30/09/2006

Promo - Cena do Epi 3x01 "A Tale of Two Cities " (SPOILER)



Tradução e Legendas Luis Augusto Faria

29/09/2006

Fotos...

Image Hosted by ImageShack.us

Ensaios fotograficos com Evangeline Lilly e Yun-Jin Kim

Fotos Aqui


Image Hosted by ImageShack.us

Matthew Fox se exercitando

Fotos Aqui

3ª temporada de Lost promete muitas emoções

ATENÇÃO! SPOILERS QUENTES ABAIXO. NÃO LEIA SE NÃO QUISER SABER DETALHES DO INÍCIO DA NOVA TEMPORADA.
.
.
.
.

"Fãs de Lost preparem-se! Na coluna dessa 6ª feira de Kristin Veich do E!, o produtor Bryan Burk adiantou, “nós vamos abrir um mundo totalmente novo nessa terceira temporada”. E ele não está brincando.
Haverão muitos momentos “what a fuck is that” (“que me#@! é essa”) ainda nos primeiros episódios da temporada para fazê-los compreender que (a) a série vai adentrar num território completamente novo e inesperado e (b) vocês vão precisar de um estoque de lenços de papel à mão para assistir.
Não só vamos aprofundar a história dos Outros (o foco principal dos primeiros seis episódios), como vamos ver os novatos Rodrigo Santoro e Kiele Sanchez, cuja química na tela simplesmente pode fazê-los esquecer daquela envolvendo Jack, Sawyer e qual é o mesmo o nome dela? Ok, talvez não, mas quase.

Alguns spoilers!
1. Duas pessoas próximas a Sun vão morrer (nota: são “próximos” a ela de maneiras muito diferentes).
2. Que o beijo que você viu nos promos não é exatamente o que parece.
3. Vai rolar outro beijo.
4. Dois Losties vão fazer sexo na cama do Jack.
5. Veremos Sawyer fragilizado (com razão) -- e vamos descobrir que um segredo vai revelar um lado seu inteiramente diferente daquele que nós (ou mesmo ele) poderíamos imaginar."

Bem, desses spoilers podemos supor que: (a) Uma nova guinada nos rumos da série vém pela frente. A ilha não é uma ilha talvez? Lembrem da promessa antiga dos produtores que nos surpreenderíamos quando pudêssemos ver a ilha por outra perspectiva (b) As pessoas próximas a Sun que morrem devem ser algum parente e até mesmo quem sabe o carequinha Jae Lee. (c) Aquele beijo do promo foi realmente colocado ali para nos enganar. (d) Sawyer vai se declarar a Kate que o decepcionará / desprezará revelando seu amor por outro. (e) Dois losties fazendo sexo na cama do Jack? Alguém pensou nos novatos Nikki e Paulo?

Chega logo 4ª feira...

Tradução e adaptação por Juliana Ramanzini

28/09/2006

Será que é verdade? (Possíveis Spoilers abaixo)

Verdade ou mentira? É essa a pergunta feita no Tail Section hoje frente o relato de um sujeito que afirma ter acesso extremamente privilegiado à produção de Lost. Segundo ele, que se identifica apenas como ‘Super Sock’, o tal acesso lhe rendeu a oportunidade de ver o 1º episódio da 3ª temporada “A Tale of Two Cities” antes da estréia oficial. Bem, nós aqui do Dude! também não temos a menor idéia se há qualquer verdade no que ele diz, mas como há algumas coisas bem interessantes no relato do rapaz, resolvemos dividir com vocês. Mas fica o aviso: Se você não gosta ou não quer se arriscar a ter as surpresas estragadas pare de ler agora.
.
.
.
.
.
Eu sei que muitas pessoas estão dizendo que essa temporada vai cavar fundo no que tange à revelação de quem são os Outros e o que estão fazendo, e devo dizer que estou perplexo sobre o quanto foi revelado [nesse 1º episódio]. Não foi 100%, mas vocês saberão, grosso modo, o que eles fazem e a quanto tempo eles estão na ‘ilha’. Eu destaquei essa palavra porque honestamente, eu não sei se falamos de uma ilha. Haviam muitos efeitos a serem finalizados na versão que vi, mas ficou claro que eles queriam dar um visual de uma massa de terra artificial. Mas em uma escala que nenhum humano pudesse construir. O episódio é uma sequência de jogos da mente para nos enganar. Primeiro você pensa que eles estão livres, então eles estão cativos, e depois livres de novo. A intenção dos Outros com os testes é ver como eles reagem a diferentes situações. Perto do final do episódio, Fenry [o falso Henry] faz uma oferta a Jack que vai deixar todo mundo louco, mas que parece ser um outro teste. O episódio termina com Hurley encontrando Desmond nú na floresta. Há muitas coisas bacanas que são mostradas, como a de que há uma conexão entre Sarah e Locke, e sinais definitivos no flashback de que haviam forças levando Jack em direção a um destino pré-determinado. Jack está definitivamente deixado em um local bastante estranho. Não havia música e os efeitos estavam apenas parcialmente acabados mas parecia que astante CGI seria adicionada na cena. Ah, e em certo ponto ouvimos o monstro em outros habitats. Não resta dúvida de que “ele seja um deles”.

Pois é, agora nos resta aguardar ansiosamente pelo dia 04 de outubro quando saberemos se essa fonte é quente mesmo ou não...

Um pouco de Jack e Matthew Fox



Que Jack seja um dos personagens mais importantes em Lost é inegável, mas será que todos concordariam com a definição da jornalista Monica Kaufman no vídeo acima quando descreve o Dr. como um sujeito forte e carismático capaz de aguentar incríveis pressões e ainda assim transmitir segurança para aqueles ao seu redor? Bem, discussões à parte, o ponto interessante desse vídeo é ver o próprio Fox falando de suas expectativas sobre o rumo do personagem nessa temporada e seu futuro envolvimento com Juliet, a nova personagem interpretada pela atriz Elizabeth Mitchell que aparecerá já no 1º episódio da nova temporada.

Michael Emerson no comando dos Outros

Por James Song da Associated Press para o Yahoo News
Tradução por Davi Garcia

HONOLULU – Henry Gale não deveria sobreviver esse tempo todo. O cínico personagem do drama Lost, interpretado por Michael Emerson, foi pensado para aparecer em 3 episódios da 2ª temporada. Mas, quando os produtores viram o ator em ação, ele foi transformado em um personagem chave e que agora lidera os Outros na aguardadíssima 3ª temporada.

“A razão pela qual os Outros parecem ser tão ameaçadores é como tudo no mundo real – é assustador quando não se conhece,” Emerson disse à Associated Press. “Seus objetivos são desconhecidos por nós, e assim acabamos imaginando coisas terríveis.”

O antigo ator da Broadway é mais conhecido pelo público da tv por seu pêmio Emmy ganho por sua performance como o serial killer em “The Practice.” Damon Lindelof, co-criador e produtor executivo de Lost, disse que o plano original era que Henry escapasse depois de 3 episódios. Mas, a 2ª temporada terminou com Henry e seu grupo em um deck com Kate, Sawyer e Jack capturados.

“Quem são vocês?" - perguntou Michael, que traiu seus companheiros em troca do resgate de seu filho Walt.

“Nós somos os bons,” - Henry responde.

“Eu acho que ele falou sério,” Emerson disse sobre seu personagem (os atores normalmente pouco sabem sobre os desenvolvimentos futuros da trama). “Podemos não concordar com o que ele faz, mas eu acho que ele acredita nisso.”

A 3ª temporada começa com Jack (Matthew Fox), Kate (Evangeline Lily) e Sawyer (Josh Holloway) em cativeiro. Essa temporada vai explorar porque eles foram alvos; se o bebê de Sun é realmente do Jin; Charlie tentando ganhar a confiança de Claire, uma nova mulher ganhando a atenção de Jack; Locke e Sayid liderando um grupo para resgatar os três cativos; e o grande amor de Desmond tentando localizar a ilha.

"Na 3ª temporada a série se transfere geograficamente e espiritualmente para outro lugar,” Emerson disse. “Veremos mais dos Outros. Eles se tornarão mais tri-dimensionais.”

Ele acrescentou que a audiência pode até mesmo adquirir simpatia com os Outros, que estavam na ilha bem antes dos sobreviventes do vôo 815.

“Quem são os verdadeiros intrusos? Quem são os vilões? Quem está perturbando quem? Quem tem o direito de estar ali?” disse o ator.

Apesar de ter a maior parte de suas cenas ocorrendo em uma pequena cela, Henry Gale se tornou uma das figures mais interessantes em Lost. Com um simples olhar, ele passa de vítima a vilão, mantendo a audiência questionando se deveria sentir simpatia ou medo.

E enquanto Locke estava apertando o botão para salvar o mundo, Henry estava ocupado apertando os botões de Locke. Seria Henry um psicólogo, ou apenas esperto?

“Ele parece ter uma boa experiência com psicologia,” Emerson disse. “Ele é muito mais que esperto. Essa coisa de psicologia? Me parece muito bom. Ele não está brincando quando se trata de comportamento.”

Como seu personagem, Emerson é articulado e inteligente. Diferente de Henry, Emerson é simpático e agradável.

Enquanto depurava seu talento no palco, ele se virou com trabalhos que ia de professor a carpinteiro e ilustrador.

