31/03/2007

Entrevista com Produtor/Diretor de Lost (SPOILERS)

Jack Bender, um dos produtores e diretores de Lost, nos conta um pouco sobre os caminhos trilhados entre a criação de um roteiro e a concretização do episódio, mostrando um pouco das mudanças de direção que ocorrem sob influência da audiência, dos envolvidos no processo de criação e execução, e dos próprios atores. Cuidado pois o texto pode ter SPOILER!


Por Kiel Phegley para o Wizarduniverse.com
Tradução Carolina Menescal

O quão difícil é para você e sua equipe filmar direto em um único cenário ou cena? Eu tenho que imaginar que com os flashbacks e tal, filmar em seqüência deve ser um problema.

BENDER: Bem, você sempre tenta fazer com o máximo de continuidade possível, mas às vezes nós podemos fazer isso e outras vezes, não. Por exemplo, estamos filmando um episódio agora, e é do episódio piloto da 1ª Temporada. Então um dos nossos personagens que não é mais do elenco principal está filmando o Piloto porque ele não é mais nosso contratado por episódio. Ele não é exclusivo nosso, então nós temos que filmar a parte dele no flashback de acordo com o horário disponível que ele tem. Eu dirigi um episódio que passou recentemente que foi sobre o Desmond e toda a sua experiência em flash-forward (metade foi na Inglaterra e Penny estava nele). Nós brincamos com o tempo e respondemos a pergunta sobre o fato de Desmond ir e voltar no tempo. Bem, nossa atriz, Sonya Walger, que interpreta a Penny, estava fazendo uma série para a HBO e estava completamente indisponível quando estávamos fazendo o episódio. Então, eu tive que fazer todo o episódio e filmar todo o flashback do Desmond, como as cenas no bar e tudo mais, durante o nosso curso normal de 10 dias de filmagem e três semanas depois, ou talvez um mês depois, nós tivemos que voltar e filmar as cenas que Penny estava em dois dias. Mas, certamente se é possível, nós tentamos filmar todos os flashbacks de uma vez só.

Nós ouvimos falar que ano que vem a nova temporada de Lost começará mais tarde para ajudar a discutir alguns dos problemas de horário que apareceram ano passado.

BENDER: Isso é verdade. Apesar de que ainda não ouvimos isso oficialmente, a palavra é fazer Lost seguir a fórmula de "24 Horas", onde nós voltamos mais tarde que o normal, mas temos episódios direto sem intervalos ou reprises, porque todos ficaram descontentes com o que fizemos ano passado. Mas não posso deixar de dizer que é difícil agradar a todos. Alguns episódios irão satisfazer os que gostam de saber sobre a mitologia da série e outros, como o último episódio do Hurley, irão satisfazer aqueles que gostam de ver o bem-estar dos sobreviventes que só querem ver o nosso povo de volta para a praia triunfantes. Mas para manter a audiência, nós certamente achamos que os episódios desse ano têm sido bons, apesar de Lost ter sido criticada, dizendo que os seis primeiros episódios foram inconsistentes. Mas não há dúvida que essa idéia de seis episódios e um grande intervalo até a volta do sétimo não foi uma ótima idéia. O canal, ABC e outros canais estão sofrendo hoje em dia, eu acho, para descobrir um jeito de manter a audiência e como tocar para frente o negócio televisivo. Afinal, essas séries são bem caras. E ainda são os canais, os anunciantes e a audiência que regem tudo isso. Então ano que vem... o plano é esse: voltarmos com a 4ª temporada mais tarde e ir direto com todos os episódios da temporada sem intervalos ou reprises, e eu acho que isso provavelmente irá agradar a todos.

Tradicionalmente, você tem feito a maioria dos primeiros episódios das temporadas e dos últimos episódios das temporadas (season premières e season finales) e também vários episódios-chave durante as temporadas. Como você faz para escolher qual episódio irá dirigir?

BENDER: Eu tenho naturalmente feito as premières, embora Stephen Williams tenha dirigido o episódio sete, do retorno de Lost esse ano, e eu irei dirigir o final da temporada deste ano. Ano que vem eu irei decidir se faço a estréia e talvez não faça o final e ou vice-versa. Stephen e eu meio que dividimos a responsabilidade em muitos episódios. Na verdade, eu acho que terei dirigido sete episódios esse ano e Stephen, oito. Não tenho certeza, é bem perto um do outro. Mas não sabemos antes e nem necessariamente os escritores, qual será o primeiro episódio. Bem, veja, eles podem saber qual será o primeiro episódio, mas eles não sabem quando nós começaremos a temporada, se o primeiro episódio vai ser do Jack, o segundo do Sawyer, o terceiro da Kate e assim por diante. E sempre descrevo Damon e Carlton e nossa equipe de escritores como pessoas olhando para baixo do alto de uma montanha e é uma trajetória em zingue-zangue. Damon provavelmente iria dizer que é mais olhar do alto da montanha do que esquiar montanha abaixo, mas eles sabem aonde as bandeiras maiores estão. Eles têm conhecimento sobre o começo da temporada e provavelmente sabem onde as grandes coisas irão acabar, e eles reconhecem essas bandeiras pelo caminho. Mas, exatamente quais obstáculos terão pela frente e o que fazer durante essa trajetória é meio indefinido. De repente, você terá que sair, dar uma paradinha e ir para atrás das árvores. Isso prova que Lost se auto escreve de várias formas também. Eles verão coisas não-planejadas ou coisas que podem acontecer inesperadamente; ou de repente um ator não está disponível, ou outra idéia pode vir a surgir ao longo do caminho. Eu sei que J.J. no começo da 1ª temporada disse, "Oh, isso é ótimo. Existirá uma pequena janela no alto da escotilha e uma luz vinda de dentro dela irá acender em algum momento". Ninguém sabia porquê ela iria acender. Isso simplesmente foi um momento dramático, quando em algum ponto, no meio da temporada, uma luz iria acender. "Ai meu Deus! Quem acendeu essa luz?" essa é uma das coisas empolgantes sobre a nossa série. Eles não sabiam quem iria acender a luz. Eles não sabiam que Desmond iria acender a luz, porque Desmond ainda não tinha necessariamente ganhado vida ainda. Então, eu diria que é um processo criativo onde esses caras definitivamente sabem para onde isso tudo está indo e quais são os grandes momentos e quais são as peças fundamentais do quebra-cabeça, mas eles nem sempre sabem exatamente qual é cada passo a ser dado ao longo do caminho.

Depois de todo o trabalho que você tem feito para a série e todos os atores do elenco que você tem trabalhado, existe algum momento fora do comum por trás das cenas que você realmente percebeu a sintonia entre a história e os personagens?

BENDER: Em um episódio dessa temporada, e eu não vou estragar isso, existe um momento que eu adicionei uma boa parte de mitologia para a nossa mitologia em curso (do que sabemos até agora). Isso são idéias que surgem como quando você está sentado sozinho fazendo o seu dever de casa e provavelmente as melhores idéias surgem quando você está lá na selva ou a água te diz alguma coisa, ou os atores te dizem alguma coisa. Por exemplo, Matthew Fox, que interpreta o Jack, e eu temos tido argumentos bem criativos às vezes e eles são sempre, sempre satisfatórios e algo realmente muito bom sai disso tudo, porque eu irei dizer algo para o Matt e desafiá-lo. Ele irá resistir a isso e então ele irá achar uma forma de avançar na direção disso ou me fazer avançar na direção de alguma coisa. Isso é só parte da colaboração e existe uma força de atores muito talentosos aqui, que durante o 3º ano ainda estão envolvidos com a série e conhecem seus personagens de verdade. Existia uma cena escrita há pouco tempo que originalmente tinha o objetivo de ser intensa com todos gritando, e Matt Fox e os outros atores, Josh Hollowa [Sawyer] e Evangeline Lilly [Kate], nós todos sentamos juntos e ficamos olhando para o que dizia o script. E sentimos que a disposição da onde que eles estavam opunha-se à 1ª temporada e de acordo com os caminhos que todos tinham tomado, a intensidade precisava estar presente naquela cena, mas o pânico que os personagens precisavam aparentar descrito no script não deveria existir. Eu fiz a escolha junto com os atores de mudar isso e funcionou muito bem. E Damon e Carlton adoraram.

Sneak Peek 1 e 2: 3x15 - "Left Behind"




30/03/2007

Informações e Spoilers quentes sobre os próximos episódios

ATENÇÃO! Como o título do post indica, há SPOILERS abaixo.

.

.

.

