31/07/2006

Comentários do ep. 2x20 - "Two for the Road"

A 2ª temporada já nos deu de tudo um pouco, trama mais complexa em torno do mistério da ilha, novos personagens, conflitos, reencontros e algumas descobertas supreendentes. E é falando nessas últimas que vou focar esse comentário que deve ser breve. Two for the Road é um soco no estômago. Um daqueles episódios para deixar nosso queixo caído com as reviravoltas que apresenta (isso claro se você fugiu dos spoilers), quer elas tenham te agradado ou não.

Quem em sã consciência poderia dizer que o Michael entraria numa espiral tão radical? De um pacato pai que buscava meios de estabelecer uma relação com o filho Walt na 1ª temporada, passando por um homem tentando sobreviver em meio ao desepero pelo sequestro do garoto pelos Outros até finalmente transformar-se em assassino a sangue frio. Que virada não? Devo confessar que à princípio não entendo as razões para tal mudança, visto que haviam outros meios de se tentar recuperar o Walt. Mas é igualmente verdade que em termos de narrativa é interessante termos mais um personagem em conflito, como também é certo dizer que não sabemos exatamente o que aconteceu com ele durante sua peregrinação pela floresta. As indicações que temos por enquanto é que desde o 1º momento em que ele reapareceu na floresta para Jack e Kate já estava mentindo e colocando em prática o ardil que culminaria na traição maior. Não sei se vocês concordam, mas penso que ele nem tinha um plano todo elaborado em mente, dado que até reluta em atirar na Ana Lucia sem contudo deixar de ser extremamente frio na execução dela e depois da Libby.

Mas vamos aos pontos que merecem discussão:
  • Que diabos fizeram Ana Lucia e Libby na série? Será que foram limadas por puro capricho dos produtores que não gostaram de ver as duas atrizes envolvidas com problemas de justiça?
  • É implicância minha ou a morte da Libby foi de fato absurda e totalmente desnecessária? Lugar errado na hora errada e só isso? Morre uma personagem que poderia render pelo menos algumas novas linhas dentro da trama (com Hurley e seu aparecimento na clínica psiquiátrica) e nós temos que simplesmente nos conformar?
  • Ana Lucia nunca emplacou na série e isso imagino ser consenso geral, mas aqui também cabe a pergunta: Precisava morrer assim sem nunca dizer a que veio? Seu papel foi só o de irritar grande parte dos fãs e por fim servir como guarda-costas para o pai do Jack e mais nada?
  • Atenção Srs. JJ Abrams, Damon Lindelof, Carlton Cuse e demais: Vocês forçaram a barra dessa vez hein? Aff...
Não tenho objeções à mortes dos personagens, mas entendo que um pouquinho mais de coerência não faria mal algum. Até porque sair eliminando fulano e siclano é fácil, o desafio é contextualizar a morte de forma que existam explicações minimamente plausíveis que sustentem a ausência deles. Em resumo digo que gostei da virada do Michael para o 'lado negro da ilha' , mas não gostei de como as coisas se desenrolaram para morte de duas personagens que podiam não ser elementares à trama, mas que acrescentavam muito às sub-tramas da série.

Two for the Road deixa um gosto amargo na boca de quem vê por causa de seu desfecho, mas ao mesmo tempo nos revela coisas de peso tais como a confirmação clara de que Henry Gale é um Outro e principalmente que sua missão era 'pegar' Locke, um dos sobreviventes tidos como "bom", termo que já fora mencionado por Goodwin à Ana Lucia no episódio 2x07 e agora volta à tona. Outro ponto interessante é o de que o pai do Jack fora à Austrália em busca de uma filha, que certamente deve ser uma das sobreviventes (Claire talvez?) ou então alguma nova personagem que ainda não conhecemos. Imagino eu que ninguém duvida que isso não vá ser explorado mais à frente.

Bom, fico por aqui na esperança de digerir melhor os acontecimentos desse episódio e quem sabe vê-lo com mais simpatia depois de revê-lo.

Por Davi Garcia

Naveen Andrews e namorada?

Image Hosted by ImageShack.us

Naveen Andrews e sua namorada?
Que nada! Essa não é Barbara Hershey, sua namorada oficial.
Mas Naveen parece apaixonado pela loira da foto, já que ficaram horas se beijando na Manhattan Beach, no dia 29 de Julho.

Mais Fotos Aqui

30/07/2006

Henry Ian Cusick em Lost (TEXTO COM SPOILERS)

Tradução por
Luiz Augusto Faria




O ator escocês Henry Ian Cusick está escalado para resolver os mistérios de Lost sendo um personagem regular por pelo menos um ano nesse grande sucesso da TV. A audiência americana já viu o gancho final da segunda temporada, que deixa a personagem de Cusick, Desmond, cara-a-cara com a morte.

O ator, de Newton Mearns, perto de Glasgow, estava escalado para fazer apenas algumas aparições na ilha. Porém, depois de receber diversas petições dos telespectadores, os produtores decidiram escrever uma salvação milagrosa para Desmond no primeiro episódio da terceira temporada, em outubro.

Cusick, que assinou um belo contrato, falou: "Fui contratado para ser regular por pelo menos um ano. Terei que estar no Havaí no começo de Agosto para as gravações e minha familia se mudará logo em seguida. É uma grande oportunidade pra mim e eu estou agarrando-a com as duas mãos."

Cusick faz Desmond, um náufrago descoberto pelos outros dentro da misteriosa escotilha. Sua performance intensa o fez ganhar uma indicação para o Emmy de melhor ator convidado.

Na terceira temporada, a namorada de Desmond, Penelope, estará desesperada tentando achá-lo após seu sumiço em uma volta ao mundo de iate. E a missão dela pode ser a chave para o resgate de todos os sobreviventes, que são considerados mortos por todos do mundo fora da ilha.


Fonte: Sunday Mail

28/07/2006

Elizabeth Mitchell no elenco de Lost

Tradução por Luiz Augusto Faria


Elizabeth Mitchell entrou para o elenco de Lost (leia mais nos spoilers da terceira temporada). No começo da semana, o ator brasileiro Rodrigo Santoro assinou para entrar na série, que começa com a terceira temporada em outubro.

Mitchell será vista contracenando com Tim Allen em "The Santa Clause 3: The Escape Clause", que estréia em 3 de novembro. Seus outros trabalhos incluem "Gia", da HBO - na qual ela interpretou a amante de Angelina Jolie - e um papel em " E.R.".

Fonte: Reuters/Hollywood Reporter

27/07/2006

26/07/2006

Extras do DVD da Segunda Temporada vazam na Internet

Tradução por Luiz Augusto Faria
Adaptação por Juliana Ramanzini

Já estão circulando pela internet alguns dos extras do DVD da segunda temporada de Lost, como cenas deletadas e cenas dos bastidores. Quem já assistiu diz que o material é muito interessante! Por enquanto, vamos disponibilizar um link para uma galaria de fotos de tela dessas cenas, que já dão uma amostra do que podemos esperar do DVD (lançamento no Brasil previsto para 13/09/2006) .


Fonte: LOST DHARMA STATIONZerO

Bad Numbers no Lost Experience

Tradução por
Luiz Augusto Faria


O Lost Experience, jogo online interativo que começou na última primavera e que dá pistas sobre Lost aos fãs, irá mostrar o significado por trás dos números de loteria do Hurley - 4, 8, 15, 16, 23 e 42 - que são comumente abordados na série. A importância deles será revelada aos jogadores que completarem a terceira frase do desafio.



Fonte: E-Online

Entrevista de Jorge Garcia e Daniel Dae Kim no Comic Con 2006

Tradução por
Luiz Augusto Faria
Os atores Jorge Garcia (Hurley) e Daniel Dae Kim (Jin) deram uma entrevista para a IGN TV durante o Comic-Con 2006. A principal parte da conversa foi, obviamente, sobre a 3ª temporada e o quanto eles sabem sobre ela. No entanto, a única informação importante dada pelo Jorge Garcia foi a data em que o elenco começa a gravar a 3ª temporada. Confira a entrevista na íntegra:

- Vocês já começaram a filmar novamente?
Jorge Garcia: Não, nós voltaremos dia 7 de agosto. É o dia oficial de volta ao trabalho.
- Vocês já viram o script?
Daniel Dae Kim: Não.
-Então, vocês podem nos dizer o que vai acontecer durante a temporada?

Daniel Dae Kim: Do script que nós temos? Não sabemos de nada do que vai acontecer.

Jorge Garcia: O Daniel sabe um pouco mais que eu.

Daniel Dae Kim: Que é o mesmo que nada!

- Quanto tempo vocês gastam especulando sobre a história, igual aos fãs?

Jorge Garcia: Nós fazíamos muito isso no começo da série, mas agora estamos mais parados. Mesmo assim, eu e Daniel gostamos de dar uma navegada na internet e ver o que o pessoal está especulando. Nós compartilhamos informações. O Daniel me apresentou os podcasts que saem e agora nós ouvimos juntos para tentar descobrir as coisas da série que a galera fica excitada ao saber.

- Vocês fizeram o "The Lost Experience"?

Daniel Dae Kim: Não fiz. Ouvi falar que é bem extenso. Ouvi falar sobre algumas dicas que o pessoal encontrou, mas só. É bem profundo!

Jorge Garcia: Nós fizemos uma partezinha dele hoje, aparentemente. É algo que vocês terão que aguardar e ver. Tem uma coisa no painel, e tem uma pista nesse momento à direita dele. Algo sobre Hanso. Eu não sei como é o "The Lost Experience" nesse momento. Tipo, eu tava assistindo isso mais cedo, vendo as mudanças no site e coisas do tipo. Sobre o que vai vir posteriormente, eu não sei.

Daniel Dae Kim [apontando pro pulso de Jorge Garcia]: Mas essa pulseira tem algo a ver.

Jorge Garcia: A única coisa é, eles são todos diferentes. Então o pessoal tem que pegar informações que eles pegam de todos eles. E tem uma surpresa planejada.

