15/02/2007

Comentários do episódio 3x08 – “Flashes Before your Eyes”

Ah esses roteiristas e suas histórias maravilhosas... Incrível como uma ‘simples’ série de tv consegue me proporcionar prazer como poucas outras fontes de entretenimento o fazem. “Flashes Before your Eyes”, é um presente a todo fã de uma ficção bem construída com elementos dramáticos bem desenvolvidos. Ele é acima de tudo um episódio que pode representar o convite definitivo àqueles que por algum motivo ainda não haviam embarcado na maravilhosa viagem que é acompanhar Lost. Esse 8º episódio, foi tão arrebatador para mim, e me deixou com tantas idéias desconexas pulando na cabeça que fui incapaz de escrever o comentário na madrugada como geralmente faço, e creio que o mesmo efeito também tenha ocorrido com vocês não é?

É muito provável que várias críticas surjam apontando uma eventual “forçada de barra”, ou questionamentos acerca sobre os rumos da mitologia central até então desenvolvida, mas defendo que a decisão (arriscada) foi absolutamente corajosa e inteligente. É uma possibilidade nova que se apresenta e que se explorada pode entrelaçar vários mistérios de uma forma plausível dentro da realidade ficcional, portanto parabéns e obrigado à dupla Cuse & Lindelof pela iniciativa que me torna um fã ainda mais entusiasmado dessa maravilhosa série.

Desmond é sem qualquer dúvida um dos meus personagens preferidos (os outros são Sawyer, Locke e Ben) e é exatamente com o líder dos Outros que ele disputa o papel de melhor adição ao elenco. Mesmo sem ter aparecido muito até agora, é inevitável dizer que quando o fez, sempre foi de forma marcante, talvez não apenas pela incrível história do personagem, mas sobretudo pelo talento do ator Henry Ian Cusick que empresta um carisma e uma profundidade interessantíssima a um personagem que em teoria estaria relegado a ser apenas mais um dentre tantos. Inaugurando uma nova fase na série, Flashes Before your Eyes coloca o flashback (outra definição talvez?) como o evento central do episódio, relegando os acontecimentos da ilha a um plano secundário, mas não menos importante, afinal não dá para descartar as cenas maravilhosas entre o trio Desmond, Charlie e Hurley divagando, bebendo e cantando, ou mesmo a chocante cena final em que o ‘brothá’ revela que destino está reservado para Charlie. Mas ei, esse não foi o grande acontecimento do episódio certo? É no flashback que tudo acontece e nossa cabeça gira em meio a questionamentos como: a)Desmond realmente voltou no tempo, estava em alguma espécie de universo paralelo, ou simplesmente sonhava? b) Se ele de fato voltou ao passado, como seria possível que a Sra. Hawking (Fionnula Flanagan) soubesse de tudo aquilo? c) Afinal, do que vimos, o que de fato aconteceu no passado de Desmond? Pois é, são perguntas com uma miríade de respostas que vão movimentar debates, algo que só Lost consegue fazer.

A história passada de Desmond é das mais interessantes na série, um mistério que nos ‘incomodava’ desde o 1º momento que o vimos na escotilha, e poder experimentar aquele turbilhão de emoções é uma viagem e tanto. O rompimento do relacionamento do ‘brothá’ com Penny Widmore é de cortar o coração, mas foge da pieguice que geralmente vemos nesse tipo de situação. Até mesmo a humilhação pela qual passa frente Charles Widmore, é tão bem escrita que ganha contornos ricos que só enaltecem a qualidade deste episódio. Se Desmond prevê o futuro, se consegue voltar ao passado, ou se aquilo tudo não passa de mais uma ‘brincadeira’ da ilha eu não sei, mas o que quero agora, são novas histórias envolvendo esse misterioso e agora ainda mais importante personagem. Apertem os cintos, a montanha russa da ilha voltou e com tudo!
Por Davi Garcia

39 comentários:

raquel disse...