“Você conhece aqueles relatórios de seguridade social que dizem o que você ganhou ao longo do ano? Eu hoje olho para eles e penso, ‘Isso era insanamento pouco dinheiro,’ ele diz. “Mas eu não me lembro de ter ficado muito desesperado sobre isso... Apesar de minha pobreza, eu sempre estava fazendo algo que queria fazer.”

Emerson de 52 anos, cresceu em uma pequena fazenda de Toledo no estado de Iowa, onde ele passou boa parte de sua infância lendo, desenhando e sonhando. Ele se formou em teatro pela Universidade de Drake e rapidamente tornou-se conhecido como o pequeno cara com a grande voz. E então mudou-se para Nova York.

“Eu pensava que Des Moines (em Iowa) era uma cidade grande. Nova York simplesmente me arrebatou,”ele disse. “Eu procurava por um grande desafio e encontrei.”

Ele se mudou para o sul e posteriormente conheceu sua future esposa, a atriz Carrie Preston, durante a produção de “Hamlet” no Festival de Shakespeare do Alabama. Ele a seguiu até Nova York e conseguiu seu primeiro papel de destaque como protagonista em “Gross Indecency” de Moises Kaufman.

O nome “Hery Gale” é tão quebra cabeças quanto o personagem de Emerson.

Esse nem mesmo é o verdadeiro nome do personagem. Ele inicialmente se apresenta como um homem rico que caiu na ilha com um balão e sua esposa, que alegadamente morreu.

Henry Gale era o tio de Dorothy Gale no filme “O Mágico de Óz”. No clássico de 1938, um balão de ar quente era o meio de transporte do Mágico e supostamente deveria levar Dorothy de volta a sua casa no Kansas.

“O que isso tudo significa? É apenas engraçado ou é uma pista?” Emerson pergunta. “Dorothy é alguém perdida em um lugar estranho longe de casa, mas o lugar no caso dela era uma fantasia. Não era real.

“Era um lugar onde a ordem moral era de certa forma invertida ou vista de uma perspectiva diferente. Em certo nível, era um teste para ela como pessoa.”

O verdadeiro Henry Gale em Lost é um homem negro morto á enterrado próximo ao balão acidentado.

Isso deixa Emerson perplexo sobre quem seu personagem é.

“Eu não sei ao certo como isso vai funcionar,”ele disse. “Parece que todos meio que o conhecem como Henry agora, mas mais cedo ou mais tarde, vamos ter que dar um verdadeiro nome a ele não é?”
.
.
.
Bem, Henry Gale pode até ser assustador, mas quem não reconheceria em Michael Emerson uma excelente adesão ao elenco de Lost e um ator de muitos recursos?
Faltam 6 dias... \o/

27/09/2006

A 3ª temporada será decisiva para Lost... (será?)

Matéria originalmente postada hoje no BuddyTV, levanta uma pequena e leve polêmica sobre a nova temporada e traz uma interessante informação que confirma que de bobo, o pessoal que faz e exibe Lost não tem nada...
Faltando 1 semana para a estréia da 3ª temporada, analistas de tv estão considerando que esta vá ser a temporada mais importante para Lost. Com a segunda temporada tendo perdido parte da audiência que seguiu a primeira, uma nova queda nesta 3ª poderia significar um futuro negro para o fênomeno.
Nikki Stafford, autora de "Encontrando Lost: O Guia não oficial", diz, "Em muitos casos, a audiência não está perdoando, e vai abandonar o barco, além disso Lost perdeu um pouco do apelo - seus indíces caíram sutilmente. É um presente à série que a maior parte do público não tenha se desligado, porque eles certamente podem bater o pé e declararem, 'Não, para mim chega!' A 3ª temporada , ela acrescenta, "é definitivamente tudo ou nada".
Os produtores de Lost esperam que a ausência de reprises nesta temporada ajude a fortalecer a série e traga pessoas de volta à audiência. Lost vai ter 6 episódios exibidos e então um intervalo de 13 semanas, retornando com mais 17 episódios a serem exibidos sem intervalos ou reprises. A rede ABC irá compensar os anunciantes exibindo versões extendidas dos episódios em uma sequência initerrupta logo após o fim da temporada. As versões extendidas vão trazer cenas adicionais em uma tentativa de atrair os fãs mais dedicados a darem uma nova conferida na série.
Mas diz aí... Você acha que essa temporada vai ser mesmo decisiva para o futuro da série? E mais... você vai 'baixar' os episódios 2 vezes? :p

Esperança para os 'Jaters'

Em sua coluna de hoje na TV Guide, Michael Ausiello deu uma indicação que pode animar os fãs que torcem pelo romance entre Jack e Kate. Indagado por um leitor sobre a tal cena do beijo entre Sawyer e Kate mostrada no promo que começou a ser exibido na última semana, ele chama a atenção para o fato de que em Lost as aparências podem enganar muito... portanto 'Jaters' de plantão, a esperança segue firme e forte.

26/09/2006

Mudança na ordem de exibição dos episódios

Parece que teremos que adiar por 1 semana a expectativa de ver o brazuca Rodrigo Santoro aparecendo na série. Em novo release divulgado hoje, a ABC decidiu inverter a ordem de exibição do 2º e 3º episódios. "Futher Instructions" que até ontem seria exibido no dia 11 de outubro, cede lugar para "The Glass Ballerina" (que seria exibido no dia 18/10) e trará o flashback do casal Sun & Jin e mostrará que o plano de Sayid para localizar Jack colocará o casal de coreanos em grande perigo.
Além disso veremos Kate e Sawyer sendo forçados por seus captores a trabalhar em condições desconfortáveis, e Henry fazendo uma oferta tentadora a Jack que pode ser difícil de recusar. No episódio veremos alguns rostos já conhecidos como Zeke / Tom, Alex, Mr. Paik (Pai de Sun) e Jae Lee (o carequinha que flertava com Sun em flashbacks passados).
As perguntas que ficam: Que oferta aparentemente irrecusável é essa feita a Jack? Sun & Jin em perigo? Xiii...

Lost na Revista TIME

O site da revista Americana TIME, trouxe no último domingo uma matéria bem bacana sobre Lost cuja tradução você pode ler aqui no Dude!

Porque o futuro da televisão está em Lost
Como uma série estranha que deveria ser cancelada ajudou a tv a entrar na nova era da mídia.

Por James Poniewozik

Não há respostas simples quando se trata de Lost. Em nosso último contato com a estranha e viciante série sobre sobreviventes de um acidente aéreo em uma ilha deserta, começamos a descobrir que a ilha está ligada ao mundo exterior. Essa revelação embora pareça pequena, foi espetacular para os fãs. Destruiu algumas teorias, como a de que os personagens estavam mortos e no purgatório. Com a estréia da 3ª temporada, a pergunta na cabeça da maior parte da audiência é: veremos mais do mundo exterior no presente?

Sim, diz o produtor executivo Carlton Cuse, para ser interrompido por Damon Lindelof, também produtor executivo, que diz que ele não deveria usar o termo presente.

Cuse acrescenta: “O contexto de tempo é algo que você não pode tomar como certo ou garantido”.

A tv já viu várias séries com o apelo de Lost, mas suas histórias geralmente terminavam com “... e foram canceladas devido à grande diminuição de sua base de fãs entusiasmados.” A primeira série baseada em Star Trek e mesmo Twin Peaks foram de fenômenos a fumaça mais rápido que o tempo que você leva para perguntar: Quem matou Laura Palmer? Lost é diferente. Um grande hit comercial de massa que requer comprometimento de quem vê e o tem. Como Lost escapou do túmulo de séries cultuadas? Em parte porque se trata de algo genial na tv. Mas também, porque a tv mudou e porque Lost mudou a tv. Muitas das mudanças que ameaçavam o velho jeito de se fazer tv - o surgimento da internet, novas tecnologias, uma audiência fragmentada com novas opções de entretenimento – fizeram Lost ser um sucesso. Ela conseguiu seduzir o público da internet que supostamente não vê muita tv e foi beneficiada por tecnologias como o iTunes, os gravadores de dvd e os players caseiros que alguns temiam que desse fim à tv. Lost pegou os atributos que uma vez a teriam transformado em um cult falho – excentricidade e complexidade – e os usou para guiar o poder dos fãs obsessivos. Assim como na história contada em Lost, a história do sucesso da série tem design cuidadoso, ciência e um pouco de fé.

Primeiro a fé. Em 2004, a rede ABC era a 4ª em audiência. Uma série em produção naquele ano era baseada em uma idéia do executivo Lloyd Braun: uma ficção inspirada no reality show “Survivor”. A ABC passou o projeto para o produtor J.J. Abrams e seu parceiro Damon Lindelof, que elaboraram o conceito em torno de um grande mistério direcionado por personagens. O senso comum na tv até então, era o de que os telespectadores seriam ocupados demais para seguir tramas continuas. Séries com histórias individuais simples como CSI reinavam. “Adoraríamos ter uma CSI", diz Stephen McPherson, então cabeça da Touchstone Television e agora presidente da ABC Entertainment. “Mas dadas as nossas chances, fez muito sentido tentar quebrar essa regra”. Abrams tinha um histórico de peso como produtor de ‘Alias’ fazendo um thriller com impacto emocional – embora ele diga que “era uma batalha contínua” fazer a rede apoiar a narrativa complexa da série.