[Nota do editor: Garcia estava usando uma pulseira de cor bronze com um desenho ímpar que eu não faço a menor idéia do que era. A surpresa a qual ele se referiu era a interrupção de "Rachel Blake", uma personagem do The Lost Experience, durante o painel Comic-Con Lost] - Têm pessoas aqui na fila desde às 7:00 da manhã pra ver vocês.

-Vocês já fizeram algo parecido por causa de uma série ou alguma coisa?

Daniel Dae Kim: Eu vi os três "Senhor dos Anéis" no dia da abertura, e eu nunca vejo filmes no dia da abertura pois não sou fã de multidões. Então foi uma grande coisa pra mim. E eu acho que já vi cada episódio da série original de Star Trek umas 3 ou 4 vezes.

- Vocês fazem sugestões aos produtores sobre as coisas que querem que seus personagens façam?

Daniel Dae Kim: Eu dou sugestões sobre o personagem do Jorge. Mas ninguém mais, sério.

Jorge Garcia: Isso explica porque eu tive que falar coreano!

Daniel Dae Kim: Exatamente!

Jorge Garcia: Bem, tipo, eu gosto que eles façam a parte deles e eu faço a minha. Eu simplesmente deixo as histórias surgirem na minha frente. Eu acho que eles escrevem o Hurley muito bem... Como eu ainda não tô quebrado, eu deixo eles fazerem a parte deles.

- Por que vocês acham que "Os Outros" deixaram o Hurley ir?

Jorge Garcia: Eu não sei, porque é engraçado. Primeiro a pergunta era: "Por que os outros querem o Hurley? Eu não entendo o que eles querem com o Hurley." E então eles deixaram ele ir e todo mundo pergunta "Por que deixaram ele ir?" Então, eu acho que eles não queriam ele. Eu só tenho a informação que vocês tem, que eles querem que o Hurley volte e avise aos sobreviventes pra não irem lá nunca. Eu só me preocupo com que o Hurley consiga voltar ao acampamento, porque ele não sabe onde está. Ficou o tempo todo com aquele saco na cabeça.

- Daniel, você como um grande fã de Star Trek e com o J. J. Abrams trabalhando no novo filme, você vai pedir a ele um papel?

Daniel Dae Kim: Não, mas eu dei a ele conselhos; eu dei a um dos produtores alguns conselhos amigáveis, mas só isso.

Jorge Garcia: Ah, do tipo "Não estraguem!"?

Daniel Dae Kim: Não, o que eu disse pra ele foi "Tenha certeza de que as naves são legais". Porque pra mim é isso o que importa. Eu tinha miniaturas da Enterprise, eu fazia miniaturas da Enterprise, então eu mandei eles se certificarem porque se eles vão fazer todos aqueles efeitos, tenham certeza de que a Enterprise não vai ficar parecendo que foi feita com papel machê. Tipo, quando explode, e coisas assim.

- Vocês gostariam de participar?

Daniel Dae Kim: Sim! Tipo, qualquer projeto decente, especialmente um que eu sou fã, eu adoraria participar. Mas vocês sabem, minha primeira obrigação é com Lost. E eu acho que se você quer dançar, você deve ser convidado.

- Greg Gunberg disse que quer ser um Klingon.

Daniel Dae Kim: Isso é legal!

Jorge Garcia: Porque você pode se esconder na maquiagem de Klingon. É uma grande idéia, mas não é tipo "Ah, e o cara do Lost tá lá!" Não é bem assim.

Daniel Dae Kim: Vamos nós dois fazer Star Trek!

Jorge Garcia: É, vamos ser figurantes, tipo... Talvez eles terão a cena da cantina, estilo Star Wars.

Daniel Dae Kim: Exato!

Jorge Garcia: Eles fazem uma panorâmica e eu sou o cara de orelhas pontudas e aquele cabeção, e você é o cara com barbatanas.

- Tem algum segredo dos seus personagens que ainda não sabemos?

Jorge Garcia: Eu creio que sim.

Daniel Dae Kim: Eu acho que sim, mas não sei de nada específico.


- Quando vocês foram chamados, o quanto da história foi passado a vocês?

Daniel Dae Kim: Eu sabia um pouco. J. J. Abrams, Lindelof, Yunjin Kin (Sun) e eu sentamos e tivemos uma conversa, pois somos o único casal na série. Então tivemos que saber um pouco sobre nosso relacionamento, por isso soubemos um pouco.

- Você acha que de alguma forma você vai conseguir falar inglês na série? Talvez você encontre algo na escotilha e...?

Daniel Dae Kim: Bem, se o Jorge pode falar coreano, eu acho...

Jorge Garcia: Eu não acho que seja mágico; eu acho que de acordo com a necessidade, se aprende naturalmente.

Daniel Dae Kim: É, eu adoraria que o Jin aprendesse inglês pra poder se comunicar melhor em vez de urrar.

Jorge Garcia: Talvez até aprenda rápido, afinal, é televisão.

- O que vocês acham da divisão da série em 6 e depois 16 episódios?

Daniel Dae Kim: Eu acho excelente. Acho que as reprises foram grande parte da frustração do pessoal ano passado, saber exatamente o calendário dos episódios inéditos. Agora fica mais fácil de saber. E eu acho uma boa idéia de ter um mini-gancho ao fim dos primeiros 6 episódios.

- E sobre a gravidez da Sun? Se continuarmos nessa linha de tempo, ela só vai ter o filho na 8ª temporada.

Daniel Dae Kim: (risos) Certo, certo. Conveniente pra ela, não ter que usar barriga postiça por muito tempo, e isso é bom!

- O quão exaustivo é gravar a série?

Jorge Garcia: Não é tão pesado, mas têm uns dias que são mais pesados que outros. Quando Daniel e eu fizemos a cena em que o Hurley pisa num ouriço-do-mar...

Daniel Dae Kim: Ah, sim!

Jorge Garcia: Foram dois dias, e estávamos exaustos no fim. Foi tipo, ele tentando me carregar e coisa do tipo... Foi um dia em que merecemos o salário que ganhamos.

Daniel Dae Kim: Esse foi o dia das moréias também, hein?

Jorge Garcia: Sim, o primeiro dia que foi cancelado. Pois Jin é um grande pescador, e eles colocaram peixe de verdade na rede, então ele teria que, tipo, puxar uma rede gigante cheia de peixe. E algumas moréias sentiram o cheiro e começaram a nadar onde estávamos. Então tivemos que parar de gravar naquele dia, pois não podíamos entrar na água com as moréias lá. Elas poderiam nos morder.

Daniel Dae Kim: Os dentes da moréia quando entram na pele se curvam pra dentro e não dá pra tirá-los. Nos avisaram que era bastante doloroso!

- Vocês estão voltando pro Havaí? Quando irão?

Jorge Garcia: Eu estava lá ontem, vim de lá. Mas já vou voltar. Eu gosto muito de lá.

Daniel Dae Kim: Considero o Havaí como minha casa. Fiquei fora todo o verão, mas volto segunda.

- Vocês fizeram algum projeto durante a pausa?

Daniel Dae Kim: Você fez um, né?

Jorge Garcia: É, eu fiz um chamado Deck the Halls. É um tipo de comédia natalina, com o Danny DeVito e o Matthew Broderick.

- Os fãs são aficcionados na série. Eles já chegaram pra vocês perguntando ou explicando o que eles acham que a série é?

Daniel Dae Kim: Não quando eu estou com o Jorge.

Jorge Garcia: Eu sou a diversão do Daniel quando a gente sai. Ele fica completamente invisível quando sai comigo, por que eu saio que nem doido.

- Jorge, você se tornou um dos sex symbols da série. O que você acha disso?(...)

Jorge Garcia: Hey, você sabe... se você estiver dentro...

- Então vocês dois estão competindo pra ver quem entra na lista dos 50 mais sexies?

Jorge Garcia: Nós já entramos!

Daniel Dae Kim: Você sabe, são tipos diferentes pra públicos diferentes. Eu acho.

- Vocês se preocupam em a série ser tão espetacular e as expectativas serem tão grandes que nada que seja feito poderá superá-las?

Jorge Garcia: Eu não me preocupo com isso. Nóssos escritores são muito fortes. A criatividade do Damon e do Carlton... Eles acertam a parede, sobem nela e brincam no teto!

Daniel Dae Kim: Eu sempre quis que a série fosse a melhor possível, mas concordo com o Jorge. Ela está em boas mãos.[Todos na mesam começam a rir, assim que Daniel vê os produtores se aproximando - Damon Lindelof, Carlton Cuse e Bryan Burk - como ele falou acima]

Jorge Garcia [pros produtores]: Nós estavamos puxando o saco de vocês!

Daniel Dae Kim: É sério! Volta essas fitas aí cara!
Fonte: The Tail Section

25/07/2006

Natasha Henstridge em Lost?


Image Hosted by ImageShack.us
Depois da notícia da participação de Rodrigo Santoro na terceira temporada (postada pelo Dude em primeira mão no Brasil), não param de correr boatos sobre outros nomes de atores que poderão integrar o elenco de Lost. A aposta da vez é o da atriz Natasha Henstridge (A Experiência, Commander in Chief, Meu Vizinho Mafioso, She Spies, entre outros). Segundo o site The Tail Section, é quase certa a sua participação no seriado.

Lost em verde e amarelo

Tradução e adaptação por
Davi Garcia
Uma grande novidade para os fãs de Lost e sobretudo para nós brasileiros
Image Hosted by ImageShack.us
O ator Rodrigo Santoro foi confirmado ontem no elenco da 3ª temporada que começa dia 04 de outubro nos EUA. Santoro que não é muito conhecido no mercado americano contudo, conseguiu chamar a atenção dos produtores da série que ficaram interessados depois de descobrirem que o ator/galã de 30 anos é bem respeitado no cinema brasileiro, tendo conseguido até mesmo pequenos papéis em produções estrangeiras como Simplesmente Amor onde dividiu cenas com a atriz inglesa Laura Linney.

O colunista da TV Guide Michael Ausiello, bateu um papo ontem com Damon Lindelof e Carlton Cuse, produtores da série e traz as impressões dos dois sobre o ator brasileiro.