eu também amei esse episódio, do começo ao fim. Estava até meio enjoada de assistir as histórias da outra ilha, ver nossos queridos novamente foi um alívio.
Confesso que fui enganada, achando realmente que o destino do desmond era salvar claire. Mas pelo o que eu percebi, parece que uma vez que o desmond tenta mudar o futuro, a pessoa que ele tentar ajudar está fadada a um destino cada vez mais perturbador. Não quero que o charlie morra, mesmo achando que às vezes ele é um pentelho!
Desmond também é um dos meus favoritos, atrás do sawyer.
Adoro seus comentários e leio o blog todos os dias!

fabio moraes disse...

acho que tive um Deja Vu de Matrix assistindo a "Oráculo" de cabelos brancos sentanda com Desdemon no banco da praça. A terceira temporada só voltou pra povar q vai ser ruim. muito ruim.

The name is Plissken disse...

Lost se embrenha no terreno da metafísica. E no melhor estilo Donnie Darko. Aliás, Flashes Before guarda muitas semelhanças com este.
Tá aí uma coisa que eu nunca tinha pensado sobre a frase "minha vida passou diante dos meus olhos". E se pouco antes da morte, o sujeito vendo sua vida passar diante de seus olhos, tentasse alterá-la?
Muitos disseram que tudo deve ter sido um sonho do Desmond, e eu até concordaria. Mas aí esbarramos no fato dele estar prevendo o futuro alí na ilha. Ligando os pontos, a única conclusão que chego é de que Desmond - no futuro - a beira da morte, está vendo sua vida na ilha e tentando alterá-la.
Enfim... Diabos, que episódio excelente, no mínimo pega um Top 5.

Ps."Sra. Hawking"? Alguma relação com o livro que o carcereiro Aldo estava lendo no episódio passado, escrito por Stephen Hawking?

Marcos Piccin disse...

o melhor episódio de toda a série só podia ser protagonizado pelo melhor personagem!!! FOOOOOOOOODA!!!!!!!!!!

Danielle Rocha disse...

Não sei se tô viajando, mas se o Desmond vê flashes do futuro é porque ele já esteve lá e de alguma forma voltou, né!?!?!?!? Eu acho que tô meio doida ainda com o ep...... Mas penso que ele só possa ver coisas que ele já viu....
Ihhh vou parar por aqui!!!!!!!

Bruno Carvalho disse...

Adorei. Mas nao acho que Desmond voltou no tempo ou sonhou. Acho que tudo aconteceu exatamente do jeito que aconteceu e a edicao fez parecer que uma cena era continuação da outra.

Como se ele tivesse tido uma previsao da escotilha implodindo quando ele caiu e da ilha e ao acordar ficou com espanto. Ele sonhou, no futuro, num flashfoward. Comentei mais aqui tb. Falow

http://www.cinemaemcena.com.br/falandoserie

vitor disse...

Ao final do episódio somente um PqP resume o que eu senti ... hehehe
A mente ferve de idéias!

Davi II disse...

Sou da turma ( se é que ela existe) que detestou o episódio.

Ridiculo aparecer um "oráculo" ao melhor estilo Matrix.

Lembro que os roteiristas falaram que tudo na serie tinha uma explicação cientifica plausivel, coisa que não ocorre neste episodio.

Se Desmond sbe do futurto, por que não achga a saida para a ilha? Por que não salva Jack e companhia da turma dos "outros"?

E fazer spoiller dentro da série é demis, avisar que Charlie vai morrer foi demias, isso pra mim é um recado os que o detesta aguentarem mais alguns episodio, pois, ligo se livrarão dele.

Desculpem, mas foi um lixo de episodio se comparado aos maravilhosos: "I Do' e "Not in Portland".

Thales disse...

sra hawking= stephen hawking

Acho q aquele livro nao estava na mao do guarda a toa MESMO

Pacha Urbano disse...

Acho que o que mais me irrita e me faz sentir preguiça de LOST é a quantidade de perguntas sem respostas, de mistérios insolúveis e a sensação total de desconhecimento do se está sendo passado.
Se isso tudo for "hipertexto" como muitos dizem, a fórmula já foi longe demais.
Não precisa mastigar pra mim, mas não me dar nenhuma informação em que me fiar é extremamente desconfortável e inconveniente.
Digamos que LOST está ficando a cada episódio mais insoço.