Curioso para saber qual o nome dos próximos episódios seus respectivos personagens que terão flashbacks a sinopse de alguns deles? Bem, graças ao blogueiro DarkUFO e diversas outras fontes como a Entertainment Weekly e a própria revista oficial de Lost, veremos muita coisa boapela frente ainda e 'resumidamente' o que temos até o momento é isso:

Episódio 3x15: Left Behind (Kate) - 04 de Abril (nos EUA)

O que já sabemos: Depois de descobrir que um dos seus a traiu pelos “Outros”, Kate se vê obrigada a lutar pela sobrevivência na floresta com Juliet. Enquanto isso, Hurley avisa Sawyer que se ele não mudar seu comportamento poderá ser banido. Neste espisódio veremos mais um cruzamento ‘estranho’ entre personagens. Cassidy, a ex-companheira de Sawyer nos golpes e mãe de sua filha Clementine aparecerá no flashback de Kate. Quem também ressurgirá é o agente Edward Mars, algoz de Kate.

Episódio 3x16: One of Us (Juliet) - 11 de Abril

O que já sabemos: “O emocionante reencontro de Jack com os losties da praia sofre um revés quando os sobreviventes percebem que um Outro está acompanhando-o. Também neste episódio Claire sofre os sintomas de uma misteriosa doença e veremos mais de Ethan, Goodwin e de Mikhail Bakunin.

Episódio 3x17: Catch 22 (Desmond) - 18 de Abril

O que já sabemos: Segundo informação da dupla de roteiristas Edward Kitsis e Adam Horowitz à revista oficial de Lost, vamos explorar o que aconteceu no relacionamento de Penny e Desmond. Além disso a descoberta da ilha pelos 2 brasileiros/portugueses que trabalham para Penny e foram visto no final da 2ª temporada voltará a ser explorada também. Além disso, há uma grande revelação vindo por aí.

Episódio 3x18: D.O.C. (Sun & Jin) - 25 de Abril

O que já sabemos: Kitsis e Horowitz disseram que Sun vai descobrir coisas interessantes sobre o que acontece com mulheres grávidas na Ilha e quando as descobrir, isso irá impactar seus relacionamento com Jin em uma forma bem profunda. Vamos descobrir que Sun tem um segredo que ela esconde de Jin, que não será apenas dito, mas respondido. Durante o flashback do casal, vamos vê-los como recém casados e descobrir o que Jin era antes de começar a trabalhar como capanga do pai de Sun, o Sr. Paik.

Episódio 3x19: The Brig (Jack) - 02 de Maio

O que já sabemos: É nesse episódio que a história envolvendo a presença de Anthony Cooper, o pai de Locke na Ilha será retomada.

Episódio 3x20: The Man Behind the Curtain (Dharma) - 09 de Maio

O que já sabemos: Descrito como o episódio que trará um flashback centrado no misterioso casal de hippies Horace e Olivia. Ele é um cientista/matemático e ela uma atraente professora de escola primária. Olivia pode reaparecer em outros episódios. Ok, agora vamos à especulação: Rumores indicam que estes nomes não seriam os verdadeiros nomes do casal em questão, e que eles na verdade seriam o casal DeGrooot, aquele mesmo visto no vídeo de Orientação!

Episódio 3x21: Greatest Hits (Charlie) - 16 de Maio

O que já sabemos: Pode ser o episódio derradeiro de Charlie na série...

Episódios 3x22 & 3x23 (Final da Temporada): Ainda sem título (Ben ?) - 23 de Maio

O que já sabemos: Segundo informação dos roteiristas Edward Kitsis e Adam Horowitz, Hurley vai desempenhar um papel preponderante no final da temporada. E na parte dos rumores, comenta-se que descobriremos que Ben, é ninguém menos que o filho do casal DeGroot e um fruto do projeto Dharma. Uau !

Spoilers Gerais da revista oficial da série:

Edward Kitsis e Adam Horowitz revelaram também que:

- Jack está definitivamente voltando para a praia e será forçado a liderar novamente.

- Kate vai enfrentar problemas tendo Juliet no acampamento da praia. Um deles porque ela é uma Outra e a imprisionou anteriormente, e outro porque Jack parece estar interessado nela [Juliet]. Vamos explorar o quadrado formado por Jack, Juliet, Kate e Sawyer, e Kate manterá a suspeitas sobre Juliet.

- Sawyer vai ter uma grande surpresa nessa temporada, algo que ele nunca pensou que pudesse acontecer vai de fato acontecer. Vamos voltar à questões centrais da série desde o início e a exploração disso vai garantir a ele belas surpresas. Vamos descobrir o que acontece com Cooper, e o que aconteceu com Locke e os Outros e o que o carequinha andou fazendo no período em que ficou longe da praia. Ok, depois dessa revelação resta para vocês alguma dúvida de que Cooper é o verdadeiro Sawyer?!

- Charlie vai ter muitas escolhas a fazer, porque seria mais fácil e seguro apenas ficar dentro de sua barraca, mas nessa ilha como já sabemos, isso é difícil. Hum... será que o rockeiro vai mesm odar adeus?

- Sayid estará envolvido em muita ação!

- Muita coisa emocionante acontecerá para Claire... Hum de novo! Será que essas emoções envolverão a morte de Charlie e a descoberta de que Jack é seu irmão?

- Vamos definitivamente entender que Juliet está em um conflito severo e vamos entender o porquê.

- Haverá um incidente na ilha que vai impactar tudo aquilo que as pessoas pensam da série....

E aí, satisfeito e empolgado com esse caminhão de Spoilers?! Eu tô e muito!!!!

Por Davi Garcia

Podcast oficial de 30/03

Post com SPOILERS para quem ainda não viu o episódio 3x14

.
.
.

Não é só a proximidade do fim de semana que torna esta 6ª feira especial, já que ela também nos trouxe mais um podcast oficial da série com entrevista da atriz Elizabeth Mitchell falando sobre o desafio de fazer sua personagem Juliet, e uma divertida participação do produtor Carlton Cuse e dos roteiristas Adam Kitsis e Eddie Horowitz falando sobre "Exposé" e comentando o que esperar de "Left Behind", o 15º episódio a ser exibido na próxima 4ª feira nos EUA.

Então deixo a enrolação de lado e vou direto aos destaques do podcast:

• Elizabeth Mitchell disse que desde o início de sua participação na série imaginou que Juliet fosse uma mulher frágil no passado e que por algum motivo ainda desconhecido por nós (e por ela), desenvolveu uma personalidade mais forte na ilha. A atriz apontou ainda que o flashback de Juliet mudou sua visão sobre as coisas e que ela tenta trabalhar com isso destro da trama, já que eventos como o dela ter testemunhado a morte do ex-marido inevitavelmente definem quem ela se tornou.
• Sobre sua interação com Jack, ela comenta que Juliet nunca foi capaz de manipular o Dr, como gostaria, e que só conseguiu a ajuda espontânea dele quando mostrou-se mais fragilizada e arrependida. (depois de ter matado Danny). Já sobre a marca que Juliet ganha no episódio 3x09, Mitchell diz que aquilo representou um chamado para que sua personagem visse que ela estava do lado errado da história, e que ela sentia vergonha por isso.
• Damon Lindelof não participou do podcast pois estava envolvido com a produção do último episódio da temporada.
• Carlton Cuse começou elogiando a dupla de roteiristas Adam Kitsis e Eddie Horowitz creditando a eles a autoria dos melhores episódio da série. Chefe bonzinho e puxa saco esse tal Cuse não?!
• Kitsis e Horowitz que escreveram “Exposé”, foram roteiristas de várias pequenas séries do extinto canal americano Warner, e à época em que Cuse procurava por novos colaboradores para Lost, logo pensou nos nomes da dupla que então trabalhava na série “Life as We Know it” do mesmo canal que exibe Lost, a ABC.
• Sobre “Exposé”, Horowitz lembra que a idéia de mostrar outros sobreviventes surgira já no final da 1ª temporada, mas que a idéia acabou sendo postergada para esta 3ª temporada.
• O roteirista brinca ao dizer que não poderia haver introdução melhor para um personagem novo, do que vê-lo saindo do banheiro (falando de Paulo).
• Falando sobre terem feito um episódio que trouxe personagens de fundo à atenção, Cuse pergunta à dupla se eles acharam o resultado da iniciativa positiva, e Adam Kitsis prontamente responde que a resposta depende de quem pergunta. Ele inclusive aponta a contradição que tomou conta dos questionamentos recebidos, pois antes todos perguntavam, “Hey! E as outros sobreviventes não participam?”, e que depois a pergunta prontamente voltou para, “E o que acontece com os originais?”.
• Os roteiristas comentam ainda que apesar de toda a crítica recebida com as incessantes perguntas, “Quem são Paulo e Nikki afinal?!” valeu a pena mostrá-los pois a história da dupla e o final reservado para eles foi absolutamente recompensador, e eles dizem ainda que este foi o episódio que eles mais gostaram de fazer.
• Ainda sobre “Exposé”, a dupla diz que achou muito bacana poder revisitar todos aqueles momentos chaves da 1ª temporada trazendo ainda personagens veteranos e que já não fazem mais parte da série como Shannon, Boone, Ethan e o Arzt.
• Carlton Cuse e os roteiristas revelaram que a idéia inicial era fazer um episódio inteiro da série Exposé, como se fosse um flashback e que só descobriríamos no final que aquilo tudo era apenas uma série fictícia na qual Nikki trabalhava! Idéia interessante não?! Ela não foi adiante, mas Cuse lembrou que Hurley é um grande fã de Exposé e confirmou que Locke de fato estava assistindo a um episódio da série no início de “The Man From Tallahassee” conforme apontei nos comentários de “Exposé”.
• Adam Horowitz contou que desde garoto sempre teve devoção por Billy Dee Willians (o eterno Lando Calrissian de Star Wars) e que sempre quis trabalhar com ele, motivo pelo qual criou o Mr. Lashade / Cobra visto na gravação de um episódio de Exposé.
No episódio da próxima semana - “Left Behind”- teremos efetivamente o reaparição do Monstro de fumaça.