Com Lost, ele e Lindelof escreveram uma série com uma mitologia estranha mas com bastante coração, humor e riqueza de personagens que tem apelo. Temos Jack (Matthew Fox), um médico com problemas mal resolvidos com o pai e Locke (Terry O’Quinn), um paraplégico milagrosamente curado na ilha. Temos Hurley (Jorge Garcia), um sujeito simpático que ganhou na loteria jogando os números 4, 8, 15 , 16, 23 e 42 que mais tarde descobrimos ter um significado quase místico. Há uma fugitiva (Evangeline Lilly), um esperto golpista (Josh Holloway), uma ex- estrela do rock com histórico de vício em heroína (Dominic Monaghan) e um ex-soldado iraquiano experiente com torturas (Naveen Andrews).

Deixei de fora o garoto estranho, o coreano com jeitão de gangster e muitos outros, mas você já entendeu. A ilha pode não ser o purgatório, mas metaforicamente ela é: quase todos os losties têm um passado com o qual precisam acertar contas, e suas histórias contadas através de flashbacks dão ao mistério, uma profundidade emocional. O resultado é um thriller pipoca que junta as vidas de vários personagens em uma história de interconexões, redenção e graça.

Lost se tornou um hit logo de cara, mas séries geralmente perdem audiência à medida que os fãs casuais pulam fora. E é aqui que a ciência aparece. O que os fanáticos por Lost tem que os amantes da tv antigamente não tinham era uma rede madura e de grande alcance na Internet. Os fãs fizeram blogs, sites de referências e podcasts. Eles assistiram, então debatiam e postavam interpretações e teorias (o monstro de fumaça é uma nuvem de nanorobôs controlada por um paranormal!). “Parte do prazer de ver essa série é falar sobre ela”, diz Nicholas Gatto, de 14 anos que coordena o blog abclost “Ela não termina nos créditos.”

O mistério de Lost – e as oportunidades que se abriram para análises cibernéticas – o transformaram em tv para a próxima geração da tv. Além de alimentar o interesse, a tecnologia afetou o tipo de narrativa que Lost pode ter. Em nível prático, gravadores de DVD, players de DVD e os downloads via iTunes significam que menos fãs vão abrir mão de acompanhar os episódios, o que permite aos escritores manter a série num tom complexo e desafiador. “Uma série contínua como Lost, teria vida difícil antes do iPod, do DVD e do vídeo streaming,” diz J.J. Abrams.

E essas tecnologias permitem aos produtores acrescentar níveis de detalhamento. Em um episódio da 2ª temporada, Eko (Adewale Akinnuoye-Agbaje), um ex-traficante nigeriano, tem uma epifania religiosa quando encontra o monstro de fumaça na floresta. Quem gravou a cena e a rodou em câmera lenta viu uma série de imagens na nuvem: o irmão morto de Eko, um homem que Eko matou, um crucifixo. Imagens que apareceram em frações de segundos e que um espectador casual não teria notado. De qualquer forma, isso funciona. Você pode sentar e curtir a história, ou pode fazer parte jogando-a, como se fosse um quebra-cabeça de aventura como Dungeons & Dragons ou Myst.

A imagem clássica do super fã de tv é aquela do obssessivo, com orelhas Vulcan estilo Star Trek, feito por Jon Lovitz satirizando William Shatner em um esquete clássico do Saturday Night Live. Hoje o amor à tv está mais abrangente. Quando Lost usou filmagens da Noruega para revelar o criador da Fundação Hanso – o sujeito aparentemente por trás de uma conspiração – os noruegueses ficaram malucos especulando sobre a conexão de sua terra natal com o mistério.

E os produtores estão atentos. Na temporada passada eles mataram uma segunda personagem em um episódio chave porque aquela que eles planejavam matar era tão impopular que eles se deram conta que só a saída dela não teria impacto. Outras vezes, eles despistaram os fãs. Para derrubar uma teoria popular – de que a série toda se passava em um sonho – eles fizeram um episódio em que uma alucinação diz a Hurley que tudo que ocorreu na ilha estava na cabeça dele e a partir daí refutaram a teoria. “Há um tipo de troca recíproca,” diz David Lavery, coordenador de assuntos relacionados à TV e Cinema na Universidade Brunel em Londres e co-autor do livro “Desvendando o Significado de Lost". “Os fãs sabem mais sobre a série – exceto o que vai acontecer na próxima semana – do que as pessoas que a criam. Os mais fanáticos se sentem poderosos como nunca se sentiram antes”.

É claro, que esses fãs ainda representam a minoria, mas eles tem voz ativa. O crítico de cultura pop Steven Johnson, autor de “Tudo que é ruim é bom para você”, diz que os criadores da série “são dependentes do poder amplificador da base de fãs mais hardcore, que são 1% da audiência, e que divulgam algumas dessas pequenas descobertas bacanas para 10% da audiência. Esses são os grandes propagadores da série, os 10% que estão lá fora dizendo, Oh Deus, sou tão viciado nessa série. E eles ajudam a capturar os outros 90%, que é onde os super fãs se gratificam”. “Digamos que eu vá a um show de Bruce Springsteen e que ele toque por 4 horas em vez de 2”, diz Lindelof. “Por quê? O que ele ganha com isso? O preço do seu ingresso é exatamente o mesmo. Mas o que acontece é que você vai para o trabalho na manhã seguinte e diz, - eu simplesmente vi o melhor show da minha vida.”

E para o 1% os produtores e a ABC criaram o Lost Experience, um jogo online que explora a Dharma Initiative, o projeto secreto internacional que aparece na série. Por mais de 4 meses os jogadores caçaram pistas em sites, mensagens de voz por telefone e vídeo clipes online. O truque era dar informações que satisfariam os fãs mais hardcores mas que a audiência menos empolgada não precisaria. (Dentre as revelações: Dharma significa Department of Heuristics And Research on Material Applications. Seja lá o que for isso.)

A julgar pela maior parte da história da tv, chegar a ponto de fazer pessoas que já curtem uma série gostarem ainda mais dela, seria um desperdício. As redes de tv se pagavam com anúncios e propagandas. Mas hoje você pode transformar paixão em dinheiro. Fãs compram episódios que perderam no iTunes por $1,99. São mercado para um vídeo game e mini-episódios para celular. Compram os DVDs para pegar novos detalhes dos episódios que já viram. Esse mês trouxe a chegada da 2ª temporada em 1º lugar nas listas de mais vendidos em DVD. A 1ª temporada vendeu 1,2 milhões de cópias. As redes passam a levar isso em consideração quando planejam novas séries. “Eu não estou na sala quando a decisão coorporativa é tomada”, diz Abrams. “Mas a possibilidade de faturar de $50 a $ 100 milhões em vendas de DVD, não é algo a ser desperdiçado”.

Talvez o grande teste de como Lost mudou a tv será seu final. Os produtores dizem que querem dar um fim à história de forma natural mesmo que a série esteja no topo. Surpreendentemente, eles têm alguns fãs ao seu lado. “Eu ficaria feliz se ela durasse quatro, cinco anos e então terminasse”, diz Craig Hundley, moderador de dois sites fãs de Lost. E aqui de novo, a decisão é da ABC. Serão os criadores e fãs ou os executivos da rede que decidirão quando a série termina? TV ainda é um negócio. E como Carlton Cuse disse, com Lost, o contexto de tempo é algo que você não pode garantir.

Com reportagens de Jeanne McDowell de Los Angeles e Sean Scully/Philadelphia.
Tradução por Davi Garcia

Mais Spoilers do E! Online

Em seu chat dessa semana no E! Online, a colunista Kristin Veich revelou mais alguns interessantes detalhes sobre a nova temporada que começa semana que vém. Adora spoilers? Então continue lendo...
.
.
.
.
Há muito mais a se descobrir sobre a ilha além do que já conhecemos, e nesse início de temporada veremos áreas diferentes de tudo o que já vimos na série no tempo presente e também algumas coisas que podem não ser/estar na ilha. Outro ponto interessante que foi revelado: Henry fica mais assustador, Jack fica cada vez mais... Jack e Sawyer fica vulnerável, quem diria não? Há ainda a informação de que em breve veremos algum personagem caolho na série...

Sobre o já famoso beijo entre Kate e Sawyer mostrado no promo da semana passada que vocês já viram aqui no Dude!, Kristin mostrou-se surpresa pelo big spoiler jogado no vídeo, o que claro reforça a idéia de que alguém na edição não foi muito cuidadoso entregando esse pequeno segredo de bandeja antes mesmo da temporada começar.

