores)

21/07/2007

Evi & Dom na Nova Zelândia

Fonte: The New Zealand Herald
Tradução: Carolina Menescal


A estrela de TV Evangeline Lilly planeja curtir sua viagem para a Nova Zelândia seguindo os verdadeiros costumes do país - bebendo cerveja com os moradores locais. A atriz canadense, que interpreta a Kate na série de sucesso Lost, chegou quinta-feira à noite em Auckland com o seu namorado e ex-companheiro de elenco Dominic Monaghan (O personagem Charlie foi morto no final da 3ª temporada).

O casal se manteve discreto, dando algumas entrevistas antes de irem para a Ilha de Waiheke. Hoje eles embarcam numa viagem de férias ao redor do país. Lilly foi reservada em relação aos detalhes da viagem, mas acredita-se que o casal vai visitar Wellington e Queenstown e lugares onde Monaghan passou um bom tempo rodando Senhor dos Anéis, no qual ele interpretou um hobbit.

"Espero não fazer muitos passeios turísticos", Lilly disse. "Eu preferiria encontrar um cantinho para mim, encontrar uma pequena cidade ou cabana... beber cerveja com os moradores locais, andar pelas fazendas, colher algumas flores, escrever, ler, ficar na minha. Isso é tudo que eu preciso aqui. É o que estou procurando." "Se eu estivesse no Egito ou na Índia eu acho que eu iria querer fazer muitos passeios turísticos e ver as paisagens. Aqui, é mais coisa de absorver o espírito e a alma desse lugar..."

Lilly, que faz 28 anos no dia 3 de Agosto, disse que quis conhecer a Nova Zelândia desde que teve aula com um professor nativo do país quando ela tinha 14 anos. "Ele foi para casa no Natal e trouxe muitas fotos e mostrou para a gente, nos contou tudo sobre o seu país. Eu me apaixonei. Eu jurei naquele dia que eu iria me mudar para cá e criar meus filhos na Nova Zelândia."

Lilly volta para o Havaí mês que vem para gravar a 4ª Temporada de Lost, que volta a ser transmitida no começo do ano que vem na Nova Zelândia, nos Estados Unidos e no Canadá.

*Na foto: Evangeline Lilly, que interpreta Kate na série de TV Lost, saindo do Hotel Hilton em Auckland, em 21 de julho.

Nestor Carbonell em nova série da CBS

Fonte: Por Allan Sepinwall (The Star Ledger)
Tradução: Carolina Menescal



Toda vez que um ator que tem papel fixo em uma série popular se junta ao elenco de uma nova série surge a pergunta se eles terão a chance de aparecer de tempos em tempos no seu antigp trabalho. Inevitavelmente, a resposta é "eu estou muito feliz de estar aqui nessa nova série, mas se uma oportunidade de visitar meus antigos companheiros surgir, eu gostaria de agarrá-la". Esse tipo de reencontro não acontece até a nova série ser cancelada (o que por enquanto não é o caso), principalmente se elas estão em canais diferentes.

Nestor Carbonell, que interpretou Richard Alpert, o aparentemente imortal membro dos Outros, na última temporada de Lost, é agora é um dos atores fixos da série da CBS "Cane", que homanageia "O Poderoso Chefão", e que o tem como o personagem Sonny Corleone, numa família de magnatas do rum e do açúcar. Então, eu perguntei se ele poderia voltar a Lost, nem que fosse apenas para resolver o mistério do rosto bem conservado de Richard. E o personagem dele em "Cane" irá envelhecer? "Você provavelmente saberia responder essa segunda pergunta melhor do que eu", Carbonell riu.

O produtor de "Cane", Jonathan Prince, reconhece que é bom para série como forma de divulgação ter seus atores aparecendo em outros programas populares, seja um papel pequeno em "Batman" ou dando um pulinho rápido em "Lost" para uma rápida participação especial. Porém, a decisão final estaria nas mãos do canal de TV.

Por isso, fui atrás de quem realmente decide, a presidente de entretenimento da CBS Nina Tassler, e perguntei se ela deixaria Carbonell fazer uma participação especial, se os produtores de Lost pedissem.

"Provavelmente não", ela disse, afirmando que eles estão tentando lançar uma nova série e um novo personagem e ela acha que ver Carbonell interpretando diferentes personagens em duas séries também distintas de uma vez só iria confundir o público. A pergunta que foi deixada sem resposta (e também não foi perguntada) foi a seguinte: iria Tassler considerar isso confuso se Lost também fosse uma série da CBS?

20/07/2007

Bring me The Man from Tallahassee...

.... Enquanto isso eu faço sala pro pessoal do Emmy.



Tirando aqueles seres estranhos que abominam a existência de Lost desde o começo de sua trajetória, não há quem ouse dizer que o programa não mereceu ganhar o Emmy de melhor série dramática em 2005. Foi (deliciosamente) espantoso ver a Academia dar o braço a torcer, dedicando seu prêmio máximo a um seriado ainda em sua primeira temporada. De uns tempos pra cá, é costume do Emmy demorar a reconhecer os méritos dos melhores programas da TV. Bom exemplo desta tese é o fato de 24 Horas só ter levado o troféu em sua quinta temporada, que, embora tenha sido um tanto corajosa, não fazia frente aos primeiros anos da série. O efeito-dominó fez com que Grey's Anatomy não tenha saído vitorioso quando vivia seu melhor momento, o que pode levar a série a ganhar em melhor drama esse ano, quando já não faz por merecer. Isso se não resolverem homenagear (com muita justiça) a recém-falecida The Sopranos, adiando ainda mais o reconhecimento dos médicos tarados de Seattle. Não que o Emmy costume premiar shows já cancelados... Mas vamos voltar ao que interessa: por que tanto carinho com Lost no primeiro ano e uma esnobada tão forte desde então?