Perguntas que surgiram:

• Quanto tempo se leva para fazer um episódio de Lost? Geralmente são 8 ou 10 dias de filmagens mas no total leva-se em média 5 semanas para finalizar toda a produção de um único episódio. Filmes geralmente levam pelo menos 5 meses para ficarem prontos.
• O homem caindo do prédio em que se passa um flashback de Hurley no episódio 1x18 "Numbers" era o Locke? Não! Definitivamente aquele não era o Locke segundo Carlton Cuse.
• Onde estão os outros personagens como Rose & Bernard que nem sequer tem sido vistos no fundo das cenas? Rose e Bernard irão reaparecer em breve com uma história que promete ser incrível, e a razão pela qual não os vemos nos últimos episódios segundo Carton Cuse, é que por serem atores recorrentes, eles só aparecem quando realmente tem algum papel na história do episódio.
• Como os nomes dos personagens são escolhidos? Segundo Cuse, alguns são de fato genéricos mas outros foram meticulosamente escolhidos, como os dos personagens que tem nomes de filósofos famosos, algo que acaba por funcionar como uma dica de quem eles são e como se definem na série.
• O natal será celebrado na Ilha? A dupla de roteiristas explica que gostaria de abordar esse tipo de coisa na série, mas que outros elementos acabam tomando maior tempo. Carton Cuse contudo, diz que veremos a celebração do Natal na 4ª temporada de alguma forma. E foi nessa que piadinhas rolaram acerca do assunto, apontando que a essa altura da trama o Papai Noel seria a melhor alternativa de saída da ilha, mas que bem provavelmente algo de errado aconteceria, como o trenó cair e o velho noel precisar de um susbstituto à altura que seria muito bem o Hurley:p
• Locke diz para Ben que se ele realmente conhecesse a ilha não precisaria guardar o frango na geladeira. Isso tem algum significado, como por exemplo o de Locke estar sugerindo que Ben não está se recuperando da cirurgia por estar usando tecnologia? Sim! É essa a resposta simples e direta de Carlton Cuse, já que para Locke a falta de conexão de Ben com a Ilha pode ser a causa de seu problema físico e é essa questão que voltará a ser explorada mais a frente. Humm que interessante isso não?!
• Quando voltaremos a ver Anthony Cooper? Final de abril (dia 25 para ser mais exato), esta é a data que voltaremos a ver o pai de Locke e os desdobramentos de sua presença na Ilha.

E assim terminou o 2º podcast inédito desta semana com a promessa de ouvirmos no próximo, o ator Josh Holloway (Sawyer) contando uma história referente à época de gravações das cenas da jangada entre ele e Daniel Dae Kim (Jin) que ficaram um pouco reais demais, e claro comentários sobre “Left Behind”.

Por Davi Garcia

29/03/2007

Comentários do episódio 3x14 "Exposé"

Se você é daqueles que não gosta de bônus de dvd, como bastidores, cenas deletadas ou sequências alternativas, é bem provável que vá considerar este "Exposé" como uma pura e simples 'encheção de línguiça' da 3ª temporada. Contudo se você adora esmiuçar tudo o que cerca um bom filme ou a sua série de tv favorita como eu gosto, este 14º episódio é um prato cheio!

É bem verdade que "Exposé" (título emprestado de uma série fictícia no melhor estilo "As Panteras" e que Locke assistia no início do ep. 3x13) não avança em nada o ritmo que vinha tomando conta de Lost principalmente nos 3 últimos episódios, mas ele foi para mim um passeio muito prazeroso pelo parque de diversões chamado Lost, e a oportunidade de revermos os rostos conhecidos dos irmãos Shannon e Boone, Dr. Arzt e mesmo do temido Ethan Rom. Vamos lá, admita se não foi bacana demais reviver todas aquelas sequências pós acidente através dos olhos de Paulo e Nikki? Da correria entre os destroços do avião, passando pelo famoso discurso do Jack (que inclui o nome de 2 episódios da série "Live Together, Die Alone" e "Every Man For Himself"), até a descoberta do famoso aviãozinho amarelo que levara Yemi (irmão de Eko) à ilha e a estação Pérola pela dupla, tudo ficou na minha humilde opinão, muito bem amarrado e ainda serviu para explicar pequenas dúvidas como por exemplo sobre o que fez Ben logo após ter escapado da escotilha Cisne, ou até mesmo explicar porque Paulo afinal, gostava tanto de um banheiro :P

Pois é, "Exposé" foi uma viagem bacana de volta a tudo aquilo que já haviámos visto e agora com o direito de selecionar aquela outra visão digamos, 'alternativa' do dvd, o que claro enriqueceu a experiência. Mas o episódio não foi só isso. Ele nos apresentou finalmente à dupla Paulo (sim ele é brasileiro) e Nikki, e reservou-nos a história dos golpistas que encontraram um fim trágico (será mesmo o fim da dupla?) com requintes de um "Romeu & Julieta" às avessas, graças à ganância cega por um punhado de diamantes. Lost é constantemente comparado ao purgatório, fato que os produtores da série constantemente desmentem, mas eu diria que se ele existe pelo menos sob metáfora, esses dois personagens encontraram o seu naquela ilha, e que jeito de morrer não? Aliás, de novo. Será que morreram mesmo? E deixo uma dúvida sobre a qual gostaria de ver a opinião de vocês. Será que Nikki foi picada por uma daquelas aranhas ou a picada teria sido obra do Monstro de Fumaça / Lostzilla vingando-se do que ela fizera com Paulo? Hã?! Como assim?! Pois é, repararam no barulhinho metálico tão característico no fundo da cena?

E se o papo dos produtores de que depois deste episódio veríamos a dupla como ícones da série for ser levado a sério, já posso dizer que sim, eles ficarão marcados, não como ícones, mas como provas de que nem só de mistérios e coincidências bizarras vivem os choques que Lost provoca. Esse choque aliás, vai tomar conta dos americanos que tanto criticaram o personagem de Rodrigo Santoro e que agora irão se dar conta de que o elenco contava com um ator de muito talento e que poderia (ou quem sabe ainda pode) acrescentar muito. Pois é, bastou dar algumas poucas falas honestas para o cara e um punhado de cenas dramáticas para que ele provasse a que veio em Lost. É certo dizer que eu não estaria defendendo o cara se ele não fosse brasileiro, mas ei, que mal há nisso não? É bom ver um conterrâneo brilhando lá fora. Não sei se Santoro fica ou se de fato encerrou sua participação na nossa série favorita, mas posso dizer: Parabéns Santoro! Well Done!
*-*-*-*-*-*-*
ATUALIZAÇÃO de 16:40
Segundo nota do TVGuide, “Exposé” foi mesmo o fim de linha na série para a dupla Nikki e Paulo. O site lembra que a decisão em si dos produtores em matar os personagens nem chegou a impressionar os fãs, mas sim como a morte aconteceu, afinal ver alguém ser enterrado vivo é algo absurdamente chocante até mesmo para os mais insensíveis.

