04/04/2006

Dominic Monaghan: Hobbit 'Lost'

Entrevista no original por Scott Juba

Dominic Monaghan ganhou atenção internacional por seu trabalho na trilogia “O Senhor dos Anéis”, e continua dando seqüência à fama com seu papel em Lost, a série de tv mais comentada na atualidade. Monaghan, faz Charlie, um ex-astro do rock e viciado em drogas que formou uma relação estreita com a também sobrevivente Claire, apenas para ter o relacionamento entre eles abalado depois que ela descobre que ele pode ter retornado às drogas.

Monaghan diz que vai precisar de mais que um simples “me perdoe” para que Charlie recupere a confiança de Claire. “Ele terá que convencê-la que está ‘limpo’ e que está ainda mais motivado a cuidar dela e do bebê”, pontua o ator. “Eu acho que ela está procurando por alguém um pouco mais constante na vida dela. Com isso em mente, será um processo longo de reconstrução de pontes.”

Em um episódio recente, Charlie recorre a um seqüestro falso do bebê de Claire para convencê-la a batizar a criança. Embora o batismo possa ter colocado o bebê dela no caminho da salvação espiritual, ele apenas afastou ainda mais Claire de Charlie. “Charlie se esforçou ao máximo para salvar a criança e batizá-la,” Monaghan explica, “mas ele teve que pular através do arco que ele mesmo criou para que Claire pudesse batizar o bebê à sua própria maneira. Isso não aconteceria naturalmente. Ele teve que encurralá-la até certo ponto. Ele foi influente para que o batismo acontecesse, mas como a maioria das coisas na vida de Charlie, ele as busca pelo caminho errado e então tudo estoura na cara dele.”

Embora Charlie seja uma personagem cheia de falhas, o produtor executivo de Lost, Damon Lindelof diz que o humor e a simpatia de Monaghan fazem Charlie ser um dos favoritos pelos fãs. “A grande arma de Dominic é seu humor”, Lindelof diz. “Sim, ele é muito simpático, mas sobretudo engraçado. Isso é algo que raramente colocamos no papel, mas Dom tem um jeito de fazer mesmo o mais intenso e sério diálogo ser mais acessível construindo algo mais ‘adoçado’. As pessoas acham que Jorge Garcia carrega a tocha da comédia na série, mas eu acho surpreendente que Dom não seja incluído na categoria de ‘alívio cômico.’

Uma das nuances mais marcantes sobre Charlie é que ele escreve mensagens em suas mãos que quase sempre revelam seu humor. Alguns dizem que Monaghan pegou a idéia do cantor Chris Martin vocalista do Coldplay, que escreve mensagens em suas mãos. Quando perguntado se há alguma verdade nisso, Monaghan replica, “Não exatamente. Eu tenho esse hábito desde criança. Minha mãe sempre dizia, ‘Você vai se intoxicar com essa tinta porque ela vai penetrar na sua pele.’ Era apenas meu jeito de lembrar das coisas. Quando estávamos no set dos destroços do avião, eles queriam Charlie fazendo alguma coisa. Eu disse, “Se ele é um artista, deveria estar tentando espantar suas frustrações através da arte. “ Apenas decidimos que seria mais divertido que Charlie estivesse escrevendo algo em seus dedos. Era um mix de idéias na verdade”

Uma das questões de mais peso com a qual a série lida é o choque entre ciência e fé. Monaghan tem uma visão dividida quando disseca o assunto. “Eu fui criado por um professor de ciências e uma enfermeira que eram obviamente influenciados pela razão científica, mas que também tinham fé no catolicismo romano,” ele diz. “Eu entendo as idéias por trás da fé, mas eu me coloco mais no campo da ciência. Ao mesmo tempo, já tive experiências espirituais suficientes na minha vida para saber que existe algo lá fora. Eu diria que sou relativamente agnóstico à essa altura e que provavelmente continuarei agnóstico. Acredito na evolução e na árvore da vida e em todo esse tipo de coisa. Eu penso que as evidências falam por si só.”

Fora da série, o romance de Monaghan com sua colega de set Evangeline Lilly inevitavelmente o joga na mira dos tablóides que geralmente não respeitam sua privacidade.

“É realmente frustrante que algumas pessoas achem que tem direito de invadir sua vida privada,” ele pontua. “Tanta coisa da minha vida está aí exposta. Sobre como trabalho, por que trabalho, o que visto, o que como, quando eu como, que música e filmes eu gosto, ou seja tudo aí publicado. Eu acho que seria justo que de vez em quando pudéssemos manter a privacidade das nossas vidas. Isso é o que sempre tento fazer. Namorei diferentes garotas em diferentes situações, e ninguém parecia se interessar. Agora, parecem estar bem mais interessados. Eu só mantenho sempre a idéia de que isso não é da conta de ninguém a não ser da minha mesmo.”

Agora que Monaghan adquiriu um nível de sucesso que poucos atores atingem, ele diz ter aprendido que fama e fortuna não garantem uma vida completa.”A idéia de sucesso e fama é algo realmente inatingível,” ele diz. “Eu ainda me preocupo com as mesmas coisas com as quais me preocupava antes de atingir qualquer grau de fama, se é assim que vocês a chamam. Eu ainda me preocupo com a minha família. Eu ainda me preocupo com meus amigos. Eu ainda me preocupo com dinheiro, se estou fazendo a coisa certa, se estou feliz e se estou vivendo minha vida do jeito que deveria. Fama obviamente cobre muita coisa e dá às pessoas a impressão de que você é feliz. Não há nada mais desesperador e triste sobre alguém que tem toda fama, mas está clamando por ajuda.”

Monaghan rapidamente aponta, “Não é essencialmente onde estou agora. Mas houveram momentos na minha vida em que pensei, ‘Isso na verdade não me significa nada porque quando fecho a porta de casa, não sou uma pessoa feliz.’ Fama não cura nada. Isso apenas se torna sua vida, mas você ainda continua com os mesmos problemas que tinha antes.”

Se há realmente uma coisa sobre a qual Monaghan possa sorrir, é que suas divertidas performances em Lost ajudam o público a escapar de seus próprios problemas e a curtir uma das séries mais bem escritas da televisão.

Original no The Trades em 03 de abril

Um comentário:

Anônimo disse...

dominic monaghan é lindo;eu o amo com todo o amor do mundo