Antes fossem os erros de produtores e roteiristas que tivessem causado a reação desfavorável nos acadêmicos. Lost viveu altos e baixos na segunda temporada e começou a terceira muito abaixo da média, mas a razão de suas não-indicações não se deve à simples questão dos votantes não levarem em consideração o fato do programa voltar a viver grandes momentos no desfecho
desse terceiro ano. O mais provável é que a forma de disputa esteja provocando os tropeços. Para chegar aos cinco indicados de melhor série, os programas inscritos passam por duas fases de corte. Na primeira, dez sobrevivem. Na segunda, chega-se à lista final. Para ter direito a voto, o acadêmico assiste a um episódio de cada uma das séries que ainda estão na disputa. Os dez episódios são exibidos na seqüência, em dois dias. No segundo dia, a ordem sorteada previamente é invertida.

Quem escolhe o episódio de cada programa, são os produtores dela. No caso de Lost, a escolha foi pelo final da temporada, "Through the Looking Glass". Para nós que acompanhamos o seriado, foi ótimo. Especialmente para quem resistiu (e desviou) dos spoilers e tomou um belo tapa na cara com a revelação do flashback que foi sem nunca ter sido. Mas coloque-se na posição de alguém que vê Lost esporadicamente. Pior ainda, calcule que você tenha sido informado do final, jogando por terra metade do efeito-surpresa. Você não sabe direito quem é aquele cara de olhos esbugalhados, você não aprendeu a amar odiá-lo ou odiar amá-lo. Você não acha nada demais em ver o careca da cicatriz sendo incentivado a levantar de uma cova por um adolescente (que
para nós ainda é criança, até prova em contrário). Talvez nem fique bem claro pra você o porquê do roqueiro-hobitt estar tão determinado a morrer, confiando nos delírios mediúnicos do cara com forte sotaque escocês.

Faltou jogar com o regulamento debaixo do braço. Nem sempre o melhor episódio na opinião dos fãs e de quem está envolvido no projeto é o mais indicado. Não se trata em jogar com três volantes e mandar o futebol-arte pro espaço, apenas de estudar o adversário. Melhor escolha teria sido a de "The Man From Tallahassee", um episódio centrado em cenas dos dois melhores
atores da trama (com alguns muitos hectares de distância dos demais), com diálogos inteligentes e trama facilmente compreensível por um "leigo". Além disso, não é um episódio duplo. Para quem gosta da série, quanto mais tempo de duração, melhor. Para quem está sendo submetido a uma maratona televisiva, isso pode causar uma certa impaciência.

Tirando The Sopranos, que por sua história no Emmy está quase acima do bem e do mal, as demais séries indicadas apostaram no que lhes é seguro. House não indicou seu melhor episódio na temporada, mas o escolhido tem começo, meio e fim, deixando claro qual é a de cada personagem (e engana-se feio quem acha que Houset é formulaico como os CSIs da vida só pelo simples fato de só conseguirem descobrir a doença da vez no final do programa). Heroes fez o
costumeiro e jogou seu piloto na disputa. Personagens apresentados com tranqüilidade. Conseguiram a indicação, mesmo o episódio de estréia da série seja bem fraquinho, com direito a efeitos risíveis. Grey's Anatomy apostou no seu único episódio-estrondo (pra quem vê a série, uma referência ao famoso episódio da bomba, que foi ao ar depois do Superbowl e alavancou
série de vez para o estrelato) bem sucedido, seguindo a fórmula que já vinha dando resultado na "fase eliminatória" do Emmy. O caso de Boston Legal, a grande supresa entre os indicados (em grande parte porque é uma comédia com toques dramáticos, e não o inverso) já é um pouco diferente. O episódio apresentado aos votantes era relacionado aos desdobramentos do furacão
Katrina, falando mais alto ao coração do público americano.

A verdade é que em 2006 Lost tinha de se conformar em ficar fora da lista final, parte em função de seus próprios erros, parte em função de que a maioria de seus concorrentes viviam momentos mais sólidos. Mas em 2007, cabia uma indicação sim. The Sopranos teve uma temporada muito elogiada, mas um pouco ofuscada pelas críticas pesadas ao seu episódio final (pra se ter uma idéia, o site da HBO saiu do ar de tanta gente soltando as feras a respeito disso). De qualquer forma, é a candidata veterana e em despedida, jamais ia ficar de fora. Heroes foi bem regular, amarrou bem a maioria de suas pontas (Lost teve uma estréia muito superior, embora muita gente já tenha esquecido) mas também teve seu final esculhambado. O que não
atrapalhou muito, já que a série é o fenômeno pop do momento (embora na minha opinião não seja para tanto). Completando a lista das mais sólidas, House manteve seu nível, cresceu em audiência e isso a credenciou a uma vaga. Para mim é o programa mais inteligente e estável da TV americana.

Será que Lost deixou a dever aos demais concorrentes? Não precisa ser muito mesquinho para apontar a queda de rendimento de Grey's Anatomy e a verdadeira despencada de qualidade de 24 Horas, tradicionais rivais de Lost. Das séries estreantes, só mesmo Dexter pode bater no peito e dizer que deixou Lost para trás. Mas essa foi ainda mais esnobada, não tendo nem seu
protagonista, o ótimo Michael C. Hall indicado a melhor ator. Resumo da ópera: Lost tinha sim lugar entre as cinco melhores séries dramáticas da temporada 2006-2007. Mais pelos seus altos, que continuam sendo muito altos. E, claro, descontando os seus baixos, que cada vez assustam mais (que o diga o horroroso flashback de Jack empinando pipa e fazendo tatuagem no Oriente). Talvez o caso tenha sido de pura e simples falta de visão na escolha do episódio mandado ao ringue .