Anônimo disse...

Não abre só discuções, faz vc brigar com a namorada tambem, começando por isso... =(

Bom, muitas perguntas realmente, mas isso que é legal no seriado, a complexidade das coisas, e esse foi um exemplo perfeito de fusao ao personagem, sofrimento, e mistério lostiano. espero que continuem assim, pq está perfeito, esse ultimo foi um dos melhores (senao o melhor) episodio de lost (e outras series) que eu ja vi. Parabens, muito foda MESMO!

Paola disse...

Realmente gostei muito do epis�dio. Apesar de achar a carga de perguntas pesada demais depois de um epis�dio como esse. Eu me lembrei do vidente da Claire tamb�m, vis�es do futuro nao est�o t�o incomuns em lost! Epis�dio que me deixou vidrada durante todos os 42 minutos, nao tirei os olhos de jeito nenhum!
obs: Alguem tamb�m viu uma certa semelhan�a com o filme "Efeito borboleta"?
grande epis�dio!

Anônimo disse...

não sei colocar se o episodio foi bom ou ruim...

mas eu quase chorei quando ele brigou com a pen, e dei um pulo da cadeira com o final falando que o charlie vai morrer!

mas o episodio é bem confuso, acho que esse episodio ainda será explicado num futuro flashback...

bem confuso mesmo

hangar disse...

Adorei o episódio tbm. Mas preciso registrar o qto ser fã as vezes dificulta a crítica: nenhum blog ou página que conheço falou uma linha sobre o fato (pode ser bom , ou não) de o flashback ter tomado o episódio quase todo, mto mais q em outros.

É uma mudança de forma importante, uma estética vital para série. Precisa ser debatido. Pq o episódio foi ncrível, mas de longe não foi uma "real" volta à ilha e praia originais.

Anônimo disse...

esperava mais, esse episódio nem se compara com Not In Portland, praticamente só teve flashbacks, e quando eu acho que na ilha é que ocorrem as coisas emocionantes..

Anônimo disse...

Eu amei este episódio.. Me fez pensar várias coisas.. eu sei que eu posso estar viajando, mas quem aqui tem certeza de suas teorias?

1- Achei legal aquele lance do Oráculo-Matrix.. Talvez o Desmond realmente consiga ver além do óbvio, como o Neo

2- Acredito que muito das ações do Desmond estejam baseadas na Teoria do Caos, mais ainda com o Efeito Borboleta (aliás, a Teoria do Caos é otima para o Lost.. muita coisa interessante, numeros, a equação de Lorenz, prever o futuro da humanidade, ..)

3-Ele se irrita muito de ser chamado de covarde por todos, talvez pq apesar dele saber o que pode acontecer ele não muda o rumo de suas açoes.. exatamente como fez a Oraculo com o cara do tenis.. Porque ele sabe que suas ações também causam reações.. Mas resolveu mudar e tomar atitude com relação ao Charlie..

Aff... to indo muito fundo..

PS: Dei uma pausa pra tentar ler o nome do livro de onde ele tira a chave.. nao consegui.. mas o do lado era extremamente facil de ler e se chama: Lei da Gravidade..
Agora diz que aquele outro livro nao tem nada a ver.. Stephen Hawkin é expert em Buracos Negros e Gravidade!!!

Oliver disse...

Só pra salientar o fato de o Desmond ter falado q o Charlie vai morrer: isso ainda não deve ser considerado fato consumado. Eu, aliás, acredito que quem vá bater as botas seja o próprio Desmond provando que "o destino pode ser mudado a altas custas"

Carlos Eduardo disse...

Mais perguntas e mais linhas exploratórias: Atlantida, experiencia cientifica, tunel do tempo, realidade paralela. PQP, roteiristas bebados entretendo um publico que curte ser explorado.

Rodrigo disse...

Pessoal, li todos os comentários.

