27/11/2006

Michael Emerson em matéria

Matéria originalmente publicada pelo StarBulletin

Por Katherine Nichols
Traduzido e adaptado por Davi Garcia

Como o personagem que faz em Lost, Michael Emerson é inteligente, esperto e charmoso. Mas, diferente de Benjamim Linus, não há nenhuma conotação sinistra nesses atributos.

Em um sábado recente, o ator convidado, que por fim se tornou regular na série, estava de muito bom-humor quando chegou para uma entrevista no restaurante Kaimuki no horário combinado – nenhum segundo depois. Vestindo calças creme, tênis e uma camisa branca, o nova iorquino preocupou-se se estaria vestido inapropriadamente depois de um feriado.

Em uma entrevista que mais pareceu um animado almoço com um velho amigo, o ator de 52 anos falou sobre William Shakespeare, a arte de atuar, atenção pública e sobre como o teatro o preparou para seu papel como Benjamim Linus/Henry Gale, o enigmático líder dos Outros na série sensação da ABC que é filmada no Havaí.

“Atuar eu acho moleza; é a exposição que considero um desafio”, disse Emerson. “No palco as coisas são maiores e ninguém sabe quem é você quando você deixa o teatro. Você tem um certo tipo de anonimato e uma camada de discrição. Quando você aparece na tv, é como se você e o telespectador estivessem respirando o mesmo ar. Isso é um tipo de intimidade, uma falsa intimidade, mas ainda assim intimidade, à qual ainda não me ajustei”.

Ele parece levemente impressionado com o fato de que o New York Times tenha feito um perfil dele recentemente dedicando um bom espaço no jornal para tal. “Eu entendo que esse trabalho que estou fazendo agora tenha alcance global”, ele disse depois de pedir um sanduíche e uma coca cola. “Só não tenho certeza se vale isso tudo. É cansativo que eu sempre diga isso, mas muito mais gente vai me ver em um episódio dessa série do que em todas as peças que eu vá fazer.”

Nascido em Iowa, Emerson se formou pela Universidade Drake. Ele trabalhou como ilustrador de revista e professor de desenho antes de achar seu caminho atuando no teatro, um fato que teve ponto alto no espetáculo de 1999 da Broadway “The Iceman Cometh”, com Kevin Spacey.

Mesmo com seu sucesso no palco, Emerson disse que a vida no teatro pode ser brutal, especialmente quando todos os bons papéis vão para os atores de cinema e tv. “Se o sistema é esse”, ele lembra o que pensou, “então vou para Hollywood entrar para a tv para que eu possa fazer Shakespeare em Nova York”.

Mas, mesmo dizendo isso, Emerson afirma estar orgulhoso de seu trabalho na tv porque foi uma conquista. “Você pode ser o melhor ator nos palcos e nunca conseguir espaço na tv”, ele disse. E sua chance veio em forma de um prêmio Emmy por sua participação especial na série “The Practice” de 2001, quando ele fez um serial killer.

E um distanciamento ainda maior de seu amado Shakespeare foi seu personagem Zep Hindle no filme de horror cult “Jogos Mortais” em 2004, que atraiu uma audiência que provavelmente não viu sua performance no teatro. Emerson lembra de estar andando em um shopping de Los Angeles quando adolescentes o pararam e disseram, “Você, você, é o cara de ‘Jogos Mortais’ né? Ele riu. Sem perdão seu personagem foi morto e ele não teve que retornar.

No tapete vermelho, as frases de Emerson e seus pensamentos filosóficos articulados o distinguem. Mas quando é para se falar de Lost, as revelações dele são compreensivelmente limitadas.

“Ele está vulnerável agora”, ele disse, referindo-se ao trauma decorrente do bisturi de Jack que pode ocasionar a saída de Ben. “Há muito mais drama relacionado aquilo por vir; a cirurgia tem outras complicações que levam a outras crises”, ele acrescentou, cuidadosamente escolhendo as palavras. Novos e poderosos personagens serão introduzidos e “haverá uma disputa pelo poder dentro da comunidade dos Outros”. Ele então parou e sorriu. “Tenho que ser cuidadoso com o que digo”.

O relacionamento de Ben com Juliet é admitidamente estranho, com evidências de que ele possa ter algum sentimento romântico por ela que não são recíprocos.

Embora os Outros pareçam estar fazendo algumas coisas más e manipuladoras, Emerson avisou que ainda não sabemos quais são as intenções deles. Além disso, ele aconselhou que a audiência aguarde para julgar seu personagem. “Ben é em alguns momentos um ator”, ele disse misteriosamente. “Mas por natureza, eu não penso que ele seja um mentiroso”.

Ao longo da entrevista, Emerson confundiu-se e chamou o personagem de Henry Gale, admitindo ter dificuldade de acostumar-se a um nome que parece pertencer a um homem da montanha. Mas ele disse não ser o único. Membros da equipe ainda o chamam de Henry, e alguns começaram a chamá-lo de “Benry”.

Emerson acredita que o teatro lhe deu a preparação devida para o árduo trabalho na tv, que algumas vezes exige 15 tomadas dos atore em um período de muitas horas, ângulos e variações de arrumação de cenário.