Ao menos os dois maiores merecedores de indicação foram agraciados. Michael Emerson e Terry O'Quinn (esse em escala menor, por seu personagem ter vivido momentos incoerentes ao longo da temporada) estão seguramente entre os cinco profissionais mais brilhantes da TV americana. Foram indicados a coadjuvantes, porque assim foram inscritos. Mas dada sua importância para a
trama, poderiam até brigar por uma vaga entre os protagonistas. Aliás, tirando a inclusão meramente pop de Masi Oka (o simpático e correto, mas nada espetacular Hiro Nakamura de Heroes), a categoria foi a mais bem definida da premiação. Concorrem com eles Michael Imperioli (que pode ser beneficiado por ter sua última chance de voltar a ser premiado pelo seu
Christopher Moltissanti em The Sopranos), T. R. Knight (o George O'Malley de Grey's Anatomy, que merecia uma nomeação em 2006, mas apareceu mais em páginas de fofoca do que com boas atuações da última temporada do seriado) e William Shatner (o impagável Denny Crane de Boston Legal... que cairia melhor ainda nos indicados a coadjuvante de série cômica, claro). Se ficamos felizes por vermos dois membros do elenco de Lost tendo seus trabalhos reconhecidos e dividindo indicações na mesma categoria, é preocupante que um tire votos do outro na contagem final.

Que vença o melhor. Ou simplesmente Michael Emerson.

Quem ficou de fora mais uma vez foi Matthew Fox, que continua queridinho no Golden Globe, mas já pelo segundo ano foi esquecido pelo Emmy. Sem dúvidas ele faz um bom trabalho, mas seu personagem é um tanto cansativo, ficando difícil para que ele concorra com personagens adorados, todos anti-heróis, vividos por atores de muito mais gabarito: James Gandolfini em The Sopranos, Hugh Laurie em House e James Spader em Boston Legal. A ovelha negra da turma é Denis Leary, o bombeiro de Rescue Me, que, num mundo perfeito, deveria ter dado vaga ao protagonista de Dexter. Sendo assim, não é nenhum absurdo deixar Fox de fora. É inclusive um mérito.

Também em comparação com o Golden Globe, outra bola dentro do Emmy (e que fique claro que eu detesto alguns conservadorismos insistentes da Academia de TV) foi não cair na tentação de indicar Evangeline Lilly, só pra deixar a cerimônia mais bonita. Chamem ela pra apresentar um prêmio e todos nós ficamos contentes. Em compensação, penso que Elizabeth Mitchell tinha vaga entre as atrizes coadjuvantes. Infelizmente acabou atropelada pelas igualmente boas profissionais de Grey's Anatomy e The Sopranos, que atacaram em grupo, papando 5 dos 6 postos. Também ficou para depois o reconhecimento da inegável melhora do trabalho de Josh Holloway. Mas se o japonês conseguiu, por que não ele?

Comparando com outras séries, Lost teve um desempenho relativamente discreto nas categorias técnicas. Se considerarmos o nível quase cinematográfico do programa, fica a certeza de que merecia mais. De qualquer forma, volta a ser lembrado nas mais importantes, em direção e roteiro. Em direção o páreo é duríssimo, com outros bons trabalhos concorrendo. Em roteiro, os votos dos 3 The Sopranos indicados podem se dividir e o caminho ficar aberto para "Through the Looking Class" sair vencedor. No entanto, se Battlestar Gallactica colocar esse troféu na estante... esqueça o papo do regulamento debaixo do braço. É mesmo uma retumbante implicância dos acadêmicos para com os sobreviventes do vôo 815, brotha. Ou dude, como preferirem.


Por Ricardo Henriques

19/07/2007

Lost no Emmy 2007. Nova esnobada?

Foram divulgadas, na manhã desta quinta-feira, as indicações para o Emmy 2007, o chamado Oscar da tv. Para desapontamento dos milhares de fãs de Lost, a série voltou a ser esnobada pela Academia de Televisão Artes e Ciências e ficou de fora da disputa pelo Emmy de melhor série dramática, mesmo depois de uma temporada que terminou muito elogiada tanto pelo público quanto pela crítica.

As indicações de House, Sopranos e Grey's Anatomy me parecem justíssimas, mas o mesmo já não posso dizer sobre Heroes (que teve uma temporada de estréia boa mas irregular) e sobretudo Boston Legal. Acho que Lost merecia uma vaguinha nessa lista junto com Dexter, outra série fantástica e que foi solenemente esnobada nas categorias principais. Mas tudo bem, nós fãs da série sabemos que a temporada de Lost é digna de todo o reconhecimento que se não virá na categoria de melhor série pode vir nas categorias que você confere abaixo com meus respectivos palpites e comentários.



Melhor Direção para Série Dramática
(Série Indicada / Episódio / Diretor)

Battlestar Galactica • Exodus, Part 2 • Felix Alcala

Boston Legal • Son of the Defender • Bill D’Elia

Friday Night Lights • Pilot • Peter Berg

Heroes • Genesis • David Semel

Lost • Through the Looking Glass • Jack Bender

The Sopranos • Kennedy And Heidi • Alan Taylor

Studio 60 On The Sunset Strip • Pilot • Thomas Schlamme


Nessa categoria não dá para negar que o principal concorrente na disputa é Sopranos, mas não se pode ignorar o episódio de estréia da elogiada mas já cancelada Studio 60. Palpite? Jack Bender leva o prêmio para a Ilha mais famosa da tv.


