24/04/2006

Perguntas e respostas com J.J.Abrams

Entrevista com J.J.Abrams – criador de “Alias” e “LOST”, escritor e diretor de “Missão Impossível 3”.
por Edward Lewine

Herói pessoal: “Rod Sterling. Em Além da Imaginação, ele fez uma das minhas coisas favoritas – pegou situações extraordinárias e as contou através de uma caracterização emocional. E eu descobri que minha casa fica a 120 metros de onde ele viveu”.

O que está sempre perto de sua cama: “Meu laptop e alguns livros e DVD’s incrivelmente obscuros, sobre como usar um programa de computador. Sou daquelas pessoas 100% viciadas em computadores”.

Seu refúgio: “Um antigo closet adjacente a meu escritório, que agora é um espaço de gravação. Lá tenho um teclado, algumas guitarras e um computador. Adoro gravar”.

Seus grandes sucessos: “Escrevi e gravei as músicas-tema de minhas séries – Felicity, Alias e LOST- e há também uma pequena gravação que fiz para Missão impossível , com meu amigo Thomas Dolby (músico)”.

Sua rotina diária: “Acordo por volta das 7hs, faço o café da manhã para meus filhos e levo os mais velhos à escola. Então vou para o escritório. Normalmente trabalho em Alias ou LOST, nos Estúdios Disney, mas atualmente estou terminando Missão Impossível 3, nos Estúdios Paramount”.

Roupa favorita: “Eu desenhei e fiz uma camiseta baseada na diferenciada placa de “não perturbe”, dos anos 40, do Chateau Marmont Hotel, em Hollywood. O hotel deveria fazer aquelas camisetas para seus funcionários!”

Grande qualidade como escritor: “Sou um escritor apressado”.

Grande defeito como escritor: “Escrevo muito rápido!”

O que não pode faltar na geladeira: “Diet Snapple, Diet Coke e blueberries. São fundamentais”.

Comida favorita: “Há um restaurante em NY chamado “Shopsin’s General Store”, e lá tem um sanduíche chamado “The Chaz”. É uma baguete, feita com peru, molho de amoras e salada de repolho, e ele acaba comigo!”

Coleções: “Ultimamente me sinto como se estivesse colecionando filhos! Mas estou fascinado por robôs – minha produtora chama-se BAD ROBOT – e tenho uma pequena coleção de robôs de brinquedos antigos, feitos de lata e um quadro maravilhoso de um robô”.

A melhor coisa em robôs: “Adoro a idéia de antropomorfizar as máquinas (dar-lhes qualidades humanas), e usar a tecnologia para lhes dar personalidade”.

Melhor “souvenir” de LOST: “Damon Lindelof, que criou a série comigo, me deu um quadro de um ramo de palmeira, que simboliza o novo, início, como um apoio ao 1º episódio”.

Melhor lembrança de Alias: “Pedi uma caricatura da série para Al Hirschfeld, e foram feitas litografias do elenco. Está pendurado no meu escritório”.

Melhor presente que recebeu de um ator: “Tom Cruise me deu uma daquelas scooters. Ainda estou tentando devolver."

O que sempre perguntam nas festas: “As pessoas querem saber o que está acontecendo na ilha de LOST. Ultimamente, têm perguntado como está sendo trabalhar com Tom Cruise”.

O que está sempre com ele: Meu BlackBerry (espécie de palm top)

Lugar favorito em casa: “Há um ótimo lugar que fica perto da piscina, tem um sofá, algumas cadeiras e uma espécie de lareira ao ar livre. É um lugar que faz você se sentir como se estivesse de férias”.

Hobbies: “Tenho uma espécie de ‘laser cutter’, então pego os desenhos feitos pelos meus filhos, escaneio e faço desenhos bi-dimensionais com eles”.

Obssessão: “Acho que caixas são uma forma de arte, e ninguém se dá conta disso. É fascinante o modo como elas são feitas. Tenho livros que adoro, sobre empacotar e fazer moldes de caixas. Às vezes uso o ‘laser cutter’ para fazer minhas próprias caixas”.