Faltam 8 dias! \o/
Por Davi Garcia

25/09/2006

Novos Spoilers da 3ª Temporada

Pois é pessoal, a estréia da 3ª temporada está bem próxima e com ela mais e mais spoilers ficam pipocando pela rede... os mais recentes irão sair na próxima edição da TV Guide americana, mas já circulam no mundo virtual. Curioso com o que vém pela frente? Então veja o texto abaixo. Se não quiser saber pare de ler agora.
.
.
.
.
Antes do fim do 1º episódio, Kate será colocada em uma jaula próxima a Sawyer. A reunião dos dois será doce e agradará os fãs que torciam por eles desde a época em que dividiram um beijo empolgado na 1ª temporada.
"Lentamente ele foi ficando envolvido por ela, Josh Holloway diz. E quando você passa por momentos de perigo causados por fontes externas, seus sentimentos se revelam ainda mais."
Desmond aparece semi-nú na escotilha após a explosão.
O verdadeiro nome de Henry Gale será revelado bem como a identidade de seu amor do passado.
O flashback de Locke acontece no dia 11 de outubro (nos EUA) e traz um estranho sonho dele no aeroporto. Hurley atende no balcão da Oceanic, Desmond é o piloto, e Charlie e Claire estão casados.
Quem é o pai do bebê de Sun? Não espere que esse mistério seja solucionado tão cedo. De acordo com Yunjin, os produtores lhe disseram que a resposta virá no "final do final".
E por último o TV guide afirma que o 4º episódi oda temporada chamado "Every Man for Himself", algo como 'Cada homem por si próprio' trará um flashback de Sawyer.
E aí, aquela ansiedade aumentou?
Pesquisa por Angela Aguilar
Tradução por Juliana Ramanzini e Davi Garcia

Episódio 3x02"Further Instructions" - Sinopse Oficial (Spoilers)


Image Hosted by ImageShack.us


Serão revelados os destinos de Locke, de Eko e de Desmond após explosão da escotilha, enquanto Hurley retorna ao acampamento da praia para contar o que aconteceu quando ele, Jack, Kate e Sawyer encontraram “o outros.” Enquanto isso, Claire se choca ao encontrar Nikki e Paulo na tenda de Jack. Participação de Ian Somerhalder (Boone).

O destaque está na escalação do elenco: “Kiele Sanchez como Nikki, Rodrigo Santoro como Paulo, Ian Somerhalder como Boone, Justin Chatwin como Eddie, Chris Mulkey como Mike, Virgínia Morris como Jan, Joel Himelhoch como o sheriff e Dion Donahue como Kim.

"Further Instructions" foi escrito por Carlton Cuse & Elizabeth Sarnoff e dirigido por Stephen Williams.


Fonte: ABC

Tradução: Fernanda Reple
Adaptação: Juliana Ramanzini

Lost Experience - Vídeo Final Legendado (SPOILERS)





Tradução e Legendas Luis Augusto Faria e Joaquim Dannemann


Pois é Dude, o Lost Experience acabou (será mesmo?) e que final bacana não? Se ainda não viu o vídeo acima veja-o antes de continuar lendo, mas se já viu siga em frente...

No vídeo divulgado na madrugada de hoje, vemos Rachel Blake na Noruega chegando à casa de ninguém menos que Alvar Hanso, sim, ele mesmo. Blake conseguiu chegar até lá passando-se por outra pessoa da Fundação Hanso e durante a conversa entre eles descobre-se que o velho Hanso está sendo mantido prisioneiro na casa sob vigilância dos seguranças da Fundação que leva seu nome e que agora é comandada por Thomas Mittelwerk, o mesmo cara que aparecia falando sobre os trabalhos da Organização no último vídeo postado aqui no Dude!, e que fora treinado pelo próprio Alvar para substituí-lo, mas que em dado momento aplicou um golpe isolando-o de qualquer contato externo, e iniciando as terríveis ações denunciadas por Rachel ao longo do Lost Experience usando seu nome. Como se isso não bastasse, surge ainda uma nova, e até certo ponto surpreendente revelação: Rachel é filha de Alvar e este a pede que divulgue a gravação expondo Mittelwerk, no que seria a chance de salvá-lo. O vídeo acaba com um singelo ‘Adeus Pai’ enquanto nós ficamos com as dúvidas: o que vém pela frente? Veremos quaquer menção a isso nos episódios que vém por aí, ou teremos que aguardar o novo intervalo da série na tv (no final de novembro) para saber onde isso vai dar? Bem, como sempre acontece com quase tudo ligado à Lost, mais perguntas e nossas cabeças se fundindo imaginando, especulando e debatendo. Mas ei, essa é a graça não?

Por Davi Garcia

24/09/2006

Paparazzi...

Image Hosted by ImageShack.us

Dominic Monaghan e Evageline Lilly trocando carinhos ♥

Fotos Aqui


Image Hosted by ImageShack.us

Josh Holloway e a esposa Yessica

Fotos Aqui

Extras do DVD - Parte 2

Dando continuidade aos comentários sobre os extras do box de dvd da 2ª temporada, o post foca hoje a FASE 2: CONDICIONAMENTO.
O primeiro segmento dessa fase, traz "Os Flashbacks de Lost", que são trechos não ulilizados em flashbacks vistos nos episódios. Há apenas duas, porém interessantes sequências que enriquecem mais nosso conhecimento sobre a já falecida Shannon (2 cenas cortadas) e sobre o sempre misterioso Locke (1 cena).
Em "Abandoned", 6º episódio da temporada, temos a faixa chamada 'A Trilha' que mostra um diálogo entre Shannon e sua madrasta logo após o velório do pai da moça. É uma cena que mostra uma Shannon obviamente fragilizada encarando a realidade de que a única coisa que a conectava à difícil madrasta, era o amor de ambas pelo falecido, e que sem ele por perto, já não tinha mais nenhum porto seguro onde se escorar. Uma chance a mais de entendermos porque a loira transformou-se na mulher fútil e egoísta que conhecemos na ilha. A outra faixa excluída chama-se 'A nova Babá' e traz Shannon conhecendo a família para à qual trabalharia. A cena deixa no ar que o pai da família se interessara por ela, e revela indícios de que foi assim que Shannon começou a se envolver com homens mais velhos (alguns compromissados) para sustentar-se e de certa forma encontrar proteção.
No episódio 17 "Lockedown", a faixa excluída chama-se 'O pai de Locke' e reforça nossa certeza de que o carequinha jamais chegou a conhecer o pai mal caráter de verdade. Há um diálogo dele com o padre que realizou o funeral, onde este o indaga sobre o passado de seu pai, como ele era, o que gostava e etc, o que Locke acaba confessando não saber. Cena simples mas longe de ser dispensável.
Outro segmento da Fase 2 compreende cenas inéditas que estão distribuídas assim:
'Vendo Walt': É um diálogo entre Shannon e Sun, onde esta indaga a loira sobre sua suposta visão de Walt na floresta. Shannon nega que o tenha visto e frente a insistência de Sun, diz estar cansada depois da morte de Boone e que àquela altura o grupo da jangada deveria estar bem longe da ilha. A cena vale mais para confirmar a confusão na cabeça de Shannon e não acrescenta muita coisa além de revelar uma Sun já desconfiada sobre o destino da jangada.
'Um pouco do seu tempo': Traz Charlie tentando descobrir o que ocorrera na explosão da escotilha no início da temporada, e o mostra se oferecendo a Claire para cuidar um pouco de Aaron, para que ela pudesse descansar um pouco.
'Visita a Sawyer': Vemos Sawyer sozinho ainda preso no buraco travando um breve diálogo com Libby (que não se revela para ele), quando esta busca informações sobre a verdade da presença dele no vôo 815 e o oferece água.
'Hora do Jantar': Cena sem diálogos que mostra Ana Lucia dividindo peixe crú com todos na escotilha abandonada utilizada pelos tailies como refúgio. A cena mostra um Sawyer surpreso com a ação da morena durona, o que claro seria visto como óbvia surpresa àquela altura.
'Entrega Especial': Cena do episódio 2x07 " The Other 48 Days" que mostra Bernard, Goodwin e outros sobreviventes encontrando uma caixa à beira da praia. As crianças vistas neste episódio perguntam se o conteúdo da caixa seria comida mas para surpresa geral, só encontram bumerangues em seu interior. A curiosidade da cena recai sobre a logomarca da caixa que perteceria à empresa Walkabout, a mesma que rejeitara Locke em um de seus programas.
'Prisioneiro de Ana Lucia': Cena do 8º episódio da temporada. Com Sayid preso à árvore, Libby conversa com ele que lhe pede para ser libertado, ao que ela retruca não poder fazer pois Ana Lucia temia que ele fosse querer matá-la. O ponto interessante dessa cena é que podemos notar o respeito ou medo que Libby tinha por Ana, algo também visto na cena em que ela dialogava com Sawyer no buraco.
'Libby e Claire': Se minha memória não me trai, esta cena traz a única vez em que vemos as duas personagens conversando. Nessa sequência, Claire está brincando com Aaron no berço, quando Libby se apresenta e percebe que a blusa que Claire usa na verdade era dela.
'Conectado': Michael chega à escotilha para assumir um turno, e questiona Locke sobre a possibilidade da escotilha estar ligada à outras como o filme Orientation poderia sugerir. Locke retruca dizendo que aquele lugar parece ser bem anterior à internet, mas deixa no ar que a possibilidade existiria, porém lembra Michael que o computador só poderia ser usado para digitar os números a cada 108 minutos, recomendação que descobrimos depois, Michael não segue.
'Eu preciso saber': Claire aproxima-se de Sayid na praia e pergunta-o se Charlie sabia da existência e drogas dentro das estátuas de Virgem Maria. Cena que reforça a preocupação e a desconfiança de Claire sobre as intenções de Charlie.
'A Solução do Doutor': Ana Lucia diz a Eko que Jack planeja ir atrás dos 'Outros', ao que Eko retruca dizendo que seria melhor ficarem na acampamento já que ali o pessoal fora pouco importunado. Ana Lucia tenta forçar a barra lembrando o que os tailies sofreram do outro lado da ilha, vendendo a idéia de que eles teriam motivos suficientes para revidar. Eko contudo, não apóia a idéia. Boa cena que merecia um espaço no episódio exibido originalmente.
'Qual é a sua história?': Cena bem curiosa envolvendo Libby e Hurley. Os dois conversam na escotilha enquanto recolhem as roupas limpas na máquina de lavar, e Libby revela que já fora casada algumas vezes e que sua especialidade em terapia eram famílias e casais. Hurley por sua vez revela que tivera muitos empregos antes - quase todos envolvendo galinhas - mas que ganhara na loteria. Marcada com piadinhas entre eles, a cena termina com Hurley convidando-a para caminhar posteriormente. Também merecia um espaço no episódio exibido originalmente.
'Fraqueza': Cena curta mas muito boa, na qual Sayid tenta demover Jack da idéia de tentar resgatar Walt usando Henry Gale. O motivo? Henry conhece muito deles (Jack, Sayid e Locke) e sobretudo sua maior fraqueza que é a de não concordarem em nada praticamente quando uma decisão precisa ser tomada.
'Vocês estão bem?': Belíssima cena em que Rose mostra mais um vez ser uma personagem que conhece muito daquele lugar, ou que pelo menos sente sua força. Ao perguntar a Sun como ela se sente estando grávida, Rose acaba revelando que também já teve uma filha, mas que esta falecera, ao que Sun diz sentir muito ouvindo uma resposta forte de Rose: 'Para certas coisas na vida não há o que fazer'. A cena termina com um diálogo sobre a esperança e com um abraço entre a duas onde vemos Rose com um olhar bastante misterioso.
'Eu sinto falta': Quem poderia imaginar que Hurley tinha uma porca de estimação chamada Chester? Pois é isso que ele revela nesta cena onde Libby diz sentir falta de sua banheira e de música.
O 3º segmento da Fase 2 do extras nos presenteia com a divertida faixa "Erros de Gravação", que na verdade vão além de simples erros e mostram as brincadeiras feitas entre os atores durante as filmagens. Como destaques dessa faixa temos uma cena entre Sayid e Danielle onde ao ser indagada sobre o que ela estaria fazendo ali, retruca que estava procurando por ele sugerindo um desejo digamos mais forte pelo iraquiano, que responde com uma feição surpresa e tímida. Outro destaque é a cena em que Jack cuida de Sawyer na escotilha logo após este chegar desacordado ao acampamento, e onde o nosso bad boy favorito o surpreende balbuciando uma confissão de que o amava, o que claro faz todos à volta rirem. Outra sequência parecida envolve Sayid acordando Locke e confessando que não consegue deixá-lo partindo em seguida dando um leve selinho em sua vítima que fica bastante surpresa com a 'brincadeira'.
Fechando a Fase 2, temos o famoso vídeoclipe promocional da série que foi exibido na Inglaterra dirigido por David LaChapelle, mundialmente reconhecido como o Fellini da fotografia, que já fez trabalhos marcantes com artistas como Whitney Houston, Blur, Moby e Madonna. Nesse promo vemos o elenco original da 1ª temporada com maquiagens propositalmente pesadas dançando na praia em meio aos destroços do avião e apresentando em um aúdio off, caracterísiticas comuns aos personagens da série. Um trabalho realmente muito bacana.
E assim finalizo a 2ª parte de comentários sobre os extras do box, mas fiquem atentos porque em breve trarei o 3º e último post que abrangerá a Fase 3 e os easter eggs do dvd.
Por Davi Garcia