Melhor Edição de câmera individual para Série Dramática
(Série Indicada / Episódio )

Dexter • Dexter

Heroes • Genesis

Lost • Through The Looking Glass

The Sopranos • Soprano Home Movies

The Sopranos • The Second Coming


Sopranos mais uma vez pode ser a pedra no sapato dessa categoria, mas o fato de ter duas indicações pode dividir votos que favoreceriam Lost e quem sabe até mesmo Dexter. Não creio que Heroes tenha chance aqui. Palpite? Lost, claro.


Melhor Edição de som
(Série Indicada / Episódio )

24 Horas • 10:00 PM - 11:00 PM

Battlestar Galactica • Exodus, Part 2

CSI: Miami • No Man's Land

ER • Bloodline

Lost • A Tale Of Two Cities

Smallville • Zod


Categoria técnica geralmente é quase sempre barbada. Resta torcer para que os efeitos sonoros daquela cena da queda do avião vista pelos Outros na vila renda um prêmio a Lost, embora devo admitir ache improvável. Palpite? Battlestar Galactica leva.


Melhor Ator Coadjuvante para Série Dramática
(Série Indicada / Ator )

Boston Legal • William Shatner, William Shatner como Denny Crane

Grey's Anatomy • T.R Knight, T.R. Knight como George

Heroes • Masi Oka, Masi Oka como Hiro Nakamura

Lost • Terry O'Quinn, Terry O'Quinn como John Locke

Lost • Michael Emerson, Michael Emerson como Ben

The Sopranos • Michael Imperioli, Michael Imperioli como Christopher Moltisanti


Ótimo ver que os dois melhores atores de Lost foram indicados, mas é uma pena que seja na mesma categoria, algo que pode dividir os votos. Minha torcida vai para o Michael Emerson, embora não descarte todo o lobby para Willian Shatner. Palpite? Michael Emerson fatura.


Melhor Roteiro para Série Dramática
(Série Indicada / Episódio )

Battlestar Galactica • Occupation/Precipice

Lost • Through The Looking Glass

The Sopranos • Kennedy And Heidi

The Sopranos • The Second Coming

The Sopranos • Made In America


Podem escrever aí. Essa categoria vai ser barbada para Lost. Embora Sopranos tenha respresentantes fortes vai se dar mal na divisão de votos. Palpite? Carlton Cuse e Damon Lindelof terão mais um prêmio para colocar em seus escritórios de produção.

E aí, vai ficar na torcida? Achou injusto a não indicação à melhor série? Divida conosco seus palpites. A cerimônia do Emmy 2007 acontece no dia 16 de Setembro.

Por Davi Garcia

17/07/2007

Acesso ao Dude

Galera, só para avisar que o domínio www.dudewearelost.com.br está temporariamente fora do ar! Por enquanto, só dá para acessar o blog pelo endereço original, o www.dudewearelost.blogspot.com! Quem puder, pedimos a gentileza de repassar o aviso...

Um abraço,

Juliana

Fotos de Evangeline Lilly no Set de Afterwards

Evangeline Lilly está se preparando para sua estréia na telona. Algumas fotinhos do set de filmagem de Afterwards para nos distrair enquanto não surgem novidades da nova temporada de Lost. Quer saber mais sobre o novo trabalho de Evie? Clique aqui.
Por Juliana Ramanzini

Fonte: Lost Forum
*Dica da leitora Helene! :)

13/07/2007

Nunca é tarde para ser fisgado por Lost

O texto abaixo não é direcionado exatamente a quem já é fã da série e sim aos que não a acompanham por algum motivo, portanto se você tem um amigo ou parente que sempre ficou em dúvida se vale a pena ou não começar a acompanhar a série, a dica é o que está abaixo...



Ao longo das próximas semanas uma enxurrada de informações relacionadas a Lost vai empolgar os fãs, e atrair os (ainda) não convertidos. E o desejo de conhecer a série pode surgir do seguinte fato: aqueles que não a conhecem, tem 3 temporadas de história para se atualizarem caso decidam embarcar no mágico e misterioso trem rumo à ilha da aventura. Uma missão intimidante com certeza, mas talvez desnecessária. Se seu medo de juntar-se à jornada de Lost deve-se ao fato de que você possa talvez ficar uhh... ‘perdido’, não se desespere. Carimbar sua passage pode ser menos doloroso do que você imagina.


Uma das razões pelas quais as emissoras de tv favoreceram séries que tem episódios que funcionam de forma isolada em vez daquelas com histórias contínuas é o fator atração de público. Quanto mais longa fica a histórias, mas os fãs perdem interesse, e poucas pessoas vão embarcar em uma história em que estão muito atrasados. O fator determinante em ambos os casos parece ser o fato de que as redes normalmente não planejam um final para essas séries quando as lançam. Eles as exibirão até o lucro se esvair e então as tiram do ar dando ou não um encerramento adequado.


O impacto dessa realidade em Lost sempre foi um obstáculo para o time criativo. Eles tiveram que trabalhar com perfeição para encontrar o balanceamento certo para revelar apenas o suficiente sobre o que está acontecendo sem entregar demais a história tirando o gás para as próximas temporadas que virão. Enquanto esse jogo de morde e assopra tornou-se um pouco frustrante para os fãs mais radicais, é fato que ele também criou uma excelente oportunidade para todos que pensaram dar uma chance à série mas que ficaram afastados em virtude do parecia ser uma exposição massiva e até exagerada.