Ausiello: Tenho que admitir, não conheço o trabalho de Rodrigo.

Carlton: Você não viu Carandiru ou Abril Despedaçado ou Bicho de Sete Cabeças? Você está por fora. (Risos) Rodrigo ganhou uns 8 prêmios de melhor ator, incluindo o da Academia Brasileira de Filmes e Arte. Ele é uma grande estrela no Brasil.

Damon: Ele é sempre descrito para nós como o Tom Cruise brasileiro...

Carlton: ...Embora prefiramos nos referir a ele como o Russel Crowe brasileiro. Ele também era o homem misterioso e interesse romântico de Nicole Kidman no comercial de perfumes Channel dirigido por Baz Luhrmann, e o surfista que aparecia em As Panteras 2 em uma cena com Demi Moore.

Damon: As mulheres adoram quando ele tira a camisa – o que vale dizer que ele estará competindo com Sawyer nessa categoria.

Ausiello: Então o apelo físico deve ter sido preponderante na escolha dele.

Carlton: Só até o ponto em que se espera que o personagem seja baseado em sua aparência.

Damon: Em Lost, o que você vê nunca é o que parece. Nós também o vemos como um ator incrivelmente talentoso. Ele é perfeito para a série porque é um rosto que a audiência americana não conhece muito, mas que já está no meio artístisco a um bom tempo, e um ator que faz escolhas realmente interessantes. E ele certamente não está interessado em ser só um galã na série, nem nós estamos interessados em colocá-lo assim. E eu acho que quando as pessoas começarem a vê-lo vão entender o papel que ele irá fazer na série.

Carlton: Não queremos ser específicos sobre o que vamos fazer com esse personagem. Parte da surpresa e do encanto de assistir a série é ter a chance de conhecer um novo personagem e ver como seu papel vai se desenvolver em relação ao restante do elenco.

24/07/2006

Bonecos Lost - Novas Imagens


Image Hosted by ImageShack.us
Outros detalhes e mais imagens dos bonecos dos personagens Lost estão circulando pela internet. O lançamento dos brinquedos está previsto para o mês outubro, junto com a estréia da terceira temporada da série. Em alguns sites eles já estão em pré-venda. Estima-se que serão vendidos, em média, por $19,99 (dezenove dólares).


Fontes: McFarlane Toys e Superhero Times

23/07/2006

Na Espanha e na França "Perdidos" e "Naufrage"... e no Brasil?

Tradução e adaptação
Juliana Ramanzini


Pouco menos de um ano após o lançamento da Revista Oficial de LOST em inglês, foi publicada a versão em espanhol, para alegria de muitos fãs. A Revista, totalmente dedicada à série, conta com reportagens, entrevistas e fotos exclusivas, tanto das tramas da série, como dos protagonistas principais e secundários.
Por enquanto, os fãs espanhóis terão que se conformar apenas com o primeiro número, que apresenta reportagens sobre os atores Matthew Fox (Jack), Evangeline Lilly (Kate), Dominic Monaghan (Charlie) e Emilie de Ravin (Claire), um artigo sobre o “lostzilla”, uma investigação sobre os passageiros do vôo 815, além de uma entrevista com o produtor executivo da série, Damon Lindelof. Traz ainda muitas notícias e spoilers. Mas, neste ponto, diferencia-se da que circula nos Estados Unidos e na Inglaterra, que já está no seu quinto número, ou seja, a revista em espanhol circulará desatualizada para quem já assistiu os episódios da segunda temporada. O próximo número em inglês terá mais de 100 páginas, mas os fãs espanhóis terão que esperar para desfrutar de seu conteúdo.
Os franceses também estão comemorando, já que a revista será lançada em francês, no mês de setembro.
A pergunta que não quer calar: será que um dia teremos o prazer de ver a revista oficial traduzida para o português?
Fontes: Lostlândia e Lost-Island

Six Degrees e Star Trek: Novas apostas de J.J. Abrams

Tradução por Juliana Ramanzini
J. J. Abrams, criador do sucesso LOST, é também produtor de Six Degrees, uma série ambientada em Nova York e que estréia nos Estados Unidos no próximo dia 01 de setembro. Este novo drama acompanha a vida de seis personagens, completamente desconhecidos entre si, que acabam se encontrando devido a múltiplas casualidades. Inocentes, os personagens levam vidas aparentemente normais, mas o destino lhes faz deparar com inesperadas situações que criam estreitos vínculos entre eles. Campbell Scott, Bridget Moynahan e Hope Davis encabeçam Six Degrees.

Depois de séries como LOST e Alias, J. J. Abrams iniciou uma promissora carreira no cinema. Graças ao sucesso de Missão Impossível III, J.J. tem recebido numerosas ofertas de trabalho como diretor. Uma das que parecem se concretizar logo é Star Trek XI, uma nova produção cinematográfica da famosa saga de ficção científica que deve estrear somente em 2008.
Fonte: Revista Teletodo

Lost na Comic-Con 2006

Image Hosted by ImageShack.us

Hey Dude! Que tal saber o que o Damon Lindelof, Carlton Cuse, Bryan Burk, Jorge Garcia (Hurley) e Daniel Dae Kim (Jin) que estiveram na Comic Con tem a dizer sobre a nova temporada da nossa série favorita e suas curiosidades?

* O 1º episódio da 3ª temporada já tem nome: "A Tale of Two Cities"
* O monstro de fumaça definitivamente não é feito de nanorôbos.
* Kate vai fazer uma importante escolha nos seis primeiros episódios da temporada. E sua escolha presumivelmente tem a ver com Jack e Sawyer.
* A palavra "clone" nunca será usada na série.
* O bastão com inscrições bíblicas que o Eko usa foi feito pelo próprio ator que o interpreta.
* Teremos 13 "mobisódios" (vídeos para celulares) com duração de 2 minutos cada, como se fosse um vídeo-diário. Pelo vídeo mostrado na Comic Con, Hurley aparentemente encontrou uma câmera de vídeo na floresta em uma cena não vista antes. Os mobisódios provavelmente serão lançados para celulares durante o hiato de 13 semanas entre o 1º e o 2º bloco de novos episódios da série, e depois quem sabe serem disponibilizados para download para o público em geral depois de uma semana.
* Em notícia a ainda ser confirmada, parece que Libby aparecerá em flashbacks, mais logicamente de Desmond e Hurley.
* Se você pensar em questões de pais e filhos, provavelmente estará pensando certo.
* Há indícios de que uma estação subaquática exista e vá ser explorada essa temporada.
* Os produtores continuam insistindo que tiraram Cynthia Watros da série para causar impacto dramático. Os fãs contudo continuam não acreditando...
* Terry O'Quinn quer uma faca em suas mãos nessa terceira temporada, e os produtores parecem inclinados a lhe concederem esse desejo.
* Carlton falou por alto que a experiência de tempo dos sobreviventes na ilha pode (ou não) ser uma uma experiência real.
* Os produtores dizem que a tradução dos hieróglifos no contador significa "submundo"
* Um novo site relacionado ao Lost Experience foi mencionado: http://www.hansoexposed.com/


Image Hosted by ImageShack.us

Para ver fotos de Jorge Garcia (acima), Daniel Dae Kim e dos produtores na Comic-Con 2006 clique no link abaixo.

Mais Fotos

22/07/2006

Produtor fala sobre a 3ª temporada

Ansioso para descobrir o que aconteceu com Jack, Sawyer, Locke, Desmond e cia. na ilha mais famosa da tv? O co-produtor Carlton Cuse conversou com o colunista da TV Guide, Michael Ausiello, e comentou sobre a divisão da exibição da 3ª temporada e, é claro, sobre o que podemos esperar.


Tradução por Davi Garcia


O que você pode nos dizer sobre os seis primeiros episódios da nova temporada?

Carlton Cuse: Damon e eu estamos desenhando esse conjunto como uma mini-temporada. Obviamente, vamos explicar o que aconteceu com Locke, Desmond e Eko, e meio que lidar com o fato de Sawyer, Jack e Kate estarem cativos. Realmente gostamos da idéia de ter esse arco de seis episódios e nós temos um desenho de história com uma conclusão e um cliff-hanger que manterá a audiência curiosa e ansiosa pelo retorno em fevereiro para a exibição continuada de 16 episódios.

Está satisfeito com a mudança de exibição?

Cuse: Estamos entusiasmados. Não poderíamos estar mais felizes. Damon e eu recebemos muitas reclamações dos fãs sobre as reprises e a confusão sobre saber quando Lost teria episódios inéditos. A impaciência de ter que esperar duas ou três semanas antes da história continuar. Agora, quando Lost estiver no ar, teremos só inéditos.

Você gostaria de ter mais do que seis episódios de frente?

Cuse: O problema, ultimamente, é que fisicamente nós não temos como produzir mais do que 22, 23 ou 24 episódios. Fizemos 24 na última temporada e isso quase nos matou. Nós estavamos produzindo simultaneamente os episódios 22, 23 e 24 ao final da temporada com três equipes diferentes. É uma série muito difícil de fazer mesmo havendo 35 semanas em uma temporada. Gostaríamos de fazer 35 episódios de Lost, mas isso é simplesmente impossível. Sempre existirão decisões difíceis a serem tomadas quando se fala em programação de uma série. E Steve McPherson (presidente da ABC) decidiu, e penso eu que de forma muito inteligente, que seria uma espera longa demais se Lost só retornasse em janeiro. Essa era a outra alternativa: voltar em janeiro e exibir a temporada inteira (sem interrupções) até maio. Mas acho que vai ser melhor e mais satisfatório para os fãs ter um pouco de Lost ainda esse ano. Vemos esses seis episódios como uma pequena minisérie e vai ser intenso.

Cynthia Watros (Libby) voltará em flashback?

Cuse: Adoraríamos contar mais capítulos da vida de Libby, da mesma forma que contamos a história do pai do Jack. Aquele personagem estava morto desde o início, mas isso não significa que deixamos de descobrir a história dele ao decorrer da série. Adoraríamos terminar a história da Cynthia, mas se eu fosse específico sobre isso, estaria entregando surpresas da nossa narrativa.