23/09/2006

Fotos...

Image Hosted by ImageShack.us

Fotos Promocionais do Episódio 3x02 "Further Instructions" Aqui


Image Hosted by ImageShack.us

Fotos Paparazzi de Dominic Monaghan em um lava-rápido e Evangeline Lilly e Naveen Andrews fazendo compras. Fotos Aqui

Six Degrees: um novo hit de J.J. Abrams à vista?

O destino controla nossas vidas, ou tudo ocorre ao acaso? É essa a principal pergunta que a nova série produzida por J.J. Abrams faz. Quando li pela primeira vez sobre o novo projeto de uma das mentes por trás de Lost acerca de 6 meses atrás, confesso que fui rapidamente fisgado pelo conceito. Uma nova série explorando a teoria dos 6 Graus de Separação que defende a tese de que no mundo, são necessárias no máximo seis laços de amizade para que duas pessoas quaisquer estejam ligadas.
Se em Lost, há traços mais que evidentes que ajudam a corroborar essa teoria, em Six Degrees, que estreou nos EUA no último dia 20 de Setembro contudo, não há, como afirmaram os atores em entrevista à Tv.com, elementos sobrenaturais e mistérios como os da famosa ilha, mas sim a atraente promessa de que uma igualmente misteriosa e intrigante rede se forma, ligando e mudando as vidas de 6 pessoas inicialmente desconhecidas em Nova York, transformando-se no elemento principal a ser explorado.
Contando com boa parte da equipe que produz Lost, entre eles Bryan Burke, Six Degrees traz ainda o já marcante trabalho do compositor musical Michael Giacchino, velho parceiro de Abrams em Alias e Lost, belas composições de Jacob Dylan filho de Bob Dylan e líder do grupo Wallflowers, além de uma equipe de roteiristas que a julgar pelo episódio piloto, tem tudo para manter nossa atenção e interesse nas alturas. No elenco alguns nomes conhecidos como os das atrizes Hope Davis (do recente filme A Prova), Erika Christensen (a filha de Michael Douglas em Traffic) e Jay Hernandes (O Albergue).
Se a série vai emplacar ou não ainda é difícil saber, mas é impossível negar que ela nos faz pensar sobre as pessoas que nos cercam. Bridget Moynahan, também do elenco da série levanta a bola: "Quando você está no metrô, começa a pensar, 'Quem são essas pessoas?' O que estão pensando? Se nos conhecêssemos como elas afetariam a minha vida?"
Se você curte um drama bem escrito ou pelo menos acha interessante a tal teoria dos Seis Graus de Separação, fica aí a dica: Six Degrees vale uma conferida.
Por Davi Garcia

21/09/2006

Ensaios fotográficos com Matthew Fox e Evangeline Lilly

Lost Experience se aproxima do final

O ComingSoon trouxe a notícia, e o Dude! divide com vocês. O tão comentado Lost Experience, chegará a um final neste próximo domingo dia 24 de Setembro às 17 h (horário da costa leste americana e 18 h aqui no Brasil), com uma transmissão mundial de rádio via internet apresentada pelo renegado DJ Dan. A transmissão também trará um convidado especial no estúdio (ainda misterioso) e anunciará um link com uma dica do vídeo final revelando a verdade por trás das ações da Hanso Foundation. Dentro do Lost Experience, foram as transmissões anteriores de Dj Dan que deram dicas que levaram ao video do Sri Lanka (o mesmo já postado aqui no Dude!), que revelou o significado dos números. Aqueles interessados em (tentar) ouvir a transmissão, devem acessar a própria página da ABC neste domingo.
Que surpresas eles devem guardar para a última cartada hein?

Informações sobre o ep 3x02 - "Further Instructions"

Bem, como o post traz informações sobre o segundo episódio da nova temporada, vale dizer que há SPOILERS abaixo, portanto não leia se não quiser estragar a surpresa.
.
.
.
.
Segundo o ZaptoIt, o episódio do dia 11 de outubro (nos EUA) chamado "Further Instructions" (algo como Instruções Posteriores), vai revelar o que aconteceu com Locke, Desmond e Eko quando a escotilha entrou em colapso no final da temporada passada, e também mostrará Hurley voltando ao acampamento depois de ter sido libertado pelos Outros. Outra informação é de que Ian Somerhalder retorna como Boone, provavelmente em alguma lembrança ou sonho do Locke, que por sua vez será o personagem central deste episódio.
Interessante não? E o promo legendado postado logo abaixo, já viu?

20/09/2006

Mais 2 promos da terceira temporada



Tradução e Legendas Luis Augusto Faria e Joaquim Dannemann






Tradução e Legendas Luis Augusto Faria e Joaquim Dannemann

Première da Terceira Temporada

Enquanto o resto do mundo conta os minutos para a estréia da terceira temporada, os fãs de Lost que circulam em moram em Honolulu terão a oportunidade de acompanhar a premier que será realizada no dia 30 de setembro. Assim como ocorreu na temporada anterior, a exibição do primeiro episódio ocorrerá na praia, tendo como cenário o pôr-do-sol. Está prevista a passagem dos atores pelo tapete vermelho por volta das 17h e 30min e o início da exibição às 19h. Nos resta aguardar pelas informações e/ou imagens que possam surgir após a exibição!

Fonte: DarkUfo

Sentiu inveja de quem estará no Havaí nesse final de mês?


Pesquisa: Charles Freire
Tradução: Juliana Ramanzini

19/09/2006

SPOILERS DA KRISTIN - 3° TEMPORADA

SPOILERS ABAIXO


Hoje foi o dia da Kristin liberar alguns spoilers. Alguns já deles já são conhecidos, outros vão nos deixar cada vez mais ansiosos e curiosos. Aqui vai um resumo do que foi publicado:


- Kate confessa o amor dela por alguém e, honestamente, essa cena irá partir seu coração.
- O homem que Kate beija é o mesmo que ela confessa o amor.
- Se os "Outros" são maus? Humm... eles não são nada do que imaginamos!
- Boone volta? Sim, mas continua morto.
- Quem vai morrer nessa temporada? ...
Tenho duas opções:
(a) um personagem que já conhecemos
(b) um animal fofinho e adorável (não, não é o Vincent)!

Faltam só duas semanas!