Na realidade, as três primeiras temporadas (tirando a metade final da 3ª) foram aperitivos. Certamente houve momentos significantes na história, mas foram mais relacionados à grandes revelações de personagens e não do grande arco de mistérios da ilha. Isso no entanto, está para mudar.


Agora que Lost tem de fato uma data para terminar a história vai começar a desenvolver um imperativo definitivo episódio a episódio. Se o objetivo antes era manter as coisas interessantes sem entregar demais, Lost tem agora mais 48 episódios restantes antes de sua conclusão definitiva, e cada um deles vai representar algum grau de revelação. Os mistérios, claro,continuarão complexos, mas junto deles virá também um maior senso do que está acontecendo.


Então por enquanto, pelo menos nos sete próximos meses ou algo assim, ainda é relativamente fácil atualizar-se em Lost. Claramente há tempo suficiente para assistir tudo o que aconteceu até agora, mas se isso parecer demais você pode pensar na alternativa de procurar um desses livros (a maioria importada) que exploram as temporadas e são conhecidos como facilitadores para os novatos.


Portanto se você ainda tem o desejo, mas ainda não deu o primeiro passo rumo ao mundo de Lost, confie nos seus instintos jovem Padawan. A ilha o aguarda.


Por Jon Lachonis para o BuddyTV

Traduzido e adaptado por Davi Garcia

12/07/2007

Entrevista: William Mapother, de Lost

Fonte: Buddy TV

Tradução e Adaptação: Carolina Menescal



De todos os mistérios relacionados ao monstruoso sucesso da ABC, um que talvez nunca seja revelado é como alguém tão legal e engajado como William Mapother pode interpretar um personagem tão falso e às vezes assustador como Ethan Rom na série. Claro, as poucas vezes que vimos Ethan nos flashbacks de Juliet talvez tenham tornado sua imagem um pouco mais agradável. Mas existem poucos fãs de Lost por aí que irão esquecer o momento no final de "Raised by Another" quando Hurley conta para Jack que existe uma pessoa cujo nome não está na lista de passageiros - então corta para Ethan com Charlie e Claire. Yikes!

O BuddyTV teve a opotunidade de conversar com William Mapother em sua "própria pele", em vez de na pele de Ethan. Na entrevista, ele fala sobre como começou a atuar, como conseguiu o papel de Ethan e também conta um pouco sobre a nova série K-Ville que será lançado pela Fox no próximo outono (nos Estados Unidos) e onde tem um papel no episódio piloto.

Eu acho que a minha primeira pergunta é uma pergunta "no começo" - quando você começou a atuar? Era algo que você sempre quis fazer? Ou aconteceu por acidente?


Eu sempre fui interessado em filmes e minhas ex-namoradas que eu tenho encontrado na rua têm me falado que na época da escola e de faculdade eu costumava arrastá-las para toda a tela que eu pudesse. Eu sempre imaginei que estaria escrevendo ou dirigindo, o que eu ainda sou muito interessado em fazer. Mas eu tive algumas aulas de teatro logo depois de terminar a faculdade e acabei dando aula em escolas. E depois voltei para o verdadeiro perímetro dessa indústria. Me mudei para Nova Iorque por um tempo e tive algumas aulas de teatro lá. E atuar se mostrou ser bem mais interessante e difícil e intelectualmente desafiador que eu esperava. Então, eu voltei para Los Angeles e fui fazer um curso de dois anos e estou atuando desde então.

Você tem feito muitos papéis tanto em televisão como no cinema. Você prefere trabalhar na televisão ou em filmes? Ou é tudo basicamente atuar para você?

Bem, até agora é tudo sobre atuar. Não existe um objetivo certo envolvido. Mas, eles não são exatamente iguais. Cada um tem suas vantagens e desvantagens. E o que eu sinto sobre eles é o que muitos atores sentem também - veja, eu vou atrás da onde os trabalhos estão e da onde os bons papéis estão. Então, eu não necessariamente demonstro ter preferência em um mais do que no outro. Cinema tem a vantagem de permitir que você, geralmente, possa mergulhar mais profundamente em um personagem e ter mais oportunidades de repetir mais vezes os takes, porque você tem mais tempo. Televisão tem a vantagem de permitir que o seu trabalho apareça mais cedo, porque às vezes certos filmes podem ir para a gaveta ou demorar anos para serem lançados. E, fazendo televisão, você tem a opotunidade de explorar um grande número de diferentes papéis, porque papéis em filmes são raros e demoram mais tempo para aparecer.

Agora, como você conseguiu o papel de Ethan [Rom em Lost]?