A estréia em 04 de outubro vai resgatar o momento onde fomos deixados?

Cuse: Continuaremos de onde paramos, mas obviamente há diferentes histórias em parte diferentes da ilha e, você sabe, vamos ver todos eles nos primeiros episódios. Mas como na 2ª temporada, nós não tratamos dos sobreviventes da jangada no primeiro episódio. Nem tudo vai ser respondido nesse primeiro episódio. Mas, a história envolvendo o seqüestro de Jack, Sawyer e Kate vai definitivamente ser tratado.

Em que pé vocês estão na escalação dos novos papéis?

Cuse: Estamos bem no meio disso. Esperamos fazer o anúncio na próxima semana. Estamos escalando dois papéis femininos e um masculino. Eu não posso dizer de onde os personagens virão mas, obviamente, uma das coisas que vamos explorar nessa temporada é... saber mais dos Outros, sua sociedade e sua história. Então seria justo dizer que vocês vão conhecer outros personagens que também fazem parte dos Outros.

Ouvi dizer que finalmente teremos romance nessa temporada. É a temporada do sexo!

Cuse: Finalmente, sim! Não chamaria essa de temporada do sexo, mas devo dizer que o romance vai ter papel mais ativo na temporada... Nós queríamos ter isso na temporada passada, mas não incluimos tão rápido quanto pensamos que deveríamos. Então nessa temporada isso definitivamente está na nossa agenda.

Estamos falando de Jack e Kate?

Cuse: Na verdade uma dessas novas personagens femininas vai ser interesse romântico, possivelmente para Jack.


Ela vai ser a 3ª parte do triângulo que inicialmente foi pensado para Michelle Rodriguez?


Cuse: Sim, exatamente. E não vai ser apenas um novo romance. Teremos vários novos romances na série essa temporada.... A 2ª temporada foi mais sombria, um pouco mais intensa, mais orientada para a mitologia da série, e eu penso que essa 3ª vai tornar a série um pouco mais brilhante, um pouco mais vibrante, um pouco mais direcionada para aventura, ação e romance. Estávamos lá embaixo na escotilha, era muito monocromático. Eu não acho que a série vai ser tão sombria quanto intensa agora. E ela vai ser, eu acho, ainda mais voltada para os personagens do que para a mitologia.


O empirismo X fé ainda é o ponto central da série?


Cuse: Penso que esse seja um dos assuntos que nunca está realmente concluído. Digo, eu penso que na essência, a série é constantemente sobre empirismo x fé. Muitas das coisas que acontecem na série podem ser debatidas. Era algo sobrenatural ou há uma explicação lógica – e qual é a verdade? Isso é parte do que Lost é, e nós realmente gostamos dessa ambigüidade das escolhas de histórias que fazemos, porque permite à audiência meio que participar e entrar nesse debate.


Como Locke vai ser diferente?


Cuse: John Locke vai ser uma pessoa bem diferente na 3ª temporada. Todos os seus questionamentos, suas dúvidas e suas incertezas foram respondidas. De fato, o botão significava alguma coisa. E havia algo em jogo. E penso que isso vai gerar uma transformação nesse personagem.


Quão grande vai ser o papel de Penny?


Cuse: Penny é uma personagem muito importante no arco mitológico da série. Não quero falar muito sobre o quanto ela vai aparecer na 3ª temporada.


O mundo exterior vai ter um papel significante nessa nova temporada?


Cuse: Sim. A interrelação entre o mundo exterior e a ilha é algo que vai fazer parte da 3ª temporada.


E o monstro?


Cuse: Sim, o monstro será parte da 3ª temporada, assim como o urso polar. As pessoas perguntam o que houve com o urso polar, então teremos histórias envolvendo o urso.


As pessoas também querem saber o que aconteceu com aquela coisa que comeu o piloto na estréia da série.


Cuse: Aquilo era o monstro. Ele não foi devorado. Quando vimos Greg Grumberg (o piloto) ele estava suspenso no alto de uma árvore. Ele estava morto, mas ele não foi engolido. A criatura de fumaça e o monstro são únicos e a mesma coisa.


Walt e Michael partiram para sempre?


Cuse: Não necessariamente. Eles ainda constituem parte da grande mitologia de Lost. Mas quando revisitaremos a história deles, é algo que não posso responder. Mas não iremos retomar imediatamente a história de Michael.


Malcolm David Kelley estará ficando mais velho e alto. Isso tem que ser levado em conta quando você planejar a história dele.


Cuse: Isso é algo que levaremos em conta.


E sobre Cindy, a aeromoça desaparecida?


Cuse: Ela é uma das suas favoritas não? Espero que Cindy apareça em algum momento. Vamos apenas dizer que temos muitos atores na nossa série; e ela não está no topo da lista de atores que usamos.


Algum plano concreto de que J.J. Abrams vá escrever/dirigir algum episódio?

Cuse: J.J. co-escreve a estréia com Damon, e nossa esperança é a de que ele dirija o episódio 7, que vai ser o primeiro do retorno em fevereiro de 2007.

Ficaram chateados com a esnobada do Emmy?

Cuse: Obviamente ficamos decepcionados. Achamos que fizemos realmente uma bela temporada da série. Mas analisando em um plano maior, Damon e eu estamos tão entusiasmados com o sucesso da série, tanto em crítica quanto em audiência... eu quero dizer, não rolou esse ano mas tudo bem.

20/07/2006

Bonecos Lost

Mais personagens de Lost viraram bonecos, para alegria dos fãs que adoram colecionar objetos das suas séries e filmes preferidos. Conforme essas fotos feitas no Comic Con 2006, foram apresentados ao público os bonecos do Hurley, do Locke, do Jack, da Kate, da Shannon, além de uma miniatura da escotilha. O que impressiona é a semelhança e a perfeição das criações. Os próximos a serem lançados serão os do Sawyer e do Mr. Eko.

Jack x Sawyer: conflito por dinheiro?

Antes de retomarem a busca por respostas para os muitos mistérios da ilha, o elenco de Lost já tem uma missão pela frente que não tem nada a ver com a Dharma, o Lostzilla ou os Outros... Ao se reunirem no Havaí para o início das gravações para a 3ª temporada, o elenco planeja uma intervenção direta para dar fim ao imbróglio entre Matthew Fox (Jack) e Josh Holloway (Sawyer).

Os dois atores entraram em conflito depois que Holloway descobriu que os produtores da série deram a Fox um bônus de US$ 250 mil conforme nota publicada na última quarta feira pelo New York Post. Ganhando US$80 mil por episódio, os ex-companheiros e amigos não se misturam em eventos sociais e muito menos mantém diálogos nos sets segundo um informe da revista In Touch. "São dois caras muito bacanas, mas Matthew parece ter ficado com ciúmes por conta da grande popularidade de Josh e este por sua vez sente ciúmes do grande bônus ganho por Matthew," diz o mesmo informe.
Bem, torçamos então para que a briga de egos não prejudique a continuidade desses dois importantes personagens da série.

18/07/2006

Confirmado: 3ª Temporada de Lost em Outubro

Agora é oficial. Em anúncio feito hoje, a ABC confirmou que a 3ª temporada de Lost começará no dia 04 de outubro nos EUA. A rede americana vai exibir 6 episódios em sequência (com possibilidade de serem 7) antes que seu horário de 4ª feira seja ocupado pela estréia da série "Day Break" em 15 de Novembro. Essa série novata vai ocupar o espaço de Lost por 13 semanas consecutivas até o retorno de Lost com 16 episódios inéditos a serem exibidos em sequência a partir do início de fevereiro.

O presidente de entretenimento da ABC Steve McPherson, disse à imprensa que a rede pensou em exibir Lost no mesmo formato de 24 Horas (exibido pela Fox Americana), ou seja, adiar a estréia para janeiro de 2007 e então exibir todos os episódios sem interrupção, mas no fim das contas os executivos chegaram à conclusão de que seria tempo demais sem Lost e o retorno em outubro, além de agradar boa parte dos milhões de fãs, também daria oportunidade à rede de lançar novas séries.
Image Hosted by ImageShack.us

Matthew Fox na premiere de Superman - O Retorno, Josh Holloway e a mulher Yessica passeando por LA e Yunjin Kim no Late Show With David Letterman...


Mais Fotos

17/07/2006

Comentários do episódio 2x19 - "S.O.S."

Depois de ver o 'S.O.S.' já imagino alguns dos comentários que virão classificando esse episódio como 'encheção de linguiça', 'paradão' ou o mais comum de todos, 'sem graça'. Fazer o que né?! A esses recomendo de antemão que revejam o episódio antes de tirarem conclusões precipitadas. Ok que o ritmo foi mais lento que os 2 últimos, mas achei absolutamente necessário termos sim um flashback do casal Rose e Bernard. Demorou mas quando veio, mostrou que de fato é bastante relevante para o contexto da trama central. É impresionante como os roteiristas trabalham certos fundamentos e características das personagens com uma antecedência interessante. Esse episódio provou que os caras tem sim desde o início da série, um desenho esquemático das direções que planejam tomar, e se não todas, pelo menos algumas. Mas por que digo isso? Basta lembrarmos de quando a Rose surgiu lá no 1x04 "Walkabout" envolta em uma grande cortina de mistério. Desde aquela época ela já demonstrava uma grande fé que àquela altura poucos tinham. Agora sabemos o porquê, já que como Locke, ela também tem uma ligação bastante forte com a ilha.

Assim como já fora mostrado antes no episódio 2x06 "...and Found", mais uma vez tivemos a oportunidade de saber como um outro casal da série se conheceu. Se no caso do casal coreano, o clichê tomava corpo, mas nem por isso tornara aquele episódio desinteressante, aqui posso aplicar a mesma análise. Gostei da maneira como Rose e Bernard se encontraram e de como o relacionamento deles sempre se mostrou maduro e forte. Mais forte ao que tudo indica pelo lado de Bernard que deu mostras seguidas de que realmente preza a mulher que ama, e isso pôde ser evidenciado de algumas maneiras. Primeiro ele insiste em casar-se com ela mesmo depois de saber que ela tinha uma doença grave, em seguida deposita sua fé na ajuda de um curandeiro e já na ilha não mede esforços para tentar tirá-la de lá até descobrir a verdade sobre o porquê da implicância inicial dela com o plano do tal S.O.S., onde por fim dá sua prova final de amor pela esposa ao aceitar ficar na ilha já que pelo menos segundo a fé dela, esse era o único caminho para ficarem juntos e com saúde. Gostei do desenvolvimento da historinha do casal, e desde já desejo ver mais deles pela frente.