Qual foi o melhor dos últimos presentes que ganhou: “ Minha esposa me deu um cheque-presente para escolher e fazer um terno, e é algo um pouco extravagante para mim, mas não vejo a hora de faze-lo”.

Rotina de exercícios: “Tenho corrido nos finais de semana, mas antes eu era uma pessoa que ‘pertencia’ à ginástica”.

Um talento que almeja: “Quero ser um atleta melhor”.

Rotina noturna: “Chego em casa por volta das 19hs, faço as crianças tomarem banho e as coloco para dormir. Janto com minha esposa lá pelas 20:30hs. Às vezes tenho que fazer algumas edições, mas tenho um sistema montado em casa, então posso trabalhar de lá com os editores que ficam na sala de produção do estúdio. Vou dormir por volta da meia noite”.

A maior concepção errada sobre sua vida: “Que o que eu faço é trabalho em vez de diversão”.

Filme que mais assiste: “ ‘Tubarão’, simplesmente porque é um grande filme. Também ‘Núpcias de Escândalo’, que é “impossivelmente perfeito’”.

Livro que mais lê: “A resposta mais comum é algum livro que lemos na infância, mas a resposta honesta é que são os livros que lemos para os nossos filhos. Mas gosto muito de ‘O Rei de Havana’. É um livro ótimo”.

Tarefa doméstica na qual é mais meticuloso: “Com três filhos, você simplesmente tenta sobreviver. Não pode ser exigente”.

Artigo obsoleto do qual não consegue se desfazer: “Tenho uma quantidade de teclados que hoje são totalmente obsoletos, mas que provavelmente nunca vou jogar fora”.

Rotina de viagem: “Não uso escada rolante em aeroportos. Não sei porque, mas sempre uso as escadas comuns. Agora minha esposa e meus filhos fazem isso também. É uma das partes dolorosas de se viver comigo”.

Pesadelo de viagem: “Sonho seguidamente que estou viajando de avião e ocorre algum problema. Eu tive um destes sonhos quando estava em um avião. Acordei de um pesadelo de acidente aéreo, dentro de um avião! Foi muito desconcertante”.

Superstição: “Eu bato na madeira”.

“Técnica” de procrastinação: “Como gosto de fazer muitas coisas – desenho, música, escultura e pintura – sempre há o que fazer ao invés de trabalhar. Basicamente, não escrevo, a não ser que já esteja no final do meu prazo”.

Maior satisfação pessoal: “Qualquer coisa relacionada à computadores ou música, eu compro”.

Invenção sem a qual não consegue viver: “Meu McIntosh. Eu uso em tudo que faço. Uso para escrever, músicas, efeitos sonoros, efeitos especiais, design gráfico, internet. Uso o dia todo, em um grau descontroladamente insalubre”.

Propriedade mais querida: “Tenho uma ‘caixa de mistérios’, que comprei na Tannen’s Magic de NY. É uma caixa de cartões com perguntas impressas. É uma daquelas coisas que você compra por U$15, e seu conteúdo vale no mínimo U$20. Eu nunca a abri, e adoro o fato do misterioso valor que possui enquanto eu não abrir”.

Carro que possui: “Um Toyota Prius. Eu tinha um Porsche, e sinto muita falta dele, mas o Prius é ótimo. Também pelo fato de que você não pode levar crianças em um Porsche”.

Próxima grande aquisição: “Nos últimos anos, nós temos alugado uma casa em Camden, no Maine. Adoraria comprá-la”.

Figura histórica que gostaria de conhecer: “Aristóteles. Qualquer coisa que Rod Sterling não pôde fazer, Aristóteles terá abrangido”.


Fonte: Lost Media
Tradução: Ester Arieta Moreira

3 comentários:

ronald disse...

Aí pessoal do blog, muito bacana a entrevista. Valeu pela tradução. Pena que o lost brasil copiou e nem creditou o trabalho de vocês. Sacanagem.

Soya disse...

:=
Que sacanagem roubar assim na cara de lata!

Dbgrego disse...

O q importa eh q todo mundo sabe q a fonte eh daqui!
Pq n conheço nenhum lostmaniaco q n passa por aqui! ^^
Vlw pela tradução! Mt bakana a entrevista... nem sabia q ele mechia com msk!hehe

Abç!