Nas palavras do produtor executivo Damon Lindelof, “As pessoas os odiaram antes mesmo que pudessem abrir a boca para dizer qualquer coisa de real significado, porque eles foram vistos simplesmente como aqueles invasores de festa”. E ele ainda acresceta que, “Seria muito fácil para nós simplesmente cortá-los dos episódios e esquecer que eles existiam. Mas isso não seria Lost. Nós tinhamos que pelo menos dizer de onde vieram”.

Kiele Sanchez que fez Nikki, disse não ter se importado com as críticas dirigidas à sua personagem e disse ter gostado de partir com um choque, embora admita que não tenha ficado nem um pouco animada para gravar a cena do enterro: “Eu sou absurdamente clautrofóbica. Não posso nem mesmo ter um cobertor sobre o meu rosto, portanto eu nem tive que representar muito na cena já que eu estava genuinamente horrorizada”.

Pois é, parece que não tem mesmo volta. Descansem em paz, Nikki e Paulo!

Por Davi Garcia

Video Promocional 3x15: "Left Behind" (Legendado)



Colaboração de Luanne

28/03/2007

Sneak Peek 3: 3x14 "Exposé"


Michael Emerson fala sobre o objetivo final de Ben

ATENÇÃO! Esta estrevista contém spoilers para quem ainda não viu o episódio 3x13.

Entrevista original por Matt Webb Mitovich para o TVGuide.com

Traduzido e adaptado por Davi Garcia


O episódio da semana passada terminou com a bomba revelada por Ben de que o pai de ex-paralítico está na ilha e sob custódia dos Outros. O que vai acontecer agora? O TVGuide.com convidou Michael Emerson, o intérprete do assustador Ben, a antecipar algumas coisas.

TVGuide.com: Então agora sabemos que Ben nasceu na ilha, e tem aversão em deixá-la tanto quanto Locke tem.

Michael Emerson: Sim… o que é interessante é que com nenhum dos dois sabemos porque eles são tão ligados à ilha.

TVGuide.com: Terry O’Quinn e eu conversamos semana passada sobre como Locke considera a ilha como uma entidade com a qual se deve ser confidente.

Emerson: Sim, a ilha tem um poder revigorador para ele. Subitamente, todas as coisas com as quais ele sonhou ser, ele agora é. Ele é um líder de homens, um lutador, um caçador...

TVGuide.com: Parece que não importa quantas coisas novas aprendamos sobre Ben – como Alex sendo sua filha – ele permanece bastante enigmático, deixando-nos intrigados com cada palavra que ele fala.

Emerson: É um bom personagem mesmo, e tem essa carga que você menciona. Quando personagens guardam mais do que a audiência sabe, eles meio que ganham mais antenção. Isso os torna mais interessantes, penso eu. Uma boa peça funciona dessa forma.

TVGuide.com: E mais, o Ben é tão dissimulado que mesmo quando ele nos diz alguma coisa, nem sempre podemso acreditar nele.

Emerson: Ele é mesmo. Em partes isso serve aos objetivos da série e parte aos de Ben. Ele claramente é um jogador, e isso faz parte de sua natureza. Algumas vezes ele provavelmente mal sabe a verdade.

TVGuide.com: Os produtores já te deram alguma idéia sobre o que se passa?

Emerson: Normalmente não falamos sobre a história, mas sei que algumas coisas grandes vém por aí. Essa batalha renovada de escolhas e desejos entre Locke e Ben é parte da história que nos levará ao fim da temporada.

TVGuide.com: Refletindo sobre a metade inicial da temporada, eu às vezes fico pensando se nós de fato descobrimos bastante sobre os Outros em termos de sua mitologia. Eu sei que alguns fãs reclamam dizendo, “Não estamos vendo respostas o bastante”, mas...

Emerson: É isso que você continua ouvindo, mas eu me preocupo com isso assim como você. Eu penso sobre isso inevitavelmente, e os escritores prometeram e eu tenho certeza que eles querem dar uma guinada conclusiva e lógica a essa história, portanto parece que revelar a história passada da ilha é parte dos planos deles, e isso é mais que necessário.

TVGuide.com: Há outras grande revelações vindo por aí?

Emerson: Oh, há grande coisas…

TVGuide.com: Vamos voltar a ver essa semana a revelação ao Locke de que seu pai está na ilha?

Emerson: Hum… isso vai ser mencionado por um ou dois episódios, mas não voltaremos imediatamente a isso como tema central por alguns episódios. Mas quando voltarmos, vai ser com força.

TVGuide.com: Você teve algumas cenas bastante intensas com Matthew Fox, Terry O’Quinn, Naveen Andrews... Quais são as diferenças que cada um deles traz para a mesa?

Emerson: Todos eles trazem um alto nível de intensidade, e em todos os casos são atores realmente focados. Há pequenas diferenças de temperamento, como se relacionam entre as cenas quando você está gravando essas tomadas mais profundas e sombrias. Naveen é provavelmente um ator mais sereno que Matthew que permanece concentrado entre as cenas. E Terry é realmente tranquilo entre as cenas.

TVGuide.com: Antes de Lost, qual foi a experiência com tv mais memorável para você?

Emerson: The Practice foi bem marcante para mim.

TVGuide.com: Qual foi mesmo o destino final do seu personagem William Hinks?

Emerson: Quando Bobby (Dylan McDermott) mandou um capanga intimidá-lo, aparentemente esse mensageiro superzeloso cortou a cabeça de William Hinks e colocou em um freezer de sua casa.

TVGuide.com: Ah, sim. Então Hinks nunca vai ressurgir em Boston Legal.

Emerson: Não, não, eu acho que ele nunca vai voltar. (risos)

TVGuide.com: Eu sei que seu trabalho com teatro é muito importante para você. Quando você tem um diálogo consistente em uma cena de Lost, você se sente no palco?

Emerson: Sim, e do melhor jeito possível. Essas cenas são realmente íntimas, essas mano a mano envolvendo jogos de manipulação, quando um escorregão pode custar o jogo ou sua vida, eu amo fazer. Eu amo a qualidade que elas tem de tantas coisas que ficam sem serem ditas, com a conversa acontecendo na superfície mas com seu significado ficando escondido. Isso é o que um ator de palco ama, o que você ganha quando faz uma peça. Muitas cenas em Lost funcionam assim.

TVGuide.com: Vamos falar sobre “The Iceman Cometh”, no verão de 99. Foi uma das primeiras peças a cobrar US$100 por ingresso que se esgotou em um dia e tinha Kevin Spacey, Paul Giamatti... Como foi estar envolvido nisso?

Emerson: Foi como u msonho virando realidade. Foi minha estréia na Broadway e fazer uma peça tão poderosa... Ela é uma peça antiga grande e difícil, e uma que já é lendária... É uma peça com 19 personagens e cada um no elenco era tão bom quanto o outro. Tinhamos a bola. Foi realmente excitante, e me senti como se tivesse me tornado, do meu pequeno jeito, um elo em um tipo de ‘corrente de ouro’ do teatro que remete aos gregos. Eu me senti recompensado artisticamente e como se tivesse encontrado meu lugar na história do teatro, onde grandes papéis e grandes peças vivem e são passadas e retrabalhadas por gerações.

TVGuide.com: Com você estando no Havaí agora, não pode fazer tanta Broadway se quisesse.

Emerson: É tudo tão parado aqui que fica sem graça. Eu gostaria que Honolulu fosse uma cidade um pouco mais teatral....

TVGuide.com: Mas ela simplesmente não é.

Emerson: Não, ela não é.

TVGuide.com: Há alguma coisa estreando na Broadway que você gostaria de ver?

Emerson: Há uma peça vindo da Inglaterra chamada “The Coram Boy” que tem sido muito comentada; Eu gostaria de vê-la. Eu estava em Nova York algumas semanas atrás, e fui ver “Journey’s End”, porque eu conhecia algumas pessoas que estava fazendo, e vi “Our Leading Lady”, a peça de Charles Busch sobre Laura Keene, que estava no palco na noite em que Lincoln foi baleado.

TVGuide.com: Você tem planos para as férias de Lost?

Emerson: As ferias são um pouco curtas, haveria um curto espaço de tempo para fazer uma peça, se existisse uma bem rápida, mas... há muita coisa de publicidade para se fazer – levando em conta que eu participe de outra temporada da série.

TVGuide.com: O quão rápido eles o querem de volta?

Emerson: As filmagens recomeçam na primeira semana de agosto. Isso dá quase 2 meses e meio de férias.