“Ensaios de teatro me ensinaram que há mais de uma solução para todos os problemas que surgem”, ele disse. “Uma das razões pela qual gosto de estar em Lost é que sinto ter que fazer uma atuação de camadas à qual sempre fui atraído no palco. É muito mais que memorizar as falas. Você tem que criar uma pessoa”.

Ao ser perguntado sobre porquê de quase sempre parecer se divertir quando faz Ben, Emerson morde o sanduíche e mastigando diz, “Tudo é melhor se as pessoas parecem ter uma vida mais obscura, profunda”, ele disse. “As coisas que você tem nos olhos não tem que ser necessariamente o que sai da sua boca. É melhor se tiver tensão ali”.

Com relação à sua carreira depois de Lost, ele tem consciência de que seu papel pode se tornar uma armadilha. “Mas todo papel que eu já fiz... se o fiz bem... as pessoas se preocupam de que eu possa ficar preso a eles. A única resposta para isso é seguir em frente e fazê-los se preocupar com você em outro papel”.

“Certamente, existirá algum trabalho de palco no meu futuro; estarei ansioso para isso”, ele continuou. “Talvez alguma coisa em um filme ou dois . Embora eu provavelmente não pegue um papel de um ambíguo estrategista de novo depois desse. Talvez um palhaço triste, por exemplo”.

Um palhaço triste?

“Sim”, ele riu. “Não sei o que eu quis dizer com isso”.

O esquema de trabalho dele é errático, dependendo da presença de Ben no roteiro da semana. Embora a série esteja em férias até fevereiro, as gravações continuam à medida em que os produtores trabalham para ter o maior número de episódios para evitar reprises.

Quando surgem cenas para ele, Emerson é frequentemente solicitado a apresentar-se em North Shore às 5:30 da manhã, o que significa que o ator que mora na cidade, tem que acordar às 3:45 da manhã. A essa hora, ele disse, “Não posso nem mesmo colocar minhas lentes de contato”.

Os olhos de Ben são uma caracterísitica marcante, portanto Emerson deixa os óculos de lado enquanto grava. O cabelo contudo, é parecido. Durante uma viagem recente para Los Angeles com sua esposa também atriz Carrie Preston, Emerson deu uma ajeitada no cabelo. Mas não durou muito. “Era muito ‘fashion’ para o personagem”, ele disse. De fato, os fãs mais atentos vão perceber que o cabelo de Ben fica maior à medida em que a temporada progride.

Enquanto o cabelo estiloso espera, ficar em forma é prioridade. Correr e malhar em uma academia próxima a sua casa, prepara Emerson para cenas como a que teve que escalar o monte Makapuu com Sawyer – e um coelho na bolsa. “É importante ter resistência para fazer Lost”, ele disse.

E para a atenção que certamente continuará vindo em sua direção.

16 comentários:

Anônimo disse...

Adoro esse cara! Sem dúvida, umas das melhores aquisições de Lost!

f.f disse...

Antes de mais nada, tenho que dizer: o nome da esposa dele TINHA que ser Carrie hahuahuauhauha!
Mesmo ele falando que o público deve esperar pra julgar Ben e os Outros, eu não consigo ver nada de bom naquele bando de birutas, mas Lost é Lost e eu quero me surpreender!
Esse cara é um ótimo ator, bom saber mais sobre ele...valeu Dude ;)!

Dri (sem alma por tempo indefinido) disse...

Ah... Amo o Michael Emerson!!!

Danielle Mística disse...

Que cara mais cool!

Tiago Freire disse...

Esse cara eh foda!!
Ao lado de Locke e Eko, é um dos personagens mais marcantes da série.

Anônimo disse...

Se esse cara não for, no mínimo, indicado e ser um dos favoritos ao Emmy como Melhor Ator Coadjuvante, eu desacrdito de vez nessas premiações...

Anônimo disse...

Ele é simplesmente fantástico!

Dex disse...

Disputa de poder entre os Outros... será que é aí que o Jacob aparece?

Esse cara é tudo de bom... há muito não via um ator cuja expressão fosse tão densa e enigmática. Parece tranquilo e perverso ao mesmo tempo.

Como disse o anônimo de cima: Um Emmy pro Michael Emerson, por favor!

Anônimo disse...

52?td isso??nossa... eu chutaria uns 47 no maaaaximo!
Benry rock's!

Anônimo disse...

Michael é o que há. Mas como assim 52 anos de idade? Não consigo associar!

Anônimo disse...

Para rir um pouquinho com Lost

http://www.worth1000.com/cache/contest/contestcache.asp?contest_id=7559&display=photoshop#entries

henrique disse...

ele eh phods... tb achava q ele tinha menos idade... beeeem menos.. hehe...

ariana disse...

ele eh tudo....
amooo ele!!!

Julianna disse...

Muito fofo ele... Me cativou!

Anônimo disse...

ele parece o pai do Chester do Linkin Park...hihi

Anônimo disse...

caraca cada dia eu odeio mais aquele canadense ken do spoilerlost. ele eh muito babaca vive falando mal do santoro e da nikki/kiele.

acho que tem uma certa fixação de falar mal deles...

pra variar nessa entrevista com michael emerson lá no site, ele logo se postou a comentar "espero que os novo personagens que aparecerão não sejam paulo e nikki!" Que cara retardado.

eu me esforço pra naum odiar, mas eh difícil