Essa é uma história interessante. No outono de 2004, organizei uma reunião com uns amigos da época de faculdade para jogarmos juntos e nos encontrarmos como eu fazia quase todo o ano, mas eu não pude ir na reunião do ano anterior, então, eles me falaram "Você conseguirá vir dessa vez?" e eu disse "Claro que sim. Eu arranjei o lugar e organizei para que todos pudessem ir. Eu com certeza estarei lá."Então, numa quinta-feira eu teria que pegar um avião para ir para Chicago e encontrar todos os meus amigos. No entanto, na quarta de manhã minha agente me ligou e disse "eu tenho uma oferta de trabalho para você em dois episódios de Lost" e eu disse "eu nunca ouvi falar nisso". Ela disse "Estréia hoje à noite". Eu disse: "Eu realmente não quero". Daí ela disse, "estou te falando, parece ser muito bom". Eu não podia dispensar essa oportunidade de trabalho, então eu tive que passar toda a tarde de quarta ligando para os meus amigos e contando para eles que eu teria que aceitar esse trabalho. E claro, recebi todos os tipos de insultos possíveis.Assim, na manhã seguinte, em vez de pegar um avião para Chicago, eu fui para Honolulu, no Havaí. Minha agente me apresentou para o diretor de elenco e para o J.J. [Abrams], que rapidamente me reconheceu pelo meu trabalho em In the Bedroom, um filme que eu faço parte e que havia sido lançado uns dois anos antes e disse: "Esse é o cara perfeito. Esse é o Ethan. Traga-o para a série". Então, eu tive sorte de ter essa oferta para fazer dois episódios em Lost e as coisas aconteceram a partir disso. Quando eu entrei no avião na manhã seguinte, Lost havia estreado na noite anterior e acabou se tornando um grande sucesso. Estava em todos os jornais e já era um favorito cult. Eu tive muita sorte - embarquei no trem na hora certa.

Na hora perfeita. Existe alguma revelação sobre o Ethan desde a primeira vez que você o interpretou que te surpreendeu? Coisas como você o interpretou pela primeira vez e então depois você voltou e descobriu que você era um médico.

Eu não sabia que o Ethan era um cirurgião. Essa foi uma surpresa para mim. E também as aparições pós-morte provavelmente. Com certeza, obviamente me surpreendi. Quando comecei não sabia nada sobre os Outros ou sobre a Dharma, e não fazia idéia de que eu estaria participando na hora que recrutaram Juliet. Essas coisas eu não fazia nem idéia, e eu acredito que nenhum dos outros atores faziam.Você deveria perguntar ao Damon [Lindelof] e ao Carlton [Cuse] e todos os outros escritores o quanto eles mesmos sabiam sobre isso. Eles sabem a direção que eles tem que tomar, mas como eles vão chegar lá é algo que eles...

Executam no meio do caminho?

Executam no meio do caminho, exatamente.

Você tem conseguido assistir [Lost] regularmente?

Com certeza. Eu sou um grande fã. E essa é a parte divertida para mim em relação à série. Não é sempre o caso, quando um ator é fã de uma série que esteja participando. Então, enquanto é divertido, ao mesmo tempo é um pouquinho estranho para mim. Afinal, estou participando de algo, ajudando a criar algo, mas também curto muito isso como telespectador. Por exemplo, ao me ver na tela em um episódio, eu ajo mais ou menos assim "Saia daí, Mapother! Vamos deixar os outros caras fazerem o trabalho deles para que você possa curtir a série!"

"Onde está o Hurley? Eu não quero ver o Ethan!"


Exatamente. "Vamos para a ação!" É assim que eu me sinto quando meu personagem aparece em cena. De certa forma ele se intromete no meu lado fã. É algo muito engraçado assistir um episódio que eu esteja. Eu me encolho, vibro e grito. É bem divertido.

Então, você assistiu o último episódio da 3ª Temporada?

Oh com certeza!


Toda essa coisa de "flash-forward" te deixou maluco?

Bem, me surpreendeu, assim como surpreendeu várias pessoas. Eu não tinha nem idéia que isso aconteceria. Eu estou tão interessado quanto qualquer um em saber para onde isso tudo está indo.

Você acha que a morte do Charlie teve de certa forma a ver como uma espécie de "justiça da ilha" porque ele matou o seu personagem?

Ah isso é cruel. Eu juro para você que isso nunca tinha passado pela minha cabeça.

Ah, mas passou agora!


Mas isso significa que - nós vimos Sawyer matar duas pessoas a sangue frio. Isso significa que daqui a duas temporadas nós iremos perder o Sawyer?

Eu só pensei que - Dominic [Monaghan] saiu de Senhor dos Anéis e entrou em Lost. Ele tinha sua própria base de fãs. Então, existiu o "enforcando o hobbit" - que foi o que você fez.

Espere um minuto. Desculpa te interromper, mas farei a primeira correção da entrevista - como você sabe que o Ethan fez isso? Isso não só ocorreu fora da tela, como Charlie nunca disse que Ethan fez isso.

Então ele atirou em você porque você pegou a Claire?

Exatamente.

E não porque você tentou estrangulá-lo?

Bem, ele se importou com isso. Mas você lembra como ele era obcecado pela Claire na primeira temporada? E o flashback dele foi sobre como ele decepcionou algumas pessoas e não tinha sido responsável anteriormente na vida dele, antes de ele ir para a ilha. Portanto, o fato de eu ter pego a Claire foi a gota d'água para o Charlie.O fato é que eu estava no lugar errado na hora errada. Ethan deu os passos errados. Mas só para esclarecer, eu não acho que alguma vez já tenha ficado explícito que foi o Ethan quem enforcou o Charlie.

Você vai continuar falando isso para você mesmo.

Você só pode afirmar isso baseado nas cenas que foram ao ar, nas cenas que você viu.

E Lost é MUITO baseado na realidade.

Bem, se você quiser discutir essas coisas que acontecem fora da tela, nunca terminaremos aqui.

Vamos mudar um pouco de assunto. K-Ville [nova série da Fox que irá estrear nos Estados Unidos agora no segundo semestre] ainda não estreiou, mas já podemos ver algumas previews e você está nela.

Sim.

Eu não sei o quanto você pode contar sobre o seu personagem - eu não sei se existe muito a falar. Mas a série foi mesmo filmada em New Orleans?