TVGuide.com: Muda alguma coisa que eles queiram exibir a 4ª temporada direto e sem interrupções?

Emerson: Eles realmente não tem como começar mais cedo, porque todos precisam de férias, portanto o que poderiam fazer é começar a exibição (da nova temporada) mais tarde. Eu acho que é assim que vai funcionar. Não há como diminuir o cronograma de gravações, mas se elas começarem em agosto e não exibirem nada até janeiro, então poderiam exibir de forma contínua.

TVGuide.com: E por ultimo, você tem tomado cuidado com a velocidade no Havaí?

Emerson: Sou cuidadoso. Eu sei que as pessoas dizem, “Oh, não há conexão entre ser preso no Havaí e acabar morto na série”, mas eu não quero testar esse princípio! (risos)

27/03/2007

Spoilers da Kristin em 27/03

Prestou atenção no título do post né?

.

.

.

Palavras de Kristin Veich do E! Online sobre o que veremos no episódio de amanhã “Exposé”:

O episódio trará o retorno de Maggie Grace (Shannon), Sun ficando totalmente descontrolada e.... alguém morrendo. Alguém que eu particularmente adoro e que me deixa triste por partir! Contudo imagino que eu seja minoria. De qualquer forma, como essa pessoa morre é talvez a morte mais impactante que eu tenha visto. Vou apenas dizer que trata-se de algo que eu eu tenho grande fóbia, e essa morte explora isso.

E o que ela diz sobre o que virá pela frente em Lost?

Bem, parece que veremos mais ação com a kombi. Os produtores estão escalando o ator que fará Roger, um servente com 40 e poucos anos pouco à vontade com sua posição na vida mas que tem aspirações maiores. Sobre o personagem, “Ele tem uma relação complicada e complexa com seu filho; ele se vê envolvido em uma misteriosa situação muito além do que podia imaginar; e o ator não pode ter clautrofobia..” Com certeza esse cara é aquele esqueleto “Roger Work Man” do último episódio do Hurley.

Oba! Será que veremos Roger no já aguardadíssimo episódio 3x20, que promete trazer várias informações sobre a chegada da Dharma na ilha? Eu espero que sim!

Podcast Oficial de 26/03

Post com SPOILERS para quem ainda não viu o episódio 3x13.

.

.

.

Que os últimos episódios da série foram fantásticos não resta dúvida, mas o que já era bom fica ainda melhor ao ouvirmos os podcasts que têm sido uma experiência absolutamente enriquecedora (e bastante divertida) para quem adora a série como eu, e /ou gosta de expandir as idéias sobre o que é visto na telinha. Portanto, vamos ao que foi dicutido essa semana:

  • Os atores Josh Holloway e Jorge Garcia comentam sobre a experiência de seus personagens jogando ping pong, e Holloway aponta sarcasticamente bem ao estilo de Sawyer, que para ele foi difícil perder a partida já que ele é um excelente jogador, o que Jorge Garcia inclusive confirma. Holloway comenta ainda que é muito divertido ver Sawyer como seu próprio pior inimigo, já que ele parece nunca aprender com seus erros e ao cometê-los novamente sempre acaba se dando mal. E eu concordo, é muito divertido vê-lo como saco de pancadas da ilha. E digo isso pois o considero um dos melhores personagens da série e um dos meus favoritos :p
  • O trabalho de produção desta temporada está acabando, e a dupla de produtores revela que eles estão atualmente trabalhando nos episódios 21, 22/23 (o último como vocês já devem saber, é duplo).
  • Sobre o episódio da última semana, Damon Lindelof e Carlton Cuse desfizeram a dúvida de alguns sobre o significado da tal Caixa comentada por Ben. Ela é realmente uma ‘simples’ metáfora usada pelo líder dos Outros, e Damon Lindelof diz inclusive que seria uma péssima idéia se de fato existisse uma caixa na ilha capaz de materializar coisas, animais ou pessoas. Não sei quanto a vocês, mas eu não imaginaria explicação diferente desta, mas ainda assim Lindelof promete que os episódios futuros vão deixar as coisas mais claras nesse sentido.
  • A dupla de produtores comentou sobre o ceticismo de alguns fãs ( incluindo-se aí a própria filha de Carlton Cuse) frente o milagre de Locke ter sobrevivido à queda de 8 andares, e lembra que há várias histórias verídicas que relatam milagres ainda mais incríveis envolvendo situações deste tipo. E para nós brasileiros, aqui está um bom exemplo.
  • Sobre Locke, Lindelof disse que a história desenvolvida em “The Man From Tallahassee” será de fato deixada de lado por uns poucos episódios, mas que ainda assim veremos Locke aparecendo.
  • Outra revelação dos produtores (que aliás, estavam respondendo bastante coisa) dá conta de que os Outros não ficarão muito mais tempo no conforto de suas casas.
  • Sobre Rousseau, Carlton Cuse disse que a francesa ainda vai ter que lidar com algumas coisas antes de finalmente aproximar-se de sua filha.
  • Falando sobre “Exposé”, Lindelof confirma que grande parte do flashback de Paulo e Nikki ocorrerá na ilha, mas que uma pequena parte ocorrerá na Austrália.
  • Também falando sobre “Exposé”, Carlton Cuse antecipa que depois de assistí-lo, muita gente irá acusar a série de ter exagerado na dose, e antecipa a defesa dizendo que se era para exagerar, ou “jump the shark”, como os americanos gostam de colocar, esse era o momento para fazê-lo. Cuse aproveitou também para elogiar o trabalho de Rodrigo Santoro e de Kiele Sanchez no episódio que trará também os rostos conhecidos de Ethan, Dr. Arzt e dos irmãos Shannon e Boone.
  • Aliás sobre Boone, os produtores confirmam o que as fotos promocionais do episódio já nos indicavam. O cabelo do personagem está claramente diferente do que vimos ao longo de toda a participação dele na 1ª temporada, e antecipando eventuais reclamações daqueles que se apegam aos detalhes, eles dizem que não podiam exigir que o ator Ian Somerhalder - que nas palavras deles sempre foi muito solícito - cortasse os cabelo por causa de 2 dias de trabalho, o que convenhamos faz todo sentido. Estejam preparados portanto para ver este ‘errinho’ de continuidade ;-)
  • Sobre os personagens que surgem na série e acabam morrendo precocemente, Carlton Cuse diz que ainda voltaremos a ver alguns deles. E como exemplo ele cita Mickail Bakunin, que deve reaparecer em breve na série. Oba!
  • Quem também vai retornar em breve é a kombi Dharma que vai aparecer em um flashback desta temporada (3x20 talvez?). E Cuse antecipa: Outro veículo da Volkswagen ainda aparecerá antes do fim da temporada na Ilha.
  • Sobre qual era o plano inicial para o personagem de Henry Gale / Ben Linus, a dupla confirma que ele apareceria em apenas 3 episódios, fugiria e só voltaria depois. Contudo Michael Emerson foi tão bem nas primeiras participações que os planos mudaram e o personagem acabou ficando. Sorte nossa não?!

Ufa! E foi “só” isso que rolou no podcast dessa semana. Na próxima os roteiristas Adam Horowitz e Edward Kitsis (2x18 “Dave”; 3x10 “Tricia Tanaka is Dead”) participam comentando “Exposé”.

Por Davi Garcia

Sneak Peek 1 e 2: 3x14 "Exposé"



26/03/2007

Bateu saudade?

Segundo dica do sempre atualizado blogueiro DarkUfo, o jornal americano USA Today informou que Harold Perrineau, o Michael, estaria negociando (ou seria cavando?) um retorno à ilha de Lost. Para quem perdeu as últimas notícias sobre o ator, vale lembrar que ele está envolvido na produção do piloto de uma série nova chamada Demons, que a julgar pela sinopse divulgada (caçadores de monstros e afins) lembra muito a trama de Supernatural exibida aqui no Brasil pela Warner. Sobre o assunto, Perrineau diz o seguinte: "Estamos tentando descobrir um jeito para que eu possa retornar na próxima temporada de Lost e fazer as duas séries."

Pontos importantes: 1) Tudo bem que Michael nunca foi um dos personagens mais queridos de Lost, mas é inegável dizer que um retorno seu acompanhado de Walt jogaria ainda mais fogo na trama não acham? 2) Se Michael voltar mesmo, preparem os ouvidos para aquele famoso grito de WAAAALLLTTT que tanto fez a alegria dos fãs da série :p

Brincadeiras à parte, faço coro ao que o amigo Carlos Alexandre do Lost in Lost prevê a bastante tempo: O retorno de pai e filho à ilha no final da atual temporada como um dos ganchos para o que veremos na 4ª.