Tradução: Luiz Augusto Faria
Adaptação: Juliana Ramanzini

Dharma e os números

ATENÇÃO! O texto abaixo é uma tradução adaptada do que foi originalmente postado no TailSection e contém informações extraídas do Lost Experience e de sites como o Sci Fi Wire e Tv Guide que revelam significados de elementos importantes da trama da série. Se você não quer saber antes de assistir a exibição da tv pare de ler agora.
.
.
.
.
.
Ainda aqui? Então vamos ao texto.
Como muitos de vocês já sabem, finalmente recebemos respostas para algumas das maiores perguntas da série através do Lost Experience. O jogo revelou o que a Dharma significa, mostrou Alvar Hanso, o que os números de Hurley significam (em parte) e nos deu um novo vídeo Dharma. (Que vocês já viram aqui no Dude!)
Dharma é um acrônimo, e significa Departament of Heuristics And Research on Material Applications (que pode ser traduzido como Departamento de Heurística e Pesquisa em Aplicação Material). Agora, não temos certeza do quão importante isso vai ser para a série e sua narrativa mas em breve devemos descobrir. O Lost Experience também revelou (em parte) o significado por trás dos números 4, 8, 15, 16, 23 e 42 que estão relacionados à equação de Valenzetti e representam hieróglifos egípcios onde cada 'símbolo' representa um valor numérico. A equação de Valenzetti seria capaz de dar o prazo exato para a extinção da humanidade, portanto a Dharma Initiative foi criada para encontrar uma maneira de se evitar isso. Como a Dharma Initiative falhou, o novo manda chuva da Hanso Foundation chamado Thomas Mittlework está tentando propagar um vírus que eliminaria 30% da população mundial. Isso significa que aquilo que Henry Gale disse é verdade? Eles são de fato os mocinhos? Estão tentando salvar a humanidade? Bem, são perguntas ainda sem respostas, mas que atiçam nossa vontade de ler o livro de Gary Troup (mesmo autor de Bad Twin) A Equação Valenzetti, que torçamos para que seja lançado em breve. Aliás, chega a ser irônico saber que Gary Troup escreveu sobre a Equação de Valenzetti e morreu quando o avião caiu na ilha onde a Dharma estava atuando.

18/09/2006

Elenco do ep. 3x01 "A tale of Two Cities" (SPOILERS da 3ª Temporada)

Se você não gosta de ter a surpresa estragada pare de ler agora...


SPOILERS ABAIXO


A curiosidade te mantém aqui? Ok, então vamos ao que interessa. A ABC divulgou hoje o release do elenco de apoio do primeiríssimo e hiper aguardado episódio da 3ª temporada, "ATale of Two Cities" e nele a confirmação da presença do ator William Mapother, pois é, o Ethan estará de volta já nesse início de temporada. Em que contexto não sei, mas suspeito que seja em algo relacionado ao trabalho dos Outros na ilha, talvez um novo flashback mostrando a Estação Staff, aquela usada para testes em Claire. Além de Ethan, retornam os atores John Terry e Julie Bowen como Christian Shephard e Sarah respectivamente, bem como M.C. Gainey (Zeke / Tom) e Brett Cullen como Goodwin. Um dos outros atores também confirmados nesse episódio, chama-se Blake Bashof que fará o tal Karl que aparece na jaula ao lado de Sawyer no vídeo que postamos aqui semana passada.

E o dia 04 de outubro tá chegando...

Por Davi Garcia

17/09/2006

Como vieram ao mundo...

Tradução Fernanda Reple
Adaptação Juliana Ramanzini


Image Hosted by ImageShack.us


Os bonitões Josh Holloway, Matthew Fox and Dominic Monaghan foram proibidos de tirar a roupa nos set de filmagem de Lost, no Havaí. Os produtores da série estão preocupados com o “costume” adquirido pelos três de tomar banho de mar pelados!
O trio não esconde a paixão pelo nudismo e andam sem roupa pelos sets de filmagem - mas os produtores estão insistindo para que eles se mantenham vestidos. Querem evitar que algum fotógrafo flagre os três como vieram ao mundo.
Uma pessoa da equipe disse "os produtores estão preocupados com os riscos à imagem dos atores".
Pessoalmente, não vemos nada de mal no Josh e no Matthew andarem sem roupa. Agora, se o Dominic quiser se vestir, que fique à vontade! :p
Fonte: PR Inside

Extras do DVD - Parte 1

Assim que coloquei as mãos no box de dvd da 2ª temporada, pensei que deveria dividir com quem todos que visitam o ‘Dude’ as impressões que tive ao assistir os extras. Assim, começando por este post, trarei comentários que abrangerão as 3 partes em que eles estão divididos, ou fases, como define o Dr. Marvin Candle no vídeo a la Orientation que ilustra o menu do disco 7. Se você prefere descobrir tudo por conta própria sugiro que não leia o que está abaixo, mas se está curioso aproveite.

FASE 1: OBSERVAÇÃO

Fire + Water: Anatomia de um episódio

É bem provável que o maior mérito dessa faixa seja o de nos proporcionar uma nova maneira de enxergar o processo criativo que se encerra em um espisódio repleto de simbolismos e significados importantes para alguns personagens, mais notadamente claro, o Charlie. É sério, depois que vi esse extra, passei a ter mais simpatia pelo 12º episódio tido por muitos como um dos mais fracos da temporada. Em função do apelo menor do personagem, podemos especular que esse extra foi feito propositalmente ou não para nos aproximar dele, mas é inegável que conhecer os aspectos que levaram Charlie a distanciar-se da linha racional àquela altura na ilha, é parte fundamental para enterdermos a mensagem de seu flashback e nos ajuda bastante a encará-lo como um personagem tão complexo quanto Locke e Eko, por exemplo.

É nessa faixa que descobrimos que todo episódio de Lost começa em uma sala de reunião onde produtores e escritores discutem suas idéias e fazem um rascunho do que se quer alcançar ao final de cada episódio. É o início de uma das várias etapas que levam ao roteiro que será distribuído à equipe envolvida e ao ator principal no episódio apenas 5 ou 6 dias antes do início das filmagens. Fire + Water fala especificamente do desejo de Charlie em proteger a família, que na ilha ele enxerga em Claire e Aaron, e que no flashback ele vira desintergrar-se na relação com o irmão Liam. É também um episódio que vende à audiência a dúvida se Charlie teria voltado ou não a usar drogas.

Nos aspectos técnicos que envolvem o episódio, vemos o trabalho da equipe de produção para encontrar locações em Honolulu que se aproximassem com a Manchester de Charlie e todo o trabalho com o refino na sonorização (que inclui até o próprio Dominic Monagham fazendo dublagem de uma sequência no mar) e na fotografia que marca o episódio. No campo das curiosidades, descobrimos por exemplo, que a casa onde se passa o flashback de Charlie na infância fora a mesma utilizada no flashback de Claire no episódio Raised by Another, quando ela visita o vidente Richard Malkin, e a de que a sequência em que vemos o pai açougueiro de Charlie cortando bonecas é uma referência à capa original do albúm dos Beatles Yesterday and Today que fora vetada pela gravadora.

A certeza que fica ao final dos pouco mais de 30 minutos dessa faixa, é que o trabalho de produção da série é realmente muito bem feito e cuidadoso. Quer seja pela complexidade de se filmar em cenários naturais, ou pelo tempo curto, é impossível (mesmo que você não seja um grande fã) não reconhecer que Lost é hoje uma séria ímpar na tv, não apenas por apresentar um conceito diferenciado, inteligente e que nos leva a várias reflexões, mas por ser igualmente caracterizado por excelência e qualidade em toda sua concepção.

-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-

Lost: na locação
Série de mini making offs de alguns episódios da temporada com entrevistas e curiosidades

Adrift: Basicamente mostra o processo de filmagens das cenas envolvendo Michael e Sawyer nos destroços da jangada (filmagens que consumiram 3 dias), quando se depararam com o famoso tubarão com a marca Dharma, o 1º indício de que algo grandioso acontecia na ilha e que como revela Bryan Burke, um dos produtores, não deveria à princípio ser tão evidente para a audiência em um claro sinal de ‘inocência’ por parte dele, já que os fãs de Lost acompanham com lupas cada episódio da série desde a 1ª temporada.

Everybody Hates Hugo: Traz uma rápida reflexão sobre um dos aspectos do roteiro que reforça o medo de Hurley frente as mudanças, além de declarações e curiosidades dos atores envolvidos nas cenas em que o trio Jin, Michael e Sawyer fica preso no buraco e tem seus primeiros contatos com Ana Lucia, Eko e Libby.

Abandoned: Abre espaço para um aspecto interessante na série que é o da colaboração dos próprios atores no processo criativo e de desenvolvimento / evolução de seus personagens e relacionamentos. Poucos sabiam, mas foi do próprio Naveen Andrews a idéia de que Sayid deveria formar par romântico com Shannon, o que garantiu à personagem a chance de ser levada um pouco mais à sério distanciando-se da figura de uma simples patricinha chata. A faixa traz ainda a confirmação por parte de Josh Holloway de que os atores de fato pouco sabem sobre o futuro de seus personagens entre o roteiro de um episódio e outro, o que fica evidenciado por seu temor inicial sobre o destino de Sawyer que àquela altura sofria em decorrência de seu ferimento no ombro. Damon Lindelof revela ainda que o próposito da morte de Shannon era o de obrigar os grupos de sobreviventes a interagirem sob extremo conflito, o que parece não ter agradado Naveen Andrews que deixa claro seu descontentamento com o destino de sua colega de elenco.