Atendo-me à análise dos outros aspectos, quero destacar a grande participação (mesmo que silenciosa) dos sobreviventes chamados camisa vermelha, aqueles que funcionam como meros figurantes e que dessa vez mostraram suas caras em vários momentos. Outro ponto que merece comentário, é que as indicações mostram que de fato não é só Rose quem já comprou a idéia de permanecer na ilha, Eko de fato constrói uma igreja (como fora especulado) e dá mostras de dividir a mesma idéia. O fake Henry Gale só pra variar deu mais um show nos deixando ainda mais intrigados. O que afinal ele esconde? Por que aquele riso de satisfação? Ele nem precisava provar de novo que é uma personagem riquíssima para a série, mas o fez outra vez mesmo que participando pouco desse episódio. Aliás que atorzaço esse Michael Emerson não? O cara passa tudo no olhar e nas expressões faciais. Sensacional.

Sobre o lance Jate (Jack e Kate na rede) do episódio o que vou dizer? Tá foi legal, mas na verdade entendo que esse foi apenas mais um passo para a longa história que vai rolar entre os dois repleta de conflitos, até quem sabe, um final feliz. Achei interessante o Jack tomando a atitude de ir floresta adentro em busca do Michael e do Walt, porque de fato já soava mais que estranho ninguém se interessar por resgatar, ou no mínimo procurar saber o que aconteceu com eles. Como o episódio mostrou no final, temos Michael de volta e com ele a possibilidade de descobrirmos coisas mais interessante sobre os 'Outros'. Que venha o "Two for the Road".

Por Davi Garcia

JJ Abrams assina contratos

Da CBC Arts

J. J. Abrams, co-criador de Lost e diretor do sucesso Missão Impossível 3, assinou acordos com a Paramount Pictures e a Warner Bros que podem lhe render até US$ 68 milhões.

Com os dois acordos assinados no dia 14 de julho, Abrams de 40 anos, torna-se um dos diretores mais bem pagos em Hollywood. Sua produtora Bad Robot, assinou um acordo de 5 anos com a Paramount Pictures e um de 6 anos com a Warner Bros.

“Os times executivos de ambas as companhias entendem o que estamos construindo na Bad Robot, e eu mal posso esperar para voltar ao trabalho,”Abrams disse em um comunicado.

J.J. revelou que um de seus primeiros projetos será uma releitura da série Star Trek. Ele também vai produzir filmes com orçamentos inferiores a US$ 25 milhões.

“Não tenho nada contra filmes de grande orçamento, mas como alguém que trabalha em televisão, eu sei que boas histórias podem ser contadas com algo bem abaixo de US$ 200 milhões,” Abrams disse.

O acordo com a Warner Bros garante a ele pelo menos 35% da renda oriunda de sidicalização e vendas de dvd, bem como de downloads de internet, informou o Los Angeles Times no último sábado.

“Uma oportunidade surgiu, e nós aproveitamos,”disse Peter Roth, presidente da Warner Bros Television ao Times. “J.J. é um talento único e extraordinário, alguém que eu admirava a alguns anos.”

O Times calcula que os acordos valem pelo menos US$ 55 milhões, mas Abrams pode acabar ganhando até US$ 68 milhões no total dependendo do sucesso de seus filmes e séries de tv.

Sua assinatura de contrato com a Warner Bros deve significar que Abrams está deixando o estúdio da Touchstone Television (do grupo Walt Disney), onde baseou sua produtora.

10/07/2006

Comentários do ep. 2x18 - "Dave"

Que episódio sensacional! Digno de me convencer que a série à qual dedicamos horas discutindo (e ficando ansiosos pelo download que não termina logo) realmente merece toda nossa atenção. Emocionante do início ao fim, "Dave" é desses episódios que merecem e precisam ser revistos para que possamos 'pescar' todas as informações escondidadas sob sua superfície. Hurley deixando por alguns instantes de ser o cara engraçado e atacando Sawyer furiosamente? E que surpresa é essa de que ele é esquizofrênico? Uma novidade e tanto para a personagem não acham? Ok que já sabíamos que ele é um cara que nutre um constante estado de insegurança no relacionamento com outras pessoas (notadamente mulheres) devido sobretudo à sua aparência física (o diálogo final dele com Libby prova isso), mas daí a descobrirmos que o cara tem ou tinha um 'amigo' imaginário foi um choque e tanto. Confesso que à certa altura do episódio fiquei em dúvida se o tal Dave era mesmo apenas fruto da cabeça de Hurley. E a Libby? Está realmente nutrindo um carinho por ele, ou como revela o final do flashback sofre também de algum transtorno psicológico mais severo? Mistério interessante. E interessante também, é ver que esse episódio serve para provar dentre outras coisas, que os roteiristas da série realmente gostam e estão sempre atentos à elementos de outras obras, sejam televisivas ou mesmo cinematográficas, que possam servir como auxílio à narrativa de suas personagens. Alguém lembrou de "Uma Mente Brilhante" ao ver esse episódio?

Pois é, mas que tal fazermos pequenas conjecturas sobre o que significou esse episódio dentro da grande trama central? Em 1º lugar quero destacar que aquele momento já mais pro final do episódio onde vimos Hurley 'conversando' com Dave deu pequenas pistas de que a história toda por trás dos bad numbers, pode de fato não significar nada, ou pelo menos ter pouco peso para as resoluções que a série exige. Por que digo isso? Simples, basta ver que tanto os diálogos de Dave quanto o do falso Henry Gale se corroboram quando dizem (de formas diferenciadas) que os números nada são. Delírio meu? Não se pararmos para pensar e analisarmos que Dave diz que só mesmo uma alucinação explicaria o fato de Hurley usar números que um colega da clínica psiquiátrica contava para jogar na loteria, ganhar o prêmio, sofrer um acidente áereo e cair numa ilha onde os mesmos números estão gravados em uma misteriosa escotilha que tem ainda um computador que exige que tal sequência seja digitada a cada 108 minutos. É ou não é 'coincidência' demais? No meu entendimento (e é claro que posso estar equivocado), esse pequeno argumento por si só validaria a tese de que a sequência dos famosos números não terá muito peso para o desenvolvimento da trama, mas vou além nessa 'viagem' e chamo a atenção para a confissão do falso Henry ao Locke de que ele sequer apertara o botão durante o lockdown e mais, que após zerar a contagem surgiam os hieróglifos que já conhecemos e que nada além disso ocorria senão o reinício da contagem de 108 minutos. É claro que pode ser mais uma mentira dele, mas também pode ser uma dica de que esses números são apenas números de fato, e que damos importância demais a eles. O tempo dirá.

Falei no falso Henry Gale e vale à pena destacar o que ele disse. Quer dizer que o Mr. Friendly/Zeke é "um nada" dentro do que representa o grupo dos Outros? E que papo é esse de que nem Deus sabe ou vê o que é aquela ilha? Enfim, mais um episódio com esta personagem e mais provas de que ela é rica e de grande valor para a sustentação da excelente reta final de temporada. Quem é esse cara afinal? O que ele esconde? Por que mesmo sob ameaça de um Sayid irrascível ele se negou a falar o que sabe de verdade? Só pra variar, várias perguntas.

Finalizando quero dizer que adoro as piadinhas internas que os roteiristas usam ao longo da série. Exemplo aqui? Antes de pular do penhasco Dave diz a Hurley a famosa frase que Desmond já usara no início da temporada em 2 de seus encontros com Jack - See you in another life (Te vejo em outra vida). Muito bom episódio e certamente um dos melhores da temporada que ao que tudo indica terá um final bem explosivo. Fico por aqui deixando o convite para que comentem o que viram e claro para que dêem uma olhada na promo do 2x19 -"S.O.S." que está logo abaixo. Até breve!

Por Davi Garcia

07/07/2006

Nota de Agradecimento


Mais uma vez o Dude foi lembrado! A jornalista Patrícia Kogut publicou, na coluna Controle Remoto do jornal O Globo, a seguinte nota:





Em nome da coordenação e dos colaboradores agradeço a indicação. Isso significa reconhecimento, além de um grande incentivo para continuarmos o nosso trabalho, que por essas e por outras, acaba se tornando uma grande diversão!
Aproveito para agradecer aos nossos leitores e todos que colaboram mandando links, informações, notícias, sugestões e críticas.


Esse é o Dude...

Juliana Ramanzini

--------------------------------

Link da nota: O Globo

Dude vai ao Emmy. Ou melhor, nem vai tanto assim...


* Por Ricardo Henriques

Para quem costuma acompanhar as indicações ao Emmy, não foi lá uma grande surpresa a esnobada que deram em Lost esse ano. Pelo contrário, o estranho foi terem feito justiça e a série ter ganhado o prêmio de melhor drama no ano passado. A regularidade e a excelência do começo da série conseguiu "dobrar" os votantes. Como exemplo disso, só pra não ir muito longe, basta lembrar que também em 2005 o ganhador de melhor comédia foi a "quadrada" Everybody Loves Raymond, deixando a coqueluche Desperate Housewives pelo caminho (aliás, se Lost foi esnobada, Desperate praticamente levou um safanão, já que nenhuma das quatro protagonistas conseguiu uma indicação esse ano). A questão é que o Emmy é uma premiação essencialmente conservadora. Excessivamente até. Um seriado sobre gente "jovem" perdida em uma ilha deserta cercada por mistérios não é exatamente o que os acadêmicos costumam ver, já que uma das séries mais indicadas e premiadas de 10 anos pra cá é a enfadonha The West Wing. Lost sem dúvidas estaria no meu top 5, mas ainda assim não acho que a ausência de nosso querido programa entre os cinco indicados a melhor série dramática seja uma enorme injustiça. Apenas fruto de uma tradicional implicância por parte dos votantes.