Mas e vocês, gostam do Michael? Gostariam de vê-lo de volta à Ilha?

Por Davi Garcia

24/03/2007

Rumores: Mais viagens ao passado?

ATENÇÃO! Post com SPOILERS. Leia com cautela!

.
.
.

Texto original por Jon Lachonis do BuddyTV
Traduzido e adaptado por Davi Garcia

O futuro de Lost pode estar no passado! Até agora, Lost tem duas viagens inteira ao passado em seu curriculo. A 1ª delas "The Other 48 Days", mostrou as aventuras do pessoal da parte traseira do avião, e "Exposé" o episódio dessa semana, vai nos levar de volta no tempo para cobrir o que faziam os novatos Nikki e Paulo desde o primeiro instante posterior à queda do vôo 815 na misteriosa ilha. Rumores que circulam pela internet contudo, indicam que Lost vai voltar ainda mais no tempo tanto na ilha quanto fora dela, antes mesmo que a temporada acabe. Descubra quem, o que, onde e quando.

Se você pensa que já sabe tudo sobre a Dharma, prepare-se para um caminhão de informações novas no episódio 3x20, que será exibido no dia 9 de maio. Ainda sem título, o episódio vai voltar aos anos 70 e irá, se os rumores estiverem corretos, explicar muito sobre a primeira interação entre o pessoal da Dharma e os habitantes da ilha que vieram a ser conhecidos por nós como os 'Outros'. Dentre os personagens que veremos estará um jovem Dr. Marvin Candle, os misteriosos DeGroots, e representantes fiéis da Hanso que podem ter uma agenda secreta. Não há informação se o episódio inteiro acontecerá no passado, ou se não, como vai fazer interface com os eventos presentes na ilha.

Alguns dos personagens, novamente se os rumores estiverem corretos, vão aparecer também no episódio final da temporada a ser exibido em 30 de Maio. Esse episódio pode ser centrado em Ben, e comenta-se que vá nos levar por uma viagem na ilha que deixará os fãs falando por vários meses. A Dharma vai ser novamente explorada no episódio bem como veremos mais sobre o 'incidente' e sobre a tal 'purgação' (seriam os 2 a mesma coisa?).

Hum... e ainda tem gente que acha a temporada morna. Tsc Tsc....

Easter eggs do ep. 3x13 "The Man From Tallahassee"

Sentiu falta deste post esta semana? Bem, aí vai a compilação dos Easter Eggs referentes ao episódio 3x13 "The Man From Tallahassee" originalmente postados pelo BuddyTv. Enjoy!

O episódio desta semana revelou a resposta para um dos mistérios mais comentaos na série: o que deixou John Locke paralítico? Pois é, mas será que você notou que o episódio também revelou que Ben é um fã de Stephen King? Ou que a dúvida se era ou não o Locke caindo no mesmo prédio em que Hurley conversava com seu contador foi esclarecida? E os porta retratos da parede da sala de Ben você viu?



Controvérsia resolvida. Muita gente debateu por muito tempo que Locke era o cara visto caindo pela janela no episódio 1x19 "Numbers", quando Hurley conversava com seu contador. O tipo de janela é até parecido, mas enquanto Locke caiu de costas para o chão, o cara visto em "Numbers" caiu de frente para o chão como mostra a imagem comparativa. Além disso, Locke ficou paralítico por 4 anos, bem antes de Hurley ganhar na loteria. Mistério resolvido!



Parece que Ben é um grande fã de Stephen King no fim das contas. À direita dele você pode ver uma cópia do livro 'The Gunslinger', ou em português 'O Pistoleiro' da série literária de King Torre Negra. Coincidentemente, Damon Lindelof está envolvido na adaptação do livro para uma mini-série com J.J.Abrams. Se vocês se recordam, em "A Tale of Two Cities", um dos participantes do clube do livro criticou Juliet por escolher um livro de Stephen King dizendo que Ben não o leria nem no banheiro. E ele estava certo! Ben prefere lê-lo na cama.



Ah, como o tempo voa. Notou a diferença no horário dos relógios? Eles apareceram na mesma sequência, em cortes diferentes de cena. Parece que o tempo realmente passa de forma diferente para os Outros né? Se liga Jack Bender! :p



O misterioso hamster. O que é a estranha criatura que Juliet (será ela mesmo?) segura em seu retrato pendurado na parede da casa de Ben? É um hamster? Talvez o que Ben disse sobre a eletricidade vir de Hamster gigantes correndo no subsolo não seja algo tão longe da realidade! Weee!



Número 1 na lista Best Seller dos Outros, "Uma Breve História do Tempo" de Stephen Hawkings. Você deve se lembrar que o vimos Aldo, um capanga dos Outros em "Not in Portland" estudando os buracos negros no mesmíssimo livro!

E é isso por enquanto. Que surpresinhas nos reservará "Exposé" ?

O que esperar de Lost na 4ª temporada

Ainda faltam 9 episódios (o último é duplo 22/23) para o término da atual temporada, mas que tal já brincar de especular sobre o que pode ser visto na próxima? O BuddyTv, através do colunista Jon Lachonis já deu o ponta-pé inicial e o Dude reproduz o que o jornalista escreveu. Vale lembrar que o que vém abaixo pode acabar se confirmando como SPOILER, portanto leia com cuidado se não quiser ter as surpresas eventualmente estragadas.

.
.
.

Lost foi renovada para uma 4ª temporada esta semana, mas quem imaginou que não seria? Apesar de estar sendo considerada decadente, ( embora a ABC considere normal a queda de audiência com a troca de horário de exibição), as viradas surpreendentes da trama continuam cativando os fãs à medida em que a história começa a explorar novas e empolgantes direções. Viagem n otempo, outros 'Outros', e agora o misterioso aparecimento do pai de Locke na ilha? Onde isso tudo vai dar? Como vai terminar? Veja o que a 4ª temporada pode trazer.

Em primeiro lugar o que já sabemos. No podcast mais recente da série, Carlton Cuse e Damon Lindelof confirmaram que Jacob é de fato o "Ele" tão mencionado. Portanto Jacob que fez a misteriosa lista, é o líder de fato dos Outros, ou não? Talvez ele possa ser líder dos outros 'Outros'. Tá ficando confuso já?

Novos personagens devem começar a aparecer na ilha, e não são nem Outros ou losties. A dica já foi dada algumas vezes de que o terceiro grupo tem uma natureza ainda mais terrível que o monstro de fumaça, e provavelmente mais poderosos que os Outros que já conhecemos. Portanto sem mais enrolações aqui vão minhas previsões para a 4ª temporada:

  • A base. Deve ser este novo grupo, mas não da forma que conhecemos os Outros na atual temporada. Esse novo grupo vai ser muito mais agressivo. Algo os impedia de interferir nas coisas até agora, e quando esse 'algo' for permanentemente removido, o inferno vai se formar na ilha.
  • Adeus praia. A praia que conhecemos e amamos vai dar um tchau definitivo. Prevejo que os Outros vão se revelar de fato como os bons da história e os losties vão se juntar a eles antecipando o surgimento do novo terceiro grupo.
  • Os bons. Vamos descobrir no final da 3ª temporada que os Outros fizeram o que vimos por pura necessidade. Em outras palavras, eles estava protegendo seus próprios traseiros, provavelmente seguindo ordens desse terceiro grupo para evitar um represália deles.
  • Adeus monstro de fumaça. Vá em frente, me chame de louco, mas prevejo que o monstro vai de alguma forma ser destruído no final da 3ª temporada. Por que? Porque ele é o 'sistema de segurança' e o responsável por manter o outro grupo mais afastado e impedido de atacar. Pense nisso, o monstro é chamado de Cerberus (o mapa que Locke encontrou nos diz isso). Cerberus guarda a entrada e a saída do mundo subterrâneo. Com Cerberus fora do caminho, o terceiro grupo estaria livre para reinar na ilha. Vamos ficar de olho!
E é isso por enquanto. Tudo pura especulação é claro. Vocês tem algumas idéias? Contem para nós!

23/03/2007

John Locke ganha ‘férias’ e mais alguns SPOILERS

Acredite no que o título deste post diz. Há SPOILERS abaixo.

.
.
.