Sim, nós filmamos lá. Eu não visitava New Orleans há muito tempo. Nós filmamos em Março, eu acho. E isso me fez desejar ter ido a New Orleans mais recentemente, especificamente antes do [furacão] Katrina e também mais recentemente depois do Katrina para ajudar. Para qualquer um que nunca foi até lá eu sinceramente aconselho a ir. É uma das cidades mais bonitas da América, e diferente de qualquer outra cidade americana. A história da série se passa lá. É sobre dois policiais e um deles está tentando manter as pessoas na cidade. Você sabe, porque muitas pessoas tem deixado a cidade depois do furacão. E K-Ville se refere a como alguns moradores se referem a cidade desde o Katrina. Katrina Ville (Vila de Katrina). Meu personagem é o chefe de segurança de um cassino e também faz parte de uma firma de segurança que tem feito alguns trabalhos para o Homeland Security Department (Departamento de Segurança Nacional) e talvez para o FBI. Ele parece estar envolvido com alguns negócios que podem não ser tão honestos, vamos dizer assim.

Em quais outros trabalhos você está envolvido?


Eu fiz um outro piloto esse ano que se chama "Skip Tracer", com Stephen Dorff, e dirigido por Stephen Frears, que foi indicado por ter dirigido The Queen (A Rainha). Eu interpreto um pequeno personagem cômico de um irmão que está lutando com o seu meio-irmão pela posse do chapéu do pai deles. O pai deles faleceu e eles estão lutando pela posse premiada do pai - o chapéu de Bonanza. É um chapéu de cowboy. Além disso, acabei de terminar de rodar um thriller que se chama "Hurt" e estou prestes a estrelar um filme de terror situado no Velho Oeste que se chama "The Burrowers". Começaremos a gravar daqui a uma semana em New Mexico. Vai ser bem divertido. Eu interpreto um cara que vai atrás de alguns colonizadores que foram seqüestrados.

Certo, bem, obrigada por conversar comigo.

E estou ansioso pela próxima temporada.

Todos nós também!

08/07/2007

Estrela de Lost irá participar de "Indiana Jones 4"

Fonte: Cinematical, divulgado pelo Lost Media
Tradução: Carolina Menescal

Nós não sabemos se o personagem Mikhail Bakunin, carinhosamente conhecido pelos fãs de Lost como "Patchy", está realmente morto. Ele sobreviveu depois de todos acharem que ele obviamente estaria morto nos últimos episódios da 3ª temporada, aliás é bem possível que ele volte em algum momento durante a 4ª temporada. Estar morto em Lost não significa necessariamente que você não irá voltar como ator para reprisar seu personagem seja em flashback ou no caso do personagem de Andrew Divoff, o personagem pode estar na verdade vivo. Bakunin parece ser um gato com nove vidas, mas Divoff não está apostando todas as suas fichas no seu personagem em Lost. Ele irá se juntar ao elenco do novo filme "Indiana Jones 4".

Aqui está uma cópia do artigo atual que cita a presença de Divoff no elenco:

JoBlo está divulgando que Andrew Divoff da série de TV Lost acabou de assinar seu contrato para estrelar o filme num papel ainda sem nome. Provavelmente, é bem complicado explicar quem Divoff interpreta em Lost, mas vamos dizer que ele tem alguma experiência com papéis no estilo russo misterioso. Então, o papel dele no filme deve seguir mais ou menos essa linha. A volta de Indiana Jones tem despertado um frenesi nos fãs com notícias sobre locações, escolha de elenco e perguntas como "ele vai ou não vai" nesse caso em relação a volta de Sean Connery... é o suficiente para cansar qualquer um. Enquanto detalhes sobre a trama tem sido escondidos como segredos de Estado, existem muitas especulações sobre como será a estória. Até agora a suposição tem sido que os caras maus serão na maioria russos, poderíamos dizer então com certeza que Divoff está na reta para interpretar um cara mau.

07/07/2007

Henry consolida suas Lost credenciais

Fonte: Hello Magazine
Tradução: Carolina Menescal


Dois anos atrás ele estava no meio dos desconhecidos - um dos rostos vagamente conhecidos da TV por ter feito papéis pequenos em séries inglesas como Casualty, Midsomer Murders e Two Thousand Acres Of Sky. Agora o ator metade escocês, metade peruano, Henry Ian Cusick conseguiu levantar sua carreira com a série americana como o misterioso sobrevivente Desmond em Lost.

O lindo ator - que se juntou a dois de seus companheiros de elenco para participar da festa de lançamento de um novo festival italiano de televisão e cinema essa semana - surgiu como um dos personagens-chave para a série em sua terceira temporada.

E não são só os telepectadores que o guardam em seus corações. Henry tem um vínculo bem forte com seus dois colegas de elenco Jorge Garcia, que interpreta Hugo 'Hurley' Reyes e Terry O'Quinn, também conhecido como John Locke. O trio estava em pé lado a lado na capital italiana para participar desse evento. E apesar de Henry ter se juntado ao elenco somente na 2ª Temporada - depois de ter impressionado os chefes com a sua fita teste que ele enviou da Grã-Bretanha - ele parece fazer parte da família.

O ator se mudou com sua família de Londres para a ilha de Oahu, no Havaí verão passado quando os chefes confirmaram que ele seria um dos atores fixos principais da série. E não foi só esse acontecimento que mudou sua vida. Ele também se casou com Annie, sua parceira de 14 anos - com quem teve três filhos, Eli, 13 anos, Lucas, 9 anos e Esau, 7 anos - o visto dela naquela época dizia que ela só poderia ficar na ilha por três meses. Henry e todos os seus companheiros de elenco voltam para selva em Agosto quando começam a gravar a 4ª Temporada de Lost.