Quando Desmond voltou ao passado (acho que isso é um fato, pois se ele sonhou, ele então está sonhando também sobre os acontecimentos presentes da ilha), ele só conseguia ter flashs sobre o que aconteceria no futuro, como ele está tendo flashs sobre o Charlie. Ele não tem uma visão clara do que acontecerá no futuro.

A questão principal a ser levantada do episódio é: há um destino marcado para todos os personagens? Vimos que Charlie quase morreu durante a primeira temporada (por enforcamento pelo Ethan). Se isso for verdade acredito que a série vai ficar presa "ao destino".

Outra questão não respondida é a seguinte: vimos que Desmond voltou ao passado, mas não vimos a sua ida ao futuro. Quando que ele viajou para o futuro e quando ele voltou de lá? Se essa viagem ao passado está ligada à ativação das chaves na ilha, então é provável que Desmond tenha ativado uma segunda chave que o tenha feito retornar ao momento presente na ilha. Que chave é essa? Será de outra escotilha?

A tal senhora podia ser seu próprio subconsciente, como Desmond mesmo assinalou.

Outra questão: por que quando Desmond levou uma cacetada e desmaiou ele acordou na ilha? Se ele tinha realmente voltado ao passado, ele teria que viver aquilo até o fim, e não há nenhuma conexão entre a paulada na cabeça e acordar na ilha. Desmaiar no bar não determinaria seu destino. Ele ainda teria que se inscrever na competição, encontrar a doidinha e conseguir o barco. Eu achei isso um furo se a ele realmente tenha voltado ao passado, mas seria plausível se fosse apenas um sonho.
Mas a possibilidade de um sonho faria com que os acontecimentos presentes também fossem um sonho de Desmond.

Vinícius disse...

Sem querer "tirar" a galera, mas antes de vim falar bosta desse epi. acho que deviam ler pelo menos a parte do livro do Stephen Hawking que foi CLARAMENTE indicado no episódio anterior, já que uma coisa foi clara nesse episódio
Sra Hawking faz alusão à Stephen Hawking, e já sabemos que lá está dizendo algo sobre viagem no tempo.
então intende-se que não é algo tão absurdo assim!!!

Rodrigo disse...

Outra referência legal nesse episódio e que acho que não tinha sido comentado aqui é o nome completo de Desmond tem referência mesmo com o filósofo David Hume. A senhora (ou outra pessoa no episódio) diz: "Desmond David Hume". Qual a relação do filósofo com o que foi apresentado no episódio. Hume era um cético, não acreditava que pudesse haver provas suficientes sobre a relação entre uma causa e um efeito, como se a mera repetição de um fenômeno sempre seguido de outro não fosse uma prova suficiente de que os fenômenos estivessem ligados entre si como uma lei. Então poderíamos nos questionar: será isso uma referência ao personagem de Desmond, que mesmo sabendo que há uma lei de causalidade inevitável (a morte de Chalie) continua duvidando dela ou, pelo menos, querendo evitá-la ao máximo, como o cético Hume?

Nós percebemos que Desmond está desafiando essa lei do destino (e da causalidade) o máximo que pode, mesmo que ele diga que Charlie irá morrer. Muito legal se essa referência ao filósofo David Hume foi realmente pensada dessa forma

Guilherme disse...

Tb sempre achei o Desmond um dos personagens mais fodas!

O episódio foi incrível mesmo! algo diferente daquilo q vinha sendo a 3a temporada! Surpreendente! Na minha opinião foi um episódio q ao mesmo tempo q explica, não explica. Mas isso é característico do Lost mesmo. E aí está o q tb me encanta na série.

Milhares de novas idéias aparecem. Agora sabemos o q aconteceu com Desmond, mas se for parar pra pensar sabemos muito superficialmente! Espero q invistam um pouco mais nessa história, mesmo q seja aos poucos e daqui a um tempo (o q é tb cracteristico da serie) e q não seja esquecido; pois estou muito curioso pra saber o q vai acontecer com Charlie.