Se você ficou tão surpreso e empolgado com o 13º episódio “The Man From Tallahassee” quanto eu, prepare-se para esperar por mais cinco, isso mesmo 5 semaninhas até voltarmos a ver o que acontecerá com Locke e seu pai, o Homem de Tallahasse, Anthony Cooper. Segundo informações do jornal Los Angeles Times, ambos personagens ficam de ‘férias’ e só retornam no episódio 18 D.O.C. centrado no casal Jin e Sun. Segundo nota do jornal, Damon Lindelof promete aos fãs que o retorno de Locke e seu pai vai ser o ponta-pé inicial da história que fechará a temporada.

De início, pode-se até esperar uma certa impaciência dos fãs com essa ‘demora’ pela continuidade da história de Locke ainda mais agora que parece ficar provado que ele tem de fato uma conexão única com a Ilha, mas não se afobem ou se aborreçam, teremos até lá a revelação de quem é o pai do bebê que Sun espera, mais sobre as premonições do brothá Desmond e sua bizarra capacidade de voltar ao passado e novas revelações sobre o envolvimento de Juliet com o que os Outros estão fazendo na ilha.

E se vocês acham pouco, teremos na semana que vém “Exposé”, episódio que mostrará o que faziam Paulo e Nikki desde o dia do acidente. A dupla, vale lembrar, acabou não sendo bem vista pela maioria do público, mas Lindelof e Cuse, produtores da série prometem uma ‘redenção’ para os dois personagens que deve vir através da seguinte história: Paulo e Nikki teriam uma fortuna em diamentes roubados e outros metais preciosos que teriam sido perdidos durante a queda. Os rumores indicam que Ethan vai tomar posse da carga perdida e fará um acordo com a dupla em troca de informações, o que claro os qualificaria como traidores dos losties. Indo além, parece que após um contato com uma aranha capaz de provocar paralisia, Nikki será dada como morta e acabará sendo enterrada viva, e que Paulo acabará sendo morto por um ‘Outro’ antes de usufruir dos louros de sua colaboração.

Pois é, se isso se confirmar, o final da dupla será impactante de fato e nos mostrará mais um lado da história envolvendo Ethan infiltrado dentre os losties, mas e a tal redenção dos dois onde fica?

Por Davi Garcia

22/03/2007

Lost Promo EUA 3x14: "Exposé" (Legendado)

Comentários do episódio 3x13 "The Man From Tallahassee"

S E N S A C I O N A L !!! Só isso pode definir com exatidão o que foi esse "The Man From Tallahassee", o 13º episódio que veio provar aos (a essa altura poucos) ainda incrédulos de que a série continua merecendo o status de melhor das melhores. O clichê é batido e cafona eu sei, mas como já dizia aquele cantor famoso são tantas emoções... Sério. Eu que pensava que não poderia existir outro final de episódio tão surpreendente quanto o de "Par Avion" fui absolutamente sugado pela revelação final do coelho que saiu da caixa. Anthony Cooper na ilha? Simplesmente o causador da paralisia de Locke, seu próprio filho? Uau!

E como início de comentário quero destacar que esse episódio entra desde já no topo da minha lista de preferências daqueles que nos presentearam com as melhores cenas entre personagens em todo a história da série até aqui. O que foram os diálogos entre Ben e Locke hein?! Dois atores brilhantes em atuações fantásticas traduzindo com extrema competência o cinismo, a ironia, a raiva (mesmo que contida) e tudo o mais com gestos e olhares. Excelente! E se um dia fizerem uma série só com o Ben e o Locke conversando sobre qualquer coisa eu assisto.

O episódio foi muitíssimo bem dosado. Do início ao fim, quer fosse no flashback ou nas ações correntes da ilha, tudo funcionou em uma progressão crescente de revelações e descobertas que não só nos deixavam impressionados, como também ansiosos pelo desfecho daquilo tudo. São vários os questionamentos que poderemos levantar depois de ver e rever o episódio, mas três que surgem para mim agora são: 1) Afinal, Jack é um traidor por ter aceito o acordo que o levaria para fora da ilha, ou é injusto tratá-lo como tal, pois ele já abrira mão dessa chance uma vez para salvar seus amigos? O que VOCÊ faria no lugar do Dr., hein?! 2) Será que já dá para afirmar com certeza que Locke age meticulosamente buscando atingir seus próprios interesses desde o 1º momento em que se levantou na ilha, ou simplesmente age por instinto ao conectar-se com o único lugar que o faz completo como ele nunca fora lá fora? 3) Se Locke já ganhou consciência de que ele e a ilha são dois organismos intrisicamente ligados, poderíamos assumir que a hípotese dele ser fruto de um projeto da Dharma torna-se cada vez mais plausível? (Vejam o que a Juliana disse neste post) As perguntas são muitas como sempre, mas pensar sobre as variáveis e possíveis respostas é um exercício dos mais divertidos, por isso os convido a viajar nessa comigo e dividir nos comentários que idéias vocês ganharam depois desse episódio e que impressões poderemos esperar de agora em diante.

Lost já provou desde a 1ª temporada que desenvolve uma narrativa estruturada que constrói as caracterísiticas de cada personagem e os faz em algum momento da trama, encarar de frente seus piores fantasmas. Locke está agora frente a frente com o seu particular, o "Homem de Tallahasse", seu pai Anthony Cooper, simplesmente o responsável mór por sua paralisia e fonte de suas maiores angústias e medos. Será que Locke encontrará enfim sua paz? A Ilha o ajudará nessa jornada, ou ele se renderá à idéia de vingança pura e simples? Respostas em breve, muito breve.

Por Davi Garcia

21/03/2007

Bastidores da Terceira Temporada


Sneak Peek 3: 3x13 "The Man From Tallahassee" (Legendado)


Sneak Peek 2: 3x13 "The Man From Tallahassee" (Legendado)


Podcast oficial de 20/03

No podcast oficial dessa semana, os produtores Damon Lindelof e Carlton Cuse comentam o que vimos nos episódios “Enter 77”, “Par Avion” e também falam sobre os inéditos “The Man From Tallahassee” e “Exposé”, além claro de responder algumas dúvidas dos fãs.

Quem participou desta edição também, foi a atriz Emilie De Ravin (Claire) que comentou sobre o quão emocional foi o episódio para sua personagem, não só por causa dos acontecimentos na ilha, mas sobretudo pelo impacto da revelação de vermos que ela e Jack tem o mesmo pai. Sobre isso aliás, ela acrescentou que acredita que em algum momento devemos ver os dois descobrindo sua forte ligação, quer seja através de um comentário ou mesmo por fotografias, mas levantou a bola de que talvez um dos dois já tenha conhecimento disso, o que pelo que vimos até agora parece improvável. No 2º e mais longo segmento do podcast, os produtores Lindelof e Cuse participam brincando e fazendo piadinhas como já lhes é de costume. Para começar Cuse justificou a ausência dos dois nas edições anteriores, explicando que eles estão atualmente escrevendo os 4 últimos episódios da temporada e Lindelof aproveitou para dizer que vê a série mais equilibrada no momento, já que há um maior balanceamento entre a trama envolvendo os Outros e os losties originais. Comentando sobre “Par Avion” e a revelação sobre a ligação familiar entre Jack e Claire, Cuse brinca perguntando a Lindelof o que acontecerá se os dois personagens fizerem sexo na ilha, ao que Damon responde ironicamente dizendo que um raio cairia sobre os dois, já que um mínimo de moral é necessário na série :p

Falando sobre “Enter 77” (que foi escrito por eles), a dupla discute sobre o surgimento de Mikhail Bakunin e confirma que nem tudo o que ele disse era mentira ou jogo de cena e que sim, os Outros são os hostis denominados pela Dharma, sobre a qual ainda descobriremos muito mais bem como sobre os eventos da tal ‘purgação’ mencionada naquele episódio. Sobre Mikhail Bakunin, Carlton Cuse deixa no ar que não é certo que ele tenha morrido, o que convenhamos seria bem interessante. A dupla comenta ainda que no episódio que vai ao ar hoje nos EUA descobriremos muito mais sobre as motivações de Locke estar agindo como se quisesse acabar com todas as possíveis formas de sair da ilha.

Dentre as outras confirmações que a dupla de produtores deu estão: 1) Os outros não tinham muito conhecimento sobre a estação Cisne (a que foi implodida), daí Ben ter tentado se infiltrar ali. 2) O “ELE” tão mencionado até então é mesmo o tal Jacob, que deve aparecer mais cedo ou mais tarde. 3) “Exposé”, episódio da próxima semana que trará flashbacks de Paulo e Nikki desde o acidente é apontado como a resposta de uma grande questão mitológica da série. Ê ansiedade...