The Other 48 Days: Tido como um episódio piloto para os tailies em proporções um pouco menores, essa faixa reforça o conceito de que os 48 dias do outro lado da ilha foram de fato mais difíceis do que aqueles vividos pela turma liderada por Jack do outro lado. Enquanto Michelle Rodriguez reitera sua paixão por papéis durões que exijam esforço físico, Adewale Akinnuoye Agbaje explora nosso primeiro contato com a complexidade de seu personagem, um cara durão mas que também sabia ter compaixão. Esse segmento mostra ainda o processo que resultou na sequência inicial onde víamos a cauda do avião caindo no mar e traz a surpreendente informação de que enquanto o piloto da 1ª temporada exigiu 125 efeitos visuais, neste apenas 5 foram utilizados.

Collision: Basicamente reforça a idéia que já tinhamos de Ana Lucia, uma personagem que odeia ser vítimizada pelas situações que a cercam, além de mostrar o aspecto mais humano dela e seu relacionamento levemente conturbado com a mãe também policial. Talvez o trecho mais fraco desse segmento “Lost na Locação.”

What Kate Did: Além de trazer um ex-câmera da série na direção de um episódio e mostrar o trabalho realizado com a égua que surge no flashback de Kate e posteriormente na ilha, o aspecto mais interessante dessa faixa é o depoimento da atriz Evangeline Lilly revelando que para dar profundidade à cena em que Kate tem que lidar com seu pai bêbado tentando seduzí-la, teve que resgatar traumas pessoais que ela não deixa claro quais são mas que lhe serviram aqui.

The 23rd Psalm: É o episódio que nos revelou o passado sombrio e de posterior redenção de Eko, um nigeriano que levado por uma triste circunstância transforma-se em um temido traficante até encontrar a fé que o transforma totalmente. Adewale Akinnuoye Agbaje comenta que o conceito do personagem que conhecemos é bem diferente do que foi inicialmente pensado e fala de sua dificuldade inicial para casar sua idéia para o personagem àquela pensada para os rumos da série. A faixa traz ainda o produtor Carlton Cuse definindo as diferenças entre a fé de Locke e a de Eko. Segundo ele, enquanto a do 1º baseia-se em elementos pagãos e ritualistas, a de Eko é basicamente de cunho religioso, o que claro faz todo sentido.

The Whole Truth: Traz um belo retrato da evolução e das mudanças que caracterizam o relacionamento do casal Sun e Jin, com Daniel Dae Kim e Yunjin Kim revelando os desafios do episódio que deu cores vivas a aspectos e conflitos tão comuns ao casal e que trouxe ainda a dúvida sobre a gravidez de Sun, além de sua conduta ambígua, até então desconhecida. A faixa traz também comentários elogiosos ao ator Michael Emerson (Henry Gale) que revelam a dimensão cuidadosa e elaborada de sua interpretação, parte fundamental para a importância de seu papel.

Dave: É o episódio da famosa e cartunesca cena da surra que Hurley aplica em Sawyer sob a lona da barraca, mas também o que nos apresentou o passado de Hurley na clínica psiquiátrica onde conhecera (ou não?) Dave, um sujeito que leva-o a indagações interessantes sobre a realidade das coisas na ilha, e ainda brinca com uma das teorias difundidas de que o que vemos seria ilusão de um único personagem. Outro aspecto interessante dessa faixa é o de vermos o envolvimento de Hurley com Libby, um romance que terminaria tragicamente pouco depois e que segundo Damon Lindelof foi pensado dessa forma para mover o personagem a um outro nível... E que nível é esse, fica a nosso cargo refletir.

S.O.S. A chance de entendermos um pouco mais sobre a dinâmica do casal Rose & Bernard e seu belo relacionamento. O peso maior dessa faixa, recai sobre o depoimento da atriz L. Scott Caldwell revelando que a história da doença de sua personagem foi baseada de certa forma em eventos reais vivenciados por ela, que perdeu o marido vítima de câncer exatamente 1 ano após o casamento que acontecera durante as filmagens do episódio piloto da série.

Two for the Road: Sexo, violência, choque e tragédia foi tudo o que o episódio trouxe, mas essa faixa vai além revelando o clima descontraído das filmagens e todo o trabalho da equipe de produção que montou em um hotel do Waikiki no Havaí, uma cena aparentemente simples envolvendo Ana Lucia em seu quarto de hotel na Austrália observando a baía de Sydney. A faixa incluiu também comentários sobre a natureza da morte de Ana Lucia e reforça a idéia de que àquela altura a personagem atingira seu ponto mais profundo de fragilidade tornando-se vítima de um Michael tomado pelo desespero e capaz de tudo para recuperar Walt.

Live Together, Die Alone: A julgar pela faixa, o episódio que deve ter dado mais trabalho para ser produzido haja visto que foram designadas 2 equipes distintas para o processo que durou 17 dias envolvendo cenas no mar, na selva e na escotilha ( e que exigiram a inclusão de efeitos especiais). Aqui também temos a oportunidade de ver o pesar da atriz Cynthia Watros em deixar a série, bem como o depoimento de Harold Perrineau do quão estranho foi terminar a cena em que parte de barco com Walt voltando para o pier já vazio o que lhe deu a impressão quase real de ter de fato partido para não voltar, o que claro esperamos que não aconteça já que Walt ainda tem muito a revelar.
Sentiu falta de algum episódio nesse segmento? Eu por exemplo gostaria de saber mais sobre os eps. 2x15 "Mathernity Leave" onde conhecemos a escotilha Staff e o 2x21 "?" onde Locke e Eko descobrem a estação Pérola, mas tudo bem, nada é perfeito.

-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-

O Mundo Segundo Sawyer:

Faixa que confirma que o golpista bad boy é realmente um dos personagens mais cools da série. Sawyer é um sujeito que nunca estudou, mas que incrivelmente sempre surge com alguma referência tirada de um livro ou filme e que encontram ressonância na cultura pop mundial. Comentando sobre o personagem, a atriz Michelle Rodriguez compara-o a um garoto da escola, implicante e cheio de marra, mas que no fundo todo mundo gosta. Javier Grillo, um dos supervisores de produção levanta um ponto interessante sobre a natureza do personagem que pode explicar o porquê de termos simpatia por ele (no que me incluo), dizendo que embora ele seja um tanto quanto sombrio, esse aspecto fica diluído em suas interações na ilha. Como curiosidade fica a revelação de Evangeline Lilly de que fora dos sets, Josh Holloway também a chama de ‘Sardenta’ o mesmo apelido que seu personagem deu a Kate na série.
Bem, por enquanto é isso. Fiquem ligados porque em breve postarei sobre as outras duas fases, e claro, sobre os easter eggs (segredos escondidos) do dvd.
Por Davi Garcia

Bastidores das Gravações de Lost - Spoilers


15/09/2006

Surpresas à vista na nova temporada...

ATENÇÃO! SPOILERS ABAIXO!
Trazendo mais novidades em sua coluna do E! Online desta 6ª feira, Kristin Veich aumenta ainda mais nossa ansiedade revelando que o local onde os Outros ‘moram’ é na verdade o último lugar que imaginaríamos, o que abre espaço para mais especulações do tipo: será que existe outra ilha? Ou finalmente veríamos uma estação submarina? Dúvidas e mais mistério até a estréia, que segundo ela ainda trará outras grandes viradas. E mais. Aqueles que de alguma forma ficaram frustrados com as respostas dadas na 2ª temporada, vão gostar das que verão nos primeiros episódios da nova temporada, como por exemplo a revelação do que os Outros fazem, que chocantes conexões Jin tem com o amor secreto de Sun e qual personagem estará beijando Kate mais uma vez. Teremos ainda as presenças de Ethan e Boone em flashbacks na ilha, e talvez Libby um pouco mais a frente na temporada.

Preparado para o turbilhão?

Por Davi Garcia

13/09/2006

Mais informações sobre a 3ª temporada (COM SPOILERS)

ATENÇÃO! HÁ SPOILERS ABAIXO
Em sua coluna de hoje no Tv Guide, Michael Ausiello traz novas informações sobre a temporada que vém por aí. Uma diz respeito à primeira cena do episódio de estréia dia 04 de outubro nos EUA. Segundo ele, essa cena irá lembrar-nos da primeira cena da estréia da 2ª temporada, com Desmond na escotilha. Em outras palavras, depois de vê-la provavelmente estaremos nos perguntando, “Quem é essa pessoa e onde estamos?”

Outro ponto interessante diz respeito aos flashbacks da nova temporada. Ao que parece, não devemos ver nada relacionado ao passado dos Outros nos 4 primeiros episódios, já que as indicações apontam histórias centradas em Jack, Locke, Sun-Jin e Sawyer respectivamente, o que inclusive contraria algumas informações anteriores que incluiam Desmond. Bem, o jeito é especular e aguardar até que um release oficial da rede ABC saia.
Pesquisa por Charles Freire e Luis Augusto Farias

‘Desvendando Lost’: Tudo que rolou no bate-papo da Saraiva

Exatamente 1 semana atrás, aconteceu na Mega Store Saraiva do shopping Rio Sul no Rio de Janeiro, o bate-papo ‘Desvendando Lost’ que contou com a presença do “Dude” e também dos amigos Antônio Pedro da comunidade Lost Brasil no orkut e de Carlos Alexandre Monteiro do Lost in Lost. Em um clima muito descontraído e animado contando com a participação de pouco mais de 100 pessoas, tivemos a oportunidade de debater alguns dos principais mistérios da série, entre elas as que envolvem os números malditos, e claro as teorias mais famosas e difundidas entre os fãs.