Muito bom mesmo, sei q gostaríamos todos de ver soluções sobre alguns mistérios já apresentados nessa 3a temporada; porém uma hora teriam q contar o q aconteceu com Desmond e do jeito q foi esse "flashback"(?); com certeza veio em boa hora!

Agora uma dúvida me surgiu: a história está se repetindo? é uma possibilidade? eu não acredito mto até pq não acho q tenha sido uma viagem no tempo. estou tendendo mais pro lado do seguinte comentario mesmo tendo algumas coisas sem sentido na historia:
"Tá aí uma coisa que eu nunca tinha pensado sobre a frase "minha vida passou diante dos meus olhos". E se pouco antes da morte, o sujeito vendo sua vida passar diante de seus olhos, tentasse alterá-la?"


Mto boa mesmo essa interpretação de "The name is Plissken"

Foi mal escrevi de mais, mas é q esse episódio me facinou meeeeeeeeeeesmo!

Rafael disse...

esse episodio foi demais..sem duvida o melhor da 3° temporada..
me deixou viajando aki !
na verdade ele naum sabe o futuro como alegou o rapaz ali em cima..foi como se ele tivesse retornado ao passado, mas naum da maneira q sempre vemos, senaum ele encontraria o desmond dakele tempo por lá né ! =p tá mais pra ideia de q a vida passou diante dos olhos dele de uma forma bem mais "diferenciada", dando a ele até a chance de alterar o q ja viveu..Lost Time na veia =p
mas ae apareceu akela velhinha do capeta q sabia de tudo, nessa eu me perdi de vez !!!
Mas isso é lost, viajar msm nas teorias hehe

Rafael disse...

eXecelente episódio...(muito melhor que o "Not In Portland")
Isso naum foi só um Flashback, Desmond realmente voltou ao passado. Coitado, fiquei com pena do cara... Está completamente pertubado com essas "duas vidas" que está vivendo. Aê, Quem mais aê sacou que aquele Donovam é o mesmo cara que faz o amigo do Mohinder em Heroes?!

Anônimo disse...

Gente...
Nem dormi direito essa noite... muita confusão... hsuahsuahsuah
mas td de bom...
minha cabeça ta cheia de ideias mirabolantes... tds perdidas...

Felipe disse...

Acredito que muitas dessas indagações saborosas sobre o que realmente ocorreu com Desmond possam sob olhares mais atentos ser respondidas. Por isso vi e revi algumas cenas chaves do “Flashes Before Your Eyes” e tirei as seguintes conclusões.

Começando do início, o próprio título penso ser fundamental: “Flashes Before Your Eyes” é a expressão em inglês que representa aquele estranho fenômeno testemunhado por muitos de ver a vida passar diante do olhos nas frações de segundo que antecedem sua morte ou quase-morte (dependendo da crença de cada um), e é exatamente isso que, na minha opinião o personagem Desmond vive nesse maravilhoso episódio, afirmo isso pos a cena é montada de forma que ele diga “Eu te amo Penny” vire a chave daí um clarão vem a tela e muito rapidamente aparece a chave ainda a ser virada (ou seja não é um sonho de Desmond ou mesmo não é uma viagem ao passado mas sim um flash de alguns acontecimentos de sua vida produzido a partir do estresse do momento).

Se realmente foi isso que ocorreu penso que as cenas a seguir são inspiradas num filme surpreendente chamado “A Passagem”, infelizmente para quem não o viu, revelarei que o mais interessante do filme é o inesperado final em que descobrimos que os bizarros acontecimentos presenciados até então não são mais do que os flashes q antecedem a morte do protagonista, porque tanto em Lost quanto no filme os personagens em seus flashes misturam realidade e ficção, ou melhor ao ver suas vidas passarem diante de seus olhos surgem misturas, alucinações etc. Estou louco? Possivelmente mas lembrem das cenas....1- um grande quadro em cima da cama de Desmond tem símbolos muitos similares aos hierógrafos do contador quando os números não são digitados. 2- O som do microondas no quarto é exatamente o mesmo som do alarme dos números. 3- A música que Desmond está ouvindo no Pub é a mesma que ele ouve quando após três anos sozinho na escotilha ele percebe a presença de invasores (ou seja motivo suficiente para não esquece-la)