Vejamos. The West Wing terminou, então claramente ia ser indicada pela última vez. O mesmo vale para The Sopranos que, além de adorada pelos acadêmicos, tem qualidade comprovada e também chegou ao seu fim. Depois de uma curta primeira temporada que foi apenas simpática, Grey's Anatomy conquistou corações e mentes com seu elenco afinado e roteiros inspirados, recuperando um gênero que sempre fez sucesso na TV americana: o drama hospitalar. De quebra ainda chacoalhou o até então intocável reino de CSI: Crime Scene Investigation. A indicação de House, M.D. foi até certo ponto inesperada. Não pela qualidade da série, que é brilhante, mas sim porque até então as indicações se concentravam no seu protagonista. Também pesou o aumento na audiência, já que muita gente só descobriu o programa quando ele passou a ir ao ar colado no hit American Idol. Por fim, talvez a concorrente de Lost a uma vaga seria 24 Horas. É uma série de ação, o que também não é lá tão apreciado pelo Emmy. Mas a coragem dos roteiristas em brincar com a sagrada imagem presidencial (mesmo que todo mundo saiba do que George W. Bush é capaz, ninguém havia tido a cara de pau de colocar um presidente errante na TV) garantiu que a série mantivesse sua cadeira cativa, mesmo que ainda não tenha conseguido levantar a estatueta. E enquanto os números de Lost caíram um pouco, os de 24 subiram pelo terceiro ano consecutivo.

***

Do elenco tivemos apenas a justíssima indicação de Henry Ian Cusick, o nosso brotha Desmond, como ator convidado. Seria franco favorito na categoria, não batesse de frente com o apelo emocional que é a indicação do lendário Michael J. Fox (para um fã de "De Volta para o Futuro" lendário não é esparro, entendam) por sua participação em Boston Legal/Justiça sem Limites. A atuação dele é apenas correta, mas, pra quem ainda não sabe, Fox se afastou da atuação para se tratar de Mal de Parkinson, tendo inclusive criado uma Fundação para ajudar na descoberta da cura da doença. Ou seja, voltar a atuar, mesmo que em uma participação pequena, pode ser considerado um esforço em nome da arte. E todos nós sabemos que essas premiações americanas adoram se utilizar de razões nada artísticas para escolher seus vencedores. Mas é bom também manter um olho aberto para Christian Clemenson que, também em Boston Legal/Justiça sem Limites, trouxe um dos personagens mais esdrúxulos e divertidos dos últimos tempos, um advogado meio pirado que mantinha sempre as mãos coladas às coxas (daí ganhando o apelido "Hands") e dizia "bingo" em meio a comentários jurídicos complexos. Para nós, fãs de Lost, seria um anti-clímax, mas completamente justificável.

Os fãs de Matthew Fox não precisam se descabelar. Afinal, se ele ficou de fora da lista de melhor ator, está em ótima companhia. Também foram esnobados os excelentes Hugh Laurie, ganhador do último Globo de Ouro por sua atuação em House (curiosamente deixado de lado no mesmo ano em que o Emmy endossa o sucesso da série com uma indicação a melhor drama), e James Spader, que ganhou o Emmy no ano passado e o Globo de Ouro em 2005, por seu cinismo na medida certa em Boston Legal. Quer mais? James Gandolfini, o protagonista da adorada The Sopranos também ficou de fora da lista, mesmo sendo esta sua última chance de ganhar outra vez. De normal na lista escolhida, apenas a indicação sentimental de Martin Sheen pelo último ano de The West Wing e a presença de Kiefer Sutherland, repousando em sua cadeira cativa enquanto seu Jack Bauer não parte para mais 24 horas de correria.

Terry O'Quinn e Naveen Andrews viram suas chances de indicação desabarem pela forma com que seus personagens foram utilizados na segunda temporada. O Locke, mesmo que dentro de uma linha de raciocínio bastante coerente, foi transformado (e transtornado) em um cara obcecado e nada mais que isso, eternamente brincando de Tom e Jerry com o Jack. Nem de longe lembrou o personagem que, com o perdão da licença poética, fazia chover na primeira temporada. Já o Sayid... esse sumiu por boa parte do ano, foi subaproveitado. Mas é nessa mesma categoria de ator coadjuvante que foi cometida a grande injustiça contra Lost. Michael Emerson, vulgo Henry Gale, foi um espetáculo à parte, merecia ser lembrado. As cenas envolvendo ele e O'Quinn foram verdadeiras aulas de atuação. Mas nem se pode culpar o Emmy sem saber se ele foi realmente inscrito para concorrer nesta categoria, ou se entrou como ator convidado. Para quem não sabe, cada série é quem decide quem é protagonista, quem é coadjuvante e quem é convidado, ao enviar suas "applications" para a Academia. E como as pessoas podem não ver um ator que participou de boa parte da temporada como sendo um simples convidado, isso pode tê-lo prejudicado na hora das escolhas.

Entre as mulheres só mesmo Yunjin Kim teria cacife para receber uma indicação, mas a sua Sun ainda não foi aproveitada a contento. As demais precisam se esforçar mais. Se é que esforço ajuda no caso de algumas. De qualquer forma, Lost manteve seu bom aproveitamento nas categorias técnicas, embora desta vez 24 Horas seja a mais lembrada. E o bom episódio The 23rd Psalm (flashback contando o passado de Mr. Eko) teve seu roteiro indicado. Mas nessa categoria ninguém em sã consciência apostaria contra o episódio duplo de Grey's Anatomy que, indo ao ar logo depois do Superbowl, levou a série ao primeiro lugar do ranking dos programas mais assistidos da TV americana.

***

Vejamos pelo lado bom, como ninguém vai ter de ir até Los Angeles para a premiação (no máximo o Henry Ian Cusick, e mesmo assim só se ganhar, porque sua categoria tem os vencedores anunciados uma semana antes e os ganhadores são convidados a apresentar prêmio na cerimônia oficial), já podem ir se dedicando mais à terceira temporada. Afinal, um pouco mais de respeito pelo telespectador menos fanático e ainda está em tempo de trazer a Academia de volta pro nosso lado. Mas o melhor mesmo, pro caso de sua indignação ser irreversível, é não dar muita atenção pra ela. Como disse o comediante Jon Stewart ao receber seu Emmy de melhor apresentador de programa de variedades: "Eu não trabalho pelas premiações. Trabalho pelo dinheiro". E dinheiro é o que não anda faltando no cofrinho de JJ, Lindelof e companhia. Assim como não vai faltar Lost pra gente nos próximos três, quatro, cinco anos.

A premiação ocorrerá dia 27 de agosto de 2006 e será trasmitida pela rede de tv americana NBC.

-------------------------------------
*Ricardo Henriques é jornalista, já está de férias da Copa e adoro uma festa de premiação, mesmo quando não é convidado.

Paparazzi...

Image Hosted by ImageShack.us

Dominic Monaghan e Evangeline Lilly chegando no aeroporto, e Emile De Ravin fazendo compras


Mais Fotos Aqui

06/07/2006

O que “O Terceiro Tira” pode nos dizer sobre Lost?


Por Davi Garcia


Desde sua estréia em 2004, uma das coisas que mais me atraem em Lost, é saber de onde vem tamanha inventividade e porque não dizer, ‘viagem’ dos criadores. Assim, dentre as várias declarações que li dos produtores da série ao longo desse período, uma das que mais chamaram minha atenção foi a de que o romance de Flann O’Brien, O Terceiro Tira (que apareceu pela primeira vez na série no 3º episódio da 2ª temporada), poderia ajudar a entender muito do que é a série. E dessa forma lá fui eu caçar o livro para descobrir se uma das fontes usadas pelas mentes por trás de Lost tinha realmente algo a revelar sobre todo aquele universo fantástico da ilha mais comentada dos últimos tempos.

E depois de ler as pouco mais de 170 páginas afinal, dá mesmo para entender mais sobre Lost? Bem, para início de conversa devo dizer que esse foi ums dos livros mais estranhos que li na vida. À primeira vista, o livro parece ser nada mais que um romance normal, mas embarcar na viagem proporcionada por ele é experimentar uma espécie de ‘Alice no País das Maravilhas’ em um tom mais sombrio. A história toma corpo depois que um assassinato é cometido pelo narrador e seu cúmplice, na tentativa de roubar dinheiro de uma caixa pertecente a um senhor rico e recluso. Nessa jornada, o narrador vai parar em uma peculiar delegacia onde estão dois policiais - que segundo a descrição do livro “não concentram suas investigações ou atividades a esse mundo ou a qualquer plano ou dimensão conhecida, e cujos casos mais comuns envolvem uma série de mistérios...” - conhece um lugar chamado eternidade (local misterioso sob a delegacia), e além de começar a conversar com a própria alma, encontra ainda espaço para falar de um filósofo chamado De Selby cujas idéias bizarras são defendidas com extremo afinco por ele. Uau que viagem! E que não pára por aí à medida em que vamos com o narrador explorar um mundo ilógico onde coisas impossíveis acontecem, e onde passamos a entender (ou pelo menos tentar entender) o amor de um homem por... bicicletas. Mas no final dessa imensa salada, dá mesmo para estabelecer uma ligação entre o mundo fantástico do livro e da série?

A revelação final do livro é (SPOILER A SEGUIR) a de que o narrador está morto mas não se deu conta. Assim, isso significaria que aquela especulação inicial de que todos os sobreviventes do vôo 815 na realidade estariam mortos – fazendo da ilha algum tipo de purgatório – estava certa? Os criadores da série negam com veemência que essa seja a explicação definitiva, mas basta dar uma rápida navegada pelos vários fóruns de discussão na internet, para saber que uma analogia entre a teoria do limbo e a tal eternidade subterrânea descrita no livro é possível.