Por Davi Garcia

Sneak Peek 1: 3x13 "The Man From Tallahassee" (Legendado)


Tradução e Legenda: Lucas!(Dude)TH3numb3r5

20/03/2007

Terry O’Quinn dá dicas sobre o que vém pela frente

ATENÇÃO! Este post contém SPOILERS para quem não acompanha a 3ª temporada juntos dos EUA.

.
.
.

Entrevista originalmente postada no TVGuide.com
Traduzido e adaptado por Davi Garcia


A origem das tatuagens de Jack? Agora não. No episódio dessa 4ª-feira (nos EUA) os fãs vão ter uma resposta para um grande mistério: o que deixou John Locke paralítico e o colocou na cadeira de rodas? Terry O’Quinn bateu um papo com a TVGuide.com e deu umas dicas. Além disso, o que pensa o elenco sobre a possibilidade da próxima temporada ser exibida sem interrupções.

TVGuide.com: De acordo com a sinopse da ABC para este episódio, “Ben tenta persuadir um Locke determinado a desistir de seu plano destrutivo e oferece a ele a solução de alguns dos mistérios da ilha.” O que você pode nos dizer sobre o plano de Locke?
Terry O’Quinn: Nada (risos). Eu não sei dar dicas. Não há nada o que eu possa revelar porque não sou cuidadoso o bastante. Não sei o que é seguro dizer ou o que não é.

TVGuide.com: Em quais segredos da ilha você diria que o Locke tem mais interesse? Qual seria a melhor oferta do Ben?
O'Quinn: Nesse ponto provavelmente qualquer coisa que se relacione à origem dos poderes que ele relacione à ilha e de onde eles vém. Como os Outros se adaptam a isso e como ele pode se adaptar a isso e fazer isso funcionar, preservar e proteger?

TVGuide.com: Certo, porque Locke sempre assumiu que a ilha é algum tipo de entidade à qual deve se ligar.
O’Quinn: Obscuro como todo o resto, é nisso que ele gostaria de acreditar.

TVGuide.com: Vamos descobrir porque Locke estava em uma cadeira de rodas. Como essa revelação soa para você e como você acha que os fãs vão encará-la?
O'Quinn: Penso que ela é bem satisfatória. Para mim nunca se tratou de como ele foi parar na cadeira de rodas, mas sim o fato de que ele estava nela e foi libertado (depois do acidente). Mas então as pessoas começaram a pensar sobre como isso aconteceu e eu tinha receio de que a revelação fosse inócua e desapontasse, mas não é isso que acontece.

TVGuide.com: As circuntâncias da paralisia de Locke estão atreladas ao passado de outro lostie?
O'Quinn: Não sei se esse é o caso ou não... Mas eu penso que a revelação disso é espetacular. Não creio que alguém vá ficar desapontado. Ela explora aquela sensação de incredulidade como tantas outras coisas em Lost fazem, mas se você estiver disposto a entrar no que ela propõe é bem legal.

TVGuide.com: Sim, um dos primeiros momentos “Uau”em Lost foi aquele na agência de viagens onde o vimos em uma cadeira de rodas, então vai ser bom ver o ciclo completo dessa história.
O'Quinn: Sim. Eu penso que há alguns momentos “Uau” e alguns outros grandes momentos nesse episódio.

TVGuide.com: Vi que teremos alguns detetives na lista de atores convidados. Eles são parte do flashback do Locke?
O'Quinn: Sim. Sim.

TVGuide.com: Você sente que a série retomou o fôlego depois de encontrar o equilíbrio entre as ações da praia e dos Outros?
O'Quinn: Eu realmente não sei para onde estamos indo. Depois de conversar com os produtores ou com os roteiristas algumas vezes, dependendo da sua persistência você se dá conta que é um exercício vazio – especialmente se você tem uma agenda por trás, se diz que gostaria de ver algo acontecendo, ou... eles vão escrever o que quiserem escrever, eles têm a história planejada e não podem tomar liberdades para satisfazer qualquer ator que seja.

TVGuide.com: Ou para satisfazer os fãs, ou a audiência.
O'Quinn: Esses são os que eu provavelmente ouviria um pouco mais, mas isso é uma estrada rumo à perdição também, porque você se perde tentando agradar essa ou aquela pessoa. Eu acho que eles tem que manter o planejado. Não conheço nenhum ator que diria, “Essa série seria melhor se eu aparecesse menos.” (risos) Eu gosto do meu trabalho e amo meu personagem, então eu gostaria de fazer mais com ele, mas eles têm muita bolas para manter rolando.

TVGuide.com: Quando você mais gosta de fazer o Locke?
O'Quinn: Quando eu me sento, caminho ou falo com outro personagem, onde eu realmente posso conversar com alguém sobre coisas “normais”, porque Locke meio que tem uma agenda particular e está em uma missão íntima e é muito reservado. Mas eu sempre gostei para onde as histórias caminharam, as cenas onde eu entro nas histórias de outras pessoas e acrescento alguma coisa.

TVGuide.com: Eu me lembro de quando nos demos conta que Locke estava construindo um berço para Claire.
O'Quinn: Exato. Eu só posso responder como ator, mas Locke tinha esse sentimento na primeira temporada, de quando ele viu a escotilha pensou, “Talvez essa seja a resposta, algo a que eu possa me apegar e vai me ajudar a manter esse sentimento”, mas uma vez que ele entrou na escotilha, ele basicamente perdeu isso. Desde então, ele tem lutado para recuperar isso e algumas vezes de uma forma não tão esperta, ou tão graciosa. Mas isso é o que ele quer encontrar de novo e preservar. Isso e um pouco de amor! Minha impressão é que ele quer ter fé em alguém.

TVGuide.com: Talvez o próximo carregamento Dharma inclua Katey Sagal (a Helen dos flashbacks)
Quinn: (Risos) Eu não tenho certeza se essa é a reposta ou não.

TVGuide.com: Nessa temporada tivemos 6 episódios, e então uma longa pausa. Quais seriam as consequências para o elenco se na 4ª temporada, a ABC quisesse exibí-la de de forma ininterrupta?
O'Quinn: Pessoalmente penso que seria maravilhoso. Essa série tem um clima de filme nos valores de sua produção e na sua narrativa. Eu diria, “Vamos fazer tudo de uma vez, sem repetições, nem intervalos, mas fazê-la consistente para que as pessoas a vejam e possam seguí-la.” Nessa temporada eu teria feito 12 episódios e depois mais 12. O que o cronograma atual não fez foi ligar todo mundo na nova temporada, já que ela basicamente focou os Outros, Jack, Sawyer e Kate. Ficou desequilibrada tanto em termos do número de episódios quanto em termos de apresentação dos personagens, penso eu.


TVGuide.com: Com relação à situação do início da temporada com Adewale Akinnuoye-Agbaje (Mr. Eko): Com a produção de Lost isolada no remoto Havaí, se torna mais difícil para um novato se integrar ao elenco?
O'Quinn: Isso não me surpreenderia, se fosse o caso. Inicialmente, todos estavam bem ligados – as pessoas saiam juntas para comer e se divertir, embora eu more bem longe do resto do elenco. Mas eu penso que isso possa ser o caso agora porque as pessoas já encontraram seus nichos. Se você vem para cá, fica bem isolado. As pessoas aqui meio que já passaram por esse estágio (de sair juntas), então se você vém da Califórnia para trabalhar na série, você tem que se virar sozinho. Vai ficar em um hotel do centro da cidade, e não necessariamente vai sair tanto com outros membros do elenco. Portanto, entendo o quanto seja importante se adequar e socializar com quem você trabalha, não é fácil ficar aqui, e você não tem muitas opções.

TVGuide.com: Você é fã de ficção cinetífica por natureza?
O'Quinn: Não muito. Quanto mais próximo à realidade, mais eu me interesso.

TVGuide.com: Então você nem está fazendo lobby com J.J. Abrams para ser incluído no filme de Jornada nas Estrelas que ele fará?
O'Quinn: Nãoooo… Não estou fazendo lobby com J.J. Abrams de jeito nenhum. Eu nunca fiz, J.J me disse enquanto eu fazia Alias, que algum dia trabalharíamos juntos e que ele me daria um papel regular em algum série dele. E ele fez o que disse, o que eu considero ser uma exceção em Hollywood. Ele apenas me ligou e me ofereceu esse trabalho, e isso aconteceu na hora certa. Eu disse sim sem qualquer dúvida.

Fotos Promocionais 3x13 "The Man From Tallahassee"