Agora atentem ao fato da vendedora de jóias ficar surpresa quando Desmond diz que compraria o anel, ela explica que ele não havia agido assim, ele deveria ter refletido sobre sua decisão de se casar e saído da loja (ou seja isso foi o que aconteceu na vida real de Desmond). Agora reparem no detalhe de antes de encontrar o Charlie tocando na rua Desmond para e encara um local de alistamento militar.....aham mais uma pista.....teoricamente quando ele vivenciou isso e saiu da loja refletindo sobre seu casamento ficou parado em frente ao posto de alistamento militar pensando se não era isso que deveria fazer da vida (lembremos que ele foi do exército real e que que foi preso por não seguir ordens). Em seguida e continuando o mesmo raciocínio entendo como má interpretação a afirmação que ele previu que iria chover enquanto conversava com Charlie em Londres, ouçam o que é dito e percebam que ele está anunciando fatos futuros como ele ter entrado para a regata, se perdido, se afastado da Penny e ter começado a chover (quando ele chegou na ilha estava chovendo e no meu entender ele está se referindo a essa chuva) portanto a chuva que vem a seguir é mais uma vez mistura de entre os acontecimentos passados. Logo após ele encontra com a Penny e através da fotografia paga por ela, Desmond finalmente decide em definitivo que sua vida está errada e que deve se separar dela

Por último lembremos da cena em que Desmond conversa com seu amigo no Pub e diz que haverá um gol no jogo sendo assistido por eles e que o barman será nocauteado com uma paulada na cabeça, após saber que o jogo em questão era o do dia seguinte ele diz que estava certo e que ainda podia mudar as coisas (mudar o futuro), a seguir impede que o barman fosse atingido com um golpe na cabeça, ao invés disso Desmond é atingido, o que seria esse acontecimento senão a prova de que se pode mudar o futuro?

Para concluir, se tudo isso fosse verdade eu acharia um trabalho de gênio bolar toda essa historia dessa maneira dando a entender que o tempo todo que o flashback estava se referindo ao destino não estando, mas penso ser muito mais provável e coerente com a série o oposto, ou seja, ser tudo o que foi elaborado nos parágrafos acima uma tentativa de racionalizar o processo que na verdade é simplesmente obra do destino (me refiro as conhecidencias como o quadro em cima da cama, o alarme do microondas, a musica no pub, Charlie e os numeros). Quanto a possivel viagem no tempo ou o sonho acredito que a citação Sra.Hawking seja apenas para dar a entender a viagem no tempo a seguir por remeter ao grande Stephen Hawking.Independente do que seja, essa teoria toda não consegue explicar como Desmond consegue prever o futuro e porque ele acordou da implosão pelado.

julia disse...

Ótima observação a do Rodrigo!

Anônimo disse...

A maior coisa que descobri nesse episódio é que os produtores são fãs de premonição. Isso eu não sabia, tá certo que eles estão tratando do assunto de uma forma mais madura/adulta do que aquela palhaçada do Premonição ,bem , isso é só o começo, uma ponta do que está por vir, novamente Lost respondeu algumas perguntas mas criou muitas outras.Mas o ep em si não achei tudo isso não, curto d+ o "Brother" mas o ep achei razoavel pra bom(deve ser pq o 7° foi bom d+) momentos bons foram os 3 bebendo, o final com o charlie e principalmente o pai de Pen humilhando o Desmond.Essa parte achei show, tão boa quanto aquela entre o Michael e Eko, quando o Eko conta a historia do menino que tava com medo pq matou o cachorro.

Zozolino disse...

Quem reparou na cena que o Desmond fala com o pai da Penny, ele olha o quadro na parede e da parar ver um urso polar e a palavra NAMASTE escrita no quadro?

Mauricio disse...

Alguém percebeu alguma relação com o "Mágico de Oz" ? Como o cara sendo esmagado deixando apenas os sapatos vermelhos de fora...
Doroty viaja para um mundo paralelo quando sua casa é engolida por um tornado, e chegando lá a casa cai em cima de uma bruxa, esmagando-a e deixando apenas os sapatos vermelhos de fora. Mera coincidência ???