E como um bom bate-papo que se preze não pode fugir de polêmica, tivemos a chance de ouvir o amigo Carlos Alexandre defendendo sua Teoria da Terra Oca, cuja receptividade sempre gera calorosas e empolgadas discussões. Segundo essa teoria, a Terra não seria um esferóide sólido, mas sim oca e com aberturas no pólos. No seu interior viveria uma civilização tecnologicamente avançada, cujos integrantes às vezes vêm para a superfície. Se isso tem a ver com Lost ou não ainda não sabemos, mas que a ‘viagem’ é interessante, isso é. Além disso, falamos sobre os motivos que nos fizeram assitir Lost, sobre as ‘coincidências’ que encontramos entre os personagens da série, os livros que aparecem e sobre o papel dos Outros na trama que se constrói.
No espaço aberto à participação de todos os presentes, discutimos as referências da cultura pop no universo de Lost, como por exemplo a influência da saga Guerra nas Estrelas em caracterísiticas de alguns personagens, lembramos dos apelidos com os quais Sawyer costuma batizar os outros personagens, especulamos sobre o papel do ator brasileiro Rodrigo Santoro e claro sobre as expectativas que cercam a 3ª temporada.

E para finalizar, ainda rolou um quiz que deu prêmios como mochilas, o livro recém lançado “Risco de Extinção", que revisita a experiência na ilha de uma sobrevivente que não aparece na série, além de camisas inspiradas na série dadas pelo Séries Etc. Sem dúvida um evento muito bacana que merece repeteco em breve. Nós aqui do Dude! agradecemos o convite da Ediouro e da Saraiva e claro todos que compareceram prestigiando o bate papo e conversando conosco. Que venham muitos outros como esse!


Por Davi Garcia

12/09/2006

Emoções à vista... (COM SPOILERS da 3ª TEMPORADA)

E aí, não aguenta mais esperar a estréia da nova temporada? Pois é, todo mundo ansioso e nós aqui do Dude também não fugimos à regra. Em seu chat semanal realizado ontem, a colunista do E! Online Kristin Veich, revelou belas surpresas que ajudam a aumentar ainda mais nossas expectativas. Quer saber quais são elas? Então continue lendo, mas lembre-se que HÁ SPOILERS SIGNIFICATIVOS ABAIXO!!!



1) Diferente do que se considerava até então, o primeiro episódio (A Tale of Two Cities) é de Jack e não de Kate, o que explica as fotos de sets que flagravam o doutor em cena com uma menina em um parque.

2) Kate terá de fato uma cena de amor nessa temporada mas ela ainda não foi escrita. Ainda nos primeiros episódios da nova temporada ela confessará que ama alguém na ilha. É uma das cenas mais 'emocionantes' (em cada sentindo da frase) que iremos testemunhar e a recomendação é a de que devemos nos preparar para enlouquecer.

3) Surgiu uma obscura referência a uma possível morte ou alguém indo embora da ilha. Mas calma! Não fiquemos loucos até algumas certezas surgirem.

4) Ian Somerhalder, sim o Boone, esteve recentemente filmando no Havaí e aparecerá na série mais uma vez contracenando com Locke. Apesar de não termos nenhum detalhe sobre sua participação, supomos que ele apareça em algum flashback ou em alguma lembrança do careca.

5) Jack está em um cativeiro de vidro e irá interagir muito com uma personagem que não vimos ainda. Kate está em uma sala de exames e interagirá com uma personagem que já conhecemos.

6) A personagem de Elizabeth Mitchell não é uma sobrevivente do acidente. É uma mulher dos grupo dos Outros. Estará romanticamente ligada a alguém que já conhecemos e pode estar ligada romanticamente com uma segunda pessoa que já conhecemos também.

7) E boa notícia para nós fãs brasileiros. Segundo Kristin, o personagem de Rodrigo Santoro surgirá ainda nos primeiros episódios fazendo dupla com a também novata Kiele Sanchez.

Pesquisa por Luiz Augusto Faria

05/09/2006

Sun de capa e espada?

Em entrevista ao Movie & Entertainment News, a atriz Yunjin Kim afirmou que fazer Sun foi e continua sendo um grande desafio para ela que estava acostumada a fazer papéis totalmente opostos à de sua atual personagem. Famosa na Coreía do Sul por seu papel como uma assassina no filme Swiri de 1999, ela diz só ter feito filmes em que era uma mulher forte, obstinada e independente antes de cair na famosa ilha de Lost e assumir a doce e (outrora?) submissa Sun.

“Em Swiri minha personagem era equivalente à La Femme Nikita, uma mulher que gosta de ação. Fui até a faixa marrom no tae kwon do e fiz treinamentos de combate e com espadas,” diz a atriz.

E você? Consegue imaginar a Sun dando golpes de espada e distribuindo chutes e socos pela ilha?

Por Davi Garcia

02/09/2006

Dude no Debate sobre Lost na Saraiva do Shoping Rio Sul - RJ

A Saraiva estará promovendo um bate papo sobre Lost na próxima semana. Participarão do evento Carlos Alexandre Monteiro (Lost in Lost), Davi Garcia (Dude! We are Lost!)... Antônio Pedro Schubert e Juliana Ramanzini (Dude! We are Lost!)

Vamos falar sobre Lost, sobre os livros que foram publicados, sobre os mistérios e teorias... e o que mais surgir! E vai rolar também um quiz (com brindes para os vencedores)!

Importante: para participar escreva para eventos@livrariasaraiva.com.br (especificar - bate-papo RJ) , ou ligue para o telefone da loja do Shoping Rio Sul, onde acontecerá o evento ou ainda pelo telefone (21) 2543-7002 - Basta fornecer o nome completo e telefone de contato.


Data: 6 de setembro, 4ª feira, às 19h
Endereço: Saraiva Mega Store - Shopping Rio Sul - Rua Lauro Muller, 116 - 3º piso


Aguardamos todos vocês!!!!!

01/09/2006

Perrineau: Longe de Lost mas com agenda cheia

Harold Perrineau, ator com relativo sucesso no cinema, viu a carreira dar uma nova decolada depois de fazer Michael, um pai capaz de fazer tudo para ter o filho ao seu lado em Lost. Michael foi visto pela última vez traindo seus companheiros em troca do resgate de seu filho sequestrado pelos 'Outros'.

O ator de 43 anos nascido no Brooklyn não participará da 3ª temporada, mas especula-se com relativa força que retorne no final da temporada ou na 4ª, mas o que fazer nesse tempo? Descansar? Nada disso. Perrineau já está ocupadíssimo pelos próximos meses com 3 filmes à vista.

O primeiro deles vai ser a sequência do hit sci-fi Extermínio (28 Days Later), batizado com o óbvio título de Extermínio 2 (28 Weeks Later), onde fará um experiente piloto da Força Aérea cuja missão é retirar em segurança as famílias sobreviventes do ataque viral em Londres.

Outro filme na agenda do ator é Your Name Here, algo como 'Seu nome Aqui', descrito como uma história a la Charlie Kaufman passada nos últimos dias de vida do autor de sci-fi Philip K. Dick, o homem por trás dos sucessos Blade Runner (com Harrison Ford) e Total Recall (com Arnold Scharzzenegger). Nesse filme Perrineau faz Richard Roundtree, uma estrela no ficcional thriller 'Earthquake' obcecado com Dick.

O 3º projeto do ator chama-se Gardens of the Night , ou Jardins da Noite em português, estrelando Jonhn Malkovich e Jeremy Sisto em uma história de dois garotos que foram sequestrados quando eram crianças e jogados no mundo da prostituição, e que fogem anos depois vivendo como garotos de rua.

E aí? Sentiu saudades do Michael???

Texto por Davi Garcia

Estrela de Lost resiste à pressão de Hollywood

Em entrevista concedida ao site Contactmusic.com, Adewale Akinnuoye Agbaje (Mr. Eko) afirmou que se recusa a ceder à pressão de Hollywood para que mude seu nome para algo mais fácil de se pronunciar, já que tal ação seria um tremendo “sacrilégio.” Budista convicto, Adewale que faz um padre com um passado de ex-traficante de drogas em Lost, diz que seu nome significa: ‘a coroa chegou’, ‘guerreiro’, ‘prosperidade e saúde’. O ator nascido em Londres explica que é descendente de nigerianos, especificamente da tribo Yoruba e que os nomes guardam muito significado naquela cultura.

“Nomes basicamente revelam seu propósito na vida,” disse ele. “Todos os dias quando alguém me chama pelo nome, está me lembrando desse propósito e abrir mão disso seria um sacrilégio. O nome me proporcionou crescimento, e cheguei até aqui com ele, portanto não irei abandoná-lo por causa de Hollywood, até porque as pessoas já estão se acostumando abreviando-o às vezes para Triplo A.”

Que implicância boba com o nome do cara não? Tão simples. Aliás faça o teste você mesmo repetindo-o em voz alta 3 vezes :-)

Texto por Davi Garcia

Promo da Terceira Temporada - legendado

Tradução e legendas Luiz Augusto Faria