‘O Terceiro Tira’ traz, por exemplo, uma passagem interessante onde um dos policiais mostra 13 caixas exatamente idênticas que ficam umas dentro das outras, e levando em conta o que o livro nos diz sobre dimensões paralelas e coisas do tipo, já poderíamos pensar: Afinal, haveriam outras ilhas dentro da ilha, ou até mesmo narrativas dentro da narrativa? Bom, pode ser que no fim das contas, esse papo dos criadores de que o livro ajudaria a entender mais a série seja apenas uma maneira encontrada por eles para se divertirem em cima das teorias cada vez mais loucas e complicadas criadas pelos fãs.

Misturando absurdos, humor negro e muita criatividade não dá para negar que o livro não esconda uma profundidade interessante. E o que parece ser certo afirmar, é que não importa o quão tênue a conexão entre Lost / O Terceiro Tira vá revelar ser, as editoras responsáveis pela publicação do livro mundo afora certamente agradecem (e muito) pela propaganda gratuita feita em Lost. As vendas dispararam, e novas teorias sobre Lost também...

EMMY 2006

Lost recebeu nove indicações em oito categorias:


Outstanding Casting For A Drama Series
Big Love • HBO • Anima Sola and Playtone in association

with HBO Entertainment
Junie Lowry Johnson, C.S.A., Casting Director
Libby Goldstein, Casting Director
Boston Legal • ABC • David E. Kelley Productions in
association with 20th Century Fox Television Studios
Ken Miller, C.S.A., Casting by
Nikki Valko, C.S.A., Casting by
Grey’s Anatomy • ABC • Touchstone Television
Linda Lowy, Casting by
John Brace, Casting by
House • FOX • Heel and Toe Productions, Shorez
Productions and Bad Hat Harry Productions in
association with Universal Television Studios
Amy Lippens, C.S.A., Casting by
Stephanie Laffin, Casting by
Lost • ABC • Grass Skirt Productions, LLC in association
with Touchstone Television

April Webster, C.S.A., Casting by
Veronica Collins Rooney, C.S.A., Casting by
Mandy Sherman C.S.A., Casting by


Outstanding Cinematography For A
Single-Camera Series

CSI: Crime Scene Investigation • Gum Drops • CBS • An
Alliance Atlantis production in association with
Paramount Television
Michael Slovis, Director of Photography
Everybody Hates Chris • Everybody Hates Funerals • UPN
• Paramount Studios, 3Arts Entertainment, Chris Rock
Enterprises, Inc.
Mark Doering-Powell, Director of Photography
Lost • Man Of Science, Man Of Faith • ABC • Grass Skirt
Productions, LLC in association with Touchstone
Television

Michael Bonvillain, Director of Photography
The Sopranos • The Ride • HBO • Chase Films and Brad
Grey Television in association with HBO Entertainment
Phil Abraham, Director of Photography
24 • 9:00 PM - 10:00 PM • FOX • Imagine Entertainment
and 20th Century Fox Television in association with Real
Time Productions
Rodney Charters, ASC CSC, Director of Photography


Outstanding Directing For A Drama Series
Big Love • Pilot • HBO • Anima Sola and Playtone in
association with HBO Entertainment
Rodrigo Garcia, Director
Lost • Live Together, Die Alone • ABC • Grass Skirt
Productions, LLC in association with Touchstone
Television
Jack Bender, Director
Six Feet Under • Everyone’s Waiting • HBO • Actual Size
and the Greenblatt/Janollari Studios in association with
HBO Entertainment
Alan Ball, Director
The Sopranos • Members Only • HBO • Chase Films and
Brad Grey Television in association with HBO
Entertainment
Tim Van Patten, Director
The Sopranos • Join The Club • HBO • Chase Films and
Brad Grey Television in association with HBO
Entertainment
David Nutter, Director
24 • 7:00 AM - 8:00 AM • FOX • Imagine Entertainment and
20th Century Fox Television in association with Real
Time Productions
Jon Cassar, Director
The West Wing • Election Day • NBC • John Wells
Productions in association with Warner Bros. Television
Mimi Leder, Director

Outstanding Single-Camera Picture Editing For
A Drama Series

Boston Legal • Race Ipsa • ABC • David E. Kelley
Productions in association with 20th Century Fox
Television Studios
Philip Neel, A.C.E, Edited by
Lost • One Of Them • ABC • Grass Skirt Productions, LLC
in association with Touchstone Television
Sarah Boyd, Edited by
Lost • Live Together, Die Alone (Part 1 & 2) • ABC • Grass
Skirt Productions, LLC in association with Touchstone
Television

Sue Blainey, Edited by
Stephen Semel, Edited by
Sarah Boyd, Edited by
24 • 7:00 AM - 8:00 AM • FOX • Imagine Entertainment and
20th Century Fox Television in association with Real
Time Productions
David Latham, Edited by
24 • 9:00 AM - 10:00 AM • FOX • Imagine Entertainment
and 20th Century Fox Television in association with Real
Time Productions
Scott Powell, A.C.E., Edited by


Outstanding Guest Actor In A Drama Series
Boston Legal • ABC • David E. Kelley Productions in
association with 20th Century Fox Television Studios
Michael J. Fox as Daniel Post
Boston Legal • ABC • David E. Kelley Productions in
association with 20th Century Fox Television Studios
Christian Clemenson as Jerry “Hands” Espenson
ER • NBC • Constant c Productions, Amblin Television in
association with Warner Bros. Television
James Woods as Dr. Nate Lennox
Grey’s Anatomy • ABC • Touchstone Television
Kyle Chandler as Dylan Young
Lost • ABC • Grass Skirt Productions, LLC in association
with Touchstone Television
Henry Ian Cusick as Desmond



Outstanding Single-Camera Sound Mixing For
A Series

Battlestar Galactica • Scattered • Sci Fi Channel • R&D
Television in association with NBC Universal Television
Studios
Kenneth Kobett, C.A.S., Supervising Re-Recording Mixer
Michael Olman, C.A.S., Supervising Re-Recording Mixer
Rick Bal, Production Mixer
Boston Legal • Finding Nimmo • ABC • David E. Kelley
Productions in association with 20th Century Fox
Television Studios
Craig Hunter, Re-Recording Mixer
Peter R. Kelsey, Re-Recording Mixer
Clark King, Production Sound Mixer
William Butler, Production Sound Mixer
CSI: Crime Scene Investigation • A Bullet Runs Through It
• CBS • An Alliance Atlantis production in association
with Paramount Television
Yuri Reese, Re-Recording Mixer
Bill Smith, Re-Recording Mixer
Mick Fowler, Production Sound Mixer
House • Euphoria, Part 1 • FOX • Heel and Toe
Productions, Shorez Productions and Bad Hat Harry
Productions in association with Universal Television
Studios
Gerry Lentz, Re-Recording Mixer
Richard Weingart, Re-Recording Mixer
Russell C. Fager, CAS, Production Mixer
Lost • Live Together, Die Alone (Part 2) • ABC • Grass
Skirt Productions, LLC in association with Touchstone
Television
David Barr Yaffe, C.A.S., Production Sound Mixer
Sean Rush, Production Sound Mixer
Frank Morrone, Re-Recording Mixer
Scott Weber, Re-Recording Mixer
24 • 7:00 AM - 8:00 AM • FOX • Imagine Entertainment and
20th Century Fox Television in association with Real
Time Productions
Michael Olman, C.A.S., Supervising Re-Recording Mixer
Kenneth Kobett, C.A.S., Supervising Re-Recording Mixer
Bill Gocke, Production Mixer


Outstanding Special Visual Effects For A Series
Battlestar Galactica • Resurrection Ship (Part 2) • Sci Fi
Channel • R&D Television in association with NBC
Universal Television Studios
Gary Hutzel, Visual Effects Supervisor
Michael Gibson, Senior Visual Effects Coordinator
Doug Drexler, Digital Supervisor
Steve Kullback, Visual Effects Coordinator
Mark Shimer, Lead Visual Effects Animator
Chris Zapara, CGI Supervisor
Lane Jolly, Lead Visual Effects Compositor
Kyle Toucher, Visual Effects Animator
Daniel Osaki, Lead CGI Model Maker
Lost • Live Together, Die Alone (Part 1 & 2) • ABC •
Grass Skirt Productions, LLC in association with
Touchstone Television
Kevin Blank, Visual Effects Supervisor
Mitch Suskin, Visual Effects Supervisor
Jay Worth, Visual Effects Coordinator
Scott Dewis, 3D Animator
Steve Fong, Compositor
Spencer Levy, 3D Supervisor
Eric Chauvin, Matte Painter
Archie Ahuna, Special Effects Coordinator
Bob Lloyd, Compositor
Perfect Disaster • Super Tornado • Discovery Channel •
Impossible Pictures in association with Discovery
Channel
Gareth Edwards, Visual
EffectsSupervisor/Producer/Compositor/Animator/Matte
Artist
Bob Trevino, Special Effects Supervisor
Rome • The Stolen Eagle • HBO • HBO Entertainment in
association with the BBC
Barrie Hemsley, Visual Effects Producer
James Madigan, Visual Effects Supervisor
Joe Pavlo, Visual Effects Supervisor
Duncan Kinnaird, Lead Visual Effects Compositor
Dan Pettipher, CGI Supervisor
Michele Sciolette, CGI Supervisor
Charles Darby, Lead Matte Artist
Clare Herbert, Visual Effects Coordinator
Anna Panton, Visual Effects Coordinator
Surface • Episode #101 • ABC • Pates in association with
NBC Universal Television Studio
Mitch Suskin, Visual Effects Supervisor
Dave Morton, Digital Animation Supervisor
Eric Hance, Digital Artist
John Teska, Lead Character Artist
Pierre Drolet, Lead Modeler
Eric Chauvin, Matte Artist
Steve Fong, Digital Compositor
Neil Sopata, Digital Artist


Outstanding Writing For A Drama Series
Grey’s Anatomy • It’s the End Of The World, As We Know
It (Part 1 & 2) • ABC • Touchstone Television
Shonda Rhimes, Written by
Grey’s Anatomy • Into You Like A Train • ABC •
Touchstone Television
Krista Vernoff, Written by
Lost • The 23rd Psalm • ABC • Grass Skirt Productions,
LLC in association with Touchstone Television
Carlton Cuse, Written by
Damon Lindelof, Written by
Six Feet Under • Everyone’s Waiting • HBO • Actual Size
and the Greenblatt/Janollari Studios in association with
HBO Entertainment
Alan Ball, Written by
The Sopranos • Members Only • HBO • Chase Films and
Brad Grey Television in association with HBO
Entertainment
Terence Winter, Written by

05/07/2006

Rumores sobre filme de LOST


Estaria um filme de “Lost” nos planos? É esse o rumor mais recente que circula pela internet. Talvez por culpa do 4 de julho (feriadão americano), quando as notícias ficam escassas, ou não...