Sid Sad disse...

Eu li todos os comentários e dizer o que eu acho do episódio seria repetir trechos do que o felipe falou aqui encima e o rodrigo falou lá encima.

O que tenho pra comentar é mais "leve", tem a ver com o que vai acontecer.

Ninguém nega que o Desmond está certo sobre o Charles (digo, que ele realmente foi salvo do raio e do afogamento). Neste caso, o Brótha deve salvar o Charles todos os dias (todos os episódios, talvéz?)!

Aí eu pergunto pra vocês: isso não seria um elemento divertido (sim, porque apesar da seriedade da coisa, seria uma situação divertida, convenhamos) se o Desmond salvasse o Charles de uma morte diferente a cada episódio?

Vocês já viram South Park, um personagem morre em todos os episódios, seria mais ou menos isso.

Claro, os "puristas" não iriam gostar dessa "brincadeira" mas acho que ficaria muito legal.

Anônimo disse...

A sra. Hawkins é a mesma mulher que aparece falando com o Jack, atrás de uma cela, no promo americano do episódio 9?

Patricia disse...

Realmente houve uma pitada de Matrix neste episódio...com a presença do "Oráculo"!Que substituiu os cookies pelas castanhas.
Mas gostei. Tudo pode se esperar dessa ilha, inclusive a viagem no tempo.

Anônimo disse...

Quanto mais cai a audiência de Lost nos EUA, é sinal de q melhor está ficando a série. Afinal, num país onde os campeões de audiência são Beth a Feia e "Dancing with the stars", é um orgulho saber q os americanos não curtem Lost.

Com relação ao episódio, foi sem dúvida o melhor da 3ªtemporada. Foi excelente! Quem não gostou é pq não entendeu nada, é a galerinha q quer saber do casinho Kate/Sawer. Melhor desistirem de Lost e irem assistir Beth a Feia...

Anônimo disse...

cara esse foi o epsodio + num quero que charlie morra nao

Liana disse...

Não pude deixar de ler tudo, e:

Amei os comentários inteligentes; todos tem um pouco de razão em suas teorias e cada um complementa o outro.

Agora, prá fechar com chave de ouro, adorei o que o anônimo falou aí em cima sobre a audiência do Lost nos USA....eles são muito burros mesmo!!! rs

Realmente este episódio é a volta da série que me conquistou, cheia de mistérios e teorias a decifrar. Os momentos de romance e aventuras também me deixam muito entretida, mas nada como os mistérios da série!!!

AMEI...e Desmond é demais, sempre!!

Anônimo disse...

O caso do Desmond, não seria o mesmo do Eko?
Ele tbm estava escotilha, quando explodiu, me deu a impressão de ter "as visoes" ou "viajado no tempo tbm".

flw

Liza disse...

Gostei do episódio mas acho que ele trouxe muitas dúvidas e mistérios, como se a série já tivesse poucos.
Desmond este no futuro ou voltou para o passado ou teve alucinações ou o quê?
Sei lá, bom mesmo é a possibilidade do Charlie morrer...

Paty disse...

Sorry, mas tenho que concordar com o Davi: depois dos ótimos I Do e Not in Portand, esse Flashes Before Your Eyes é uma porcaria: lento, arrastado demais, focado apenas em um personagem. Em termos narrativos, um desastre. Não consegue prender a atenção do espectador (especialmente do que assiste a série sem se preocupar com a mitologia).

Sem contar que esse papo de viagem no tempo não combina com LOST. Os produtores sempre falaram que as explicações para o que ocorre na ilha seriam científicas e não ficção-científica.

Gosto de LOST não pelos mistérios, mas pelos personagens. A interação entre pessoas tão diferentes entre si e com o ambiente faz da série algo inédito.

Em suma: que LOST continue sendo ficção das ciências sociais e trate dos relacionamentos, porque se virar sci-fi convencional vai perder muitos fãs. (A começar por mim)