06/07/2007

Informações sobre a 4ª temporada vém aí

É isso mesmo, um caminhão (ok, talvez apenas um fusquinha 66) de informações referentes à aguardadíssima 4ª temporada está próximo de vir à tona. Segundo informação do BuddyTv, o painel de Lost foi oficialmente confirmado para acontecer no próximo dia 26 de julho às 18 h (horário do Brasil) na Comic Con de San Diego. O nome do painel? "Lost 4ª temporada". Pois é, mais evidente que isso impossível não? E com a presença dos dois principais produtores da série, Damon Lindelof e Carlton Cuse, cria-se também a expectativa de termos finalmente as impressões da dupla sobre o final da 3ª temporada, bem como uma boa idéia de qual será a estrutura da 4ª e mais, quem sabe até mesmo pequenas revelações sobre como e onde estarão alguns dos personagens principais. Bom né? Ah, e rumores indicam ainda que neste mesmo painel pode acontecer a exibição do 1º mobsódio, aquele comentado projeto de mini episódios de cerca de 90 segundos cada e que vão abordar um novo mistério relacionado à mitologia da série. Animados com a notícia? Eu tô.

Por Davi Garcia

04/07/2007

Lost em Los Angeles

Quando circulou a informação de que parte do final da 3ª temporada teria sido filmada em Los Angeles, rumores circularam rapidamente dando conta que a 4ª temporada pode render ainda mais filmagens no continente. Estúdio, produtores, atores, e provavelmente até os caras que limpam o chão estão isolados no chamado “silêncio de rádio”, então os rumores estão livres para ganhar corpo.

Há como você deve ter imaginado, muita coisa que corrobore esse rumor. Ele se liga quase que inteiramente à idéia de que a maioria dos personagens que saiu da ilha serão mostrados por flash forwards. De fato, isso já foi confirmado de certa forma – pelo aintitcoolnews – de que a 4ª temporada de Lost virá recheada tanto de flash backs quanto flash forwards.

Além disso, sabemos que apenas dois dos principais personangens, Kate e Jack estão em Los Angeles nos flash forwards e de que a necessidade por locações específicas não é geralmente um problema para a equipe de Lost. Em ocasiões anteriores, locações no Havaí representeram com fidelidade a Austrália, Coréia do Sul, Nova York, e virtualmente qualquer outra locação requerida pelo roteiro incluindo uma rua repleta de neve.

Mesmo no caso de “Through the Looking Glass”, que apresentou cenas rodadas na ponte da 6ª rua em Los Angeles, muitas das cenas exteriores, incluindo aquela na rua onde se localizava a casa funerária, foram gravadas no Havaí. Várias outras cenas do flash forward de Jack foram filmadas nos sets de Grey’s Anatomy e em outros sets.

Quando o elenco e os produtores de Lost sairem do “silêncio de rádio” na Comic Con de San Diego no final do mês, devemos ter fortes indicações se a equipe vai ou não passar mais tempo filmando no continente. À essa altura no entanto, os rumores seguirão crescendo a cada semana.

Jon Lachonis, para o BuddyTV

03/07/2007

Lost indicado ao Teen Choice Awards

O fãs ansiosos assim como os produtores de Lost podem esquecer a premiação do Emmy por enquanto. Lost foi indicada nas categorias principais do Teen Choice Awards 2007 cujo troféu é algo que o elenco e equipe de Lost poderiam realmente usar, uma genuína prancha de surf. Enquanto tanto elenco quanto equipe da série esperam para descobrir se irão ou não vingar-se da infame esnobada dada pelo Emmy à 2ª temporada da série, o voto do público foi liberado na premiação que é exibida pela Fox americana e que aceita votos só de adolescentes.

Dentre as indicações estão Melho série de Drama, Melhor Ator de Drama para Matthew Fox, Melhor Atriz de Drama para Evangeline Lilly, Jorge Garcia na categoria TV Sidekick (algo como personagem mais carismático, companheiro etc), e por último Michael Emerson indicado com seu Benjamin Linus.

Um fator que pode atrapalhar Lost na disputa é sua acessibilidade ao público alvo. A maior parte dos concorrentes de Lost é exibida entre 20 e 21 h. Foi sugerido que a maior parte da audiência perdida com a mudança de exibição da série para as 22 h era constituída pela parte mais jovem de seu público. Por outro lado, a audiência jovem pode ser dominante entre o público que acompanha a série online, um grupo que a indústria da televisão ainda luta para entender.

Em edições anteriores do Teen Choice Awards, Lost foi superada por séries como The OC. Os fãs de Lost mais obcecados com os aspectos cerebrais da série podem pensar que essa competição diz pouco sobre o valor da série. De fato, ela pode dizer mais qual é a média de idade que está mais satisfeita com as recentes mudanças na direção da série.

As várias melhorias na fórmula e na apresentação de Lost motivaram os fãs que ainda sentem a esnobada do Emmy em 2006. Dentre os fãs as razões vão desde um processo de indicações suspeito à explicações de que a temporada simplesmente falhou. Com elogios universais rodeando a terceira temporada, os criadores da série e os fãs vêem a premiação como a validação disso tudo.

É claro que dentre os fãs mais radicais há um grande número dedicado à série independente de elogios externos. Para eles, o fato de que a série começa a perder o apelo é apenas mais uma prova de que ela continua arrasadora. No fim, quer Lost fature ou não a prancha do teen Choice ou o Emmy, sua história já está comprada e paga para terminar em 2010, independente de que as premiações dêem o ar da graça.

Por Jon Lachonis para o BuddyTV