Ainda assim, se você é um fã de Lost esse é o tipo de notícia que você provavelmente vai adorar saber. Há uma declaração do co-criador da série Damon Lindelof na qual ele discute o futuro de Lost. Ele diz, “Adoraríamos terminar a série depois de 4 ou 5 anos no máximo e fazer um filme.”

Ótimo! Que criador de uma popular série de tv não iria querer transformar sua série em filme? É lá que os grandes lucros residem. O que não significa que o filme vá ser produzido de fato. Isso provavelmente depende do quão popular a série ainda seja ao final do 4º ou 5º ano. Eles conseguem sustentá-la por tanto tempo? Alguns apontam a 2ª temporada como um grande vale, outros viraram ainda mais fãs, contudo, parece um pouco improvável que Lost ainda vá conseguir construir uma base de fãs tão maior do que é hoje.

Essa não é a primeira vez que surgem rumores sobre um filme de Lost. Cerca de um ano atrás, outra estória surgiu dando conta de que 3 grandes estúdios estava brigando pelos direitos de fazer um filme no futuro. Esse rumor velho já indicava que se um filme acontecer, ele provavelmente vá ser usado para dar um final à série. Então teríamos algum cliffhanger na tv, e então para descobrir onde tudo acabaria teríamos que ir ao cinema mais próximo.

Nada mais foi ditto sobre esse rumor antigo, mas parece que o interesse por um filme de Lost ainda não desapareceu.

A melhor notícia aqui é que Lindelof está determinado a evitar que a série perca todo o apelo prolongando-a demais na tv. Cinco temporadas soam como a duração correta para Lost na tv, e algumas séries não conseguem manter-se nem metade desse tempo.

Galã de "Lost" e ator brasileiro integram elenco de "Rambo 4"

da Folha Online

O galã Matthew Fox, 39, o doutor Jack de "Lost", fará parte do elenco de "Rambo 4". O filme será estrelado e dirigido por Sylvester Stallone, que completa 60 anos nesta quinta-feira (6). O lançamento do filme está previsto para 2007, informa o IMDb, maior arquivo mundial sobre a indústria do entretenimento.

O projeto ainda está em fase de pré-produção. Não há detalhes sobre o personagem que Fox fará. Uma curiosidade é que o ator cariocaBruno Campos, 32, também integra o elenco da seqüência de "Rambo". Os roteiristas já foram escolhidos: Kevin Bernhardt e Kevin Lund. Em março, quando o projeto foi anunciado, o produtor Vans Owen havia dito que a idéia era filmar "Rambo 4" no México."Rambo - programado para matar" foi lançado em 1982, com direção de Ted Kotcheff. O filme é o marco na construção do ícone Sylvester Stallone. Na história, o ex-boina verde é preso injustamente por policial inescrupuloso, rebela-se e promove um dos maiores motins solitários da história do cinema.

Agradecimentos à Bia Mansur pela nota.

04/07/2006

Dude! They are Lost!

Estamos organizando uma lista com os sites e blogs mais interessantes, criativos e informativos sobre a série Lost. Se você quiser que o seu blog ou site seja selecionado, envie o link para dudewearlost@yahoo.com.br para darmos uma espiadinha!
Juliana Ramanzini

03/07/2006

Paparazzi...

Image Hosted by ImageShack.us
Os astros de Lost em diversos eventos

Mais Fotos Aqui

Episódio 2x17 Lockdown - Os Segredos do Mapa (em português)



CLIQUEM NA IMAGEM PARA VER EM TAMANHO REAL

Original no Lost Cubit

Adaptação em português por Dude! We Are LOST!

Observações que o mapa acima nos pemite tirar:
  • Aparentemente o projeto Dharma sofreu ruptura em sua estrutura de comunicação.
  • Há muitas outras instalações tão importantes na ilha, quanto a que já conhecemos.
  • Há realmente um procedimento padrão de fechamento da escotilha "Cisne" durante a entrega de novos mantimentos.
  • A Rede intranet parece ter papel importante para o funcionamento do projeto.
  • Suspeita-se que exista algum tipo de fábrica em uma parte da ilha.
  • O eletromagnetismo deve ser o principal foco de estudos na ilha.
  • Vários incidentes já ocorreram na ilha, incluindo o reporte de 5 fatalidades.
E muito mais, mas convidamos vocês para que vejam o mapa e as anotações traduzidas com atenção e comentem.



CLIQUE NA IMAGEM PARA VER EM TAMANHO REAL

Original no LOST-TV Forum

Adaptação em português por Dude! We Are LOST!

Comentários do 2x17 " Lockdown"

Papinho entre os produtores da série Damon Lindelof e Carlton Cuse com JJ Abrams:
Lindelof/Cuse: JJ estamos sem muita idéia sobre o que fazer com a escotilha, parece que esgotamos o mistério daquilo ali.
JJ: Pô pessoal, tô todo enrolado aqui ainda finalizando MI3 e vocês me ligam pra isso? Inventem um segredo escondido lá dentro. Uma espécie de Easter Egg de dvd dentro da escotilha sacaram?
Lindelof/Cuse: Ah JJ sabíamos que você teria uma idéia brilhante! O que seria de nós sem você...
Pois é, mais mistério pela frente! E se a lista deles só aumenta, a de respostas continua bem curtinha. Mas e daí não é mesmo? A série é o que é por causa disso, então nada de reclamações da minha parte. É prazeroso ser enrolado por uma série de qualidade como Lost que vive nos desafiando a quebrar a cabeça e sabe explorar cada pedacinho do que constrói e solidifica seu sucesso. Com Lockdown não foi diferente, já que tivemos bastante drama, ação e suspense. O que marca esse episódio? A dúvida do que significa aquela projeção vista pelo Locke dentro da escotilha. À 1ª vista uma derivação da marca Dharma com sutis diferenças. Ou ela não seria propriamente uma marca mas sim um mapa que mostra as interligações das estações? E os aparentes rascunhos ao redor, o que são? Muitas perguntas. Cadê o Desmond pra explicar???!!!
Ah Locke, eu já começava a perder meu interesse por sua personagem mas depois desse episódio digo que você volta a ganhar minha atenção. Que vida sofrida hein?! Sempre sendo manipulado e perdendo tudo aquilo que conquista. Primeiro você encontra/conhece um pai que finge ser seu amigo apenas para lhe roubar um rim e em seguida fugir de você para reaparecer depois simulando a própria morte que era a finalização de um golpe onde você acaba se envolvendo e que para seu azar culmina com a perda da mulher que você ama. Depois do acidente no vôo 815 sabe-se lá porquê, você que ficara paralítico volta a andar, ganha confiança na ilha adquire certa liderança até que conhece um tal de Henry Gale que agora nem é mais Henry, se deixa envolver pelo joguinho de manipulação do sujeito e depois de um 'acidente' vai perder a capacidade de andar por uns tempos de novo. Ai ai, se a teoria do purgatório estivesse valendo, poderíamos dizer com certeza que o Locke deve ser o mais imperfeito dentre todas as personagens não acham? Que sina!

Mas ok, voltando ao episódio e mais especificamente ao atualmente super hiper misterioso prisioneiro cujo nome aparentemente deve ser outro, arrisco-me a dizer que ele sabe muita coisa sobre a escotilha, e pelos indícios vou mais longe apostando que ele não é simplesmente um dos "Outros", mas sim alguém com um papel muito maior dentro do que é aquilo tudo na ilha e o projeto Dharma. Para que dizer a verdade sobre o balão mas mentir sobre uma suposta esposa morta? Que expressões de espanto e raiva eram aquelas nos rostos de Jack, Sayid, Kate, Charlie e Ana Lucia? Para mim não restam dúvidas de que há algo maior por trás desse personagem até então chamado Henry Gale.
Então um novo suprimento de comida é jogado próximo à escotilha exatamente no mesmo momento em que ela é isolada internamente? Coincidência ou rotina padrão para toda vez que um novo suprimento chega? Mais dúvidas que se somam à (para mim) maior delas levantada por esse episódio: por que ainda há ressuprimento para um projeto aparentemente sucateado? Ah, lembram da listinha de "coincidências" que rodeiam os personagens principais? Ela acaba de aumentar com a interação do Locke com a Nadia, sim aquela moça por quem Sayid era apaixonado e libertara da prisão lá atrás no episódio 1x09 Solitary.

Curti bastante o episódio, mas devo confessar que ficou uma pontinha de frustração por não descobrir o porque do Locke ter ficado paralítico. Aliás lembrar daquela estória comentada ao longo das últimas semanas de que o Locke voltaria às muletas e descobrir que o evento não é consequência de uma nova intervenção misteriosa da ilha, mas 'simplesmente' de um acidente na escotilha é um pouco sem graça não acham? Mas fazer o que né? Esperemos pelo próximo episódio do Locke sabe-se lá quando...

No próximo episódio (2x18 - Dave) conheceremos mais do passado do Hurley antes de ganhar a loteria e seu 1º contato com os mistériosos números em uma instituição psiquiátrica onde dizem os spoilers, trabalhava a Libby. Até lá pessoal!
By Davi Garcia
*Foto retirada da Wikipedia. É a carteira de motorista de Henry Gale. O verdadeiro Henry Gale. No endereço podemos ver que ele morava no número 815, e a soma dos números do CEP, 55391 dá 23. Mais uma vez os nossos queridos Bad Numbers aparecem. A questão é: Qual é a história desse Henry Gale? (Nota by Joaquim Dannemann)