05/06/2006

Comentários do episódio 2x13 - "The Long Con"

Por Davi Garcia



"O tigre não muda suas listras". Não haveria frase melhor pra definir a essência do Sawyer, um dos meus personagens preferidos da série. The Long Con trouxe uma pequena reviravolta a qual devo confessar não esperava. Ok que o Sawyer nunca gostou de receber ordens desde o 1º dia na ilha, mas daí a armar maquiavelicamente um plano (com a ajuda do transtornado e agora sombrio Charlie) pra tomar o "poder" no grupo dos Losties foi uma virada surpreendente, sobretudo se formos analisar os motivos do cara. E achei ruim? Muito pelo contrário. Creio que a trama só tenha a ganhar com isso e que o evento sirva (ou não) para mostrar àqueles que acham que sabem de tudo (Locke) e àqueles que gostam de mandar em tudo (Jack), que menosprezar opiniões alheias pode ser perigoso para todo o grupo. Aliás foi no mínimo engraçado ver as reações de Kate (a manipuladora mor) descobrindo que fora ela a manipulada da vez, e de Locke ao perceber que caíra feito um pato no 'grande golpe' de Sawyer.

E se o flashback serviu apenas para confirmarmos que o 'bad good guy' dos Losties é de fato apenas um sujeito atormentado pelos dramas do passado que à todo instante quer se vingar de si mesmo, os acontecimentos da ilha nos deixam a clara idéia de que a convivência fica cada vez mais complicada e o grupo vai aos poucos se dispersando. Sayid mais afastado depois da morte de Shannon, Charlie afastado depois do incidente com Aaron, Ana Lucia desde que chegou nunca encontrou seu lugar, Michael sumido sabe-se lá por onde na floresta em busca do Walt e agora deveremos ter também todo aquele climão de animosidade entre Jack e Locke de volta por causa dos acontecimentos do episódio. É apenas um detalhe? Creio que não, até porque parece que novos personagens estarão surgindo e o famoso Desmond deve reaparecer em breve pra esquentar ainda mais as coisas e quiçá trazer novas revelações e bem provavelmente novos mistérios.

Sim, dessa vez o comentário é bem curtinho, mas quero chamar atenção para o diálogo entre Sayid e Hurley depois de ouvirem Moonlight Serenade de Glenn Miller no rádio:

Sayid - Rádios nessa freqüência ficam acima da ionosfera. Pode viajar muitas milhas. Podem estar vindo de qualquer lugar.

Hurley - Ou de qualquer época.

Seria essa frase final do Hurley de fato apenas uma brincadeira, ou mais uma peça no grande quebra-cabeça do que é aquilo tudo? Sintam-se à vontade pra fazer conjecturas porque eu continuarei aguardando o que vém pela frente.

Obs: Atentaram para o manuscrito lido por Hurley, que transformou-se no livro recentemente publicado nos EUA intitulado Bad Twin, (livro escrito por Gary Troup, um dos passageiros não sobreviventes à queda do avião)?

3 comentários:

Thelma disse...

Sawyer. Afinal as armas estão nas mãos de alguém que, sem entrar no mérito da questão, mantém uma linha de raciocínio. E att p/o comentário e livro Hurley, concordo.
Cara, adoro sua ótica e parabéns pelos comentários!

Beta Cipriani disse...

Adorei seus comentários sobre o episódio. É isso mesmo.
Apesar de gostar muito do Jack e tudo mais - às vezes a porção Cinderela em mim fala mais alto hehe :) - AMEI a reviravolta do Sawyer. Foi tudo! A cara de tacho da Kate "manipuladora-mor" foi demais!
Eu fico meio assim, desconfiada com as coisas que o Hurley fala, porque ele tem toda aquela relação com os números e tals... então isso que ele disse deixa a gente com a pulga atrás da orelha...

Daniel disse...

Entendo agora o "problema" do Sawyer. Ele quer ser odiado para se punir de seu passado. Muito bom